Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

“É preciso arrumar a bagunça que está no Brasil, isso leva tempo”

Com o título “Renovação nas urnas”, eis artigo de Renata Karla, diretor do Grupo de Estudos Veritas. “É preciso arrumar a bagunça que está o Brasil, isso leva tempo”, diz a articulista. Confira:

Nessas eleições o maior protagonista, foi sem sombra de dúvidas, o povo brasileiro que diante de uma crise de representatividade e insatisfação com o processo político eleitoral, deu o seu recado nas urnas promovendo a maior renovação política da história do Congresso. 85% do Senado foi renovado seguido de 59% da Câmara, além da eleição do primeiro presidente verdadeiramente de direita conservador da Nova República: Jair Bolsonaro.

Essa mudança decorre da esperança brasileira em restabelecer a essência de quem somos como um só povo, no combate à criminalidade, desemprego, e ao aparelhamento criminoso de nossas instituições, ao esforço no resgate de nossos valores e cultura, assumindo o nosso compromisso e protagonismo nas decisões da vida em sociedade, fazendo assim, aflorar um novo grito de independência em defesa da verdadeira democracia tão desconfigurada pelo PT e seus aliados por tantos anos.

É preciso arrumar a bagunça que está o Brasil, isso leva tempo. Para tanto, não seria possível dar o primeiro passo sem as bandeiras e valores defendidos por Bolsonaro nessa eleição como a independência política, a transparência, a verdade e o liderar pelo exemplo, fundamentais para criar uma aproximação do povo com seu maior representante político que é o presidente.

Às vezes os problemas mais complexos podem vir através de soluções simples. Ao invés de revolucionar ou mentir para o povo de maneira desonesta como fez o PT, por que não conservarmos os aspectos bons, fazermos ajustes no que precisa e só depois de maneira consciente caminharmos em direção a um crescimento sólido e real para toda a nação, pense nisso! Desta forma, não resta dúvidas que de mãos dadas, nós o povo brasileiro, ao darmos uma chance a um modelo de governo diferente do que há tantos anos vem destruindo nossas esperanças, teremos ao longo dos próximos anos um Brasil verdadeiramente grande com melhora expressiva da economia, geração de emprego e a volta da identidade brasileira. Como cita Olavo de Carvalho em latim e faço aqui a tradução livre, “Vamos garantir que a malícia jamais vença a sabedoria”.

*Renata Karla

renata.kas@hotmail.com

Diretora do Grupo de Estudos Veritas.

Morro de Santa Terezinha – Segunda etapa de requalificação terá até elevador

Nesta quinta-feira, às 17 horas, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) vai assinar a ordem de serviço para a segunda etapa das obras de requalificação do Morro de Santa Terezinha, no Vicente Pinzón. Segundo a assessoria de imprensa do Paço Municipal, essas intervenções, que se iniciam em novembro deste ano, têm conclusão prevista para o segundo semestre de 2019 e fazem parte do conjunto de ações integradas entre Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza, por meio do projeto “Juntos por Fortaleza”.

Essas intervenções estão orçadas em R$ 2,4 milhões, com a requalificação devendo contemplar a implantação de um elevador sobre trilhos, que será construído ao lado da escadaria principal, para facilitar o acesso ao morro de pessoas com dificuldade de locomoção. O projeto prevê ainda a construção de uma praça, caramanchões, academia ao ar livre, paisagismo, iluminação e mobiliários urbanos, como bancos e lixeiras.

A região passará a contar também com mais um trecho urbanizado com calçadão com piso intertravado e a construção de um mirante em madeira, formando mais um ponto de contemplação com vista para a orla de Fortaleza. Quando concluída a intervenção, toda a região passará a contar com mais de 40.000 m² de área urbanizada, fortalecendo o turismo e aumentando os espaços de convivência, esporte e lazer na comunidade do Morro do Teixeira.

Em maio deste ano, a Prefeitura de Fortaleza entregou a primeira etapa das obras de urbanização e contenção do Morro de Santa Terezinha. O projeto foi responsável pela criação de muros de contenção em toda a encosta do morro, que ganhou projeto de drenagem, gramado e um extenso jardim vertical. Construído em blocos de concreto, o novo muro proporciona mais estabilidade em toda a encosta, evitando deslizamentos.

