Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Grafiteiro mexicano critica discriminação contra “pichadores”

foto grafiteiro mexicano gerso

“Este é o espírito do grafite. A sua arte está aqui agora, mas pode ficar somente por algumas horas. Ou, talvez, durante anos”. A declaração é do grafiteiro mexicano Gerso, em entrevista ao Blog, enquanto grafitava parte do muro da Casa de Cultura Estrangeira, da Universidade Federal do Ceará (UFC), no bairro Benfica. Gerso participou em Fortaleza do Festival Internacional de Arte Urbana, encerrado nesse sábado (23).

O grafiteiro disse que já percorreu vários países para a divulgação da sua arte, mas se assustou com a discriminação dos “pichadores” no Brasil. “Não existe diferença entre grafiteiro e pichador. Tudo é arte. Somente no Brasil eu vi essa distinção, como se um fosse do bem e o outro do mal. Tudo é arte”, comentou para o Blog o grafiteiro mexicano, ao rabiscar em sua arte o que seria a sua assinatura como “pichador”. “Viu, tudo é arte”, assegurou. Em seguida apagou a “assinatura” com um spray branco.

Gerso garantiu não se importar se algum “pichador” “sujar” a sua arte. “É como eu disse antes: está aqui agora e depois não. Se grafitarem em cima é a arte que se transformou”, ressaltou.

Genoino recebe alta médica de hospital em Brasília

O deputado José Genoino deixou neste domingo (24) o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), onde estava internado desde a quinta-feira (21). Ele deixou o hospital às 6h30min, após avaliação médica.

Segundo o boletim divulgado pelo instituto, o deputado “apresentou melhora dos níveis de pressão arterial e dos parâmetros de coagulação sanguínea”. Genoino foi para a casa de uma das filhas, Mariana Genoino, que mora em Brasília. Ele será ser submetido a uma dieta especial.

Como determinou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, Genoino deverá cumprir prisão domiciliar provisória para que possa fazer tratamento médico.

No sábado (23), o deputado foi examinado por uma junta médica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), que encaminhará o laudo a Joaquim Barbosa. Com base no parecer, o ministro vai decidir se Genoino volta para a Penitenciária da Papuda, em Brasília, ou se continua cumprindo a pena em prisão domiciliar.

(Agência Brasil)

Era uma vez o Centro

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (24):

Passei a maior parte da minha vida tendo o Centro de Fortaleza como referência de urbanidade. Estudos (7 de Setembro da Imperador e UFC), cinema, compras, tratamentos de saúde (no antigo Ipec). No movimento estudantil, todas as passeatas lá desembocavam.

Hoje, só ponho os pés por lá movido pelos propósitos mais específicos. Ir ao banco onde mantenho conta, por exemplo. De vez em quando, uma missa na Sé. É de chorar ver a Catedral cercada por grades e com o entorno funcionando como estacionamento privado. Quatro reais a hora.

Provocado pelo artigo-denúncia da professora Adisia Sá (“Calçadas sumiram”, O POVO de 12/11), fui ao Centro de Fortaleza. Flanar. Apenas flanar. Desci na Praça José de Alencar. Decidi percorrer as duas principais ruas de pedestres do Centro. Liberato Barroso e Guilherme Rocha.

Um descalabro. Uma chaga urbana. O odor de óleo de fritura toma conta do ar. Cozinhas a céu aberto. As duas vias (e muitas outras) completamente tomadas pelo comércio fora da lei. Completamente. Centenas de comerciantes fixos com suas bancas repletas de mercadorias de origem duvidosa. Imagino que há uma sofisticada logística por trás de tudo aquilo.

Telefones celulares, relógios falsos, grifes pirateadas, brinquedos vagabundos, produtos baratos e piratas da China e adjacências. As ruas privatizadas. A cidade dos vendilhões sem templo e com a complacência dos cobradores de impostos e das gerências públicas. Uma Sodoma da negligência e permissividade. Uma grande feira de desmandos.

Não tenho mais expectativas positivas quanto a Fortaleza. Perto dos 50 anos, parei de alimentar o sonho civil de ver a nossa cidade organizada e com seus espaços públicos preservados para o justo deleite do distinto público.

