Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Atletas de 21 países disputam o Ironman Fortaleza neste domingo

Cerca de mil atletas de 21 países disputam neste domingo (25), com largada na Praia de Iracema, o Ironman Fortaleza, que contará com 1.9 quilômetro de natação, 91 quilômetros de ciclismo e 21 quilômetros de corrida.

Neste sábado (24), crianças disputam o Ironkids, com distâncias de 200 metros a 600 metros.

“O Ironman Fortaleza já é o maior evento turístico/esportivo regular na nossa cidade. Na sua quinta edição, o evento se consolida na cidade com a mudança para o aterro da Praia de Iracama, palco dos grande eventos de Fortaleza”, comentou Erick Vasconcelos, secretário adjunto do Turismo de Fortaleza, que também disputará a competição.

(Foto: Divulgação)

Prefeito Ivo Gomes reúne médicas cubanas em clima de agradecimento

125 1

O prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT), recebeu, em seu gabinete, nesta semana, médicas cubanas que, por cinco anos, prestaram serviços à população desse município por meio do Programa Mais Médicos. A reunião contou ainda com a presença do secretário da Saúde, Gerardo Cristino, e da vice-prefeita, Christianne Coelho.

“Eu pedi para que vocês viessem aqui para agradecê-las pessoalmente, em nome do povo de Sobral, pelo trabalho de excelência prestado por vocês. Nunca tivemos nenhuma reclamação do trabalho de cubanos aqui no município, pelo contrário, sempre foram muito elogiados pelos pacientes atendidos. Então, eu só reforço a gratidão pelo trabalho de vocês”, agradeceu o prefeito Ivo Gomes.

Durante a reunião, o secretário Gerardo Cristino assegurou que o atendimento à população não será prejudicado e apresentou a nova estratégia para suprir a ausência das médicas: o sistema de rodízio será implantado em todas as unidades de saúde e uma seleção pública para novos médicos garantirão a continuidade do atendimento à 100% da população.

(Com Blog Sobral de Prima)

TSE julga contas da campanha de Bolsonaro no dia 4 de dezembro

O julgamento das contas de campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deve ocorrer no próximo dia 4 de dezembro. A aprovação é necessária para que a diplomação de Bolsonaro e do vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, ocorra no dia 10 de dezembro, conforme acertado entre o TSE e a coordenação da transição de governo.

O relator do processo no TSE, ministro Luís Roberto Barroso, determinou que a campanha de Bolsonaro apresentasse uma prestação de contas retificadora para esclarecer inconsistências na documentação entregue anteriormente ao tribunal. A prestação retificadora e os documentos complementares foram protocolados no TSE na semana passada.

Segundo o TSE, todos os candidatos a presidente da República entregaram as relações de receitas e despesas de campanha dentro dos prazos estipulados pela legislação eleitoral. Porém, balanço feito pelo TSE mostra que, dos 28.070 candidatos que concorreram em outubro, somente 20.546 entregaram à Justiça Eleitoral as prestações de contas de campanha – 73,2% do total.

Os prazos para apresentar a movimentação financeira da campanha, no primeiro e no segundo turnos, já se encerraram, mas ainda estão pendentes 7.524 prestações de contas. De acordo com o TSE, a Justiça Eleitoral vai cobrar a prestação de contas, dando prazo de 72 horas para a apresentação dos documentos, a partir da notificação.

Dos 203 candidatos a governador, 190 entregaram os documentos, o que representa 93,6% do total. O índice de prestação de contas entre os candidatos ao Senado é de 88,1% e à Câmara dos Deputados, 74%.

Entre os que concorreram a deputado estadual, 72% entregaram as contas de campanha. Esse índice chegou a 77,7% em relação aos que disputaram uma das 24 vagas de deputado distrital.

O TSE julga as contas de campanha dos presidenciáveis, cabendo aos tribunais regionais eleitorais a análise da movimentação financeira dos candidatos a governador, senador, deputado federal, estadual e distrital.

Segundo o TSE, os candidatos com pendências na prestação de contas não recebem a certidão de quitação eleitoral enquanto perdurar a omissão. Já os partidos que não prestarem contas podem ter suspensa a cota do fundo partidário.

