Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

PSDB envia nota contra “intolerância do governador Cid Gomes”

115 3

Em nota enviada ao Blog, o PSDB Regional defende o ex-governador Tasso Jereissati contra o que classifica de “intolerância do governador Cid Gomes”. Confira:

O PSDB tem exercido, desde o início de outubro, o direito de sua propaganda partidária assegurada pela Lei Nº 9096/95, em forma de inserções nas emissoras de rádio e TV de todo o Estado.

Na condição de partido de oposição ao atual Governo, exerce o direito democrático de analisar as ações e projetos em implantação no Estado. E de forma responsável e equilibrada, como é da tradição e de sua história, tem abordado problemas que afligem os cearenses, as crises na segurança e na saúde, o drama da seca e as promessas não cumpridas pelo Poder Público.

O partido, porém, foi surpreendido pela demonstração de intolerância do governador Cid Gomes, que em seu Facebook atacou uma das principais figuras da política brasileira, o ex-governador Tasso Jereissati, cujos governos estão registrados na História do Ceará pela dedicação e fidelidade aos interesses maiores do povo cearense.

Esse tipo de manifestação reflete, para nossa tristeza, um retorno ao passado recente. Passado este que o PSDB mais do que qualquer outro partido, tanto lutou para combater. Tempo em que o sistema de poder autoritário não aceitava o contraditório, a crítica como um instrumento de participação da própria sociedade na condução das ações do setor público, voltadas para as reais necessidades e carências da população. Estas são as mais importantes ações que não estão sendo cumpridas pelo atual Governo.

Em respeito à verdade histórica e à própria sociedade que acompanhou todo o esforço e transparência do Projeto de Mudanças com os governos Tasso Jereissati, o PSDB reafirma o compromisso de continuar defendendo e lutando por um Ceará cada vez mais desenvolvido, transparente e respeitado pela opinião nacional.

O jornalismo na linha do tempo

44 1

Da coluna Ombudsman, no O POVO deste domingo (10), pelo jornalista Erivaldo Carvalho:

Há exatos dois meses abordei o impacto do Facebook sobre a mídia impressa – particularmente, nos jornais que circulam em Fortaleza. O gancho: a utilização da rede social pelo governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), para anunciar mudanças no secretariado. Ele fez isso à noite. No dia seguinte, o assunto foi manchete nos três jornais. Daí, fiz uma série de considerações. A íntegra pode ser lida neste link: http://bit.ly/1fQqklp. Duas das teses que levantei foram as de que a imprensa de papel está perdendo espaço e prestígio em coberturas. Especialmente, grifo como segunda observação, no caso do Ceará, em que o chefe do Executivo já disse que não lê jornal – daí se podendo tirar uma série de suposições sobre os porquês. No mais, observei o incômodo e o distanciamento com que O POVO tratou o “pronunciamento”.

Na última quinta-feira, 7, Cid voltou à carga. Na mesma página, desafiou o ex-governador e ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) para uma comparação direta entre os dois períodos de governo. Como daquela vez, da dança das cadeiras, em setembro, a ida de Cid ao Face esta semana foi destaque nos jornais. O POVO deu-lhe a manchete. Seguramente, foram dois dos fatos mais marcantes do noticiário político cearense de 2013. Com uma diferença fundamental: da primeira vez, falou o Cid governador, que do alto da linha de comando, tinha o controle absoluto do processo. Agora, manifestou-se o Cid político, sabedor da tensão e polêmica que causaria ao bater de frente com Tasso, “o maior político cearense vivo” – palavras dele. A pauta, claro, tocou fogo na rede. Há vários outros momentos em que o Facebook roubou a cena dos jornais no Ceará. Citaria a apresentação do projeto da ponte estaiada sobre o parque do Cocó e a publicação de foto de helicóptero cuja licitação causou polêmica, entre outros.

Nilton Almeida lamenta perda de Messias Pontes

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=uA-Qv_aRKX0&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Ceará e atualmente vice-presidente da Associação Cearense de Imprensa (ACI) e coordenador de Comunicação do Banco do Nordeste, Nilton Almeida, destaca o espírito sindicalista de Messias Pontes. Para o coordenador, Messias, cujo corpo será enterrado às 16 horas no Cemitério São João Batista, deixou um bom legado.