(Foto – Aurélio Alves)

Horário de Verão começa mesmo no próximo domingo

O horário de verão será mantido no dia 4 de novembro, cancelando um novo adiamento. Confirma o Palácio do Planalto.

Geralmente, o horário começa em outubro, mas foi adiado para novembro em virtude do segundo turno das eleições. No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro por causa de um pedido feito pelo Ministério da Educação para não prejudicar os candidatos do Enem. O exame será aplicado em dois domingos. O primeiro deles será o dia 4 de novembro.

No horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora. O horário é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Capitão Wagner trabalha para ser líder da bancada na Câmara

O deputado federal eleito Capitão Wagner já articula para ser o líder da bancada do Pros na Câmara. Ele diz que no Ceará o partido fez dois federais – ele e Vaidon Oliveira, mesmo número feito pela sigla no Paraná.

“Mas nós fizemos também um senador. Isso nos dá peso para reivindicar”, afirma Capitão Wagner, que circula por Brasília tratando também de sua equipe e do gabinete que ocupará, a partir de fevereiro.

Capitão Wagner afirma que não deve haver problema sobre definição de liderança, o que deve ocorrer com sistema de rodízio.

(Foto – Divulgação)

Supremo julga nesta quarta-feira ação que suspendeu busca e apreensão em universidades

O Supremo Tribunal Federal (STF) faz sessão plenária hoje (31) à tarde para julgar a medida cautelar deferida pela ministra Cármen Lúcia. Pela medida, ficam suspensas as decisões de juízes eleitorais sobre a busca e apreensão de panfletos e materiais de campanha eleitoral em universidades e nas dependências das sedes de associações de docentes.

No último dia 27, Cármen Lúcia concedeu medida cautelar em favor da livre manifestação de pensamento. A decisão ocorreu no momento em que várias universidades públicas foram alvo de ações policiais e de fiscais eleitorais.

Segundo as ações judiciais expedidas, os atos policiais e administrativos baseavam-se na fiscalização de supostas propagandas eleitorais irregulares. Estudantes, professores e entidades educacionais, no entanto, viram as ações como censura.

Urgência

De acordo com a ministra, a decisão tem caráter de urgência para evitar que as ações deflagradas nos últimos dias se multipliquem. A medida foi enviada ao presidente do Ssupremo, Dias Toffoli, que decidiu submeter a decisão ao plenário.

A ministra Cármen Lúcia condena ações totalitárias, afirmando que “toda forma de autoritarismo é iníqua”. “Pior quando parte do Estado. Por isso, os atos que não se compatibilizem com os princípios democráticos e não garantam, antes restrinjam o direito de livremente expressar pensamentos e divulgar ideias, são insubsistentes juridicamente por conterem vício de inconstitucionalidade.”

PGR

Há cinco dias, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou o pedido de liminar ao STF para “restabelecer a liberdade de expressão e de reunião de estudantes e de professores no ambiente das universidades públicas brasileiras”.

Raquel Dodge, que também é procuradora-geral eleitoral, apresentou ao Supremo uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). Segundo a procuradora, esse tipo de ação busca reparar lesão a princípio fundamental da Constituição que tenha sido provocada por ato do Poder Público.

(Agência Brasil)

Manual de Emergências Cardiorrespiratórias – 2ª edição será lançada nesta quarta-feira

Dr. Cabeto é um dos organizadores da publicação.

Será lançado nesta quarta-feira, às 19 horas, no Ideal Clube, a segunda edição do Manual de Emergências Cardiorrespiratórias. Trata-se de uma coletânea organizada pelos médicos Carlos Roberto Martins Rodrigues e Weiber Silva Xavier.

Uma publicação das mais importantes para profissionais da área e, principalmente, para alunos de Medicina e, em especial, para os que querem seguir na especialidade da cardiologia.

(Foto – Alex Gomes)

Consumo de energia elétrica registra aumento de 0,3% em setembro

O consumo de eletricidade do Sistema Interligado Nacional (SIN) registrou crescimento de 0,3% em setembro deste ano na relação com setembro de 2017, totalizando 39.080 gigawatts/hora (Gwh). Os dados integram a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrico divulgada hoje (31), no Rio de Janeiro, pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Eles indicam que a alta foi puxada pelo setor industrial, onde o consumo avançou 1,2% em setembro, uma vez que a demanda das classes comercial e residencial fechou em queda de -1,2% e -0,8%.

