Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Felipão diz ainda ter muito a falar sobre a Copa, mas hoje prefere o silêncio

sxcolari

Essa é de Luiz Felipe Scolari, ex-técnico da Seleção Brasileira, que, ao ser procurado pelo jornalista Demitri Túlio, do O POVO, para dar uma entrevista, em clima de retrospectiva e Copa 2014:

Respeito e admiro o Sérgio (Ponte) e seu jornal e as pessoas aí do nosso Ceará,  mas não dei entrevista nenhuma falando de Copa para nenhum órgão jornalístico e continuarei assim. Um dia, daqui um tempo – não sei quando, vou falar o que sei e vivi e o que foi feito e muita coisa mais. Mas, o tempo vai me dizer quando. Agradeço sua consideração e desejo um bom final de ano e tudo de bom!

André Figueiredo faz artigo já posando de candidato a presidente da Câmara dos Deputados

Com o título “Os desafios da próxima legislatura”, eis artigo do deputado federal André Figueiredo (PDT), cujo nome é cotado para disputar a presidência da Câmara. Ele diz nesse artigo, publicado pelo site Congresso em Foco, que “o momento aponta para a necessidade de uma presidência da Casa que não faça oposição ao governo, visando desestabilizá-lo e, nem no outro extremo, que utilize a Câmara como correia de transmissão do Poder Executivo”. Confira:

Depois do exaltado clima das eleições presidenciais, o Congresso Nacional tem diante de si uma pauta extensa e complexa, antes do término da atual legislatura. Mesmo antes de seu encerramento, desde logo o balanço de suas atividades pode ser considerado bastante positivo. Para mencionar apenas duas matérias, a destinação dos royalties do petróleo do pré-sal para as áreas de educação e saúde e a aprovação do novo Plano Nacional de Educação são importantes legados da atual legislatura para a sociedade brasileira. No próximo mês de fevereiro, uma nova legislatura terá início, e não são pequenos os desafios que aguardam deputados e senadores reeleitos ou eleitos pela primeira vez. É forçoso reconhecer queo cenário econômico já não é tão favorável como nos últimos anos. O governo federal certamente necessitará dialogar com a Câmara dos Deputados e o Senado para adotar medidas indispensáveis à retomada do crescimento da economia, que vem a ser a única verdadeira garantia de melhoria das condições de vida dos brasileiros no longo prazo.

Além das reivindicações dos mais diversos setores da sociedade, Câmara e Senado também deverão lidar com o desafio da reforma política, demanda reiterada a cada nova legislatura, mas que desta vez não parece comportar novas protelações. Se essa reforma é inevitável, isso não significa, porém, que deva ser feita de qualquer modo ou a qualquer preço. As regras vigentes resultam em diversas distorções — e o custo das campanhas eleitorais certamente não é a menor delas —, mas elas também propiciaram o maior período de estabilidade democrática da história brasileira. Não é o caso, portanto, de recomeçar do zero, e sim de aperfeiçoar a nossa democracia, o que é indispensável e inadiável.

Especificamente quanto a Câmara dos Deputados, a que pertenço — e à qual tive a honra de ser reconduzido pelo povo do Estado do Ceará —, a renovação significativa de sua composição se soma a um cenário inédito de fragmentação partidária. Os atuais 22 partidos com representantes na Casa passarão a ser 28 a partir do ano que vem, cenário provocado pela redução das maiores bancadas e crescimento do número de representantes de partidos médios e pequenos. Some-se a isso o acirramento do antagonismo entre governo e oposição, por conta da eleição presidencial mais disputada de nossa jovem democracia.

O cenário que se desenha exigirá do novo comando da Casa uma grande capacidade de negociação e articulação, de modo a dar conta dos múltiplos desafios na política e na economia. A relação com o Poder Executivo deverá ser pautada por um diálogo respeitoso e voltado para os interesses do País, e esse mesmo espírito se fará necessário nos entendimentos com a base aliada e a oposição, por maiores que sejam atualmente as tensões herdadas do processo eleitoral recém-concluído. Em um momento como esse, não é conveniente para o Parlamento que o processo de escolha de seu novo presidente seja refém de polarizações partidárias, nem se torne mecanismo de pressão ou barganha na formação do ministério do novo governo recém-eleito. É ruim para o governo, que pode se ver pressionado a ter critérios menos rígidos na escolha de seus quadros ministeriais e de outros órgãos de Estado. É péssimo para a oposição, que pode a qualquer momento ser atropelada em suas prerrogativas regimentais, quando o presidente estiver comprometido com acordos que extrapolem as funções do legislativo e avancem em uma seara de interesses da máquina administrativa do Poder Executivo.

