Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Alta do dólar aproxima câmbio da taxa de equilíbrio

Apesar de encarecer as importações e pressionar a inflação, a alta acumulada de 8,3% do dólar este ano tem um efeito benéfico para a economia brasileira. Atualmente em R$ 2,87, o câmbio comercial aproxima-se da taxa de equilíbrio, eliminando a sobrevalorização do real na última década e abrindo a oportunidade para o país exportar mais e diminuir o rombo nas contas externas.

Pela definição econômica, a taxa de equilíbrio representa o câmbio neutro para exportadores, importadores e produtores nacionais. O valor exato varia conforme as estimativas dos economistas, mas a maioria das projeções situa o câmbio de equilíbrio entre R$ 2,80 e R$ 3,20. “O câmbio competitivo é a taxa real que estimula a alocação de recursos nos setores de maior produtividade e assegura o crescimento econômico no longo prazo”, explica o professor de economia André Nassif, da Universidade Federal Fluminense.

O câmbio próximo do equilíbrio estimula as exportações, principalmente de produtos industriais. “Nos últimos anos, a indústria brasileira foi parcialmente dizimada. O dólar na taxa de equilíbrio ajuda a recuperar a competitividade dos manufaturados”, diz Alexandre Espírito Santo, economista da consultoria Simplific Pavarini e professor de macroeconomia do Ibmec. Com base no câmbio nos últimos 20 anos corrigido pela inflação, ele estima a taxa de equilíbrio entre R$ 2,80 e R$ 2,82.

Apesar das perspectivas de que o câmbio próximo da taxa de equilíbrio gere melhorias para a economia brasileira, por meio do aumento das exportações e da diminuição do déficit das contas externas, os benefícios só serão sentidos no médio prazo. Na melhor das hipóteses, a partir de 2016.

(Agência Brasil)

Financiamento de campanha eleitoral repercute no Facebook

Uma postagem na página Notícias do Senado no Facebook propondo discussão sobre financiamento de campanha eleitoral teve grande repercussão nessa sexta-feira (20). Após seis horas no ar, a publicação, que indaga ao internauta sobre quem deve financiar as campanhas, teve cerca de 1.500 curtidas, 700 compartilhamentos e 900 comentários, mas os acessos continuam.

A publicação já teve um alcance de 107 mil pessoas. Quando você compartilha, curte ou comenta qualquer coisa, manda a postagem para a linha do tempo de amigos. Somando tudo, 107 mil pessoas foram alcançadas — explicou Moisés Nazario, da equipe de mídias sociais do Senado.

O tópico é um dos mais polêmicos da reforma política, que vai começar a ser discutida pela Casa em sessão temática na terça-feira (24). Alguns internautas defenderam o financiamento “pelo governo”. Outros acreditam que o melhor caminho seria o financiamento por empresas, partidos ou candidatos e até pelo próprio eleitor.

(Agência Senado)

Pelo simples direito de caminhar

Em artigo no O POVO deste sábado, a apresentadora e editora da TV O POVO, Cinthia Medeiros, defende o direito de pedestre de caminhar. Confira:

Tenho acompanhado com satisfação as conquistas do movimento cicloativista em Fortaleza e os avanços que aos poucos começam a priorizar o transporte coletivo da cidade, e já consigo até ver com mais otimismo um futuro mais bonito para as bandas de cá. Mas ainda aguardo ansiosa por mudanças que beneficiem um personagem da cidade historicamente preterido: o pedestre.

E hoje busco esse espaço para reivindicar simplesmente uma cidade mais caminhável, porque andar a pé em Fortaleza é duro, meu amigo. O desejo é, simplesmente, por uma cidade que ofereça a possibilidade de percursos dignos para quem opta por andar.

Uma cidade com calçadas que não me levem ao tropeço por causa dos buracos, dos degraus, dos montes de lixo. Calçadas que não estejam ocupadas por carros estacionados ou mesas de bar, que muitas vezes me obrigam a ir para o asfalto tirando fina com os automóveis. Calçadas que não estejam sendo usadas como vitrines para expor produtos do comércio. E que não seja sonhar demais ter uma cidade com passeios arborizados, que me garantam o refresco de uma boa sombra para amenizar o calor escaldante dos últimos tempos.

Quero ter o direito de caminhar sem ter que apressar o passo mesmo estando sobre uma faixa de pedestres. E de poder andar por ruas iluminadas e seguras, sem correr o risco de ter a mochila arrancada num assalto. Desejo, inclusive, poder olhar nos olhos, sorrir, soltar um bom dia para quem cruzar comigo nesses caminhos, sem sentir o medo que hoje transforma o outro em potencial ameaça.