Regionalmente, o maior uso de energia foi puxado em setembro pelo Nordeste, com expansão de 2,9% e pelo Sudeste: 1,5%. Nas demais regiões houve retração. A maior queda na demanda por energia ocorreu na Região Norte (10%), seguida do Centro-Oeste (2%) e Região Sul (0,3%).

Os dados da EPE, responsável pelo planejamento energético do país, indicam, ainda, que o mercado cativo das distribuidoras teve retração de 2,1% em setembro e de -1,6% no acumulado dos últimos 12 meses. Já o consumo livre aumentou 5,2% no mês e 8,6% em 12 meses.

Consumo Industrial

O avanço de 1,2% no consumo industrial em setembro, comparativamente a setembro de 2017, o equivalente a uma demanda de 14.419 Gwh, reflete o aumento no consumo em 6 dos 10 ramos da indústria que mais usaram eletricidade: extrativo de minerais metálicos, com crescimento de 12,1%; químico (9,5%); e automotivo (3,8%).

Entre as regiões, destaque para o Sudeste com expansão de 4,2%. Já a classe comercial anotou queda de 1,2%, reflexo das temperaturas mais amenas em quatro regiões do país. Segundo a EPE, as condições climáticas beneficiaram apenas o Nordeste, onde o crescimento do consumo foi de 3%.

Já na classe residencial, o consumo mais baixo no mês, -0,8%, foi impactado pelo clima ameno, com o crescimento de 2% no Nordeste e de 1,5% no Sul compensando em parte a queda no consumo no restante do país. O consumo mensal das residências atingiu 11.007 GWh. O crescimento do consumo residencial no Nordeste e no Sul, no entanto, não foi bastante para contrabalançar o recuo nas outras regiões, cujas quedas mais acentuadas foram nas regiões Norte (-7,0%) e Centro-Oeste (-5,7%) por influência do clima.

A avaliação da EPE é que, “do ponto de vista econômico, apesar dos bons resultados da contratação formal nos últimos meses, a perspectiva de que a lenta recuperação que se observa no mercado de trabalho, caracterizada pela estagnação da massa de rendimentos, persista nos próximos meses parece e justifica a cautela das famílias ao consumir”.

Segundo o órgão, “esse aspecto tem tido um peso importante, não obstante o crédito e o orçamento doméstico estarem em condições melhores do que no ano passado, o que também influência a decisão de consumo.”

(Agência Brasil)

Da verdade proibida à mentira liberada

105 2

Com o título “Da verdade proibida à mentira liberada”, eis artigo de Marcelo Lettieri, professor doutor em Economia e servidor público federal. “Quem concluir que a crise da Era Temerária chega ao fim ponha as barbas de molho. O governo apologista da verdade proibida da ditadura tomará posse no rastro das mentiras liberadas”, diz o articulista. Confira:

Oscar Wilde fraseava que a experiência era apenas uma somatória dos erros. Edward Gibbon, outro mestre do fraseado, prevenia que o tempo ou acidentes removiam as bases artificiais fazendo desabar as estruturas à conta do próprio peso.

Há um grande embuste por detrás da tese conclusiva de que a eleição de 2018 foi vencida por quem soube operar as redes sociais por cima dos meios de comunicação tradicionais. Ignoram as reais condições da política, economia, sociedade e instituições em pandarecos. Pasmam com o desfecho da situação e esquecem o conjunto dos responsáveis pela obra, que apostaram numa aliança acrítica com a velha política oligárquica brasileira.

A ditadura dispunha de bases artificiais e caiu sobre o seu próprio peso. Sarney e Collor também. Dilma e Temer sucumbiram juntos, abraçados numa aliança esdrúxula que cometeu um estelionato eleitoral na economia.

Cada um interprete como quiser ou puder. O fato social é que nenhum grupo político, enraizado ou não na sociedade, tem como se sustentar por muito tempo no poder, principalmente se não rompe com as estruturas seculares que dão as cartas do jogo e operam a máxima de Lampedusa: “Algo deve mudar para que tudo continue como está”.

O fato de Lula estar preso hoje pode não ser uma boa notícia para quem está com a mão no trono presidencial. O que fará o PT com o Lula fora da prisão? Implacável na oposição ao antípoda? Que papel será reservado a Haddad? Como se comportará Ciro e seu PDT?

