Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Deputado do PT ameaça recorrer ao STF para AGU falar novamente na sessão de domingo

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) quer que o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, possa falar novamente no Plenário da Câmara após a fala do relator do processo de impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO). Jovair recomenda a abertura do processo de afastamento de Dilma e terá 25 minutos para defender sua posição na sessão de votação, neste domingo.

Na sexta-feira (15), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, negou requerimento nesse sentido. “O relator fala por último, ao fim do processo de discussão”, disse Cunha ao negar o pedido, lembrando que o rito do processo contra Dilma está estritamente igual ao impeachment do ex-presidente Fernando Collor, em 1992.

Fontana disse que deve ter recorrer ao Supremo Tribunal Federal para garantir que o advogado-geral possa falar novamente. Cardozo falou ontem, logo após o jurista Miguel Reale Junior, autor da denúncia contra Dilma.

(Agência Câmara Notícias)

Domingos Neto diverge da bancada e declara voto contra o impeachment

303 1

foto domingos neto impeachment

Em pronunciamento na noite deste sábado (16), na Câmara Federal, o deputado cearense Domingos Neto (PSD) reafirmou apoio à presidente Dilma Rousseff, contra o processo de impeachment, previsto para votação neste domingo (17).

Domingos Neto reconheceu que seu voto diverge da posição majoritária da sua bancada partidária, mas afirmou que o “impeachment não é alternativa para a crise”.

O parlamentar cearense também reconheceu que a economia brasileira se encontra em “frangalhos” e que há necessidade de “mudança na forma de governar”, mas a presidente não pode deixar o governo, sem que o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, ambos do PMDB, também sejam responsabilizados.

Ao se declarar favorável à Operação Lava Jato, Domingos Neto sugere um plebiscito nacional sobre a situação do impeachment e criticou deputados alheios ao processo.

Avião vindo de Portugal causa tensão no aeroporto de Fortaleza

foto avião pouso emergencial

Um avião com procedência de Portugal mobilizou viaturas do Corpo de Bombeiros e duas ambulâncias, na noite deste sábado (16), no Aeroporto Internacional Pinto Martins, como prevenção a um possível pouso emergencial.

Apesar da estrutura montada, a aeronave pousou sem danos aparentes. Ainda não há informações sobre feridos ou a causa da emergência.

ATUALIZAÇÃO – O problema na aeronave seria no trem de pouso, além de um de princípio de incêndio na cabine do piloto.

A crise de ontem e os problemas de amanhã

foto tasso 151104 discurso

Em artigo no O POVO deste sábado (16), o senador cearense Tasso Jereissati (PSDB) sugere um novo Brasil, independente do resultado da votação do impeachment na Câmara Federal. Confira:

Amanhã, seja qual for o resultado da votação, a única mudança imediata será o quadro político. A superação de uma etapa de um processo que há meses paralisa o país. Naquilo que interessa diretamente à população, os problemas que afligem a vida das pessoas, o Brasil permanecerá o mesmo.

Amanhã, ainda haverá milhões de brasileiros em filas nos hospitais e o futuro das crianças continuará comprometido pela má qualidade da educação e a desigualdade de oportunidades. Ainda haverá mais de 10 milhões de desempregados e a carestia continuará afetando o bolso das famílias. Nossas ruas continuarão inseguras e as periferias das cidades continuarão inchando sem um mínimo de infraestrutura.

Para o enfrentamento destes problemas, antes de tudo, é necessário que pacifiquemos o país. O muro que foi construído em frente ao Congresso Nacional, real ou simbolicamente, terá que começar a ser desmontado. Não se pode pensar em termos de vencidos ou vencedores, nem sucumbir aos impulsos daqueles que pregam a divisão do Brasil. Desarmemos os espíritos, contenhamos as paixões pessoais e trabalhemos por um Brasil reconciliado.

Outra providência que o amanhã nos exige é a reforma do Estado. O aparelhamento da última década causou prejuízos ainda inestimáveis à nação. O preenchimento de cargos por critérios políticos, em detrimento da meritocracia e do profissionalismo, além de notório prejuízo à qualidade dos serviços públicos, só alimenta a corrupção.

Nesse particular aspecto, a Operação Lava Jato já mudou o Brasil. A atuação corajosa da Polícia Federal, do Ministério Público e do Judiciário fez a população brasileira acreditar que, finalmente, ninguém está acima da lei. Esta conquista não pode ter um só passo atrás.

