Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Família Santana já está reunida para os 50 anos do governador

De Nova York (EUA), chegou o fotógrafo Tiago Santana.

No domingo, às 9h30min, ele vai abraçar o irmão, o governador Camilo Santana (PT), que comemorará 50 anos com missa no Santuário da Assunção, no bairro Vila Velha.

Depois do ato, toda a família Santana, tendo à frente o paizão, Eudoro Santana, oferecerá almoço especial para o chefe do executivo. Com certeza, arroz, cuscuz e galinha caipira não faltarão nesse cardápio.

(Foto – Paulo MOska)

Pedro Parente pede demissão do comando da Petrobras

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, pediu demissão na manhã desta sexta-feira (1º) em caráter “irrevogável e irretratável”. Ele ficou dois anos no comando da estatal. De acordo com comunicado da estatal, enviado ao mercado, a nomeação de um CEO interino será examinada ao longo do dia pelo Conselho de Administração. Ainda de acordo com o comunicado, a diretoria executiva da companhia não sofrerá qualquer alteração.

Em uma carta enviada ao presidente Michel Temer, com quem se reuniu na manhã desta sexta, Parente diz que a greve dos caminhoneiros e “suas graves consequências para a vida do país” desencadearam um debate “intenso e por vezes emocional” sobre as origens da crise.

*Leia a carta de demissão enviada por Parente a Temer:

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

Quando Vossa Excelência me estendeu o honroso convite para ser presidente da Petrobras, conversamos longamente sobre a minha visão de como poderia trabalhar para recuperar a empresa, que passava por graves dificuldades, sem aportes de capital do Tesouro, que na ocasião se mencionava ser indispensável e da ordem de dezenas de bilhões de reais. Vossa Excelência concordou inteiramente com a minha visão e me concedeu a autonomia necessária para levar a cabo tão difícil missão.

Durante o período em que fui presidente da empresa, contei com o pleno apoio de seu Conselho. A trajetória da Petrobras nesse período foi acompanhada de perto pela imprensa, pela opinião pública, e por seus investidores e acionistas. Os resultados obtidos revelam o acerto do conjunto das medidas que adotamos, que vão muito além da política de preços.

Faço um julgamento sereno de meu desempenho, e me sinto autorizado a dizer que o que prometi, foi entregue, graças ao trabalho abnegado de um time de executivos, gerentes e o apoio de uma grande parte da força de trabalho da empresa, sempre, repito, com o decidido apoio de seu Conselho.

A Petrobras é hoje uma empresa com reputação recuperada, indicadores de segurança em linha com as melhores empresas do setor, resultados financeiros muito positivos, como demonstrado pelo último resultado divulgado, dívida em franca trajetória de redução e um planejamento estratégico que tem se mostrado capaz de fazer a empresa investir de forma responsável e duradoura, gerando empregos e riqueza para o nosso país.

E isso tudo sem qualquer aporte de capital do Tesouro Nacional, conforme nossa conversa inicial. Me parece, assim, que as bases de uma trajetória virtuosa para a Petrobras estão lançadas.

A greve dos caminhoneiros e suas graves consequências para a vida do País desencadearam um intenso e por vezes emocional debate sobre as origens dessa crise e colocaram a política de preços da Petrobras sob intenso questionamento. Poucos conseguem enxergar que ela reflete choques que alcançaram a economia global, com seus efeitos no País.

Movimentos na cotação do petróleo e do câmbio elevaram os preços dos derivados, magnificaram as distorções de tributação no setor e levaram o governo a buscar alternativas para a solução da greve, definindo-se pela concessão de subvenção ao consumidor de diesel.

Tenho refletido muito sobre tudo o que aconteceu. Está claro, Sr. Presidente, que novas discussões serão necessárias. E, diante deste quadro fica claro que a minha permanência na presidência da Petrobras deixou de ser positiva e de contribuir para a construção das alternativas que o governo tem pela frente. Sempre procurei demonstrar, em minha trajetória na vida pública que, acima de tudo, meu compromisso é com o bem público. Não tenho qualquer apego a cargos ou posições e não serei um empecilho para que essas alternativas sejam discutidas.

Sendo assim, por meio desta carta, apresento meu pedido de demissão do cargo de Presidente da Petrobras, em caráter irrevogável e irretratável. Coloco-me à disposição para fazer a transição pelo período necessário para aquele que vier a me substituir.