Quem concluir que a crise da Era Temerária chega ao fim ponha as barbas de molho. O governo apologista da verdade proibida da ditadura tomará posse no rastro das mentiras liberadas.

O epicentro da crise com maior profundeza será o Planalto com a escalação da vertente mais radicalizada da política. Ou alguém acredita que o presidencialismo de coalizão acabou e não haverá loteamento de cargos para saciar a fome dos apoiadores de ocasião?

A tempestade de junho de 2013 não terminou e a crise continuará viva.

*Marcelo Lettieri

marlettieri@gmail.com

Professor doutor em Economia e servidor público federal.

Astronauta Marcos Pontes é confirmado para o Ministério da Ciência e Tecnologia

Em seu Twitter, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, nesta quarta-feira (31) que o astronauta Marcos Pontes será seu ministro da Ciência e Tecnologia.

“Comunico que o Tenente-Coronel e Astronauta Marcos Pontes, engenheiro formado no ITA, será indicado para o Ministério da Ciência e Tecnologia. É o quarto Ministro confirmado!”, escreveu.

Além de Marcos Pontes, já estão como futuros ministérios o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil; Paulo Guedes, para o futuro Ministério da Economia; e o general Augusto Heleno, para o Ministério da Defesa.

(Foto – Twitter)

Poupança tem espaço para crescer no Brasil, diz especialista

A poupança da Caixa Econômica Federal fechou o ano passado com captação líquida de R$ 8 bilhões e um total de 74 milhões de poupadores. Para o educador financeiro Rogério Braga, membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), com uma população de mais de 207 milhões de pessoas, há um amplo caminho para que a poupança cresça ainda mais no país.

Para o especialista, os brasileiros ainda não têm o hábito de poupar. Ele aponta que um dos principais problemas da população brasileira atualmente é o consumo exagerado, o acúmulo de créditos, que levam ao descontrole financeiro.

O Dia Mundial da Poupança, celebrado hoje (31), foi criado para conscientizar a população global sobre a importância de preservar recursos para o futuro.

Como poupar

O primeiro passo para quem quer fazer uma poupança é estabelecer um sonho ou um objetivo de vida. “O maior segredo é estabelecer esse objetivo e começar a fazer um diagnóstico financeiro de vida. Começar a pegar aquele recurso, separar a parte dele para poupar no início, porque se deixar para o final do mês, vai faltar recurso”, indicou.

Conversar com a família em relação ao sonho coletivo é um segundo passo também importante. Braga aconselha que as pessoas coloquem todos os objetivos no papel. “Tem que ser disciplinado. A disciplina de seguir todo esse processo leva ao sucesso”, apostou.

Para o educador financeiro, o brasileiro tem o mau costume de ser imediatista, o que termina colocando alguma meta de futuro adiante da sua realidade.

Ele recomenda que as pessoas estabeleçam prazos e aprendam a gastar e a economizar. Esse é um processo diário, destacou. “Tem que usar os recursos em algo efetivamente necessário, e não supérfluo. “Poupar primeiro é sempre muito importante. O hábito de poupar deve ser feito antes de receber o salário e gastar no consumo”.

Braga acredita que com essas etapas, já pode haver uma mudança geral, uma nova visão sobre o hábito de poupar. “E, aí, a poupança se beneficia disso, porque ela é muito fácil, muito acessível a toda a população brasileira”.

Faz parte ainda do diagnóstico financeiro que as pessoas comecem a observar onde há excesso, como podem gastar melhor e onde podem economizar. Braga afirmou que muitas pessoas cometem o erro de gastar além do seu padrão de vida e, por isso, a conta nunca fecha e elas terminam sempre endividadas. O ideal é identificar onde gastar. “Gastar sem excessos, dentro da sua realidade, é fundamental”.

(Agência Brasil)

Propor um superministério da Economia é uma contradição, diz Mauro Filho

Mauro Filho, economista, professor universitário e deputado federal eleito pelo PDT, criticou os primeiros anúncios dos representantes da área econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Sobre o anúncio da criação de um superministério juntando as pastas de Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauro Filho considera um equívoco. Ele diz que o Ministério da Fazenda tem o papel de controlar as despesas e “puxa ações para dentro do governo” com o Ministério da Indústria, que se propõe a estimular a economia e desenvolver políticas para aumentar a competitividade das empresas.