Política é para profissionais

57 1

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (10):

Mas, o que disse Tasso Jereissati para deixar Cid Gomes tão enfurecido? Para entender, fui à rede em busca da inserção do PSDB na TV. Encontrei-a no site do partido. Inteira, a inserção tucana dura apenas 30 segundos. A fala de Tasso é de parcos cinco segundos: “Não dá para ficar brincando de política. O Ceará merece respeito”.

Só isso? Sim, apenas isso. A fala do ex-senador é o fecho de uma sequência. A única fala que pode ser considerada dura foi proferida pelo ex-deputado Tomás Figueiredo Filho: “Não dá para aguentar a politicagem. O cearense quer resultado para resolver a mais grave crise de segurança da História”.

Quem observa a política há algum tempo, entende que o conteúdo da propaganda do PSDB é “uma seda”. Macio, macio. Levíssimo se considerarmos que os tucanos foram solenemente alijados do poder após anos de servil apoio aos irmãos Ciro e Cid. Em Sobral, no Estado e nas empreitadas nacionais.

Incomodado, Cid foi à Internet e usou seu perfil no Facebook para oferecer uma resposta ao “maior político cearense vivo”. O governador instigou comparações, disse que seus sete anos valem mais que o dobro dos 12 de Tasso e ainda citou duas vendas de estatais na era tucana: a Coelce e o BEC.

Quem não havia visto ou ouvido a fala de Tasso, tratou de ver e ouvir. Esse foi o resultado imediato da resposta de Cid. Se o tucano estava em busca de uma virtuosa brecha para entrar no palco iluminado do debate público, a reação desproporcional do governador lhe foi de grande ajuda.

Antes do debate acerca do debate, um esclarecimento. A venda do BEC não foi obra do Governo Tasso, mas sim a sua federalização. Quem o colocou à venda foi o Banco Central que então estava sob os auspícios de Luis Inácio Lula da Silva.

Ao desferir o contragolpe, o governador Cid iniciou seu arrazoado com o seguinte pressuposto: “A avaliação de um gestor público se dá por suas realizações e o quanto elas servem ao povo…”. Verdadeiríssimo. A questão é saber o que de fato serve e o que não serve ao povo.

Um dos mais concretos legados de Tasso Jereissati está no campo da política. E tem nome: Ciro Gomes, o primogênito líder maior do governador. Sem Tasso, o que teria sido da trajetória de Ciro? Uma incógnita. Elevado ao topo pelo padrinho, Ciro elevou consigo a família. Esse legado de Tasso serve ao povo?

Somemos os quase sete anos de Cid aos três anos e nove meses de Ciro e teremos um tempo de gestão muito próximo ao de Tasso. O maior engano dos cinco segundos do tucano foi a frase “não dá para ficar brincando de política”. Errado. Ciro e Cid são profissionais da política. Jamais brincam.

Candidata ao CRC-CE faz carreata neste domingo

114 1

carreata CRC

Uma carreata movimentou, na manhã deste domingo (10), as ruas da Aldeota e da Beira Mar. Era a candidata à presidência do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Clara Germana, que mostrou muita disposição para a eleição que ocorrerá no período de 19 a 21 deste mês.

Outras duas chapas concorrem à presidência do CRC.

(Foto: Paulo MOska)

Walter Cavalcante: Messias Pontes tinha compromisso com informação e com a verdade

Em nota de pesar enviada ao Blog, o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Walter Cavalcante, ressalta os princípios de justiça do jornalista Messias Pontes. Confira:

A Câmara Municipal de Fortaleza manifesta profundo pesar pelo falecimento do jornalista Messias Pontes, aos 66 anos.

Militante político brilhante, conselheiro e grande amigo do Legislativo fortalezense, Messias Pontes foi um homem íntegro e fiel aos seus princípios e dedicou sua vida na construção de um Brasil mais justo, em que os ideais de democracia e liberdade sejam exercidos em sua plenitude.

