Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Presidente estadual do PT diz que apoio de RC a Camilo não será esquecido

96 3

foto Di Assis Diniz

O presidente estadual do PT, Di Assis Diniz, disse durante entrevista ao programa Jornal da Clube, na Rádio Clube AM Fortaleza (segunda a sexta, das 7 às 8 horas), com apresentação do jornalista Renato Abreu e comentários do jornalista André Capiberibe, que o apoio do prefeito Roberto Cláudio (PROS) ao governador Camilo Santana (PT), na eleição do ano passado, será levado em consideração no processo eleitoral à sucessão em Fortaleza no próximo ano.

Para o dirigente estadual do PT, a atual parceria do Governo do Ceará com a Prefeitura de Fortaleza é interessante para os dois poderes, quando a população fortalezense é beneficiada com ações conjuntas.

VAMOS NÓS – O processo sucessório pode ainda não ter batido à porta do Palácio da Abolição e do Palácio do Bispo, mas já ferve nos partidos políticos.

Manifestação em Fortaleza reúne três trios elétricos

foto manifestação 150412 fortaleza

Com um discurso de patriotismo e contra a corrupção, a manifestação em Fortaleza reúne na tarde deste domingo (12) centenas de pessoas na Praça Portugal, na Aldeota. Os protestos contra o governo da presidente Dilma Rousseff marchará até o Aterro da Praia de Iracema.

Três trios elétricos são usados nos discursos contra a corrupção e para a saída do PT do Palácio do Planalto.

ATUALIZAÇÃO – A manifestação foi encerrada por volta das 19 horas. A Polícia Militar estimou cerca de 25 mil pessoas na manifestação.

TRT promove esta semana Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

foto salmito 150409 trt

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) realiza na quinta-feira (16) e na sexta-feira (17), em Fortaleza, o V Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. O anúncio foi feito pelo presidente do TRT, desembargador Francisco Tarcísio Guedes, em visita à Câmara Municipal de Fortaleza.

Segundo o desembargador, cerca de 2,4 milhões de pessoas são vítimas de exploradores em todo o mundo. “É um evento de nível internacional e de grande relevância, pois discutirá políticas de enfrentamento e combate ao tráfico de pessoas”, ressaltou.

O presidente do Legislativo de Fortaleza, Salmito Filho (PROS), destacou a importância do evento e convidou o  presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, vereador Deodato Ramalho (PT), para participar do simpósio.

Salmito aproveitou a presença do desembargador Francisco Tarcísio, para reafirmar a parceria institucional entre a Câmara e o TRT. “Essa é uma boa parceria que a Câmara já teve e nós vamos retomar para fortalecer e bem informar, através veículos de comunicação da Casa, uma agenda propositiva e institucional do Tribunal. Vamos divulgar uma pauta sobre a defesa dos direitos trabalhistas”, afirmou.

Protestos contra o governo reúnem manifestantes em várias cidades do país

Os protestos contra o governo da presidenta Dilma Rousseff e pelo fim da corrupção se repetiram neste domingo (12) em várias cidades do país. No dia 15 de março, manifestantes foram às ruas pelos mesmos motivos.

Em Brasília, pelo menos 20 mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar (PM), caminharam pela Esplanada dos Ministérios em direção ao Congresso Nacional com faixas e palavras de ordem pedindo a saída de Dilma do governo e o fim da corrupção, entre outros.

Em Belo Horizonte, o protesto se concentrou na Praça da Liberdade. Convocado pelas redes sociais por diversas organizações, o ato também pediu o fim da corrupção, a reforma política e o impeachment da presidenta Dilma. De acordo com a PM de Minas Gerais, por volta de 12h, 3 mil pessoas participavam do protesto. Na manifestação do dia 15 de março, 24 mil pessoas estiveram no local, também segundo a polícia.

Em Manaus, cerca de 10 mil pessoas participam da manifestação. O grupo caminhou por algumas ruas do centro da capital amazonense e já começou a se dispersar. Em São Luís, cerca de 3 mil manifestantes se concentram na Avenida Litorânea, segundo os organizadores do Movimento Brasil Livre.

