Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Por que o prefeito venceu?

195 16

Em artigo enviado ao Blog, o professor Djacyr de Souza comenta da desocupação do Cocó. Confira:

Nossa cidade é bela, já foi palco de protestos, já derrotou oligarquias, mas ainda tem ares de província quando o quesito é cidadania pois os anos seguidos de educação não foram adequados e continuamos com pessoas de anel no dedo, mas sem nenhum tipo de conhecimento e engajamento ambiental. Esse caso da ocupação e desocupação da área do Cocó prova muito para nós que precisamos desenvolver consciência ambiental e cidadã perante nosso povo. Claro que o Prefeito venceu por que não há pessoas suficientes para resistir e naturalmente a opinião pública acaba sendo levada a achar que no meio das pessoas tinham vagabundos, maconheiros e cidadãos desqualificados.

Mesmo com este anacronismo deu para aprender muito com esta história da preservação do Cocó que não é nova e sempre teve bravos lutadores contra a devastação de nosso verde, mas como a luta é inglória os poderosos de plantão sempre venceram no entanto não conseguiram apagar nem o brilho nem o desejo de fazer história destes “ecobaderneiros” que mesmo apanhando sendo vítimas de xingamentos e palavrões vindos até de pessoas que se dizem letradas conseguiram ficar por lá por mais de dois meses fazendo arte, conscientizando mentes, abrindo a cabeça de pessoas que lá iam e viam o sentido de uma luta coletiva e de um despertar de organização que os poderosos jamais conseguirão alcançar.

Não faltou garra a estes cidadãos, mas faltou consciência, diálogo e discernimento à Prefeitura de Fortaleza que já provou que vai governar sempre com a arma na mão e a criação de mentiras na outra que age no sentido de desqualificar os Movimentos Populares que serão sim seus calos nestes anos de ditadura e oligarquia que estão se construindo em nossa cidade. Claro que o Prefeito teve uma vitória abstrata por está com os poderes nas mãos e com aparato da Justiça (cega) e da Polícia (antipovo) para garantir seu jeito nefasto e antipopular de governar. Quais serão os próximos ecossistemas a serem destruídos? Quais serão os povos expulsos de suas casas? Quais serão os trabalhadores em direitos que serão esmagados ao se meterem na frente do suposto desenvolvimento apregoado pelo Prefeito sem prefeitura? O pior de tudo é ver pessoas elogiando truculência e batendo palmas para o jeito totalitarista de governar que exclui, discrimina e promove o crescimento do abismo social que certamente é parte de uma história que infelizmente está fadada a ser contada e não construída. Será que eles dormem tranqüilos? Acho que sim, pois dinheiro não traz felicidade, mas compra uma suposta qualidade de vida…

Francisco Djacyr Silva de Souza, professor

CPI da Espionagem ouve Greenwald na quarta-feira

O jornalista e advogado americano Glenn Greenwald e seu companheiro, o brasileiro David Miranda, são os convidados da audiência pública que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem realiza na quarta-feira (9). O jornalista é o autor das denúncias de espionagem feita pela Agência Nacional de Segurança (NSA, no acrônimo em inglês), que teria atingido inclusive a presidente Dilma Rousseff.

O jornalista mora no Rio de Janeiro com seu companheiro. David Miranda foi detido no aeroporto de Heathrow, em Londres, em 18 de agosto passado, quando embarcava para o Brasil. Foi interrogado por nove horas seguidas. As autoridades britânicas confiscaram seu telefone e os equipamentos de informática que trazia consigo. Foi libertado sem qualquer acusação.

A oitiva de Greenwald foi antecipada pela presidente da CPI, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), em entrevista no último dia 9, antes da reunião que definiria a agenda de trabalhos da comissão. Na ocasião, a senadora não descartou a hipótese de integrantes da CPI irem a Rússia ouvir o americano Edward Snowden, técnico de informática que trabalhava para a Agência Central de Inteligência (CIA, no acrônimo em inglês) e fonte das denúncias publicadas por Greenwald. O governo russo concedeu asilo ao técnico, e a ida dos senadores a Moscou depende de autorização das autoridades daquele país.

