Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

TIM inaugura sua primeira loja digital em Fortaleza

A TIM vai inaugurar, na próxima segunda-feira, no primeiro piso do North Shopping, no bairro São Gerardo, em Fortaleza, a primeira loja no conceito 100% digital do Ceará. A informação é da assessoria de imprensa dessa operadora de telefonia, adiantando que a unidade corresponde à segunda do Nordeste e à sexta em todo o Brasil, neste modelo. São 133 m² de área e uma equipe de cerca de 10 profissionais preparados para apresentar aos clientes mudanças importantes no formato de atendimento, estrutura e design de loja.

O espaço oferecerá experiências e interatividade com os produtos da operadora. Também terá módulos específicos para fabricantes de aparelhos, lançamentos e degustação em telas touch. O foco da TIM, adianta a assessoria, será na vivência dos clientes e na digitalização dos serviços.

A operadora líder em 4G no Brasil e em Fortaleza (com 138 cidades cobertas com a tecnologia, segundo dados da Anatel), quer passar de 50 lojas em novo formato até o fim deste ano, com mais uma novidade: as próprias contarão também com wi-fi para os visitantes, incluindo não clientes, já no final deste primeiro semestre.

“Estamos trabalhando fortemente para o aprimoramento dos nossos canais de atendimento, focando em soluções mais rápidas e eficientes. O novo conceito das lojas vem para oferecer uma experiência de consumo diferenciada para nossos clientes e assim sermos sempre a primeira opção do consumidor”, diz Micheline Luna, gerente de lojas TIM no Nordeste.

Além de Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Campo Grande, Caxias e Curitiba estão entre as cidades que receberão as novas lojas digitais da TIM em breve.

Fetrans premia empresas do transporte de passageiros por ações sustentáveis

Nove empresas cearenses receberam o Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar promovido pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Ceará, Piauí e Maranhão (Fetrans), em evento no auditório do Sest-Senat Fortaleza, nessa quinta-feira, reunindo empresários, ambientalistas e colaboradores das empresas do setor de transportes para celebrar ações de incentivo à preservação do meio ambiente.

No total, segundo a assessoria de imprensa da Fetrans, 26 honrarias foram concedidas durante a cerimônia nas quatro categorias da 16ª edição do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar (PMQA). No Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, nove empresas foram agraciadas com os troféus, entre elas sete empresas de passageiros e duas de cargas. Além disso, o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque, recebeu o Troféu Destaque Ambiental pelas ações de viés sustentável realizadas durante os seus mandatos de deputado estadual.

O Certificado de Qualidade “Empresa 100%” foi entregue a 13 empresas que não receberam nenhuma multa pelo órgão ambiental estadual, no caso do Ceará a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) durante o período estabelecido para a avaliação, e que também tiveram toda a sua frota aprovada pelo Programa Despoluir da Fetrans

Já no critério “Ação Inovadora”, que incentiva as empresas a buscarem novas soluções criativas e ambientalmente sustentáveis, foram premiadas as empresas Expresso Guanabara, com a ação “Ciclo Sustentável”; a Organização Guimarães – Empresa Vitória, com a ação “Cuidar do Lixo é Cuidar da Vida” e a empresa Daniel Transportes LTDA, com a ação “Redução do Consumo de Água nas Descargas e Aparelhos Sanitários”, em primeiro, segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Premiações

Certificado de Qualidade “Empresa 100%”

Categoria Passageiros:

Auto Viação Dragão Do Mar Ltda

Auto Viação Fortaleza Ltda

Empresa de Transporte Santa Maria Ltda

Expresso Guanabara S/A

Organização Guimarães Ltda – Empresa Vitória

São Benedito Auto Via

Transportes Urbanos Aliança S/A

Vega S/A Transporte Urbano

Viação Princesa dos Inhamuns Ltda

Viação Urbana Ltda

Prime Plus Locação de Veiculo e Transporte Turístico

Categoria Cargas:

Daniel Transportes Ltda

Tlx Transportes e Logística Ltda

Critério Ação Inovadora

1° – Expresso Guanabara – “Ciclo Sustentável”