“É uma contradição propor um superministério da Economia”, disse, em entrevista, nesta quarta-feira, ao jornalista Luiz Viana, âncora do programa O POVO no Rádio, na Rádio O POVO/CBN.

Quanto à proposta de priorizar a reforma da Previdência, Mauro Filho cobrou uma maior clareza sobre qual caminho o governo deve seguir nessa área. Para o deputado, o “super-ministeriável, economista Paulo Guedes, o vice General Mourão e o próprio Bolsonaro ainda estão “batendo cabeça” e não se entendem sobre o que realmente pretende fazer.

Mauro Filho era coordenador de economia do então candidato a presidente Ciro Gomes e defendeu uma reforma da Previdência que mudaria gradativamente o regime atual de repartição. Nessa mudança, os trabalhadores da ativa bancariam as aposentadorias para o regime de capitalização em que as aposentadorias são garantidas pela contribuição dos próprios trabalhadores que se aposentam, com aporte do governo e das empresas.

(Foto – Fco Fontenele)

Moroni representa Fortaleza na I Cúpula de Prefeitos do G20

O vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan, representa o prefeito Roberto Cláudio na primeira edição da Cúpula de Prefeitos do G20, que acontece em Buenos Aires, capital argentina.

Entre os temas prioritários, mudanças climáticas. Dizem que fora segurança pública, este é um dos motes preferidos de Moroni.

(Foto – Divulgação)

Ciro diz que foi “miseravelmente traído” por Lula e seus “asseclas”

1244 3

O ex-ministro Ciro Gomes deu uma entrevista longa ao jornalista Gustavo Uribe, da Folha de S.Paulo que pode ser conferida nesta quarta-feira. Entre vários desabafos, ele, que foi o terceiro colocado na eleição presidencial, diz que foi “miseravelmente traído” pelo ex-presidente Lula e seus “asseclas”.

Ciro concedeu a entrevista em seu apartamento em Fortaleza nessa terça-feira (30). Foi a primeira fala dele desde a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), Ciro nega ter lavado as mãos ao ter viajado para a Europa depois do primeiro turno. “A gente trai quando dá a palavra e faz o oposto”.

O pedetista critica a atuação do PT para impedir o apoio do PSB à sua candidatura e diz que considerou um insulto convite de Lula para assumir o papel de seu vice no lugar Fernando Haddad (PT).

Sobre disputa em 2022, reagiu: “Não. Quem conhece o Brasil sabe que você afirmar uma candidatura a 2022 é um mero exercício de especulação, porque a adrenalina não pacificou. Só essa cúpula exacerbada do PT é que já começou a campanha de agressão. Eu não. Tenho sobriedade e modéstia. Acho que o país precisa se renovar.”

*Confira a íntegra da entrevista aqui.

Petrobras anuncia redução do preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (31) uma nova redução no preço da gasolina nas refinarias. Desta vez, a queda anunciada é de 0,84%. Com isso, o litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,8466 a partir de amanhã (1º).

Esta é a décima redução consecutiva do preço do combustível, desde que ele atingiu R$ 2,2514 em setembro. A queda acumulada desde 25 de setembro (quando o preço começou a recuar) chega a 17,98%, ou seja, 40 centavos por litro.

(Agência Brasil)

Leitor protesta contra serviço feito por terceirizada da Cagece

De Mário Albuquerque, leitor do Blog, recebemos este vídeo e uma queixa contra a Cagece. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

Este aí é o cruzamento das ruas Frei Mansueto com Ana Bilhar, na Varjota. Trafego intenso de veículos o dia todo. Veja a “herança maldita” deixada por uma empresa contratada pela Cagece, após a realização de uma obra: o caos.

O que mais angustia é saber que o reparo não será feito tão cedo, como de praxe.

Abraços

*Mário Miranda

Associação Pró-Desenvolvimento Sustentável da Varjota – Pró Varjota.

Editorial do O POVO – “Os Vices”

Com o título “Os Vices”, eis o Editorial do O POVO desta quarta-feira:

Atacar a imprensa parece ser um esporte comum a todos os governantes, independentemente da cor ideológica, mas o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) vai um passo além, ao fazer ameaças explícitas à Folha de S. Paulo, devido a reportagens publicadas pelo jornal que o desagradaram.