O Brasil de amanhã exige também uma nova forma de pensar e fazer política. As manifestações de rua revelaram que os brasileiros atingiram um novo patamar de cidadania. Mais do que uma reforma, as pessoas clamam por renovação, um sistema que confira mais representatividade aos eleitos e permita o surgimento de novas lideranças.

Que o Brasil de amanhã, portanto, inaugure um novo tempo. Que saibamos retirar lições definitivas desse momento histórico. Que tenhamos a coragem de promover as mudanças, pensando menos em nós mesmos e mais no Brasil. Sob pena de, no Brasil de depois de amanhã, estarmos enfrentando a mesma crise de ontem.

Oposição recorrerá à Justiça contra nomeações feitas pelo governo

A fim de frear a cooptação de votos feita pelo governo para barrar, na Câmara, o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a oposição prometeu recorrer à Justiça para reverter nomeações a cargos públicos. Deputados da oposição disseram já ter acionado advogados para impetrar uma notícia-crime contra as nomeações de cargos publicadas em edição extra dessa sexta-feira (15) do Diário Oficial da União. Estão publicadas 45 exonerações e 52 nomeações, além de dispensas e remoções de servidores públicos de vários órgãos da administração direta e indireta.

“Estamos avaliando entrar com uma notícia-crime contra Lula [ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva], Dilma, alguns governadores de estados e agentes do governo federal por estarem negociando cargos de governo. Além do DEM, participam PPS, PTB, PSDB e PSC. Nossos advogados já estão cuidando disso”, disse o líder do DEM, Pauderney Avelino (AM). Ele, no entanto, não quis detalhar quais seriam os casos concretos que serviriam de base para a entrada da notícia-crime.

Deputados da oposição disseram que a repentina viagem do vice-presidente Michel Temer a Brasília foi em consequência da cobrança de parlamentares da oposição, preocupados com a movimentação dos governistas para atrair votos contrários ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Segundo o deputado Jovair Arantes (PTB-GO), relator da comissão especial do impeachment, a oposição pediu que Temer voltasse a Brasília. “O erro foi ele ter ido [ a São Paulo]. Devia ter ficado aqui direto. Mas voltou para ficar perto do centro de decisão”, disse o deputado ao admitir que o momento atual é de disputa de poder. “Não há dúvida disso. Ele [Temer], do ponto de vista de constituição, é o homem que poderá assumir caso a presidenta seja ‘impitimada’”.

(Agência Brasil)

Impeachment – TV Câmara ganha 29 posições no ranking do Ibope em 2016

A TV Câmara alcançou, neste mês, o 53º lugar no ranking do Ibope entre as centenas de canais oferecidos aos consumidores da TV por assinatura no Brasil.

Em janeiro de 2016, a TV Câmara estava na posição 82 desse ranking, segundo dados do Kantar Ibope Media. Em fevereiro, subiu para a posição 78, e em março até a 73. Neste mês, impulsionada pelas coberturas relativas à análise do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, a TV Câmara alcançou o 53 lugar.

Esses dados são relativos à faixa das 7 horas à meia-noite, de segunda-feira a domingo.

Os dados de audiência são ainda mais significativos ao se considerar que os principais canais da TV por assinatura e da TV aberta, como a Globonews e a TV Globo, por exemplo, usam os sinais gerados pela TV Câmara na cobertura da análise do impeachment.

(Agência Câmara Notícias)

Crise de quê?

Em artigo no O POVO deste sábado (16), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante acredita que a crise no país não é a que se divulga todos os dias. Confira:

Está todo mundo dizendo que amanhã será um dia decisivo. Vamos saber se a Câmara Federal acolhe a acusação que foi feita à presidente da República, para que o processo do impeachment continue. Se sim, será imediatamente enviado ao Senado. Não vou abordar o tema – já extremamente discutido -, mas procuro entender aquilo que fica ao redor, compondo o cenário.

Nunca se falou tanto em crise como agora. Crise econômica, política, falta de emprego, inflação e, conforme queira, o leque pode ser bem ampliado.

Viajei de avião e os assentos estavam quase todos ocupados. Fui a diversos restaurantes e eles estavam repletos de pessoas falando alto e, em alguns, até batucando um samba antigo… Entrei em supermercado e as donas de casa compravam frutas e legumes. Os carrinhos pareciam bem abastecidos. Os ônibus repletos, os táxis sendo disputados. Até os teatros e casas de shows com gente muita e nem sabendo que estamos em crise. Mas qual é a crise? Como é essa crise?

