Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Izolda volta a ser entrevistada em programa nacional

87 2

izolda cela

Depois de destacar a educação de Sobral, no Fantástico, a ex-secretária da Educação do Estado, Izolda Cela, volta a ser entrevistada em programa nacional.

Dessa vez, a ex-secretária falará dos números de sua gestão à apresentadora da GloboNews, Miriam Leitão. A entrevista vai ao ar no próximo mês.

Alguém duvida que a pré-candidata encabeça a chamada na “lousa” de Cid Gomes?

Conselho de Ética votará parecer preliminar contra André Vargas na terça-feira

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados se reúne, na terça-feira (22), para a apresentação, discussão e votação do parecer preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) na representação por quebra de decoro contra o deputado licenciado André Vargas (PT-PR).

Júlio Delgado já adiantou que seu parecer será pela admissibilidade do processo. A representação do PSDB, DEM e PPS pede a investigação das denúncias de envolvimento de André Vargas com o doleiro Alberto Youssef, preso durante a operação Lava Jato, da Polícia Federal, contra a lavagem de dinheiro.

Se for aprovado o parecer preliminar, Vargas será notificado e, só aí, começa a contar o prazo de 10 dias para a entrega da sua defesa escrita. Neste documento, ele vai sustentar seus argumentos, apresentar provas e indicar testemunhas de defesa, no número máximo de oito.

(Agência Câmara Notícias)

O povo entrará em campo

87 3

foto herbert lobo

Em artigo enviado ao Blog, o secretário Geral do PPS Ceará, Herbert Lobo, avalia a última pesquisa à Presidência da República. Confira:

A pesquisa DataFolha sobre a sucessão presidencial, divulgada no último 5 de abril, traz dados relevantes para quem pretende analisar o ambiente político pré-eleitoral.

É bem verdade que a intenção de voto, nesse ou naquele candidato, em uma pesquisa tão distante do dia 05 de outubro, pode mudar drasticamente, mas a imagem de um governo e de um governante é formatada ao longo dos anos, leva tempo para se construir e, talvez, mais tempo ainda para se reconstruir.

Para 72% dos eleitores pesquisados as ações do governo da presidente Dilma Rousseff deveriam ser diferentes das implementadas atualmente. Já para 63% dos cidadãos brasileiros, Dilma faz menos do se esperava dela. Ou seja, além de não haver sintonia entre governo e população, a presidente está abaixo das expectativas.

Até aqui, o maior adversário de Dilma é Dilma. Suas promessas e expectativas não concretizadas, sua frágil liderança, além da tutela imposta pelo seu ex-chefe e aceita por ela, são alguns dos ingredientes que compõem a descrença nela e em seu governo.

Dilma não é mais a candidata do ex-presidente Lula, será candidata de si mesma.

Todos os presidentes da redemocratização para cá deram sua contribuição para o desenvolvimento do Brasil, no entanto, ainda falta um projeto de país, um plano estratégico de desenvolvimento. Vive-se de espasmos de crescimento, de políticas públicas, programas e projetos de ocasião.

Por acreditar que o Brasil pode muito mais, por não temer assumir posições políticas – mesmo quando parece remar contra a maré e as conveniências estabelecidas – o PPS estará mais uma vez na defesa do povo brasileiro e do melhor para Brasil.

Ao lado de Eduardo Campos e Marina Silva, nós do PPS, discutiremos com o povo brasileiro uma agenda estratégica para o país a partir de uma aliança programática, que priorize o desenvolvimento sustentado e sustentável, que avance nas reformas necessárias ao país – que até aqui não deixaram de ser promessas; que qualifique e dê eficiência às políticas e serviços públicos, respeitando o dinheiro dos impostos, que recoloque nossa economia nos eixos e amplie nossa capacidade de crescimento.

Discutiremos com a nação as melhores ideias para enfrentar os desafios necessários para construção de um novo Brasil, onde as expectativas da cidadania, majoritariamente, sejam alcançadas, para que o próximo governo esteja e permaneça sintonizado com os brasileiros.

Nessas eleições o povo não ficará na arquibancada, entrará em campo.

José Serra está internado no Hospital Sírio-Libanês

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) está internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. A informação foi confirmada neste sábado (19) pela assessoria de imprensa do hospital, mas não foram dados detalhes sobre os motivos da internação ou o estado de saúde dele. A assessoria de José Serra informou, por sua vez, que ele deu entrada na quarta-feira (16) na unidade para tratar de bactérias no sangue.

