Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Choveu em 75 municípios até agora

Atualização – 11h46min

Choveu, até as 12 horas desta segunda-feira, em 75 municípios cearenses. A informação é da Funceme. Confira as 10 maiores chuvas:

Beberibe (Posto: Lagoa Funda) : 76.0 mm

Beberibe (Posto: Sitio Forquilha ) : 67.0 mm

Caucaia (Posto: Tucunduba) : 54.0 mm

Itaiçaba (Posto: Itaicaba) : 44.4 mm

Guaiúba (Posto: Carrapateira) : 43.0 mm

Nova Russas (Posto: Nova Russas) : 41.4 mm

General Sampaio (Posto: General Sampaio) : 41.0 mm

Beberibe (Posto: Beberibe) : 41.0 mm

Morada Nova (Posto: Aruaru) : 37.0 mm

Cascavel (Posto: Cascavel) : 35.0 mm

 

Camilo Santana sinaliza com promoções para a Polícia Militar

De olho em “apaziguar” ânimos na Polícia Militar do Estado, Camilo Santana (PT) dedicou suas primeiras horas como governador para tratar da agenda de promoções da corporação. Uma das principais reivindicações dos PMs cearenses, a pauta foi foco da 1ª reunião entre o petista e o novo secretário de Segurança, Delci Teixeira. O governador tirou primeiros dias no cargo para reuniões internas e com o titular da Saúde, Carlile Lavor. 
“Definimos prioridades, destacando compromissos de campanha, sobretudo com os PMs, principalmente as promoções. E o secretário ficou de ver isso logo”, disse, em entrevista ao O POVO, o Chefe de Gabinete do governador, Élcio Batista. Segundo ele, Camilo também pediu que fosse feito estudo da média salarial de PMs do Estado. A reunião ocorreu neste sábado.
Questão da agenda de promoções foi dos temas mais explorados na campanha. Na disputa, o adversário de Camilo, Eunício Oliveira (PMDB) criticou “congelamento” na promoção de praças e oficiais e prometeu ações “imediatas”. Sob ataque, Camilo também prometeu se comprometer com a pauta. 

Embora ainda inicial, a adoção da discussão logo na primeira reunião do governador tem simbolismo político. Nos últimos dias, Camilo tem sinalizado a prioridade de diálogo com a PM, após anos turbulentos de Cid Gomes (Pros) com a corporação.

Em novembro passado, Cid sancionou lei que prevê promoções até fevereiro deste ano. A reportagem tentou entrar em contato com a Secretaria de Segurança, mas não obteve resposta.”

(O POVO) 

Com bancada sindical reduzida, trabalhadores temem retrocesso

“Com a menor bancada sindical no Congresso Nacional desde 1988, quando 44 sindicalistas compunham a representação no Legislativo, segundo levantamento do Sindicato de Servidores Públicos Federais (Sindsep), trabalhadores temem o retrocesso de direitos adquiridos ao longo dos últimos anos. O número de representantes da categoria no Legislativo caiu pela metade, de acordo com os resultados das urnas em outubro, e passará dos atuais 83 parlamentares para 46 a partir do próximo ano.

Por outro lado, a bancada empresarial que defende interesses de diversos setores manteve composição significativa na Câmara e no Senado, apesar de perder mais de 50 representantes na próxima legislatura. Os empresários passarão dos atuais 246 parlamentares para 190 no dia 1º de fevereiro.

Todos os números no Congresso podem mudar com as definições do Planalto sobre os cargos no Executivo, mas, ainda que nomes sejam cotados, o equilíbrio de forças dificilmente será alcançado. Do lado dos sindicalistas estão outros setores considerados vulneráveis como os movimentos indígenas e a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e travestis).

Diante dos resultados das urnas, especialistas do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) concluíram que a nova composição do Congresso é a mais conservadora desde 1964, pelo número de parlamentares eleitos ligados a segmentos militares, policiais, religiosos e ruralistas. O analista político do Diap, Antônio Augusto de Queiroz, prevê que com essa composição, a tendência é que “algumas conquistas, como a garantia dos direitos humanos, sejam interrompidas ou até regridam ”.