(Agência Senado)

TSE estima que 22 milhões de eleitores serão identificados pela biometria nas eleições de 2014

Faltando um ano para o primeiro turno das eleições do ano que vem, dia 5 de outubro de 2014, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estima que 22 milhões de eleitores serão identificados nas urnas por meio da biometria. No ano que vem, o recadastramento biométrico estará concluído em quatro estados e 844 municípios de outras unidades da Federação. Para votar, os eleitores que estão nas cidades que participam do recadastramento devem comparecer aos pontos de coleta de digitais no prazo definido. Quem não fizer o recadastramento, terá o título de eleitor cancelado.

Segundo o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, o principal objetivo é evitar lentidão nos locais de votação e fraudes na apuração dos votos. De acordo com o secretário, a biometria garante ao eleitor que não haverá fraude na identificação, além de tornar secundário o documento de papel.

(Agência Brasil)

Marina denuncia “conspiração” contra oposição e imprensa

A ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, denunciou nesse sábado (5), em entrevista coletiva, que há uma conspiração contra a oposição e a imprensa, por parte do Estado e do reduto do PT. Segundo a ex-ministra no Governo Lula, houve todo um esforço político para inviabilizar a criação do partido Rede Sustentabilidade.

“Vejo um risco de aviltamento da nossa democracia”, comentou Marina Silva, que comparou o atual momento brasileiro com a situação da Venezuela. “O caso da Venezuela é um populismo autoritário com inspiração militarista, aqui esse fenômeno é mais sofisticado”, completou o vereador paulistano Ricardo Young (PPS).

(com agências)

Cid precisa da velha (e cara) aliança

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (6):

Resolvida a filiação partidária, Cid Gomes e seu prosaico partido terão agora novas e duras tarefas pela frente relacionadas à construção da aliança de 2014. O quadro já não lhe será tão favorável como foi o de 2010. Mais do que nunca, o governador dependerá da boa vontade do PT e do PMDB para promover uma sucessão segura.

No Brasil, a coisa funciona assim: o mandato é dos partidos, mas se um parlamentar sair para uma sigla em fundação leva para o novo abrigo a sua fatia de tempo na TV, que vale ouros nas campanhas eleitorais. Daí, o balcão da troca de partidos ganhou muito mais vigor.

O fato é que partidos como o PSB, PDT, PSDB e DEM perderam tempo na TV. Siglas novas no mercado político, como o Pros e o Solidariedade, são os mais recentes donatários dessa mercadoria. Há cerca de um ano, o PSD já havia sugado parte do tempo das siglas que estão fora do arco de poder.

Fechada a janela das filiações, a política passa a contabilizar o novo tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados. São as novas composições quantitativas que vão definir quanto cada sigla terá de tempo no horário eleitoral gratuito.

Pelas últimas contas, sabe-se que o Pros já nasce com cerca de 30 deputados federais. Beneficiado pelo milagre da multiplicação de filiados com mandatos, a sigla, que nem programa tem, já veio ao mundo como a sétima maior bancada na Câmara dos Deputados.

Porém, um Pros sozinho não faz verão nas disputas estaduais. O partido, que nasceu para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff, precisará de alianças nos estados para seguir em frente. No caso do Ceará, a sigla deverá ter o seu próprio candidato a governador.

Ou seja, no Ceará, o Pros depende do PMDB e do PT para bancar uma candidatura forte à sucessão de Cid Gomes.

Com o PT, a coisa parece mais tranquila. Afinal, o foco do partido é a reeleição de Dilma. Então, Cid apoia Dilma e o PT apoia Cid. É evidente que o PT de José Nobre Guimarães vai cobrar caro pela fatura.