Em seu trabalho como jornalista e grande homem da comunicação, Messias foi impecável. O compromisso com a informação e com a verdade o qualificou como um dos maiores profissionais de imprensa do Estado, referência em todos os veículos de comunicação.

Neste momento de dor, a Câmara Municipal de Fortaleza se une aos seus familiares, amigos e todos aqueles que, só podem agradecer a Deus ter convivido com pessoa tão iluminada como foi Messias Pontes.

Walter Cavalcante, presidente da Câmara Municipal de Fortaleza

Eunício : “Messias deixa legado de serviços prestados à democracia e liberdade”

Em nota de pesar, enviada ao Blog, o senador Eunício Oliveira destaca Messias Pontes como mentor de jornalistas e políticos. Confira:

“Palavras não são suficientes para expressar a dor da perda de todos nós, que tivemos a honra e o prazer de conviver com o amigo, conselheiro, profissional brilhante, Messias Pontes.

Mais do que um amigo, Messias era mentor de políticos e de jornalistas. Nada escapava do seu olhar e ouvidos, sempre dispostos a ver e ouvir tudo o que acontecia no Ceará, no Brasil e principalmente, na política, sua especialidade.

Com inteligência, seriedade e a busca constante pela notícia completa e bem apurada, fez história no jornalismo cearense. Nosso Estado deve muito a ele, por ter levado ao público informações que muitos não tinham coragem de abordar; por dizer aquilo que a maioria não queria ouvir.

Messias Pontes deixa um legado de serviços prestados em prol da democracia e da liberdade. Filiado e militante do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) foi preso político em Fortaleza na década de 1970, quando combateu os horrores da Ditadura Militar.

Expresso toda minha solidariedade aos familiares e amigos, rogando a Deus que na sua infinita misericórdia, lhes confortem neste momento de tristeza e profunda dor”.

Eunício Oliveira, senador

As áreas críticas

Da coluna Política, no O POVO desse sábado (9), pelo jornalista Érico Firmo:

Ao propor a comparação entre seu governo e o de Tasso em qualquer área, Cid elencou algumas: educação, saúde, emprego, estradas, habitação, saneamento, aeroportos, recursos hídricos. Senti falta de duas: segurança e cultura.

No primeiro caso, se o critério forem investimentos feitos e ações realizadas, o atual governo é imbatível. Se for se olhar o resultado, a atual administração é tenebrosa. Na cultura, a atual administração passa por tentativa de sacudida na qual estou esperançoso, embora o tempo seja curto. São milhões em investimentos anunciados. Mas, de resultado até agora, é uma das piores administrações que o setor já teve.

Tasso, por sua vez, teve muitos méritos. Cid tentou atribuir ao irmão, Ciro Gomes, o crédito pelo Dragão do Mar. E teve, realmente, participação crucial em formular o projeto, obter financiamento e desencadear o projeto. Mas foi Tasso o governador durante a maior parte da obra – inaugurada no quinto ano após seu retorno ao governo. E, sobretudo, foi o tucano quem colocou o prédio para funcionar. Como em tudo mais, não dá para olhar só para o concreto.

Durante a boa parte dos últimos anos, o Dragão estava lá, erguido, e estava à míngua.

Qual democracia?

64 1

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (10):

A pesquisa do instituto chileno Latinobarómetro, divulgada esta semana, revelou que menos da metade (49%) dos brasileiros entrevistados apoiam a democracia. Na Venezuela, esse apoio é de 87%; na Argentina, de 73%; e no Uruguai, 71%.

Seria uma leitura apressada concluir que a maioria dos brasileiros prefere a ditadura. O que eles parecem querer, na verdade, é um regime que funcione, e no qual os cidadãos possam interferir quando as coisas não andarem. Portanto, a insatisfação não seria com o regime democrático, mas, com o modelo concreto de democracia existente no Brasil.

Como se sabe, o modelo institucional da democracia pode variar. É difícil não perceber que nosso modelo foi “capturado” pelos políticos profissionais e pelo poder econômico. Longe está de representar os cidadãos.

