Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

PecNordeste terá este ano concurso leiteiro

149 1

foto pecnordeste

Um concurso leiteiro é a novidade do XIX Seminário Nordestino de Pecuária (PecNordeste), que  ocorre de 16 a 18 de junho, no estacionamento do Centro de Eventos, no bairro Edson Queiroz. A PecLeite é uma mostra do rebanho caprino  e bovino, com a participação de 40 animais

Segundo a agrônoma Rejane Bastos, os produtores irão obter conhecimentos para posteriormente quando forem adquirir animais para o seu rebanho para produção de leite através das oficinas que serão ministradas. Ainda no espaço do PecLeite será realizado oficinas no segmento de ovinocaprinocultura.

Maioria dos pilotos com depressão esconde doença das empresas

A maioria dos pilotos que sofrem de depressão oculta a doença das companhias e das autoridades aéreas, segundo um estudo divulgado neste domingo (5) pelo jornal alemão Bild. O problema veio à tona após a queda do avião da Germanwings, com 150 pessoas a bordo, no último dia 24, na região dos Alpes franceses.

Segundo o estudo divulgado pelo Bild, o caso de Andreas Lubitz não é único entre os pilotos, que procuram esconder os problemas de saúde dos seus superiores. A análise, do diretor do Departamento de Medicina da Organização Civil Internacional da Aviação, Anthony Evans, datada de novembro de 2013, revela a existência de déficits graves no acompanhamento dos pilotos em matéria de saúde mental.

De acordo com o estudo, cerca de 60% dos pilotos que sofrem algum tipo de depressão decidem continuar a voar sem comunicar aos empregadores. Com base na análise de 1.200 casos de pilotos com depressão, o trabalho de Evans revela que cerca de 15% dos profissionais optam por tratar-se em segredo com medicamentos que conseguem por seus próprios meios, e apenas 25% declaram ao empregador que está fazendo tratamento.

O estudo resulta da observação de casos entre 1997 e 2001, informa o Bild, que destaca ainda a enorme pressão a que são submetidos os pilotos e o fato de um diagnóstico de depressão implicar seu afastamento do serviço.

(Agência Brasil)

Privatização dos terminais gera ganho de gestão e economia de recursos públicos

221 2

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (5):

A Prefeitura de Fortaleza está certa em planejar a privatização dos terminais de ônibus. Ora, o transporte, que é o que importa, já é operado pela iniciativa privada. Sendo assim, por que não entregar os terminais para a operação privada? Com a privatização, há ganho de gestão, de qualidade e economia de recursos públicos.

Não há nenhum sentido em manter tais estruturas sob a gerência do município. Não é atividade fim da Prefeitura cuidar de estacionamentos de ônibus. Pessimamente geridos, como é peculiar ao setor público, os terminais se degradaram, são sujos e não conseguem nem mesmo garantir o ordenamento de filas para o acesso dos cidadãos aos ônibus.

É caro manter os sete terminais de Fortaleza. A prefeitura estima que custam R$ 2 milhões por mês. Portanto, R$ 24 milhões por ano (sem considerar as usuais reformas). É muito dinheiro. Dinheiro que deveria estar sendo usado na melhoria do transporte. A privatização liberaria dezenas de servidores da Prefeitura para outras atividades.

É claro que a privatização não pode redundar em aumento da tarifa. O ideal é que a remuneração dos operadores privados seja oriunda de renda obtida com os espaços comerciais (os hoje existentes e novos a serem criados) e publicitários no âmbito dos terminais.

Hoje, esses espaços são mal explorados ou simplesmente inexplorados. O comércio que vigora nos terminais é tosco, desorganizado e certamente não gera renda para a municipalidade. Público potencialmente consumidor não falta. Todos os dias, 1,1 milhão de pessoas passam pelos terminais de ônibus da cidade.

Arquidiocese aguarda parecer do Vaticano sobre beatificação de dom Hélder

A Cúria Romana analisa o pedido feito pela Arquidiocese de Olinda e Recife para iniciar o processo de beatificação de dom Hélder Câmara. A expectativa agora está no posicionamento dos dicastérios, que são departamentos do governo da Igreja Católica que compõem a Cúria.