Vossa Excelência tem sido impecável na visão de gestão profissional da Petrobras. Permita-me, Sr. Presidente, registrar a minha sugestão de que, para continuar com essa histórica contribuição para a empresa — que foi nesse período gerida sem qualquer interferência política — Vossa Excelência se apoie nas regras corporativas, que tanto foram aperfeiçoadas nesses dois anos, e na contribuição do Conselho de Administração para a escolha do novo presidente da Petrobras.

A poucos brasileiros foi dada a honra de presidir a Petrobras. Tenho plena consciência disso e sou muito grato a que, por um período de dois anos, essa honra única me tenha sido conferida por Vossa Excelência.

Quero finalmente registrar o meu agradecimento ao Conselho de Administração, meus colegas da Diretoria Executiva, minha equipe de apoio direto, os demais gestores da empresa e toda força de trabalho que fazem a Petrobras ser a grande empresa que é, orgulho de todos os brasileiros.

Respeitosamente,

Pedro Parente

O desabastecimento da autoridade no Brasil e as próximas eleições

Com o título “Corretores do Paraíso”, eis artigo de Ricardo Alcântara, escritor e publicitário. Ele comenta o desabastecimento de autoridade e de projetos para o Brasil. Confira:

Há uma corda tensa, estendida sobre o abismo. Em cada margem, grupos antagônicos disputam o monopólio da virtude. Uns se julgam acima da lei para cometer no poder os mesmos desvios que tanto condenavam sem sofrer sanções. Outros, em sua ânsia de ordem, clamam por um ato de força que restaure, sob o império do medo, uma sociedade a salvo de controvérsias. Em ambos, a mesma pretensão: atuam como corretores do paraíso e vendem o que não conhecem.

Muito pior do que ver a produção nacional apodrecer no congestionamento das rodovias (por motivações legítimas, mas com métodos abusivos) é o desabastecimento de autoridade que faz escassa a oferta de alternativas consistentes para a crise. A paralisação dos caminhoneiros é uma boa metáfora para o governo Temer: ele, igualmente, não anda, nem deixa passar. É tão desastroso que tanto sua continuidade quanto sua interrupção se tornam alternativas igualmente críticas.

Enquanto isso, a insensatez marcha na direção do impasse. Enquanto os caminhões paravam o Brasil, o plenário vazio do congresso nacional (afinal, era sexta-feira e ninguém é de ferro) era o retrato acabado da amplitude e profundidade do abismo que nos separa – nação e Estado. E aqueles que tencionam a corda sequer se dão conta de que, uma vez rompida, ela arrastaria a todos para o mesmo fundo escuro da crise.

O desafio principal, pelo qual todos deveriam lutar, é chegarmos à eleição presidencial. O próximo presidente terá a autoridade legitimada que Temer nao tem e poderá, enfim, fazer uma reforma da Previdência, sem a qual não haveria como evitar o colapso de tudo que se construiu desde o Plano Real.

*Ricardo Alcântara

Escritor e publicitário.

Meirelles é aconselhado a marcar posição como alternativa aos extremos

Henrique Meirelles, nome do MDB para o Planalto, foi aconselhado a, sempre que possível, marcar posição como alternativa aos extremos da direita e da esquerda. Ele vai intensificar as mensagens de comunicação para o MDB, informa a Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

Morro acima Meirelles ainda precisa ser chancelado candidato na convenção do partido, em julho. A ordem é reforçar a tese de que ele é um outsider que pode dar certo e até limpar a imagem da sigla. Neste mês, vai visitar diversos diretórios estaduais.

Check in A equipe do emedebista programou visitas a sete estados: RS, MG, BA, PA, PE e SC.

(Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Sindilojas de Fortaleza comemora fim da greve dos caminhoneiros com agradecimentos e cutucada política

Do Sindilojas dde Fortasleza, este Blog recebeu a seguinte nota. Confira:

Nota de Agradecimento*

A diretoria do Sindilojas Fortaleza, através do seu presidente Cid Alves, vem a público agradecer a atenção do governo estadual – na pessoa do Secretário Élcio Batista, da Polícia Militar, da Polícia Federal e seus departamentos, do Exército Brasileiro e do líder classista Ricardo Cavalcante, diretor da Fiec, que trabalharam, incansavelmente, para por fim ao movimento paredista que, aproveitando inescrupulosamente de nobre causa reivindicatória de laboriosa categoria, se incorporou politicamente à greve dos caminhoneiros.

Nosso reconhecimento também às demais entidades que colaboraram com o árduo trabalho de reordenar o transporte rodoviário de cargas no nosso Estado.