2° – Organização Guimarães – Empresa Vitória – “Cuidar do Lixo é Cuidar da Vida”

3° – Daniel Transportes LTDA – “Redução do Consumo de Água nas Descargas e Aparelhos Sanitários”

Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar 2018

Categoria Passageiros:

Auto Viação Dragão do Mar Ltda

Expresso Guanabara S/A

Organização Guimarães Ltda – Empresa Vitória

Transportes Urbanos Aliança S/A

Vega S/A Transporte Urbano

Viação Princesa dos Inhamuns Ltda

Viação Urbana Ltda

Categoria Cargas:

Daniel Transportes Ltda

Tlx Transportes e Logística Ltda

DETALHE – O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar também será entregue pela Fetrans para empresas do Maranhão (26/6) e do Piauí (28/6).

 

Fies preenche 35 mil vagas financiadas pela União

No primeiro semestre de vigência, o novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) preencheu cerca de um terço das vagas financiadas pelo governo, chegando a 35.866 mil. Já a modalidade contratada junto a bancos privados, chamada P-Fies, cuja previsão é a oferta de 210 mil vagas neste ano, preencheu, até o momento, apenas 800, de acordo com o diretor-executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (Abmes), Sólon Caldas.

O novo Fies foi anunciado no ano passado. O programa passou a ter uma modalidade financiada diretamente pela União, voltada para estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, ou seja R$ 2.862. No total, são ofertadas 100 mil vagas nesta modalidade, das quais foram preenchidas mais de 35.866 mil no processo seletivo do primeiro semestre. Mais 16.351 vagas estão em contratação, ainda em curso, no âmbito do processo seletivo para vagas remanescentes.

As outras duas modalidades incluídas no P-Fies são financiadas com recursos de fundos constitucionais regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O risco de crédito é assumido pelos bancos. As modalidades, no entanto, não foram muito procuradas no primeiro semestre.

Segundo Sólon, parte da baixa adesão ao P-Fies se deu por fatores econômicos. Com os altos índices de desemprego, os estudantes não conseguem assumir dívidas, em parte porque as regras e os sistemas ainda estavam sendo adequados para a oferta das vagas. O balanço refere-se aos números de cerca de duas semanas atrás. O processo seletivo para vagas remanescentes ainda está aberto e o número de contratos pode aumentar.

“O P-Fies precisa ser melhor comunicado, tanto para agentes financeiros, quanto para instituições e para a sociedade. “É preciso fazer uma campanha grande, com governo, com o setor, com bancos, para mostrar como funciona.”

Para se candidatar ao P-Fies, o estudante precisa dizer, na hora da inscrição, que tem interesse na modalidade. Ele precisa, então, preencher um questionário, que será encaminhado para a análise e aprovação dos bancos.

Adesão maior no segundo semestre

Para o diretor de vendas e marketing do Pravaler, empresa que oferece financiamento estudantil, Rafael Baddini, a expectativa é que mais contratos sejam fechados no segundo semestre pelo P-Fies. Segundo Baddini, a Pravaler é responsável por cerca de 90% dos créditos aprovados pela modalidade privada.

“Essa rodada foi mais de aprendizado, porque o programa estava saindo do chão. Acho que esse era o ponto mais importante. Pode não parecer, mas, por trás, você tem que ligar o sistema dos bancos com o MEC, têm portarias que precisam ser definidas. O programa saiu do chão”, afirmou.

Prazo

Está aberto desde ontem (7) o prazo para que os agentes financeiros operadores de crédito, interessados em participar do P-Fies no segundo semestre, façam o cadastro na internet, no site do Fies. O prazo termina no dia 11 de junho. Já o prazo para as mantenedoras de ensino manifestarem interesse em participar do programa é de 12 a 20 de junho.

Fies

O Fies oferece financiamento para vagas em instituições privadas de ensino superior. Para concorrer às vagas, o estudante precisa ter tirado pelo menos 450 pontos na média das provas e não podem ter zerado a redação no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em uma ou mais edições desde 2010.