Levantamento do Diap mostrou, por exemplo, que, enquanto nenhum dos candidatos que se autodeclarou indígena foi eleito para a Câmara dos Deputados, a bancada ruralista cresceu. Números da Frente Parlamentar da Agropecuária revelam que os representantes do setor passarão dos atuais 14 senadores e 191 deputados para 16 senadores e 257 deputados.”

(Agência Brasil)

Quando a notícia deveria virar segundo plano…

foto cetv 150101 agressão

O espancamento de uma mulher, durante a gravação de uma matéria exibida em telejornal da Verdes Mares, na quinta-feira (1º), ganhou as redes sociais. É que a reportagem não percebeu a agressão e mostrou somente a sujeira provocada pelo Réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema.

Nas imagens ao fundo, um homem empurra uma mulher e passa a agredi-la com chutes, inclusive na cabeça. Durante a apresentação da matéria, nenhuma menção ao fato.

O Blog apurou que a vítima não procurou o 2º Distrito Policial (Aldeota), delegacia da área, tampouco prestou queixa na Delegacia da Mulher. A Polícia agora procura identificar o agressor.

Petrobras nega criação de empresas de papel para construção de gasoduto

Por meio de nota divulgada neste domingo (4), a Petrobras rebateu denúncia publicada pelo jornal O Globo, na edição deste domingo, que a petroleira criou empresas de papel para construir uma rede de gasodutos no Nordeste.

Na reportagem, o jornal diz que uma auditoria do Tribunal de Contas da União concluiu que o contrato assinado em maio de 2005 entre a Transportadora Gasene, constituída pela Petrobras para tocar as obras, e a Domínio Assessores, mostra que esse escritório de contabilidade teria características de empresas de fachada.

As duas empresas aparecem no contrato com o mesmo endereço: Rua São Bento, no quinto andar de um prédio no centro do Rio. O próprio contrato menciona que o escritório de contabilidade “concordou em fornecer à contratante um endereço para abrigar sua sede”.

Segundo a nota, a parceria para a construção do Projeto Gasoduto do Nordeste – Gasene foi constituída por meio de um project finance (projeto estruturado), elaborado pela área financeira da Petrobras, entre 2004 e 2005, com objetivo de captar recursos para a construção do gasoduto. A empresa disse que foi criada uma Sociedade de Propósitos Específicos, a Transportadora Gasene, de caráter privado, com objetivo de contratar os financiamentos, construir e operar o Gasene.

“A Transportadora Gasene, constituída pelo Santander, banco estruturador do project finance, tinha como acionistas a Gasene Participações com 99,99% e 0,01% o Sr. Antonio Carlos Pinto de Azeredo. Por sua vez, a Gasene Participações tinha como acionista um trustee (PB Bridge Trust 2005) e 0,01% o Sr. Antonio Carlos Pinto de Azeredo, administrador da empresa Domínio, que prestou serviços de contabilidade e administração tributária para SPE [Transportadora Gasene] e que também foi contratado pela Transportadora Gasene para ser o Presidente da Empresa”, diz trecho da nota divulgada à imprensa.

A Petrobras disse que “conforme acontece nas estruturas financeiras do gênero, a SPE (Transportadora Gasene) não tem qualquer ligação societária com a Petrobras”.

(Agência Brasil)

“A semente dará bons frutos, com certeza”

576 2

foto camilo e mãe ermengarda

Em publicação no O POVO deste domingo (4), a colunista Sônia Pinheiro revela carta da mãe de Camilo Santana, Ermerngarda Santana, quando da escolha do filho para disputar o governo do Estado. Confira:

Sou de família chorona. Meu pai sempre chorava ao ouvir o Hino Nacional ou o concerto para violino de Mendelssohn ou a sonata “Au clair de la Lune”, de Beethoven, e outras coisas mais. E foi chorando que ouvi o telefonema emocionado do meu filho Camilo, anunciando que fora escolhido para ser o candidato a governador.

Era um choro, uma emoção, cheios de significados. Uma mistura de orgulho, de medos, de felicidades, de perplexidades. E choveram telefonemas, mensagens, e-mails, parabenizando-me e me chamando de “Mãe do Governador”.