Enfim, quero continuar caminhando, como já faço nos meus percursos cotidianos, para o banco, a farmácia, o curso de inglês do meu filho, para o mercantil próximo de casa. E continuar fazendo das ruas da cidade minha pista de cooper, que ao contrário de qualquer academia de ginástica, me oferece um cenário novo a cada dia.

Mas ainda espero me surpreender com mudanças positivas nesse caminho. E que elas partam não só do poder público, mas principalmente de cada cidadão, cuidadoso e vigilante com a calçada que está ali, no portão de sua casa.

Luizianne Lins é entrevistada na TV Câmara

363 1

luizianne-lins-eliomar

A deputada federal e ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), é a entrevistada do programa “Palavra Aberta”, da TV Câmara, que irá ao ar às 8 horas da segunda-feira (23).

Na entrevista, Luizianne fala de seus planos dentro do Congresso Nacional e defende uma maior participação das mulheres no parlamento e na política institucional.

“Nós ainda estamos muito longe da equidade de gênero na participação no parlamento. Nós somos 51 (deputadas) de 513 parlamentares. E nós somos a maioria da população. Portanto, ainda temos muito o que correr para encontrar a igualdade de gênero”, disse a deputada cearense.

O programa será reprisado ao meio-dia e às 17h.

Ceará Pacífico: reunião integra várias áreas e especialistas em segurança do País

62 6

O Ceará Pacífico realizou neste sábado (21), no Palácio da Abolição, a segunda reunião do ano do projeto, que tem como objetivo planejar a segurança do Estado com base na integração intersecretarial e em experiências nacionais exitosas.

“Envolvemos todas as entidades da sociedade civil na discussão e vamos apresentar as ações focadas nos locais mais críticos do Ceará. É fundamental integrarmos as diversas áreas do Governo e vamos juntar, ainda, exemplos exitosos do Brasil para traçarmos o plano estratégico para o estado”, afirmou o governador Camilo Santana. O primeiro encontro do Ceará Pacífico foi realizado no dia 18 de janeiro.

Participaram da reunião, além do governador Camilo Santana, a vice-governadora Izolda Cela e de 12 secretários estaduais e comandantes dos órgãos de segurança, o presidente do Iplanfor e coordenador do Plano de Governo, Eudoro Santana; o professor César Barreira, do Laboratório de Estudos da Violência da UFC; Renato Sérgio Lima e Samira Bueno, do Fórum Brasileiro de Segurança; Luís Flávio Sapori, coordenador do Centro de Estudos e Pesquisa em Segurança Pública da PUC Minas e José Luiz Raton, idealizador do programa Pacto Pela Vida, entre outros especialistas.

“A solução para a violência não vem de maneira rápida e imediata, mas precisa de planejamento estratégico e o Governo tem um projeto para traçar ações concretas e objetivas”, afirmou Luís Flávio Sapori, coordenador do Centro de Estudos e Pesquisa em Segurança Pública da PUC Minas.

A reunião começou com uma apresentação feita pela secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, sobre os dados dos últimos anos no Ceará.

Ceará Pacífico

O programa fez parte da elaboração do Plano de Governo, que conta ainda com o Ceará Sustentável, de Oportunidades, o Democrático, o Acolhedor, o do Conhecimento e o Saudável. O Ceará Pacífico vai atuar, principalmente, no combate à violência, um dos maiores desafios no Brasil, e vai integrar ações de saúde, segurança, esporte e cultura. O projeto engloba, ainda, a atuação das entidades de classe, Poder Judiciário e sociedade.

(Governo do Ceará)

CPI para o Acquario

Em artigo no O POVO deste sábado (21), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante questiona a paralisação das obras do Acquario, que já consumiu R$ 125 milhões. Confira:

A participação do leitor faz a intenção da obra. O Quinze que li agora, não tem nada a ver com O Quinze quando o li na adolescência. O romance relata a grande seca do quinze… 1915. Nem vou dizer que o Ceará é o mesmo… Entretanto, lendo os jornais de agora, quando uma nova seca se anuncia: 2015, cem anos depois… parece que ainda somos os mesmos na falta de sensibilidade social.

É que mais uma vez, o Acquario – concepção megalomaníaca de um governo atônito – entra em cena. As manchetes são inquietantes. Enquanto O POVO (14.2.15) diz: “30 açudes no Ceará estão com menos de 1% da capacidade”, no outro dia, o mesmo informativo destaca sobre o tal Acquario: “Governo já gastou mais de R$ 125 milhões na obra.”