(Agência Brasil)

Vem ai o II Encontro Marketing digital do O POVO

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (24):

Tudo pronto para a segunda edição do Digital Leads. Trata-se de um evento sobre empreendedorismo e marketing na área digital promovido pelo Grupo de Comunicação O POVO, por meio do BPOP, ferramenta que opera como ativadora de novos negócios. Acontecerá na terça-feira, 27, a partir das 18h30min, no Teatro RioMar Papicu.

O mote será “O Poder do Marketing Digital na Geração de Negócios da sua Empresa” e terá como convidados Daniel Oniesko, executivo do Facebook, que falará sobre o tema “Impulsione seu Negócio com Facebook”; Sanchae Camatti e Lucas Dorini, executivos do BPOP, que abordarão “Ferramentas Digitais para Geração de Leads e Conversão em Vendas”; e Hugo Lopes, professor de MBA em Marketing Digital, que mediará o painel “Marketing Digital para Pequenas e Médias Empresas”.

A proposta é abrir para micro, pequenos e médios empreendedores o horizonte do marketing digital e suas mais modernas ferramentas (inscrições gratuitas pela página especial.opovo.com.br/digitalleads).

Praça do Ferreira – Prefeitura cadastra crianças e adolescentes em situação de rua

O secretário dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) da Prefeitura de Fortaleza, Eron Moreira, acompanhou pessoalmente a abordagem e o cadastramento de crianças e adolescentes em situação de rua, nesta semana, na Praça do Ferreira, no Centro. A atividade faz parte da Semana Universal da Criança, de iniciativa do Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas (Unicef).

“Realizamos uma abordagem com nossos colaboradores da Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), que tem como missão promover e executar políticas públicas de defesa e proteção integral de crianças e adolescentes, preconizado no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, comentou Eron Moreira, ao destacar o planejamento estratégico da secretaria.

Os programas da Funci trabalham com a identificação dos potenciais criativos e o estímulo à participação política e social de crianças e adolescentes, garantindo proteção aos meninos e meninas com direitos violados.

Os Conselhos Tutelares, órgãos permanentes, autônomos e não jurisdicionais, são ligados administrativamente à Fundação.

Para ser atendido pelo Programa são necessários ter de 0 (zero) a 18 (dezoito) anos incompletos e estar em situação de rua, diante das etapas de identificação, aproximação, construção dos vínculos e encaminhamento à rede socioassistencial.

(Fotos: Divulgação)

Oi investe R$ 130 milhões no Ceará de janeiro a setembro deste ano

A Oi investiu mais de R$ 130,4 milhões no Ceará no período de janeiro a setembro deste ano, segundo informa sua assessoria de comunicação. Isso representa um crescimento de 46% em comparação ao mesmo período do ano passado.

A operadora implantou no Ceará 262 novos sites de telefonia móvel e 555 ampliações e modernizações até o terceiro trimestre do ano.

Além disso, 8.495 novas portas para o serviço de banda larga fixa foram implantadas. A Oi acrescenta que oferece ainda cobertura 4G em 59 cidades cearenses.

Comissão aprova projeto que garante ao herdeiro posse e propriedade da arma de fogo

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou o Projeto de Lei 8075/17, do deputado Major Olimpio (PSL-SP), que garante a uma pessoa o direito à posse e à propriedade da arma de fogo que recebeu como herança. Caso queira, o herdeiro poderá ainda entregar a arma ao governo com indenização justa, prévia e em dinheiro. O texto altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03).

A proposta foi aprovada na forma do substitutivo apresentado pela relatora, deputada Magda Mofatto (PR-GO). Ela acrescentou dispositivo para que o herdeiro, caso não atenda aos requisitos legais para ter posse e propriedade da arma, tenha até 180 dias para transferi-la a terceiro que preencha tais requisitos. A medida será aplicável também às munições que acompanhem a arma.

“Essa medida ampliará o escopo de aplicação da futura lei, resguardando ainda mais a possibilidade de manter armas de fogo protetivas nas mãos de pessoas de bem, legalmente autorizadas a tal”, disse Magda Mofatto.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

Freddie Mercury, que neste sábado deixa 27 anos de saudade

O cantor, pianista e compositor britânico Farrokh Bulsara, o Freddie Mercury, foi considerado pela crítica como um dos maiores artistas de todos os tempos. Como compositor, Mercury criou a maioria dos grandes sucessos do Queen, como “We Are the Champions”, “Love of my Life”, “Killer Queen”, “Bohemian Rhapsody”, “Somebody to Love” e “Don’t Stop Me Now”.