Será que serei mãe do futuro governador? Será que terei esse privilégio? Será que os amigos, quais sibilas ou pitonisas modernas, estão prevendo um futuro promissor?

Governar um Estado é algo muito sério. Não pode partir de um ato de voluntarismo, por vaidade pessoal ou para acumular mais títulos ou mais poder. Tem que representar um Projeto Político de um coletivo, de um partido, de um povo. Tem que surgir da necessidade de uma liderança que encarne esse projeto pela sua trajetória de vida.

Emocionados, eu e Eudoro concluímos – se educamos o Camilo (terceiro dos nossos quatro filhos) para ser um homem de bem, um cidadão engajado, participativo, respeitador da coisa pública, acreditando no valor da ética, da honestidade, do conhecimento, respeitando as diferenças, valorizando os méritos, acreditando no partido político não como abrigo da canalhice, mas da generosidade, da fraternidade, da humildade, do colocar-se a serviço dos outros – reunimos nele todas as qualidades objetivas para ser um bom gestor. A semente dará bons frutos, com certeza.

Camilo nasceu num cenário de rebeldia internacional: 1968 foi o ano das “barricadas de maio”, na França, da vitória do pequeno Vietnã sobre o poderoso Tio Sam, da passeata dos 100 mil em protesto à ditadura no Brasil e de muitos outros acontecimentos que marcaram aquele mundo em efervescência. Além disso, o Camilo cresceu num cenário familiar também de rebeldia: éramos contra a ditadura e a nossa casa era um centro de resistência ao arbítrio, de indignação contra as injustiças sociais, de repulsa à violação das liberdades.

A defesa dos direitos humanos, o engajamento político, era o dia a dia do menino Camilo que adormecia embalado pelo canto de protesto do Chico Buarque e do Vandré. A minha geração foi abortada nos seus ideais pelo Golpe de 64. É uma geração traumatizada por ter sido ceifada na força da idade. Muitos capitularam diante de um cotidiano perverso, mercantilista, consumista, desumano.

Palavras como humanismo, transparência, justiça social, bem comum, participação, parecem abstrações e a crueza dos fatos levaram muitos à desesperança. Que voltemos a acreditar nos sonhos. “O sonho comanda a vida “…” que sempre que o homem sonha, o mundo avança”, já dizia o poeta… Não pode existir política sem sonho, sem utopias. Mas “a vida é sonho, e os sonhos são” (Calderón de la Barca). Os sonhos, as utopias, são irrealizáveis, bem o sabemos, mas se constituem faróis que iluminam caminhos, os caminhos que percorrerão os sonhadores.

Acredito que o Camilo, pela sua formação, pelo seu caráter, pela sua visão de mundo, realizará uma grande gestão por entender que ser gestor público é estar a serviço das pessoas, é ouvir as pessoas, é se colocar no lugar das pessoas, humildemente, construindo de forma compartilhada um lugar para essas pessoas. E principalmente porque acredita nos sonhos, porque eu lhe ensinei a sonhar… Fazer do Ceará um Estado melhor, um lugar mais justo, mais igual, mais fraterno, mais compartilhado nas riquezas que produz e mais solidário, é o que todos nós sonhamos. É o que sonha uma “candidata” a mãe de governador…

Brechas para a corrupção na Petrobras teriam aumentado a partir do governo FHC, diz colunista

165 6

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (4):

Junto com a cobrança pela punição rigorosa de corruptos e corruptores, no escândalo da Petrobras (e Dilma prometeu apoio total às investigações), foi detectada uma articulação paralela de forças que sempre foram contra a estatização do petróleo e que agora pretenderiam aproveitar os problemas atuais da empresa para conseguir seu intento.

“Temos muitos motivos para preservar e defender a Petrobras de predadores internos e de seus inimigos externos” – advertiu Dilma. “Não podemos permitir que a Petrobras seja alvo de um cerco especulativo dos interesses contrariados com a adoção do regime de partilha e da política de conteúdo local, que asseguraram ao nosso povo, o controle sobre nossas riquezas petrolíferas (…) A Petrobras é maior do que quaisquer crises e, por isso, tem capacidade de superá-las e delas sair mais forte”.