Seguinte: a obra foi paralisada pelo novo (!?) secretário estadual de Turismo. Parece que não gosta da empresa ganhadora da licitação. Que existem problemas de concepção na obra. Tipo, simplesmente não foi previsto qualquer área para o estacionamento na obra, tendo o tamanho e o porte que possui e outros pepinos!

Os moradores da vizinhança asseguram que desde o fim do ano passado não se vê operários na referida obra. Não tendo grana, não tem construção. Mas, por que não tem dinheiro? Por que essa empresa não é mais parceira amiga?

De minha parte, desde o início, registrei meu protesto a gritante incongruência: como é que um estado pobre, sem recursos, elege como prioridade a construção de um acquario para estrangeiro ver, quando nosso povo, sobretudo no Interior sofre de tanta privação dágua, se os carros pipas chupam as últimas gotas lamacentas para abastecer distantes municípios, se carecemos de tantas outras prioridades: falta de médicos e medicamentos nos postos de saúde e hospitais, escolas e universidades sem professores, polícia desarticulada, obras de mobilidade social paradas? Como aceitar esse insulto?

Os deputados de oposição, aqueles que proclamam ter chegado ao Legislativo para fiscalizar os atos do Executivo, têm nesse assunto do Acquario a excelente oportunidade de constituir uma CPI. A população do Ceará olha seus deputados, esperando que eles saibam agir com firmeza e coragem.

O fim de uma história estranha desde o começo

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (21), pelo jornalista Érico Firmo:

A falta do mínimo de afinidade do deputado estadual David Durand (PRB) com a secretaria que dirigiu por um mês e meio é apenas uma das estranhezas em sua efêmera passagem pela administração Camilo Santana (PT).

A própria adesão do PRB à aliança que elegeu o atual governador foi esquisita e surpreendente. Durante grande parte da pré-campanha, ainda em 2013, a legenda ligada à Igreja Universal se colocava como principal aliada do senador Eunício Oliveira (PMDB), que se preparava para concorrer ao Palácio da Abolição. Em diversos momentos, o PRB assumiu posturas de oposição ao então governador Cid Gomes (Pros). Eis que, no mês das convenções, a sigla mudou de lado e aderiu à chapa articulada pelo Pros. Àquela altura, nem se sabia quem seria o candidato governista. Muito menos que seria do PT.

Quando Camilo montou o governo, a escolha de Durand para secretário do Esporte atendeu a um alinhamento nacional – o partido ocupa o Ministério dos Esportes – e o fatiamento de espaços políticos na gestão. Ele próprio admitia a falta de intimidade com o assunto, em entrevista ao O POVO no começo de janeiro (leia acessando o link: http://bit.ly/op028). E, já no mês passado, circulavam informações – e desmentidos – de que deixaria o cargo.

O PRB deixa o governo e sai atirando. Não anunciou o rompimento nem a ida para a oposição. Mas evidenciou o péssimo clima. A reforma administrativa de Camilo provoca estrago político. Os desdobramentos eleitorais para 2016 sugerem que o PRB tende a fazer o caminho inverso de 2014 e voltar para a oposição à qual ensaiou aderir.

Horário de verão termina à meia-noite deste sábado em 11 estados

À meia-noite deste sábado (21), os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Depois de quatro meses, chega ao fim o horário de verão, que tem como objetivo aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de energia no fim da tarde.

Adotada no Brasil desde 1931, a mudança no horário desperta amor e ódio entre a população. Entre os motivos citados por quem defende a medida está o maior aproveitamento do dia, ao final da tarde, mas quem não gosta da mudança relata principalmente dificuldades na hora de acordar.

Neste ano, o governo chegou a estudar a prorrogação da vigência do horário de verão, por causa da falta de chuvas, que afeta os reservatórios das hidrelétricas. Mas o custo-benefício do adiamento foi considerado insuficiente, e a data prevista para o fim do horário diferenciado foi mantida.

A economia de energia feita com o horário de verão 2014/2015 foi cerca de 4,5% no horário de pico (entre 18h e 21h), com redução total de 250 megawatts médios, o que corresponde a 0,5% de economia nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul.

(Agência Brasil)

Veto ao reajuste da tabela do IR tranca pauta do Congresso a partir de 4 de março

O veto ao reajuste de 6,5% da tabela progressiva mensal de retenção do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) passa a trancar a pauta do Congresso Nacional em 4 de março. A partir desse dia, o Plenário do Congresso não poderá votar outras matérias enquanto não deliberar sobre os 213 dispositivos vetados pela presidente Dilma Rousseff no Projeto de Lei de Conversão (PLV) 18/2014 (resultante da MP 656/2014).

