Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Eduardo Campos, o professor do Príncipe

75 7

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (29):

Em resposta a Ciro Gomes, o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, disse que os movimentos que levaram o grupo político controlado pelos Ferreira Gomes à porta de saída da sigla, foram próprios da política. Sim, realmente foram. Mas, nunca antes na história do País isso foi feito com tanto requinte de crueldade.

Campos deixou tudo para os limites dos prazos. Fato que encurtou sobremaneira a margem de manobra do grupo que saía. Bem antes de evidenciar publicamente tais movimentos, já havia convidado a ex-prefeita Luizianne Lins para tomar conta do PSB no Ceará. Fato que foi exposto ao distinto público pela deputada estadual Eliane Novais.

Agiu de caso pensado. Na verdade, muito bem pensado. Campos queria o grupo fora do PSB. Nunca fez nenhum esforço pessoal para que ficasse na sigla. Com o cenário praticamente configurado, o governador de Pernambuco colocou uma imensa cereja no bolo ao convidar Heitor Férrer (PDT) para ser candidato a governador do Ceará pelo PSB.

Atentem: o presidente do PSB estava tão determinado a expulsar Ciro e Cid Gomes da sigla que chegou ao ponto de convidar para um lugar que nem ainda estava oficialmente vago os dois maiores inimigos do poder hegemônico controlado por Cid e Ciro.

Mas, vamos ao ponto de vista de Eduardo Campos. Ele queria e precisava de um partido unido e uníssono a favor de sua candidatura presidencial. Um contexto sem cismas. Como é sabido, Cid e Ciro queriam ficar no PSB e, em plena campanha eleitoral, abrir uma dissidência.

Daí, deu-se a guilhotina sem dó nem piedade e com os citados requintes cirúrgicos. Não para curar o paciente, mas para deixá-lo sangrando em praça pública com o sol a pino e aves de rapina sobrevoando à espreita. Com quem o neto de Miguel Arraes terá aprendido essas coisas?

Senadores começam a avaliar nesta semana proposta alternativa que garanta mais recursos para a saúde

66 1

Mesmo com o esforço da base aliada para antecipar a discussão sobre a proposta que garantirá recursos extras para a saúde, o debate se arrasta. Nesta semana, mais uma reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve continuar tratando do assunto. O governo conseguiu negociar uma alternativa à proposta de destinar 10% da receita corrente bruta da União para a área, que chegou a um projeto de iniciativa popular. Em diversas ocasiões, representantes do Executivo tentaram mostrar que as contas não fechariam. Como alternativa, o governo sinalizou que pretende destinar 15% da receita corrente líquida para a área.

O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), escalado para relatar a matéria, deve ser também um dos grandes defensores da solução encontrada pelo Planalto para o impasse. A estratégia é incluir o financiamento para a área na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo, que estabelece a obrigatoriedade da execução das emendas parlamentares até o limite de 1% da receita corrente líquida do ano anterior.

A proposta define ainda uma escala crescente do percentual que seria aumentado para a área, que só em 2018 chega a um valor de quase R$ 147 bilhões. Pelas contas de Braga, o texto já garante, no próximo ano, um aumento de quase R$ 7 bilhões destinados à saúde.

(Agência Brasil)

42 estudantes são mortos em ataque terrorista

nigéria ataque

Quarenta e dois estudantes foram mortos, neste domingo (29), enquanto dormiam em um alojamento da Faculdade de Arquitetura de Yobe, em Gujba, na Nigéria, na África Ocidental. Dezoito outros estudantes ficaram feridos e foram conduzidos a um hospital. Nenhum grupo terrorista ainda assumiu a autoria do atentado, mas a polícia acredita que possa ser o grupo radical islâmico Boko Haram, uma ramificação do Al Qaeda, que não aceita outra religião em instituições de ensino, senão o islamismo.

A faculdade fica em uma região onde a maioria da população é mulçumana. Já o sul do país possui maioria entre os cristãos. A instituição abriga mais de mil estudantes, em regime de internato.

(com agências)

Cid no Roda Viva

41 2

Da coluna Abidoral, no O POVO deste domingo (29):

O governador Cid Gomes vai estar nesta segunda-feira (30), ao vivo, no programa Roda Viva, da TV Cultura. Por aqui, todo mundo pode conferir pela TV O POVO. Cid, com certeza, vai dizer muito sobre sua trajetória de tantos partidos políticos.

Criação de certos partidos conspira contra a democracia

104 5

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (29):

A forma como são criados certos partidos no Brasil conspira contra a democracia e é um acinte aos eleitores. Ou são projetos pessoais, ou arranjos fisiologistas. Basta tomar o exemplo de um deles – o Solidariedade – resultado das articulações de Paulo Pereira, da Força Sindical (que se diz “inimigo” de Dilma), o outro é o Pros.

Explicando a um repórter o porquê do nome da sigla, Paulinho justificou: “Nós tínhamos que criar um partido que tivesse um “T”, por causa da minha origem [trabalhismo] e da origem das pessoas que estavam trabalhando, ou um “S”- de social, socialista”. Ou, seja, mais um “faz-de-conta” que significaria – segundo alguns – um retrocesso em relação à cultura de autonomia política da classe trabalhadora, que foi a grande novidade trazida à política brasileira pela criação do PT, nos anos 80.