Uma carta enviada à arquidiocese pelo prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato, explica que, caso seja dado o Nihil Obstat (Nada Consta), a Igreja em Olinda e Recife poderá iniciar o processo na diocese.

De acordo com a arquidiocese, a primeira etapa do processo consiste em nomear dom Hélder Servo do Senhor. Em seguida, a partir da aprovação de estudos feitos por uma comissão jurídica, com base da análise de textos publicados pelo religioso e de testemunhos de pessoas que o conheceram, o papa concede o título de Venerável Servo do Senhor. Então, o passo seguinte é a beatificação.

Dom Hélder Câmara nasceu em 7 de fevereiro de 1909 em Fortaleza. Ingressou no seminário da capital aos 22 anos e teve uma vida religiosa marcada pela atenção aos mais necessitados.

Entre outras atividades exercidas por dom Hélder, destacam-se a passagem pelo arcebispado do Rio de Janeiro, onde foi bispo auxiliar na década de 40, com forte ação social, e pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), da qual foi secretário durante 12 anos (1952-1964).

(Agência Brasil)

Cidadão – um fiscal coadjuvante do trânsito

222 1

Em artigo enviado ao Blog, o professor Ivan de Oliveira comenta da participação do cidadão de Buenos Aires no monitoramento trânsito. Confira:

Quem acompanha as redes sociais foi surpreendido com a notícia que a Prefeitura de Buenos Aires, na Argentina, colocou em funcionamento um aplicativo de telefone celular que permite o cidadão comum denuncie os motoristas que estacionam em lugares reservados a pedestres, ciclistas ou portadores de deficiência.

Por meio do aplicativo “BA Denuncia Vial”, disponibilizado pela prefeitura no link http://www.buenosaires.gob.ar/aplicacionesmoviles/ba-denuncia-vial, o cidadão captura uma foto do automóvel, escreve o endereço da infração e o número da placa do automóvel para enviar os dados à gestão municipal. Através deste app de gestão colaborativa, seus moradores denunciam os motoristas infratores e acaba com a farra dos Reis dos Camarotes Portenhos.

O que vocês acham desta iniciativa para as cidades brasileiras? E para nossa cidade Fortaleza?

Infelizmente, nosso sistema jurídico brasileiro não tem previsão para a disponibilização de aplicativos desta natureza; mas, poderíamos pensar na construção de um Projeto de Lei (PL) [quem dos deputados federais tem interesse na pauta?] que torne obrigatório a manutenção de canal de comunicação – telefônico, eletrônico e/ou digital – pelos órgãos do sistema nacional de trânsito para o recebimento de denúncias sobre infrações diretamente dos cidadãos.

A proposta atualizaria o Código de Trânsito Brasileiro (CTB – Lei 9.503/97). O CTB determina que as regras devem ser regulamentadas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Ressalta-se que a PL alteraria a lei complementar do CTB com a necessidade de ser aprovada por maioria absoluta. Por coincidência, fui provocado por meu ex-aluno Paulo Girão na última segunda-feira (30/03) sobre a construção de uma proposta neste sentido e descobrimos as PL 3537/2012 e PL 1560/2011 que tratavam da temática, mas foram arquivadas nos termos do Artigo 105 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados que diz: finda a legislatura, arquivar-se-ão todas as proposições que no seu decurso tenham sido submetidas à deliberação da Câmara e ainda se encontrem em tramitação, bem como as que abram crédito suplementar, com pareceres ou sem eles.

As proposições poderiam ter sido desarquivadas dentro dos primeiros 180 (cento e oitenta) dias da primeira sessão legislativa ordinária da 55ª Legislatura (2015/2019), caso os parlamentares tivessem sido reeleitos e fizessem requerimento nesse sentido dentro do período estabelecido no regimento interno; mas, infelizmente, não encontramos nenhuma solicitação desta natureza e voltamos a estaca zero.

Hoje o cidadão está mais próximo do dia a dia das cidades e seus recursos mais capilarizados. Este canal de comunicação e gestão municipal colaborativa possibilitaria enviar denuncias às autoridades competentes de eventuais infrações presenciadas no trânsito, para que as providências cabíveis pudessem ser tomadas pelo poder público e seus órgãos competentes.