A porcentagem de financiamento é calculada de acordo com o comprometimento da renda do aluno, o valor do curso e comprometimento da renda no pagamento das aulas. O estudante deverá iniciar o pagamento no mês seguinte ao término do curso, desde que esteja empregado. O prazo máximo para pagamento é de 14 anos.

As taxas de juros do P-Fies são determinadas pela política de crédito dos fundos constitucionais administrados pelos bancos regionais.

(Agência Brasil)

O 7X1 nosso de cada dia

Com o título “O 7×1 nosso de cada dia”, eis artigo de Ricardo Alcântara, escritor e publicitário. Ele comenta um certo ar de indiferença com relação ao Brasil na Copa da Rússia. Confira:

Política e futebol frequentaram a mesma esquina diversas vezes. Na Copa do Mundo de 1970, enquanto a corte de Pelé encantava multidões, já tão satisfeitas com o “milagre brasileiro” que fazia o país crescer 7% ao ano, nos porões dos quartéis os inimigos da ditadura militar eram torturados e mortos. Havia por isso má vontade com o “ópio do povo”, o futebol. Uma rejeição que não resistiu a um passe de trinta metros com que Gérson deixou Pelé na cara do gol, decretando um armistício em nome da seleção, a “pátria de chuteiras”.

Acompanhei doze copas e nunca vi tamanha frieza no povo brasileiro com mais uma participação nossa no maior evento do mundo contemporâneo. Sim, houve o 7×1. A irreparável goleada é boa metáfora para o fracasso da “copa das copas”, como Lula a definia: estádios superfaturados e obras de mobilidade inacabadas. Outro aspecto, menos recente: os craques não são ídolos em nossos times. São vistos pela televisão, atuando no mercado promissor da Europa. De alguns, sequer sabíamos os nomes: saíram do país antes mesmo de disputar uma competição nacional.

Mas vale refletir também acerca da influência de um quadro depressivo na vida pública sobre o estado de indiferença geral com a copa. Há uma crise de autoestima no país: em tempos de Lava Jato, decanta uma sensação incômoda de fracasso. O cheiro do ralo nos faz lembrar que um usurpador nos governa com medidas impopulares e a principal liderança está presa porque ignorou limites óbvios.

Ao fim, o futebol continuará, alheio aos humores políticos, sendo o que é: um esporte de massa que, por isso mesmo, tem sua estrutura apropriada pela indústria do entretenimento. Um business que movimenta somas espantosas em sua extensa cadeia produtiva globalizada: três bilhões de consumidores assistirão à final de Moscou. Quanto às nossas mazelas, vencendo ou não, serão as mesmas.

Divirtam-se, portanto.

*Ricardo Alcântara

Escritor e publicitário, filiado à Rede Sustentabilidade.

Produção industrial do Ceará registra queda de março para abril

A produção industrial cresceu em dez dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de março para abril deste ano. Segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, os principais avanços foram registrados na Bahia (7%) e no Rio de Janeiro (6%).

Outros estados com alta foram Minas Gerais (4,4%), Paraná (3,3%), Rio Grande do Sul (2,2%), Pernambuco (2,1%), Santa Catarina (1,9%), Espírito Santo (1,4%) e São Paulo (0,3%). A Região Nordeste, que é analisada em seu conjunto, teve avanço de 5,6%.

Os estados com queda na produção industrial de março para abril foram Pará (-8,1%), Amazonas (-4,1%), Goiás (-1,5%), Ceará (-1,3%) e Mato Grosso (-0,1%).

Na comparação com abril do ano passado, foram registradas altas em 13 locais, com destaque para os estados de São Paulo (14,8%), Santa Catarina (14,6%) e Mato Grosso (14,4%). Os locais com queda foram Espírito Santo (-2,1%) e Pará (-0,7%).

No acumulado do ano, foram registrados crescimentos em 13 locais. A maior alta foi observada no Amazonas (21,5%).

