Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Morre, aos 58 anos, José Eduardo Dutra, ex-presidente do PT

54 1

Morreu neste domingo (4), em Belo Horizonte, o ex-senador José Eduardo Dutra, ex-presidente do PT e da Petrobras. Ele tinha 58 anos e lutava contra um câncer. Dutra foi senador por Sergipe, estado no qual desenvolveu sua vida política, ao lado do ex-governador Marcelo Déda (que morreu em 2013).

Nascido no Rio de Janeiro, Dutra foi dirigente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), de 1988 a 1990, e presidente do Sindicato dos Mineiros do Estado de Sergipe (Sindimina), de 1989 a 1994 – ano em que foi eleito senador.

Dutra foi presidente da Petrobras, de janeiro de 2003 a julho de 2005, e presidiu a Petrobras Distribuidora, de setembro de 2007 a agosto de 2009. Ele deixou o cargo para disputar a presidência do Partido dos Trabalhadores, sendo eleito para o biênio 2010-2012.

Atualmente, era primeiro suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE).

(Agência Brasil)

Fortaleza é sede de Congresso Brasileiro de Direto Urbanístico, nesta segunda-feira

A remoção de 2,5 mil famílias em Fortaleza, para obras da Copa do Mundo que não foram concluídas é um dos temas a ser abordado nesta segunda-feira (5), a partir das 11h30min, na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), durante o VIII Congresso Brasileiro de Direto Urbanístico, que se estenderá até a quarta-feira (7).

Durante o painel “Conferência Habitat III e os desafios para a construção de uma agenda internacional do Direito à Cidade” será lançado a websérie “Cartas Urbanas”, uma parceria entre o Laboratório de Estudos da Habitação (Lehab) da UFC e o coletivo Nigéria, que também abordará cenários dos bairros do Bom Jardim e Serviluz.

Uber x taxistas

104 1

Editorial do O POVO deste domingo (4) expõe a luta de taxistas contra sistema não regulamentado de transporte de passageiros. Confira:

Um grupo de taxistas resolveu enfrentar o aplicativo Uber – antes mesmo que ele chegasse a Fortaleza – de forma criativa, como revelou matéria publicada na edição de sexta-feira, 2/10, do O POVO. Em vez de confrontos, como ocorrem em várias cidades do mundo, inclusive no Brasil, eles procuram aprimorar os serviços aos passageiros, incluindo o uso de roupas formais – terno e gravada – e oferecendo no interior do veículo água gelada, rede sem fio para conectar equipamentos eletrônicos e jornais para leitura, sem acréscimo no preço da corrida.

O Uber, apresentando inicialmente como um sistema de “carona remunerada”, é na verdade, uma grande empresa, que utiliza marketing agressivo, sustentado na simpática ideia da “economia compartilhada”, para conquistar adeptos. Os motoristas do Uber pertencem a frotas de carros de aluguel ou são profissionais autônomos, que passam longe da promessa inicial de uma inofensiva “carona”, que poderia ser oferecida por qualquer pessoa que se inscrevesse no aplicativo.

Assim, é preciso ter claro que o aplicativo não visa, em primeiro lugar, ao “compartilhamento” descomprometido, mas é uma empresa cujo objetivo essencial é obter lucro. O Uber fica com 20% do valor de cada corrida feita por meio de seu aplicativo, sem ter de possuir um único veículo e sem ter de se preocupar com o abastecimento e manutenção dos carros. Também não precisa lidar com a legislação trabalhista, pois os motoristas são “associados” e não empregados da empresa. É, portanto, a partir desse ponto de vista, de um negócio altamente lucrativo, que a empresa deve ser enquadrada, do ponto de vista legal.

Não se trata de lutar contra os avanços tecnológicos, que ajudam a resolver os mais diversos problemas da vida moderna. Também não é aceitável que protestos contra o Uber transbordem para a violência. Mas, sem dúvida, os taxistas têm razão em se queixar da concorrência desleal.

Por isso, a aceitação do Uber tem de ser precedida por sua regulamentação, de acordo com as normas do transporte público brasileiro, cobrando da empresa o pagamento dos devidos impostos e taxas, como acontece com todas as atividades empresariais que queiram se estabelecer no mercado.