Essa MP foi editada com a finalidade de estimular o crédito e de prorrogar isenções tributárias. Durante a tramitação, os parlamentares incluíram a atualização dos valores da tabela do IRPF em 6,5%. O governo foi contra o aumento em percentual maior que o previsto na MP 644/2014 (4,5%), que perdeu a vigência em agosto do ano passado.

O argumento do governo não convence parlamentares da oposição. O líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PB), observa que, sem a correção da tabela, muitos contribuintes situados na faixa de isenção passam a pagar Imposto de Renda. Quem estava em faixas intermediárias sobe para as faixas seguintes, “pagando mais imposto”. Portanto, a correção só faz justiça ao contribuinte, na avaliação do oposicionista.

O senador Reguffe (PDT-DF) faz as contas e mostra que a defasagem vem desde os dois governos de Fernando Henrique Cardoso (1995-2003). Em 2011, somados oito anos das gestões de FHC e oito de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011), o descompasso entre os valores da tabela e a inflação chegou a 64,1%.

Dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) indicam que o Brasil tem a segunda maior carga tributária da América Latina, perdendo apenas para a Argentina. A OCDE tem uma estimativa um pouco acima da usada pela Receita Federal: 36,3% do PIB, no ano de 2012.

(Agência Senado)

Indonésia chama embaixador de volta

75 4

O governo da Indonésia protestou contra o gesto da presidenta Dilma Rousseff, que não recebeu as credenciais de seu novo embaixador designado para servir no Brasil, Toto Riyanto, em cerimônia realizada nessa sexta-feira (20) no Palácio do Planalto. Além de publicar uma nota de repúdio em seu site oficial, o Ministério das Relações Exteriores da Indonésia chamou Riyanto de volta ao país.

“A maneira pela qual o ministro das Relações Exteriores do Brasil [Mauro Vieira], de repente, informou o adiamento da apresentação de credenciais pelo embaixador da Indonésia designado para o Brasil, quando o embaixador já estava no palácio, é inaceitável para a Indonésia”, informou a chancelaria indonésia, acrescentando que Riyanto havia sido convidado formalmente para apresentar suas credenciais na cerimônia.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio e Gaudêncio podem desembarcar juntos em Fortaleza

prefito robertoclaudio

Enquanto o prefeito Roberto Cláudio se encontra na Europa, para tratar de cooperações técnicas e acompanhar projetos, o vice-prefeito Gaudêncio Lucena se encontra na África. Os dois devem retornar a Fortaleza na próxima semana. Roberto Cláudio, com data definida, na quarta-feira (25). Gaudêncio, até sexta-feira (27).

Para viajar à Europa, Roberto Cláudio comunicou à Câmara Municipal de Fortaleza. Não pediu permissão, pois o período no Exterior é inferior a 10 dias, conforme a Lei Orgânica do Município.

DETALHE 1 – O vice-prefeito, quando viaja ao Exterior, também não tem que pedir permissão à Câmara Municipal?

DETALHE 2 – Com a ausência do prefeito e do vice, em caso de 10 dias ou mais, a Prefeitura ficaria a cargo do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho, que pela primeira vez assumiria o Executivo, já que não teve oportunidade na gestão Luizianne Lins, quando presidiu o Legislativo no período 2009/2010.

Fazenda Pública ainda não se manifestou de construção irregular no Pajeú

68 1

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (21):

E afinal, por que a promotoria da 13ª Vara da Fazenda Pública ainda não se manifestou acerca de uma construção irregular sobre o Pajeú na rua Nogueira Acioli, 1175, próximo a avenida Heráclito Graça?

A Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) embargou a obra e até multou o responsável. Mesmo assim, a empresa Plásticos Amazonas fez sua sede sobre o leito do riacho.

Os empresários derrubaram a mata ciliar e passaram o concreto no trecho do Pajeú. A 2ª Promotoria do Meio Ambiente, da PGJ, pediu a abertura de um inquérito policial para apurar desobediência à lei, mas não cobrou ainda do promotor da 13ª Vara que dê prosseguimento ao processo gerado pela Seuma.

Fortaleza, pelo visto, continua terra de ninguém, quando o assunto é preservação e requalificação dos recursos naturais.