No acumulado de 12 meses, houve alta em 13 lugares, com destaque para Pará (10,2%) e Amazonas (10,1%). A queda atingiu dois locais: Espírito Santo (-1,3%) e Pernambuco (-0,2%).

(Agência Brasil)

Após e-mail de FHC a Odebrecht, empresas doaram a candidato tucano

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente.

Duas empresas ligadas ao Grupo Petrópolis – que eram usadas pela Odebrecht para, de acordo com delatores, fazer pagamento de caixa 2 – aparecem na declaração eleitoral de Antero Paes de Barros, candidato ao Senado pelo PSDB, do Mato Grosso.

As empresas são a Leyroz de Caxias Indústria, Comércio e Logística e a Praiamar Indústria Comércio e Distribuição.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (8), pelo jornal “O Globo”. Os dados foram obtidos por meio de um cruzamento entre uma planilha paralela da Odebrecht, apreendida na 23ª fase da Lava Jato, e a prestação de contas do candidato tucano.

Segundo reportagem do jornal O Globo, a planilha da Odebrecht registra a doação de R$ 100 mil para a campanha de Antonio Paes de Barros Neto, em 29 de setembro de 2010. Em sua delação premiada, Marcelo Odebrecht explicou que usava outras empresas para fazer doações a candidatos.

*Com O Globo aqui.

Um apelo à AMC

De Heyde Leão, leitor do Blog, recebemos a seguinte nota, em tom de cobrança e preocupação. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima, recentemente, você publicou uma nota sobe a Zona Azul implantada na rua 25 de Março. Essa medida, por si só, já traz dois problemas, e não apenas um: o ato de comprar a Zona Azul (já relatado por você) e o constrangimento ilegal dos flanelinhas que agora, assolam e constrangem os pais e mães, que por serem mulheres sofrem, inclusive, ameaças.

Mas, o que me move é pedir para que replique o apelo de um pai que testemunhou uma quase tragédia. Ontem, ao atravessar com a mãe, de mão dada com ela, um aluno do Externato São Vicente ia sendo atropelado por uma moto que não respeitou a faixa de pedestres.

Uma van de transporte escolar parou para os dois atravessarem. A moto, não. Por muito pouco, um segundo, sem exagero algum, essa criança estaria hoje no jornal como uma criança atingida na frente da Escola, por uma moto que não respeitou a faixa de pedestres.

Peço que o amigo faça um apelo à AMC para que ela coloque redutores de velocidade ou na linha da faixa de pedestres, ou um pouco antes da faixa de forma a obrigar motoristas e motociclistas a reduzir a velocidade diante do fluxo de pais, alunos e transportadores de crianças.

Fico grato pela divulgação.

Atenciosamente,

Heyde Leão
Diretor Executivo – AED Tecnologia
Empresa Incubada na IE – Incubadora de Empresas do IFCE – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará.

Aluna da UFC entre selecionados para conferência da Apple

Débora Moura, aluna do quinto semestre do Curso de Sistemas e Mídias Digitais da Universidade Federal do Ceará, foi uma das 350 selecionadas em todo o mundo para participar como bolsista da Apple Worldwide Developers Conference (WWDC). O evento, segundo a assessoria de imprensa da UFC, é destinado a desenvolvedores de software organizado pela empresa de tecnologia Apple. A conferência ocorre desde a última segunda-feira em San Jose, nos Estados Unidos, e se encerra ainda nesta sexta-feira.

Para garantir a bolsa, a estudante precisou desenvolver, em duas semanas, um aplicativo que foi submetido à avaliação da Apple.

“O app mostra um pouco mais sobre mandalas, que são uma ótima maneira de aliviar o estresse e representar graficamente personalidades complexas. A intenção dele é propiciar uma experiência agradável ao usuário e incentivá-lo a trazer para a rotina diária pequenas atividades que possam melhorar sua saúde mental e física”, explica. O aplicativo foi desenvolvido para a plataforma Swift Playgroundbook em iPads (https://bit.ly/2JtX6PI).

