Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Em quem votar?

Com o título “Em quem votar?”, eis artigo de Roberto Macêdo, ex-presidente da Federação das Indústrias do Ceará. Ele expõe questionamentos interessantes para o eleitor que, domingo próximo, decidirá o futuro deste País. Confira:

Diante da proximidade do segundo turno da eleição mais conturbada nas cinco décadas em que votei, acredito que há muitos eleitores brasileiros ainda inseguros sobre seu voto. Há dois anos organizei um decálogo, reproduzido abaixo com as devidas adequações, que pudesse ajudar o eleitor a exercer conscientemente este dever de cidadania.

01 – O seu candidato possui integridade moral para exercer um cargo tão assediado por interesses que nem sempre são os da coletividade?

02 – A sua escolha está considerando as verdadeiras necessidades do País ou você está se deixando levar pelas chamadas “fake news”?

03 – As promessas feitas pelo seu candidato são exequíveis?

04 – Haverá recursos suficientes para financiar os projetos anunciados?

05 – O candidato tem sido capaz de mostrar que o seu programa de governo contempla uma visão de futuro para o País?

06 – As propostas do seu candidato são inovadoras e adequadas à nossa difícil realidade?

07 – O candidato tem maturidade política suficiente para o exercício das funções democráticas de ouvir permanentemente a sociedade, dialogar com as diversas forças sociais e interagir com todas as esferas de poder?

08 – O candidato tem experiência comprovada em gestão para poder exercer com competência a complexa função de presidente de um País com grandes diferenças sociais e com enormes desafios para se posicionar no cenário mundial?

09 – Seu candidato representa o conjunto da sociedade ou se restringe a interesses de uma classe específica?

10 – Considerando os aspectos colocados nos tópicos anteriores, você acha que o seu candidato está sendo realmente sincero em suas promessas?

Peço a Deus que, qualquer que seja a escolha dos eleitores brasileiros, o presidente eleito possa compor uma equipe capaz de reunificar o País, promover a paz, resolver nossos graves problemas, preservar a prática da democracia e reacender nosso orgulho de sermos brasileiros.

*Roberto Macêdo

Empresário e ex-presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).

Mercado financeiro estima inflação deste ano em 4,44%

Instituições financeiras, pesquisadas pelo Banco Central (BC), esperam que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), termine este ano em 4,44%. Na semana passada, a projeção estava em 4,43%. Esse foi o sexto aumento consecutivo.

Para 2019, a projeção da inflação foi ajustada de 4,21% para 4,22%. Para 2020, a estimativa segue em 4% e, para 2021, caiu de 3,92% para 3,78%.

A projeção do mercado financeiro ficou mais próxima do centro da meta deste ano, que é 4,5%. Essa meta tem limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Para 2020, a meta é 4% e, para 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

Taxa básica

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano.

De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o fim de 2018.

Para 2019, a expectativa é de aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano. Para o fim de 2020, a projeção permanece em 8,25% ao ano e em 8% ao ano no fim de 2021.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da taxa básica de juros, como prevê o mercado financeiro este ano, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Crescimento econômico

As instituições financeiras mantiveram a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, em 1,34% este ano e ajustaram de 2,50% para 2,49%, a estimativa para 2019.

Para 2020 e 2021, a estimativa segue em 2,50%.

(Agência Brasil)

Camilo reúne vereadores e suplentes e pede empenho na campanha pró-Haddad em Fortaleza

329 3

O governador Camilo Santana (PT) reuniu, nesta manhã de segunda-feira, na Residência Oficial, cerca de 40 vereadores de Fortaleza e suplentes de vários partidos.

Segundo disse, para conversar sobre o cenário do País e fechar estratégias da campanha de segundo turno pró-Fernando Haddad na Capital.

Os vereadores reafirmaram apoio ao candidato petista à presidência da República. Até petistas que pouco andavam em recintos oficiais apareceram por ali. Caso de Guilherme Sampaio.

