Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Milicianos e militantes

177 7

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (12):

Cid Gomes e Ciro Gomes têm sido constantes ao acusar a existência de uma milícia na Polícia Militar do Ceará. Há um risco nesse comportamento. Se há uma milícia, a responsabilidade de desbaratá-la é do Governo. Caso exista um grupo criminoso fardado e ficar apenas na acusação, é sinal de que o Governo perdeu o controle da tropa. Do ponto de vista político, um tiro nos dois pés.

No dia da eleição, o governador Cid Gomes, deu uma declaração que reforça esse ponto vista. Ao tratar da prisão de um militante político em Sobral, o governador proferiu a seguinte declaração: “(A prisão é o reflexo da) milícia que começa a tomar posse do aparelho de segurança do Ceará”. Se o governador estiver certo, o próprio precisa tomar uma atitude para manter a amplitude da tropa na legalidade. Tropa esta que, constitucionalmente, está sob seu comando.

No Brasil, o que se conhece por “milícias” são os grupos formados por policiais na ativa e/ou ex-policiais, “que disputam territórios com traficantes para substituí-los no domínio despótico que impõem a comunidades inteiras” (da lavra do antropólogo e Luiz Eduardo Soares, um estudioso da segurança pública). Será esse o caso do Ceará?

Marina Silva declara apoio à candidatura de Aécio Neves

96 1

Derrotada no primeiro turno das eleições presidenciais, Marina Silva (PSB) anunciou neste domingo (12) apoio ao candidato do PSDB, Aécio Neves. Segundo Marina, a posição foi decida após o tucano assinar uma carta se comprometendo com uma série de pontos considerados vitais pela sua coligação. “Entendo esse documento como uma carta compromisso com os brasileiros, com a nação. Rejeito qualquer interpretação que seja dirigida a mim em busca de apoio”, disse sobre o documento que foi entregue por Aécio nesse sábado (11), no Recife.

Entre os pontos acordados está o compromisso com a reforma agrária, o fim da reeleição e a elaboração de um projeto de lei que transforme o Bolsa Família em política de Estado. “Compromissos avançados com a educação, assumindo a educação em tempo integral, que Eduardo Campos tanto se esforçava para mostrar que fez a diferença na qualidade do ensino em Pernambuco”, acrescentou, durante o pronunciamento sobre os termos do documento.

Também faz parte do compromisso assinado pelo tucano uma série de pautas sócioambientais, como o fim do desmatamento e a manutenção da prerrogativa do Executivo na demarcação de terras indígenas. “Inédita determinação de preparar o país para as mudanças climáticas e fazer a transição para uma economia de baixo carbono, assumindo protagonismo global nessa área”, elogiou a ex-ministra do Meio Ambiente.

Marina ressaltou que sua decisão foi tomada após todos os partidos de sua base de apoio manifestarem as posições, em sua maioria, favoráveis a Aécio Neves. “A minha posição neste momento tem um lastro daqueles que me empoderaram para liderar a campanha política no primeiro turno. E respaldada por esse lastro, após conversar com muitas pessoas, refleti sobre o momento importante que o nosso país está vivendo”.

Sobre a campanha, a ex-senadora voltou a reclamar do tom das críticas recebidas no primeiro turno. “Não podemos mais continuar apostando no ódio, na calúnia, na desconstrução de pessoas e propostas apenas pela disputa de poder que divide o Brasil”, destacou.

(Agência Brasil)

Tasso reúne milhares em evento na Praça Portugal

80 7

eleições 2014 2t psdb tasso aécio pça portugal 1

O coordenador da campanha Aécio Neves no Nordeste e senador eleito pelo Ceará, Tasso Jereissati, reuniu neste domingo (12) milhares de militantes na Praça Portugal e no entorno, no bairro Aldeota, em uma manifestação pró-Aécio à Presidência da República.

Tasso disse que o Brasil e a juventude brasileira voltarão a se orgulhar da ética e da honestidade. “Viemos aqui lutar para que o governo brasileiro deixe de ser uma quadrilha. A história do Ceará foi construída pela honestidade e pelo trabalho. E o cearense não aceita mais esta situação”, ressaltou o senador eleito, que assegurou que a pobreza não mais ficará refém de um sistema que não a permite o crescimento social.

eleições 2014 2t psdb tasso aécio pça portugal 2

Entre os presentes estavam o deputado federal reeleito Raimundo Gomes de Matos, o deputado estadual eleito Carlos Matos e a ex-candidata do PSB ao governo do Ceará, Eliane Novais. “O Brasil agora é azul, Tasso”, disse Eliane, ao cumprimentar público.