Com base nas pesquisas realizadas, segue uma minuta de Projeto de Lei que abriria uma lacuna para a colaboração do cidadão com a autoridade de trânsito visando a efetividade da fiscalização e a redução do desrespeito às normas.

O Congresso Nacional decreta:

Art. 1º Esta Lei acrescenta o art. 25-A à Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, para dispor sobre a manutenção de canal de comunicação pelos órgãos e entidades executivos rodoviários e de trânsito dos Municípios, dos Estados e do Distrito Federal e pela Polícia Rodoviária Federal.

Art. 2º A Lei nº 9.503, de 1997, passa a vigorar acrescida do seguinte artigo 25-A:

“Art. 25-A. Os órgãos e entidades executivos rodoviários e de trânsito dos Municípios, dos Estados e do Distrito Federal, bem como a Polícia Rodoviária Federal, manterão canal de comunicação – telefônico, eletrônico e/ou digital – para o recebimento de denúncia sobre infração de trânsito, conforme regulamentação do CONTRAN, que serão devidamente efetivadas por agente do Poder Público investido do Poder de Polícia, sob pena de não ser aplicável e, se o for, de ser julgado insubsistente, em caso de recurso.” (NR)

Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

A presente proposta teve o cuidado de antecipar o questionamento da relatoria quanto a legalidade do ato administrativo de autuação do infrator do CTB, que deve ser mediado por agente do Poder Público investido do Poder de Polícia, sob pena de não ser aplicável e, se o for, de ser julgado insubsistente, em caso de recurso.

A ideia de alteração do CTB é permitir a criação de um canal de comunicação para denúncias dos cidadãos e a efetivação da infração seria realizada por agente do poder público, pois, de acordo com os arts. 104 e 185 do Código Civil, a validade de todo ato jurídico, inclusive aqueles vinculados ao direito administrativo, deve estar respaldada em três condições, quais sejam: objeto lícito, agente capaz e forma prescrita ou não defesa em lei.

Voltando ao exemplo da Prefeitura de Buenos Aires, em menos de três meses os cidadãos enviaram mais de 7.000 denúncias pelo celular. E quase a metade delas se converteu em multas dentro dos procedimentos administrativos previsto na legislação local.

Enfim, a manutenção de canal de comunicação – telefônico, eletrônico e/ou digital – pelos órgãos do sistema nacional de trânsito para o recebimento de denúncias sobre infrações diretamente dos cidadãos poderia superar o histórico problema da fiscalização deficiente e os prejuízos diretos a outros usuários ou à segurança do trânsito, decorrentes das condutas irregulares dos motoristas, e tornaria o cidadão comum um fiscal coadjuvante do trânsito.

Os efeitos da Lava Jato no Ceará

153 1

Quatro meses após a Operação Lava Jato determinar a prisão dos primeiros executivos das maiores empreiteiras do País, as principais obras executadas por empresas envolvidas no escândalo têm andamento prejudicado no Ceará.

A partir desta segunda-feira (6), a construção do Centro de Formação Olímpica (CFO), no valor de R$ 250 milhões, e do anel viário, orçado em R$ 240 milhões, serão paralisadas por tempo indeterminado.

A interrupção nos trabalhos de duas das importantes obras do Ceará foi confirmada pela própria construtora responsável, a Galvão Engenharia. Em nota, a companhia diz que o CFO será paralisado por “falta de pagamento” e o anel viário, por “não haver definição de ritmo nos trabalhos”. Dois executivos do alto escalão da empreiteira estão presos na Operação Lava Jato. Apesar disso, o governo diz que os projetos estão garantidos.

Em nota, a Secretaria dos Esportes do Ceará (Sesporte) afirmou que o cronograma do CFO foi readequado para o fim de junho. Segundo a pasta, falta apenas a conclusão do sistema de refrigeração do ginásio principal, que é “extremamente complexo”. A Sesporte confirma ainda diminuição recente no número de operários no canteiro, em decorrência da redução da “complexidade” das etapas da obra nos últimos meses.

Atrasos com obras realizadas por empresas envolvidas na Operação Lava Jato não são exclusividade do Ceará. No Rio de Janeiro, empreiteiras que gerenciam obras para as Olimpíadas de 2016 já anunciaram demissões de operários. As mudanças colocam em xeque obras como as do Complexo Esportivo de Deodoro, que teve 550 operários demitidos.

