Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

CDL de Fortaleza anuncia o projeto “Anima Centro”

Vem aí o Anima Centro. Trata-se de uma série de eventos culturais e shows que prometem movimentar o Centro de Fortaleza.

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Assis Cavalcante, a programação terá início no próximo sábado, dia 12, sempre a partir das 14 horas, na Praça do Ferreira.

A ordem é atrair não somente o público das compras, mas dar uma opção de lazer e aumentar a circulação de pessoas nessa banda da cidade.

(Foto – Paulo MOska)

Petrobras reajusta preço do gás em 7,1% em média

A Petrobras reajusta nesta terça-feira (8) em 7,1%, em média, o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) de uso industrial e comercial às distribuidoras. A companhia tem como base o preço de paridade formado pelas cotações internacionais mais os custos de transporte e taxas portuárias.

De acordo com a estatal, a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço médio considera uma margem que cobre os riscos – como volatilidade do câmbio e dos preços.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que foi comunicado pela Petrobras na tarde de hoje (7) sobre novo reajuste de preço do GLP empresarial, para embalagens acima de 13 quilos.

De acordo com a Petrobras, o aumento será entre 5,8% e 8,6%, dependendo do polo de suprimento, válido a partir de 0h de amanhã (8) nas unidades da petroleira.

Com o aumento, o ágio praticado pela Petrobras está em 31% em relação ao preço praticado no mercado internacional. Na avaliação do Sindigás, “esse ágio vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP”.

(Agência Brasil)

Ecad não pode cobrar taxas sobre músicas tocadas em motel

Escritório Central de Arrecadação e Distribuição não pode cobrar direitos autorais de músicas tocadas em motéis. A decisão foi estabelecida pela 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo. O colegiado entendeu que não se pode comparar motéis e hotéis a espaços públicos. A informação é da assessoria de imprensa do TJSP.

A turma julgadora considerou que “os serviços de televisão e radiodifusão nos quartos de hotel e/ou motel não podem ser equiparados à sonorização em local público”. O desembargador Mathias Coltro relatou o caso. Também participaram do julgamento os desembargadores Erickson Gavazza Marques e J.L. Mônaco da Silva. A votação foi unânime.

“O sistema de televisão disponibilizado pelo réu, nos quartos, é daqueles por assinatura, de modo que as emissoras e redes de televisão já recolhem os valores devidos a título de direitos autorais ao Ecad”, afirmou o desembargador Mathias Coltro.

O Ecad pediu ao TJ-SP a suspensão da execução de obras musicais nos aposentos de um motel, sob pena de multa diária e apreensão dos aparelhos sonoros, bem como pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 49,8 mil.

(Foto: Arquivo)

Tudo pronto para a Tecnofrigorífico 2018

Fortaleza será sede da X Feira Tecnofrigorífico, a maior feira do setor de carnes do Norte e Nordeste. O evento ocorrerá a partir desta quarta-feira, no Centro de Eventos, e se estenderá com a expectativa de movimentar R$ 18 milhões em negócios.

Realizada pela F. Everton Feiras de Negócios, trata-se de uma feira que objetiva reunir empresários do setor cárneo, contando com 60 estandes e 46 expositores entre nacionais e internacionais que contemplam as áreas de Epi’s, Paletes, Higienização, Refrigeração, Máquinas e Tecnologias, Ingredientes e Aditivos, Embalagens e Tripas, Logística e Transporte, Automação Industrial, Equipamentos e Acessórios.

Com expectativa de 2 mil empresários, de todo o país, visitando a feira nos 3 dias de evento, a Tecnofrigorífico, espera superar a edição anterior com expectativas de crescimento em 20%. Também vai aquecer o setor turístico, pois deve gerar 300 empregos diretos e indiretos nessa área.

Palestras e workshop gratuitos que auxiliarão o profissional a compreender como o mercado está se comportando e como e quais ferramentas utilizar para driblar as incertezas vigentes constam da programação, que vai se estender até a próxima sexta-feira.

(Foto – Divulgação)

 

Sete em cada 10 são a favor da prisão em segunda instância, diz pesquisa

Sete (69,4%) em cada dez brasileiros são a favor da prisão logo após julgamento em segunda instância. Apenas 23,8% são contrários ao cumprimento da sentença em segundo grau. É o que mostra um levantamento inédito do Instituto Paraná e que foi divulgado pela Veja Online.