DETALHE – Como a Justiça Eleitoral proibiu o uso de som na manifestação, dezenas de jovens repetiam o que Tasso falava para que os demais pudessem ouvir. Segundo a organização do evento, mais de três mil pessoas estiveram presentes à manifestação

(Fotos: divulgação)

Dia das Crianças não é brincadeira nos shoppings

foto shopping dia das crianças

Quem deixou para comprar presentes para o Dia das Crianças neste fim de semana, nos shoppings de Fortaleza, foi obrigado a participar de várias brincadeiras.

A primeira delas foi esconde-esconde, quando motoristas demoraram quase uma hora para encontrar vaga no estacionamento. Depois foi a vez do pega-pega, quando muitos pais tentaram pegar nas prateleiras os mesmos brinquedos e produtos eletrônicos. Em seguida veio a amarelinha, quando muitos amarelaram de tanta espera nas filas dos caixas. Por fim, o trem fantasma, diante dos sustos na hora de somar a despesa.

Para os “sortudos” ainda teve uma “pacienciazinha”, na hora do engarrafamento ainda no estacionamento.

(Foto: Paulo MOska)

Onde estão os “indignados” de junho?

64 1

Da Coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (12), pelo jornalista Plínio Bortolotti:

Com a rapidez com que as informações transitam as “jornadas de junho” do ano passado parecem já ter uma década. O movimento que pôs em xeque a política e os políticos, que levou os jovens “indignados” às ruas, exigindo uma “nova ordem”, arrefeceu. Isso não quer dizer que tenha morrido, movimentos assim parecem ser surpreendentes como terremotos, que nenhum aparelho consegue detectar com precisão.

Mas qual foi a influência de tão espetaculoso movimento na campanha presidencial, ora no segundo turno?

A sua consequência mais sentida foi que antigos políticos apensaram à sua propagada o verbo “mudar”: Dilma “Muda mais” e Aécio “Mudança de verdade”. Marina tentou capitalizar o sentimento das ruas falando em “nova política”, porém seu coque evangélico e sua resistência em aceitar comportamentos que, hoje, ousam dizer o nome, estavam muito distantes de uma juventude que convive naturalmente com o amor entre iguais e arranjos familiares os mais diversos.

Luciana Genro, que abraça, sem embargo, causas “politicamente corretas”, mesmo negando, é também de um partido tradicional, por isso não escapou à pedreira crítica dos black blocs. E, anotem, se o Psol chegar ao governo nada fará nada de muito diferente do que faz, por exemplo, o PT – para o bem e para o mal. Vivemos em um mundo de predomínio capitalista; essa realidade costuma cobrar o seu preço, admitindo, no máximo reformas – e sob muita pressão. Para ir além disso, pelo menos na velocidade que os partidos (mais) à esquerda preconizam, seria necessário uma “revolução”. E, pelo menos os modelos vistos no século XX, desaconselham emulações.

Alguns analistas afirmam que as manifestações de junho não impediram, por exemplo, a votação expressiva de gente como Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Pastor Feliciano (PSC-SP), retrógrados ao ponto de terem como principal política a especulação sobre o que os outros fazem na cama. Mas fato é que também tiveram votação vigorosa, por exemplo, os candidatos Jean Wyllys (Psol-RJ) e Manuela d´Avila (PCdoB-RS), pregadores do liberalismo comportamental (não confundir comportamento com economia).

Continua portanto o mistério: onde se esconderam os ativistas de junho?

Em favor deles, é preciso lembrar que, exceto alguns poucos exemplos, o “mercado político” oferece poucas opções aos divergentes, portanto o eleitor é obrigado a votar no que se lhe dispõe à frente. Entre os presidenciáveis – e mesmo entre os candidatos proporcionais – quem poderia arvorar-se representante das jornadas de junho? Mesmo porque o movimento recusava a qualquer liderança.

Então, será que, a exemplo da Crítica Radical, os rebeldes resolveram recusar-se a comparecer às seções eleitorais, enquanto procuram um sítio nos arrabaldes – fora do eixo – para viver uma “sociedade sem dinheiro”?