(O POVO)

Manifestantes contra Estado Democrático de Direito devem ser processados, sugere colunista

442 15

charge eliomar 130622 dilma manifestação

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (5):

Todas as pessoas têm o direito de se manifestar, na democracia. Só não os que pregam e se articulam pela derrubada do Estado Democrático de Direito. Esses devem ser identificados pelo Ministério Público e processados. Já há material suficiente para identificá-los. Outro ponto: a democracia, além dos direitos da liberdade, exige também a remoção das desigualdades sociais. Para isso, é preciso que alguns aceitem ganhar um pouco menos, para que ninguém deixe de ganhar.

E é aí que a porca torce o rabo: todas as vezes que se tentou incorporar as faixas sociais mais pobres, no Brasil, o egoísmo brutal das camadas mais abastadas encurralou os governos que ousaram fazê-lo – Getúlio Vargas, João Goulart, Lula e, agora, Dilma – por se sentirem prejudicadas. Um dos pretextos foi sempre a corrupção (que é algo intrínseco ao capitalismo). Contudo, como comprovam os escândalos da Lava Jato, HSBC e da Operação Zelotes a corrupção é fomentada, sobretudo, pelo poder econômico.

STF retoma julgamento sobre lei que regulamenta organizações sociais

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta semana, após o recesso de Páscoa, o julgamento sobre a constitucionalidade da Lei das Organizações Sociais (9.637/98), na ação impetrada pelo PT e PDT, em 1998, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Os partidos questionaram, principalmente, a dispensa de licitação em contratos entre a União e organizações sociais.

Na época, os partidos alegaram que a lei é inconstitucional e transfere responsabilidade do Poder Público para particulares, ofendendo os princípios da legalidade e do concurso público na gestão de pessoal. O processo tem dois votos a favor da derrubada de parte da lei. O julgamento será retomado com voto vista do ministro Marco Aurélio.

Também estão pautadas para as próximas sessões propostas de súmulas vinculantes e de ações diretas de inconstitucionalidade que aguardam julgamento, depois de pedidos de vista. Foram pautados até o momento cerca de 50 processos para as sessões de quarta-feira (7) e de quinta-feira (8). Entre eles, somente um trata de assunto penal. O plenário deve julgar um recurso do ex-deputado federal Romeu Queiroz, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão, para ter direito a cumprir regime aberto, sem o pagamento da multa aplicada no julgamento.

A prioridade para julgamentos de questões que têm impacto nas instâncias inferiores faz parte da estratégia do presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski. A medida foi possível depois da decisão do STF  que remeteu para as duas turmas da Corte a competência para julgar inquéritos e ações penais, processos que levam mais tempo para serem analisados pelo plenário.

(Agência Brasil)

Sobrevivente de ataque no Quênia é encontrada dois dias depois escondida em armário

242 1

Uma sobrevivente do atentado à Universidade de Garissa, no Quênia, foi descoberta escondida dentro de um armário do prédio, 50 horas após o ataque, informou nesse sábado (4) a Cruz Vermelha. O massacre, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo radical islâmico Al Shebab, deixou 148 mortos na quinta-feira (2), a maioria estudantes.

Neste sábado, o presidente queniano, Uhuru Kenyatta, decretou três dias de luto nacional, com bandeiras a meio mastro.

“Uma sobrevivente foi encontrada dentro da universidade pelas forças de segurança que permanecem no campus universitário”, disse Arnolda Shiundu, responsável pela comunicação da Cruz Vermelha no Quênia.

Segundo Arnolda Shiundu, a sobrevivente “foi levada para o hospital e está sendo examinada pelos médicos”.

De acordo com uma fonte policial em Garissa, a sobrevivente ficou dois dias escondida em um armário. Ela foi descoberta durante a manhã deste sábado.