Mar avança sobre praia em Aquiraz

354 1

foto praia presídio 151004 mar avança

Moradores e frequentadores da Praia do Presídio, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, foram surpreendidos neste fim de semana com o avanço do mar sobre residências e hospedagens.

O estacionamento de um hotel foi completamente destruído pelas ondas. O problema é semelhante ao que ocorre na Praia do Icaraí, em Caucaia, também na Região Metropolitana de Fortaleza.

(Foto: Carlinhos da Emcetur)

Sindiônibus lança campanha humanizada de mobilidade urbana

Quem embarca num ônibus leva junto algum plano, uma meta, um sonho… Esse é o apelo da campanha “Sua vida em movimento”, do Sindiônibus, que será lançada na noite deste domingo (4), durante o intervalo do programa Fantástico, da Globo.

Segundo o Sindiônibus, a campanha é voltada para a reconstrução de imagem, menos focada para as questões econômicas do setor e mais na mobilidade urbana.

VAMOS NÓS – Boa iniciativa, mas tomara que o sonho dos passageiros não seja interrompido na roleta.

Eleições para conselhos tutelares ocorrem neste domingo em todo o país

Brasileiros com mais de 16 anos poderão ir às urnas neste domingo (4) para escolher 30 mil novos conselheiros tutelares. Eles passarão a atuar nos municípios a partir do ano que vem. Esta é a primeira vez que as eleições ocorrem de forma unificada em todo o país. A eleição não será realizada neste domingo apenas na cidade de São Paulo – onde o pleito foi adiado para o dia 15 de novembro.

Criados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), os conselhos tutelares são responsáveis por zelar pelos direitos dos jovens.

Para votar, é preciso apresentar título de eleitor, documento de identidade com foto e comprovante de residência. Os locais de votação estão disponíveis nos Conselhos dos Direito da Criança e do Adolescente de cada município. As eleições ocorrem desde as 8 horas e seguem até as 17 horas.

Em Fortaleza, serão eleitos 40 conselheiros titulares. Dez deles assumirão os dois conselhos da Regional 6, uma das seis áreas administrativas da cidade. Formada por 29 bairros e com uma população estimada em 600 mil habitantes, essa área, atualmente, tem apenas um conselho. O segundo será instalado em 2016.

Questões como conflitos familiares gerados pelo uso de drogas por adolescentes e casos de abusos sexuais estão entre as principais demandas desse conselho. As denúncias chegam pela procura espontânea da população, por meio de órgãos como os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa). Os conselheiros também recebem denúncias registradas no Disque 100.

(Agência Brasil)

A radiografia embaçada de 2016

68 1

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (4):

É da natureza dos políticos não expressar em público avaliações sinceras acerca de aliados. Sobretudo no que diz respeito a uma gestão que estará sendo colocada a prova nas eleições de 2016. Por isso, não deixa de ser surpreendente a declaração do ex-governador Cid Gomes a respeito do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Provocado a avaliar a sucessão de 2016, em Fortaleza, Cid proferiu o seguinte raciocínio: “Eu penso que, estrategicamente, o grande desafio para a candidatura do (prefeito) Roberto Cláudio, para a sua reeleição, é se colocar no segundo turno”. A declaração abre o flanco para diversas leituras de todos os gostos.

Para uns, a fala fragiliza Roberto Cláudio. Afinal, trata-se da admissão pública de que o prefeito terá que fazer muito esforço (o citado “desafio”) para chegar ao segundo turno. Portanto, como chegar ao segundo turno é o “desafio” a ser alcançado, significa que a popularidade da gestão municipal é hoje sofrível.

Contudo, jamais se deve esquecer: Cid Gomes é um profissional da política. Não é do tipo que se entrega a devaneios descompromissados, por mais que seu corpo e alma estejam desintoxicados pela temporada fora do poder. A fala do ex-governador é muito mais um chamamento para deixar a base em estado de alerta do que um vaticínio pessimista.

Cid e todos os possíveis concorrentes de Roberto Cláudio sabem muito bem que só um desastre pode tirar o prefeito do segundo turno. Um desastre ou uma conjunção de fatores políticos. Entre os quais, uma disputa com poucos candidatos todos eles muito fortes e o PT, claro, com candidato próprio sugando-lhe apoios e tempo na TV.