O mais complicado mesmo é a conversa do Pros com o PMDB, que é controlado por Eunício Oliveira. O senador se encontra em pré-campanha para o Governo. Na encruzilhada, são dois os caminhos: convencer Eunício a desistir de ser candidato ao Governo e apoiar o escolhido de Cid ou Cid apoiar Eunício para o Governo, coisa que, a preço de hoje, não parece provável.

Em 2010, não havia essa encruzilhada. Certamente, o Palácio do Planalto vai entrar como mediador de tal peleja a favor de Cid. É o custo das fidelidades. Mundos e fundos vão passar a compor as conversas.

Cid Gomes tenta passar imagem de simpático à democracia direta

cid tv cultura 3

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (6):

O desgaste do governo estadual e seu grupo já era inegável antes da guerra do Cocó. Na entrevista do governador Cid Gomes ao programa “Roda Viva”, ele não conseguiu ser convincente (embora pudesse sê-lo nos quesitos do voo da sogra e no bufê). Foi incrível a tentativa de passar uma imagem de simpático à democracia direta, quando o alvo principal das críticas à atual administração estadual – e à municipal – é justamente a centralização e impermeabilidade do processo decisório (herança da matriz tassista).

No atual estágio de consciência política da cidadania cearense, decisões governamentais impactantes precisam ser compartilhadas com a sociedade. Não bastasse a questão das grandes obras – sempre decididas em pétit comité -, o governo descuidou-se do seu entorno.

Basta ver o mais recente desastre político ao permitir que prosperasse na Assembleia Legislativa a emenda constitucional que diminuiu o número de integrantes do Ministério Público de Compras, e que será alvo de ação de inconstitucionalidade nas instâncias superiores da Justiça.

Profissionais do Mais Médicos contam dificuldades que enfrentam na Baixada Fluminense

Ao aderir à primeira etapa do programa Mais Médicos, o município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que tem cerca de 855 mil habitantes, ofereceu 32 vagas. Após as inscrições, 11 brasileiros e dois estrangeiros foram selecionados para atuar na cidade. Quando chegou o dia da apresentação, seis brasileiros compareceram, e, desses, quatro completaram na última quarta-feira (2) um mês de atuação, já que dois desistiram do programa.

Um deles é Wendel José, de 26 anos, formado há nove meses e entusiasmado com o contato com os pacientes do bairro de Parada Angélica, onde preencheu uma vaga na Unidade do Programa de Saúde da Família. Ele já morava em Duque de Caxias, mas nasceu em Guaíra, no interior de São Paulo.

“O pessoal tem sido bem receptivo. Aqui tinha uma carência muito grande mesmo de médico. A gente vê pessoas com problemas crônicos, como diabetes e hipertensão, que estavam sem acompanhamento, algumas já até com complicações dessas doenças”, diz o médico, que focou a formação na emergência, mas migrou para a saúde da família com o programa. “A gente vê tanto paciente que chega mal na emergência, com complicações que poderiam ter sido evitadas. Com a prevenção, a pessoa hipertensa não chega a ter pico hipertensivo ou AVC (acidente cardiovascular).Tudo começa na atenção básica”,disse.

No estado do Rio, em que todos os médicos da primeira etapa foram alocados na região metropolitana, a Baixada Fluminense aguardava receber 37 profissionais formados no Brasil, enquanto Itaboraí e São Gonçalo, no Leste Fluminense, sete, e a capital, 16. Em Belford Roxo, no entanto, nenhum dos sete previstos se apresentou. O mesmo ocorreu em São João de Meriti, onde um médico deveria ter comparecido. Na capital, 11 médicos desistiram, e, em São Gonçalo, segunda cidade mais populosa do estado, dos três médicos aguardados, dois se apresentaram e um abandonou o programa.