Essa incompreensão – ou talvez devido à exata noção que eles têm do papel da imprensa como fiscal do poder – é comum ao entorno do Bolsonaro, como é o caso de seu vice, general Hamilton Mourão. Em entrevista, concedida à BBC Brasil, ele afirmou que as críticas de jornais e personalidades estrangeiras teriam sido resultado de uma campanha dos adversários, com uma “rede de contatos” à disposição, para espalhar notícias negativas no exterior.

Mas é difícil supor que pessoas de esquerda tivessem influência, por exemplo, em uma das mais tradicionais publicações liberais do mundo, a revista Economist, entre outros jornais de referência, como o New York Times (americano) e o Financial Times (britânico), por exemplo, que também criticaram abertamente Bolsonaro. A receita para desfazer essa imagem, disse o general, é “ir ao exterior e mostrar quem nós somos”, o que deverá ser feito em breve, segundo ele. Esperemos para ver se a palavra deles no exterior corresponderão aos fatos que os repórteres dessas publicações vão cobrir no Brasil.

Mas a questão agora é tentar entender como será a postura de Mourão, que declarou que não será “vice decorativo”, repetindo o termo utilizado por presidente Michel Temer, no período que antecedeu o impeachment de Dilma Rousseff. Entender o comportamento dos vice-presidentes é importante no Brasil, pois não é incomum que ocupem a cadeira presidencial, ou se tornem fonte de preocupação para o titular. Desde a redemocratização, três vices assumiram a cadeira presidencial: José Sarney, Itamar Franco e Michel Temer.

Mourão, observa-se, não pretende ser um vice discreto, como foi Marco Maciel (duas vezes vice de Fernando Henrique). Ele quer, por exemplo, criar “pequenos conselhos” para apresentar projetos que envolvam mais de um ministério e apresentar “linhas de ação” para Bolsonaro escolher entre elas. Enfim, disse querer participar ativamente do governo.

A pergunta agora é se ele será um vice altivo como José Alencar – que criticava a política econômica do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente as altas taxas de juros -, sem nunca pôr em questão a liderança do chefe; ou se o seu protagonismo excederá essa fronteira, o que seria mais um problema para Bolsonaro enfrentar. De qualquer modo, está claro que Mourão não seguirá o comportamento de Marco Maciel, um exemplo de discrição. Um modelo de vice.

(Editorial do O POVO)

Ameaças de Bolsonaro à imprensa foram criticadas por sua própria equipe

As críticas e ameaças de Jair Bolsonaro (PSL) à imprensa desagradaram integrantes da equipe do presidente eleito. Na segunda (29), ele disse ao Jornal Nacional que vai cortar publicidade de jornais que “espalharem mentiras”. Pegou mal principalmente entre generais.

A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

A análise desse grupo é a de que, agora, o presidente eleito precisa entender que é “uma instituição”, não mais um candidato.

(Foto – Reprodução do Facebook)

I Festival da Música de Fortaleza – Sai a lista das 30 selecionadas para Eliminatórias

Saiu a lista das 30 canções selecionadas para as duas eliminatórias do I Festival da Música de Fortaleza, uma promoção da Prefeitura. No total, foram inscritas 359 músicas, de autores de 17 unidades da federação, sendo 16 Estados mais o Distrito Federal. O número de autores cearenses inscritos representou 78% do total. Ou seja, foram 283 composições de autores cearenses. Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Maranhão também tiveram significativo número de concorrentes.

Os 30 finalistas desta fase de eliminatórias deverão participar de apresentação presencial no novo Teatro São José, nos próximos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, conforme a ordem das apresentações a ser definida por sorteio que ocorrerá no dia 05 de novembro. Doze músicas irão para a grande final, que acontece no dia 8 de dezembro de 2018.

Todas as apresentações serão abertas ao público. O vencedor do Festival da Música de Fortaleza ganhará um contrato no valor de R$ 30 mil para uma apresentação no Réveillon 2019 de Fortaleza. O segundo e o terceiro lugar ganham R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente.
As 30 canções selecionados pelos jurados farão parte, durante o mês de novembro, da programação da Rádio Terra do Sol, rádio da Prefeitura de Fortaleza, que tem programação transmitida pela Internet, online no Portal da Prefeitura de Fortaleza ou por meio de aplicativo e nos sete terminais de ônibus da Capital.