No Rio de Janeiro, a Orla de Copacabana voltou a ser tomada por manifestantes contrários ao governo. Acompanhados de três carros de som e com bandeiras diversas, o grupo caminha pela Avenida Atlântica. Além do pedido de impeachment da presidenta Dilma e de investigação das denúncias de corrupção, há, entre os manifestantes, os que defendem a reforma política e grupos que pedem o retorno dos militares ao poder.

Em São Paulo, onde a manifestação de 15 de março reuniu 1 milhão de pessoas, segundo a PM, as pessoas começam a se concentrar para o ato de hoje, marcado para as 14h, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Também há protestos previstos para esta tarde em cidades de Alagoas, do Amapá, Ceará, Espírito Santo, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, da Paraíba, do Paraná, de Pernambuco, do Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, de Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e do Tocantins.

(Agência Brasil)

Prefeitura divulga festa do aniversário de Fortaleza

A Prefeitura de Fortaleza divulgou no site do Executivo Municipal as comemorações pelos 289 anos da cidade, que ocorre nesta segunda-feira (13). Além do ponto facultativo, as homenagens a Fortaleza se estendem pela tarde e pela noite.

A partir das 16 horas, no Aterrinho da Praia de Iracema, a programação prevê atividades recreativas. Às 18 horas, a população poderá cantar parabéns para a cidade e apreciar um bolo que será distribuído gratuitamente.

Às 19 horas, artistas locais se apresentam, entre eles Lucinha Menezes e Waldonys. A programação será encerrada às 21h30min, com show da cantora Vanessa da Mata.

Morre ex-ministro do STF Paulo Brossard

Morreu neste domingo (12), em Porto Alegre, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Paulo Brossard. Ele tinha 90 anos. O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, decretou luto oficial de três dias. O velório deve ocorrer no Palácio Piratini, sede do governo do Estado.

“Lamento profundamente a morte de Paulo Brossard, um dos maiores juristas do Brasil. Perdemos um grande homem, um professor, um ferrenho opositor da ditadura militar, um político que fez história”, disse Sartori em sua página no Facebook, prestando suas condolências aos familiares.

O jurista Paulo Brossard de Sousa Pinto nasceu em Bajé (RS) em 23 de outubro de 1924, filho de pecuaristas do município. Sua carreira política começou em 1954, quando elegeu-se deputado estadual, sendo reeleito mais duas vezes para o cargo. Foi eleito deputado federal pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1966 e senador em 1974. Foi ministro do STF de 1989 a 1994.

Brossard era casado com Lúcia Alves Brossard de Sousa Pinto, com quem teve dois filhos.

(Agência Brasil)

Camilo Santana e o “soft power”

80 1

camiloror

Editorial do O POVO neste domingo (12) aponta que Camilo Santana vai impondo sua marca de governante, sem a necessidade de grandes obras. Confira:

Pela forma como chegou à chefia do Executivo, com indicação direta de seu antecessor, muitos imaginavam que o governador Camilo Santana ficaria subordinado a Cid Gomes, sem demonstrar iniciativa. A rigor, Camilo Santana nunca deixa de expressar sua admiração política pelos Ferreira Gomes, ressaltando os aspectos positivos da administração de Cid, e admitindo o seu governo como continuidade da governança anterior.

Porém, nesses 100 dias de governo, já é perceptível que, sem alarde, Camilo Santana vem impondo o seu modo de gerir o Estado, o que se pode observar, por exemplo, no cumprimento da meta estabelecida pela redução de homicídios, neste primeiro trimestre do ano, e no diálogo que ele vem abrindo com diversos setores da sociedade, incluindo os profissionais da área da segurança pública, cuja relação foi de tensionamento no governo passado.