Com time reserva, Fortaleza se despede da Série B com derrota

O Fortaleza, campeão da Série B 2018, se despediu da temporada com derrota para o Coritiba, por 1 a 0, na noite desta sexta-feira (23), no estádio Couto Pereira, na capital paranaense. O único gol da partida foi marcado por Alecsandro, a quatro minutos para o fim da partida.

O Leão entrou em campo com uma equipe quase toda reserva. Mesmo assim, teve mais posse de bola que o adversário e conseguiu 17 chutes contra o gol adversário.

Todas as demais partidas da última rodada da Série B serão disputadas neste sábado (24), a partir das 17 horas (horário de Brasilia).

As atenções estão voltadas para duas vagas à Série A, nas partidas Avaí x Ponte Preta e Juventude x CSA. E também para a última equipe rebaixada à Série C, entre Paysandu, Criciúma, Oeste e CRB.

(Foto: Reprodução)

Futuro presidente do Banco do Brasil fala em “privatizar o que for possível”

O economista Rubem de Freitas Novaes, indicado para a presidência do Banco do Brasil no governo de Jair Bolsonaro, afirmou que a orientação da próxima gestão será a busca por eficiência, o enxugamento e a privatização de ativos da instituição. Ele disse ter recebido essas recomendações diretamente do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e do próprio presidente eleito.

“A orientação é eficiência, enxugamento e privatização do que for possível. Vamos buscar bons resultados e tornar o banco cada vez mais competitivo, mas de uma maneira enxuta”, disse.

Novaes descartou, por enquanto, a possibilidade de privatização total do banco. Perguntado sobre quais braços de atuação do banco poderiam ser negociados, ele evitou adiantar o que tem em mente. “Isso está muito prematuro para eu detalhar. Primeiro, preciso tomar ciência da situação do banco, das pessoas que estão lá, pensar na formação da equipe”, disse.

Novaes, que já foi diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), defendeu ainda a venda de ativos do banco por meio da venda de ações no mercado de capitais, buscando oferecer aquilo que pode interessar os investidores.

“[Vamos] procurar fazer operações que mobilizem o mercado de capitais, com o máximo de transparência possível. Aquela fase de privatização em que você direcionava venda para determinados compradores, que montava aqueles consórcios de compra, [isso] está ultrapassado”, afirmou.

(Agência Brasil/Foto – Exame)

Trabalha, Eunício – Movimento nas redes sociais pede abaixo-assinado para liberação de verba para Fortaleza

188 2

Movimento divulgado nas redes sociais, por meio do site change.org, pede que o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), use de sua influência política a favor de Fortaleza, para a liberação de recursos para obras de saneamento básico, despoluição de lagoas e urbanização de áreas degradas.

… “é público e notório que se Eunício quisesse de verdade esses projetos já poderiam ter saído da Casa Civil para o Senado, onde então, poderiam ser liberados”, apela o texto, que pede ao internauta a participação em abaixo-assinado.

“É fundamental que toda a sociedade saiba mais uma vez que isto não implica nenhum centavo de dinheiro Federal. Não precisando de recursos federais fica claro que se não for liberado estará configurado uma atitude política de baixo nível que só prejudica o povo pobre de Fortaleza”, aponta o texto.

“Esse dinheiro é muito importante para Fortaleza”, justifica a médica Lia Ferreira Gomes, que atendeu ao pedido de assinatura. Ela é irmã dos ex-governadores do Ceará Ciro Gomes e Cid Gomes, esse último recentemente eleito senador.

Para participar do abaixo-assinado clique aqui: http://chng.it/ZJsmWwYk

Moro apresentará no início de governo plano de combate à corrupção e ao crime organizado

91 1

O juiz federal Sergio Moro, confirmado para o Ministério da Justiça, disse hoje (23) que vai apresentar em 2019 um projeto com medidas contra a criminalidade sustentado em três eixos: combate à corrupção, ao crime organizado e aos crimes violentos. Moro participou nesta sexta-feira do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, promovido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.

“Primeiro [vou] apresentar um projeto de lei contra a corrupção logo no início da legislatura. Sempre com respeito ao Parlamento, com abertura ao diálogo. Corrupção está desenfreada, crime organizado está cada vez mais forte. Crime violento, que afeta a todos, principalmente minorias. É um projeto em gestação. O foco vai ser agenda contra corrupção, anticrime organizado e contra o crime violento.”