No caso desse movimento de tão alta envergadura histórica, talvez valha lembrar a análise que o primeiro-ministro chinês, Zhou Enlai, fez a jornalistas, quando recebeu a visita do então presidente americano Richard Nixon, em 1972. Perguntado como via a Revolução Francesa (1789), ele deu amostra da pachorra chinesa: “Ainda é muito cedo para fazer uma avaliação”.

Camilo recebe nesta segunda-feira propostas de combate à desigualdade no Ceará

56 3

eleições 2014 2t pt camilo e nicolle

A pré-campanha a governadora do Ceará, pelo PSB, levou a empresária Nicolle Barbosa a elaborar um documento do diagnóstico socioeconômico das oito macrorregiões do Estado. A proposta será entregue ao candidato do PT ao Palácio da Abolição, Camilo Santana, nesta segunda-feira (13), a partir das 8 horas, na Indústria Cerbrás, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O documento é o resultado da “Caravana do Desenvolvimento”, com depoimentos e propostas de jovens empresários, comerciantes, profissionais liberais, lideranças sindicais e empresariais, para o combate à desigualdade no Ceará.

(Foto: divulgação)

Dia da Criança é festejado com atendimento à comunidade

foto eim dia criança

Cem crianças receberam neste fim de semana atendimento odontológico, ouviram músicas infantis e contação de histórias, assistiram filme, participaram de brincadeiras e apreciaram lanche. A promoção foi da EIM Instalações Industriais, que há 20 anos patrocina o tradicional Dia das Crianças na sede da empresa, no bairro Cambeba, além de contemplar a comunidade do entorno.

Com base na Declaração Universal dos Direitos da Criança, reconhecida pela Organização das Nações Unidas em 1959, em que toda criança tem o direito à educação e ao lazer infantil (Princípio VII), o direito à alimentação e assistência médica (Princípio IV) e o direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça (Princípio X), a EIM Instalações Industriais acredita que o Dia das Crianças é mais que uma data comercial.

Emily Vitória, 9, diz que a comunidade aguarda pelo evento durante todo o ano. “Desde pequena, venho comemorar o Dia das Crianças aqui. É bom demais. Espero que tenha sempre. Este ano teve sessão de cinema. Adoro filmes de aventura e ação”, disse a menina.

(colaborou Caroline Borralho, da Assessoria de Comunicação da EIM Instalações Industriais)

O mundo (im)perfeito das pesquisas

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (12):

Mais uma vez, as pesquisas de intenção de voto encontram-se na berlinda. No Ceará e no Brasil, muitos dos “retratos” batidos pelos institutos na véspera da eleição contrariaram a realidade advinda das urnas. Em editorial na segunda-feira passada, um dia após os resultados da apuração, O POVO já levantou a questão e afirmou que “os institutos precisam oferecer uma resposta muito clara a respeito”.

Pois é. A nossa gloriosa imprensa tratou de ouvir a versão dos institutos. De forma geral, desviaram o braço da seringa. Na média das declarações, argumentam o seguinte: as pesquisas retratam o passado, mas não tem nenhuma responsabilidade sobre o futuro. Ou seja, elas captam a intenção de voto do momento em que auscultam os eleitores e apenas apontam tendências. O que acontece depois da pesquisa, mesmo que seja apenas um dia depois, não lhes diz respeito. Trocando em miúdos, os institutos disseram que nunca erram.

Sob a ótica da explicação concedida pelos institutos, a imensa diferença entre o que as pesquisas, por exemplo, apontaram na disputa para senador no Ceará e a realidade da apuração, não é erro. Mesmo que essa diferença tenha ocorrido muito acima da margem de erro. Óbvio que não é algo razoável. Tamanha migração de votos da noite para o dia jamais poderia passar sem ser devidamente notada.

O curioso é que não aconteceu nada no mundo da política para justificar migrações de grande relevo nessa disputa de senador. Também não é razoável que todas as pesquisas tenham apontado a constante liderança de um candidato (Eunício Oliveira) e, no fim das contas, as urnas darem a liderança para outro (Camilo Santana).

O mesmo se deu na eleição presidencial. Os quase 34% obtidos por Aécio Neves (PSDB) foi muito distante do percentual apontado pelas pesquisas. Não é fato novo. Na disputa pela Prefeitura de Fortaleza em 2012, os milhares de eleitores que aderiram à candidatura de Heitor Férrer (PDT) não foram vistos pelos institutos na véspera da votação.

