Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Cid, Eunício e tantas emoções

foto cid e eunício

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira:

Quem foi ao show do cantor Roberto Carlos na noite do último sábado, no Castelão, não conferiu só uma boa apresentação, apesar de um som com certas falhas, principalmente quando o “Rei” conversava com os fãs. Nos camarotes, detalhes nada pequenos da política sucessória já apontavam para uma futura disputa eleitoral de script cheio de emoções.

O pré-candidato Eunício Oliveira (PMDB) circulou alguns camarotes naquela de “Esse cara sou eu!”, enquanto Cid Gomes recebia, no camarote do Governo, amigos de fé como Leônidas Cristino, Zezinho Albuquerque e Izolda Cela, governamentáveis do Pros, além do prefeito Roberto Cláudio, e do irmão Ciro Gomes. Mas Cid evitou eleições. Queria tirar o estresse. Curtiu o “Rei” feito fã de carteirinha, com direito a posar em fotos, ciceroneado pelo humorista Tom Cavalcante, apresentador da noite, que pediu ao público para entoar um “parabéns a você” para o Rei. É que dia 19, ele muda de idade.

Bem, enquanto Eunício, com o vice-prefeito Gaudêncio Lucena do lado, reiterava, no camarote da CDL – ali também estava o senador José Pimentel (PT) – que quer não só o apoio de Cid como “de todos os cearenses” para chegar à montanha e ficar bem mais perto do Abolição, o empresariado, entre cidistas e eunicistas, apostava: a cavalgada 2014, ao contrário do que canta o Rei, não terá estrada colorida.

HSBC é autuado por descumprir tempo de espera para atendimento

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon) autuou o HSBC por descumprir o tempo máximo de espera para o atendimento de clientes. O auto de infração ocorreu, após denuncia por telefone de diversos consumidores que esperavam há aproximadamente duas horas por atendimento na agência situada na avenida Santos Dumont, 3581, no bairro Aldeota. A fiscalização ocorreu às 13 horas de sexta-feira e verificou a presença de consumidores que esperavam na fila desde as 10h58min por atendimento.

Segundo a Lei Estadual nº 13.312/2013, que dispõe sobre o atendimento ao consumidor nos caixas das agências bancárias, o tempo máximo de espera é de 15 minutos, em dias normais; e até 30 minutos em véspera ou em dia imediatamente seguinte a feriados, em data de vencimento de tributos, em data de pagamento de vencimentos a servidores públicos e em data de início e final de cada mês.

O HSBC tem o prazo de 10 dias para apresentar defesa. Caso seja constatada a irregularidade, o Decon pode aplicar penalidade de multa de 200 a 3 milhões de Ufirces.

Lúcio Brasileiro em clima de festa

luciobrasileiro

Beto Studart, Luciana Dummar e o aniversariante.

O jornalista Lúcio Brasileiro comemorou nesse domingo, no Cumbuco (Caucaia), mais um ano de vida. Com apoio de Paulo César Santa Cruz, reuniu amigos em clima de lista das mais afetivas.

A presidente do Grupo de Comunicação O POVO, jornalista Luciana Dummar, e o presidente eleito da Federação das Indústrias do Estado, Beto Studart, estavam entre os convidados.

(Foto – Paulo MOska)

Golpe 50 Anos – Comissão de Anistia vai liberar indenização de última clandestina

“Deve sair em 60 dias a primeira mensalidade da reparação econômica concedida a Maria José Malheiros, perseguida durante a ditadura militar e declarada anistiada política no último dia 2. Ela é considerada a última clandestina de que se tem conhecimento no Brasil, pois ainda vive com nome falso. Além do pedido de desculpas pela perseguição sofrida, a Comissão da Anistia do governo federal também determinou o repasse mensal de R$ 1.583 e o pagamento de R$ 153.424 como dívida retroativa do Estado pela perda dos vínculos trabalhistas, quando Maria José teve que escapar da perseguição do regime.

“Talvez se trate da mais longeva hipótese de clandestinidade, por força da repressão política inaugurada em 1964 no Brasil”, informou o relatório do processo de anistia de Maria José, julgado na 76ª Caravana de Anistia em outubro do ano passado. Desde 2001, a Comissão da Anistia já recebeu 73 mil pedidos de anistia política, dos quais 63.733 haviam sido julgados até o fim de 2013.