(Foto – Divulgação)

TRE do Ceará alerta sobre obrigatoriedade da prestação final das contas de campanha

A Secretaria de Controle Interno e Auditoria (SCI), do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, alerta: todos os candidatos, incluindo os que renunciaram, desistiram, morreram, foram substituídos ou tiveram seus registros de candidatura indeferidos, assim como as direções partidárias de qualquer esfera, ainda que constituídas sob forma provisória, encontram-se obrigados a apresentar a prestação de contas final à Justiça Eleitoral até as 19 horas do dia 6 de novembro próximo. Ninguém está isento de tal obrigação. Nem os candidatos e partidos políticos que não tenham arrecadado recursos de campanha, quer de natureza financeira ou estimáveis em dinheiro. Essa exigência consta nos artigos. 48 e 49 da Resolução TSE n.º 23.553/2017, alterada pela Resolução TSE n.º 23.575/2018,

O TRE destaca que a veracidade das informações financeiras e contábeis constantes nas prestações de contas de campanha são de inteira responsabilidade do próprio candidato, além do presidente e do tesoureiro do partido político, solidariamente com o administrador financeiro, se houver, e com o profissional habilitado em contabilidade.

Outro lembrete: o extrato de prestação de contas deve conter a assinatura do candidato, quer seja titular e vice, se houver; do administrador financeiro, se tiver sido constituído pelo candidato; do presidente e do tesoureiro do partido político, no caso da prestação de contas do órgão partidário; e do profissional habilitado em contabilidade, sendo que, em todas as situações, faz-se obrigatória a constituição de advogado habilitado para acompanhar as prestações de contas de campanha como determina o artigo 48, § 7º da Resolução TSE n.º 23.553/2017.

O TRE adverte ainda que a omissão de entrega da prestação de contas poderá implicar, por força do disposto no artigo 30, inciso IV, da Lei n.º 9.504/1997, no julgamento das contas como não prestadas, acarretando ao candidato o impedimento de obter a certidão de quitação eleitoral até o final da legislatura, persistindo os efeitos da restrição após esse período até a efetiva apresentação das contas; ao partido político, a perda do direito ao recebimento da quota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão de direção estadual ou municipal, nos termos dos artigos 77, inciso VI, e 83, incisos I e II, da Resolução TSE nº 23.553/2017.

SERVIÇO

*A SCI recomenda a leitura de passo a passo elaborado pelos técnicos da Coordenadoria de Auditoria e de Contas Eleitorais e Partidárias (COAUD), onde se vislumbram os procedimentos operacionais necessários para a elaboração, transmissão e entrega da mídia de documentos das prestações de contas finais.

*Mais Informações – (85) 3453.3855/3856

Petrobras anuncia nova redução do preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (22) uma redução de 2% no preço da gasolina comercializada em suas refinarias. A partir desta terça-feira (23), o litro do combustível terá redução de 2% e passará a ser negociado a R$ 2,0639, segundo informou a estatal.

Essa é a sétima queda consecutiva do preço, que desde 22 de setembro, quando custava R$ 2,2514 por litro, já recuou 8,33%.

(Agência Brasil)

Ceará participa da Jornada Nacional de Foguetes

A Jornal Nacional de Foguetes, evento que debaterá a política aeroespacial brasileira até sexta-feira, na cidade de Barra do Piraú, no Rio de Janeiro, vai contar com a participação de alunos cearenses.

Tendo à frente professor Ednardo Rodrigues, do Colégio 7 de Setembro, os alunos Cesário Diógenes (17), Mateus de Melo (16) e Luís Henrique Fonteles (15) estarão no evento, que congregará cerca de 200 alunos de vários colégios do País.

O Colégio 7 de Setembro, segundo o professor Ednardo, desenvolve, de forma pioneira no Ceará, um programa que discute a questão aeroespacial. O objetivo desse encontro é promover intercâmbio entre os grupos que militam nessa área de estudo.

O evento é uma olimpíada inteiramente experimental, pois consiste em construir e lançar, obliquamente, foguetes feitos com garrafa pet, a partir de uma base de lançamento, o mais distante possível. Foguetes e bases de lançamentos devem ser construídos por alunos individualmente ou em equipes de até três componentes.

(Foto – Paulo MOska)

PIB cresce 1,6% no trimestre encerrado em agosto

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, teve um crescimento de 1,6% no trimestre encerrado em agosto deste ano, na comparação com o trimestre finalizado em maio. O dado é do Monitor do PIB, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Na comparação com o trimestre que terminou em agosto de 2017, o crescimento foi de 1,9%, segundo a FGV. Considerando-se apenas agosto, houve altas de 0,2% na comparação com julho deste ano e de 1,9% em relação a agosto do ano passado.