Até então, os trabalhadores não tinham partido de massas próprio e seus candidatos concorriam nas agremiações do patronato. Paulinho revelou também porque colocou na presidência Marcílio Dutra: “ele é o recordista mundial de criação de partido, já criou sete, com esse”. Tais são os critérios de quem se apresenta como alternativa ao PT no meio sindical.

Cabe na cabeça de alguém que o PSDB e o DEM – aos quais vai apoiar – terão mais interesse em defender os trabalhadores do que o PT?

Comissão especial da segurança pública será instalada na quarta-feira

63 1

Está prevista para a próxima quarta-feira (2) a instalação da comissão temporária que deve analisar todos os projetos que tramitam no Senado Federal sobre segurança pública. A comissão será constituída por oito senadores e deve ser presidida pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O relator será o senador Pedro Taques (PDT-MT).

Durante 90 dias, o colegiado analisará as matérias em discussão na Casa sobre o assunto, devendo propor audiências públicas com especialistas da área, além de elaborar relatórios mensais sobre os temas discutidos.

Na conclusão dos trabalhos, será apresentado um anteprojeto com medidas legislativas que visem, sobretudo, a redução da criminalidade.

(Agência Senado)

Cardiologistas definem normas para avaliar pessoas com deficiência para esportes

96 1

Pela primeira vez no mundo, os médicos vão ter um conjunto de normas para avaliar as condições de pessoas com deficiência física para a prática de esportes. A avaliação faz parte do documento Diretriz do Esporte e do Exercício. Avaliação Cardiológica e do Deficiente Físico, que vai ser apresentado durante o 68º Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado a partir deste sábado (28) no Riocentro, zona oeste do Rio.

“Colocamos um item inédito no mundo inteiro, que é a avaliação dos paralímpicos, que nunca tiveram nada relacionado a eles. Como está crescendo a participação deles nas competições mundiais, fizemos questão de ter um capítulo de como preparar e como avaliar um paralímpico”, disse o cardiologista e editor do documento, Nabil Ghorayeb, em entrevista à Agência Brasil.

Os estudos para a elaboração da Diretriz levaram quase três anos e contaram com a participação de 40 especialistas em cardiologia e medicina de esporte da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). “Convidamos pessoas que tinham convivência com coração de atletas, com esporte competitivo e com nível de intensidade de exercício”, esclareceu o professor de pós-graduação em cardiologia e medicina esportiva.

A Diretriz é um documento, com atualizações em períodos de dois ou três anos, utilizado pelos médicos para orientar os profissionais de saúde sobre exames a serem solicitados para avaliação e acompanhamento da evolução de pacientes. No caso das normas de avaliação dessa última Diretriz, o cardiologista informou que foram designados três subgrupos – um de avaliação prévia para a participação em esportes, academias e lazer.

(Agência Brasil)

Cid recebe dirigente nacional e tendência é o PROS

161 15

Terminou agora há pouco a reunião do governador Cid Gomes com o presidente nacional do PROS, Eurípedes Júnior. Além do dois, participaram ainda da reunião o prefeito Roberto Cláudio; o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque; o secretário da Saúde, Ciro Gomes e dois deputados do PROS.

A reunião praticamente definiu o ingresso do grupo político de Cid Gomes no PROS, mas o anúncio oficial será na terça-feira (1º).

Icasa tem defesa de Série C

56 1

Segunda pior defesa da Série B do Campeonato Brasileiro, o Icasa tem a chance de encostar de vez no G4, na tarde deste sábado (28), no estádio Romeirão, diante do Atlético Goianiense. Quinto colocado na tabela de classificação, a equipe de Juazeiro do Norte foi beneficiada pelo empate do Joinville (quarto colocado) e Guaratinguetá, em um gol, em pleno interior catarinense, na noite dessa sexta-feira (27).

Para manter o sonho do histórico acesso à Primeira Divisão do Brasileirão, o Icasa, porém, terá que melhorar a defesa. Em 24 jogos, o time levou 42 gols. Na próxima terça-feira (1º), Ceará e Icasa se enfrentam na Arena Castelão.

Passa de 10,6 mil número de agências bancárias fechadas no país

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) divulgou balanço que mostra que em pouco mais de uma semana da greve nacional dos bancários foram fechados 10.633 agências e centros administrativos nos 26 estados e no Distrito Federal, até essa sexta-feira (27).

A confederação reclama que há um silêncio da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) que “se recusa a apresentar proposta com aumento real de salário, valorização do piso, melhoria da participação nos lucros e resultados”, além de não fazer novas contratações, para diminuir a rotatividade e acabar com as terceirizações.

Os bancários enviaram ao presidente da Fenaban, Murilo Portugal, carta rejeitando o reajuste de 6,1%, apresentado no dia 5 de setembro, e apresentando a disposição para negociar uma proposta que atenda às reivindicações econômicas e sociais dos bancários.

A categoria também informou que as últimas declarações da Fenaban de que “os bancários não precisam de aumento real e precisam apenas manter os seus direitos em um momento em que os bancos estão tendo recorde de lucros provocou ainda mais a indignação” da categoria.

Entre as principais reivindicações, estão o reajuste salarial de 11,93% (5% de aumento real além da inflação), piso salarial de R$ 2.860,21, auxílios-alimentação, refeição e creche de R$ 678 ao mês, melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas. Eles pedem ainda o fim das demissões e combate às terceirizações, entre outros pontos.

(Agência Brasil)