Clima de troca-troca na TV cearense

Com a saída da jornalista Moema Soares para a função de coordenadora do Jornalismo do Grupo Cidade de Comunicação, assumirão, na próxima segunda-feira, a gerência de Jornalismo da TV Ceará os jornalistas Marco da Escóssia e Alexandra Sousa.

Ou seja, os dois reforçarão o bom trabalho do presidente da TVC, Adriano Muniz.

Boa sorte para todos.

(Foto – TVC)

Ciro inclui em seu plano de gestão o aumento da tributação sobre heranças

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele no O POVO desta sexta-feira:

O ex-secretário da Fazenda, Mauro Filho, hoje responsável pelo programa econômico do pré-candidato a presidente da República Ciro Gomes, defende o fim da “pejotização” com a criação de Imposto sobre Valor Adicionado (IVA).

Também faz parte da estratégia a tributação de distribuição sobre lucros e dividendos, bem como aumentos da tributação sobre heranças.

Ou seja: a proposta é de uma briga grande com as grandes corporações.

(Foto – Fco Fontenele)

General Theophilo faz caminhada em Sobral

1321 1

Raimundo Gomes, Tasso, General e Luiz Torquato.

O general Theophilo, pré-candidato ao governo pelo PSDB, faz caminhada, nesta manhã de sexta-feira, pelo tradicional Beco do Cotovelo, em Sobral, a terra dos Ferreira Gomes. Com ele, o senador Tasso Jereissati e o deputado federal Raimundo Gomes de Matos.

No percurso, com chuva caindo, ele resolveu tomar um cafezinho. Parou no Café Flora, de Luiz Torquato, ex-presidente do Guarany de Sobral.

Theophilo trabalha a publicização de suas propostas como pré-candidato a governador e, principalmente, busca ser conhecido do eleitorado.

(Foto – Divulgação)

Vereadora do PRTB fatura prestigio entre caminhoneiros

Ela é campeã da audiência nas redes sociais.

Trata-se da vereadora Priscila Costa (PRTB), uma das jovens parlamentares cearenses que melhor utiliza as redes sociais. A sua recente transmissão ao vivo, via Facebook, da greve dos caminhoneiros, obteve 81 mil visualizações e 1.355 compartilhamentos. Ele mostrou-se desenvolta e exerceu sua verve de jornalista em meio aos grevistas às margens da BR-116.

“Os problemas do caminhoneiros também são nossos problemas”, explicou, enquanto conversava com dezenas de motoristas que lutavam pela redução do preço do óleo diesel.

“Nosso papel não é representar a opinião da Rede Globo, nem a opinião dos “especialistas”. Nosso papel é ouvir a voz de quem acorda cedo e carrega o Brasil!”, afirmou, ao vivo, a vereadora Priscila.

Devedor no rotativo do cartão pagará taxa igual a do cliente regular

Cartões de crédito

A partir de hoje (1º), clientes inadimplentes no rotativo do cartão de crédito passam a pagar a mesma taxa de juros dos consumidores regulares. Em abril, uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou e padronizou os juros para essa modalidade, regulamentando decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. O crédito rotativo dura 30 dias. Após esse prazo, as instituições financeiras transferem a dívida para o crédito parcelado.

Até a nova regra entrar em vigor, os clientes que não pagavam pelo menos o valor mínimo da fatura em dia caíam na modalidade de rotativo não regular, com taxa de juros mais cara que a cobrada dos clientes adimplentes (regulares). Em abril, por exemplo, a taxa de juros do rotativo não regular era de 396,9% ao ano e a do regular, 238,7% ao ano, de acordo com dados do Banco Central (BC).

Inadimplentes e adimplentes

Pela nova regra, a taxa de juros do rotativo passa a ser única, tanto para inadimplentes quanto para adimplentes. Mas as instituições poderão cobrar multa e juros de mora, por atraso, como ocorre em qualquer outra operação de crédito. No caso de valores de crédito rotativo já parcelado, a taxa de juros deve ser a da operação de parcelamento. Por decisão do STJ, os bancos podem cobrar 2% de multa (sobre a dívida total) e 1% ao mês de juros de mora em caso de inadimplência.

Segundo o BC, o objetivo da medida é alinhar as regras dos cartões às normas das demais operações de crédito, que preveem “a manutenção da taxa contratual original em situação de atraso no pagamento”. Outra mudança definida pelo CMN é que o percentual de pagamento mínimo da fatura deixa de ser determinado em norma (15% até então) e poderá ser estabelecido por cada instituição em função de sua política de crédito e do perfil de seus clientes.