Para Moro, serão necessárias algumas mudanças nas leis criminais para dar suporte ao combate efetivo às ilegalidades. Como exemplo, ele citou a necessidade de mudar o sistema de progressão de pena e regime.

“Tem que se proibir progressão de regime para o preso que mantém vínculo com organizações criminosas. Tem que liberar preso apto para ressocialização. Se colocar em liberdade, vai apenas potencializar aquela organização criminosa. Serve como desestímulo ao ingresso dos presos nessas organizações criminosas”, afirmou.

“As penas até já são elevadas, o problema é o tempo de prisão real. Tem que mexer na progressão. Tem casos bárbaros, de sangue, que em pouco menos de 10 anos a pessoa já está progredindo. Às vezes parricidas [quem mata os pais] saindo em Dia das Mães”, acrescentou.

Alternativas

Moro defendeu ainda a aprovação de leis que deem respaldo legal à realização de “operações disfarçadas”, sem que isso comprometa a punição futura do criminoso. “Nos Estados Unidos são feitas operações disfarçadas. É preciso colocar na lei que vender ou entregar droga a um agente disfarçado constitui crime. A mesma coisa em relação a armas e lavagem de dinheiro. Não exclui o crime. O policial está lá para revelar o crime.”

O futuro ministro destacou ainda a necessidade de se distinguir o que é crime nos casos em que a Justiça Eleitoral muitas vezes classifica como caixa 2 – doações não declaradas de campanha a políticos.

“O problema é que hoje algumas condutas criminais extremamente complexas, muitas vezes envolvendo lavagem de dinheiro com conta no exterior, estão sendo interpretadas [como] de competência da Justiça Eleitoral. A lei tem que deixar claro que se é corrupção não é caixa 2, é corrupção, não é competência da Justiça Eleitoral. Crime de caixa 2 não se configura se há crime mais grave. Sem demérito à Justiça Eleitoral, ela não tem condições de apurar essas condutas.”

Moro destacou que há um desejo por melhoria na Justiça e na segurança pública e que o Brasil não pode mais naturalizar a situação dos elevados índices de criminalidade, da mesma forma como deixou de considerar natural a hiperinflação que havia no passado. Segundo ele, o caminho é aperfeiçoar as instituições. “Temos crença de que problemas permanentes são quase problemas naturais, que temos que conviver com elevados índices de criminalidade. Isto é falso. Temos que melhorar nossas instituições e melhorar as respostas para esse tipo de problema.”

O futuro ministro comparou o momento atual ao que o país já viveu. “[Quando havia] a hiperinflação, a gente dizia que o Brasil era assim mesmo, que tínhamos de aprender a conviver com ela, que não se podia fazer nada”, disse Moro, definindo a essência do projeto que apresentará ao Congresso em 2019. “É um Plano Real contra a alta criminalidade no Brasil.”

(Agência Brasil)

13º salário – Prefeitura paga última parcela no dia 20 de dezembro

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), confirmou, nesta sexta-feira, que vai pagar a segunda parcela do 13º salário dos servidores públicos municipais no dia 20 de dezembro. O desembolso equivale a 60% do benefício e representa um total de R$ 180.755 milhões.

A primeira parcela, equivalente a 40%, foi paga no dia 18 de junho, num total de R$ 85,6 milhões. Com a parcela restante, a soma sobe para R$ 266,3 milhões.

Somadas as folhas de novembro, paga em 1º de dezembro, e de dezembro, a ser paga em 1º de janeiro de 2019, ambas estimadas em cerca de R$ 283 milhões, a Prefeitura estará injetando no mercado aproximadamente R$ 745 milhões em 30 dias.

A parcela restante do 13º salário beneficiará 49.749 mil servidores, entre ativos e inativos, e 3.216 pensionistas.

DETALHE – Nessa quarta-feira, o governador Camilo Santana anunciou que o pagamento do restante do 13º salário do pessoa do  Estado ocorrerá no dia 21 de dezembro, a data-limite permitida pela lei.