O momento aponta para a necessidade de uma presidência da Casa que não faça oposição ao governo, visando desestabilizá-lo e, nem no outro extremo, que utilize a Câmara como correia de transmissão do Poder Executivo, fazendo do Legislativo um mero cartório carimbador dos projetos do governo. Mas pior cenário, ainda, seria a Câmara dos Deputados estar à serviço do interesse hegemônico de partido ou grupo que busque aumentar de forma insaciável, nos próximos dois anos, seu espaço de poder dentro do governo federal. O próximo presidente da Câmara precisará estar acima de tudo isso, demonstrando que suas preferências e rivalidades políticas não são maiores de que seu amor ao Brasil.

Em nosso passado recente, a Câmara dos Deputados tem dado contribuição decisiva para a construção de um país democrático, com economia estável e capaz de melhorar as condições de vida de seu povo. Tenham tido elas origem no Executivo ou no próprio Congresso Nacional, as medidas fundamentais para a consolidação dessas conquistas foram discutidas e aperfeiçoadas pelo trabalho de deputados e senadores. E nesse momento, em que o Brasil precisa de ajustes importantes, é fundamental que os rumos da futura legislatura estejam à altura dos desafios que temos diante de nós.

* André Figueiredo,

Deputado federal pelo PDT-Ceará.

Renato Roseno promoverá seminário para planejar mandato

rosenoo

O deputado estadual eleito Renato Roseno (PSOL) vai promover, com ativistas e movimentos e organizações sociais, o seminário “Construção de um mandato de lutas”. O encontro, que será realizado das 9 às 18 horas do próximo sábado, na sede do partido. É uma segunda etapa de debate sobre a intervenção do mandato, que terá início em fevereiro. A primeira ocorreu em novembro, no PSOL, e contou com a participação de dezenas de militantes do partido, vindos de diversas regiões do Estado.

Renato Roseno explica que quer ampliar a participação e definir as ações com a colaboração dos movimentos sociais. Após a reunião, em Fortaleza, ele visitará outros municípios cearenses, na primeira quinzena de dezembro, para dialogar e ter a colaboração também dos ativistas e coletivos que atuam no interior do estado.

(Foto – Paulo MOska)

Índice de Confiança do Empresário do Comércio registra queda

“O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) caiu 1% na passagem de outubro para novembro deste ano. Essa foi a terceira queda consecutiva do indicador na comparação mensal. Já na comparação com novembro do ano passado, houve um recuo de 11%. Os dados foram divulgados hoje (4) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação mensal, a queda de 1% foi puxada principalmente pela piora de 2% da confiança do empresário do comércio no momento atual. A avaliação sobre a economia caiu 4%, enquanto as opiniões sobre o setor comercial e própria empresa recuaram 1,4% e 1,2% respectivamente.

As expectativas do empresário em relação aos próximos meses pioraram 0,5%, devido ao menor otimismo em relação ao futuro da economia (-1,5%) e do setor (-0,5%). A confiança em relação ao futuro do próprio negócio, no entanto, melhorou 0,2%. As intenções de investimentos também caíram (0,8%), já que os empresários esperam contratar menos (-0,5%) e investir menos na empresa (-1,3%) e em estoques (-0,9%).”

(Agência Brasil)

Presidente do PTB do Ceará é otimista sobre o Brasil e o Ceará em 2015

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=cx1ZA7orFx4&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O PTB está otimista no que diz respeito ao que vai fazer a nova equipe econômica de Dilma Rousseff. É o que revela o deputado federal José Arnon, presidente regional do partido e membro do diretório nacional petebista.