Ainda nesse aspecto da segurança pública observa-se outra diferença importante entre os dois governos, conforme pode ser visto na entrevista que Camilo concedeu aos jornalistas Guálter George e Jocélio Leal, publicada na edição de sexta-feira. Além das mudanças conceituais que pretende implementar no programa Ronda do Quarteirão, será introduzida outra alteração: saem as Hilux, veículos tracionados – que foram uma marca da era Cid Gomes -, e entram “carros mais simples” para toda a Polícia Militar. Mesmo nessa área, uma das mais criticadas do governo anterior, Camilo rende homenagens a Cid Gomes dizendo que “nenhum outro governador” investiu tanto em segurança.

Perguntado, na entrevista, sobre qual seria a característica essencial de seu mandato, Camilo Santana afirmou não almejar que a sua “marca” fosse a “de um equipamento”, e sim o “esforço de diálogo, de um governo sempre aberto a construir junto com a sociedade”. São palavras sensatas, pois é óbvio que identificar as necessidades antecede à edificação de possíveis obras para resolvê-las; ou seja, estas são decorrente daquelas, e não o contrário.

Pelo que se pode perceber, o governador é adepto do “soft power”, um conceito utilizado nas relações internacionais, mas que pode ser aplicado a Camilo Santana, que prefere influenciar pela força das ideias, e não pela imposição do poder que ele detém como chefe do Executivo estadual. Sem dúvida, é um método elogiável, com potencial para se tornar em uma experiência positiva para o povo cearense.

Manifestantes ocupam Esplanada dos Ministérios em protesto contra o governo

foto manifestação 150412 brasília

A manifestação contra a corrupção e a favor da democracia e do impeachment da presidente Dilma Rousseff reúne no centro de Brasília mais de 3 mil pessoas, na manhã deste domingo (12), segundo números da Polícia Militar do Distrito Federal. A concentração inicial dos manifestantes ocorre na Esplanada dos Ministérios, em frente à Biblioteca Nacional.

O ato organizado pelas redes sociais transcorre em clima pacífico, com muitos pais acompanhados dos filhos. A Polícia Militar montou uma série de bloqueios em meio à Esplanada dos Ministérios para fazer a revistas nas pessoas que chegam ao local com mochilas ou pochetes. Ao todo, 3 mil militares foram mobilizados para acompanhar as manifestações.

(Agência Brasil)

Vandalismo e omissão mancham aniversário de Fortaleza

foto pichação monumento jdealencar

Às vésperas dos 289 anos de Fortaleza, pichadores vão manchando a festa da cidade, diante do vandalismo contra os principais monumentos. Na Praça José de Alencar, no Centro, apesar da intensa movimentação de policiais militares e de guardas municipais, o monumento de José de Alencar de encontra com pichações.

A omissão do poder público poderia ser disfarçada pelo menos com um pouco de água e sabão. A cidade agradece.

(Foto: Paulo MOska)

Partido Operário diz que empresários se livraram dos encargos da contratação

Em manifesto enviado ao Blog, o Partido Operário Revolucionário, por meio da Corrente Proletária de Luta, critica a votação da Lei da Terceirização. Confira:

Finalmente, os capitalistas deram o golpe de misericórdia nos direitos trabalhistas assegurados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Aprovaram estender a terceirização para todas as atividades e funções. Os empresários se livraram dos encargos da contratação.

A terceirização nas denominadas “atividades-meios” já havia demonstrado que serviu para rebaixar os salários e precarizar as relações trabalhistas. Agora, será espalhada para as “atividades-fins”. Os explorados acabam de sofrer um golpe de morte do governo PT/PMDB e do Congresso Nacional.

A Força Sindical apoiou a Lei da Terceirização. O partido que a dirige – o Solidariedade (SD) – foi o relator do projeto. Artur Maia, deputado eleito com apoio da Força Sindical, cumpriu o papel de lacaio dos empresários. Paulinho da Força, como é chamado, e deputado pelo partido Solidariedade, agiu sem nenhum temor como porta-voz dos interesses capitalistas.