(Foto – Divulgação)

Expolog 2018 – Comentarista de economia da GloboNews entre os conferencistas

Fortaleza vai ser sede, nos dias 28 e 29 deste mês de novembro, no Centro de Eventos, da Feira Nacional de Logística (Explog). Trata-se do maior encontro do gênero no País que, nesta edição, terá como tema central “Intermodalidade e a Conexão Global no Brasil Pós-Paralisação”.

O tema diz respeito a um contexto de logística de cargas pós-greve enfrentada pelo transporte rodoviário após a paralisação dos caminhoneiros no fim do ano passado.

A Expolog deve atrair público de cerca de 4,5 mil participantes, com destaque para a presença de João Borges, jornalista e comentarista da GloboNews João Borges, que abrirá o evento, além do presidente da Transnordestina, Jorge Luiz de Mello, e do economista-chefe do BNB, Luiz Alberto Esteves.

(Foto – Divulgação)

Fortaleza será sede do XIV Fórum Multissetorial de Responsabilidade Ambiental

Eis um evento importante e que ocorrerá no auditório da Federação das Indústrias do Ceará nos dias 29 e 30 deste mês de novembro: o XIV Fórum Multissetorial de Responsabilidade Ambiental.

É sempre fundamental o debate sobre a convivência e a questão hídrica principalmente num Estado hoje com suas reservas abaixo dos 12%.

SERVIÇO

Mais Informações- ihab.org.br/forum

Ministro do STF alerta sobre indulto de Natal e temor de perdão para corruptos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse hoje (23) que, se o plenário da Corte “derrubar” o entendimento que o levou a suspender o indulto natalino de 2017, “é evidente [que] virá um novo decreto do mesmo estilo, e aí boa parte das pessoas que foram condenadas nos últimos anos por corrupção estarão indultadas”.

As declarações do ministro ocorreram após um almoço organizado pela Associação de Ex-Alunos de Harvard Law School, em comemoração aos 200 anos do curso de direito da instituição. O evento foi nesta tarde no salão nobre da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Luiz Fux, outro ministro do STF, também esteve presente, mas saiu sem conceder entrevistas. Participaram ainda do evento o governador eleito do Rio, Wilson Witzel, e o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, que assumirá a pasta indicado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

O STF começou a julgar na quarta-feira a suspensão do indulto assinado pelo presidente Michel Temer no ano passado e deverá concluir, na próxima quarta-feira 928), o julgamento da constitucionalidade da medida. O julgamento definitivo foi interrompido após as sustentações da Procuradoria-Geral da República (PGR), da Defensoria Pública da União (DPU) e de entidades em prol do direito de defesa.
Contexto
Em dezembro do ano passado, durante o recesso de fim de ano, a então presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, atendeu a um pedido da PGR e suspendeu o indulto presidencial. Em seguida, o relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, restabeleceu parte do texto, mas retirando a possibilidade de benefícios para condenados por crimes de corrupção, como apenados na Operação Lava Jato.

Durante as manifestações na quarta-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu a suspensão do indulto. Segundo Raquel Dodge, o presidente da República tem a prerrogativa de fazer o decreto, no entanto, o ato não é absoluto e pode sofrer controle constitucional. Para a procuradora, o decreto não teve a finalidade de desencarcerar e foi “ampliativo e generoso” com detentos que cumpriram apenas 20% da pena.

O defensor público-geral federal, Gabriel Faria Oliveira, defendeu a validade do decreto. Para o defensor público, o texto se aplica a presos pobres, grande parte da massa carcerária, e não a condenados na Lava Jato. Segundo Faria, apenas 0,4 % do total de presos responde por crime de corrupção contra a administração pública.

“A Defensoria Pública defende a competência discricionária do presidente da República para edição do decreto de indulto. Se flexibilizarmos o decreto, no presente momento, a todos os decretos de indulto futuros, haverá contestação judicial”, afirmou.

Barroso considerou inconstitucionais as regras originais do decreto editado por Temer, que previa, por exemplo, a concessão do indulto mesmo a quem não pagou as multas previstas em suas penas, ou àqueles que tivessem cumprido somente 20% do tempo de prisão ao qual foram condenados. Ele também impôs o limite de oito anos de pena como o máximo a que o detento pode ter sido condenado para poder receber o indulto. O decreto original não trazia limite para a condenação.

Outro ponto estabelecido por Barroso foi a exclusão do indulto daqueles que cometeram os chamados crimes de colarinho branco.

