Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Nagasaki lembra os 70 anos do bombardeio atômico

A cidade japonesa de Nagasaki lembrou neste domingo (9) o 70º aniversário do bombardeio atômico, com uma cerimônia em que foi defendido o caráter pacifista da Constituição japonesa perante a reforma militar promovida pelo governo do país.

Os sinos soaram às 11h02 locais, hora em que foi lançada uma bomba atômica com núcleo de plutônio (batizada de Fat Man) sobre a cidade portuária. A cerimônia foi realizada no Parque da Paz e teve a participação de representantes de 76 países, bem como hibakushas, nome pelo qual são conhecidos no Japão os sobreviventes dos bombardeios atômicos.

Na cerimônia, o presidente da Câmara de Nagasaki, Tomihisa Taue, fez um discurso, em que pediu ao governo japonês que lidere os esforços com a comunidade internacional para pôr fim à proliferação nuclear. Ele criticou a reinterpretação da Constituição do país impulsionada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe.

“Muitas pessoas questionam-se se o princípio pacifista do Japão, que impede de nos envolvermos em qualquer guerra, está sofrendo erosão devido a esta iniciativa”, disse Taue, em referência ao artigo 9º da Constituição do Japão. “Nunca devemos abandonar esse princípio, sobre o qual se construiu a prosperidade do Japão atual. Não podemos esquecer as trágicas memórias que a guerra nos deixou”, destacou.

Shinzo Abe e seu governo têm sido alvo de duras críticas da oposição e de uma crescente contestação por parte dos japoneses por causa da reinterpretação do artigo pacifista que vai permitir, pela primeira vez em 68 anos, que o Exército japonês opere no estrangeiro e defenda aliados em caso de ataque.

(Agência Brasil)

Prisão de Dirceu arrasta PT de volta para o palco e desvia foco das enrascadas de Cunha

165 4

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (9):

A prisão duplicada de José Dirceu, neste preciso momento (sem entrar nas razões alegadas por seus carcereiros) serviu, mui convenientemente, para acelerar a crise política, tirar de foco o atentado terrorista contra o Instituto Lula e trazer o PT de volta ao centro do palco, como exige o enredo. A operação também colocou em segundo plano as enrascadas em que está metido o deputado Eduardo Cunha.

A justa revolta de algumas pessoas (não o oportunismo hipócrita dos neoliberais) com a realização de medidas condenadas pela candidata na campanha é compreensível, mas, não justifica depô-la, de acordo com as regras constitucionais.

Dito isso, resta destacar também que a prisão de Dirceu veio “coincidentemente” a calhar para o “aquecimento” prévio dos protestos antigovernamentais, já marcados pelos conspiradores para o próximo dia 16. Coincidências, demais, não?

Relator da OEA diz que regulação da mídia está atrasada na América Latina

Os governos da América Latina tiveram pouco sucesso ao enfrentar a falta de pluralidade e de diversidade na mídia, ocasionada pela concentração dos meios de comunicação. A avaliação é do relator especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), Edison Lanza.

No Brasil para cumprir agenda com parlamentares e órgãos de governo, ele se reúne nesta segunda-feira (10), em Brasília, com o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, e com o Assessor Regional de Comunicação eInformação da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para o Mercosul e Chile, Guilherme Canela.

Lanza disse que a ausência de controle sobre a mídia na região, por anos, é uma das origens da falta de pluralidade e diversidade. Assim, com base em acordos internacionais para garantia da liberdade de expressão e de informação, ele defendeu a atuação dos estados, a contragosto de empresas do setor.

“Os meios de comunicação são veículos para o exercício de poder que, agora, se veem com razão muito forte de dizer: ‘já tenho direito adquirido aqui, não me toque’”, avaliou. Porém, ponderou, “monopólios ou oligopólios privados ou públicos afetam a liberdade de expressão e é obrigação dos estados fomentar uma comunicação que tenha pluralidade de proprietários e vozes”.