As manifestações de rua – e foram milhares por esse Brasil afora! – não houve um tiro, uma peitada ou um cadáver para virar herói! Graças a Deus! Mas que conflito é esse?

Entretanto, as manchetes dos jornais continuam a nos assustar. Cada uma, cada dia parecem mais desesperadoras. Os analistas – sobretudo, os da área econômica – nos deixam aterrorizados. Dólar disparou. Desemprego acentuou. Bolsas despencaram. Entretanto, os ônibus continuam circulando, as pessoas mostram-se tranquilas e crendo no amanhã.

Esqueci de dizer: as praias continuam lindas e as garotas de Ipanema ainda passam felizes, rumo ao mar! (Só para dizer que estou no Rio de Janeiro!) E, tambores de chope invadem as calçadas, “porque hoje é sábado e amanhã é domingo, os bares estão cheios de homens vazios…”

Em Brasília, a coisa vai pegar. Teremos a imolação de uma Joana D’Arc tupiniquim. Vai ser condenada sem crime. Primeira mulher presidente. Execrada por bandidos comprovadamente bandidos! Sinceramente, esse filme eu já vi.

Estamos em crise. Mas crise de quê?

Lula recorre a governadores para barrar impeachment na Câmara

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste sábado (16) em ato contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff que recorrerá a governadores para conquistar votos contrários à aprovação do prosseguimento do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados. “Ainda tenho três governadores para conversar”, disse. “Vou conversar com governadores que eu acho que eles podem nos ajudar”, completou.

Para aprovar, neste domingo (17), o prosseguimento do processo de impeachment na Câmara são necessários 342 votos. “Precisamos conquistar metade dos 513 votos [total de deputados], ou não deixá-los conquistar 342. É uma guerra de sobe e desce, parece a bolsa de valores, tem hora que o cara está com a gente, tem horas que não está mais”, disse Lula.

Lula participou do Ato com Movimentos Sociais pela Democracia, no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, o ato conta com 1,5 mil pessoas. Reúne movimentos como a Central Única dos Trabalhadores, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, União Nacional dos Estudantes e Central dos Trabalhadores Brasileiros.

O ex-presidente reforçou que um impeachment sem base legal é um golpe contra a democracia. “Se o Temer [vice-presidente Michel Temer] quer ser candidato, não deveria tentar através do golpe, ele deveria tentar a eleição, esperar chegar 2018. O PMDB é partido grande, ele se candidata e vamos para as urnas, vamos debater, vamos convencer o povo quem é melhor para o país”.

(Agência Brasil)

Valor Econômico cogita ‘virada’ do governo e receio de Cunha

153 1

Segundo o jornal Valor Econômico, em edição online neste sábado (16), o governo teria conseguido “virar o jogo” no processo de impeachment. A informação, segundo o jornal, teria vindo de um gabinete de deputado da base governista.

De acordo ainda com o Valor Econômico, a “virada” teria provocado receio ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que não descartaria uma desaceleração no ritmo das sessões, como forma da votação não ocorrer neste domingo (17).

Até o momento, a votação segue prevista para ocorrer a partir das 14 horas deste domingo.

VAMOS NÓS – Especulação de um lado e do outro, os governistas garantem que já somam 180 (precisariam de 172) votos contra o impeachment, enquanto a oposição apresenta 364 (342 seriam necessários) votos. O problema é que a soma dos 544 votos ultrapassa ao número de 513 deputados.

TV Fortaleza e Rádio Fortaleza transmitem processo do impeachment

foto salmito 150811 opovo

Desde a manhã deste sábado (16) que a TV Fortaleza (61.4 pelo sinal digital ou canal 6 da Multiplay) e a Rádio Fortaleza (106,1 FM), veículos de comunicação da Câmara Municipal de Fortaleza, transmitem a sessão do processo de impeachment na Câmara Federal.

Neste domingo (17), a tevê e a rádio voltarão a transmitir a sessão na Câmara Federal, inclusive a votação dos parlamentares, mas os dois veículos realizarão entrevistas pró-impeachment e contra o impeachment, além da realização de uma mesa redonda, que ocorrerá das 12 horas às 13 horas – na Rádio Fortaleza – e das 13 horas às 14 horas – na TV Fortaleza.