Pacto de integridade

No evento no Rio de Janeiro, Barroso defendeu ainda que o Brasil estabeleça um pacto de integridade, de honestidade, em substituição a um pacto oligárquico que, segundo ele, é multipartidário e não tem ideologia. O ministro fez uma análise dos 30 anos da Constituição de 1988 e avaliou que a fotografia do momento brasileiro é relativamente sombria, mas que o filme da democracia no país revela realizações importantes. Ele citou a estabilidade institucional, a estabilidade monetária e a inclusão social de mais de 30 milhões de pessoas.

De outro lado, lembrou com ponto negativo a posição do Brasil como um dos países mais violentos do mundo. “Temos que revisitar nossa política de drogas”, disse.

Barroso também citou como desafios a serem enfrentados a baixa representatividade proporcionada pelo sistema político e a corrupção estrutural e sistêmica. “Embora tenhamos razões para nos envergonhar, acho que o Brasil tem motivos para se orgulhar pela maneira corajosa e determinada como está enfrentando a corrupção”, afirmou.

(Agência Brasil)

Empreender 2018 – Um encontro sobre negócios digitais

Vem aí o XII Seminário Empreender 2018.

Nos dias 7 e 8 de dezembro, no Centro de Negócios do Sebrae, tendo como tema central “EmpreenTECH: Negócios Digitais – Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo”.

Segundo a organização, o foco será a inclusão, capacitação e empreendedorismo digital, com realização de palestras que abordarão negócios digitais, incentivo ao desenvolvimento de startups e orientação para o financiamento da atividade.

Estão previstas 30 horas ininterruptas, com ações que ocorrerão, inclusive, na madrugada.

SERVIÇO

As inscrições são gratuitas e já podem ser efetuadas por meio da página seminarioempreender.com.br, onde também é possível conferir a programação completa.

Lula, Dilma, Guido Mantega e Palocci viram réus no “Quadrihão do PT”

Os ex-presidentes Dilma Roussef e Luís Inácio Lula da Silva, ambos do PT, e os ex-ministros Antônio Palocci e Guido Mantega (Fazenda), e João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, viraram réus em ação penal acatada, nesta sexta-feira, 23, pela 10ª Vara Federal do Distrito Federal. Eles são acusados de formar uma organização criminosa no caso que ficou conhecido como “Quadrilhão do PT”. A informação é do Portal G1.

A denúncia foi protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, em setembro do ano passado. A acusação aponta que o grupo teria recebido R$ 1,48 bilhão. Outros integrantes da cúpula do PT também foram denunciados à época, como os ex-ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, da Comunicação Social, Edinho Silva, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além da senadora Gleisi Hoffman.

Agora, acatada a denúncia pelo juiz Vallisney Oliveira, os reús terão 15 dias para apresentarem a defesa. Parte do processo foi parar na primeira instância após, em marços deste ano, o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato, ter dividido o processo, enviando parte dele para a Justiça Federal do DF, que deve julgar aqueles políticos sem foro privilegiado.

(Foto – Agência PT)

Fies terá 100 mil vagas em 2019

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) deverá ofertar, em 2019, 100 mil vagas financiadas pelo governo. O número de vagas está em resolução publicada hoje (23) no Diário Oficial da União. A oferta está condicionada à disponibilidade de R$ 500 milhões provenientes do orçamento do Ministério da Educação.

A decisão foi tomada pelo Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil e consta no Plano Trienal do Fies para o período de 2019 a 2021.

O Fies oferece financiamento com condições especiais no ensino superior privado para estudantes que atendam determinados critérios. Entre eles, está a exigência de ter tirado pelo menos 450 pontos e não podem ter zerado a redação no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em uma ou mais edições desde 2010.

Novo Fies

O novo Fies foi anunciado no ano passado. O programa passou a ter uma modalidade financiada diretamente pela União, voltada para estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, ou seja R$ 2.862, nos valores de 2018. Neste ano foram disponibilizadas também 100 mil vagas nessa modalidade.

As outras duas modalidades incluídas no P-Fies são financiadas com recursos de fundos constitucionais regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O risco de crédito é assumido pelos bancos. Foram disponibilizadas, em 2018, 210 mil vagas. A partir do próximo ano, o P-Fies não terá um número definido de vagas, a oferta será condicionada à demanda.

(Agência Brasil)