O Centro é o símbolo maior de toda grande cidade que se preze. Abrir mão dele, de seus espaços públicos, de seus imensos valores históricos, a favor do tal “social” é o argumento fácil de quem não tem a coragem e nem a massa crítica para resolver o problema.

As leis urbanas estão aí, mas foram miseravelmente relativizadas. Se a desculpa for o “social”, tudo pode. Basta dizer que é “pai de família” e o espaço para negociar está garantido. Na rua de pedestre, na praça ou na calçada. Terá a benção da “otoridade”. Nas falas borbulhantes da campanha eleitoral, ninguém nos disse que seria assim.

Ao final da tarde, finalizei minha caminhada. Fui ao glorioso Leão do Sul. Caldo de cana e pastel de carne. Azeitona com caroço. Contei sete funcionários atrás do balcão. Vi o número do CNPJ na parede. Vi também o aviso da última visita da inspeção sanitária.

É assim que funciona um negócio formal. Tem endereço. Paga energia elétrica, assina a carteira, é fiscalizado, contribui com o fisco estadual e federal. Está sujeito ao Código do Consumidor. Fazendo errado, pode ser processado. Muitos riscos. Se for competente, terá o benefício do lucro. O município também lhe arranca alguns bons caraminguás, é claro.

País perplexo

187 7

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (24):

A espetacularização e as ilegalidades da execução das penas da Ação Penal 470 foram condenadas, esta semana, por um manifesto de juristas, intelectuais, artistas, além de dirigentes do PT, que atribuem as tropelias a propósitos políticos. Outros consideraram a iniciativa como destinada a compor um perfil de candidato para o ministro Joaquim Barbosa.

Ele vem sendo insuflado a candidatar-se a presidente da República pela oposição. Um dos signatários do manifesto, o renomado jurista Celso Antônio Bandeira de Mello, professor emérito da PUC/SP, comentando o tratamento dado a José Genoíno declarou: “Se eu fosse do PT ou da família pediria que o presidente do Supremo fosse processado. Ele parece mais partidário do que um homem isento”.

Cearenses decepcionam e “grupo catarinense” pode garantir duas vagas na Série A

205 1

ilustração eliomar 131124 série b

Após o Joinville eliminar as chances de acesso à Série A de 2014 do América, na sexta-feira (22), ao derrotar o time mineiro, por 2 a 1, a Chapecoense também colaborou para que o Figueirense chegasse ao G4, nesse sábado (23), ao vencer o Icasa, em pleno Romeirão, por 2 a 1. O Figueirense, que chegou ao G4 na sexta-feira, ao derrotar o ASA, por 2 a 0, também foi beneficiado pela goleada do Palmeiras sobre o Ceará, em Campo Grande (MS), por 4 a 1.

Com o encerramento da penúltima rodada da Série B, os catarinenses agora podem garantir duas das quatro vagas à elite do futebol brasileiro em 2014. A Chapecoense, já matematicamente classificada, poderá ter a companhia do rival (?) Figueirense, que agora possui 51,8% de encerrar a competição no próximo sábado (30) no G4. Palmeiras e Sport também já estão assegurados na Série A do próximo ano. O Icasa possui 29,6% de encerrar a temporada no G4, enquanto o Ceará tem 18,5%.

Para chegar aos percentuais de Figueirense, Icasa e Ceará, o Blog se valeu das 27 combinações possíveis dos jogos Bragantino x Figueirense, Paraná x Icasa e Ceará x Joinville, sem levar em consideração o fator torcida ou o desempenho das equipes nos últimos jogos. Dos 27 resultados possíveis, 14 interessam ao Figueirense, oito ao Icasa e somente cinco ao Ceará.

Para piorar a situação dos cearenses, o Bragantino se livrou do fantasma do rebaixamento, ao vencer o Paysandu, por 1 a 0, e não tem chance de melhorar sua classificação em caso de vitória contra o time catarinense. Enquanto isso, o Ceará encara mais um time do “grupo catarinense”.