A pesquisa foi realizada com 2002 eleitores em todo o Brasil, entre os dias 27 de abril a 02 de maio 2018.

A margem de erro é de aproximadamente 2%, com grau de confiança de 95%.

Shopping Benfica se engaja no Dia D de Vacinação Contra o H1N1

O Shopping Benfica vai participar, no próximo dia 12, do “Dia D da Campanha Nacional de Imunização Contra o H1N1”. Abrigará um posto de vacinação, que funcionará das 10 às 16 horas, ou enquanto durar o estoque. A informação é da assessoria de imprensa desse polo de compras de Fortaleza.

As doses serão destinadas às pessoas do grupo de risco: idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses aos menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e mães com até 45 dias após o parto, pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

Para se imunizar, é preciso apresentar cartão de vacinação, documento de identificação com foto e documento que ateste fazer parte do grupo de risco. A ação é parceria do Shopping Benfica com a SER IV.

SERVIÇO

*Mais informações: 3243-1000.

Vem aí a Semana do Microempreendedor Individual

Tudo pronto para a Semana do Microempreendedor Indidivual (MEI). O evento acontecerá de 14 a 19 deste mês de maio em todo o País. 

No Ceará, serão quase 400 ações entre cursos, oficinas, workshops, palestras e rodadas de serviços financeiros. Tudo planejado para aproximar, ainda mais, segundo o Sebrae, os microempreendedores individuais dos seus consumidores. No total, a programação envolverá 107 municípios das regiões do Baixo Jaguaribe, Centro Sul, Sertão Central, Fortaleza, Zona Norte, Cariri, Itapipoca, Sertões dos Inhamuns e Crateús, Ibiapaba, Litoral Leste e Região Metropolitana da Capital.

Durante o evento, os donos de pequenos negócios vão aprender como elaborar estratégias de vendas, usando ferramentas que surpreendam e encantem o cliente. Assim, a partir da orientação do Sebrae, a ideia é que o empreendedor perceba como se posicionar em um mercado cheio de concorrentes e aprenda a avaliar os fatores econômicos, mercadológicos e comportamentais que afetem o sucesso da empresa.

Crédito

Pela segunda vez, a Semana do MEI vai ter, paralelamente em sua programação, a Semana da Educação Financeira que vai ensinar como os empreendedores devem administrar suas finanças e facilitar o acesso ao crédito. Além dos cursos sobre “Gestão de Finanças” e “Como controlar o dinheiro”, serão realizadas Rodadas de Serviços Financeiros que vão aproximar os empreendedores das instituições bancárias com linhas de financiamento específicas para o segmento.

Ao todo, serão cinco rodadas sendo uma em Crateús, outra em Ipu, outra em Mucambu e duas em Fortaleza. As da Capital acontecem, respectivamente, nos dias 15 e 16 de maio, no Mucuripe Moda Center e, no dia seguinte, no Centro Fashion Fortaleza. Em Fortaleza, além das rodadas financeiras acontecerão quase 50 ações, entre palestras, oficinas e um talk show, no dia 17 de maio, no Auditório do Sebrae Ceará, sobre Economia Criativa, com Heliana Marinho, chefe do Departamento de Economia Criativa do Sebrae/RJ e tendo como debatedores, Claúdio Silveira, idealizador do Dragão Fashion Brasil e André Farias, presidente da Rede Coworking Ceará.

SERVIÇO

*Para ver a programação completa da Semana do MEI em Fortaleza, é só clicar: http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/CE/Anexos/CE_Programação_Semana_do_MEI_2018_Fortaleza_Sebrae_Ceará_18.pdf

STJ envia para a Justiça estadual ação contra o governador da Paraíba

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), enviou uma ação contra o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, para a Justiça paraibana, tendo como base o novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que restringiu o foro privilegiado.

Na semana passada, o plenário do STF definiu uma interpretação mais restrita do foro por prerrogativa de função de membros do Congresso Nacional, estabelecendo que, no caso de deputados e senadores, somente serão julgados na Corte casos sobre crimes cometidos durante e em função do mandato.

A decisão do STF não tocou no foro especial dos governadores no STJ. Para enviar o processo contra o governador da Paraíba à Justiça estadual, no entanto, Salomão aplicou o princípio da simetria, segundo o qual os estados são obrigados a se organizar institucionalmente de forma simétrica à União, argumentou o ministro.