Para o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), as transmissões e as entrevistas são uma oportunidade da população de Fortaleza acompanhar este importante momento histórico no país.

Michel Temer chama de “mentira rasteira” boatos sobre fim do Bolsa Família

O vice-presidente Michel Temer usou as redes sociais neste sábado (16) para desmentir boatos de que, casso assuma o governo, ele dará fim a programas sociais como o Bolsa Família. “Leio hoje nos jornais as acusações de que acabarei com o Bolsa família. Falso. Mentira rasteira. Manterei todos programas sociais”, disse, por meio de sua conta no Twitter.

Temer, que estava em São Paulo, voltou a Brasília para acompanhar de perto as movimentações relativas à sessão da Câmara dos Deputados que analisa a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Em vídeo divulgado também nas redes sociais, na noite dessa sexta-feira (15), Dilma fez um dos mais duros ataques ao que classificou de “aventura golpista” e criticou indiretamente Temer.

“Vejam quem está liderando esse processo e o que propõem para o futuro do Brasil. Os golpistas já disseram que, se conseguirem usurpar o poder, será necessário impor sacrifícios à população brasileira. Com que legitimidade? Querem revogar direitos e cortar programas sociais, como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida”, disse Dilma.

(Agência Brasil)

O olhar da história

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (16), pelo jornalista Érico Firmo:

É travada no Brasil uma disputa sobre os significados políticos do provável impeachment. O embate sobre a narrativa histórica não termina amanhã. Como estes dias serão vistos daqui a 40, 50 anos? Impossível antever agora, no calor dos acontecimentos. A história é menos apaixonada, mais equilibrada. E impiedosa.

O governo denuncia golpe. Opositores dizem salvar o Brasil de quem destruiu a economia e usou métodos ilegais para ficar no poder. Não tenho pretensão de, imerso na realidade que analiso, antecipar o veredicto da história. Escrevo de dentro do turbilhão, com os fatos a se desenrolar diante dos olhos. Ainda que a certa distância de ambas as trincheiras, para melhor observar. Com o hoje como matéria-prima, não creio que uma das versões explique a contento o momento. Cada lado tem parte de razão. E muito de mistificação. Não enxergo mocinhos, nem heróis, nem merecedores de indulgência.

Mais que as acusações diversas, Dilma pode ser afastada por causa da crise econômica e da dramática inabilidade política. É questionável a autoridade ética dos que comandam o impeachment, assim como é condenável a postura inescrupulosa do vice-presidente.

Governistas argumentam que o PT é perseguido pelo que fez pelos pobres. Soa irônico enquanto o partido é acusado de conchavo e relação espúria com empreiteiras. Denúncias de corrupção não constam no processo, mas pesam no juízo de cada parlamentar. Dilma pode argumentar que não sabia. Mas a situação assumiu dimensão tal que, como definiu Elio Gaspari, o desconhecimento de Dilma equivale a Médici dizer desconhecer tortura.

Os responsáveis pelo impeachment talvez sejam condenados pela história. Há fundamento para tal. Mas é improvável que o governo algum dia seja absolvido pelos enormes equívocos que cometeu.

Antena telefônica é a quarta torre atacada na última semana

Quatro homens atearam fogo, na madrugada deste sábado (16), na sala de controle de uma antena de telecomunicações situada na rua Mário Filho, no bairro Vila Manoel Sátiro. Dois deles foram capturados nas proximidades, segundo informações da assessoria da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). A Polícia permanece na busca dos dois foragidos.

O grupo se locomovia em duas motocicletas. Dentre os capturados, estão um homem e um adolescente, que portavam três garrafas vazias de gasolina, alicate usado para romper o cadeado do portão que protegia o imóvel, um isqueiro e spray utilizado para pichação. As informações são da SSPDS.

A pasta informou ainda que o incêndio atingiu a sala de controle e foi apagado pelos próprios policiais acionados pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), pelo número 190. O fogo não atingiu a antena. Com este ataque, já são quatro atentados contra antenas telefônicas desde a última quarta-feira (13).

