Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

No rastro do sangue, o vexame oficial

134 3

charge eliomar 130324 gov caos

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (24):

Em Fortaleza, o que já era ruim está piorando muito. Definitivamente, a violência assume patamares escandalosos. Desde o início do ano da graça de 2013, 444 pessoas foram assassinadas na Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção. A cada santo dia, uma média superior a cinco homicídios. Nesse ritmo, chegaremos ao final do ano com mais de dois mil assassinatos.

Uma guerra fratricida. No ano passado, foram mortas 1.628 pessoas na antes pacata capital cearense. Uma média superior a quatro homicídios por dia. Já eram números assustadores e indecentes.

No rastro de sangue dos números de 2013, aflorou o vexame oficial. Ao ser confrontado com as estatísticas, o secretário da Segurança, Francisco Bezerra, reagiu da pior maneira possível. Ou seja, não assumiu nenhuma responsabilidade pela situação e ainda responsabilizou terceiros.

O secretário Bezerra culpa pelas mortes a ex-prefeita Luizianne Lins, que, segundo ele, não adotou políticas para contemplar os jovens, a sociedade, que não baixa a maioridade penal, e, claro, a imprensa, que comete o supremo abuso de “requentar (o assunto) todos os dias”.

Na reportagem do O POVO que expôs a tragédia, o diretor-adjunto da Divisão de Homicídios (DHPP), delegado Franco Pinheiro, não se esquivou das perguntas e foi ao ponto. Para começo de conversa, disse que cada um dos oito delegados dessa delegacia especializada cuida, em média, de 36,2 casos de homicídios.

É óbvio que um delegado não pode investigar 36 casos de assassinatos ao mesmo tempo. Dessa forma, perdura a impunidade. Na impunidade, o crime passa a ser um bom negócio. A ciranda da morte se fortalece.

Vejam mais essa declaração do delegado Franco: “Nossas investigações andam a passos curtos, apesar do volume dos investimentos feitos pelo Estado. Acredito que a forma de investir não foi a mais adequada… Muitas vezes temos que deixar um local de crime rapidamente e partir para outro”.

A avaliação do delegado, homem de dentro do aparelho de segurança, é surpreendente dentro de um Governo que engavetou o discurso da segurança pública desde o fatídico 3 de janeiro de 2012, dia em que Fortaleza parou e o Governo ficou rendido a uma greve ilegal de policiais.

Responsabilizar terceiros pelos acontecimentos é um sintoma clássico de uma política de segurança que está perdida, sem rumo. Não há respostas efetivas do Governo para combater o aumento dos índices de criminalidade. O Ronda envelheceu e foi engolido pela velha polícia.

O sonho de uma polícia comunitária ficou retido dentro das caríssimas Hilux, com seu ar-condicionado, seus bancos de couro e sua tração 4×4 que jamais será acionada. Um camburão de luxo.

Medo da democracia plena impediu remoção de atrasos estruturais no Brasil, diz jornalista

voto elite

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (24), pelo jornalista Valdemar Menezes:

Colocados numa injusta clandestinidade, os comunistas brasileiros serviram de pretexto para se impedir a remoção de atrasos estruturais no Brasil e de justificativa para os golpes e tentativas de golpes que infernizaram a vida do País, desde então. Tudo por conta de uma classe dominante atrasada, sempre apavorada com o exercício do voto pelo povo.

Nos países ocidentais, de democracia plena, os partidos comunistas sempre funcionam livremente. Isso possibilitou a consolidação de suas democracias (pelo aprendizado da convivência com contrários) e a correção de suas defasagens sociais, gerando sociedades mais equilibradas, sem que precisassem necessariamente se converter em regimes comunistas.

Itália e França, por exemplo, tiveram (têm) PCs poderosos e isso ajudou os comunistas locais a incorporarem a cultura democrática. Como acontece, hoje, no Brasil.

Papa Francisco – Biografia sai em abril

papapa

Os direitos de O Papa Francisco – Conversas com Jorge Bergoglio, resultado de longas entrevistas concedidas aos jornalistas Sergio Rubin e Francesca Ambrogetti, foram comprados pela Verus, do Grupo Record — grupo editorial e não de TV, claro.