Mas, para dizer o que disse, Cid tem pesquisas de opinião em mãos. É provável que as tabelas não sejam as mais favoráveis para RC. Se for assim, a candidatura do prefeito terá que cumprir algumas tarefas de gincana. A mais relevante: manter o PT em seu palanque. O PMDB já não terá.

Pelas declarações de Cid Gomes, nota-se que a aposta é que o prefeito terá a companhia do PT. Tanto que, nos cenários tratados, abordou hipóteses com a concorrência de Heitor Férrer e Capitão Wagner, mas sem o PT. Aliás, sendo este o quadro, Cid fez uma avaliação perfeita.

Ultrapassado o desafio de chegar ao segundo turno, sem um petista (Luizianne Lins ou Elmano Freitas) e sem um candidato viável do PMDB na disputa, RC encontraria (em tese) o deputado Heitor Férrer ou o deputado Capitão Wagner como concorrente da nova etapa. Para Cid Gomes, o prefeito “tende a ganhar, seja com quem for”.

Cid explica o motivo. Em caso de enfrentamento com Heitor, o deputado perderia porque “é bom na Aldeota, não tem penetração entre os pobres”. Em disputa direta com Wagner (PR), a situação seria o inverso. “Os ricos, classe média de Fortaleza jamais votarão nele”.

Cid Gomes está correto? A princípio, sim. No fim das contas, o ex-governador deu uma consultoria gratuita aos dois deputados. Eles precisam ampliar seus apoios se quiserem ter mais e melhores chances de chegar ao Executivo. Querido da classe média, Heitor precisa montar uma agenda na periferia. Visto com reservas pela classe média, Wagner precisa aprender a falar para esse público.

Ao ser visto como um candidato ligado à corporação dos militares, com discurso e pautas praticamente centradas na insegurança, o Capitão encurta significativamente sua envergadura política e, consequentemente, eleitoral.

Ceará tem 10 vezes de chances a mais para cair que o Macaé, apontam matemáticos

foto ceará desespero

Com o complemento da 29ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, nesse sábado (3), o Ceará se distanciou ainda mais dos times que lutam para fugir da zona do rebaixamento. Enquanto o Vozão iniciou a rodada na terça-feira (29) com derrota para o Luverdense, por 1 a 0, em plena Arena Castelão, os adversários do time cearense contra o rebaixamento – Macaé, Oeste e Atlético Goianiense – venceram suas partidas. Criciúma e Paraná, ainda com poucas chances de queda, empataram sem gols no interior catarinense.

Segundo o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais, o Ceará está com 87,5% de chances de cair para a Série C do próximo ano, contra 8,3% do Macaé, 5,2% do Criciúma, 1,5% do Oeste e 1,2% do Paraná. De acordo ainda com o estudo, que recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Boa Esporte, ABC e Mogi Mirim estão com mais de 98% de chances de rebaixamento.

O Ceará volta a campo somente no dia 16, contra o Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, no interior catarinense, já pela 31ª rodada da competição. A partida que seria disputada na terça-feira (6), contra o Botafogo, no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 30ª rodada, foi adiada para o dia 20 deste mês, por determinação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como forma de não prejudicar a equipe carioca pela convocação do goleiro Jefferson para as Eliminatórias da Copa do Mundo.

Eduardo Cunha admite queda, mas ‘não caio antes dela (Dilma)’

EDUARDO CUNHA/ENTREVISTA

O presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria admitido para amigos, de acordo com a Coluna Expresso, da revista Época, a possibilidade de uma renúncia ou cassação de seu mandato, após a denúncia de quatro contas na Suíça, todas supostamente movimentadas pelo peemedebista, no valor total de US$ 5 milhões (cerca de R$ 20 milhões).

Cunha, no entanto, segundo ainda a coluna da Época, estaria apostando no impeachment da presidente Dilma Rousseff, antes da perda do mandato de deputado federal. “Não caio antes dela”, teria afirmado o parlamentar.

A estratégia de Cunha, de acordo com os bastidores no Congresso Nacional, seria criar uma comissão para avaliar o pedido de impeachment feito pelo jurista e fundador do PT, Hélio Bicudo, ainda este mês. Caso consiga dois terços dos votos dos 513 deputados federais (342 votos), a presidente será afastada do cargo até ser julgada pelo Senado, em um prazo de seis meses.