Acertou no alvo: a privatização da Petrobras e a revogação da exigência de certa proporção de conteúdo nacional na aquisição de bens ou serviços públicos já começaram a ser mote em certos meios entreguistas.

Cobrar responsabilidades de gestores atuais, se tiverem sido lenientes com a governança da Petrobras, é justo. Práticas de corrupção na área, no entanto, atravessaram governos, inclusive, os da ditadura.

Contudo, as brechas para a corrupção teriam aumentado a partir do governo FHC, quando foi votada a Lei 9478/97, que dispensou praticamente licitações na Petrobras. Ter fechado os olhos a essas brechas e tolerado tanta autonomia administrativa para diretores, individualmente, foi imperdoável.

Dilma promete reformulação criteriosa na governança da estatal. Mais: impedir que o mercado financeiro se aproveite da situação e abocanhe não apenas o pré-sal, mas, a Petrobras inteira (um objetivo longamente acalentado).

Todo cuidado é pouco.

Facebook vai usar novas regras de privacidade e anúncios a partir deste mês

A partir do dia 30 deste mês, o Facebook, maior rede social do mundo, vai passar a adotar novas regras relacionadas à privacidade dos usuários e à oferta de anúncios publicitários. A empresa poderá obter mais informações sobre quem a acessa, a partir de dados coletados por produtos que também são do Facebook, como Instagram e WhatsApp. Até mesmo o nível de bateria do celular e a força do sinal da operadora utilizada serão conhecidos pelo Facebook.

Na página criada  para explicar as novas regras, o Facebook aponta que as mudanças objetivam melhorar a experiência dos usuários com a rede e garantir maior controle por parte deles. Assim, quem visualizar um anúncio poderá saber os porquês da publicidade ter aparecido na sua página clicando na lateral da própria imagem. O internauta também poderá se negar a receber informações de determinados anunciantes, ação que valerá tanto para o dispositivo que está usando naquele momento quando para os demais, como celulares, tablets e computadores.

A mudança tornará a oferta de produtos e serviços mais personalizada. A principal ferramenta para isso está relacionada à geolocalização. Os check-ins feitos pelos usuários quando estão em ruas, estabelecimentos comerciais e outros locais poderão ser usados para o Facebook mostrar informações de estabelecimentos e amigos próximos. Além disso, a empresa está testando a opção “Comprar”, para que produtos sejam adquiridos na própria rede.

Para quem não imagina mais o cotidiano sem as redes sociais, a dica é conhecer as regras, optar por alterar suas configurações de privacidade e evitar se expor em excesso. É o que diz o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), que criou uma página com dicas de segurança. Cuidados com as senhas, uso de criptografia, limpeza do histórico do navegador e atenção na hora de liberar acesso aos dados por aplicativos são algumas das ações que podem ser feitas por um usuário qualquer, mesmo sem conhecimentos aprofundados sobre a rede mundial de computadores.

(Agência Brasil)

Heitor diz que secretariado de Camilo é político e não técnico

232 6

heitorrferrrer

Para o deputado estadual do PDT, Heitor Férrer, o secretariado de Camilo Santana manteve a “espinha dorsal do governo Cid Gomes”, o que, segundo o parlamentar, deverá comprometer as ações da administração estadual iniciada na quinta-feira (1º).

“Não é fácil compor um secretariado com tantas amarras a partidos que dão apoio político e administrativo, com imposição de nomes e condições. Além dessas amarras, o futuro governador Camilo Santana tem profundas amarras ao seu antecessor, obrigando-se a contemplá-lo, como o fez tão benevolentemente. Daí, estarmos diante de um secretariado político e pouco técnico, com raríssimas exceções”, comentou Heitor, em enquete no O POVO deste domingo (4).

O parlamentar, apesar do “quadro político” no secretariado, disse que torce pela inovação das políticas públicas e sugere que os aliados “acomodados na máquina pública” sejam assessorados por bons técnicos.