No livro, que sai em abril, além de falar abertamente sobre a juventude e uma namorada, o Papa dá sua versão sobre a relação com a ditadura argentina.

(Coluna Radar – Veja Online)

Datafolha – Brasileiro acha que Igreja Católica não pune casos de pedófilia

84 1

papabento

Bento XVI chegou a pedir perdão.

A maioria dos brasileiros ouvidos pelo Datafolha acredita que a Igreja Católica ou não puniu ou puniu com rigor menor que o necessário os casos de pedofilia e abuso sexual entre seus membros -segundo especialistas, um dos mais graves problemas com que o papa Francisco terá de lidar. Do total de entrevistados na pesquisa de 20 e 21 de março, 86% afirmam ter tomado conhecimento das acusações de pedofilia contra religiosos. Desse percentual, 37% dizem estar bem informados. O levantamento mostra que, para 49% dos brasileiros, “muitos” sacerdotes podem estar envolvidos em casos de abuso, mas não a maioria.

Outros 33% consideram que esses casos são raros na igreja, e só 15% acham que há envolvimento da maior parte dos integrantes do clero. A divisão dos entrevistados é considerável quando se trata de avaliar como a cúpula católica reagiu às revelações dos episódios de abuso. Para 57% dos ouvidos pelo Datafolha, a igreja tem punido os responsáveis. Desse total, no entanto, 28% acham que as punições não são rigorosas como deveriam ser; 21% acreditam que elas são adequadas, e 9% consideram que há rigor além do necessário. Outros 41%, por sua vez, acreditam que o Vaticano não tem agido no sentido de punir os religiosos acusados. Ou seja, 69% dos pesquisados acham que a igreja não pune ou pune de forma muito branda padres acusados de pedofilia.

Tanto os papas João Paulo 2º (1978-2005) quanto Bento 16 (2005-2013), durante seus pontificados, enfrentaram fortes críticas pelo modo como lidaram com as denúncias de pedofilia e com o acobertamento por parte de alguns bispos. Casos como os investigados em Boston (EUA), por exemplo, resultaram em processos milionários contra a arquidiocese e na renúncia do cardeal Bernard Law, em 2002, no papado de João Paulo 2º. Bento 16 foi o primeiro pontífice a se encontrar pessoalmente com as vítimas e a pedir perdão pelos crimes.”

* Da Folha de São Paulo, leia mais aqui.

Heitor Férrer não afasta o cálice da disputa pelo Senado em 2014

43 3

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=wJNr7UvUvnM[/youtube]

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) está gostando da ideia de disputar o Senado, o que foi lembrado pelo presidente regional do seu partido, o deputado federal André Figueiredo. Ele, no entanto, diz que ainda estar cedo para definições diante do que poderá vir de cenário de alianças políticas em 2014.

Datafolha – Brasileiro aprova escolha de Papa Francisco, mas quer igreja liberal

Os brasileiros, em sua grande maioria, aprovaram a escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio para chefiar a Igreja Católica. Ao mesmo tempo, boa parte deles gostaria que a igreja liberalizasse suas posições em temas como contracepção e divórcio. Esse é o resultado de pesquisa nacional feita pelo Datafolha em 20 e 21 de março, uma semana depois do conclave que elegeu o papa Francisco -primeiro latino-americano e primeiro jesuíta no comando da Santa Sé. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais.

Dos 2.653 entrevistados pelo Datafolha em 166 municípios, a maioria, 58%, definiu-se como católica -número próximo dos últimos dados do IBGE, de 2010, segundo os quais 64,6% da população brasileira professa o catolicismo. Outros 21% se disseram evangélicos pentecostais. A eleição de Bergoglio foi considerada ótima ou boa por 74% das pessoas ouvidas pelo instituto e regular por 9%; só 2% dos entrevistados a acharam ruim ou péssima.

O levantamento revela também em que medida boa parte dos brasileiros -incluindo os que se dizem católicos- discorda de uma série de posições tradicionais da igreja. A divergência mais acentuada diz respeito ao uso de métodos artificiais para evitar a concepção. Para 83% dos entrevistados, o papa Francisco deveria orientar a igreja a se posicionar a favor do uso de preservativos; 77% defendem que faça o mesmo em relação à pílula anticoncepcional.