Conheça a relação das 30 músicas selecionadas (em ordem alfabética) para as eliminatórias:

A CULPA – ALCIO BARROSO
A DIVINA COMÉDIA – PANTICO ROCHA
AFETO – FRANCISCO ROGERIO SOARES COSTA SOUSA
AS DEUSAS D’IRACEMA – DALWTON DE MOURA BORGES/RODGER FRANCO DE ROGERIO
BEM PERTO DE MIM – APARECIDA SILVINO
BRASILEIA DESVAIRADA – GENÉSIO SAMPAIO FILHO
CANÇÃO EM SOL MAIOR COM NONA – LAURA FINOCCHIARO
CANÇÃO PRA ELIS – JOAQUIM ERNESTO BARRETO CAVALCANTE
CEU AZUL – LUCAS ESPÍNOLA ARRUDA
CHÃO DE AREIA – THERESA RACHEL BARROSO GOIS
DEITA – ANASTÁCIA DE AZEVEDO ALVES
DESPACHO – ROBERTO FLÁVIO ALMEIDA
É NÓIS – RAIMUNDO GONÇALVES CASSUNDÉ
EU NÃO PRECISO DA SUA ÁGUA – JANIO FLORENCIO DA SILVA
LICURÍ É UM CÔCO – SERGIO DI RAMOS
LIVRE – JOTA – JOHNNY SANTOS DA SILVA
LUZIA – PAULO ROBERTO PEREIRA DE ARAUJO
MENINO BONITO – ANTONIO LUIZ DRUMMOND MIRANDA
MEU QUINTAL – EDMAR GONÇALVES DE ALENCAR
O SAMBA DA HORA – ERMÚSIO FERREIRA SOARES
O SOM DAS ÁGUAS – MARCOS BASTOS TEIXEIRA BRITO
OLHOS DESESPERADOS – EDINHO VILAS BOAS
PEÃO E REI – SEBASTIÃO BARROSO SAMPAIO
PIXOTE – SYMARA TÂMARA FERNANDES CARLOS
SAMBA DA FÉ – BARBARA SENA CARVALHO
SÃO TUPÂ DE XANGÔ – FERNANDO ANTONIO ROSA DE CARVALHO
SETE MERGULHOS NO MAR – ANDRESSA SOUSA DO NASCIMENTO (EUTERPE)
SUA CANÇÃO – MARCOS DA SILVA MAIA
UM MAIS UM – GABRIELLE GOMES
VOLTA DO MUNDO – JOÃO VITOR SILVA SOARES/IVALDO GUIMARÃES TORREÃO JUNIOR.

Iplanfor e Unifor firmam parceria para plano de integração de Zonas de Interesse Social

O Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor), e a Universidade de Fortaleza (Unifor) vão assinar, às 11h30min desta quarta-feira, um termo de parceria para a elaboração do Plano Integrado de Regularização Fundiária (Pirf) de três Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis) consideradas prioritárias. A Unifor elaborará, junto com a comunidade, os Pirfs das Zeis do Mucuripe, Serviluz e da Praia do Futuro. O ato ocorrerá na reitoria da Unifor envolvendo o superintendente do Iplanfor, Eudoro Santana, e a reitora Fátima Veras.

A assinatura do termo de colaboração entre o Iplanfor e a Unifor marca o início do processo de estudos para elaboração dos Pirfs. A fase é mais uma etapa do processo de regulamentação das Zeis em Fortaleza, um processo considerado prioridade pela gestão do prefeito Roberto Cláudio.

O processo de elaboração dos Planos contará com a participação dos conselheiros gestores das Zeis, que já foram eleitos e passaram por um curso de capacitação. A previsão é de que sejam empossados no mês de novembro.

As Zeis consideradas prioritárias são Dionísio Torres/Vila Vicentina, Pici, Lagamar, Serviluz, Praia do Futuro, Bom Jardim, Pirambu, Poço da Draga, Moura Brasil e Mucuripe.

As demais Zeis deverão, em breve, ter suas parcerias celebradas. Além da Unifor, participarão, junto com as comunidades das Zeis da elaboração dos Pirs, a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Universidade Estadual do Ceará (Uece) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).

(Foto – Aurélio Alves)