Na região, o relator disse que grupos de mídia tentam polarizar o debate com falsas premissas, principalmente, depois de experiências regulatórias da Argentina, Equador e Uruguai.

No Brasil, a professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Suzy dos Santos, afirmou que os oligopólios e monopólios que tentam interditar o debate, alegando que a regulação é uma forma de censura, têm origem no “coronelismo eletrônico”. Segundo ela, no país as mesmas famílias que dominam a política são donas dos meios de comunicação. O efeito, avaliou, é a falta de diversidade de ideias na sociedade a invisibilidade de grupos sociais.

(Agência Brasil)

Cinco funcionários da ONU estão entre os mortos em ataque a hotel no Mali

Cinco funcionários que trabalhavam para a missão da Organização das Nações Unidas (ONU) no Mali estão entre os 12 mortos de um ataque com sequestro de reféns, em um hotel em Sevaré, no centro do país. A informação foi divulgada neste sábado (8) pela ONU.

O ataque ocorreu nessa sexta-feira (7), quando homens armados – supostos jihadistas – invadiram o hotel onde estavam instalados vários estrangeiros. As forças especiais do Mali combateram o ataque, mas 12 pessoas morreram na operação.

A informação da Minusma, a missão da ONU no Mali, é que entre os 12 mortos, cinco são funcionários de empresas subcontratadas pela organização no país: um malinês, um nepalês, um sul-africano e dois ucranianos.

Uma fonte do governo maliano informou, em comunicado, que sete pessoas ligadas ao assalto foram detidas.

Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, mas as autoridades suspeitam do envolvimento de seguidores de Amadou Kouffa, um jihadista local próximo da Al Qaeda no Magrebe Islâmico.

O último atentado contra estrangeiros no Mali ocorreu em março, em um restaurante da capital, Bamako, e deixou cinco mortos, dois deles europeus.

(Agência Brasil)

Primeira estação da transposição do São Francisco recebe fluxo de água

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=bmg9WeC1o2Q[/youtube]

Em julho do próximo ano, a barragem de Jati, no Ceará, deverá receber as águas do São Francisco. A previsão do Ministério da Integração é baseada na construção de três estações, que farão as águas percorrerem 150 quilômetros até a divisa dos estados do Ceará e Pernambuco. Depois disso, somente mais 20 quilômetros de obras.

A primeira estação recebeu o fluxo d’água neste sábado (8), no município pernambucano de Cabrobó. A segunda estação deverá ficar pronta até novembro deste ano, enquanto a terceira e última tem previsão para fevereiro do próximo ano.

Salmito convoca população para lançamento do Pacto em Ação

foto salmito 150806 pacto em ação

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho, anunciou o lançamento do Pacto em Ação, que ocorrerá na quarta-feira (12), a partir das 19 horas, no Theatro José de Alencar, no Centro. O anúncio foi feito em reunião com os vereadores, pois, de acordo com o presidente, o projeto pertence a todos os parlamentares.

Durante o lançamento do Pacto em Ação, Salmito Filho apresentará o Pacto por Fortaleza Revisado, que é um relatório das propostas do Pacto por Fortaleza, lançado em 2010 e que projetou a cidade até 2020, com base nas sugestões das instituições públicas e privadas, associações de classe, movimentos sociais, terceiro setor, poder público em suas diversas esferas e também pelo cidadão.

O presidente do Legislativo Municipal lembrou que 2015 é um marco do Pacto por Fortaleza, pois o ano significaria a metade do prazo de tudo que já foi realizado e do que ainda pode ser concluído. Salmito Filho destacou que os maiores avanços do Pacto por Fortaleza ocorreram na gestão Roberto Cláudio.

Já o Pacto em Ação deverá focar o debate sobre uma das propostas do Pacto por Fortaleza. A solenidade deverá contar com as presenças do prefeito Roberto Cláudio e do governador Camilo Santana.