De acordo com o Ministério da Justiça, 40,3 mil requerimentos foram acatados até o ano passado. Maria José Malheiros vivia com nome falso até a publicação da portaria do ministério. Para o presidente da comissão, Paulo Abrão, novos clandestinos podem ser encorajados a solicitar o certificado de anistiados políticos após conhecerem esse caso. “A reparação não é somente econômica, é também moral e simbólica e tem de acolher aspectos subjetivos”, afirma.

(Agência Brasil)

Ministro almoça na Fiec

teixeriaa

O ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, será recebido para almoço nesta segunda-feira, a partir da 12 horas, na sede da Federação das Indústrias do Estado (Fiec). O almoço chega como uma gentileza da entidade ao ministro que, na última semana, levou um grupo de empresários cearenses, para ver o andamento das obras da transposição do rio São Francisco.

O presidente da Fiec, Roberto Macedo, comandará, ao lado do presidente eleito da entidade, Beto Studart.

Mercado financeiro prevê mais inflação e menos crescimento econômico

63 1

“A projeção de instituições financeiras para a inflação subiu pela quinta semana seguida, mostra a pesquisa semanal, feita pelo Banco Central (BC), sobre os principais indicadores econômicos. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desta vez, passou de 6,30% para 6,35% este ano. Para 2015, a projeção subiu de 5,80% para 5,84%. As estimativas para 2014 e o próximo ano estão acima do centro da meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,5%, com margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Quando considera que a inflação está em alta, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC eleva a taxa básica de juros, como fez na semana passada, ao ajustar a Selic em 0,25 ponto percentual, para 11% ao ano. A expectativa das instituições financeiras é que ao fim de 2014, a Selic estará em 11,25% ao ano, ou seja, deve haver mais uma alta. Para o fim de 2015, a expectativa é 12% ao ano.”

(Agência Brasil)

Comissão torna enganosa publicidade que omite dados sobre produto ou serviço

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática aprovou proposta que torna enganosa por omissão publicidade que deixar de informar “dado essencial sobre o produto ou serviço anunciado”.

Pelo texto aprovado, o substitutivo do relator, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), a empresa poderá, entretanto, informar esses dados pela internet ou por telefone, desde que a ligação seja gratuita.

O projeto original (5344/01), do ex-deputado Cabo Júlio, considera enganoso o texto publicitário que não apresentar o valor das prestações, a taxa de juros e demais encargos financeiros nas compras a prazo.

Pelo Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) essa conduta pode ser punida com detenção de três meses a um ano e multa.

(Agência Câmara Notícias)

Movimento de mulheres distribui alfinetes contra assédio no transporte público

Uma ação do movimento Mulheres em Luta distribuiu cerca de 400 alfinetes na Estação Capão Redondo do metrô de São Paulo, durante o horário de pico. 80% das mulheres que sofrem assédio em situações que são presenciadas por eles preferem não prestar queixa.

Alguns dos abusadores, inclusive, aproveitam-se da impunidade para continuar agindo. Um dos encoxadores mais conhecidos pelos agentes tem nove passagens pela polícia e já foi pego praticando assédio sexual em shoppings centers, elevadores, ônibus e vagões de metrô e trem. “Ele sempre diz que não consegue evitar, porque tem ‘frotteurismo’”, conta um dos agentes, que não pode ter a identidade revelada.

Segundo a Secretaria Estadual da Segurança Pública, este ano foram registrados, em todo o Estado, 285 casos de importunação ofensiva ao pudor – quando a vítima é assediada sexualmente em local público. Desses casos, 17 ocorreram dentro de coletivos e 13 nos pontos de ônibus.

Na Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), apenas nos três primeiros meses deste ano 33 homens foram detidos sob a acusação de assédio dentro dos vagões e nas estações de metrô e trem da capital paulista. Desses, dois foram presos em flagrante e permanecem presos e apenas um foi enquadrado por estupro.

(Agência Brasil)

Tasso lamenta falecimento de Byron

O ex-senador Tasso Jereissati lamentou o falecimento do ex-presidente do Banco do Nordeste, Byron Queiroz, vítima de complicações decorrentes de uma úlcera, nesse sábado (5), aos 66 anos.

“O Byron foi um grande amigo, um homem excepcionalmente eficiente na sua profissão, tendo conseguido grandes resultados por todos os lugares onde passou. Um homem profundamente injustiçado, o que ele não merecia”, comentou Jereissati, por meio de sua assessoria de imprensa.