Argumentação

“Nessa conformidade, reconhecida a inaplicabilidade da regra constitucional de prerrogativa de foro ao presente caso, por aplicação do princípio da simetria e em consonância com a decisão da Suprema Corte antes referida, determino a remessa dos autos ao egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba”, decidiu Salomão.

Nessa ação penal, o governador da Paraíba é processado por crimes de responsabilidade que teriam sido cometidos em 2010, quando era prefeito de João Pessoa. Já há denúncia apresentada pela acusação.

A Agência Brasil não conseguiu contato com o governador da Paraíba ou com os seus advogados até a publicação desta matéria.

(Agência Brasil)

Caixa Cultural apresenta retrospectiva de Pedro Almodóvar

Filme “Julieta” entre as ofertas.

A Caixa Cultural Fortaleza apresenta, a partir desta terça-feira (8), a retrospectiva El Deseo – O Apaixonante Cinema de Pedro Almodóvar, que contempla a cinematografia do prestigiado cineasta espanhol. Com curadoria assinada pela especialista na obra de Almodóvar, Silvia Oroz, e pelo jornalista Breno Lira Gomes, a mostra exibirá, até o próximo domingo (13), 22 filmes, incluindo todos os longas-metragens do diretor, e dois documentários que dão conta de sua vida e obra.

O evento ainda contará com um debate entre os organizadores da mostra – nesta terça-feira, às 19h15min, e uma master class sobre as nuances da obra do artista, ministrada por Silvia Oroz, sábado, às 10h30min.

Programação ((sujeita a alterações)

08/05 – terça-feira – VIVA A MOVIDA!

14h30 – PEPI, LUCI, BOM E OUTRAS GAROTAS DE MONTÃO – Duração: 1h20 – 18 anos

16h10 – LABIRINTO DE PAIXÕES – Duração: 1h40 – 18 anos

18h10 – TUDO SOBRE O DESEJO – O APAIXONANTE CINEMA DE PEDRO ALMODÓVAR – Duração: 49 min – 10 anos

19h15 – Debate O CINEMA DE PEDRO ALMODÓVAR

09/05 – quarta-feira – A VIDA É UM MELODRAMA

13h30 – QUE FIZ EU PARA MERECER ISTO? – Duração: 1h42 – 14 anos

15h30 – ABRAÇOS PARTIDOS – Duração: 2h09 – 14 anos

18h – A FLOR DO MEU SEGREDO – Duração: 1h42 – 14 anos

20h – FALE COM ELA – Duração: 1h52 – 14 anos

10/05 – quinta-feira – O PASSADO NUNCA MORRE

14h30 – MÁ EDUCAÇÃO – Duração: 1h45 – 18 anos

16h30 – CARNE TRÊMULA – Duração: 1h39 – 18 anos

18h30 – DE SALTO ALTO – Duração: 1h53 – 16 anos

11/05 – sexta-feira – A MALUQUICE DA VIDA

14h – AMANTES PASSAGEIROS – Duração: 1h31 – 16 anos

15h50 – MAUS HÁBITOS – Duração: 1h55 – 18 anos

18h – KIKA – Duração: 1h52 – 14 anos

20h15 – MULHERES À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS – Duração: 1h35 – 12 anos

12/05 – sábado – O DESEJO ACIMA DE TUDO

10h – Master class PEDRO ALMODÓVAR E O MELODRAMA, com a curadora Silvia Oroz – Duração: 2h – 18 anos

14h – MATADOR – Duração: 1h36 – 18 anos

16h – A PELE QUE HABITO – Duração: 2h13 – 16 anos

18h30 – ATA-ME! – Duração: 1h41 – 18 anos

20h30 – A LEI DO DESEJO – Duração: 1h40 – 16 anos

13/05 – domingo – AMOR DE MÃE

14h – VOLVER – Duração: 2h01 – 14 anos

16h15 – JULIETA – Duração: 1h39 – 14 anos

18h15 – FILMES QUE MARCARAM ÉPOCA – TUDO SOBRE MINHA MÃE – Duração: 52 min – 10 anos

19h30 – TUDO SOBRE MINHA MÃE – 1h40 – 14 anos

SERVIÇO

*Os ingressos para as sessões custarão R$ 4 e R$ 2 (meia). Já o debate e a master class terão entrada gratuita, com senhas distribuídas a partir das 16h para o debate e senhas distribuídas a partir das 10h antes da master class.