(com agências)

Veteranos no Enem são maioria pela primeira vez desde 2011

Os estudantes que já fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pelo menos uma vez são maioria dos inscritos nesta edição, segundo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Isso ocorre pela primeira vez desde 2011. Os veteranos no exame são 5,8 milhões, enquanto os calouros, cerca de 2,7 milhões. A última vez que isso ocorreu foi em 2010, quando era aproximadamente 1,9 milhão de novatos para 2,2 milhões que já haviam passado pelo Enem.

Segundo o Inep, 1,5 milhão de candidatos farão a prova pela terceira vez. O maior grupo entre os veteranos, com cerca de 2,4 milhões, é dos estudantes que farão o exame pela segunda vez. Aproximadamente 864 mil farão pela quarta vez e um milhão pela quinta vez ou mais. Na edição de 2015, os veteranos deram um salto. No ano passado, 3,4 milhões dos inscritos fariam a prova pela segunda vez ou mais enquanto 5,4 milhões fariam pela primeira vez.

O Enem neste ano será nos dias 24 e 25 de outubro. As provas serão aplicadas em todos os estados e no Distrito Federal. Ao todo, mais de 7,7 milhões de candidatos confirmaram a inscrição.

Para ajudar nos estudos para o Enem, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) preparou o aplicativo Questões Enem que reúne todas as questões desde a edição de 2009. No sistema, é possível escolher as áreas do conhecimento que se quer estudar. O acesso é gratuito.

(Agência Brasil)

Plenário poderá votar projeto sobre defesa do usuário de serviços públicos

O Plenário da Câmara dos Deputados pode votar, a partir da terça-feira (6), projeto que cria normas básicas de proteção e defesa do usuário dos serviços públicos federais (PL 6953/02, do Senado). Os deputados também vão analisar pedidos de regime de urgência para outros projetos, como o que acaba com o regime de partilha de produção na exploração do pré-sal (PL 6726/13).

A sessão da Câmara ocorrerá após a sessão do Congresso Nacional, que vai analisar vetos presidenciais, dos quais o mais polêmico é o que barrou o reajuste do Judiciário de até 78,5%.

Em julho de 2013, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu prazo de 120 dias para o Congresso editar lei sobre defesa do usuário de serviços públicos, em resposta a uma ação direta de inconstitucionalidade por omissão ajuizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

(Agência Câmara Notícias)

Fortaleza-São Benedito terá voo inaugural nesta segunda-feira

O primeiro voo regular entre Fortaleza e São Benedito, na microrregião da Ibiapaba, começa a operar a partir desta segunda-feira, com viagem inaugural partindo do antigo aeroporto de Fortaleza para o aeroporto Walfrido Salmito de Almeida. O voo é resultado de uma parceria entre a empresa Be Happy Tour Operator e a Rota do Sol Táxi Aéreo. A aeronave utilizada será um Bandeirante, com capacidade para 18 pessoas.
A rota ficará disponível às segundas, quartas e sextas-feiras, pelo valor de R$ 417, com taxas inclusas. O voo percorrerá 324 quilômetros de distância, com duração de aproximadamente uma hora, enquanto a mesma viagem de ônibus tem duração de seis horas e 20 minutos.
Aeroporto de São Benedito.
(Foto – Divulgação)

E Luizianne Lins vai falar…

57 2

foto luizianne câmara federal

Pela primeira vez, em nove meses de mandato, a deputada federal Luizianne Lins (PT-CE) irá falar no Grande Expediente da Câmara dos Deputados. Luizianne ocupará a Tribuna, na tarde da segunda-feira (5), a partir das 15h25min, para abrir um “fogo amigo” contra a equipe econômica da presidente Dilma Rousseff.

Apesar da fala defender a continuidade do mandato da presidente e relatar os avanços sociais, desde a chegada ao poder do Partido dos Trabalhadores, Luizianne Lins não poupará críticas ao ministro Joaquim Levy, diante do ajuste fiscal.

Macaé, Oeste, Atlético/GO, CRB vencem e situação do Vozão é crítica

Uma rodada que pode ter definido os quatro rebaixados para a Série C do Campeonato Brasileiro do próximo ano. Macaé, Criciúma, Oeste, Paraná, Atlético/GO e CRB, adversários do Ceará na luta contra o rebaixamento, todos pontuaram na 29ª rodada da Série B, enquanto Ceará, Boa Esporte e ABC, que se encontram na zona de rebaixamento, perderam seus jogos. O Mogi Mirim, último colocado na tabela de classificação, ainda entra em campo na noite deste sábado (3), diante do América/MG.