O que explicaria o fato de 87% dos venezuelanos apoiarem a democracia (não confundir com apoiar o governo)? Seria porque Chávez, apesar de todo o seu histrionismo, conseguiu deixar como legado um modelo democrático participativo, sempre revalidado pelo voto dos cidadãos?

Apesar da crítica dos liberais, é um modelo que dá aos eleitores o poder de cassar o mandato de qualquer político (do presidente da república ao vereador) através de plebiscito revogatório de mandato (depois de cumprida metade deste), bastando para isso a coleta de assinaturas de um número X de eleitores (dentre outras iniciativas de democracia direta).

Mas não é só a Venezuela: dá inveja saber que eleitores de outros países – inclusive de 13 estados americanos – dispõem de instrumentos para monitorar seus representantes e mandá-los para casa quando não estiverem cumprindo os compromissos assumidos em campanha.

População aprova acolhimento de profissionais do Mais Médicos

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (10):

Os profissionais brasileiros que estão incomodados com o programa Mais Médicos não podem mais atribuir a interesses políticos e ideológicos as críticas que recaem sobre a categoria por rejeitar o programa.

É o próprio povo que está fazendo comparação entre a forma acolhedora de atender o paciente -, proporcionada pelos médicos estrangeiros – e a praticada tradicionalmente pela grande maioria dos médicos patrícios. Contra fatos não há argumentos.

Caberia aos profissionais criticados deixar-se penetrar pela revolução cultural trazida pelos seus colegas do Mais Médicos e reconciliar-se com o próprio povo. Este está apaixonado pelos profissionais estrangeiros por virem ao seu encontro, munidos de toda simplicidade e espírito de serviço.

Sefaz detecta sonegação fiscal de R$ 6,10 milhões em média por mês

“A Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE) comprova sonegação fiscal de R$ 6,110 milhões em média por mês em 2013. É relativo à omissão ou não pagamento de Imposto sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) e taxas, revelou o coordenador de Pesquisa e Análise Fiscal da Sefaz, Glison Pinheiro de Oliveira. “Uma vez lavrado o auto de infração, corre em paralelo com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e com o Ministério Público, que averigua o crime contra a ordem tributária”, explica Glison.

Ele ressalta ainda que a fazenda pública autorizou este ano o confisco de bens e decretou prisões, como um empresário do setor de bebidas da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). “Temos cerca de 30 pedidos de prisões decretados. Estamos fazendo uma ação com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDF) para que os pedidos sejam executados”.

Entre as principais formas de sonegação combatida pela Sefaz está o subfaturamento, que consiste na emissão pela empresa de nota fiscal com valor do produto menor do que o ele foi realmente o vendido. Nessa modalidade, o sonegador chega a reduzir o valor do produto em até 50%, por tanto, pagando bem menos tributo referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), afirma o titular da Sefaz, João Marcos Maia.

Apesar do subfaturamento ser recorrente, o secretário ressalta que os segmentos mais representativos para a arrecadação do Tesouro Estadual tem quase zero de sonegação. As empresas de grande porte têm mais consciência contável e um desvio acarretaria grande prejuízo à empresa. Cerca de cinco mil empresas concentram 95% da arrecadação do Estado. A Sefaz fecha o cerco também contra as empresas que aplicam uma alíquota do ICMS ao produto menor do que é obrigatório, além das companhias que sequer emitem nota fiscal para seus produtos.

A soma financeira da evasão fiscal não é precisa, porque não há estudo sobre o assunto. Mas, conforme João Marcos, a estimativa é de que seja muito alta e maior do que, por exemplo, a inadimplência. “Apesar do nível de consciência dos setores de bom relacionamento que existe hoje entre o fisco e os contribuintes, a sonegação é alta e varia de acordo com o seguimento, empresa e produto”. O “carinho” com a cobrança de ICMS não é à toa. O estimado tributo gera cerca de 67% do total das receitas que entram no cofre estadual. Representa 91% da arrecadação, ressaltou o coordenador de Arrecadação da Sefaz, José Carlos Cavalcante. O restante é, principalmente, o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e taxas.