Mania de “secar”

Enquanto o Figueirense vai garantindo uma vaga na Série A de 2014 com ajuda dos “rivais” Chapecoense, Joinville e Avaí (deu início à reação do Figueirense ao perder para o rival por 4 a 0), Icasa e Ceará sofrem com a mania do cearense em “secar” rivais. A torcida do Fortaleza festejou a goleada sofrida pelo Ceará, como se tivesse ganhado um campeonato. É verdade que a torcida alvinegra também festejou as quedas do Fortaleza nas Séries A e B, além dos seguidos fracassos na Série C.

Indiferente à rivalidade no Estado, os clubes catarinenses sabem da importância de representantes na elite do futebol brasileiro, não somente para o esporte como também para o turismo, para o comércio e para a geração de emprego. No próximo ano, Santa Catarina poderá ter três representantes na Série A. Além da Chapecoense e Figueirense, o Criciúma ainda luta para não ser rebaixado para a Série B.

Estado de saúde de Genoino evoluiu, mas deputado ainda tem picos hipertensivos

O estado de saúde do deputado José Genoino “evoluiu” nas últimas 24 horas, segundo informou boletim médico do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), divulgado no início da noite deste sábado (23). De acordo com a nota, “os parâmetros de coagulação sanguínea apresentaram melhoras, mas Genoino manteve picos hipertensivos”. O boletim informa ainda que as doses de medicamentos estão sendo ajustadas e que Genoino permanecerá internado.

Mais cedo o deputado passou por exames feitos por uma junta médica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), que encaminhará um laudo ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Com base no parecer, o ministro vai decidir se Genoino volta para a Penitenciária da Papuda, em Brasília, ou se continua cumprindo a pena em prisão domiciliar.

Logo depois da visita da junta médica, o suplente de Genoino, deputado Renato Simões (PT-SP) esteve no ICDF. Segundo ele, o deputado preso está confiante de que o parecer dos médicos do HUB vai contribuir para a concessão da prisão domiciliar e disse que ele demonstra mais “ânimo” no hospital por estar mais seguro de que suas condições de saúde estão sendo garantidas.

José Genoino aguarda ainda a visita de uma junta médica da Câmara dos Deputados que também vai examinar as condições de saúde dele para a possível concessão de aposentadoria por invalidez, solicitada por Genoino em setembro.

(Agência Brasil)

Estudo analisa o déficit habitacional brasileiro

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apresenta na segunda-feira (25), em Brasília, uma pesquisa que analisa o déficit habitacional brasileiro, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE), divulgada recentemente.

A Nota Técnica traz estimativas a partir de dados de 2012, considerando, além do déficit total, os quatro componentes (habitações precárias, coabitação familiar, ônus excessivo com aluguel e adensamento excessivo em domicílios locados). São destacadas, ainda, as diferenças de déficit entre áreas urbanas e rurais, Unidades da Federação e regiões metropolitanas.

(Ipea)

PHS-Ceará apresenta primeiros pré-candidatos às eleições de 2014

193 2

O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) apresenta no próximo sábado (30), em Brasília, seus primeiros pré-candidatos às eleições do próximo ano. Será durante a Segunda Plenária Nacional do partido, quando dirigentes das executivas estaduais avaliarão as novas filiações.

No Ceará, Ana Paula Cruz, Samuel Araripe e Manoel Viana são nomes certos para as disputas à Assembleia Legislativa, enquanto Adail Carneiro deverá disputar vaga à Câmara Federal.

Polícia do Rio reforça policiamento nas praias para evitar arrastões

A Polícia Militar do Rio começou a revistar passageiros de ônibus que passam pelas praias da zona sul do Rio de Janeiro em busca de armas e de menores de idade desacompanhados, que deverão ser encaminhados ao Conselho Tutelar.

Haverá policiamento em todos os finais de semana e feriados, das 9h às 19h, até o fim do verão. O reforço visa a evitar novas ocorrências de arrastões, como os registrados na semana passada.

Os militares vão patrulhar areias e calçadões com motocicleta, quadriciclo e viaturas convencionais. Uma delegacia móvel foi montada na Praia de Ipanema para atender aos banhistas vítimas de roubo ou furto.