A alta de 1,6% do trimestre fechado em agosto em relação a maio foi acompanhada pelos três grandes setores produtivos: serviços (1,1%), indústria (2%) e agropecuária (2,5%).

Expansão por setor

Entre os segmentos da indústria, foi observada expansão na indústria da transformação (3,1%) e na construção (1,2%). O setor de eletricidade manteve-se estável e a indústria extrativa mineral recuou 1,2%.

Entre os serviços, todos os segmentos tiveram alta, com destaque para os transportes (5,4%) e o comércio (2,9%).

Sob a ótica da demanda, foram registradas altas de 1,2% no consumo das famílias, 1,1% na formação bruta de capital fixo (investimentos) e de 0,6% no consumo do governo.

No setor externo, as exportações cresceram 1,3% e as importações, 3,7%.

(Agência Brasil)

Guilherme Boulos: “O discurso de Bolsonaro empodera qualquer maluco”

O discurso gravado por Jair Bolsonaro (PSL) para os eleitores que foram às ruas nesse domingo (21), em São Paulo, intrigou alguns opositores. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Guilherme Boulos, que disputou pelo PSOL a presidência da República, comentou que, mesmo em vantagem, o capitão reformado não baixa o tom.

“Ele deixou claro que opositor tem dois caminhos: sair do país ou ir preso”, disse Boulos.

“Esse discurso empodera todo tipo de maluco,” complementou Boulos.

(Foto – Newton Menezes, do Estadão Conteúdo)

Rogério Ceni receberá a Medalha do Mérito Desportivo Ayrton Senna

O técnico do Fortaleza, Rogério Ceni, receberá nesta segunda-feira, às 19 horas, na Câmara Municipal, a Medalha do Mérito Desportivo Ayrton Senna, a maior honraria da Casa nessa área.

A iniciativa é do vereador Acrísio Sena (PT) e faz parte das comemorações do centenário do “Leão”. Foi subscrita pelos vereadores Benigno Júnior e Evaldo Lima.

Rogério Ceni está a uma vitória de levar o time do Fortaleza para a Série A, do Brasileirão.

Obra na praia de Flecheiras causa transtorno no trânsito e prejuízo para comerciantes

Do engenheiro civil José Walthair, que tem residência na praia de Flecheiras, no município de Trairi, recebemos a seguinte nota, em tom de cobrança. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Escrevo em nome dos pousadeiros da praia das Flecheiras, aqui em Trairi. Está em andamento uma obra bancada pela Secretaria do Turismo do Ceará, de maior importância que é o saneamento do distrito. Vi que está sendo bem executada pela empresa chamada COSAMPA, pois tenho vasta experiência na área de saneamento.

Porém, a referida empresa está abrindo cada vez mais trechos, enterrando os tubos e poços de visita, mas não está finalizando o fechamento das pavimentações, ora asfalto, paralelepípedos ou pedra tosca.

Isso causa um transtorno insuportável. No último feriadão do dia 12/10/2018, houve batidas de retrovisores por causa dos veículos se espremendo na camada pavimentada não mexida. Fora isso, transtorno para os comerciantes locais que estão esperando menos clientes para os próximos finais de semana. Ou seja, faturamento caiu.

Seguem fotos, com apelo às autoridades para que resolvem o caso.

(Fotos do Leitor)

Raquel Dodge muda telefones após ofensas de adeptos de Bolsonaro

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, está assustada com a agressividade dos fãs mais exaltados do candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro.

Segundo informa a Veja Online, Raquel conhece a ira dessa turma, pois, quando denunciou o deputado por racismo, a PGR teve de mudar os números de telefone do seu gabinete.

(Foto – Agência Brasil)

O papel de André Costa no resultado das eleições

223 1

Com o título “O papel de André Costa no resultado das eleições”, eis o que diz o jornalista Thiago Paiva, em sua Coluna Segurança, nesta segunda-feira, no O POVO. Confira:

A Segurança Pública, “calcanhar de Aquiles” dos governantes no Brasil, não representou risco a bem sucedida reeleição de Camilo Santana (PT), que comandará o Ceará por mais quatro anos. Vitória com 79,96% dos votos válidos. Um recorde histórico. E também vexame sem precedentes para a minguada “oposição tradicional” cearense, capitaneada por Tasso Jereissati (PSDB).