A primeira foi na localidade de Boqueirão, em Caucaia, quando uma sala de manutenção de uma antena de telefonia foi incendiada e teve a parede pichada com a mensagem: “Essa ação é uma represália a (sic) instalação de bloqueadores de celulares nos presídios. Estamos só começando”. As siglas FDN, CV e PJL acompanhavam a mensagem e significariam Família do Norte, Comando Vermelho e Paz, Justiça e Liberdade (esta última seria lema do Primeiro Comando da Capital, o PCC).

No mesmo dia, houve ataque a outra antena no bairro Granja Portugal, na esquina das ruas Bragança e Teodoro de Castro. A terceira ação veio na quinta-feira, 14, no bairro Canindezinho. No local, criminosos atearam fogo em dispositivos de transmissão do equipamento e fugiram.

(O POVO Online)

Dilma se reúne com líderes e cancela ida a ato contra impeachment em Brasília

A Secretaria de Imprensa do Palácio do Planalto informou que presidente Dilma Rousseff não comparecerá ao Ato com Movimentos Sociais pela Democracia. A presença da presidente estava confirmada até o início da manhã deste sábado (16). O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, deverá discursar.

De acordo com a secretaria, Dilma irá receber ao longo do dia líderes parlamentares. O Instituto Lula, por meio da assessoria de imprensa, informou que Lula deve comparecer ao evento.

O ato reúne na área central de Brasília movimentos contra o impeachment como a Central Única dos Trabalhadores, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, União Nacional dos Estudantes e Central dos Trabalhadores Brasileiros. A presidente compareceria ao evento para agradecer o apoio.

Os manifestantes ocupam uma tenda branca montada no estacionamento do ginásio, mesmo local onde estão acampados os manifestantes da chamada Frente Brasil Popular.

(Agência Brasil)

Cronologia Sobralense

Em artigo enviado ao Blog, o deputado estadual Professor Teodoro (PSD) destaca a obra em cinco volumes do historiador Sadoc de Araújo, padre fundador da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Confira:

Todos nós temos uma biografia para narrar. Assim também as cidades. Todos nós fazemos parte da história que as cidades têm para contar. Há os que cantam o seu povo, registrando a memória que se estende na linha de tempo sobre os feitos coletivos. Há os que fazem a história que é contada. E há os que fazem a história e a registram. Esse é o caso do cônego Francisco Sadoc de Araújo, cuja obra acaba de ser reeditada.

O Instituto Ecoa Sobral lançou, na última quinta-feira (14), a coleção “Cronologia Cearense”, obra em cinco volumes do historiador e fundador da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), padre Sadoc de Araújo. A excelente iniciativa contou com o apoio entusiasmado do prefeito Veveu Arruda, assim como da UVA, por seu magnífico reitor, Fabianno Carvalho.

Nosso aplauso ao amigo Roberto Galvão, que preside a Ecoa, o instituto idealizado pelo saudoso Augusto Pontes, que também criou o sugestivo nome para o instituto. Trazer à luz toda a história de Sobral, contada com engenho e arte pelo grande nome da cultura cearense, merece todos os encômios. Feliz do povo que tem um bom contador de sua história, assim nos chegam os feitos dos clássicos.

Sobral tem esta felicidade: uma boa história, e alguém que lhe saiba narrar. Cada fato de nossa trajetória foi colecionado e guardado nos escaninhos literários de Sadoc, como alguém que guarda tesouro precioso. Um tesouro que não é só seu, pois a muitos tem de prestar contas.

Sobral sempre foi uma espécie de capital do Norte, ao redor da qual muitas cidades gravitam e mantém diversos tipos de vínculos. Todos nos dirigíamos à metrópole, aonde a novidade chegava primeiro. No período em que a vanguarda cultural era pautada pela Europa, as novidades chegavam antes à Princesa do Norte, do que mesmo a Fortaleza. A cultura nos chegava pelo porto de Camocim e desembarcava pelos trilhos até a estação férrea. O Teatro São João é obra desse tempo.

No curso que se inicia ao redor do Rio Acaraú, na fazenda Caiçara, Sobral tomou corpo se escorando na sombra da encosta da Meruoca para fugir da canícula, que costuma fustigar o povo que construiu seu enredo no epicentro do semiárido nordestino. Sadoc conta nossa história, que deve ser conhecida das novas gerações. Daí a importância dessa reedição. É um material que deve ser distribuído a todas as escolas do município e também daqueles que fazem parte da sua Região Metropolitana.