(Agência Brasil)

Médica é esfaqueada em assalto na Praia do Futuro

90 9

Uma médica foi esfaqueada na tarde deste sábado (5), na Praia do Futuro, durante um assalto. Segundo testemunhas, a vítima de 23 anos havia deixado um hotel, nas proximidades da praça 31 de Março, quando foi abordada por três meninas entre 15 anos e 17 anos de idade.

De acordo ainda com testemunhas, apesar de ter entregue a bolsa e o aparelho celular para as adolescentes, a médica foi esfaqueada duas vezes pela adolescente que estava em suas costas.

A jovem médica foi conduzida para um hospital particular,onde foi submetida à cirurgia. Até o momento, a Polícia não conseguiu apreender ou identificar as adolescentes.

Assaltante obriga vítimas a cantarem parabéns para cúmplice, antes dos “presentes”

Passageiros de uma topic, em Messejana, foram humilhados por uma dupla de assaltantes, durante uma abordagem na última quinta-feira (3). Um dos assaltantes informou para as vítimas que o cúmplice estaria fazendo aniversário na data e as obrigou a cantarem “parabéns a você”.

Após a “homenagem”, os dois assaltantes recolheram os “presentes de aniversário” e fugiram. Até este sábado (5), nenhum suspeito foi preso ou identificado.

(com informações da coluna Vertical, no O POVO)

Vamos nós – Só uma sugestãozinha: Por que a Polícia não começa a investigar o assalto pelas fichas criminais de suspeitos da área, com datas de aniversários em 3 de outubro? Seria um bom “presente” para a sociedade.

Cid Gomes e Darlan Teixeira recebem homenagem por desenvolvimento no turismo

darlan teixeira

O governador Cid Gomes e o presidente da ABIH-CE, Darlan Teixeira Leite, serão homenageados com o Troféu Cesar Cals de Turismo/2013, no próximo dia 25, na Assembleia Legislativa do Ceará. A homenagem é da revista Ceará e Municípios, que destaca trabalhos voltados para o desenvolvimento do turismo no Estado.

Além das duas personalidades, também serão homenageados Valmir Rosa Torres (Turisforma) e gestores de três municípios que mais investiram no setor nos últimos anos.

Profissionais do Mais Médicos dizem que ainda não fizeram parte teórica do programa

Depois de muitas críticas das entidades médicas sobre a forma de pagamento dos profissionais do Programa Mais Médicos, que será por meio de uma bolsa formação, os profissionais da primeira etapa que se formaram no Brasil ou tiveram o diploma revalidado completaram um mês de trabalho nesta semana, mas ainda não fizeram a parte teórica do programa.

A Medida Provisória (MP) 621, que criou o programa, determina que os profissionais serão pagos por bolsa formação. Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, eles farão uma especialização na atenção básica ao longo dos três anos de atuação no Mais Médicos. O presidente da Federação Nacional dos Médicos, Geraldo Ferreira, em uma das suas manifestações contra o programa, disse que é uma forma de trabalho disfarçada de estudo, já que, apesar de atuarem na saúde pública, os médicos não terão relação trabalhista com nenhuma entidade.

“Não recebi nenhum comunicado sobre o início das aulas teóricas”, disse Keila Rodrigues, profissional do Mais Médicos que está trabalhando em Águas Lindas de Goiás. Outra médica selecionada, Marcela Fukushima, que está atendendo em Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal, informou ter recebido um comunicado dizendo que as aulas começariam em 2014. Apesar disso, a assessoria do Ministério da Saúde ressaltou que o início das aulas está programado para a próxima semana.

Os municípios brasileiros solicitaram mais de 16 mil médicos ao governo federal. Cerca de 1.500 profissionais com diploma brasileiro ou revalidado concluíram a inscrição nas duas etapas do programa e muitos, um número ainda não divulgado pelo Ministério da Saúde, desistiram de atuar depois de chamados.

Em todo o país, a maioria das vagas está sendo preenchida por médicos cubanos, por meio parceria entre os governos do Brasil e de Cuba, que está sendo intermediada pela Organização Pan-Americana da Saúde.