A pesquisa mostra ainda que 61% dos brasileiros são favoráveis a que o papa aceite o uso, pelas mulheres, da “pílula do dia seguinte” contra a gravidez. O método é considerado abortivo pela igreja. Desde a encíclica “Humanae Vitae”, divulgada pelo papa Paulo 6º em 1968, a Igreja Católica define os métodos artificiais de contracepção como “intrinsecamente maus”, mas vê os métodos naturais como moralmente permissíveis -orientação reiterada por todos os papas seguintes. Em 2010, Bento 16 chegou a declarar que o uso de preservativo, em casos especiais, era uma espécie de mal menor, por evitar a contaminação pelo vírus HIV.

* Da Folha de São Paulo, leia mais aqui.

Sejus e PM evitam motim na CPPL III

A informação foi divulgada pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado: 

Neste domingo, cerca de duzentos presos da Rua D da Casa de Privação Provisória de Liberdade 3, em Itaitinga, tentaram iniciar um motim queimando colchões da vivência, mas foram rapidamente contidos pelo Grupo de Apoio Penitenciário e pelos policiais da 2a Companhia de Policiamento de Guarda.

Desde sexta-feira, a Sejus informa que, com a Policia Militar, já fazia reforço nesta unidade após frustrar uma tentativa de fuga por volta das 17 horas nesta mesma Rua. Esses presos, por ocasião desta tentativa n a ultima sexta-feira, respondem a sanção disciplinar e ficaram sem direito a receber visita neste domingo.

Segundo a Cosipe, esta seria a causa da motim. A situação está controlada, não houve feridos e a visita segue sem alteração, exceto para essa vivência da unidade.

DETALHE – O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado para controlar o fogo.

Manifestantes protestam contra posição do Conselho de Medicina

72 2

Cerca de 40 pessoas realizaram manifestação, nesse sábado (23), em frente ao Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec), no José Bonifácio. O protesto, organizado pelo Movimento em Favor da Vida (Movida), criticava a decisão do Conselho Federal de Medicina (CFM), que apoiou mudanças previstas no anteprojeto do Novo Código Penal, que pretende ampliar os casos em que o aborto não é considerado crime. São as chamadas “causas excludentes de ilicitude”.

O ponto mais polêmico é a proposta de permissão do aborto “por vontade da gestante até a 12ª semana da gestação”. A médica obstetra Emília Moura é enfática: “o médico é formado para defender a vida e não tirá-la. Qualquer médico com posição favorável ao aborto não é digno de ocupar um cargo que represente a classe médica”. O médico pediatra e neonatologista Marcos Moura de Almeida defende que a decisão só poderia ter sido tomada após um debate com a categoria.

O vice-presidente do Cremec, Lúcio Flávio Gonzaga, afirma que o órgão não é a favor do aborto. “Estamos preocupados com a saúde da mulher. Existe uma alta taxa de mortalidade de mulheres que fazem abortos clandestinos. No ano passado, segundo dados SUS, mais de 100 mil mulheres foram internadas devido a complicações por aborto (ilegal)”, informa.

(O POVO)

Beijaço de Repúdio contra Feliciano reúne simpatizantes da causa gay em São Paulo

60 1

A poucos dias da decisão sobre a permanência ou não do pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, mais um protesto ocorrido nesse sábado (23), na avenida Paulista, reforçou a rejeição ao parlamentar.

Desde que o líder religioso fez comentários preconceituosos contra homossexuais e negros por meio das redes sociais, vários segmentos da sociedade têm defendido o afastamento dele da presidência da comissão. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) que, no último dia 20, apelou para que o deputado renunciasse ao cargo, deve tomar uma decisão sobre o caso até a próxima terça-feira (26).

Como forma de ironizar a conduta do parlamentar, um pequeno grupo de gays e simpatizantes da causa reuniram-se, no final da tarde desse sábado, no Beijaço de Repúdio, ato organizado por meio do Facebook. A manifestação, na esquina da avenida Paulista com a rua da Consolação, próximo à região central, foi organizada pelo historiador Augusto Patrini, de 32 anos.

“Com esse ato, queremos mostrar que o amor entre duas pessoas – não importa o sexo – é uma coisa bonita e não tem nada de vergonhoso, ao contrário do que prega o deputado Feliciano”, disse Patrini. “Ele é uma pessoa racista e homofóbica e não pode estar em uma comissão de Direitos Humanos”, acrescentou.