Mas a responsabilidade da burocracia sindical não para por aí. A CSP-Conlutas, braço do PSTU, e a Intersindical, do PSOL, sempre foram absolutamente contra, mas se mostraram impotentes. Não foram capazes de reunir a vanguarda para uma campanha sistemática no seio dos explorados. Finalmente, ficaram prostradas diante da cova de ladrões e inimigos do povo. Ficaram sem ter o que fazer diante da traição da Força Sindical, da CUT, da CTB e dos demais aparatos do sindicalismo burocrático e pró-capitalista.

Desde que Dilma assumiu o segundo mandato, instalou-se uma crise política. A direita burguesa comandada pelo PMDB, escorada pelo PSDB e rodeada pelo SD, PPS e outros lacaios, decidiu que era hora de tirar da gaveta todos os projetos reacionários. Eduardo Cunha e Renan Calheiros ditam a política do Congresso Nacional. A crise política abriu caminho para uma violenta ofensiva contra o proletariado e a maioria oprimida.

Para organizar a resistência e preparar as condições para a greve geral é necessário: 1) Que a CSP-Conlutas e Intersindical se unam em uma frente única de ação. Que superem a inércia política! Que convoquem imediatamente uma plenária nacional sob a bandeira: derrubar nas ruas a Lei da Terceirização, PL 4.330. Que convoquem uma plenária da juventude sob a mesma bandeira; 2) Que se exija da esquerda cutista e petista a participação na frente única; 3) Que convoque a CUT e todas a centrais a romperem com o governo e com o Congresso Nacional; 4) Que os sindicatos convoquem assembleias para responder ao ataque da burguesia; 5) Que lance a campanha nas bases operárias e da juventude.

Manifestação nas ruas – Inimigo não é o Governo

66 7

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (12):

A classe média, neste domingo (12), vai às ruas pensando que seu inimigo principal é o governo, quando, na verdade, o algoz é outro: a Câmara dos Deputados, cuja maioria dos integrantes está completamente dissociada do sentimento dos cidadãos. Isso está claro desde as manifestações de junho de 2013.

A classe média não está atinando para os prejuízos que incidirão sobre o futuro de seus filhos, se a terceirização prevalecer. Pois, então, eles não mais terão carreiras profissionais consolidadas e protegidas (tanto no setor privado, como no público), mas, contratos de trabalho precários, além de quase nenhum poder reivindicativo.

Se os manifestantes tivessem noção do que está reservado a seus filhos, voltariam suas baterias contra essa decisão regressiva e cobrariam, ao menos, o direito de aprovar ou não a lei da terceirização através de um referendo. Presumivelmente, quem está hoje sob a proteção da CLT, mais cedo ou mais tarde, será despedido. Ou recontratado dentro do novo regime, com salários menores e sem as garantias anteriores.

Dilma anuncia ida aos EUA e indica que crise de espionagem foi superada

63 1

A presidente Dilma Rousseff viajará aos Estados Unidos no dia 30 de junho para uma visita de trabalho, que marca a retomada da relação entre os dois países, abalada pelo escândalo de espionagem de 2013.

A revelação de que a Agência Nacional de Segurança (NSA) tinha espionado as comunicações de Dilma e da Petrobras levaram a presidente a cancelar o encontro de outubro de 2013 que tinha marcado com o presidente norte-americano, Barack Obama, em Washington. No final da 7ª Cúpula das Américas, nesse sábado (11), Dilma e Obama tiveram uma reunião e deram a crise por superada.

“O governo americano disse que os países irmãos não seriam espionados”, disse Dilma Rousseff, em entrevista após o encontro com Obama. “E Obama falou para mim que, quando ele quiser saber qualquer coisa, ele liga para mim. Eu não só atendo como fico muito feliz”.

Segundo Dilma, ao Brasil interessa discutir a cooperação nas áreas de educação, defesa, aeronáutica e comércio, como também a adoção de políticas para desenvolver energia limpa e combater os efeitos das mudanças climáticas que este ano castigaram vários países – inclusive os Estados Unidos, “que viveram o pior inverno da história” e o Brasil, atingido pela seca na Região Sudeste.