Em comunicado divulgado pelos islâmicos, o grupo radical critica a presença do Exército queniano na Somália e explica que, durante o ataque à universidade, separaram os muçulmanos dos cristãos para matar apenas integrantes do segundo grupo.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio começa a privatização dos terminais de ônibus em Fortaleza

882 2

Em artigo enviado ao Blog, o jornalista Haroldo Barbosa questiona a possibilidade da parceria público-privada dos terminais de ônibus. Confira:

Matéria do jornal O POVO, edição dessa sexta-feira (3), diz que a Prefeitura procura “empresa(s) que queiram investir R$ 84 milhões na reforma e ampliação de cinco terminais de integração de Fortaleza”. Este dinheiro seria “economizado” pela Prefeitura para outros investimentos. Em troca, as empresas poderão explorar comercialmente o espaço.

Historicamente as Parcerias Público-Privadas (PPPs) têm sido uma das formas que os neoliberais encontraram para que o privado se aproprie do público com lucros.

Conforme a matéria, “Atualmente, o custo mensal de manutenção dos sete terminais de integração é de R$ 2 milhões por mês.” e “A intenção da Prefeitura é de que o valor a ser pago à empresa para a execução seja igual ou menor a R$ 2 milhões.” (grifo meu). Note-se que o negócio (não tem outro nome) se baseia em “intenção”. Há um dito popular que diz que de boas intenções, o inferno está lotado, talvez mais lotado ainda que os terminais. Se a intenção não der certo, aumenta-se o valor e tudo fica bem (para os administradores obviamente);

Alguém em sã consciência acha que empresários vão investir mais R$ 80 milhões sem garantias de retorno e só apostando na “exploração comercial do espaço”? Os terminais vão virar shoppings? O espaço público, doravante administrado por empresários, terá segurança privada e seguirá as regras determinadas por seus administradores, como aquelas dos shoppings, onde preto e pobre já é naturalmente suspeito e só é tolerado quando vai comprar, muitas vezes tendo de passar por algumas revistas, humilhações e até espancamentos por seguranças da empresa?

Um mau exemplo da privatização de terminais em Fortaleza é o do Terminal Rodoviário Engenheiro João Thomé. Entregue graciosamente pelo governo do estado à administração privada, possui péssimos (e caros) serviços. Há uma absurda taxa de embarque que é obrigatória, mesmo em um equipamento público. Quer ir ao banheiro? Paga. Precisa guardar um volume? Paga. Preços das lanchonetes, restaurante, farmácia etc. são pra lá de inflacionados. Más condições de higiene, de acomodação de passageiros e de segurança, além de ausência de fiscalização também estão na lista. E voltando aos terminais de ônibus, também não está claro o que acontecerá com os comerciantes que trabalham neles no momento.

Ainda segundo a matéria, “A Prefeitura garante que não haverá impacto na tarifa do transporte público ou cobrança de taxa de embarque”. Garantia tão vã quanto as promessas de campanha do prefeito. De início talvez não haja, mas e depois? Mesmo que o prefeito Roberto Cláudio cumpra essa promessa, o que particularmente duvido, quem assegura que seus sucessores o farão?

Os terminais de ônibus de Fortaleza, que integram o Sistema de Transporte Coletivo, são fonte de tormento diário para mais de um milhão de pessoas. Verdadeiras sucursais do inferno, foram construídos ainda na década de 80 e até hoje nunca passaram por reformas amplas em sua estrutura, exceção do Terminal de Antonio Bezerra, que mesmo com a reforma, continua caótico. Existe superlotação, desorganização nas filas, falta de fiscalização quanto ao horário dos ônibus (cuja prioridade não é a melhor circulação de passageiros), assaltos, fossas estouradas, falta de abrigo adequado do sol e da chuva etc.

Moro em Fortaleza há mais de 20 anos sou usuário do transporte coletivo. A única vez vi um fiscal da Etufor trabalhando fora dos terminais, foi controlando os horários da linha de ônibus que vai do Centro até o Aeroporto Internacional Pinto Martins, e isto pouco antes da Copa das Confederações, em 2013. Preocupação com turistas e evento privado.

Ao invés de tentar resolver o problema dos terminais com recursos públicos que são desperdiçados de formas diversas, inclusive em obras bem menos necessárias, a atual administração municipal vai agravá-lo e beneficiar empresas, em um precedente perigoso. Parte do respaldo legal a essa ação absurda vem da última reforma administrativa, encaminhada pelo prefeito á Câmara Municipal no final do ano passado e votada literalmente na calada da noite (às 4h da madrugada) por vereadores, sem discussão com a população ou servidores municipais.