Além de Débora, a estudante Karina Paula, do oitavo semestre do Curso de Sistemas e Mídias Digitais da UFC, e Davi Cabral, egresso do mesmo curso, também estão no evento como participantes.

A WWDC é um evento anual organizado pela Apple para desenvolvedores. Durante uma semana, são oferecidas palestras e apresentadas as principais novidades da empresa, como novas versões do sistema operacional da Apple e atualizações para celulares e iPads.

(Foto – UFC)

CNI vai ao Supremo contra tabelamento de frete

Sem aguardar o resultado das negociações entre governo e caminhoneiros que ocorrem hoje (8) em Brasília, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou que acionará o Supremo Tribunal Federal (STF) contra o tabelamento do frete para transporte rodoviário de cargas. Segundo informação publicada no site da entidade, estará pronta, nos próximos dias, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) para questionar a Medida Provisória 832, que estabeleceu os preços mínimos obrigatórios de cobrança de frete.

A CNI considera a MP inconstitucional por desrespeitar a livre iniciativa (Artigo 170, caput, da Constituição Federal), por impedir a livre concorrência (Artigo 170, parágrafo 6) e modificar contratos já firmados (Artigo 5º, parágrafo 36), caracterizando intervenção indevida do Estado na economia (Artigo 174).

“O tabelamento é insustentável, porque provoca prejuízos extremamente danosos para a economia e para a população”, disse o presidente da CNI, Robson Braga Andrade. De acordo com ele, as mercadorias ficarão mais caras e este custo terá de ser repassado ao consumidor.

Na semana passada, a CNI estimou que, com o tabelamento, os fretes podem sofrer aumentos médios entre 25% e 65%. O transporte de arroz pelas estradas custará, segundo a CNI, 35% a 50% a mais no mercado interno, chegando a dobrar de preço no caso das exportações. Na indústria de aves e suínos, o impacto do tabelamento do frete rodoviário foi calculado em 63%. O frete de rações tenderia a aumentar mais de 80%.

A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) também pediu à Justiça Federal que suspenda imediatamente a Resolução 5.820. A entidade sustenta que o tabelamento dos preços mínimos dos fretes viola a livre concorrência, desorganizando o relacionamento comercial entre as indústrias e os transportadores.

Para a federação gaúcha, a “flagrante interferência do Estado nas relações econômicas privadas” tende a inibir a livre iniciativa e vai resultar no aumento dos custos para quem contrata o serviço das transportadoras e caminhoneiros autônomos.

Em defesa da suspensão do tabelamento, a Fiergs recorre a argumento atribuído ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), sustentando a viabilidade do governo estipular preços de referência, mas mantendo a liberdade das empresas cobrarem os valores que julgarem adequados.

Ontem (7), a Justiça Federal no Rio Grande do Norte concedeu uma medida liminar (provisória) para suspender os efeitos da Medida Provisória 832, autorizando duas empresas do ramo de sal a não cumprirem a tabela da ANTT. As empresas alegaram que a medida é inconstitucional, por violar princípios como o da livre iniciativa e livre concorrência, argumento acolhido pelo juiz Orlan Donato Rocha, da 8ª Vara Federal.

(Agência Brasil/Foto – Zanone Fraissati, da Folhapress)

XXVIII Cine Ceará – Curta de animação feito por alunos da rede pública vai abrir festival

A oficina “Enel Compartilha Animação”, que está produzindo o curta-metragem de abertura do 28º Cine Ceará junto a alunos da rede pública, teve sua primeira etapa concluída na última semana de maio. Agora em junho, o NUCA (Núcleo de Cinema de Animação) e a Casa Amarela Eusélio Oliveira, da UFC, dão início à etapa de finalização.

Os alunos fizeram mais de 700 desenhos, como destaca Telmo Carvalho, professor da oficina: “Eles produziram muito no período de um mês: houve um grupo dos animadores, da limpeza do traço e o pessoal da pintura. A gente agora vai pegar todo esse material e fazer uma edição. Colocar música, sonoplastia e créditos. A animação está ficando muito boa”.