Braille aumentou a inclusão de cegos na sociedade

Há 188 anos, um jovem francês inventou um sistema de leitura especial e contribuiu para a formação e inclusão de milhões de pessoas pelo mundo. Louis Braille é seu nome e seu sistema, comemorado neste domingo (4), permitiu que cegos, como ele, pudessem ter acesso ao universo da leitura e do conhecimento.

A Fundação Dorina Nowill, localizada em São Paulo, é uma das entidades que difundem a leitura do braille no país. Ela produz e distribui livros em braille e livros em áudio para bibliotecas e organizações do Brasil. Além disso, prepara deficientes visuais para serem independentes e terem condições de conquistar  espaço no mercado de trabalho.

Na opinião de Regina Oliveira, coordenadora na fundação, o braille teve um papel muito importante na inclusão de cegos na sociedade. De acordo com ela, as pessoas até o século 19 não tinham acesso à leitura e ficavam confinadas em sua própria casa ou internadas em asilos para pessoas com problemas mentais.

“Com o braille as pessoas cegas passaram a ter acesso ao conhecimento, à cultura, ao lazer, à informação e, a partir desse conhecimento, elas puderam desenvolver a própria consciência, a pensar por si mesmas, e passaram a ter uma vida de cidadãos”, completou ela.

Com o passar do tempo, novas formas de acesso à informação são elaboradas para auxiliar pessoas cegas. Além do braille, existe o áudio livro e formatos digitais, que mostram as letras ampliadas (para quem tem visão subnormal) com auxílio de áudio. Na opinião de Regina, o braille não perde importância com a criação de novos formatos. Para ela, todos os formatos que auxiliam pessoas cegas se complementam.

(Agência Brasil)

O maior caso de corrupção na história deste país

Em artigo no O POVO deste domingo (4), o presidente da Federação das Associações dos Advogados do Estado de São Paulo (Fadesp), Raimundo Hermes Barbosa, questiona a postura do juiz Sérgio Moro, que “já deu demonstrações de autoritarismo ao prender suspeitos, atropelando regras processuais” no esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas da Operação Lava Jato. Confira:

Desde março passado, quando a Polícia Federal fez série de prisões para desmontar esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, a Operação Lava Jato tornou-se um dos casos mais discutidos do Brasil. Não é para menos, afinal, segundo as autoridades que investigam o caso, o esquema movimentou cerca de R$ 10 bilhões e, atualmente, já falam em quantias superiores. Entre os delitos cometidos estão: tráfico internacional de drogas, desvios de recursos públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas e corrupção de agentes públicos.

Segundo a investigação, diretores da Petrobras fraudavam contratos com fornecedoras para obter propina, que era encaminhada a executivos da companhia e partidos políticos. Aproximadamente dez meses após o início da operação mais de 20 pessoas foram presas, sendo que a maioria é de executivos de empreiteiras com contratos firmados com a Petrobras, porém, de acordo com as investigações.

Certamente um dos maiores casos de corrupção na história do país, que está sendo conduzido pelo juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal no Paraná. Trata-se de profissional capacitado, que reúne conhecimento acadêmico e habilidade técnica para conduzir processo tão vultoso. Por outro lado, meios usados por Moro para obter provas são motivo de controvérsia e alguns acabaram sendo derrubados por instâncias superiores.

O magistrado também já deu demonstrações de autoritarismo ao prender suspeitos, atropelando regras processuais. Todavia, ressalta-se que, os vários questionamentos por parte dos advogados dos suspeitos envolvidos na Lava Jato, tem provocado a revogação de algumas de suas decisões, basta ver a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavaski que colocou em liberdade o acusado Renato Duque. Na Lava Jato ressurgiu a polêmica sobre o uso da delação premiada – instrumento pelo qual um acusado se compromete a indicar onde e como obter provas contra outros envolvidos em troca da redução da pena. Até onde se sabe, ao menos nove pessoas, entre doleiros, funcionários públicos e executivos, já aceitaram colaborar no caso em troca da delação.