A prefeitura do Rio iniciou uma operação especial de verão e aumentou a frota de ônibus que passam pela orla, para evitar a superlotação. A ação será repetida nos fins de semana e feriados, em especial aos domingos, até o fim da alta temporada, no dia 9 de março.

(Agência Brasil)

Tráfego de veículos é liberado na Gonçalves Ledo, neste sábado

salmito 131122 mtabosa

Com cerca de 70% das obras de drenagem concluídas, as ruas que cortam a avenida Monsenhor Tabosa, na Praia de Iracema, começam a ser liberadas. Na manhã deste sábado (23), o fluxo de veículos na rua Gonçalves Ledo foi liberado. No próximo sábado (30), será a vez da rua Nogueira Acioli.

Em reunião nessa sexta-feira (22), com lojistas da Monsenhor Tabosa, o secretário de Turismo de Fortaleza (Setfor), Salmito Filho, destacou a qualidade das obras na requalificação de um dos principais corredores turísticos da cidade.

“A população já pode conferir a nova pavimentação e o novo piso das calçadas em trechos já liberados. A qualidade dos materiais empregados é uma cobrança constante do prefeito Roberto Cláudio e os trabalhadores da obra estão de parabéns pela excelência no serviço”, ressaltou o secretário.

Dizem que é Natal…

198 2

Em artigo no O POVO deste sábado (23), o médico, antropólogo e professor universitário Antônio Mourão Cavalcante comenta do consumismo no Natal. Confira:

A cidade começa a ficar mais iluminada. Estas luzes anunciam o Natal. Então a festa se inicia.

E o comércio se agita. É hora de consumir. Nas empresas e repartições públicas, os mesmos de sempre engajam-se na organização de “nossa festa de Natal!” Haverá a leitura de uma mensagem – natalina, naftalina – e depois, a troca de presentes, nominada eufemisticamente de “amigo secreto”.

Confesso que as luzes multicores me animam. As praças ficam mais alegres. As pessoas se inauguram em outro clima. É Natal!

No começo, diríamos que o propósito é proclamar a vinda de Jesus, o filho de Deus feito homem. Alegria… Mas a outra “religião” – segundo Walter Benjamin – gradativamente tomou conta da festa, tornando-se um grande festival de consumo. Por isso, tantas luzes brilhantes em torno dos “templos” dessa nova e ousada religião. A oferta do paraíso agora, com o seu cartão de crédito, em módicas prestações mensais.

Dentro do templo, que pode ser – por exemplo – um shopping, ícones piscando, oferecendo novas fontes de prazer: o iPod, iPad, laptop, celulares espertos, cine – televisões gigantes, perfumes importados, sapatos esportes, calças jeans, enfim… tudo a seus pés e gosto. Ninguém saberia superar estas tão extraordinárias ofertas de prazer e felicidade. “O capitalismo acaba com o que é encantamento, dissolvendo tudo em prol da mercadoria, do dinheiro, do mercado, das coisas prosaicas”, diz Michel Löwy.

Daí, aprecio tudo isso com um misto de aflição e melancolia. Como cordeiros adestrados, seguimos naquela fila do consumo sem fim e sem nexo, para onde?

No dia 25 de dezembro, pela manhã, depois da festa concluída, com um misto de arrependimento e ressaca… resta esperar, nas grandes lojas, o gigantesco queima de Natal. Elas ainda precisam sugar as últimas gotas de sangue dos fiéis (consumidores) da nova ordem…

Confesso que, conhecendo o percurso desse período, as luzes piscando, a música sendo sinos tocando, me invade uma nostalgia. Saudades do tempo em que íamos ver a lapinha na Igreja e depois assistir à Missa do Galo. Tudo muito simples. Comer o bolo com suco, tudo feito em casa e, dormir de barriga cheia, esperando que Papai Noel deixasse um presente bem legal.

Redesenho do trânsito. E da cidade

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (23), pelo jornalista Érico Firmo:

O problema do trânsito em Fortaleza vai muito além de obras. É um equívoco de concepção, de organização e distribuição espacial da cidade. O desenho urbano foi formatado para o deslocamento diário de grandes levas de trabalhadores entre as áreas centrais e as periferias.