Munição contra o petista, entretanto, não faltou: recorde nos homicídios, incontáveis chacinas e microchacinas, domínio das facções criminosas e o surgimento dos refugiados urbanos, que há quase um ano aguardam por uma política pública específica. Alguma medida que os devolva as mínimas condições de dignidade com as quais viviam, antes de serem expulsos de casa por criminosos.

Nada disso serviu para tornar minimamente árido e pedregoso o passeio que se tornou o regresso de Camilo ao Palácio Iracema. Com tanta coisa a ser dita, ficou evidente o despreparo dos principais opositores do petista, com suas ideias de “renovação” que beiravam a mediocridade. Nem o discurso bélico oportunista serviu.

Mas, para além dos arranjos coligacionais que proporcionaram a Camilo tamanho êxito, houve um componente importante nesse processo que certamente contribuiu para a baixa rejeição ao governador entre os eleitores mais conservadores: a figura do secretário da Segurança Pública, André Costa. Passado o pleito, governistas podem ufanar-se de terem cumprido o plano “político” pensado nos derradeiros meses de 2016.

Quando um substituto para o também delegado federal Delci Teixeira foi pensado, Costa não era a primeira opção. Contudo, a escolha supriu as necessidades do chefe do Executivo estadual, que pretendia corrigir “distorções” no campo da Segurança que tivessem potencial para comprometer uma recandidatura.

Para além do desgaste com as tropas, havia a necessidade de “anular” a figura do principal nome de oposição ao governo na Assembleia Legislativa, Capitão Wagner, então deputado pelo PR. De fato, foi ineficaz o apoio do deputado ao General Theophilo (PSDB), um dos candidatos derrotados por Camilo. Wagner, contudo, manteve forte apelo junto às forças de segurança. Pelo Pros, foi eleito o deputado federal mais votado do Estado.

Em 2016, quando da escolha de Costa, o Capitão sofreu derrota apertada nas eleições municipais. Obteve 46,33% dos votos, contra os 53,57% do prefeito reeleito Roberto Cláudio (PDT). O risco era real. Costa, portanto, foi parte da solução pensada pela equipe de Camilo, que buscava um novo titular para Secretaria da Segurança. O perfil, necessariamente, exigia que fosse um delegado federal, jovem, cearense e com perfil técnico. O “midiático” veio como brinde, ou não.

Costa era delegado Regional Executivo da Polícia Federal em Alagoas, onde costumava participar de programas policiais, protagonizando demonstrações, ao vivo, da técnica krav magá de defesa pessoal. No Instagram, atuava como coaching, com postagens voltadas à preparação para concursos públicos.

Ex-policial civil e ex-agente de trânsito, adotou o Instagram também como ferramenta de contato direto com seus seguidores, policiais em grande parte. Por lá, fez anúncio da própria nomeação como secretário. E logo na primeira postagem, adotou o “TMJ” (estamos juntos), seguido de uma faca na caveira.

Antes mesmo de assumir, postagens anteriores causaram polêmica. Em uma delas, questionou aos seguidores: “Há um bandido gravemente ferido precisando de socorro e ao lado um policial precisando de um cafezinho. Vc (sic) levaria o café com açúcar ou adoçante?”. E tratou de responder: “5 gotas de adoçante, por favor!”. A postagem foi apagada após a repercussão.

Noutra, aparecia com uma pistola sobre o volante do carro: “Freio de mano”. Justificou que o policial precisa estar sempre preparado e manter “o elemento surpresa a favor”. Houve ainda o discurso da “justiça ou cemitério”, numa diferenciação entre os bandidos que se entregassem ou não.

Empossado, adotou medidas internas voltadas aos agentes, criou o Conselho de Defesa do Policial no Exercício da Função (CPDEF), com 30 advogados voluntários que atuam na defesa de policiais denunciados que respondam a processos disciplinares ou judiciais, em razão do exercício das atividades. Uma resposta ao drama do “bicho papão” da Controladoria Geral de Disciplina (CGD).