Segundo o deputado federal José Árnon,  com a entrada de Armando Monteiro como ministro do Desenvolvimento, o PTB vai crescer e trabalhar pelo sucesso de Dilma.

José Arnon também adianta que o PTB apoiará o Governo Camilo Santana, não tendo dúvidas de que o petista corresponderà à expectativas do cearense.

MP pede suspensão da micareta “Russas Fest 2014”

“O Ministério Público do Estado do Ceará, através do promotor de justiça da Comarca de Russas, João Batista Sales Rocha Filho, ajuizou, nessa quarta-feira, uma Ação Civil Pública, com pedido de tutela antecipada, pedindo a suspensão do evento “Russas Fest 2014”. Isso, por conta da ausência de Estudo de Impacto Ambiental (ou estudo similar) no tocante aos efeitos da poluição sonora que o evento pode ocasionar aos moradores e aos imóveis do entorno da avenida Dom Lino, no Centro de Russas, local onde está marcado para ocorrer o carnaval fora de época.

A Ação Civil Pública é resultado de um processo administrativo instaurado junto ao mencionado Órgão Ministerial em virtude de provocação dos moradores que habitam o entorno da avenida Dom Lino, no Centro de Russas, que reivindicavam providências no sentido de se evitar os transtornos que a poluição sonora, provocada pela realização da “micareta” pode ocasionar aos habitantes daquele local, bem como a seus respectivos imóveis.

Anteriormente, o promotor de Justiça emitira uma recomendação administrativa dirigida à Prefeitura Municipal de Russas, bem como às Secretarias de Cultura e Meio Ambiente municipal, no sentido de que se abstivessem de autorizar ou licenciar a realização da micareta “Russas Fest 2014”, por conta da localização do evento em área residencial e com prédios históricos, além da poluição sonora. O “Russas Fest 2014” está previsto para ocorrer nos dias 12/12/2014, 13/12/2014 e 14/12/2014.”

(Site do MP-CE)

Comunidade Shalom promove a ExpoNatal 2014

msuciala

A Comunidade Católica Shalom promoverá a ExpoNatal 2014. O evento ocorrerá de 11 a 14 deste mês, no Aterro da Praia de Iracema, sempre a partir das 18 horas. A programação começará com Missa pelos Enfermos, a ser celebrada pelo padre Antonio Furtado. Além das celebrações, o público contará com shows e a apresentação do espetáculo natalino “Filho de Deus Menino Meu”, nos dias 13 e 14, um musical que conta a história do nascimento de Jesus com linguagem regional.

A ExpoNatal abrirá também para a solidariedade do público na arrecadação de leite e alimentos não perecíveis para as obras de promoção humana da Comunidade Shalom. Além disso, um bazar solidário será montado, oferecendo roupas e acessórios novos e seminovos que foram doados.

SERVIÇO

* Para mais informações basta acessar: http://www.eventosshalom.org/ . O evento é gratuito.

* Confira um trecho do musical “Filho de Deus, Menino Meu”: https://www.youtube.com/watch?v=ft7aDhTSg60

Clientes de Quixeramobim reclamam dos serviços da Oi Velox

“O pacote de internet Velox, oferecido pela operadora Oi, tem deixado clientes de Quixeramobim (Sertão Central) revoltados. A principal reclamação dos usuários do serviço é quanto à lentidão na conexão da internet. Segundo eles, o pacote adquirido não condiz com a velocidade oferecida. Um dos clientes da operadora, residente na rua Castelo Branco, Bairro Monteiro de Morais, disse que a velocidade de sua internet nos últimos meses tem piorado bastante. “A Oi está demais. Têm dias que não tem a menor condição, a internet fica muito lenta”, desabafou o cliente.

Mas a atual situação do serviço prestado pela Oi não é exclusividade de Quixeramobim. Há relatos de que clientes de outros municípios do Sertão Central também passam pelo mesmo problema.

Desde o dia 1º de novembro, uma nova regra da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) entrou em vigor e determina que a empresa deve fornecer no mínimo 80% da velocidade contratada, ou seja, num plano de 10 MBps (megabits por segundo), por exemplo, a média mensal da velocidade fornecida pela operadora deve ser de no mínimo, 8 MBps.