Como uma das menores capitais brasileiras em área – fica à frente apenas de Vitória (ES), Natal (RN), Aracaju (SE), João Pessoa (PB) e Recife (PE) nesse critério – metrópole com esse perfil caminha rapidamente para a inviabilidade diante da explosão populacional. Fortaleza é, disparadamente, a mais populosa dessas pequenas capitais. Simplesmente não há espaço para grandes contingentes se deslocarem todos os dias na mesma direção e depois retornaram aos seus locais de origem.

Nesse sentido, há interessante concepção em duas das avenidas para as quais a Prefeitura obteve financiamento de Dilma Rousseff (PT). A presidente anunciou R$ 717 milhões para obras de cinco faixas exclusivas para ônibus. O maior volume, R$ 298 milhões, é para o chamado BRT que ligará a Messejana ao Antônio Bezerra, via Perimetral. A ideia é transformar o trecho em via expressa. Não será sem polêmica, pois, para tanto, serão construídos nove túneis ou viadutos para eliminar semáforos.

Intervenções, sobretudo essas últimas, que reconhecidamente provocam degradação do ambiente urbano. Mas há aspecto inegavelmente positivo, que é a ruptura com a lógica da cidade que se move necessariamente entre centro e periferia. Será possível se deslocar entre extremos sem passar pelo coração de Fortaleza.

Do ponto de vista dos primeiros passos de uma redistribuição espacial, é promissor. No pacote que teve dinheiro liberado por Dilma, também está o prolongamento da atual Via Expressa, conforme concebida na gestão Juraci Magalhães. Haveria continuidade a partir da Raul Barbosa, por dentro do Lagamar, passando por baixo do viaduto previsto para onde hoje está a rotatória da Aguanambi, prosseguindo pela Eduardo Girão, avenida do canal do Jardim América, até o trilho da Jovita Feitosa e de lá até a Escola de Aprendizes de Marinheiro, no Jacarecanga. Uma versão menor do anel viário que será constituído de Messejana ao Antônio Bezerra, também sem passar pelas regiões centrais. Intervenções que renderão muito – necessário – debate, mas que colocam sobre a mesa interessante novidade no ordenamento espacial do trânsito e de seus fluxos.

Secretários e secretarias politicamente corretas

Em artigo no O POVO deste sábado (23), o editor-adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, avalia a questão política de algumas pastas na gestão Roberto Cláudio. Confira:

Em dezembro do ano passado a repórter Raquel Maia e eu entramos na sala do então presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio, para uma entrevista com o já prefeito eleito de Fortaleza. O encontro aconteceu horas depois de RC ter anunciado o seu secretariado. Ao nos receber, perguntou de chofre sobre o que havíamos achado dos nomes.

Não me contive e respondi afirmando que o perfil dos secretários indicava que Roberto Cláudio iria, a partir dos anúncios, centrar fogo em áreas de forte apelo, como saúde, educação e infraestrutura, dando carta branca para que determinados nomes cimentassem a cara da gestão a partir de seus perfis.

Por outro lado, também disse que estrategicamente manteve secretarias politicamente corretas, ocupadas por pessoas politicamente corretas. O prefeito estranhou, mas disse-lhe que, de fato, havia secretarias ali que não iriam contribuir em nada com a gestão, mas que garantiriam o aspecto politicamente correto da gestão.

Quanto aos nomes politicamente corretos, destaquei que eram aqueles envolvidos com grupos de pressão, academia, imprensa etc, que por si, servem como anteparo a qualquer crítica mais contundente. Aproveitei e questionei ao prefeito se aquilo tinha sido intenção ou não.

Roberto Cláudio sorriu meio amarelo e mudou de assunto. Há menos de um ano da conversa, talvez seja cedo para cobrar ações efetivas de algumas dessas pastas. Também não vou aqui apontar quais delas seriam as tais politicamente corretas. Levo em conta ainda que o leitor minimamente informando deve saber sobre quais órgãos estou me referindo.