Com seus partidos frágeis e o personalismo entranhado, a nossa política deixa-se levar demasiadamente pelas pesquisas. Não faz muito tempo, houve registro de políticos que chegaram a sugerir pesquisa de intenção de voto para decidir se o candidato de determinado partido seria A ou B. Felizmente, essa excrescência não vingou, muito embora o desempenho nas pesquisas ainda sirva de argumento político nas disputas internas.

É fato que há migrações de última hora. É fato que o eleitor brasileiro é instável e, circunstancialmente, move sua intenção de voto. Porém, jamais a ponto de tais movimentos não serem percebidos até pelo olhar e audição atentos dos vendedores de milho verde cozido. A divulgação de pesquisas é livre no Brasil e assim deve permanecer. Cabe à política colocá-las no devido lugar, como meros instrumentos de auxílio à leitura da realidade. A julgar pelas contradições entre os números das pesquisas e os números da apuração, os eleitores já agem assim. Felizmente.

Não sem prejuízos. A pesquisa é, e continuará sendo, um instrumento de animação da militância dos candidatos e partidos. Da mesma forma, elas estimulam a generosidade ou a avareza dos doadores.

Democracia manipulada?

76 7

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (12):

O segundo turno coloca frente a frente, sem mais nenhum disfarce, os dois projetos de sociedade e de país que disputam a condução dos destinos da nação mais importante da América Latina. De um lado, o legítimo projeto popular, inclusivo, das forças progressistas lideradas pelo PT; de outro, o igualmente legítimo projeto neoliberal, dos mercados, apoiado reconhecidamente pelos núcleos mais poderosos das elites econômicas e do conservadorismo de centro-direita e de direita aglutinados em torno do candidato do PSDB.

A eles se agregou o novo PSB. Projeto que mobiliza a mais poderosa articulação conservadora jamais reunida, no Brasil, desde o golpe de 1964, para barrar pelas urnas (felizmente não mais pelas armas) a continuação de um modelo de desenvolvimento nacional levado a cabo por um governo que se orgulharia de não se ajoelhar diante dos mercados e da Casa Branca, e de dar sequência à tradição soberana e nacionalista de Vargas e Goulart.

A satisfação diante de uma nova eleição presidencial pós-ditadura frustra-se frente à escandalosa e massiva campanha de manipulação das consciências, a partir de vazamentos ilegais e seletivos de trechos de depoimentos de acusados de corrupção beneficiados com a delação premiada, sem que se possa aquilatar sua veracidade neste momento.

A avalanche de desinformação, martelada massivamente, atentaria contra a democracia e as garantias constitucionais porque se utilizaria de um recurso ilegal e inconstitucional para alvejar um dos lados da disputa, supostamente com o intuito de prejudicá-lo eleitoralmente, sem que este possa lançar mão imediatamente do direito de usar o instrumento democrático e constitucional do contraditório para se defender, por não poder acessar todo o inquérito, neste momento

Gera-se a seguinte situação com a realização de depoimentos durante a campanha: se alguém tiver sido acusado injustamente, só poderia provar sua inocência depois de passadas as eleições e consumado o prejuízo eleitoral. Ora, isso em qualquer lugar civilizado seria classificado de “golpe branco”. Que outro nome se poderia dar a um resultado eleitoral eventualmente conseguido a partir de meios tão escusos? No mínimo, seria considerado moralmente ilegítimo, com consequências inimagináveis para a estabilidade da nossa democracia.

Secretária Socorro Martins esclarece contratos com o ISGH

589 13

socorromartinss

Em nota enviada ao Blog, a secretária de Saúde de Fortaleza, Socorro Martins, esclarece que os contratos do Município com o ISGH não são de terceirização, mas de gestão. Nesta segunda-feira (13), sindicatos da área da saúde denunciam possíveis irregularidades ao Ministério Público Estadual. Confira:

Prezado Eliomar de Lima,

Diante de nota publicada no seu Blog de notícias e confiante no seu compromisso profissional com a verdade dos fatos, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que a relação da SMS com o Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) não se configura como contrato de terceirização de mão de obra, mas sim de contrato de gestão, contratos que foram firmados com o objetivo de contemplar a prestação de serviços na rede de atenção primária de Fortaleza, ou seja, nos 92 Postos de Saúde da Capital, além dos 14 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e nas três UPAS que foram construídas e inauguradas na atual gestão do Município de Fortaleza.