Ainda conforme a Anatel, se as empresas descumprirem a nova regra, a agência pode instaurar procedimentos administrativos que, podem resultar em multa. Desde 2012 a Anatel está atualizando as regras. Naquele ano, exigia-se 60% da velocidade média. Já em 2013, o número subiu para 70%.

A reportagem do Sistema Maior de Comunicação confirmou o problema relatado pelos usuários do serviço em Quixeramobim, nos computadores da própria sede do Sistema Maior de Comunicação, localizado no Centro, onde a qualidade do sinal oscila bastante ainda mais no período da tarde.

O grupo de comunicação já vem enfrentando problemas com a conexão de internet desde o início do ano, quando através da Rádio Campo Maior AM 840, encaminhou, em fevereiro, ao Call Center da Oi Velox, um ofício relatando o problema e solicitando um posicionamento da empresa quanto à baixa velocidade do plano contratado.

Apesar do documento encaminhado, a Oi ainda não se posicionou sobre a qualidade do serviço e continua ofertando a empresa um serviço inferior ao contratado. Testes realizados na tarde desta quarta-feira, 03, em dois computadores do grupo de comunicação, através dos sites Speed Test COPEL e Velocímetro TechTudo (este último da Globo.com), comprovaram que a velocidade não correspondeu nem mesmo à metade do que deveria ser disponibilizado. Mesmo não sendo ferramentas oficiais para medir a velocidade da internet, são dois dos meios mais comuns utilizados por usuários para ter acesso a estes dados.

(Site do Sistema Maior de Comunicação)

23º Batalhão de Caçadores comemora 125 anos

luiz_gonzaga

O 23º Batalhão de Caçadores do Exército comemora, nesta quinta-feira, 125 anos de fundação. Haverá solenidade militar a partir das 20 hroas, no quartel situado na avenida 13 de Maio. 

Bom destacar que pelo 23º BC, passaram personagens famosos como Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, e militares que foram para a Guerra do Paraguai ou, mais recente, para missão de socorro e paz no Haiti.

* Mais sobre Luiz Gonzaga no 23º BC aqui.

Já leu o livro do Dr. Macedo?

Com o título “Roberto Macedo e a força do Made in Ceará”, eis artigo do jornalista Luís-Sérgio Santos. Ele destaca a importância de livro recentemente lançado pelo ex-presidente da Federação das indústrias do Estado, Roberto Macedo, via Edições Demócrito Rocha. Confira:

Não é comum em nosso Estado um livro que exponha na primeira pessoa o que pensa, o que defende e o que move um empresário com larga experiência no cotidiano da árdua atividade de empreender no Brasil e, em especial, em regiões contempladas com desigualdades que impactam em seu Índice de Desenvolvimento Humano.

Por isso é que a leitura de “Made in Ceará — Indústria e Cidadania na Integração Local-Global”, do empresário Roberto Macedo, lançado agora pelas Edições Demócrito Rocha é um prazer redobrado e renovado a cada capítulo. O alentado volume, com 632 páginas, é uma bem organizada coletânea de artigos, ensaios e ideias do empresário, acionista do Grupo J. Macedo e presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará por dois mandatos consecutivos. E edição é primorosa, cheia de dignidade gráfica com layout clássico e margens generosas como deve ser um livro e, com a exigência do autor, toda feita no Ceará, inclusive a excelente impressão e o primoroso acabamento. Uma acrílica sobre tela de Aldemir Martins ilustra a capa desenhada por Geraldo Jesuíno.

O desprendimento do autor em expor com clareza e objetividade suas ideias, num amplo compartilhamento, traduz a vocação humanista do grupo que dirige, inserido umbilicalmente nas coisas essenciais da República, dentre elas o compromisso social coma empregabilidade, a defesa do meio ambiente e a transparência corporativa a ponto de, há alguns anos, ter publicado uma peça institucional mostrando quando em impostas o grupo contribuíra para o desenvolvimento do Brasil — uma peça arrojada e inovadora. Um traço marcante da inserção local em um contexto global é a valorização da cultura tão bem expressa no painel em pastilhas vítreas de autoria do artista plástico Estrigas, inaugurado em outubro de 2004, na fachada lateral leste da sede do Grupo J. Macedo, em Fortaleza. Trata-se da visão do autor da chegada do navegador espanhol Vicente Yanez Pinzón enseada do Mucuripe.