“Precisamos assumir a responsabilidade de liderar esse processo”, disse Dilma, referindo-se à necessidade de coordenar políticas entre a Índia, China, União Europeia, os Estados Unidos e o Brasil, para garantir o sucesso da Conferência do Clima, que será realizada em dezembro em Paris.

(Agência Brasil)

Parkinson – identificação de sintomas é um dos principais desafios

Um dos maiores desafios no processo diagnóstico da doença de Parkinson consiste na identificação dos sintomas. Apesar de o tremor ser o sinal mais conhecido da enfermidade, o principal indicador é a bradicinesia ou lentidão dos movimentos. O alerta é da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) em razão do Dia Mundial da Doença de Parkinson, lembrado neste sábado (11).

De acordo com o geriatra e membro da entidade José Elias Pinheiro, a população em geral tende a associar a lentidão dos movimentos ao envelhecimento e o sinal de alerta, muitas vezes, não é levantado. “Pode ser o caminhar mais lento, dificuldade para vestir a roupa, maior tempo para tomar banho”, explicou.

Pinheiro destacou entretanto que a doença de Parkinson é caracterizada por pelo menos dois sinais motores e que a lentidão dos movimentos, portanto, pode vir acompanhada por tremores, rigidez ou instabilidade postural. Outros sintomas não motores incluem depressão, apatia, face inexpressiva e alterações na pele.

(Agência Brasil)

Senado deve retomar discussão sobre indexador das dívidas dos estados com a União

O projeto que obriga a União a colocar em prática o novo indexador das dívidas dos estados continua na pauta do Senado. O resultado da votação depende da definição das bancadas dos estados sobre a proposta do governo de adiar a aplicação do novo índice. O item é o terceiro da pauta e deve ser votado depois da MP MP 660/2014, que permite aos servidores dos ex-territórios optar por integrar o quadro da União. Também antes do projeto do indexador, os senadores devem concluir a votação do novo marco legal da biodiversidade (PLC 2/2015).

A mudança no indexador das dívidas é uma reivindicação antiga de governadores e prefeitos. O texto que altera a indexação das dívidas virou lei em 2014 (Lei complementar 148/2014), mas o governo ainda não regulamentou a lei para adiar essa renegociação. O projeto que está na pauta do Plenário (PLC 15/2015 complementar) deixa claro que a renegociação das dívidas com a União independe de regulamentação e dá prazo de 30 dias para que o governo federal assine com os estados e municípios os aditivos contratuais.

A preocupação do governo é com o aumento de gastos. A mudança no indexador, segundo estimativas atribuídas ao Ministério da Fazenda, poderia gerar uma perda de R$ 3 bilhões ao governo federal neste ano. Agora, a proposta do governo é adiar a aplicação até janeiro de 2016 e depois devolver aos estados e municípios o que tiver sido pago a mais em 2015. O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) criticou a proposta.

— Nós temos pressa. A proposta do governo não atende ao interesse dos estados. Para se ter uma ideia, o governo do Paraná perderia neste ano cerca de R$ 141 milhões. É uma proposta que não pode ser acolhida por nós — disse o senador.

(Agência Senado)

Raúl Castro elogia Obama em discurso e agradece pelo fim do isolamento cubano

O presidente de Cuba, Raúl Castro, cumpriu a ameaça que fez – em tom de brincadeira – ao iniciar seu discurso, neste sábado (11), na sétima Cúpula das Américas: falou  durante cinquenta minutos (muito além do combinado) para compensar o silencio nas seis cúpulas anteriores. Era a primeira vez que um líder cubano participava da conferencia hemisférica, realizada a cada três anos, desde 1994, e ele aproveitou para elogiar o presidente norte-americano, Barack Obama.