A Justiça Federal negou o acesso à CPI da Petrobras e ao Palácio do Planalto às delações feitas pelo doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, responsável pela investigação de parlamentares e outros suspeitos com foro privilegiado, também negou à CPI da Petrobras o acesso às delações. A verdade é que, caso comprovado o envolvimento de deputados e senadores do alto escalão da política nacional, a Operação Lava Jato trará consequências nunca antes vistas na história deste país, superando o escândalo do mensalão e denegrindo ainda mais a imagem do Brasil mundo afora.

Cabe a Sérgio Moro, respeitando o devido processo legal e a ampla defesa, à responsabilidade de conduzir o caso no Poder Judiciário e a todos nós, brasileiros, fiscalizarmos seu andamento, bem como exigirmos que a justiça seja feita, condenados sejam exemplarmente punidos e que tais penas sejam integralmente cumpridas.

Chuvas revelam sujeira de ligações clandestinas de esgotos na Beira Mar

fotos beira mar esgotos 150103

O coordenador do grupo Amigos da Beira Mar, Tadashi Enomoto, lamentou os estragos da chuva desse sábado (3) na área. Segundo o coordenador, o maior problema são os esgotos clandestinos, que estouram nas chuvas.

“Esgotos jorrando para o mar. Triste demais. Temos que procurar os infratores… um absurdo!!! O prefeito só poderá fazer a obra da Nova Beira Mar, quando resolver esta questão dos esgotos, que permanece há mais de 20 anos. Até agora, ninguém conseguiu apresentar solução para a situação seríssima”, disse Enomoto.

Vamos nós – Segundo a Prefeitura de Fortaleza, um trabalho de verificação clandestina de ligação de esgotos na rede de drenagem está em andamento. No caso da Beira Mar, ocorre o contrário. É a rede de esgoto que recebe água da drenagem, também em ligação clandestina. Quando chove, o problema se agrava. Quase sempre, o problema ocorre próximo à ligação clandestina.

(Fotos: Tadashi Enomoto)

Sindicato dos Médicos aprova Carlile Lavor no governo Camilo

josemariapontes

Para o presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, a escolha do sanitarista Carlile Lavor para a pasta da Saúde mostra que o governador Camilo Santana está preocupado com o futuro do SUS no Ceará.

“Doutor Carlile sempre se mostrou um gestor de diálogo, conhecedor profundo do SUS, muito querido por onde passou e que agora vai enfrentar um grande desafio, pois encontra uma saúde pública em crise e com um orçamento bem abaixo do que requer a área”, afirmou Pontes, em enquete no O POVO deste domingo (4).

Para o sindicalista, a qualificação da Saúde no governo Camilo deverá passar por um investimento em recursos humanos, concurso público, carreira de estado, salários compatíveis e condições dignas de trabalho.

Dilma foi obrigada a compor-se com segmentos resistentes ao projeto de transformação social

101 3

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (4):

A agonia vivida pelos que apoiaram a recondução da presidente Dilma Rousseff, ao vê-la ser obrigada, pelo presidencialismo de coalizão, a compor-se com segmentos resistentes ao projeto de transformação social não foi pouca. O alívio veio quando se fizeram ouvir as palavras cortantes da presidente na posse: “Fui reconduzida à Presidência para continuar as grandes mudanças do país e não trairei este chamado. O povo brasileiro quer mudanças, quer avançar, quer mais. É isso que também quero! (…) Assim como provamos que é possível crescer e distribuir renda, vamos provar que se pode fazer ajustes na economia sem revogar direitos conquistados ou trair nossos compromissos sociais.” Como se vê, a presidente parece disposta a encarar as feras na arena em que foi atirada. A conferir.

O incômodo dos eleitores de Dilma com o espaço dado, no ministério, aos representantes dos segmentos conservadores é real. O consolo, para alguns, é de que poderia ter sido pior, se as forças neoliberais tivessem vencido a eleição, pois aí então o conservadorismo prevaleceria sem restrições, e o modelo de desenvolvimento inclusivo seria totalmente varrido. As concessões a segmentos das forças tradicionais seriam uma tentativa de diluir mais o ímpeto das investidas da extrema direita golpista (que quer desestabilizar o governo), bem como conter a pressão dos que querem entregar tudo aos mercados. Pode-se não concordar, mas o argumento tem lógica.