O prefácio, do inquieto economista Delfim Netto, pontua passagens importantes do livro de Roberto Macedo e ressalta o pragmatismo do autor quando defende que os empresários comecem atuando localmente e, assim sucessivamente até chegar ao global. Este, alias, é o primeiro o tema do primeiro capítulo do livro “Pensar localmente, agir globalmente” que inicia uma sequência de dez blocos temáticos organizados em capítulos. Percebe-se um livro organizado com enorme acuidade e afeto e que, certamente, deverá habitar nossas bibliotecas principalmente em cursos focados em Economia, Gestão, Planejamento, Administração, Política e Cidadania.

Macedo é enfático quando defende que “um padrão de competitividade mundial em nossa indústria […] só será possível mediante uma profunda mudança cultural para a inovação e se nós empresários desempenharmos o papel de protagonistas do desenvolvimento.” E, nesse ponto, lembra os padrões de competitividade da economia local é sustentado, na últimas décadas “com base em indústrias intensivas em mão de obras e este modelo precisa ser repensado.” Uma sucessão de argumentos a favor da qualificação do profissional e, assim, de uma indústria com base em tecnologia e em marcas acaba apontando para a única saída: “isto só será possível se tivermos um ensino realmente de qualidade e adotarmos em todas as atividades o princípio da meritocracia e o respeito aos valores da cidadania.” Sua preocupação coma educação e recorrente bem como na criação de uma rede de circulação de informação sem a qual o conhecimento ficará represado. 

Some-se a isso, a defesa da criação de oportunidades de trabalho em segmentos de inovação tecnológica, fator de diferenciação e de competitividade.

No plano da reorganização do Estado, o autor defende a urgência da reforma Política, que criarás condições objetivas para todas as outras reformas. “Em função disso, tenho defendido a necessidade de um posicionamento consciente em favor do voto de qualidade para expurgar da vida pública os políticos traidores da política.”

Experiente e com um evoluído feeling premonitório, Macedo vaticina, fazendo coro com os brasileiros politizados, que “expurgar da vida pública os políticos corruptos requer a eliminação das práticas corruptoras.” Quando escreveu isso, 28 de julho de 2010, o autor parecia sentir o cheiro do escândalo que corrói a credibilidade da instituição Petrobras. E propõe, no mesmo ensaio, a eleição de candidatos aferidos nos 3Cs: caráter, Compromisso e Competência. “Precisamos ser criteriosos na avaliação das pessoas que pretendemos apoiar”.

A análise de Macedo rastreia em 360 graus as variáveis do Estado brasileiro que agonizam como problemas crônicos. Ele escreve: “A fragilidade da nossa consciência cidadã ainda nos faz tolerar as mazelas que resultam das insuficiências da educação básica, dos problemas de mobilidade urbana, das ineficientes políticas de segurança e da má qualidade de outros serviços públicos essenciais.” Assim, não faltaria também a crítica, com segura propriedade, ao chamado custo Brasil que rouba a competitividade das empresas e, em especial, da indústria, e coloca o país em posição desvantajosa neste ranking global. Assim, sobre o aumento de impostos e outras de contribuição ele enfatiza que é “[…] injusto colocar nos ombros do empresariado a responsabilidade de tapas os buracos criados pelos desvios dos recursos públicos, do empreguismo, agravados pela incompetência de muitos ocupantes das funções que exercem, tornando o custo Brasil um dos mais altos do Planeta.”

Como se vê, Roberto Macedo estimula, com suas ideias e texto fluente, objetivo e sem vícios de estilo, uma leitura prazerosa ao mesmo tempo em que nos alinhamos com um empresário de criticismo argumentado, baseado em fatos, sem nenhum panfletarismo. Muitas vezes ele fala o que o Governo-Estado não quer ouvir, este tão acostumado à medieval bajulação. Macedo mostra que desenvolvimento se faz com educação, ações de cidadania e, mais que isso, com conhecimento aplicado, inovação, tecnologia, criticismo, colaboracionismo e participação.