Pelas novas regras, a alteração de limites de crédito e do percentual de pagamento mínimo da fatura deve ser comunicada ao cliente, com, no mínimo, 30 dias de antecedência.

(Agência Brasil)

Parlamento espanhol elege um socialista como primeiro-ministro

O Parlamento espanhol decidiu nesta sexta-feira, 1º, por 180 votos a 169, afastar o primeiro-ministro Mariano Rajoy e substituí-lo por Pedro Sánchez, líder de centro-esquerda do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

A decisão foi tomada depois de uma moção de censura do PSOE contra Rajoy em virtude da multa que o partido do agora ex-premiê, o Partido Popular (PP), ter sido multado judicialmente por um amplo esquema de corrupção. Mariano Rajoy estava no cargo há oito anos.

Para obter os votos necessários para derrubar o governo anterior e se eleger, Pedro Sánchez, que ainda precisa ser empossado pelo rei Felipe VI, firmou uma aliança com o Podemos e os nacionalistas bascos e catalães, o que provocou críticas do PP e de aliados de Rajoy. O porta-voz do partido no Parlamento, Rafael Hernando, acusou o novo primeiro-ministro de se aliar “extremistas, radicais e independentistas que desejam acabar com o projeto de Espanha”.

Em sua defesa, Sánchez afirmou que seu governo “quer que a Catalunha esteja na Espanha e escutará a Catalunha”. Ele também reiterou compromisso com uma posição pró-Europa e prometeu “estabilizar socialmente” o país, privilegiando ações em defesa do meio ambiente e da igualdade entre homens e mulheres.

O novo primeiro-ministro deve ter um governo difícil. O partido liberal Cidadãos já defendeu a realização de novas eleições gerais. “Eu não quero um governo zumbi pela corrupção, mas tampouco quero um governo Frankenstein com os que querem liquidar a Espanha”, advertiu o líder da legenda, Albert Rivera, indignado com o apoio dos separatistas catalães à moção socialista.

(Com Agências)

Prefeitura vai inaugurar UPA em terreno doado pela Fundação Edson Queiroz

O prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana (|PT) vão inaugurar, às 9 horas desta sexta-feira, a UPA do bairro dendê, que ganhará o nome de Unidade de Pronto Atendimento Yolanda Queiroz. A UPA ocupará um terreno de 4 mil m2 doado pela Fundação Edson Queiroz, mantenedora da Unifor. A nova unidade amplia a rede de urgência e emergência da capital e terá capacidade de atender cerca de 450 pacientes por dia.

A doação do terreno aconteceu dia 30 de junho de 2016, durante a assinatura da ordem de serviço de construção do equipamento, em solenidade que contou com a presença do chanceler da Universidade de Fortaleza, Airton Queiroz, além da reitora da Unifor, professora Fátima Maria Fernandes Veras. Também participaram do ato vice-reitores, professores e funcionários da Instituição, bem como o presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho, vereadores e secretários municipais.

(Foto – Arquivo)

No auge da crise, Temer se sentiu só e externou angústia a aliados

Acostumado a racionalizar crises ao limite, Michel Temer deu-se o direito de externar tristeza e angústia a aliados próximos nos primeiros dias desta semana, quando havia o receio de que seu governo sucumbisse ao levante dos caminhoneiros. É o que informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

Sem suporte dos chefes do Legislativo e do Supremo, e com os governadores concentrados em resolver os próprios problemas, viu-se contra a parede e isolado. Em desabafos, chegou a indagar se mais ninguém percebia que o momento requeria união.

A deterioração da influência do emedebista no Congresso –reflexo do uso do capital político para barrar as duas denúncias de que foi alvo– cobrou um preço alto. Temer chegou a recorrer a falas emocionais, evocando o risco de a economia e a democracia ruírem com a paralisação.

Segundo auxiliares, no auge da crise, o presidente contou especialmente com três escudeiros: Eliseu Padilha (Casa Civil), Raul Jungmann (Segurança) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

Junho Vermelho – O mês para incentivar a doação de sangue

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

Hoje, 1º de junho, o Movimento Eu Dou Sangue iniciará as ações de sua campanha Junho Vermelho em todo Brasil. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância da doação sangue. A ação é fundamental para os bancos de sangue, que, além de já enfrentarem a baixa adesão de doadores nesta época do ano, estão com seus estoques comprometidos.

No Ceará, o Hemoce está à frente das atividades que contarão com campanhas junto a doadores e outros segmentos interessados em dar apoio a essa iniciativa.