O fato é que, das 22 pastas com status de secretaria da atual gestão municipal, excluindo-se as Regionais, grande parte está a dever ao fortalezense o sentido verdadeiro de sua criação. Arrisco a dizer também que esse marasmo deve perdurar até o fim da administração Roberto Cláudio, sem que ao final se possa afirmar com clareza a real missão dessas pastas.

Do lado da prefeitura, em termos de opinião pública, não deixa de ser positivo a manutenção dessas pastas, já que joga para a sociedade a preocupação com temas midiáticos, mesmo que os resultados sejam pífios. Resta saber se RC as manteve por estratégia política ou as considera importante.

Antes de elogiar irmãos Ferreira Gomes, Dilma destaca perfil de Eunício Oliveira

213 1

foto dilma e eunício

Quem esperou uma “pista” da presidente Dilma Rousseff do apoio do Palácio do Planalto à eleição ao Governo do Ceará, certamente ficou mais confuso. Antes de elogiar Ciro, por sua “coragem” e “dignidade”, e destacar Cid Gomes por “uma das parcerias mais bem entrosadas e mais bem sucedidas” de sua administração, Dilma Rousseff ressaltou o senador Eunício Oliveira pela sua relatoria em matérias voltadas ao homem do campo.

Durante o discurso da assinatura da ordem de serviço de construção da Linha Leste do Metrofor, a presidente voltou a destacar o senador cearense pelo apoio político ao Palácio do Planalto.

Pelo visto, Dilma quer que os próprios aliados tratem de suas divergências nos estados.

Marinha faz concurso cultural sobre a Antártica para estudantes

Estão abertas até o dia 10 de janeiro de 2014 as inscrições para o concurso cultural O Brasil na Antártica, promovido em âmbito nacional pela Marinha do Brasil. Estudantes de 15 a 19 anos do ensino médio de escolas públicas e particulares interessados em participar do concurso deverão produzir um vídeo, de no máximo três minutos, sobre importância das atividades do Brasil no continente.

A competição vai selecionar quatro vídeos, dois de alunos da rede pública e dois da rede privada. Os vencedores vão ganhar uma viagem para a Antártica e poderão escolher um professor para acompanhá-lo. O resultado será divulgado no dia 24 de janeiro e a viagem está programada para fevereiro de 2014.

Segundo o secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar e coordenador do concurso, contra-almirante Marcos Silva Rodrigues, o objetivo é estreitar a relação entre os jovens e o continente, além de destacar a importância da Antártica para o Brasil.

“A Antártica tem a maior reserva de água doce do mundo, compreendendo 76% da reserva total, além de influenciar no clima do Brasil. Atualmente nós e a Aeronáutica damos o suporte e a logística necessários às pesquisas desenvolvidas por universidades no continente”, explicou.

Para participar, o aluno interessado deve acessar o site www.secrim.mar.mil.br, preencher o questionário de inscrição e enviar o vídeo pelo correio para a sede da Secretaria Interministerial para os Recursos do Mar (Secrim), na Esplanada dos Ministérios, Bloco N, Anexo B, terceiro andar, em Brasília (DF).

(Agência Brasil)

Grupo de trabalho apresentará relatório sobre situação de emergências médicas

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realiza na terça-feira (26) o seminário “Caos no Atendimento de Urgência/Emergência no Brasil”. No evento, será apresentado um diagnóstico do grupo de trabalho que verificou a situação do setor no País.

O grupo visitou os principais hospitais públicos dos estados da Bahia, de Mato Grosso, do Pará, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e de Rondônia e também do Distrito Federal. Dirigentes de entidades e organizações de saúde acompanharam as vistorias, assim como representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Ministério Público e da imprensa.

Durante as vistorias, a comitiva encontrou nos hospitais pacientes sem a atenção necessária, superlotação, insuficiência de profissionais, falta de medicamentos, banheiros sujos e usuários internados há dias sem perspectiva de atendimento.