O prazer de comentar seu livro reside, principalmente, na provocação para que mais pessoas possam ter acesso ao seu conteúdo. O livro de Macedo é um libelo à autonomia, à liberdade e ao republicanismo, tudo tão em falta no Brasil. Que este livro habite em cada uma das nossas bibliotecas dos cursos de graduação no Brasil para potencializar o pensamento crítico expressos na tese e na prática coerente do autor.

Roberto Macedo é herdeiro exemplar de uma arrojada linhagem de empreendedores e inovadores que nos remete ao patriarca Jose Macedo, sempre à frente do seu tempo.

* Luís-Sérgio Santos,

Jornalista.

João Vitor, o “nerd” do Enem, é atração em programa global

394 1

oavitgor

Eis João Vitor, aluno da Escola de Ensino Médio Governador Adauto Bezerra, que acertou 172 questões das 180 que compõem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O equivalente a 95,5% de acertos. Ele é um dos convidados, ao lado de sua mãe, Ana Maria, do programa Encontro, de Fátima Bernardes, na Globo.

João Vitor deu entrevista e mostrou ser exemplo de inteligência e simplicidade. 

* Leia a matéria do O POVO que deu dimensão ao sucesso de João Victor aqui.

* Todo mundo já falou e já fez festa para João Vitor. O Governo do Estado, nada.

Comércio de Fortaleza espera movimentar R$ 325 milhões em compras natalinas

Saiu a Pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Natal, realizada pela Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio). Os dados revelam que 63,3% dos consumidores irão às compras, movimentando R$ 325 milhões no comércio varejista local. O resultado da pesquisa projeta ainda um aumento de 6,5% sobre o valor faturado no ano passado (R$ 305 milhões), mantendo o Natal como a data comemorativa mais importante para o varejo de Fortaleza.

A clientela, segundo a pesquisa, deverá  comprar artigos de vestuário, com 59,3% das respostas, seguido de brinquedos (34,2%), calçados, cintos e bolsas (26,9%) e itens de perfumaria (16,6%). Mas o número de compras por consumidor caiu, quando comparado ao último ano, e apenas 28,2% dos consumidores comprarão mais de dois presentes.

O perfil dos entrevistados que respondeu afirmativamente sobre a intenção de compras mostra preponderância dos consumidores do gênero masculino (67,7%), do estrato etário entre 21 a 35 anos (70,5%) e renda familiar superior a seis salários mínimos (74,8%).

Márcio Araújo e Saymon Santos formam parceria no Circuito BB de Vôlei de Praia

cioaraujio

O atleta Márcio Araújo está com novo parceiro nas disputas pelo Circuito Banco do Brasil de Vòlei de Praia. Trata-se de Saymon Santos, natural do Matgo Grosso do Sul e que era atleta no Sub-21 .

Os dois, inclusive, já estão na disputa da quinta etapa do certame – do total de 10, que vai se estender até abril de 2015. Essa etapa ocorrerá, neste fim de semana, em Porto Alegre (RS).

“Nós estamos em sexto no ranking nacional”, adianta Márcio Araújo, confiante de recuperar espaços na competição.

Francisco Aguiar é reeleito presidente do TCM

chicoaguiarr
O conselheiro Francisco Aguiar foi reeleito, nesta quinta-feira, presidente do Tribunal de Contas dos Municípios. Coma unanimidade dos votos, ele cumprirá mais dois anos de mandato. Durante discurso de agradecimento, Chico Aguiar prometeu “prosseguir com o modelo de gestão compartilhada, além da definição de novas ações que ampliem a qualidade e a agenda de serviços do TCM no interesse da sociedade”.

Com ele, foram eleitos Ernesto Saboya como vice-presidente. O conselheiro Hélio Parente, que hoje dirige o Colégio de Corregedores e Ouvidores (CCOR) dos Tribunais de Contas do Brasil, teve o mandato renovado, também por dois anos, como corregedor do tribunal.