Ano de crise é desafio à criatividade no turismo, diz presidente da ABIH-CE

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=oXPQF5qI0Uw[/youtube]

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Darlan Leite, a criatividade deve superar as adversidades de um ano de crise. Segundo o dirigente, a hora é de “tirar água de pedra”.

Como resultado, o setor do turismo teve um crescimento na ocupação, em julho, em relação ao mesmo perídio do ano passado, apesar da realização da Copa do Mundo. De acordo com Darlan, a rede hoteleira tinha 59% de reservas e encerrou o mês com 75% de ocupação.

Ao invés do panelaço, uma boa panelada

252 4

foto acrísio e guilherme na panelada

Os secretários estaduais do PT, Guilherme Sampaio (Cultura) e Acrísio Sena (Assessoria Especial de Acolhimento dos Movimentos Sociais), além do ex-petista Marcelo Uchoa (adjunto de Políticas Sobre Drogas do Ceará), colocaram em prática neste sábado (8) o discurso do programa político nacional do PT, apresentado na quinta-feira (6), que sugeriu que o panelaço do partido acontece com a comida na panela.

O trio foi flagrado na “Panelada do seu Fabiano”, nas proximidades do Liceu, após prestigiar solenidade pelos 90 anos do Corpo de Bombeiros.

Gosto de sangue embalado com pendor cívico

96 1

Em artigo no O POVO deste sábado (8), o jornalista Luiz Henrique Campos avalia a mudança de estratégia dos opositores de Dilma Rousseff, que antes propagavam o impeachment e agora sugerem a renúncia da presidente. Confira:

O gosto de sangue embalado com pendores cívicos exalado por algumas figuras carimbadas da oposição ao governo Dilma Rousseff já não consegue disfarçar a real intenção em relação ao que desejam a curto prazo. Se antes impeachment era a palavra de ordem a ser propagada, agora jogam no ar a ideia de renúncia da presidente, em clara intenção de assumir a qualquer custo os destinos do País. Alegam sem o mínimo de autocrítica que a presidente está sem condições de superar a crise política no âmbito do Congresso.

Esquecem ou fazem questão de esquecer que parte dessa crise se deve também à oposição, que, mancomunada com setores da base aliada, preocupados apenas com seus interesses menores, são responsáveis diretores pelo que está se passando no Congresso. Basta ver o que vem fazendo o presidente da Câmara os Deputados, Eduardo Cunha, hoje oposição a Dilma Rousseff, para entender sobre o que estou falando.

Aumento de despesas, dificuldades para aprovação das medidas de ajuste fiscal e a eterna ameaça de impeachment da presidente demonstram a belicosidade dessa turma em relação ao governo. Tudo isso já houvera sido previsto quando da eleição de Cunha à presidência da Casa e está dentro do plano da oposição exposto por lideranças importantes, qual seja, o de sangrar a presidente até o seu final. A obsessão por esse objetivo é tão cega que não demonstram nenhuma preocupação com o que possa acontecer ao País caso assumam o governo federal.

Primeiro, não tenho visto até agora nenhuma fala que indique o que fará a oposição caso venha a assumir. Pelo que sei, sempre defenderam o ajuste fiscal antes de Dilma assumir. E agora? Quais seriam as bases desse ajuste? Será que a população hoje revoltada com Dilma, aceitaria mais arrocho ou quer solução rápida? E os aumentos de despesa que o Congresso está votando com o apoio da oposição continuariam? E o superávit primário ficaria no atual patamar ou aumentariam, como propôs inicialmente Joaquim Levy? E quanto a Cunha e Renan, citados na Lava Jato, como agiria a oposição?

São perguntas como essas que precisam responder o mais rápido possível, sob pena de, em assumindo o governo, como imaginam, estarem em pouco tempo se empanturrando do mesmo veneno que vendem hoje aos incautos como remédio salvador para tudo.