O relatório sobre as visitas será debatido no seminário, com o objetivo de propor soluções e melhorias para as emergências médicas. O documento será assinado por todas as entidades e instituições participantes do grupo de trabalho e será formalmente entregue aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado e ao Conselho Nacional de Justiça, à Procuradoria-Geral do Ministério Público Federal e ao Ministério da Saúde.

(Agência Câmara Notícias)

Procurador prevê retração no crédito se STF anular planos econômicos

O procurador do Banco Central, Isaac Sidney Menezes Ferreira, disse nessa sexta-feira (22) que o sistema bancário deve ter prejuízo aproximadamente R$ 149 bilhões se o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que os bancos devem pagar diferença nas perdas no rendimento de cadernetas de poupança causadas pelos planos econômicos Cruzado (1986), Bresser (1998), Verão (1989), Collor 1 (1990) e Collor 2 (1991).

O procurador, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, reuniram-se com o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, e com outros ministros para defender a manutenção da validade dos planos.

O Supremo marcou para a próxima quarta-feira (27) o julgamento da ação na qual a Confederação Nacional do Sistema Financeiro (Consif) pretende confirmar a constitucionalidade dos planos econômicos. Na mesma ação, o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) pede que os bancos paguem aos poupadores os prejuízos financeiros causados pelos índices de correção dos planos inflacionários. Ao todo, 390 mil processos estão parados em várias instâncias do Judiciário aguardando a decisão do Supremo.

De acordo com o procurador do BC, o governo federal prevê a retração de crédito nos bancos públicos e privados, com a redução de crédito no sistema financeiro. “Se a decisão for favorável à tese dos poupadores, isso vai significar perda de R$ 105 bilhões em valores de 2005 e R$ 149 bilhões em valores de 2013, atualizados. Significa reduzir um quarto do capital do sistema financeiro nacional com impactos para concessão de crédito, significa uma retração de crédito na ordem de R$ 1 trilhão”, ressaltou.

(Agência Brasil)

Uma cidade não vive sem teatro

173 1

Em artigo no O POVO deste sábado (23), o secretário da Cultura de Fortaleza, Magela Lima, destaca o Festival de Teatro de Fortaleza. Confira:

Fortaleza, como todas as cidades, graúdas ou miúdas, carece de muitas coisas. A nós, nos faltam calçadas, esgoto, transporte, áreas verdes… Sobretudo, falta poesia a Fortaleza. E a poesia, como ensina Manoel de Barros, nasce do desimportante. “As coisas sem importância são bens de poesia”, diz. Das artes, a que menos move cifras e seduz manchetes de jornal, o teatro é, sem sombra de dúvida, um bem de poesia.

Em sua desimportância, entretanto, o teatro segue ímpar à vida comum. Na medida em que as cidades surgem da crença de que, juntos, os homens seriam capazes de resolver seus problemas cotidianos, como insegurança e escassez de água, o teatro é peça chave. Possível tão somente pelo encontro, o teatro nos faz perceber que não (e nunca) estamos sós. E mais: nos faz perceber e aceitar que, sozinhos, não fazemos sentido algum.

Em sua nona edição, o Festival de Teatro de Fortaleza, que segue até o próximo dia 30, se nutre desse entendimento. Envolvida pela poesia do teatro, a cidade se encontra durante uma semana para olhar para si e se acarinhar. A cidade e o desejo de se reencantar conduziram o alinhavar de uma programação que se quis pública num sentido extremo. Cada artista, cada cena, cada espetáculo reunidos têm a pretensão de fazer com que Fortaleza possa se pensar e se aplaudir. Sim, porque há muito sobre o que se pensar, como também há muito o que se aplaudir.

Com curadoria assinada pelo crítico teatral Kil Abreu, a programação foi pensada, desde o primeiro momento, de forma pulverizada e compreendida, acima de tudo, numa dinâmica formativa. O Festival de Teatro de Fortaleza quer ser uma grande e potente escola. Artistas e públicos locais, dos mais experientes aos ainda iniciantes, terão, pois, a oportunidade de aprofundar aquilo que já sabem e se dar conta daquilo que ainda precisam saber sobre o teatro, sobre a vida e sobre o mundo. Que cada um possa extrair daí o máximo de poesia.