Alô, Prefeito! O Centro de Especialidades Médicas está fechado há um ano

O Centro de Especialidades Médicas José de Alencar (CEMJA), localizado na Praça José de Alencar, completa um ano sem atendimento ao público, nesta sexta-feira. O CEMJA foi fechado no dia 5 de janeiro de 2013 para realização de obras de reforma no prédio, atingido por dois incêndios sucessivos. Com o fechamento, cerca de 800 servidores, responsáveis pelos serviços administrativos e de atendimento especializado dos pacientes, foram lotados provisoriamente em postos de saúde e hospitais da rede municipal de Fortaleza e estão com seu adicional de produtividade ameaçado.

A reforma do prédio do CEMJA, no entanto, sequer teve início, lamenta o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort). “Uma situação que além de trazer grave prejuízo à população, provoca grande descontentamento entre os servidores, que aguardam o retorno a seu órgão de origem”, acentua a entidade.

Para denunciar essa situação, o Sindifort programou um ato de protesto para esta sexta-feira, a partir das 9 horas, em frente ao prédio do CEMJA.

Programa Água para Todos fecha em alta no Ceará

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=5_udEh_GBD8&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O Ministério da Integração Nacional está discutindo em Brasília ações para garantir o abastecimento de água nas comunidades rurais e, em especial, em localidades que sofrem coma seca.

O coordenador do Programa Água para Todos no Ceará, Wanderley Guimarães, participa desse encontro. Ele aproveita para fazer um balanço das ações do Água para Todos, iniciativa com apoio federal.

Gincana beneficiará Lar Torres de Melo

A Secretaria de Educação de São Gonçalo do Amarante e a Escola Municipal Alba Herculano encerrarão, nesta sexta-feira, mais uma etapa do Projeto Energia Verde, realizado com alunos do 6° e 7° ano do ensino fundamental da escola. A iniciativa contou com o apoio das termelétricas Energia Pecém e Pecém II e teve o objetivo de desenvolver ações de educação ambiental entre os estudantes, estimulando uma visão mais consciente e responsável em relação ao meio ambiente.

Para encerrar essa etapa do projeto, será realizada uma gincana com os alunos, na qual eles deverão juntar tampinhas de garrafa PET que serão doadas ao Lar Torres de Melo, e colaborar assim com a manutenção desse estabelecimento que acolhe idosos.

Os três alunos que juntarem mais tampinhas serão premiados. Essa mesma campanha de arrecadação de material reciclável em prol do Lar Torres de Melo é realizada também entre os colaboradores do Complexo do Pecém.

A CPMF e as contradições de Eunício Oliveira

91 3

Com o título “O Eunício de ontem e o de hoje”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser lido no O POVO desta quinta-feira. Ele expõe a contradição do senador Eunício Oliveria (PMDB) de estar contra a volta da CPMF que, proposta por Camilo Santana, governador eleito pelo PT cearense, quer pega os ricos. Confira:

O candidato derrotado ao governo do Estado, senador Eunício Oliveira, (PMDB) revelou feroz hostilidade à proposta de se voltar a cobrar a contribuição sobre a movimentação financeira (CPMF), para aumentar os recursos para financiar a saúde. A proposição partiu de Camilo Santana (PT), que venceu Eunício na recente disputa.

“A CPMF é um dos piores impostos que existe, é perverso, pois atinge inclusive a população mais pobre, hoje em dia, praticamente todo mundo precisa usar serviços bancários”, disse Eunício.

Vamos com calma. Se a única preocupação do senador for com os pobres, a resistência pode ser facilmente superada. Basta estabelecer um piso salarial ou de renda, abaixo do qual o correntista ficaria livre do imposto. Com a tecnologia disponível, a coisa mais fácil do mundo seria cruzar os dados bancários com os da Receita Federal.

Vou antecipar outro possível argumento contra o novo tributo: “No Brasil se paga muito imposto”. Meia verdade. Os pobres – incluindo a classe média média -, de fato, pagam muito imposto, enquanto os ricos são mimados nesse quesito.