Dilma confirma indicação de Janot para novo mandato na PGR

A presidente Dilma Rousseff confirmou neste sábado (8) a indicação do atual procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para um novo mandato de dois anos à frente do Ministério Público Federal (MPF).

Após participar de reunião com Dilma e o próprio Janot no Palácio da Alvorada, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avaliou que a escolha da presidenta reflete respeito pela autonomia do MPF, que já havia aprovado a recondução do procurador-geral ao cargo.

Sobre as críticas de alguns investigados à atuação de Janot na condução da Operação Lava Jato, Cardozo voltou a defender a autonomia do MPF e ressaltou que a Constituição garante liberdade investigatória aos que atuam nessa área.

“É evidente que nós não podemos jamais condenar pessoas sem que lhes seja assegurado o direito ao contraditório e à ampla defesa, também estabelecidos na Constituição. Mas as instituições do Brasil, na medida em que a Constituição estabelece essas prerrogativas, devem funcionar e funcionar com eficiência. E a autonomia é o que está assegurado na Constituição Federal”, disse o ministro.

Na quarta-feira (5), Rodrigo Janot foi eleito em primeiro lugar, com 799 votos, para elaboração de lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República.

(Agência Brasil)

Com espírito renovado, PDT realiza filiações neste sábado

foto pdt 150808 encontro

Com a independência política anunciada esta semana na Câmara Federal, o PDT realiza novas filiações, neste sábado (8), no município de General Sampaio, no Norte do Ceará, a 124 quilômetros de Fortaleza, durante Encontro Regional do partido.

O presidente do PDT no Ceará e líder do partido na Câmara Federal, André Figueiredo, foi quem anunciou a saída do PDT da base governista nacional. O deputado recebeu apoio de correligionários pela decisão do partido.

Receita esclarece que não fiscaliza rascunho do Imposto de Renda

Uma ferramenta que facilita a vida de quem preenche a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física provocou preocupação em alguns contribuintes. Disponível na página da Receita Federal na internet e nos dispositivos móveis dos sistemas Android e iOS o rascunho da declaração trouxe receios em relação ao armazenamento das informações.

Segundo a Receita, contribuintes têm procurado o Fisco para saber se os dados preenchidos no rascunho são analisados antes mesmo do preenchimento da declaração. O Fisco nega, esclarecendo que as informações ficam armazenadas nos computadores, mas não são fiscalizadas.

“As informações do rascunho ficam armazenadas em uma nuvem. É um espaço que a Receita Federal destina nos servidores [computadores] para o contribuinte poder acessar o rascunho pelo computador pessoal ou pelos dispositivos móveis. Agora, o que está lá não interessa a gente. Só analisamos os dados a partir do momento em que o contribuinte entrega a declaração finalizada”, diz o subsecretário de Atendimento e Arrecadação da Receita, Carlos Roberto Occaso.

Usado pela primeira vez no ano passado e relançado este ano, o rascunho facilita a vida do contribuinte, que não precisa guardar documentos durante o ano inteiro e inserir os dados somente no período de entrega da declaração. Na prática, o rascunho funciona como um gerenciador fiscal, que permite o preenchimento gradual das informações, poupando tempo na hora de entregar a declaração do Imposto de Renda, em março e abril de cada ano.

(Agência Brasil)

A Crise que o PT não vê

foto fabner utida

Em artigo enviado ao Blog, o estrategista político Fabner Utida avalia o programa do PT, que foi ao ar na quinta-feira (6). Confira:

No dia 6 de agosto, foi ao ar mais um programa de televisão do PT. Me pareceram as seguintes teses centrais:

a) Uma crise política é muito mais grave do que uma crise econômica;

b) O Brasil, mesmo com a crise econômica, vive hoje uma realidade muito melhor do que na época dos governos do PSDB.

Racionalmente falando e fazendo um imenso esforço de deixar de lado as emoções, vamos acabar percebendo que as duas teses são, matematicamente falando, verdadeiras.