Tasso se encontra nos Estados Unidos, onde cumpre agenda empresarial. Ao tomar conhecimento da morte de Byron Queiroz, ainda nesse sábado, conversou com familiares do ex-presidente do Banco do Nordeste, quando prestou solidariedade.

No primeiro Governo Tasso, Byron Queiroz foi secretário de Planejamento.

Professores são capacitados em noções de Direito

Um grupo de 25 professores de escolas públicas profissionalizantes de Fortaleza participou do IV Seminário de Capacitação de Multiplicadores do programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC). O treinamento foi realizado na Escolha Judicial do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, na sexta-feira (4), como forma de capacitar educadores para repassarem noções de Direito aos alunos.

“Esse projeto surgiu porque muitos trabalhadores ainda desconhecem direitos básicos”, afirmou uma das coordenadoras do TJC, juíza do trabalho Kelly Porto. Para a magistrada, o fato de os juízes saírem do Fórum e irem às escolas dialogar com professores e alunos é uma forma de democratização do conhecimento. No Ceará, o programa é realizado pela Associação dos Magistrados do Trabalho (Amatra7), em parceria com a Secretaria de Educação do Estado.

Conversaram com os professores a desembargadora Regina Gláucia Nepomuceno, que é gestora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil, o presidente da Amatra7, juiz Antonio Gonçalves Pereira, e as juízas Kaline Lewinter e Daniela Pessoas Gomes. Também participaram do evento o procurador do trabalho Antônio Oliveira, a deputada Rachel Marques e a representante da Secretaria Estadual de Educação, Maria Socorro dos Santos.

(TRT-CE)

Presidente da Assembleia Legislativa diz que “cultura nordestina perde uma de suas referências”

“Com grande tristeza, recebemos, a notícia do falecimento do ator e comentarista de cinema José Wilker. Natural de Juazeiro do Norte, ele levou a todo o País o talento do cearense, por meio de grandes atuações no cinema, no teatro e na televisão, ao longo de quase 50 anos de carreira.

A Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, por meio de seus 46 deputados e do conjunto de servidores, se junta a todos os cearenses na despedida de um de seus mais ilustres filhos. A cultura nordestina perde uma de suas referências”.

Deputado Zezinho Albuquerque, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Governador Cid Gomes lamenta morte de José Wilker

O Governo do Ceará e todos os cearenses lamentam a morte de um de seus mais ilustres filhos.

Natural de Juazeiro do Norte, o ator José Wilker nos encheu de orgulho ao levar aos palcos e telas do Brasil e do mundo seu talento e sensibilidade, reunidos em quase cinquenta anos de uma bela carreira.

Neste momento, nos solidarizamos com os familiares e amigos deste homem que expôs e eternizou, com sua arte, o brilho e a genialidade do artista nordestino.

Registramos nossa saudade.

Cid Ferreira Gomes, governador do Estado do Ceará

A crônica de uma decisão

72 1

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo(6):

Sexta-feira foi o dia do “fico”. Fica Cid Gomes, o governador. Fica Domingos Filho, o vice-governador. Acabou por se confirmar o plano inicial nutrido por Cid durante quase todo o segundo mandato. Porém, não foi esse o plano que a ele se impôs nos últimos dias.

Com a candidatura de Eunício Oliveira em campo, o governador passou a considerar necessário eleger o irmão Ciro senador. Para isso, bastava Cid abdicar do Governo para deixar Ciro elegível. Simples, não? Sim, mas havia algo a resolver. No caso, quem assumiria o Governo com a saída de Cid.

Ora, caberia ao vice assumir a tarefa. Afinal, Domingos Filho havia sido escolhido pelo próprio Cid para a vice. Antes, como deputado e como presidente da Assembleia, deu todas as demonstrações de apreço e fidelidade ao governador.

Ainda no PMDB, Domingos dizia que não era “peemedebista”, mas sim “cidista”. Depois, saiu da sigla para se juntar ao Pros, o asilo político de Cid e companhia. No Governo, assumiu tarefas importantes e foi um vice de comportamento exemplar. Muito discreto, e sem jamais causar desconfortos ao titular.

Mas, Domingos é de Tauá, no árido Sertão dos Inhamuns. Não é de Sobral e nem da Região Norte. Sua tradição política familiar é outra. Portanto, por mais fiel e dedicado que tenha sido, não era homem da absoluta confiança do grupo do governador.