O curta-metragem terá a duração de até cinco minutos e será exibido na noite do dia 4 de agosto, no Cineteatro São Luiz. O tema do projeto esse ano é “Segurança com a rede elétrica”.

Dólar cai para R$ 3,74 após ação do Banco Central

A ação do Banco Central de oferecer US$ 20 bilhões em swaps cambiais (venda futura da moeda norte-americana) até o fim da próxima semana, anunciada na noite de ontem (7), serviu para conter o aumento do dólar no mercado. Por volta das 13h, o dólar comercial estava cotado para venda a R$ 3,7455, registrando forte queda de 4,59%. A moeda abriu hoje (8) cotada a R$ 3,80, queda de 2,5% diante do cenário de ontem, quando fechou próximo de R$ 3,92.

No início da tarde de hoje, a Bovespa continuava operando em queda (-2%), depois de ensaiar leve alta pela manhã. Ontem, em dia de mercado nervoso, a Bolsa de Valores de São Paulo alcançou o menor índice desde dezembro do ano passado. Na quinta-feira (6), o índice chegou a cair 6,5% durante o pregão da tarde.

A Eletrobras liderava a lista de baixas (-7%), seguida pela Suzano. Os papéis da Petrobras, Vale e Itaú também estavam em queda no pregão neste início da tarde.

(Agência Brasil)

Vem aí “Cabra da peste”, novo projeto do cineasta Halder Gomes

Halder Gomes, diretor dos sucessos de público “Cine Holliúdy” e “Os Parças”, tem um novo projeto na manga.

Segundo o jornalista Lauro Jardim, colunista d O Globo, vem aí “Cabras da peste”. No filme, Bruce Li, um policial da menor cidade do sertão cearense, e Trindade, um investigador de escritório em São Paulo, têm que se unir para desmascarar uma quadrilha que atua nos dois estados.

Em fase de captação, o filme tem orçamento de R$ 8 milhões.

Sindigráfica do Ceará sob nova direção a partir de julho

O presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do Ceará, Raul Fontenelle, participou, em Brasília, do IV Intercâmbio de Lideranças Setoriais da Indústria Gráfica. A iniciativa fez parte do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), da Confederação Nacional da Industria (CNI) e em parceria com as Federações de Indústria.

No encontro, Raul conferiu a avaliação que esse mercado fez sobre os cenários da economia. Foi também a última agenda nacional do empresário que comanda o Sindigráfica. Em julho, ele passa a presidência para Felipe Esteves.

(Foto – Fiec)

FMI considera adequada atuação do BC para conter alta do dólar

O diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) para as Américas, Alejandro Werner, afirmou hoje (8) que o anúncio do Banco Central do Brasil de que não utilizará a política monetária para controlar a alta do dólar é uma decisão adequada. “Para administrar, suavizar e evitar condições desordenadas nos mercados financeiros, como no de câmbio, há outros instrumentos”, afirmou. A política utilizada pelo Banco Central, até agora, tem sido os leilões de swaps cambiais.

Ontem (7), o presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, havia dito que não iria usar a taxa básica de juros, a Selic, para interferir no câmbio. Ele assegurou que a política monetária continuará sendo utilizada para controlar a inflação, sua função principal. Goldfajn também afirmou que até o final da semana que vem ocorrerão leilões adicionais de contrato de swap cambial no valor total de US$ 20 bilhões.

“Cremos que, em termos gerais, são os princípios adequados à condução da política monetária e financeira do Brasil. Claramente, o movimento das moedas dos países desenvolvidos tem impacto sobre os países emergentes”, afirmou o diretor do FMI. Segundo ele, há mercados emergentes vulneráveis, mas também há um grupo de emergentes que tem setor financeiro sólido “que vão permitir enfrentar muito bem a situação”.

Quando questionado se o Brasil estaria entre o grupo de países vulneráveis, o diretor afirmou que o país não tem questões preocupantes relacionadas a vulnerabilidades externas, como problemas em conta corrente. “É uma economia que não tem uma necessidade de financiamento externo grande”, afirmou.