Os problemas dos terminais tais como superlotação, insegurança, estrutura precária e outros, são comuns a hospitais, postos de saúde e outros órgãos públicos. No caso da saúde, o prefeito já mantém uma privatização disfarçada através da terceirização. Isso vem deste a gestão anterior e se dá através da contratação de uma Organização Social (OS) que de fato funciona como uma empresa privada. Conforme o Portal da Transparência do Tribunal de Contas dos Municípios, em 2014, a gestão RC repassou somente ao Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), mais de R$ 135 milhões. Este ano a cifra já ultrapassa R$ 25 milhões.

Em dando certo a privatização dos terminais, isto será extensivo a hospitais, escolas, creches e outros? Bom lembrar que a atual gestão coloca claramente o que é público a serviço do privado. E faz isto de forma descarada. Exemplo é a atual titular da Secretária de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza (Seuma), que ano passado foi premiada pelas construtoras por “agilizar” alvarás de construção.

Aeroportos têm 155 voos cancelados e 17 com atraso somente na manhã deste sábado

Até o final da manhã deste sábado (4), 155 voos foram cancelados nos aeroportos brasileiros e houve atrasos em 17 voos. A maior parte dos cancelamentos ocorreu no Santos Dumont (29), no Rio de Janeiro, e em Campinas, com 26 registros.

Os números consideram tanto a rede de 60 terminais administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) como os concedidos à iniciativa privada, como o Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek (DF), o Aeroporto Internacional de São Paulo/ Guarulhos (SP), Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas, o Riogaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim (RJ), o Aeroporto Internacional Tancredo Neves – Confins (MG) e Aeroporto São Gonçalo do Amarante – Natal (RN).

No total, até o fechamento desta matéria, 791 voos estavam previstos para diversos destinos no país e 27 para o exterior. Nos voos internacionais, não houve registro de cancelamento ou atraso.

Durante todo o feriado da Semana Santa, a estimativa é que 1,43 milhão de passageiros passem pelos terminais operados pela Infraero. O fluxo esperado é 1,83% menor do que os registrados em 2014, quando 1,46 milhão de pessoas embarcaram e desembarcaram no período.

A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos espera que o movimento de passageiros no feriado ultrapasse em 12% o movimento diário do aeroporto (27 mil pessoas). O consórcio Inframerica, que administra o terminal de Brasília, estima o embarque e desembarque de 250 mil passageiros neste período. Os aeroportos de Guarulhos, Tom Jobim, Confins e Natal não divulgaram estimativas para o feriado.

(Agência Brasil)

Possibilidade de melhores terminais

Em artigo no O POVO deste sábado (4), o vereador pelo PCdoB e líder do prefeito na Câmara Municipal de Fortaleza, professor Evaldo Lima, comenta da possibilidade da parceria entre o município e a iniciativa privada na questão dos terminais de ônibus. Confira:

A Prefeitura de Fortaleza tem se dedicado a uma série de diagnósticos de extrema importância para busca de ganhos qualitativos nos serviços públicos, em diversas áreas da cidade. No âmbito do trânsito e transporte público coletivo, a atual gestão já mostrou novas possibilidades com o Bilhete Único e implantação de faixas exclusivas para ônibus, por exemplo. Nesta crescente de programas e aperfeiçoamento dos espaços urbanos, era esperado que as problemáticas envolvendo os terminais de integração de ônibus da capital fossem ao debate. E é isso que ocorre agora: um período de avaliação sobre a questão para que se encontre o melhor caminho de resoluções.

O estabelecimento de uma parceria entre município e iniciativa privada é, por enquanto, uma alternativa que segue sob estudos e pesquisas dos setores competentes. Os terminais de ônibus foram inaugurados nos anos 1990 em Fortaleza, e hoje são geridos pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Ao longo dos anos e no avançar de gestões passadas, desgastes foram acumulados. Há hoje clara necessidade de se repensar os investimentos e modo de administração deste importante organismo da capital, do qual depende o transporte diário de milhares de cidadãos fortalezenses.