Na reunião da tarde de quinta-feira, quando perguntado, Domingos disse que sua intenção era assumir o Governo caso Cid decidisse sair. Declarou que se assim fosse iria trabalhar para viabilizar-se como candidato ao Governo. Também disse que caso não conseguisse a indicação, apoiaria com vigor o nome do partido.

No entanto, não eram esses os planos do governador. O projeto era o seguinte: Cid sai. Domingos também sai. Assim, o governo cairia no colo de Zezinho Albuquerque, o presidente da Assembleia amigo-irmão de Cid e Ciro.

Domingos bateu pé. Sugeriram-lhe outras possibilidades. Um Ministério, por exemplo. Dilma não se oporia. Que tal uma vaga vitalícia em um tribunal de contas? Ou um mandato parlamentar? O vice manteve-se firme.

Diante da legítima resistência, na noite de quinta-feira Ciro formulou um “aventureiro” que a crônica política leu como um injusto ataque dirigido a Domingos. No dia seguinte,

Cid enterra o plano de renunciar e declara que levará o mandato até o fim.

Trocando em miúdos, o projeto é entregar o poder a um membro do grupo. A ninguém mais.

E combinaram com os russos?

105 9

Em artigo enviado ao Blog, o presidente do PSB-CE e membro da Executiva PSB Nacional, Sérgio Novais, comenta da permanência de Cid Gomes à frente do Governo e a relação com o vice-governador Domingos Filho. Confira:

Depois de alguns dias de fatos e especulações políticas, o jogo de poder dos Ferreira Gomes foi aberto. A saída do Governador tinha alguns objetivos imediatos e de curto prazo. Vejamos: inicialmente garantiria alguma consistência à chapa a ser apresentada pelo Pros, pois o irmão mais falante seria candidato ao Senado. Logo a seguir teríamos a eleição pelos deputados, do presidente Zezinho Albuquerque, governador tampão (pasmem, com votos já garantidos até de alguns opositores). Em seguida teríamos a ascensão natural do deputado Tim Gomes à presidência da Assembleia Legislativa (ou seja, a fila do grupo político dos Ferreira Gomes ia andar – motivações pela luta do poder que avizinha-se).

Seguindo o raciocínio, teríamos o já ex-governador (o irmão mais dissimulado) continuar a ser governador de fato, porém, sem ter de ouvir vaias e sem precisar responder à situação caótica da segurança pública e ao abandono da falta de água no interior. Os problemas acumulados nos últimos 7,5 anos, seriam transferidos ao novo “gestor”. Novas esperanças, novas promessas, novas gincanas, novos atores no palco do poder. Livre de algumas atribuições do poder, o ex- governador, do seu apê, comandaria o governo e a campanha política simultaneamente. Receberia uma liderança política e ligaria para o governador de plantão para fazer o jogo político de acordo com seus interesses (não teria sido assim, em 2010, na sua reeleição, com o esquema dos kits sanitários?). Este trabalho seria dividido com o irmão mais velho que, disputando o Senado, imporia o voto casado, ao Senado e ao Governo, uma barbada! Toda a máquina, todo poder, todo dinheiro, toda perseguição para ganhar a eleição. Para completar a cena, Arialdo Pinho operando e Canabarro maquiando os atores na televisão.

O cenário e os atores escolhidos já exercitaram estes papéis em outros espetáculos. A peça só teria certeza de bilheteria com o elenco treinado, tudo pensado por aqueles que traíram Tasso (o criador), Luizianne (a confiante) e muitos outros do interior do Ceará e da capital, onde o PSB se inclui. Poucos, que conheço, escaparam desta sanha. No plano nacional, Eduardo Campos sentiu o mau cheiro da traição e exigiu a retirada deles do partido. Aqui no Ceará, Eunício tenta afastar-se.

Aí onde entra um dos maiores gênios do futebol, Garrincha. Conta a lenda que pediram certa vez ao anjo das pernas tortas para sair driblando todos pela direita para então fazer o cruzamento que resultaria no gol. Vivo, o craque brasileiro questionou: vocês combinaram com os russos (referindo-se ao time adversário)?

O vice-governador Domingos Filho, que aderiu ao Pros com sua prole, quis participar do elenco principal, mas sempre ficava fora. Exemplo: como vice-governador tinha suas viagens de avião questionadas, nestes três anos e três meses no cargo, pelo poderoso chefão Arialdo. Domingos sentindo o mesmo cheiro citado, optou por não sair do cargo. Mostrou que, apesar da convivência com os FG’S, não perdeu a dignidade. Merece registro.