(Agência Brasil)

Fortaleza tem percurso de Ironman aprovado pelo World Triathlon Corporationa

salmito com erick

O diretor operacional da World Triathlon Corporation (WTC), o americano Steven Mackfessel, aprovou nesta semana o percurso da prova de Ironman que será realizada em Fortaleza em novembro do próximo ano. O dirigente gostou da proximidade do percurso da prova com a rede hoteleira na orla marítima.

Nesta segunda-feira (7), o secretário do Turismo de Fortaleza (Setfor), Salmito Filho, e o coordenador de marketing da pasta municipal, Erick Vasconcelos, formalizarão no Hawai a inscrição da cidade no calendário mundial.

Em apenas quatro dias, o Ironman Fortaleza já recebeu 1,2 mil inscrições de 15 países das 1,5 mil vagas disponíveis. As inscrições seguem abertas nos endereços eletrônicos www.active.com.br ou www.sportpass.com.br.

Passado ambiental, urbanístico e, sobretudo, político

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (5), pelo jornalista Érico Firmo:

Derrubar árvores para construir viadutos é o passado ambiental. Vai na contramão das prioridades de uma cidade que tenha a qualidade de vida como premissa. Construir viadutos como solução de mobilidade é o passado urbanístico. Os próprios agentes governamentais admitem: não é a melhor solução, mas insistem nela por considerarem a única viável para aquela área. E aí vou ao ponto crucial: a forma de tomada de decisão personificou o passado político.

Roberto Cláudio herdou o pacote quase pronto das gestões Juraci Magalhães e Luizianne Lins. A única razão para encampar o projeto como herdou é a velocidade para implantação – outra opção não ficaria pronta em seu mandato. Ao perceber as resistências, poderia ter aberto debate sem sofrer desgaste ou parecer estar recuando. Não foi sua opção.

Depois do primeiro e desastroso confronto, no fatídico 8 de agosto, não se pode dizer que a Prefeitura tenha agido com pressa. Em meio à conturbada e confusa batalha judicial, esperou bastante. Mas o tempo não serviu ao diálogo.

A forma como as partes se colocaram tornou o desfecho dessa sexta-feira (5) previsível. Afinal, a administração se dizia disposta a negociar, mas colocou como condição a construção do viaduto. Justamente o que os manifestantes não aceitavam de jeito nenhum. Ambos firmaram posição e não houve espaço para concessões de um lado ou de outro. Juridicamente, a Prefeitura obteve amplo respaldo, é verdade. A desocupação dessa sexta-feira foi realizada por determinação da magistratura, vale registrar. Tampouco defendo que qualquer grupo de pessoas seja capaz de impedir iniciativas do poder público – sob pena de a cidade se tornar ingovernável. Mas faltou, efetivamente, capacidade política para construir a decisão de forma legítima e compartilhada, em debate que não se limitasse a atropelar as posições que podem até ser minoritárias – ou não, faltam indicadores confiáveis – mas precisam ser levadas em conta como constituintes importantes da coletividade.

A Prefeitura acena com iniciativas interessantes, com criação de conselhos e espaços para pensar Fortaleza. Que seja esse o caminho – não o que levou ao fatídico dia dessa sexta-feira.

Quanto à violência policial, repete-se o enfadonho enredo que se sucede continuamente desde junho: uso de força pelas forças do Estado completamente desproporcional. Manifestantes reagiram, é fato, e com toda violência que puderam – o que também seria previsível. Não esperaria que a Polícia chegasse distribuindo flores, mas os instrumentos de repressão foram muito além do necessário. Covardia, não há como definir de outro modo.