*Caixa Cultural Fortaleza – Avenida Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

*Horário e Classificação indicativa: consultar programação no site www.caixacultural.gov.br

(Foto – Divulgação)

Quadrilha explode carro-forte na Zona Norte

Uma quadrilha de assaltantes explodiu, nesta segunda-feira, um carro-forte que trafegava na rodovia CE- 176 – estrada limítrofe dos municípios de Santa Quitéria e Sobral, na Zona Norte do Ceará.

Durante a ação, o grupo mandou vigilantes desceram do carro e explodiram o veículo, que ficou todo destruído.

Eles tiveram acesso ao dinheiro, segundo a Polícia. O grupo conseguir fugiu usando dois veículos, sendo um deles uma ambulância.

Um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) de Sobral está sobrevoando a região em busca dos suspeitos.

(Foto – Reprodução TV Verdes Mares)

Um comentário sobre FHC

Com o título “Das classes às narrativas”, eis artigo do professor universitário André Haguette (UFC). Ele comenta resenha do último livro do ex-presidente FHC. Confira:

Leio numa resenha na revista Veja que, no seu último livro, Crise e Reinvenção da Política no Brasil, Fernando Henrique Cardoso estabelece uma distinção entre a sociedade moderna, mais fixa e previsível, e uma sociedade nova nascida nos anos 1990 e na qual o Brasil estaria entrando, a sociedade contemporânea, em fase acelerada de evolução — com seus avanços tecnológicos na nanotecnologia, na Internet, na robotização, as grandes empresas pulverizando suas fábricas entre diferentes países ao mesmo tempo em que os mercados se interconectam —, tudo com o objetivo de “concentrar os centros de criatividade, dispersar a produção em massa para locais de mão de obra abundante e barata e unificar os mercados, sobretudo financeiros”. “Sociedades novas não quer dizer ‘boas sociedades’”, segundo opina Fernando Henrique. A globalização produzirá ganhadores e perdedores. Na nova sociedade, as classes sociais não têm a preeminência de antes, no papel de grande divisor das lutas políticas; ganharam a concorrência de fatores de identidade como o gênero, a raça, a religião, a orientação sexual. Os sindicatos e os partidos perderam terreno para os movimentos e, sobretudo, para o indivíduo informado e conectado.

Com certeza me reconheço na descrição dessa passagem de um tipo de sociedade para outro, eu que me sinto mais confortável diante da televisão (moderna) do que com a Internet (contemporânea). Mas nessa travessia do moderno, isto é, do coletivo (economia de massa, partidos, sindicatos, classes sociais, planejamento, desenvolvimento, valores vividos como perenes, destino predestinado) ao indivíduo (gênero, raças, mulheres, minorias, grupos de interesse, corporativismos, donos de planos de saúde, de escolas, mercadorias personalizadas, fetichismo da saúde e da juventude, representações e narrativas) vejo que o Brasil perde duas vezes. A primeira, por nunca ter resolvido sua indecente contradição entre capital e trabalho. Em época de classes sociais, sindicatos e partidos políticos, a desigualdade e a pobreza ficaram incólumes; riqueza e poder continuaram familísticos, corporativos e regionais, jamais chegando a uma industrialização e urbanização capazes de incluir as massas.

Assim perdemos o momento histórico “mais fixo e previsível” para entrar, despreparados, no universo precário, fragmentário e “líquido” do reino do indivíduo, que Fernando Henrique considera, de modo utópico (“wishful thinking?”), mais “participante” do que “egoísta”.

E aí estamos nós a tatear nessa nova sociedade, atordoados, perdidos, estressados e sem uma economia, nem saúde, educação, Justiça, segurança de massa, num mundo das individualidades, das diferenças, das minorias, das narrativas etnográficas diversificadas e do mapeamento das divisões territoriais de bairros, da violência, da cultura! Como construir essa sociedade contemporânea em cima da areia movediça de nossa modernidade desperdiçada? Como desfrutar de narrativas individuais quando nossa modernidade nunca se concluiu e as classes sociais continuam a ser a grande narrativa que ninguém mais quer entoar?

*André Haguette

haguetteandre@gmail.com

Sociólogo e professor titular da UFC.

Pedidos para realização de concurso público têm prazo estendido

A ferramenta digital Seleção de Pessoas, lançada hoje (7) pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, dará aos órgãos públicos um prazo maior para encaminhar pedidos de realização de concurso público em 2019. O prazo, que vai anualmente até o dia 31 de maio, será estendido até o dia 30 de junho.