(Agência Brasil)

Sindifisco informa que contribuinte está pagando mais imposto

Os contribuintes estão pagando mais Imposto de Renda devido à defasagem na correção do limite de isenção, de acordo com novo estudo feito pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional).

Na avaliação do diretor de Estudos Técnicos do Sindifisco, Luiz Antonio Benedito, a correção do limite de isenção da tabela do imposto de renda deveria ser feita, pelo menos, em níveis compatíveis com a inflação para que não haja “defasagem tão grande”. “É uma opção [do governo] que a gente critica porque tem onerado os trabalhadores assalariados”, disse.

Em janeiro deste ano, o Sindifisco já havia divulgado estudo que mostrava defasagem de 66,4% na correção da tabela, ao se levar em consideração o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no período 1996 a 2012. Nesta semana, o sindicato decidiu fazer comparações com vários outros indicadores.

Na comparação com o salário mínimo, a defasagem atinge 256,69%. Em 1996, o valor nominal do salário mínimo era R$ 100, enquanto em janeiro de 2013 é de R$ 678,00 – aumento de 578%. O limite de isenção foi congelado em 90,08%, de acordo com os dados do sindicato.

A pesquisa constata também que, em 1996, somente os contribuintes com renda tributável superior a nove salários mínimos pagavam Imposto de Renda da Pessoa Física. Em 2013, todos aqueles com rendimentos superiores a 2,53 pisos são tributados.

Para o Sindifisco Nacional, a defasagem do limite de isenção também pode ser notada no custo da cesta básica. Em janeiro de 1996, a cesta custava R$ 92,57. Em janeiro de 2013, R$ 318,40. Comparando com a evolução do limite de isenção, a diferença é 80,95%.

Outro dado mostra que se o limite de isenção da tabela do IR tivesse acompanhado a variação de preços da cesta básica, seria quase o dobro (R$ 3.097,47) do valor atual (R$ 1.710,74, por mês).

O estudo aponta também que índices de variação de preços (INPC, IPCA e IGP-M) – tiveram, de janeiro de 1996 a janeiro de 2013, evolução superior à da correção do limite de isenção: 195,90%, 189,54% e 312,00%, respectivamente. Portanto, com defasagem da tabela do Imposto de Renda de 55,67%, 52,32% e 116,75%.

Outra comparação foi feita com a poupança. Entre janeiro de 1996 e o mesmo período de 2013 houve uma variação de 656,62% no saldo nominal no estoque da aplicação. Ante esse percentual, a distância na correção do limite de isenção é de 298,05%.

Em janeiro, a secretária adjunta da Receita Federal, Zayda Manatta, disse que a política de correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física depende de uma definição do governo federal e não pode ser mudada livremente pelo Fisco. “A Receita não tem poder de interferir na correção da tabela do Imposto de Renda, até porque essa é uma política definida por lei. O que a gente faz é apresentar estudos que servem de base para o governo e o Congresso Nacional tomarem decisões”, disse a secretária.

(Agência Brasil)

Copa 2014 – Secretário Ferrúcio Feitosa cumprirá agenda em Londres

98 2

ferrucioof

O secretário estadual da Copa 2014, Ferrucio Feitosa, está em Londres. A assessoria de imprensa informou que ele vai divulgar o Ceará como destino para a Copa do Mundo. A agenda será cumprida neste domingo e segunda-feira, quando participará do “Workshop sobre Copa do Mundo para o Mercado Europeu”. Na programação do evento, o secretário fará uma apresentação ressaltando o potencial turístico do Estado e a estrutura que está sendo preparada para os megaeventos da FIFA no Brasil.

“O momento é oportuno já que Fortaleza tem localização geográfica privilegiada para os países Europeus e muitos atrativos turísticos capazes de gerar negócios e movimento intenso de visitantes. Tanto a Copa das Confederações como a Copa do Mundo serão verdadeiras vitrines para que possamos apresentar o Ceará para outros países”, diz o secretário.