Costa reaproximou o governo das tropas, ainda em 2017, um ano com estatísticas desastrosas para a Segurança Pública no Estado. Em 2018, com inegáveis investimentos em tecnologia, ajudou no desenvolvimento de ferramentas que apresentaram bons resultados e reduziram as estatísticas da criminalidade.

Para 2019, resta saber se há disposição do secretário em permanecer no cargo e se há interesse da parte de Camilo. Em um possível governo de Jair Bolsonaro, o quão vantajoso seria manter à frente da SSPDS um personagem com discurso por vezes tão alinhado ao candidato do PSL?

Fala de Eduardo Bolsonaro é golpista, diz Celso de Mello

2215 29

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, classificou a afirmação do deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de que bastam um soldado e um cabo para fechar a Corte, de “inconsequente e golpista”. Ele gravou vídeo com tais declarações. A  informação sobre a reação do ministro é dada pela jornalista Monica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

O magistrado, que é o decano do STF, enviou a declaração por escrito à Folha, e pediu que ela fosse publicada “na íntegra e sem cortes”.
Escreveu Celso de Mello:

“Essa declaração, além de inconsequente e golpista, mostra bem o tipo (irresponsável) de parlamentar cuja atuação no Congresso Nacional, mantida essa inaceitável visão autoritária, só comprometerá a integridade da ordem democrática e o respeito indeclinável
que se deve ter pela supremacia da Constituição da República! Votações expressivas do eleitorado não legitimam investidas contra a ordem políticojurídica fundada no texto da Constituição.

Sem que se respeitem a Constituição e as leis da República, a liberdade e os direitos básicos do cidadão restarão atingidos em sua essência pela opressão do arbítrio daqueles que insistem em transgredir os signos que consagram, em nosso sistema político, os princípios inerentes ao Estado democrático de Direito”.

Celso de Mello teve uma das reações mais indignadas. Questionado pela Folha, decidiu enviar a mensagem. Outros ministros trocaram mensagens e telefonemas entre si. Eles aguardam a chegada do presidente da Corte, Dias Toffoli, para discutir um posicionamento. Ele estava em Veneza para compromissos profissionais e deve chegar nesta segunda-feira (22) em Brasília.

(Foto – Agência Brasil)

Projeto define critérios para nomeações de ficha limpa na gestão estadual. E aí, Camilo, topa?

309 1

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira:

O governador reeleito Camilo Santana (PT) garante que fará uma gestão diferente e, espera-se, com sua marca e estilo, pois quem vence um pleito com quase 89% de votos tem a responsabilidade de investir nesse caminho. Bem, dentro do objetivo de ser uma oposição propositiva, o deputado estadual reeleito Heitor Férrer (SD) lembra ao petista: um projeto de lei seu, de nº 62/17, continua nas gavetas da Casa aguardando entrar na pauta de votações. Estabelece a obrigatoriedade da apresentação de certidões negativas da Justiça Federal e da Justiça Estadual para o exercício de cargos, empregos e funções nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

“Nosso objetivo é garantir a idoneidade dos agentes públicos, permitindo um maior controle sobre o que determina a Emenda Constitucional 74, também de nossa autoria de Heitor, que institui a Ficha Limpa”, explica Heitor. De acordo com a proposta, as certidões negativas devem ser apresentadas na nomeação, bem como no final de cada exercício financeiro, no término da gestão ou mandato por parte do governador e vice-governador, secretários de Estado, bem como de membros da Assembleia Legislativa, da magistratura estadual, do Ministério Público e da Defensoria Pública Estadual.

A lei inclui ainda todos os cargos eletivos e cargos, empregos ou funções de confiança, na administração direta, indireta e fundacional, de qualquer dos Poderes do Estado.

E aí, Camilo, topa?

(Foto – Fábio Lima)

Brasil registra 3,4 mil mortes violentas em agosto. Ceará é o terceiro do país em homicídios

333 1

Em agosto deste ano, no Brasil, pelo menos 3.444 pessoas foram assassinadas. A informação é do Portal G1, adiantando que o número, porém, é ainda maior, já que quatro estados não divulgam os dados. O índice nacional de homicídios, ferramenta criada pelo G1, permite o acompanhamento dos dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país. Já são 34.305 vítimas registradas nos primeiros oito meses deste ano.