A previsão da Secretaria de Gestão de Pessoas da pasta é disponibilizar o novo módulo no Sistema de Gestão de Pessoas (Sigepe) para os dirigentes dos órgãos federais amanhã (8).

Para que a previsão dos concursos públicos faça parte do orçamento do ano seguinte, os pedidos precisam ser feitos até o dia 31 de maio, como previsto no Decreto nº 6.944 de 2010. Até este ano, esse pedido era feito exclusivamente via Sistema Eletrônico de Informações (SEI) ou por protocolo. Agora, com a nova ferramenta, os dirigentes terão um prazo maior.

Segundo a diretora de Legislação e Provimento de Pessoas, Neleide Ábila, os pedidos feitos por SEI continuarão válidos e seguirão o mesmo prazo, até o dia 31 de maio. A nova ferramenta trará, segundo ela, uma padronização dos pedidos, o que facilitará a análise pelo ministério.

“Excepcionalmente vamos trabalhar com os dois modelos. Aconselho [os dirigentes de gestão] a apresentarem no modelo tradicional, via SEI, e inclusão no Sigepe. Vamos atender prioritariamente no modelo novo, mas sem prejudicar alguém que não conseguiu [fazer o pedido nesse modelo], vamos analisar”, explicou. A intenção é que os pedidos sejam feitos integralmente via Sigepe a partir do ano que vem.

(Agência Brasil)

Mercado financeiro reduz projeção de crescimento anual da economia para 2,7%

O mercado financeiro voltou a reduzir a estimativa para o crescimento da economia este ano. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 2,75% para 2,70%. Na última semana, a projeção ficou estável em 2,75%, após quatro reduções seguidas. Para 2019, a previsão permanece em 3%.

De acordo com a pesquisa, o mercado financeiro manteve a projeção para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em 3,49% para este ano. Para 2019, a estimativa permaneceu em 4,03%.

A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação também está abaixo do centro da meta (4,25%).

Taxa básica de juros

Para alcançar a meta, o banco usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,50% ao ano. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. De acordo com a previsão das instituições financeiras, a Selic encerrará 2018 em 6,25% ao ano e subirá ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano.

(Agência Brasil)

Empregadores domésticos têm até esta segunda-feira para pagar o e-Social

Hoje (7) é o último dia para que empregadores domésticos paguem o Documento de Arrecadação do eSocial (DAE) de abril. Quem perder o prazo terá que pagar multa de 0,33% por dia de atraso, limitada a 20% do total.

O documento reúne em uma única guia as contribuições fiscais, trabalhistas e previdenciárias que devem ser recolhidas pelos empregadores referentes aos trabalhadores domésticos.

Brasília – Recolhimento de impostos na contratação dos empregados domésticos pelo eSocial começou em novembro de 2015. Patrões reclamaram da emissão das guias, devido a problemas no site (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Quem perder o prazo do eSocial pagará multa de 0,33% por dia de atraso, limitada a 20% do total (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Para emitir da guia unificada, o empregador deve acessar a página do eSocial.

O DAE pode ser pago tanto em guichês de caixas bancários, como em lotéricas, internet banking e canais eletrônicos de autoatendimento.

(Agência Brasil)

Movimento Renasce promoverá ato pela paz em Fortaleza

341 1

O Movimento Renasce, que se diz apartidário, vai promover, nesta terça-feira, às 19 horas, no entorno do Palácio da Abolição, o ato “Fortaleza pede Paz”. O objetivo, segundo Mariana Posses, da organização, é cobrar das autoridades mais investimento e ações contra a violência.

O grupo também vai cobrar a elucidação do caso em que Roberto Studart, que era diretor do Fortaleza, Esporte Clube, foi assassinado numa saidinha bancária.

Mariana Posses informa, em vídeo disponibilizado em suas redes sociais, que o ato será antecedido de carreata, passeata e bicicletas.

As escolas cearenses e o assédio das facções criminosas

Com o título “Escola sob a sombra do tráfico”, eis artigo do jornalista e pesquisador Ricardo Moura, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ele aborda assédio das facções criminosas nas escolas cearenses. Confira:

Em abril, o Governo do Estado lançou o programa “Nenhum Aluno Fora da Escola”, que tem como meta combater o abandono escolar. Na rede municipal de ensino, o programa contempla os 8º e 9º anos. Medidas como a busca ativa, em que a frequência escolar é monitorada, fazem parte do conjunto de ações. A preocupação é justificada, haja vista as consequências da evasão e do abandono escolar serem nefastas. Pesquisa realizada pelo sociólogo Marcos Rolim mostrou haver uma relação bastante estreita entre evasão escolar e violência extrema, ou seja, aquela que é cometida sem qualquer provocação da vítima.