No Brasil, a tributação é regressiva. Isto é, proporcionalmente à capacidade de contribuir, paga mais quem ganha menos. Um assalariado, por exemplo, não escapa da “mordida do leão”, porém a distribuição de lucros de empresas para pessoa física é isenta do Imposto de Renda.

E pagamento de imposto, ao contrário do que muita gente pensa, não se dá apenas via IR. No Brasil, o imposto pesa sobre o consumo, com o tributo embutido no preço do produto ou serviço. O mais justo, portanto, seria tributar mais a renda (em vez do consumo); o lucro, inclusive as remessas para o exterior; as heranças; as grandes fortunas.

Sou capaz de apostar que aquele Eunício pobre, assalariado, mostrado na campanha eleitoral, pagava muito mais imposto (proporcionalmente) do que o milionário Eunício atual. O Eunício de hoje não precisa do hospital público, mas o de ontem devia precisar. E é nele que se exige pensar.

Plínio Bortolottiplinio@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Líder do Pros rebate críticas de petista à reforma administrativa do prefeito

88 1

márcio cruz

“É ignorância, má-fé ou oportunismo político o que move o vereador Ronivaldo Maia, no momento em que vem fazer ataques à proposta de reforma administrativa que foi enviada pelo Poder Executivo à Câmara Municipal”. Reagiu assim o vereador Mário Cruz, líder do PROS, ao comentar o artigo do seu colega, o vereador petista Ronivaldo Maia, publicado neste Blog. Ronivaldo diz que a reforma é para criar mais cargos comissionados.

De acordo com o vereador, que é da base de apoio ao prefeito Roberto Claudio, a proposta de reforma está sim em obediência ao que foi a primeira orientação dada pelo prefeito, ao contratar a consultoria da Fundação Dom Cabral: que a Reforma Administrativa não acrescesse um real sequer no custeio da máquina administrativa de Fortaleza. “O que está amplamente contemplado na mensagem enviada ao Poder Legislativo”, acentua Márcio Cruz.

Ele também contestou o argumento do vereador Ronivaldo Maia de que na primeira reforma, enviada em janeiro de 2013, houve aumento de salário dos secretários municipais. “Essa afirmação é, mais uma vez, declaração explícita de ignorância ou má-fé, principalmente partindo de quem conhecia a administração municipal nas suas entranhas na gestão anterior, como é o caso do vereador que era líder da ex-prefeita. Na atual gestão, podemos afirmar que combatemos e eliminamos um ciclo clientelista que nos pareceu ser a tônica da gestão passada. Claro que a estatura moral do vereador, que já se declarou pobre na forma da lei, burlando qualquer senso de ética, que foi indiciado por crimes contra a administração pública, praticando clientelismo com imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida, deve fazê-lo crer e imaginar que atacando um governo sério e comprometido com os reais interesses públicos, consiga anistiar-se de sua conduta nada qualificada”, afirmou, destacando que os cargos criados na atual gestão dizem respeito à função de coordenadores pedagógicos, cargos que não existiam e que eram funções ocupados por apadrinhados políticos na gestão passada.

“Se o vereador Ronivaldo não alcança, na sua torpe e embaçada visão, a real interpretação do que seja uma proposta que busca tornar a administração pública mais eficiente, ágil e eficaz, só nos resta ter a paciência de explicar e relevar a miopia política e a baixa estatura moral de quem assaca as mais infundadas críticas, querendo sugerir interesses enviesados e eleitoreiros. Para quem foi eleito pelo povo, com a nobre tarefa de representa-lo, devendo ser movido por interesses republicanos, é de lamentar-se que, bem em sintonia com o que querem algumas viúvas das tetas municipais, escalar e impor um antecipado debate eleitoral mais do que extemporâneo e que se configura num extremo desserviço aos interesses de nossa cidade”, afirma.

“Para que serve essa nova reforma? A resposta, vereador Ronivaldo Maia, é que Fortaleza precisa proteger-se, ganhar imunidade, de forma contínua e crescente, contra as práticas clientelistas e nefastas tão arraigadamente incorporadas pelo exercício que o colega parlamentar protagonizou quando esteve alinhado com a administração municipal”, complementou Márcio Cruz.