O evento, organizado pela Match Hospitality (empresa parceira da FIFA), aproveita a realização de um amistoso da Seleção Brasileira contra a Rússia na segunda-feira (25), na capital inglesa, para apresentar as cidades-sede da Copa das Confederações 2013 e da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 para agentes de hospitalidade oficiais europeus, a imprensa especializada, patrocinadores e fornecedores oficiais da Copa.

 

Repórter do Blog conversa com "Novos Talentos"

124 1

ftalentoss

Nesta semana, tivemos o prazer de bater um longo papo com essa turma aí de cima: 12 estudantes de vários cursos de Jornalismo de Fortaleza. A conversa girou sobre nossa trajetória e rotina de trabalho e, principalmente, a experiência de fazer um Blog voltado para política e atualidades. Ficamos felizes com esse contato, pois aprendemos bastante.

Ficamos mais felizes ainda de saber que essa turma, a 13ª do Programa Novos Talentos, do Sistema O POVO de Comunicação, mostrou amor pelo Jornalismo. Como dissemos na conversa… há um tempo pra tudo… E esse grupinho está com vontade de plantar profissionalmente.

(Foto – Ana Aranha)

Líder do prefeito manda artigo explicando os porquês de RC querer PMs em sua segurança

187 15

Com o título “Pontuações sobre segurança, eis artigo do vereador Evaldo Lima (PCdoB), líder do prefeito Roberto Cláudio na Câmara Municipal de Fortaleza. Ele aborda a polêmica sobre a cessão de policiais militares na segurança do prefeito. Ele explica os porquês de RC optar por PMs e não não pela guarda Municipal. Confira:

Há alguns dias temos ouvido argumentos e críticas totalmente infundadas e fictícias sobre a proposta de convênio entre a Prefeitura e Governo do Estado que vai permitir, entre outras ações, auxiliar na segurança do Prefeito Roberto Cláudio. Ao contrário do que pode pensar alguns colegas parlamentares, a segurança do prefeito não é privilégio, é uma prerrogativa da função. Vamos aos dados concretos:

– O número de PMs que serão utilizados na segurança do prefeito serão 12, divididos em dois turnos;
– Esses PMs sairão do quadro da Casa Militar do Governo do Estado; o Governo do Estado, por meio da Casa Militar, e a Prefeitura de Fortaleza vão fazer um convênio para permitir a cessão desses policiais;
– A gratificação dos policiais será paga pela Prefeitura de Fortaleza;
– O convênio já está em estudo na Procuradoria Geral do Estado (PGE) e valerá também para a capacitação e treinamento da Guarda Municipal e Defesa Civil.
– Apesar da Guarda Municipal ter o direito a utilizar armas letais (por Fortaleza ter mais de 200 mil habitantes), a Instituição nunca recebeu treinamento para portar armas de fogo e nem treinamento para segurança de autoridades;
– Esse modelo de convênio não é novidade, inclusive já é utilizado em estados como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Além dessa nova organização descrita, a gestão do Prefeito Roberto Cláudio possui diversas ações concretas para a questão da segurança da cidade. Foi criada a Secretaria Municipal de Segurança e Cidadania e vamos realizar concurso público para colocar mais 1.000 Guardas Municipais nas ruas de Fortaleza. Há também o trabalho da Coordenadoria de Políticas Públicas para Juventude, Secretaria de Cultura de Fortaleza, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria de Esporte e Lazer e outras secretarias, cada uma em sua área, fomentando e despertando nas crianças e jovens fortalezenses o real sentido da cidadania, para assim construirmos uma Fortaleza cada vez mais cidadã e segura para todos.

* Evaldo Lima,

Líder do Prefeito Roberto Cláudio na Câmara Municipal.

Saudade de Chico Anísio – Viúva jogará pétalas de rosas sobre a Serra de Maranguape

381 1

malga

Malga di Paula, viúva de Chico Anísio, estará neste domingo, a partir das 10 horas, decolando de helicópteo do Marina Park Hotel com destino à cidade de Maranguape (Região Metropolitana de Fortaleza). Na terra natal de Chico, ela jogará pétalas de rosas sobre a Serra de Maranguape, onde foi depositada parte das cinzas do humorista cearense.

Em seguidas, ela aterrissará no município para assistir a uma missa que marca o primeiro aniversário da mote de Chico Anísio.