Entre os serviços contratados, estão: realização diária de coleta de exames nos postos de saúde (serviço que na gestão anterior não era diário e não tinha prazo para entrega de resultados), a aquisição e abastecimento de medicamentos nas farmácias dessas unidades com os remédios indicados pelo Ministério da Saúde para a Atenção Primária, além de ambiência, segurança e conectividade, entre outros.

O valor dos contratos, no montante de R$ 384 milhões, é referente à prestação de serviços e demandas citadas pelo período de três anos, prazo que começou a contar a partir de 2013.

A SMS informa, ainda, que os contratos firmados com o ISGH seguiram todos os trâmites legais necessários e exigidos em lei. Ao contrário do que afirmaram as fontes que lhe induziram a erro, a minuta foi sim encaminhada ao Conselho de Saúde de Fortaleza para análise, antes da assinatura do contrato, como deve ser feito no serviço público.

Para quaisquer outras informações, já nos colocamos à disposição.

Socorro Martins

Secretária Municipal de Saúde de Fortaleza

Istoé/Sensus mostra Aécio com 17,6 pontos de vantagem

65 2

A pesquisa Istoé/Sensus de intenção de voto para a Presidência da República, divulgada nesse sábado (11), aponta uma vantagem de 17,6 pontos para Aécio Neves (PSDB), em relação à candidata Dilma Rousseff (PT).

Segundo levantamento realizado entre a terça-feira (7) e a sexta-feira (10), com dois mil eleitores de 136 municípios das cinco regiões do país, Aécio Neves está com 58,8% dos votos válidos, enquanto Dilma Rousseff soma 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo ainda com a pesquisa, Dilma estaria com 46,3% de rejeição e Aécio com 29,2%.

(com informações da IstoÉ)

Trabalhador próximo à aposentadoria poderá ganhar estabilidade

Empregadores poderão ficar proibidos de demitir trabalhadores em via de conseguir o direito à aposentadoria. A proposta faz parte de um projeto de lei do deputado Vicentinho (PT-SP), e valerá para celetistas (regimes pela Consolidação das Leis do Trabalho – Decreto-Lei 5.452/43) que vão se aposentar por idade, por tempo de contribuição ou em regime especial.

Pelo texto, ganham estabilidade os trabalhadores para os quais faltem 18 meses para aposentar-se e que tenham, no mínimo, dez anos de atividade na mesma empresa. Para empregados que alcancem o direito à aposentadoria em 12 meses, o tempo mínimo de atuação na mesma empresa cai para cinco anos.

Segundo Vicentinho, o projeto tem o propósito de impedir o dano causado pela demissão imotivada de profissionais que dedicaram sua força de trabalho ao mesmo empregador por longo período de sua vida.

(Agência Câmara Notícias)

Professor da Biologia da UFC recebe prêmio nacional

O professor Diego Adaylano Monteiro Rodrigues, do Departamento de Biologia da UFC, foi declarado ganhador do Prêmio Professor Rubens Murillo Marques 2014, iniciativa da Fundação Carlos Chagas (FCC) que prestigia experiências educativas inovadoras realizadas por docentes de Licenciatura na formação de professores para o ensino básico.

Na disciplina “Instrumentalização para o Estudo da Ciência I”, o professor Diego Adaylano desenvolveu uma sequência didática que estimula o protagonismo e a autoria de alunos do 1º semestre do Curso de Ciências Biológicas da UFC.

Nessa disciplina, a divulgação científica foi trabalhada a partir da análise dos alunos sobre como a Ciência é divulgada, da criação de uma revista de divulgação científica com artigos produzidos pelos alunos, e da formulação de projetos de divulgação científica, partindo de um problema escolhido pelos alunos.

Para estimular o desenvolvimento dessas atividades, o professor criou dinâmicas, promoveu discussões que trabalham a imagem da Ciência e do cientista, indicou livros e sites de divulgação científica, desenvolveu grupos no Facebook e produziu, com ajuda de alunos e monitores, um site para divulgar a revista e os projetos (http://ipecriancasrevista.wix.com/ipecriancas)

Além do professor Diego, também recebeu o prêmio o professor Nabil Araújo, do Instituto de Letras da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

(UFC)

Paciente com suspeita de ebola pode receber alta na segunda-feira

Os médicos da Fundação Oswaldo Cruz informaram neste sábado (11) que passa bem o paciente com suspeita de ebola, internado no Rio de Janeiro. Soullymane Bah, de 47 anos, continua sob observação e pode receber alta na segunda-feira (13), após o resultado do segundo exame. Ele recebeu com alívio o laudo negativo do primeiro teste, divulgado mais cedo. Neste domingo (12) ele repetirá o exame, que pode descartar definitivamente o diagnostico de ebola.