No final de janeiro deste ano, Serra passou por uma cirurgia de próstata também no Sírio-Libanês. De acordo com o boletim médico, a intervenção foi necessária para “tratamento de quadro de crescimento benigno local”. A análise do material removido mostrou que não havia necessidade de tratamento adicional e que ele estava apto a retomar atividades rotineiras. O ex-governador recebeu alta no dia 31.

Além de governador, eleito em 2006, José Serra foi prefeito da capital paulista, elegendo-se em 2004. Foi também candidato à Presidência da República em 2002 e 2010.

(Agência Brasil)

Magno Malta anuncia realização de debate no Senado sobre legalização da maconha

O Senado vai promover, em breve, um debate sobre a descriminalização das drogas no país. É o que informa o senador Magno Malta (PR-ES), que terá como convidados a audiência o médico Dráuzio Varella e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Magno Malta disse estar contente com a possibilidade do debate com Fernando Henrique, porque, em seu governo, foi criada a Secretaria Nacional Anti-drogas, exatamente para enfrentar as drogas no país. No entanto, depois que deixou a Presidência do país Fernando Henrique teria se tornado “um arauto da legalização da maconha”, disse o senador.

– Quero saber dele se está pronto para embarcar num avião em que o piloto é fumador de maconha, se ele disser ‘sim’, eu vou virar um arauto também com ele. Quero saber também se ele já foi a algum presídio, domingo à tarde, pra ver mãe chorando entrando presídio para visitar filhos que tomaram rumos diversos no crime por conta da maconha. Ou se ele já foi a algum cemitério ver mãe chorando em cima de túmulo de filho de 14, 20, 30 anos, porque a maconha os conduziu ao crime e a morte – disse o senador.

Magno Malta informou que convidará para o debate ex-usuários de drogas, que começaram exatamente com a maconha, e também pessoas que estão em recuperação.

(Agência Senado)

Faltam interesse e vontade política de assumir a questão indígena, diz Cimi

Bispo do Xingu, na Amazônia, desde 1981, e em seu segundo mandato como presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), dom Erwin Krautler acredita que os povos indígenas não têm o que comemorar neste dia 19, Dia do Índio. Para ele, a situação desses povos tradicionais piorou nos últimos anos, tanto pela demora na demarcação de terras indígenas, o que favorece os conflitos fundiários e a violência, quanto pela falta de atenção governamental a direitos como saúde e educação.

Crítico de megaempreendimentos na Amazônia, como a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, dom Erwin, que também é secretário da Comissão Episcopal para a Amazônia, foi recebido pelo papa Francisco no Vaticano, no último dia 4. Na ocasião, o bispo denunciou os problemas enfrentados pelos povos indígenas, ribeirinhos e pelas comunidades amazônidas.

“Vivo na Amazônia há quase 50 anos. Sou uma testemunha qualificada para falar sobre esses assuntos. E, como bispo, tenho o direito e a obrigação de chamar a atenção sempre que os direitos humanos forem violados”, disse o austríaco, que tem cidadania brasileira há 23 anos.

(Agência Brasil)

Quase me rendendo aos do contra

58 4

Em artigo no O POVO deste sábado (19), o jornalista Luiz Henrique Campos comenta das dificuldades do torcedor brasileiro na Copa. Confira:

Fui entusiasta de primeira hora da realização da Copa do Mundo de Futebol no Brasil neste ano. Não no sentido ufanista de que a vinda do evento para o país significaria que todos nossos problemas seriam resolvidos em um passe de mágica, e que nós definitivamente passaríamos à categoria de nação de primeiro mundo. Não! Achava e ainda tenho uma pontinha de esperança de que possamos capitalizar benefícios com o evento, seja no aspecto econômico ou no que diz respeito a mostrar ao mundo do que somos capazes de fazer a partir de nossa capacidade de lidar com as dificuldades.

Confesso, porém, que a menos de dois meses para o início da Copa, uma pulguinha na orelha já me faz ver as coisas de uma outra maneira. Primeiro, porque o que poderia trazer de alegria para o nosso povo, amante do futebol, não deverá ser traduzido no que se estava prognosticando. O campeonato de futebol da Fifa, sim, porque o evento é mais dela do que do povo brasileiro, mostra-se muito mais voltado para uma elite de privilegiados, do que propriamente para a maioria de nós mortais.