Com direito a piloura, encerrou-se o primeiro ato. Neste intervalo vale fazer algumas observações. A chapa situacionista será mais fraca! A fila não andou – o clima na Assembleia na sexta-feira era de velório, poucos riam! O governador vai tentar cumprir suas promessas no Cócó, na Cagece, na segurança, na saúde, com o interior, com os servidores!.. O vice- governador, chamado de aventureiro, fica até quando no partido?

Cabe ao PSB Ceará avançar para a nova política, cada vez mais distante destes jurássicos políticos, cujo objetivo é a perpetuação de privilégios e o autoritarismo. É preciso construir um novo projeto com o povo.

Mea culpa

70 2

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (6):

A nota da CNBB reconhecendo ter sido um “erro histórico” o apoio ao golpe de 1964 (do qual felizmente se dissociou tão logo percebeu as barbaridades do regime) é bem vinda – ninguém está imune a cometer erros. Mas, não a justificativa de que o apoio inicial foi devido ao alegado temor do “perigo comunista”. Nada justifica um golpe de estado contra um governo eleito pelo povo e contra o Estado democrático de Direito.

Alegar esse pretexto seria dar legitimidade ao golpe contra a ordem jurídica democrática. Não tergiversar em relação a isso seria a maior contribuição que a Igreja e outras entidades da sociedade civil (e instituições como o Congresso Nacional e o STF) que apoiaram o golpe poderiam dar para a extirpação da cultura golpista ainda persistente no Brasil. O contrário é relativizar a ordem jurídica democrática.

Quanto aos militares golpistas, basta o Código Penal Militar: este pune quem se insubordina contra superiores hierárquicos, como fizeram, em 1964, contra o comandante-em-chefe, o presidente da República. Devem ser julgados e punidos com base nele – como defendeu o ex-ministro Almino Alfonso. Não se deve tergiversar a esse respeito.

A saída de Ivo Gomes

111 3

Em artigo enviado ao Blog, o professor Djacyr de Souza comenta da saída de Ivo Gomes da Educação de Fortaleza. Confira:

Não podemos ser ingênuos a ponto de pensar que Ivo Ferreira Gomes saiu da administração Roberto Cláudio, pois esta saída é apenas institucional e de acordo com lei. Na realidade, o ex-secretário de Educação é o símbolo da força dos Ferreira Gomes na cidade de Fortaleza, que tentam de todas as formas apagar o que foi deixado de bom ( pouca coisa) pela gestão de Luizianne Lins. O ex-secretário não perderá o cargo e continuará a fazer sua política de geração do modelo neoliberal na pasta da Educação.

A verdade é que Ivo Gomes como secretário de Educação promoveu um modelo educacional sem referência pedagógica e com muita proposta administrativa fria e sem coerência educacional, quando acabou os projetos de educação já existentes e adaptou uma situação triste de modus operandi sem preceitos de democracia e diálogo tão necessários à Educação.

Hoje os professores com este modelo educacional estão sem esperança, sem perspectiva de crescimento e lamentando o descumprimento de leis como a do piso, da quantidade mínima de alunos por sala, além da falta de democracia nas escolas através de uma proposta de gestão sem participação da comunidade escolar, quando os diretores de escola são obrigados (sim, obrigados) a cumprir algumas medidas antipáticas para com o professorado simplesmente por medo da perda do cargo.

As escolas estão com computadores obsoletos, bibliotecas que servem de depósito e de castigo de alunos, além de uma situação de falta de porteiros, segurança e de apoio a ações pedagógicas que poderiam ter bons rendimentos. Infelizmente, o senhor secretário – por não entender bem a educação – gerou muito descontentamento e promoveu a construção de um modelo que não deixará saudades. A escola que ele pensa não é a escola dos educadores. É a escola dos gestores que pensam apenas em finanças e números sem pensamento no sentido real da escola que é educação pública, gratuita e de qualidade.

No atual modelo proposto pelo gestor da pasta da educação, o medo é maior que a vontade de colaboração, de crescimento e de engajamento em busca de um bem de todos que poderia ser a função da escola através de um pensamento mais avançado dentro dos preceitos do que diz a visão de boa escola e de bons educadores.

Infelizmente, sabemos que a sua não tão boa marca ficará na gestão de Fortaleza até o final da administração Roberto Cláudio, que não se afina muito com os desejos e anseios populares e que não tem sintonia alguma com os preceitos de uma cidade que poderia gerar bem comum para todos. A saída do secretário é um instrumento apenas teatral, pois sua presença estará sempre no cotidiano das escolas, marcado por medo e perdas que não voltarão.