Sinpol/CE cobra reestruturação da carreira de inspetores e escrivães

572 32

foto sinpol 150221 carta compromisso

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Ceará (Sinpol/CE) inicia este mês campanha para a reestruturação da carreira de inspetores e escrivães. Segundo o presidente da categoria, Gustavo Simplício, a proposta é uma promessa de campanha do governador Camilo Santana.

“Participamos do Plano de Governo, só falta o governador concretizar a nossa reestruturação salarial de nível superior, que está no mesmo parágrafo da Media do Nordeste da PMCE, dentro do Plano de Governo de Camilo”, comentou Simplício.

“A reestruturação da carreira de inspetores e escrivães, que com o advento da Lei 14.112/08 passou que para o ingresso na carreira tem que se ter o nível superior, foi feito o primeiro concurso de nível superior em 2012 e até hoje recebemos um dos piores salários do Brasil”, ressaltou o sindicalista.

Chove em Fortaleza com vários pontos de alagamentos

foto chuva 150221

Fortaleza amanheceu este sábado (21) com chuva, desde as 3 horas. Vários pontos de alagamento foram registrados na cidade, mas sem ocorrências graves.

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a chuva deverá persistir durante todo o dia. A mínima foi registrada em 23°C, na madrugada, com máxima prevista para 30°C.

De acordo ainda com a Funceme, a chuva ocorre em todo o Estado.

(Foto: Paulo MOska)

Dólar fecha no maior valor em mais de dez anos

Em meio a tensões sobre a Grécia, o dólar subiu pela quarta sessão seguida e voltou a fechar no maior valor em mais de dez anos. O dólar comercial encerrou essa sexta-feira (20) vendido a R$ 2,879, com alta de 0,46%. A moeda norte-americana fechou no valor mais alto desde 25 de outubro de 2004 (R$ 2,884).

A moeda norte-americana acumula alta de 7,04% em fevereiro e de 8,28% em 2015. O principal fator de instabilidade no mercado foi a reunião dos ministros das Finanças da zona do euro. O encontro discute a prorrogação do acordo de resgate da Grécia, que pede o relaxamento das medidas de austeridade.

(Agência Brasil)

Justiça manda baixar preço dos combustíveis…no Maranhão

“O juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, Douglas de Melo Martins, determinou que postos de gasolina da capital maranhense reduzam os preços dos combustíveis. A Rede Estadual em Defesa do Consumidor (RedCon) entrou com uma ação civil pública contra 244 postos da cidade, que aumentaram os preços dos combustíveis acima do reajuste autorizado pelo governo federal.

O aumento esperado era, no máximo, de R$ 0,22 para a gasolina e R$ 0,15 para o diesel. Foram constatados, porém, aumentos acima de R$ 0,50. A determinação judicial menciona, ainda, o restabelecimento do preço do etanol e uma multa de R$ 20 mil por dia de descumprimento.

A RedCon, formada pelo Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do Estado, o Ministério Público do Estado e a Delegacia de Proteção do Consumidor, dentre outros órgãos, obteve informações da Agência Nacional do Petróleo (ANP) de que o repasse não justificaria um aumento tão grande na bomba. Com isso, a entidade entrou com a ação, cuja decisão foi publicada no último dia 13.”

(Agência Brasil)

Ceará com 50% de chances de chuva abaixo da média

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgou, nesta sexta-feira, previsões nada animadoras sobre inverno no Estado. Apesar das recentes chuvas registradas em várias regiões do Ceará, o provável é que as condições permaneçam desfavoráveis para precipitações regulares entre os meses de março, abril e maio. O órgão projeta chuvas abaixo da média histórica no próximo trimestre.

Nesse novo prognóstico, a Funceme informa que as chances de chuvas abaixo da média nos três últimos meses da quadra chuvosa são de 50%, enquanto as probabilidades para as categorias em torno da média e acima da média são 35% e 15%, respectivamente.

“É bom ressaltarmos que se trata de um período diferente do que se referia à previsão climática anterior. De toda forma, permanece sendo um quadro preocupante e o Governo do Estado já foi informado do novo prognóstico e continuará investindo nas ações de convivência com a estiagem”, disse o presidente da Funceme, Eduardo Sávio, em coletiva.

Segundo a Funceme, a situação se deve as condições termodinâmicas dos oceanos Pacífico e Atlântico, que não sofreram relevantes alterações em fevereiro.

Apesar da previsão abaixo da média para o Estado, as precipitações no Centro Sul do Ceará devem ficar mais próximas da média histórica. Já a metade norte da região, a tendência é índices mais baixos de chuva.