Ingressos com preços altíssimos e difíceis de serem adquiridos, nos passam a sensação de sermos estranhos em nossa própria casa. Não à toa, é praticamente inexistente o clima de Copa em quase todas as cidades sedes pelo Brasil. Hoje, há mais preocupação com possíveis manifestações durante os jogos, do que propriamente com o espetáculo das partidas. De outro lado, o chamado legado de infraestrutura previsto na área de mobilidade urbana mostrou-se uma falácia. Estamos, arriscaria dizer, enfrentando mais problemas do que quando fomos anunciados como sede dos jogos.

O fato, é que se não queria me render aos do contra, começo a considerar a possibilidade de reconhecer, que mesmo não concordando com a forma dos protestos desfavoráveis à Copa, é impossível negar a fundamentação lógica dessa grita.

Além de termos aceito as mais variadas imposições da entidade organizadora do mundial, mudando leis e alterando regras existentes em nosso país, já temo que o custo benefício não nos seja favorável, e ainda tenhamos que arcar com esse erro no futuro.

O espaço aberto na sucessão presidencial

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (19), pelo jornalista Érico Firmo:

Dilma Rousseff (PT) caiu para 37% na pesquisa Ibope, índice bastante baixo para quem já surfou em popularidade recorde e está há quase três anos e meio no governo. Mas ainda suficiente com larga margem para dar a ela a vitória no primeiro turno, pois representa mais da metade das intenções de votos válidos. Na mesma pesquisa, percentual igual ao da presidente é obtido pelos eleitores que dizem votar em branco, nulo, não sabe ou não respondeu. Enquanto isso, Aécio Neves (PSDB), com 14%, e Eduardo Campos (PSB), com 6%, não empolgam como alternativas reais de poder. O índice de “não voto” é quase o dobro da soma dos principais opositores de Dilma e isso diz muito sobre o sentimento do eleitor em relação às opções colocadas.

Existe sentimento de insatisfação, que se materializa nas pesquisas. Dilma está frágil e entra na campanha vulnerável. Porém, ninguém – até agora – consegue tirar proveito desse cenário. Há uma margem enorme para o surgimento de uma força alternativa, que apresente algo de diferente e canalize a insatisfação do eleitor. Em pré-campanha há bastante tempo, nem Campos nem Aécio conseguiram ainda se mostrar como alternativa melhor aos olhos desse público. Marina Silva (PSB), meses atrás, apareceu como nome capaz de impedir a vitória de Dilma no primeiro turno. Mas, nas simulações em que aparece, suas intenções de voto caíram, provavelmente diante da constatação do eleitor de que ela não será candidata. Porém, não transferiu a força que chegou a apresentar para seu colega de chapa Eduardo Campos.

Entre os demais partidos, não parece haver nada capaz de aproveitar esse vácuo aberto e surpreender. A mesmice generalizada contribui para o favoritismo de Dilma por inércia. Que não deixa, todavia, de estar com vulnerabilidade em nível preocupante para quem entrará na campanha. A surpresa que não houve até agora pode despontar com a propaganda no rádio e na televisão. As condições para tal estão dadas. Tem faltado o perfil adequado e a estratégia certa.

Aécio: Senado precisa do Tasso

225 8

foto tasso e aécio

O presidente nacional do PSDB e pré-candidato tucano à Presidência da República, senador Aécio neves, foi o entrevistado do programa Evandro Nogueira, na Verdinha 810, na manhã deste sábado (19). Por meia hora, Aécio falou de pesquisas eleitorais, inflação, Petrobras é do cenário político no Ceará, quando mais uma vez disse que torce pela candidatura Tasso Jereissati ao Senado.

“O Senado precisa do Tasso, uma das melhores figuras públicas que conheci na vida política. É profundo conhecedor das questões de interesse do povo brasileiro e defensor intransigente do Ceará”, comentou.

O pré-candidato tucano criticou o que chama de “contradição de discurso” no caso da Petrobras. Segundo Aécio Neves, enquanto a presidente da Petrobras, Graça Foster, admite que o negócio de Pasadena foi ruim para o Brasil, o ex-presidente da empresa, Sérgio Gabrielli, aponta a transação  como positiva para o país. “A CPI é fundamental para esclarecer quem tem razão”, avaliou.