Provavelmente, os viadutos serão mesmo construídos. O que espero é que seja o fim de uma forma de pensar e conduzir Fortaleza. Que nunca mais as decisões urbanas cruciais sejam tomadas de forma centralizada, sem debate. Que nunca mais o Cocó sofra em nome do dito progresso. As pontes de que a cidade precisa não são as que servem ao fluxo de carros. São convergências simbólicas, capazes de reduzir a distância entre a multiplicidade de ideias.

Rede reproduz vícios que prometia combater

71 1

Em artigo no O POVO deste sábado (5), o editor-adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, avalia o Rede Sustentabilidade como interesse eleitoral enrustido. Confira:

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ao rejeitar a criação do partido Rede Sustentabilidade, na última quinta-feira, mostra o quanto é volátil o discurso em torno das práticas políticas no Brasil, mesmo partindo daqueles que são tidos como ícones do idealismo. Surgido com a intenção de propor novas formas de exercício dessa política, o Rede não resistiu ao primeiro questionamento objetivo das ações que prometia combater e, já ontem, viu-se o quanto o discurso dos seus apoiadores é frágil.

O primeiro exemplo claro foi a filiação ao Solidariedade do deputado federal Domingos Dutra (MA), que havia saído do PT apostando no novo modelo proposto pelo Rede. Ora, quais as credenciais que o Solidariedade tem que sustentam a proposta de uma nova política defendida por Dutra?

Outro episódio sintomático dessa fragilidade diz respeito ao bate-boca acontecido na madrugada de sexta-feira, após a votação no TSE, entre deputado Alfredo Sirkis (PV/RJ) e Marina. Segundo a Folha de S.Paulo, ele teria reclamado que Marina estava pensando apenas nela, esquecendo-se dos companheiros, em especial daqueles com mandatos.

Coube a Sirkis expor essas divergências publicamente em seu blog, criticando a forma de Marina fazer política. Marina tem “limitações como todos”, “às vezes falha como operadora política” e “reage mal a críticas e opiniões fortes discordantes” foram frases colocadas pelo parlamentar carioca em relação a ex-senadora. Fica patente, portanto, que a intenção de transformar os métodos na política não resiste ao jogo eleitoral em que os puritanos da Rede acabam se enrolando em seus próprios interesses. Por isso mesmo, não é de surpreender o desfecho com a decisão do TSE, negando o pedido para a criação do partido.

O fato é que a ideia da criação do Rede, surgida em fevereiro, revelou-se um interesse eleitoral enrustido, no qual o fim maior era oferecer uma candidatura imaculada dos vícios da velha política. Não conseguiram, simplesmente, por incapacidade de organização e mobilização. Sim, porque se a crítica ao grande número de partidos no Brasil é pertinente, o que dizer do Rede, que queria nascer com menos de oito meses?

Marina Silva decide se filiar ao PSB e poderá ser vice de Eduardo Campos

121 9

eduardo e marina

Acabou o suspense. E o que prometia ser um roteiro de amor, se transformou em guerra. Terror para alguns. Marina Silva é a mais nova filiada do PSB, com possibilidade de compor chapa com Eduardo Campos, com o dirigente nacional na cabeça. A filiação deverá ocorrer na tarde deste sábado (5), a partir das 15h30min.

Segundo o coordenador-executivo do Rede Sustentabilidade, Bazileu Margarido, a ex-senadora, em um gesto de desprendimento, reconhece que a candidatura Eduardo Campos está posta e admite a possibilidade de ser vice.

(com agências)

Roberto Cláudio visita local de obras no Cocó e anuncia conclusão em 11 meses

84 6

RC no Cocó

O prefeito Roberto Cláudio esteve na manhã deste sábado (5), no cruzamento das avenidas Antonio Sales com Engenheiro Santana Júnior, um dia após a desocupação do local pela Polícia Militar. O prefeito foi acompanhar o trabalho de topografia.

Segundo o prefeito, os viadutos do Cocó deverão estar concluídos em setembro do próximo ano. Na terça-feira (8), por conta do início das obras, o tráfego de veículos será desviado.