O número consolidado até agora contabiliza todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, que, juntos, compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais.

O mapa faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Desde o início do ano, jornalistas do G1 espalhados pelo país solicitam os dados via Lei de Acesso à Informação, seguindo o padrão metodológico utilizado pelo Fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O objetivo é, além de antecipar os dados e possibilitar um diagnóstico em tempo real da violência, cobrar transparência por parte dos governos.

Transparência

Quatro estados (Amazonas, Maranhão, Paraná e Tocantins), entretanto, dizem ainda não ter os dados referentes a agosto – o Paraná também não informa os números de julho. Veja a justificativa de cada um:

Amazonas: A Secretaria da Segurança diz apenas que as estatísticas do mês de agosto estão sendo consolidadas.

Maranhão: De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, os dados de agosto ainda estão sendo consolidados.

Paraná: Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os dados (tanto de julho como de agosto) ainda estão sendo tabulados para posterior homologação e divulgação.

Tocantins: A Secretaria de Segurança Pública diz que o setor de estatística ainda não tem os números devido à dificuldade de algumas de legacias em enviar os dados.

Ceará é o terceiro do País

A situação mais dramática é a de Roraima, estado com a maior taxa de mortes violentas do Brasil no primeiro semestre de 2018. Caso o ritmo seja mantido, Roraima pode dobrar o total de assassinatos em relação ao ano anterior. Em janeiro de 2017, o estado foi palco de uma rebelião no sistema penitenciário promovida pela disputa entre facções que causou 33 mortes.

Além disso, a crise humanitária vivida na Venezuela acabou criando uma instabilidade política na região, fragilizando as instituições políticas locais e ampliando a sensação de vulnerabilidade de uma população já amedrontada. Nesses cenários, se multiplica a oportunidade de ação para indivíduos e grupos que tentam se impor pela violência. O crescimento das taxas de homicídio é o principal sintoma da fragilização da legitimidade das instituições democráticas na região.

Os estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Acre, respectivamente na segunda, terceira e quarta posição do ranking nacional de homicídios, também enfrentam situações dramáticas, decorrentes de rivalidades entre facções originadas nas prisões, mas que se espraiaram para os bairros pobres.

A crise da violência no Rio Grande do Norte se acentuou no ano passado, quando o estado registrou a maior taxa de homicídios do Brasil. A rebelião em Alcaçuz, em janeiro de 2017, com 26 mortos, ajudou a acirrar a rivalidade entre grupos criminais do estado, que cresceu ainda mais diante da fragilidade fiscal e política do governo local, que enfrentou greve de polícias ao longo do ano.

No Ceará e no Acre a situação degringolou diante da truculência na disputa entre grupos regionais, respectivamente Guardiões do Estado e Bonde dos 13. Aliados do Primeiro Comando da Capital, ambos passaram a travar conflitos territoriais com os rivais locais que levantaram a bandeira do Comando Vermelho. Chacinas, mortes de policiais, vídeos de assassinatos e torturas passaram fazer parte da cena criminal desses estados.

Integram ainda a parte superior do ranking no primeiro semestre deste ano os estados de Sergipe (5°), Pará (6°), Pernambuco (7°), Alagoas (8°), Amapá (9°) e Bahia (10°). Todos esses lugares correm o risco de encerrar 2018 com taxas acima de 50 por 100 mil habitantes caso as autoridades não consigam implementar políticas capazes de reverter a situação em curto prazo e reduzir o ritmo de violência.

Apesar do sinal amarelo seguir aceso, alguns estados vêm conseguindo resultados consistentes na redução das taxas de homicídios. Paraíba e Maranhão, no Nordeste, Rondônia, no Norte, e Espírito Santo e Brasília são cinco exemplos. Ainda faltam investigações e estudos mais detalhados para compreender como esses estados estão alcançando esses resultados – o que deve ser uma missão a ser enfrentada por este Monitor da Violência.

*Do Portal G1, confira mais aqui.