“O medo impacta diretamente na evasão escolar. Telma afirma que, nos últimos meses, algumas famílias têm pedido transferência com destino ao interior ou outros bairros”

Em um contexto de assédio às escolas por parte das facções, manter crianças e adolescentes estudando é uma tarefa árdua. Embora a ação governamental seja bastante louvável, há pontos vulneráveis externos à política: o recrutamento das facções ocorre cada vez mais cedo (aos 10 e 11 anos), enquanto o medo da violência está fazendo com que os pais retirem seus filhos das escolas. A coluna ouviu quatro educadores que lutam cotidianamente na periferia de Fortaleza para que os alunos se mantenham em sala de aula mesmo diante desses desafios. Os nomes e os bairros em que atuam serão preservados por questão de segurança.

Para Cristiano (nome fictício), professor da rede municipal, a violência afeta o cotidiano escolar tanto na entrada quanto na saída: “O cuidado ao chegar e sair da escola é uma importante medida que professores e funcionários tomam. Isso também ocorre no recinto escolar, quando se toca no assunto tráfico ou alguma violência relacionada a essa prática”.

Segundo o professor, a atuação das facções varia conforme o turno: “Durante o dia, a presença é mais externa, embora suspeitemos de alunos que, além de usuários, também tentam levar o tráfico para dentro da escola. Já à noite existem alguns adolescentes, embora poucos, que são conhecidos como ‘aviões’ (nome dado a pessoas que transportam drogas). Não podemos confrontá-los, contudo, sob riscos de represálias”.

Telma (nome fictício), que atua na gestão escolar, teve de lidar com uma ação mais ostensiva do crime organizado. “Tivemos uma inscrição pichada no muro, numa tentativa de apropriação do entorno”, relata. A direção ficou sem saber como proceder, relembra, mas da mesma forma como os dizeres foram escritos eles foram apagados. De forma misteriosa.

Luís, educador social, dimensiona o problema enfrentado pelas gestões: “Foram demitidos porteiros e vigias fragilizando mais ainda as escolas. Todos estão à mercê dos ditames dos grupos armados, cabendo à direção a mediação para o funcionamento da escola e garantia dos índices educacionais”. O medo, no entanto, impacta diretamente na evasão escolar. Telma afirma que, nos últimos meses, algumas famílias têm pedido transferência com destino ao Interior ou outros bairros. “Nossas famílias são em 90% pessoas que se mantém com auxílio do governo federal. Não têm renda, não têm perspectivas. Na maioria das vezes elas não dizem o motivo pelo qual deixam a escola, mas nas entrelinhas é uma tentativa de sair do ambiente violento”, explica.

Se a insegurança gera êxodos urbanos, ao mesmo tempo ela se incorpora à rotina de pais e alunos. Segundo Cristiano, as crianças, de modo geral, encaram a situação em que vivem como natural: “Aquelas mais críticas ou incomodadas falam conosco no privado e de forma tímida, sem querer se expor”. Para quem lida com esse drama no dia a dia do trabalho, o sentimento é de impotência. Luís afirma que os profissionais da educação “estão todos adoecidos, sem esperança e sem retaguarda institucional para o cuidado, escuta e mediação de conflitos”. Telma adota uma tática para lidar com esse cotidiano tão brutal e tão familiar. “A verdade é que mesmo sendo uma realidade comum para eles, isso nos choca muito. Fingimos que aquilo é natural para nós também. Não há muito o que fazer”.

A relação dos educadores com os órgãos de segurança é ambígua. Cristiano cobra maior presença da Guarda Municipal: “É inexistente a presença dos órgãos de segurança, então meio que vamos nos virando, evitando assuntos polêmicos ou confrontos com alunos supostamente envolvidos”. Telma, por sua vez, afirma que é arriscado envolver a polícia em tais questões por temer retaliações.

“Não devemos nos vincular. É péssimo fazer essa parceria. Não abro portão para policiais se instalarem, não preciso ter mais problemas”.Mara (nome fictício), professora da rede municipal, resume a sua atual condição de trabalho em forma de desabafo: “Estamos sozinhos, por isso devemos nos resguardar”.