Ainda assim, o diretor comentou o desequilíbrio fiscal brasileiro e a importância de discutir o tema durante as eleições deste ano. “Nos últimos anos, o Brasil passou a enfrentar um desafio fiscal muito importante, e esse desafio é muito grande e já está presente no debate político com as discussões da reforma previdenciária”, disse. As declarações foram feitas durante uma coletiva do FMI realizada hoje para detalhar o acordo fechado ontem entre o fundo e a Argentina, que colocará US$ 50 bilhões a disposição do país durante 36 meses.

“A agenda do Brasil, para os próximos anos para poder consolidar sua situação econômica está muito clara e isso estará presente no processo eleitoral, e o próximo governo dará os sinais importantes para ver se estes pontos avançam ou não”, concluiu Werner.

Saiba mais
Argent

STF libera ação penal contra Gleisi Hoffmann para julgamento

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, liberou hoje (8) para julgamento seu voto na ação penal sobre a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. No processo, ambos são réus pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, na Operação Lava Jato.

Com a liberação, caberá ao presidente da Segunda Turma do STF, Ricardo Lewandowski, marcar a data do julgamento. Celso de Mello é o revisor da ação penal e, de acordo com regimento interno da Corte, cabe a ele liberar o caso para julgamento após revisar o voto do relator, Edson Fachin.

A senadora Gleisi Hoffmann alega que todos os recursos recebidos para a campanha foram legais – Marcelo Camargo/Agência Brasil
Em novembro do ano passado, ao apresentar as alegações finais no caso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a condenação da senadora e de Paulo Bernardo. No processo, ambos são acusados de receber R$ 1 milhão para a campanha da senadora, em 2010.

Na manifestação, última fase do processo antes da sentença, Dodge pede que Gleisi e Paulo Bernardo também sejam condenados ao pagamento de R$ 4 milhões de indenização aos cofres públicos, valor quatro vezes maior do que o montante que teria sido desviado da Petrobras.

De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor da suposta propina paga a Gleisi e Paulo Bernardo é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras. O casal foi citado nas delações do doleiro Alberto Youssef.

Defesa

Em documento encaminhado ao Supremo durante a fase de defesa, os advogados do casal afirmaram que as acusações são “meras conjecturas feitas às pressas” em função de acordos de delação premiada.

“A requerida [senadora] jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral”, afirmou a defesa, na ocasião.

(Agência Brasil)

Estado do Ceará recupera mais de R$ 51 milhões com processos fiscais

O Poder Judiciário cearense recuperou por meio de julgamentos de processos fiscais o montante de R$ 51.216.100,86 para o Estado do Ceará, durante o ano de 2017. Esse valor retornou aos cofres públicos após a conclusão de ações judiciais que cobravam dívidas tributárias e não tributárias. A informação é da assessoria de imprensa do TJCE.

O desembargador do Tribunal de Justiça do Ceará, Francisco Carneiro Lima, explicou que esses valores são revertidos para o ente público “a fim de proporcionar o custeio de serviços públicos, como segurança, saúde, infraestrutura, entre outros”.

O magistrado é o gestor da Meta 5, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem como objetivo impulsionar processos à execução (Justiça Estadual, Justiça Federal e Justiça do Trabalho). No âmbito do Judiciário estadual, visa estabelecer política de desjudicialização e de enfrentamento do estoque de processos de execução fiscal, até 31 de dezembro de 2018.

Em Fortaleza, seis Varas de Execuções Fiscais e de Crimes contra a Ordem Tributária são responsáveis pelo julgamento e execução dessas dívidas. Durante 2017, essas unidades julgaram 7.906 ações.