Porém, o que mais me chamou a atenção foi o fato de que, aparentemente, o PT e o Governo Federal talvez não estejam levando em consideração a possibilidade de que são eles mesmos que estão causando a crise política e a grave decepção que o Brasil, majoritariamente, vive hoje.

1. A Crise Política por Falta de Liderança

Acredito que foi o próprio governo que aceitou entrar na crise política ao perder a prerrogativa da liderança.

O governo perdeu o seu papel de líder de fato, ao ceder de forma exagerada, ao pior dos mundos do fisiologismo, agravando o jogo do “toma lá dá cá”.

Na busca de conquistar (ou não seria “comprar”?) apoio no Congresso, o governo não percebeu que acabou mandando a mensagem de que aceitava ser liderado pela chantagem e pelo achaque. Não percebendo que os fisiologistas são insaciáveis, acabou sucumbindo ao caminho do poço sem fundo.

2. A Crise da Traição

Neste momento, lhe convido a pensar a seguinte pergunta: “o que faria com que uma pessoa que te ama profundamente hoje, pudesse lhe odiar amanhã? O que faz uma pessoa sair do amor ao ódio na velocidade da luz?” A resposta é relativamente simples: o sentimento de ter sido traída.

Me parece ser esta a raiz da realmente grave crise de credibilidade que o PT vive hoje: a crise emocional oriunda do sentimento de traição (que é também política).

Me parece sensato ponderar a possibilidade de existirem dois grandes pilares do sentimento de traição:

a) Traição da ética: o PT chegou ao poder sustentado por um simbolismo de exercer o poder por um novo prisma de valores morais e éticos. É por esta razão que os casos de corrupção afetam muito mais o PT do que os outros partidos. Os outros partidos não foram construídos sustentados no pilar da ética, o PT sim.

b) Traição dos mais carentes: na campanha de 2014, foi a própria Dilma que mandou a mensagem, especialmente cunhada para os trabalhadores mais carentes, de que não iria mexer nos seus direitos, que o preço da energia elétrica não iria disparar, da mesma forma que os juros e os impostos não iriam subir. Mas o governo fez exatamente o oposto. Se quisermos entender o fenômeno de como alguém com 67% de aprovação vai a 70% de desaprovação em menos de um ano, basta entender o potencial do fator “traição”.

Aqui também percebemos a fragilidade da liderança: Dilma na campanha deixou-se liderar pelos desejos das qualitativas (dizer o que o povo quer ouvir) e pelas diretrizes da marketagem eleitoreira.

Um grande líder convence os seus liderados sobre o que realmente é o caminho certo, enquanto um líder fraco apenas busca agradar dizendo o que os outros querem ouvir. Já imaginou educar nossos filhos dizendo a eles apenas o que eles gostariam de ouvir?

3. O discurso do programa do PT pode agravar a crise.

O programa de televisão do PT, apesar de bem produzido com imagens e textos primorosos, pode ser uma linda peça de publicidade mas um desastre de relacionamento e de convencimento político.

Quando uma pessoa se sente traída, me parece correto perceber que não existirá diálogo sem que exista antes uma retratação: um verdadeiro e autêntico pedido de desculpas ou uma explicação sensata sobre o que causou tamanho equívoco de compromisso.

O perdão ou a explicação, em ambientes com sentimento de traição, são passos fundamentais para o restabelecimento das bases de um relacionamento.

Imagine a seguinte situação: a mulher descobre que o marido, mesmo com boa vontade, gastou todo o dinheiro da família. Além disso, ela também descobre que seu marido lhe passou um gigantesco chifre.

Aí o marido chega para a esposa com o seguinte discurso: “mas amor, olha aqui as fotos das nossas viagens, olha a casa que compramos, perceba os nossos filhos lindos, os nossos carros, olha as nossas conquistas. Antes do nosso casamento a nossa vida era muito pior do que hoje. O nosso dinheiro acabou e você se sente traída, mas o passado era muito pior do que o presente. Ficarmos brigando é péssimo para o nosso futuro”.