Os terminais de ônibus são estruturas complexas e de muitas possibilidades para comércio e prestação de serviços. A abertura de edital para concessionárias seria um caminho para melhoria das instalações, com ampliação e modernização dos pontos de chegada e de partida dos ônibus da frota municipal. Essa perspectiva é vista com otimismo por representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) e opinião pública, como bem mostrou matéria recente do próprio O POVO.

Junto a essa alternativa, de abertura para iniciativa privada, também se estuda a possibilidade de reorganizar e ampliar os investimentos para outras destinações, como por exemplo novas ciclovias e novos corredores exclusivos. Ainda há muito o que se avançar nesta discussão, que só visa ao melhor futuro para a cidade. Que a decisão seja construída com competência e com ampla participação popular. Apenas assim se chega aos pontos certos no ideal pela cidade boa de se viver.

Diplomacia dos EUA confirma participação de Obama na Cúpula das Américas

O Departamento de Estado norte-americano confirmou neste sábado (4) a participação do presidente Barack Obama na reunião da Cúpula das Américas, marcada para os dias 10 e 11 de abril, na cidade do Panamá. De acordo com a diplomacia dos Estados Unidos, durante o encontro Obama deve interagir com o presidente de Cuba, Raul Castro, embora não esteja programada uma reunião bilateral.

“Ao decidir participar da reunião, o presidente Barack Obama sabia que Cuba tinha sido convidada e que haveria uma interação. Os dirigentes estarão juntos a maior parte do tempo. Haverá, portanto, um intercâmbio com Raul Castro”, declarou a secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson.

Segundo ela, além do encontro bilateral com o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, nenhuma outra reunião está programada. “Portanto, não sei exatamente que tipo de interação ocorrerá”, acrescentou a diplomata.

A Cúpula das Américas, com a presença de 34 chefes de Estado, assume um destaque particular por ocorrer após o anúncio histórico, em 17 de dezembro, da restauração das relações diplomáticas entre Washington e Havana, depois de meio século de tensões herdadas da Guerra Fria.

(Agência Brasil)

Cuidado com as companhias, doutora

233 6

Em artigo no O POVO deste sábado (4), o jornalista Luiz Henrique Campos avalia a contraditória linha ideológica da nova direção do Sindicato dos Médicos do Ceará. Confira:

A médica Mayra Pinheiro tomou posse recentemente na presidência do Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec) acabando com longo reinado de diretorias com cunho mais à esquerda. Ligada ao senador Tasso Jereissati (PSDB), Mayra anunciou na solenidade o projeto Simec Cidadão, que a partir de palestras para formar jovens com foco na ética e na saúde, pretende “ensiná-los como votar e escolher melhor nossos governantes”.

Não sei se esse deveria ser o papel de uma entidade de médicos, até porque, se a nova presidente não sabe, grande parte dos parlamentares e prefeitos do Ceará são médicos. Será que podem ser enquadrados nessa condição de má escolha pelo eleitor?

Mayra, só para refrescar a memória, é das mais ferrenhas críticas do programa Mais Médicos, tendo participado do ato que vaiou os cubanos em Fortaleza. Na posse, voltou a tecer severas restrições ao programa, afirmando ser “danoso” à população. Mas não queria entrar nesse mérito. O que me chamou a atenção por ocasião da recente posse foi a presença como convidado de honra, do senador por Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Pois menos de uma semana após, em artigo publicado no jornal Diário da Manhã, daquele estado, o ex-senador Demóstenes Torres, ex-aliado de Caiado, simplesmente fez sérias acusações contra o convidado de honra de Mayra, inclusive de manter ligações com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Em um dos trechos, Demóstenes afirma categórico: “Ronaldo fazia sim, parte da rede de amigos de Carlos Cachoeira, era, inclusive, médico de seu filho. Mas não era só de amizade que se nutria Ronaldo Caiado, peguem as contas de seus gastos gráficos, aéreos e de pessoal, notadamente nas campanhas de 2002, 2006 e 2010, que qualquer um verá as impressões digitais do anjo caído. Siga o dinheiro”.

Bom, talvez Mayra nem soubesse dessas possíveis relações, mas é bom que tenha cuidado a partir de agora porque ao assumir entidade tão importante passou a ser figura pública e não pega bem estar próxima de suspeitos. Ainda mais para quem se apresenta como novidade em termos de renovação dos métodos políticos. Não custa nada esse cuidado, doutora.