Na segunda-feira, a partir das 19 hora, no Palácio d Abolição, Malga di Paula receberá a Medalha da Abolição que foi concedida pelo governo do Ceará a Chico Anísio.Nessa mesma cerimônia, receberão igual medalha a jornalista e professora Adísia Sá, a empresário Yolanda Queiroz e o empresário Ivens Dias Branco.

Ronda do Quarteirão – Tragado por velhos costumes do passado

Eis artigo da professora Glaurícia Mota, coordenadora do Laboratório de Direitos Humanos e Cidadania da Uece. Intitulado “Um Novo modelo de política de segurança pública”, faz críticas ao programa Ronda do Quarteirão. Anunciando como avanço, acabou tragado pro velhos costumes da polícia tradicional.

Por que o volume de investimentos feitos na área da segurança pública no Governo Cid Gomes não consegue reduzir os índices de violência no Estado? Pelo simples fato de que não basta apenas investir em mais armamento, viaturas e equipamentos, reformas e construção de prédios. Há que se gestar um novo modelo de política de segurança pública, em que a atuação das polícias seja mais preventiva que repressiva, que faça uso inteligente de novas tecnologias como ferramentas e estratégias de investigação científica, considerando que o modelo tradicional das polícias se mostrou obsoleto para a redução dos índices de criminalidade e violência no Estado brasileiro, principalmente da violência letal.

A criação do Ronda do Quarteirão ou da “polícia da boa vizinhança”, antes apresentado como um novo modelo de atuação policial, uma vez que privilegiava as ações de proximidade com a comunidade e, portanto, ações mais preventivas e sociais do que repressivas, acabou sendo engolido pelo modelo tradicional de atuação da polícia militar. Um modelo que prioriza e defende mais repressão no enfrentamento da criminalidade para solucionar os problemas da segurança pública.

A história do Ronda é apenas um exemplo das dificuldades que encontram as novas políticas diante do apego das polícias estaduais à tradição e aos estreitos espaços para as inovações. As polícias tradicionais têm uma resistência incomum às mudanças, que, por si, é parte do problema a ser enfrentado pelos governantes ao tentar operacionalizá-las na área da segurança pública, levando em conta as exigências da democracia.

Pesquisas desenvolvidas na área revelam que o atual modelo das polícias brasileiras acaba permitindo a existência de interesses particulares e de grupos nas suas estruturas de poder, que são ilegalmente articulados e, em estreita colaboração com grupos criminosos, acabam por fincar raízes nas polícias. E as mudanças propostas ameaçam práticas altamente lucrativas já acomodadas na estrutura policial, e que acabam beneficiando parte das elites policiais.

No Ceará, frente ao seu tabuleiro de mudanças e sem interlocutores de peso no seio da Polícia Militar para fazer a articulação entre o novo e o velho modelo de atuação dessa polícia, o que fez o Governo Cid Gomes? Deixou o Ronda ser tragado pelo velho modelo e este “tornou-se polícia nas ruas” como anunciava a manchete de um jornal local. Ao agir assim, o Governo fez uma “nova escolha”, uma escolha política pelo modelo tradicional, militarizado e repressivo que tem como referência estratégias de guerra de combate do inimigo no espaço público.

Hoje, no Ceará, o modelo que simboliza essa escolha se chama Raio – Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas. Percebam, houve uma troca na escolha: do Ronda do Quarteirão pelo Raio. Qual o impacto dessa escolha na redução dos índices de criminalidade e violência?

* Glaucíria Mota

glaumota@pq.cnpq.br
Coordenadora do Laboratório de Direitos Humanos e Cidadania da Uece.

Cid Gomes considera "natural" que Eunício articule para disputar o Governo em 2014

62 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=moTUU2Ge4_4[/youtube]

O governador Cid Gomes considera cedo para se falar em disputa governamental 2014. Foi o que ele deixou claro, numa rápida coletiva quando do lançamento do livro “Antes dos Coronéis”, do jornalista J. Ciro Saraiva, lançado na Assembleia Legislativa. Cid falou sobre estiagem, sobre o livro de Ciro Saraiva e, claro, sobre eleições do próximo ano.

Indagado se teria gente apressada em falar sobre sucessão – caso do senador Eunício Oliveira, Cid Gomes considerou natural esse tipo de articulação e avisou: o tema só entrara e sua agenda a partir de maio do próximo ano.