Enem 2018 – Estudantes já podem consultar hoje os locais das provas

Quem se inscreveu para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 poderá ter acesso ao endereço do local da prova a partir desta segunda-feira, 22. O documento lançado pela internet também serve como confirmação da inscrição, contendo o número da matrícula, o horário do fechamento dos portões e informações sobre a prova. O exame será aplicado nos dias 4 e 11 de novembro.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), não é obrigatório apresentar o cartão no dia da prova, porém é recomendado que o participante leve o documento para consultá-lo se preciso. Nele, além do endereço de onde vai ser realizado o exame, consta o número da sala em que o estudante irá fazer a prova. Para consultar o local, é preciso preencher os dados pessoais no site do Enem e fornecer senha previamente escolhida pelo participante. Pelo menos 5,5 milhões de brasileiros participarão do exame.

Neste ano, o horário de verão começa a valer em 11 estados no dia da primeira prova do exame. O Ceará não será afetado, mas estudantes cearenses que participarão do Enem precisam ficar atentos na hora do fechamento dos portões. Como a prova é nacional, o Inep adota o horário de Brasília, que será afetado pelo horário de verão. Portanto, apesar do cartão afirmar que os portões fecham 13 horas, no Ceará a hora correta é às 12 horas.

Antes e durante as provas

Estudo de última hora: faltando pouco mais de duas semanas para a prova, é hora de fazer as revisões finais. Para relembrar fórmulas matemáticas, matéria considerada uma das mais difíceis do exame, diversos canais de educação do Youtube lançaram paródias de músicas conhecidas ensinando as equações mais comuns.

Entretanto, Nádya Gurgel, docente do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia, atenta para os alunos assistirem aos aulões de véspera “despretensiosamente”. “É para assistir sem obrigatoriedade, não pense que é preciso ver todos os conteúdos da internet”. A professora de literatura e língua portuguesa pede também que os estudantes busquem conteúdos que fujam dos tradicionais, como revistas, filmes ou livros, para explorar a interdisciplinaridade do exame.

Antes da prova: Dormir bem e comer alimentos leves antes de sair para o local de aplicação pode ajudar a manter a calma antes do exame. Nádya lembra da importância de manter o equilíbrio nos últimos dias antecedendo os domingos de exame. “O aluno sabe que já estudou e fez sua parte. Ele deve acordar pensando que deu o melhor de si. Isso ajuda a não ficar com a mão gelada e esquecer de conteúdos na hora da prova”, diz.

O que levar: é obrigatório comparecer com caneta esferográfica transparente de tinta preta e documento oficial de identificação com foto. Como a prova é de extensa duração, alguns participantes optam por levar lanches e água.

Trajeto: para garantir a chegada antes do fechamento dos portões, é recomendado que o candidato pesquise sobre o trajeto a ser feito. A busca por rotas de ônibus, metrô ou caminhos mais rápidos e mais curtos deve ser feita com semanas de antecedência, levando em consideração o trânsito e horário de pico do dia da prova.

(O POVO – Alexia Vieira)

O caos que a festa, com sua beleza, não pode encobrir

Com o título “O caos que a festa, com sua beleza, não pode encobrir”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira. Uma crítica à desorganização fora do espetáculo que foi o jogo do Fortaleza contra o Paysandu, no último sábado, na Arena Castelão. Confira:

O torcedor cearense tem dado exemplo ao País de comparecimento aos estádios, lotando-os em várias ocasiões. É uma demonstração repetida de amor ao clube, seja Ceará ou Fortaleza, considerando as competições das duas principais séries nacionais em disputa nesta temporada de 2018. Infelizmente, não correspondida à altura pelas autoridades e dirigentes quando se trata de oferecer condições mínimas de conforto e segurança nos equipamentos públicos onde os eventos são disputados.

No último sábado, mais de 57 mil torcedores lotaram a Arena Castelão, oferecendo ao Brasil um espetáculo que diz muito do espírito alegre, festivo e ordeiro do cearense. Enfim, uma imagem positiva que oferecemos ao restante do País e até ao mundo de nossa capacidade de organização em torno de um objetivo comum, qual seja apoiar um clube ou instituição no qual acreditamos e pelo qual temos paixão. Por trás de tudo, no entanto, há relatos de uma inaceitável falta de respeito com este cidadão, que paga para ser protagonista na festa e se vê objeto de um tratamento, como consumidor, que não se demonstra à altura na efetiva equivalência do seu custo.