É um acontecimento que não diz respeito apenas aos sobralenses de batismo. Há os que lhe devotam amor como os que aqui chegaram ou vivem perto, desfrutando de seu desenvolvimento.

Ouvi de Sadoc que o pensamento já é uma forma de realização. É como se já antecipasse no plano da ideia o fato que viria. Foi assim que nasceu a UVA.

O historiador diz que há duas magnas datas para Sobral: o da sua emancipação política, quando a vila foi elevada a categoria de cidade, e a de sua emancipação cultural, com a Universidade Vale do Acaraú, que ele fundou e foi seu primeiro reitor.

Sadoc é o historiador de Sobral que fez história em sua terra.

Coordenador da Bancada do Ceará se diz otimista contra o impeachment

foto josé airton e dilma e camilo 160415

Para o coordenador da Bancada do Ceará, deputado José Airton Cirilo (PT-CE), a oposição não conseguirá a votação necessária para dar seguimento ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), neste domingo (17).

Ao lado do governador Camilo Santana (PT), José Airton levou apoio à presidente e reuniu parlamentares contra o impeachment, quando o Ceará apresenta mais deputados contra do que a favor do impedimento da presidente.

foto dilma e bancada do ceará 160415

“Neste momento em que a democracia está em risco, a bancada do Ceará, está unida para defender o mandato da presidente legitimamente eleita, pois impeachment sem configurar um crime de responsabilidade é golpe”, comentou José Airton.

Deputados pró-impeachment poderão abrir mão de fala para acelerar discussões

Deputados favoráveis ao impeachment estudam propor um acordo para acelerar as discussões e impedir que o processo se prolongue até segunda-feira (18). Uma das possibilidades é reduzir as falas pró-impeachment durante o segundo dia de debates, previsto para o final da manhã deste sábado (16), pois o número de inscritos para defender o afastamento da presidente Dilma Rousseff é maior que o de contrários ao processo.

Ao todo, 249 deputados inscreveram-se para falar neste sábado, sendo 79 contrários ao afastamento de Dilma e 170 favoráveis. Receosos de abdicarem de todas as defesas pró-impeachment e, assim, permitirem que os governistas acabem convencendo deputados indecisos, a oposição pretende contrapor os governistas fazendo com que o último orador que se manifeste seja contra o impeachment. Depois, a ideia é convencer os demais inscritos para falar favoravelmente ao parecer pela admissibilidade do impeachment a abrirem mão de discursar.

Outra hipótese levantada pelos parlamentares pró-impeachment é pedir que os líderes não utilizem a palavra em todas as sessões de discussão. De cinco em cinco horas, uma nova sessão é iniciada, o que possibilita aos líderes partidários se pronunciarem pelo tempo proporcional ao tamanho de suas bancadas. Legendas maiores, como PMDB, têm direito a nove minutos, e as menores, como PHS e Rede, podem falar por no máximo três minutos.

(Agência Brasil)

Aníbal Gomes adia pedido de licença e pró-impeachment perde voto de Mauro Benevides

anibal gomes

Apesar de operado da coluna, o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) somente dará entrada no pedido de licença médica, junto à Câmara dos Deputados, na segunda-feira (18).

O atraso no pedido impedirá a posse do suplente Mauro Benevides (PMDB-CE), na votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff neste domingo (17).

A ala pró-impeachment na Câmara dos Deputados já contabilizava o voto de Mauro Benevides.

Regulamentação do Cocó prevê Ponte Estaiada

408 1

foto ponte estaiada projeto

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (16):

Finalmente, uma luz no fim da floresta. Ou melhor, do Parque do Cocó. Habemus, no bom latim, um projeto de regulamentação do maior pulmão verde desta Fortaleza que chega, cheia de contrastes, aos seus 290 anos.

A Secretaria do Meio Ambiente do Estado apresentou a proposta, que foi avaliada, a priori, como semelhante ao projeto desenvolvido pelo Fórum Cocó, segundo o procurador da República, Alessander Sales.

Claro que virão agora mais debates, mais coleta de subsídios e, com certeza, mais polêmicas. É que no bojo da proposta ficou um pedacinho do governo Cid Gomes: a construção da polêmica Ponte Estaiada, passando sobre o Cocó, que promete acesso mais fácil ao Centro de Eventos.

De qualquer forma, tem-se um documento pró-regulamentação de um Cocó que, no decorrer do debate, o fortalezense poderá, espera-se, chamar de seu.