“Dando negativo, ele passa a ser um paciente viajante, que veio da África e que teve um quadro febril. Clinicamente, se não houvesse a suspeita do ebola, ele não precisaria ficar internado”, explicou o médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Jorge Cerbini. De acordo com o diretor do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Alejandro Hasslocher, onde Soullymane recebe os cuidados médicos, todo paciente com suspeita de qualquer doença infecciosa grave, é submetido a dois exames para confirmar a doença. No caso do paciente da Guiné, no entanto, os médicos acreditam que o ebola não deve ser confirmado.

“Ele não teve nem febre desde que chegou, então, o risco é baixíssimo”, avaliou a infectologista do INI, Marília Santini. “O que acontece no ebola é que quanto mais doente, maior a quantidade de vírus no sangue. Então, se você colheu [o sangue] no primeiro dia e a pessoa não está muito doente, [o exame] pode dar negativo. Em dois dias, se a pessoa tem o vírus, dá positivo. Por isso, não podemos dizer ainda que a chance de dar negativo é zero”, ponderou.

Caso receba a alta, a liberação do paciente dependerá da logística para transportá-lo de volta ao Paraná, de onde veio ao Rio em avião da Força Aérea Brasileira. O esquema especial na Fiocruz será mantido até o resultado do segundo exame, que sai na segunda-feira.

(Agência Brasil)

Permissionários do Mercado Central começam a discutir reforma

63 2

foto salmito mercado central

Em reunião nesta semana com permissionários do Mercado Central, o secretário de Turismo de Fortaleza (Setfor), Salmito Filho, ouviu propostas dos comerciantes do terceiro piso. No próximo ano, a Setfor terá R$ 20 milhões para investir na reforma do equipamento.

Segundo o secretário Salmito Filho, a Prefeitura não iniciará a obra sem antes não ouvir as prioridades dos permissionários. Na terça-feira (14), a partir das 17h30min, Salmito irá ouvir permissionários de mais um piso do Mercado Central.

O desempenho dos ex-integrantes do governo Cid

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (11), pelo jornalista Érico Firmo:

Vários ex-secretários e ex-ocupantes de cargos no governo Cid Gomes (Pros) tentaram vagas na Assembleia Legislativa, mas com índice bem reduzido de sucesso. O único eleito foi Evandro Leitão (PDT), ex-secretário do Trabalho de Desenvolvimento Social. Ex-titular da poderosa Secretaria da Saúde, uma das que mais receberam investimentos no governo Cid, Arruda Bastos teve 7.780 votos e ficou apenas como quinto suplente do PCdoB.

O polêmico ex-secretário da Segurança Pública, coronel Francisco Bezerra (Pros), teve 18.365 votos e ficou na 11ª suplência do blocão formado por PT, PSD, PTB, PSL, PHS, PRB, PTB, PV, SD, além do próprio Pros. O ex-delegado-geral Luiz Carlos Dantas (PPS), que comandou a Polícia Civil desde o primeiro governo Cid até setembro do ano passado, teve 10.877 e é o oitavo suplente da coligação composta por PPS, PTN e PSDC.

Para deputado federal, Almircy Pinto (PSD), que foi chefe adjunto do gabinete de Cid Gomes nos dois mandatos, teve 21.421 votos e ficou como nono suplente da aliança composta por Pros, PT, PP, PRB, PDT, PTB, PSL, PHS, PSD, PCdoB e SD. E houve ainda Mauro Filho, secretário da Fazenda desde o primeiro governo até o ano passado, que foi derrotado por Tasso Jereissati (PSDB) na disputa pelo Senado.

Outros dois ex-secretários seguem na disputa do segundo turno para governador: Camilo Santana (PT), ex-titular das Cidades e, no primeiro governo, do Desenvolvimento Agrário, e sua vice, Izolda Cela (Pros), que comandou a Educação até o primeiro semestre deste ano.