O caos no trânsito do entorno do Castelão, na saída e chegada dos torcedores que não dispõem de qualquer orientação ou ajuda, filas homéricas e desnecessárias para adentrar o estádio, nenhum esquema organizado de apoio, espaços superlotados, policiais despreparados ou incapazes de estabelecer qualquer diálogo antes de partir para ação violenta, enfim, um conjunto de aspectos negativos que a beleza esportiva inquestionável da festa, captada por câmeras de TV e registros de celulares pessoais em imagens espalhadas mundo afora, não pode ser utilizada para encobrir ou relevar.

É imperativo que os responsáveis pela organização de eventos do gênero, na condição de administradores da praça esportiva, de representantes dos órgãos públicos, presentes e omissos, e de dirigentes de clubes, façam uma ampla reflexão a partir do que aconteceu no sábado passado. Até porque, ressalte-se, são problemas repetidos um evento após o outro, muitos deles, apenas levados à exaustão nos quadros em que a capacidade total do espaço é atingida.

O torcedor cearense merece respeito, que lhe é negado quando um conjunto de falhas tão gritantes e previsíveis se registra, como desafio à sua paixão, que, ao contrário, precisaria ser estimulada e protegida. É de se lamentar que um espetáculo de tamanha grandiosidade, apresentado ao País de maneira tão bela, encubra, na trajetória que levou à sua efetivação, um conjunto de falhas que resultam da incapacidade dos organizadores em garantir o que é mínimo para que a festa seja, como todos desejamos, a expressão final de um evento 100 por cento feliz.

(Foto – Fco Fontenele)

Jornal The New York Times faz editorial com críticas a Bolsonaro

320 3

O The New York Times, jornal americano e entre os principais veículos de comunicação do mundo, publicou editorial nesse
domingo (21) em que considera a possível eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para presidente como uma “escolha triste do Brasil”. No texto, escrito pelo conselho editorial da publicação, o NYT afirma que “é um dia triste para a democracia quando a desordem e a decepção levam eleitores à distração e abrem a porta para populistas ofensivos, rudes e agressivos”. A informação é do Portal Uol.

Para o jornal, Bolsonaro é um político de direita que tem “pontos de vista repulsivos”. O NYT lista declarações do candidato dizendo que preferia que seu filho morresse a ser homossexual; que a deputada Maria do Rosário, sua colega na Câmara, não merecia ser
estuprada porque seria “muito feia”; que quilombolas pesavam “sete arrobas” e não faziam nada; e seus questionamentos sobre o aquecimento global. A publicação diz ainda que Bolsonaro tem nostalgia pelos “generais e torturadores” da ditadura militar brasileira (1964-1985), abertamente defendida pelo candidato.

O editorial também traça um panorama do atual momento político e social do Brasil, citando a recessão econômica, a Operação Lava Jato, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o impeachment de Dilma Rousseff (PT), as denúncias contra o presidente Michel Temer (MDB) e os altos índices de crimes violentos. “Os brasileiros estão desesperados por mudança”, diz o texto.

“Com este pano de fundo, os pontos de vista nojentos de Bolsonaro são interpretados como sinceridade, sua obscura carreira como parlamentar como a promessa de um forasteiro” que vai limpar a corrupção e “sua promessa de um punho de ferro como a esperança de um alívio” dos altos índices de homicídios, afirma o NYT.

O jornal menciona que Bolsonaro já foi chamado de “Donald Trump brasileiro” por surfar uma “onda de descontentamento, frustração e desespero” rumo ao cargo mais alto do país.

Para o NYT, se Bolsonaro for eleito, o meio ambiente sairá perdendo, pois o candidato já propôs flexibilizar regras para o desmatamento da Amazônia, sugeriu tirar o Brasil do Acordo de Paris, acabar com o Ministério do Meio Ambiente e interromper a criação de terras indígenas. O editorial também aborda o julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que tornou Lula inelegível e sua substituição por Fernando Haddad (PT).

Segundo o jornal, Haddad “falhou em superar a associação de seu partido com corrupção e má administração”, o que teria alimentado o antipetismo. Segundo o Datafolha da última quinta-feira (18), Bolsonaro teve 59% das intenções
de votos válidos, contra 41% para Haddad.