Aécio Neves disse que as pesquisas eleitorais são irrelevantes no momento, diante de uma superexposição da presidente na mídia. “Não será surpresa se a candidata à reeleição sequer for para o segundo turno”, aposta o tucano, ao lamentar o retorno da inflação e sugerir um choque de gestão, que atualmente conta com 39 ministérios.

Na terça-feira (22), Aécio Neves estará à frente do encontro da Executiva Nacional do PSDB com os diretórios estaduais.

Roubo de carga gera prejuízo de R$ 1 bilhão em 2013

O número de roubos de cargas de caminhões em todo o Brasil continua aumentando. Estima-se que, em 2013, os casos de roubos de cargas tenham chegado a 15,2 mil, superando o ano de 2012, quando foram registrados 14,4 mil.

A estimativa foi divulgada pelo assessor de Segurança da Associação Nacional dos Transportadores de Carga e Logística (NTC), coronel Paulo Roberto Souza, durante o 14º Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas. O evento foi promovido pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal.

De acordo com o Paulo Roberto Souza, os dados de 2013 ainda não foram fechados, porque a associação está aguardando informações de alguns estados. O prejuízo às empresas com os roubos de cargas deve ter chegado a R$ 1 bilhão no ano passado. A maior incidência desse crime está na região Sudeste: aproximadamente 52% dos casos no estado de São Paulo e 23% no do Rio de Janeiro.

(Agência Câmara Notícias)

Transparência é…

74 1

charge eliomar cid descanso

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (19):

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou nota informando sobre consulta da presidente Dilma Rousseff para exames. A presidente enfrentou câncer. Aqui, o Governo do Estado omite dados sobre viagem de Cid Gomes para “descanso em clínica”.

Vamos nós – Nesse confuso lide da assessoria de imprensa do Governo faltou o “onde”.

Índios representam menos de 10% da população da época do descobrimento

foto índios

No Dia do Índio, várias manifestações estão agendadas no Brasil. O que deveria ser motivo de comemoração, passa ano após ano a ser uma data de protesto. Os números falam por si. Há cerca de 500 anos, mais de quatro milhões de índios habitavam o Brasil. Atualmente, a população indígena não chega a 350 mil habitantes.

Há Estados brasileiros que não mais registram a presença de grupos indígenas, como o Piauí e o Rio Grande do Norte, assim como a própria capital federal. Da população indígena no país, 60% está concentrada na Amazônia, com 53 grupos ainda não contatados pelo homem “civilizado”.

A maior batalha do índio, atualmente, é pela demarcação de terras. Pouco mais de um milhão de quilômetros quadrados (12,2% do território brasileiro e o dobro da Espanha) são reconhecidos como terras indígenas, mas boa parte ainda não demarcada.

Em ano de Copa do Mundo e às vésperas das Olimpíadas do Rio, os confrontos com os índios aumentaram em todo o país. No Rio, índios foram despejados em nome do Complexo Maracanã. A promessa é que um museu do índio seja erguido, a partir da estrutura conhecida como Aldeia Maracanã. E assim segue a história indígena no país, cada vez mais curta.

(com agências)

Indenizações por acidentes na Semana Santa dobram nos últimos cinco anos

No feriado da Semana Santa dos últimos cinco anos, o Brasil registrou uma média de mil acidentes com veículos com vítima por dia. Os dados são da Seguradora Líder, responsável pelo Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat), que apontam apenas os pedidos de indenização por morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares.

De acordo com a seguradora, foram 4.742 pagamentos para acidentes ocorridos durante o feriado de 2013, número 94,4% maior do que o registrado em 2009. O diretor de Relações Institucionais da seguradora, Marcio Norton, explica que o aumento da frota de motocicletas no país responde por parte desse aumento.

“Nas coberturas em geral e na invalidez permanente, no caso da moto é muito característico. A pessoa cai da motocicleta e não tem um airbag, um para-lama, um para-choque para proteger. Ela própria vai no chão e as lesões mais comuns são dos ossos longos das pernas e braços. A invalidez, ainda que não seja total ou tenha uma perda anatômica de algum órgão, o motociclista tem a perda de movimento e de mobilidade, tem alguma sequela e aí tem a indenização de invalidez”.

Os acidentes envolvendo motocicletas são maioria e tiveram aumento maior do que a média geral: 122,5% em cinco anos, passando de 1.589 indenizações em 2009 para 3.535 em 2013. Só de invalidez permanente causada por acidentes com moto, o número passou de 994 para 2.591, um aumento de 160,7%.