Fortaleza não tem sorte com gestores em termos de educação. Tem pago um preço muito alto pela deseducação do povo e pela construção de um processo educativo amorfo e totalmente fora da realidade social de um povo que precisa mudar a formação para mudar o mundo e sua própria vida. Sua “grande ação” foi usar as redes sociais para desqualificar professores e destilar venenos sobre as oposições, o que é muito pouco para um gestor de uma pasta tão importante.

Brasileiro mostra desejo de mudança e Dilma cai seis pontos

Não é a ameaça de uma CPI da Petrobras, mas sim os preços dos produtos nas prateleiras que não param de subir os responsáveis por mais uma queda em pesquisa de intenções de voto da presidente Dilma Rousseff. A pesquisa Datafolha, divulgada nesse sábado (5), mostra uma queda de seis pontos percentuais, em pouco mais de um mês, e já acena para uma possibilidade de segundo turno nas eleições de outubro. Além do evidente retorno da inflação, o brasileiro também demonstra o desejo de mudança. A pesquisa foi realizada nos dias 2 e 3 de abril, com 2.637 entrevistados de 162 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

No fim de fevereiro, Dilma Rousseff tinha 44% das intenções de voto e agora aparece com 38%. Apesar da queda, os prováveis adversários da petista em outubro, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) não souberam tirar proveito do mau momento da presidente e permaneceram com 16% e 10%, respectivamente. Dilma somente disputaria hoje um segundo turno se Marina Silva fosse a candidata da oposição. A ex-senadora cresceu quatro pontos percentuais, em relação à última pesquisa, e agora aparece com 27% das intenções de voto.

Mudança

Catorze anos depois, uma pesquisa de intenções de voto volta a registrar um alto índice de desejo de mudança. Para 72% dos entrevistados (na última pesquisa era 67%), o próximo presidente deve ter um perfil diferente de Dilma. O índice é praticamente o mesmo, quando Lula chegou ao Palácio do Planalto ao vencer José Serra, apoiado pelo então presidente FHC.

(com agências)

Aumento de casos de sarampo acende alerta para turistas durante a Copa

Turistas e participantes dos jogos da Copa do Mundo no país devem ficar alerta para o aumento do número de casos de sarampo no país nos últimos anos. Em 2013, o Ministério da Saúde registrou 201 casos de sarampo, número cinco vezes maior do que o surto detectado em 2011 e 100 vezes maior do que os números de 2012 (dois casos). Neste ano, 74 casos haviam sido notificados até o início de fevereiro, sendo 70 deles no Ceará e quatro em Pernambuco.  Metade desses casos foi detectado em menores de 1 ano de vida e a maioria entre pessoas sem esquema vacinal completo.

O pediatra e especialista em doenças infecciosas pediátricas do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Leonardo Menezes explicou que os viajantes que tiverem as vacinas desatualizadas ou faltantes devem tomá-las dentro de um prazo de 15 dias antes da viagem ou evento.

“A cada ano temos uma média de 5% de crianças que não são vacinadas no país e conforme os anos vão passando temos uma porcentagem maior da população suscetível à doença”, explicou. “E como a doença é altamente transmissível, as chances de se ter um surto ou epidemia aumentam”. O médico orientou que crianças menores de 6 meses evitem viajar para esses destinos dos grandes eventos.

O sarampo é uma doença infecciosa, viral e muito comum na infância, transmitida por secreções das vias respiratórias, como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse de pessoas infectadas. O período de incubação, entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é de cerca de 12 dias e a transmissão pode ocorrer antes da manifestação da doença e estender-se até o quarto dia depois do aparecimentos das placas avermelhadas na pele.

Os principais sintomas após o período de incubação são febre alta, tosse, conjuntivite não purulenta, fotofobia e coriza. Depois de dois a três dias, nota-se pequenas lesões na mucosa bucal e lesões vermelhas no corpo. As manchas se tornam acastanhadas com descamação fina da pele após três dias. As complicações da doença podem ser diarreia, vômitos, hemorragias, convulsões, encefalites, pneumonia bacteriana secundária e hepatite. Não há tratamento específico disponível.

A vacina do sarampo é recomendada aos 12 meses de vida, por meio da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e aos 15 meses de vida (reforço), com a tetra viral que protege a criança do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).

(Agência Brasil)