Após ser derrotado pelo Luverdense, na abertura da rodada, na terça-feira (29), em plena Arena Castelão, por 1 a 0, restou ao Ceará torcer para que seus adversários na luta contra o rebaixamento não pontuassem. À exceção de Criciúma e Paraná, que se enfrentaram nessa sexta-feira (2) e empataram sem gols, os demais times que estão à frente do Ceará venceram seus jogos na tarde deste sábado.

Com jogos em seus estádios, Macaé (3 a 1 ABC), Oeste (2 a 0 Náutico) e Atlético/GO (2 a 1 Paysandu) se afastaram ainda mais da zona de rebaixamento, enquanto o CRB (3 a 1 Boa Esporte) buscou a vitória no interior mineiro.

A diferença do Macaé (primeiro time fora da zona de rebaixamento – 16º lugar) para o Ceará (primeiro time na zona de rebaixamento – 17º lugar) agora são de oito pontos, a nove rodadas para o fim da competição.

A semana que afastou o risco de impeachment

semana_que_afastou_o_impeachment

Essa é do Blog do Luiz Nassif:

No dia 28 de agosto passado, Lula passou por Belo Horizonte com destino a Montes Claros. Em BH, participou de um evento da CUT. Em Montes Claros do evento “Encontro dos povos das Geraes”. Lá, discursou de forma veemente condenando o golpe.

De volta a Belo Horizonte, foi recebido pelo governador Fernando Pimentel no Palácio das Mangabeiras, residência oficial. Ainda emocionado pelo encontro de Montes Claros, falou de seu desejo de percorrer todo o país com uma pregação democrática.

Pimentel discordou:

– Presidente, o lugar que o senhor precisa estar é em Brasilia. É lá que o senhor é indispensável.

Lula aguçou o ouvido, enquanto Pimentel prosseguia:

  • De cada 10 deputados, 6 já foram da sua base e pelo menos 4 acompanharão o senhor aonde for. Ainda mais se houver sinais de que o senhor poderá voltar em 2018.

Lula ouviu meio ensimesmado, pareceu concordar mas não foi explícito.

No final de semana, Pimentel rumou para Brasilia para um encontro com a presidente Dilma Rousseff. Lá reiterou a importância de Lula entrar no corpo a corpo do pacto político. Dilma ouviu, aparentemente interessada.-

– Mas será que ele topa?

– A senhora terá que convidar. Sem ser convidado ele não virá.

– Então na segunda-feira ligo para ele.

Segunda terminou sem nenhuma ligação de Dilma. Pimentel recorreu ao assessor Giles Azevedo. Assoberbada com os problemas do orçamento, Dilma se enrolara com o tempo;

Pimentel insistiu e, finalmente, ela ligou para Lula.

Imediatamente Lula se pôs a campo, mudou-se para Brasília e começou a preparar o meio campo, recebendo os deputados, um a um, dando-lhes atenção devida.

Dentro da nova estratégia, Dilma deu um by-pass em Eduardo Cunha e, na melhor jogada política de sua curta carreira política, foi conversar direto com Jorge Picciani, um autêntico coronel fluminense, verdadeiro controlador do bloco de apoio que dá sustentação a Cunha.

Participaram ativamente das tratativas o ex-governador Sérgio Cabral e, principalmente, o atual governador fluminense, Pezão.

Com a saída de Aloisio Mercadante da Casa Civil, foi mais fácil a reaproximação de Dilma com o vice-presidente Michel Temer.

A semana terminou com a crise política amainada.

Um antigo secretário de Paulo Maluf explicava assim o prestígio do ex-chefe mesmo depois de ter perdido cargos executivos: Maluf tem credibilidade no mercado futuro. Isto é, tinha potencial para vencer futuras eleições e suficiente lealdade para premiar aliados.

O poder de Eduardo Cunha acabou no exato momento que a turba que o acompanha se deu conta de que, no mercado futuro da política, ele virou pó. Sua influência presente acabou por falta de futuro político.