“Já era hora de me deixar falar. Fiz um grande esforço para reduzir meu discurso, mas como vocês me devem seis cúpulas, pedi uns minutinhos mais”, disse Castro, rindo. Ele falou logo depois do presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, a quem chamou de “homem honesto” e agradeceu pela decisão de reverter cinquenta anos de políticas norte-americanas, destinadas a isolar o governo comunista cubano. Em dezembro passado, Obama anunciou que queria normalizar as relações diplomáticas com Cuba, interrompidas ha meio século – e uma das primeiras medidas foi suspender o veto de seus antecessores a inclusão do governo cubano na cúpula.

A presença de Castro e Obama na mesma mesa foi o ponto alto da sétima Cúpula das Américas – a primeira que contou com a presença de todos os 35 lideres do hemisfério. “Celebramos, aqui e agora, a iniciativa corajosa dos Presidentes Raul Castro e Barack Obama de restabelecer relações entre Cuba e Estados Unidos, pondo fim a este último vestígio da Guerra Fria na região”, disse a presidenta Dilma Rousseff, em seu discurso. “Os dois presidentes deram uma primeira prova do quanto se pode avançar quando aceitamos os ensinamentos da História, deixando de lado preconceitos e nocivos antagonismos, que tanto afetaram nossas sociedades”.

A reaproximação entre Estados Unidos e Cuba foi saudada pelos lideres na cúpula como uma vitória para toda a região – mas alguns lamentaram a recente crise entre os EUA e Venezuela, desencadeada por um decreto de Obama, com sanções a sete funcionários do governo venezuelano de Nicolas Maduro, por seu papel na violação de Direitos Humanos. Para justificar as medidas, de bloquear seus bens e contas nos Estados Unidos, Obama teve que declarar a Venezuela “ameaça à segurança” norte-americana – o que gerou um mal estar em toda a região.

Para o presidente norte-americano, é mais importante virar a página e juntar esforços para melhorar a educação, combater a pobreza e investir em energia limpa. O presidente também reconheceu que, apesar de continuar tendo diferenças com Cuba, isso não impedirá a normalização das relações entre os dois países. Mas ele não fez menção ao decreto contra a Venezuela.

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, disse que tinha tentado varias vezes falar com Obama, sem sucesso. “Eu o respeito, mas não temos confiança em você, presidente Obama. Se quer conversar… agora, se não quer conversar, aí esse será seu legado à Venezuela”, disse.

(Agência Brasil)

Dilma destaca avanços sociais na América Latina ao falar na Cúpula das Américas

A presidente Dilma Rousseff disse neste sábado (11) que a democracia e os novos paradigmas políticos dos últimos anos, na América Latina, inverteram a lógica da ação do Estado conferindo prioridade ao desenvolvimento sustentável aliado à justiça social na região. As declarações foram feitas na1ª sessão plenária da Cúpula das Américas, que ocorre no Panamá.

A presidente atribuiu os avanços ao rigor democrático da região e à capacidade dos países latino-americanos de se organizarem em fóruns como o Mercosul, a Aliança do Pacifico, a Unasul e a Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), nos últimos anos. Para a presidenta, essa integração entre os países da América Latina e do Caribe tem o papel de reduzir as desigualdades sociais e promover o desenvolvimento da região.

“Hoje a América Latina e o Caribe têm menos pobreza, menos fome, menos analfabetismo e menos mortalidade infantil e materna.(…) Mas é preciso mais riqueza, dignidade, educação e é isso o que vamos construir nos próximos anos”, afirmou Dilma Rousseff. “Mas não podemos fechar os olhos para a persistência de desigualdades, que ainda afetam, em diferentes graus, a todos os países do hemisfério”, acrescentou. A presidente também defendeu a necessidade de se aumentar e consolidar a justiça social no continente.

Segundo Dilma, a educação ocupa papel fundamental no combate às desigualdades e é hoje o maior desafio na região. “Educação inclusiva e de qualidade é o maior desafio do nosso continente, porque ela é indispensável para romper o ciclo de reprodução da desigualdade para gerar oportunidade de inovação, democratizar o acesso e a produção do conhecimento”.

(Agência Brasil)