As indenizações por morte aumentaram 23,6%, sendo 80% delas para vítimas do sexo masculino. Na Semana Santa do ano passado, foram 189 acidentes com morte na Região Nordeste, o que representa 34,4% do total, seguido do Sudeste, com 175 indenizações, 31,9%. O número ainda pode aumentar, já que a vítima ou beneficiário tem três anos para pedir a indenização.

Norton lembra que o trânsito no Brasil mata mais do que guerra e do que muitas doenças, número que aumenta em feriados prolongados como o do carnaval e da Semana Santa. “Morrem, em média, 125 pessoas por dia durante o ano, mas nesses períodos sobe para 150, 160, e consequentemente também o número de invalidez e outros danos, que cresce também”.

O seguro Dpvat foi criado em 1974 e é pago a todas as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil, seja ela motorista, passageiro ou pedestre, e sem apuração de culpa. São três coberturas: morte (R$ 13,5 mil), invalidez permanente (até R$ 13,5 mil) e reembolso de despesas médicas e hospitalares (até R$ 2,7 mil). Os documentos necessários para fazer o pedido e os pontos de atendimento podem ser consultados no site www.dpvatsegurodotransito.com.br.

(Agência Brasil)

Diferença de classe em internações do SUS é tema de audiência no Supremo

Estão abertas até a terça-feira (22) as inscrições para a audiência pública que vai discutir a chamada “diferença de classe” nas internações do Sistema Único de Saúde (SUS). O debate, marcado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o final de maio, vai ouvir a opinião de especialistas, Poder Público e sociedade civil sobre a possibilidade de melhoria na acomodação e de contratação de um profissional conforme escolha do paciente.

A audiência foi convocada para que os ministros do Supremo ouçam diferentes pontos de vista e possam julgar o Recurso Extraordinário 581488, que trata do tema. De acordo com o STF, cada pessoa deverá defender seu ponto de vista durante 15 minutos.

O STF deve analisar o recurso proposto pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do qual contesta a decisão da Justiça Federal da 4ª Região de não restabelecer a prática, proibida desde 1991. Para o tribunal, a “diferença de classe” é improcedente, pois trata de forma diferente os pacientes dentro de um sistema como o SUS, que prevê acesso universal e igualitário aos serviços de saúde.

Em 2012, os ministros do STF deliberaram que o julgamento terá repercussão geral, o que significa que a decisão que for tomada neste caso será aplicada em situações idênticas pelas instâncias inferiores.

O recurso tramita no STF desde 2008 depois que uma ação civil pública foi movida pelo conselho de medicina gaúcho contra a cidade de Canela (RS), para que o município, enquanto gestor municipal do SUS, fosse obrigado a permitir a “diferença de classe”.

A audiência está marcada para o dia 26 de maio e os interessados devem enviar e-mail para diferencadeclasse@stf.jus.br. A relação dos inscritos para o debate será divulgada no site do Supremo a partir do próximo dia 28.

(Agência Brasil)

Empresários cearenses buscam parcerias na China

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=NtsCMRr0WRE&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

Um negócio da China. Essa é a expectativa do presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), Honório Pinheiro, que está à frente de uma comitiva de empresários cearenses na busca de parcerias na China.

Segundo o dirigente, o Ceará busca estreitar a relação comercial com a China, atualmente intermediada por São Paulo.

(Joelma Leal, da China, especial da o Blog)

Chove em 57 cidades do Ceará

Choveu em 57 dos 184 municípios do Ceará entre as 7 horas dessa quinta-feira (17) e as 7h desta sexta-feira (18), segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Viçosa do Ceará teve a maior precipitação do Ceará nesta madrugada, com 60 mm.

Em segundo lugar ficou Reriutaba, com 57 mm. Além disso, registraram maiores chuvas os municípios de Mucambo (55 mm), Mauriti (54 mm), Crato (49 mm), Ibicuitinga (46.2 mm), Graça (43 mm), Viçosa do Ceará (38.8 mm) e Granja (38 mm). Em Fortaleza, a precipitação foi de 26.8 mm, registrado no posto Pici.

Embora a média de chuvas em abril tenha sido superior a do mês de março, não houve fortes alterações nos números de reservatórios em alerta no Ceará. Dos 139 açudes monitorados, 99 ainda estão com volumes inferiores a 30% e metade das 12 bacias hidrográficas cearenses não apresentou aumento do volume d’água.

(O POVO Online)