Nada de abrir mão do verde-amarelo

257 1

Com o título “Abrir mão do verde-amarelo é um erro de estratégia”, eis artigo do jornalista Ítalo Coriolano, que pode ser conferido também no O POVO desta sexta-feira. “O verde e amarelo são mais que simples variações do espectro luminoso. Carregam histórias, paixões, orgulhos, sentimentos de pertencimento.”, diz o texto Confira:

Já faz algumas semanas que uma nova polêmica domina redes sociais e rodas de conversa: que cor devo usar durante os jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo? Dentro de um contexto de acirramento político que o País atravessa, uma parte da população mais à esquerda, para não ser confundida com o que eles classificam de “golpistas”, “coxinhas”, “patos paneleiros” e afins, decidiu que não vai se vestir de verde e amarelo – cores que predominaram nos protestos favoráveis ao impeachment da ex-presidente Dilma. Em vez disso, usarão uma versão vermelha do traje oficial, criação da designer Luísa Cardoso.

Ocorre que os militantes/torcedores podem estar cometendo grave equívoco, em termos estratégicos. Afinal, estão entregando de mão beijada para o lado “inimigo” um símbolo consolidado há décadas, parte fundamental do imaginário coletivo sobre a ideia de nação, de identidade. E aqui não se trata de defender um patriotismo cego, acéfalo, homogeneizante, mas de destacar que as cores que representam o País são a da nossa bandeira, estando acima de qualquer ideologia ou picuinha eleitoral. Quem delas se apropria acaba se fortalecendo na disputa por corações e mentes. O verde e amarelo são mais que simples variações do espectro luminoso. Carregam histórias, paixões, orgulhos, sentimentos de pertencimento.

Vale lembrar que por muito tempo, sempre que a esquerda ameaçava chegar ao poder, adversários faziam espécie de terrorismo psicológico, espalhando que as cores da bandeira seriam alteradas em caso de vitória “comunista”. Na disputa pela prefeitura de Juazeiro do Norte, no ano 2000, alas conservadoras espalharam boato de que a então candidata pelo PT, Íris Tavares, iria pintar a estátua de Padre Cícero de vermelho caso fosse eleita. Ela, que vinha crescendo, acabou derrotada. Isso é só para se ter noção do quanto essa questão imagética mexe com as pessoas. No momento em que a esquerda põe de lado as cores nacionais, ajuda a alimentar o discurso de que alguns grupos colocam partidos acima do País.

Ao mesmo tempo, não se está defendendo que é impossível ser crítico neste momento. Dá pra gritar um “Fora, Temer”, lutar por mais democracia, vestindo a “amarelinha”. Principalmente quando projetos que flertam com o fascismo se colocam como verdadeiros defensores do País.

*Ítalo Coriolano

italocoriolano@gmail.com

Editor do OPOVO Online.

Ministro do STF nega segmento a mandado de injunção de cearense em favor do reajuste da tabela do IR

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, negou segmento a um mandado de injunção interposto pelo professor universitário e advogado cearense Antônio Carlos Fernandes. No mandado, o advogado pede ao STF que cobre do Congresso Nacional a votação de projeto de lei corrigindo a tabela do Imposto de Renda.

“Vou recorrer!”, avisa  Antonio Fernandes, que conversou com a reportagem do Blog sobre essa sua nova luta. Fernandes, bom lembrar, conseguiu, com uma ação popular interposta no Supremo, derrubou decreto presidencial que extinguia a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) da Amazônia.

Custo da construção civil sobe 0,55% em maio, diz IBGE

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registrou inflação de 0,55% em maio deste ano. Essa é a maior taxa de 2018, ficando acima do 0,26% registrado em abril. O Sinapi de maio deste ano também superou a taxa de maio de 2017 (0,3%).

O indicador acumula taxas de inflação de 1,53% no ano e de 3,87% em 12 meses. Os dados foram divulgados hoje (8) pelo IBGE.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, passou de R$ 1.077,16 para R$ 1.083,13 por metro quadrado em maio. Os materiais de construção tiveram alta de preços de 0,27% e passaram a custar R$ 555,64 por metro quadrado. Os materiais acumulam taxa de 1,95% no ano e de 3,63% em 12 meses.

Já o custo da mão de obra teve aumento de 0,86% e passou a ser de R$ 527,49 por metro quadrado. A mão de obra acumula altas de preços de 1,11% no ano e de 4,16% em 12 meses.

(Agência Brasil)