Inteligência fiscal

João Marcos afirma que monitora 200 mil notas fiscais eletrônicas emitidas todos os dias. Para isso, dispõe de equipamentos, sistemas e 400 fiscais atuando especificamente no combate à sonegação. São notas geradas por contribuintes no Ceará ou de operações interestaduais. “São cerca de 40 mil operações interestaduais e 160 mil operações internas. Todo subfaturamento é identificado pelo Fisco. Usamos o Catálogo Eletrônico de Valor de Referência, que identifica contribuinte a contribuinte, operação a operação. São 300 mil itens”, reforça João Marcos.

A preocupação com o que vem de fora é para monitorar cerca de 50% do total da arrecadação de ICMS. Apesar de serem menos em quantidade, são maiores em valores, afirma o secretário.”

(O POVO)

Morre jornalista Messias Pontes. Velório é na Ethernus

451 20

messiaspontes

O Blog está de luto com a morte de um dos seus mais assíduos colaboradores: o jornalista Messias Pontes (66). Ele foi embora nesse sábado, vítima de câncer de pâncreas. Messias era articulista no O Estado, foi repórter do O POVO, Diário do Nordeste e de Tribuna do Ceará.

Também foi redator na TVC e presidente do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa, além de filiado ao PCdoB, com atuação firme contra a ditadura militar. O velório ocorrerá a partir das 8 horas na Ethernus, enquanto o enterro está marcado para o Cemitério de São João Batista, às 16 horas.

Indústria do Humor em Fortaleza não está para piada

humor 131101

Quem vê a lotação em restaurantes, pizzarias e casas de shows, durante os espetáculos de humor em Fortaleza, não imagina que essa turma trabalha duro para reunir o bom público.

O Blog acompanhou três ações diferentes da Indústria do Humor em Fortaleza, na avenida Beira Mar, para atrair o público. Apesar da simpatia nas abordagens, a coisa é séria.

Ceará goleia e Icasa decepciona

O Ceará voltou a entrar na disputa por uma das vagas ao G4 da Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, ao golear o Sport, na Arena Castelão, no início da noite deste sábado (9), por 4 a 1. Com o resultado, o Vozão ocupa agora a sexta colocação na tabela de classificação. Na terça-feira (12), o Ceará poderá entrar no G4, caso vença o Avaí, em Fortaleza, e o Icasa não derrote o Bragantino, em Bragança Paulista.

Em Natal, o Icasa não conseguiu abrir vantagem sobre concorrentes diretos a uma das vagas de acesso à Série A de 2014, ao ser derrotado pelo ABC, por 1 a 0. O Verdão do Cariri somente segue na quarta colocação, ao ser beneficiado pelas derrotas de Avaí e Paraná Clube, nessa sexta-feira (8).

MP investiga tráfico de influência em vagas de táxis no aeroporto

75 4

O que seriam 80 vagas para táxis, avançou para 87. Três por meio de liminares e quatro sem nenhuma explicação. O questionamento é do Ministério Público do Ceará, que apura a existência de quatro vagas no disputado espaço do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

O rumo das investigações, segundo o Blog apurou, aponta que as quatro vagas em situação suspeita surgiram por meio de tráfico de influência, que envolveria um vereador de Fortaleza.

De acordo ainda com o que apurou o Ministério Público, um dos suspeitos da irregularidade estaria tentando passara sua vaga para outro motorista igualmente suspeito de adulteração no processo.

Ex-secretários de Luizianne Lins continuam atuando juntos

foto 131109 demétrio e alfredo

Dois dos mais prestigiados secretários da ex-prefeita Luizianne Lins, Demétrio Andrade (Comunicação) e Alfredo Pessoa (Planejamento e Orçamento), continuam atuando juntos.

Demétrio no vocal e Alfredo no violão foram a atração esta semana na casa de sanduíches Capitão Mostarda, no bairro Edson Queiroz.

VAMOS NÓS – O importante é afinar o tom.

(Foto: Facebook de Demétrio Andrade)