Ocupar espaços na mídia é o fundamental para o Movimento Eu Dou Sangue, que surgiu em 2011, quando as irmãs Debi Aronis e Diana Berezin lançaram a campanha em São Paulo, motivadas por um episódio familiar.

O sucesso da iniciativa é comprovado pelos números registrados durante os outros anos. Em 2017, o Movimento Eu Dou Sangue calculou, extraoficialmente, que houve aumento de 25% das doações no mês de junho, em relação a 2016. Bem, doar e salvar, é so começar.

Advogado Paulo Quezado, filiado ao PSL de Bolsonaro, pode disputar o Senado

O ex-presidente da OAB do Ceará e ex-deputado estadual Paulo Quezado disse, nesta sexta-feira, para o Blog que foi procurado pela cúpula do PSL com a proposta dele disputar uma vaga de senador.

Quezado, como parlamentar, atuou no PDT, mas hoje é filiado ao PSL do presidenciável Jair Bolsonaro.

“Eu fui procurado, mas ainda vou avaliar bem esse convite. Não há nada definido!”, avisou o ex-parlamentar, hoje advogado com militância na área criminal.

Ele deixa claro que terá que amadurecer bem esse convite, até “porque a disputa vai ser muito dura e os nomes que se apresentam nos outros partidos são fortes”.

(Foto – Divulgação)

Enem 2018 – Ceará é o 5º estado do pais em inscrições

Com o título “Inscrições no Enem”, confira o Editorial do O POVO desta sexta-feira:

O Ceará é o 5º estado do País em número de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano. A notícia contribui para reforçar a imagem que os cearenses vêm gozando na área da Educação e o desafio que têm pela frente para avançar ainda mais.

O número dos estudantes inscritos para o Enem na rede pública em todo o Ceará (107.188) é o mais alto já obtido nos últimos 20 anos, desde que a prova foi criada, em 1998. No ano passado, já eram 101.797 os que fizeram o teste, e o número de aprovações também foi recorde (16.897), conforme os dados apresentados pela Secretaria da Educação do Ceará (Seduc). Contudo, ainda são modestos (16,5%) e é preciso fazê-los avançar.

Uma das estratégias para robustecê-los é o programa Enem Chego Junto, Chego Bem, que tem tido a parceria da Fundação Demócrito Rocha, responsável pelo projeto Enem Mix 2018, que foca nos 115 mil alunos matriculados no 3º ano e na EJA (Educação de Jovens e Adultos) da rede estadual de ensino. Seu objetivo traduz-se no oferecimento de conteúdos direcionados e ações transversais, como forma de estimular o aluno, oferecer-lhe segurança e contribuir para o maior ingresso dos inscritos nas instituições de ensino superior.

Faz parte dessa programação a realização de 80 aulões motivacionais e de Redação para alunos de 60 municípios cearenses, contemplando cerca de 50 mil estudantes. Não basta passar o conteúdo, mas envolver o aluno numa ambientação propícia à aprendizagem. Contudo, para se alcançar esse objetivo é preciso que os próprios educadores contem com um suporte real, tanto em termos de trabalho (simulados preparatórios para o Exame), como em disponibilidade de material estruturado, pois só assim será possível motivar os alunos a estudarem. A ênfase na Redação faz parte dessa estratégia pois sua nota é fundamental para o sucesso no Exame.

O Enem é essencial para quem pretende acessar o ensino superior em instituições públicas através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Serve também para quem tem interesse em ganhar bolsa integral ou parcial em universidade particular através do ProUni (Programa Universidade para Todos) ou para obtenção de financiamento através do Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). Motivar os jovens a ingressarem com mais qualificação na sociedade do conhecimento deve vir acompanhado do aperfeiçoamento dos instrumentos que validem essa aferição. A preparação para uma boa aprovação no Enem é um dos serviços relevantes que pode oferecer o poder público. É bom ver o Ceará esforçar-se para isso.

Bolsonaro diz que quer uma chapa puro-sangue

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) negou que tenha convidado a ex-corregedora nacional do CNJ, Eliana Calmon (Rede) para ser sua vice. A informação é da Veja Online.

Bolsonaro afirma que, além dele e do vice-presidente do PSL, Gustavo Bebiano, ninguém tem autorização para conversar sobre isso.

O político completa que houve uma conversa com ela apenas para falar sobre a conjuntura. Ele mantém a ideia de ter o senador Magno Malta (PR) como vice na sua chapa.

Mas, se o deputado não puder, aposta numa chapa puro-sangue.