Será que alguém realmente acredita ser esta a melhor estratégia de discurso para recompor a relação de um casal quebrado financeiramente e com o sentimento de traição pairando sobre suas cabeças?

Comparativamente, acredito que foi exatamente este discurso que o programa do PT tentou fazer.

Qualquer pessoa que conheça minimamente comportamentos e sentimentos humanos sabe que um discurso destes, além de ter baixíssima chance de sucesso, ainda pode provocar exatamente um efeito contrário: agravar a crise.

Bolsonaro estará em Fortaleza no próximo fim de semana

310 8

foto jair bolsonaro

Um dos políticos mais polêmicos no Congresso Nacional, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) estará em Fortaleza, no próximo domingo (16), para uma manifestação contra a corrupção. Bolsonaro virá visitar parentes no Ceará, quando também deverá ir para Quixadá, no Sertão Cearense, na companhia do também deputado federal Cabo Sabino (PR-CE).

Com duas décadas e meia de Câmara Federal, Bolsonaro este ano teve a sua primeira emenda parlamentar aprovada, mas justifica que seus projetos são assinados por outros deputados porque é um político “temido”.

Por que Dilma precisa, de novo, dizer que fica

eliomar charge dilma e vozão e inflação

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (8), pelo jornalista Érico Firmo:

“Eu não vou cair. Eu não vou, eu não vou”, disse a presidente Dilma Rousseff (PT), em 7 de julho. Um mês depois, ela voltou a afirmar, ontem, que não deixará o cargo. A necessidade de ter de afirmar que continuará a cumprir seu mandato só existe porque pairam dúvidas sobre a permanência. Ter de dizer isso duas vezes no intervalo de 31 dias é sintomático do quão grave e difícil é sua situação. Na entrevista publicada pela Folha de S.Paulo no referido 7 de julho, Dilma dizia que sua permanência no cargo “é moleza”. Isso, definitivamente, não é.

A situação de fragilidade do governo é dramática para a presidente e para o País. Ela precisa reorganizar a base de apoio, recuperar condições políticas de governar – tem sofrido derrota atrás de outra na Câmara. Necessita reorganizar a administração, obter resultados. Precisa superar a periclitante situação econômica e recuperar apoio popular. Não é pouco trabalho e o governo não parece saber por onde começar a executar nada disso. Do jeito que está, a presidente não se sustenta por mais três anos e meio.

Porém, na fala de um mês atrás, Dilma também já indicava sua disposição para resistir. “As pessoas caem quando estão dispostas a cair. Não estou. Não tem base para eu cair. E venha tentar, venha tentar. Se tem uma coisa que eu não tenho medo é disso”. E completava: “Não conte que eu vou ficar nervosa, com medo. Não me aterrorizam”. Precisará mesmo dessa fibra para se segurar. O cenário não é nada fácil.

Maioridade penal volta ao tema na Câmara Federal

O segundo turno das propostas de emenda à Constituição (PEC) da maioridade penal é um dos principais temas do Plenário da Câmara dos Deputados a partir da terça-feira (11).

Aprovada em primeiro turno no início de julho, com 323 votos favoráveis e 155 contrários, a PEC 171/93 reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos nos casos de crimes hediondos – como estupro e latrocínio – e também para homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

Esse texto é mais brando que o rejeitado um dia antes por não ter atingido número suficiente de votos. A matéria, uma emenda apresentada pelos deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Andre Moura (PSC-SE), excluiu da proposta inicialmente rejeitada os crimes de tráfico de drogas, tortura, terrorismo, lesão corporal grave e roubo qualificado.

Pela emenda aprovada, os jovens de 16 e 17 anos deverão cumprir a pena em estabelecimento separado dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e dos maiores de 18 anos.

A aprovação provocou polêmica em primeiro turno devido à votação de um texto que continha partes do anteriormente rejeitado.

(Agência Câmara Notícias)