Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Pesquisa relaciona obesidade infantil a tempo que as crianças permanecem na frente da TV

Pesquisa divulgada pela Universidade de Coimbra indica que pode haver relação entre a obesidade infantil e o tempo em que as crianças assistem à televisão ou usam o aparelho de TV para brincar com jogos eletrônicos. Feita na década passada, a pesquisa ouviu 17.424 crianças de 3 a 11 anos e seus parentes em todas as regiões de Portugal.

O estudo mostra que, apesar de Portugal ter sistema integral de ensino, com as crianças passando a manhã e a tarde na escola, 28% de meninos e 26% de meninas assistem a mais de duas horas de televisão por dia. Nos fins de semana, a proporção sobe significativamente: 75% meninos e 74% meninas. O parâmetro de duas horas é sugerido pela Academia Americana de Pediatria.

Em Portugal, três de cada dez crianças (6 a 10 anos) são consideradas acima do peso e 14% são classificadas como obesas. De acordo com a coordenadora do Centro de Investigação em Antropologia da Saúde, da Universidade de Coimbra, Cristina Padez, o problema do alto consumo da TV está relacionado ao comportamento sedentário. “Não é só a TV, é preciso observar a alimentação, o estilo de vida e a organização dos pais”, disse à Agência Brasil.

Dados divulgados pela Associação Portuguesa contra a Obesidade Infantil (Apcoi), assinalam que 57% das crianças que vivem no país não caminham para ir à escola; 90% comem lanches tipo fast food quatro vezes por semana e apenas 2% consomem frutas todos os dias.

Segundo Cristina Padez, os indicadores de Portugal são semelhantes aos de outros países do Sul da Europa, como a Espanha, a Itália e a Grécia, e guardam semelhança com o que acontece no Brasil. “O mundo é globalizado. Há um conjunto de maneiras de viver semelhantes. Todos esses problemas são consequência do desenvolvimento econômico e social”, enfatizou Cristina.

A cientista social ressaltou ainda que a vida em grandes cidades, com poucos lugares para atividades de crianças ao ar livre, ou sob risco de violência, faz com que muitos meninos e meninas passem horas vendo TV. As emissoras de televisão, com o avanço tecnológico e o interesse no consumo infantil, “tornaram-se mais apelativas” para as crianças, com programas e canais dirigidos ou acoplados a jogos eletrônicos.

(Agência Brasil)

CAS vota na quarta dedução de encargos de empregados com mais de 50 anos

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) deverá votar na quarta-feira (17) projeto de lei que permite às pessoas jurídicas deduzir em dobro as despesas com salários e encargos sociais de empregado com idade igual ou superior a 50 anos.

O PLS 131/2013, apresentado pelo senador Eduardo Amorim (PSC-SE), é relatado pelo senador Benedito de Lira (PP-AL), favorável à aprovação do texto. A matéria ainda passará pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) em decisão terminativa.

Ao justificar o projeto, Amorim afirma que os funcionários mais experientes sofrem a exclusão do mercado de trabalho justamente na época da vida que mais necessitam de estabilidade. Isso ocorre, assinala, porque esses trabalhadores representam um alto custo para os empregadores, por conta de salários e encargos sociais maiores.

Dessa forma, diz Amorim, o projeto poderá representar uma compensação para o empregador que mantenha em seus quadros os trabalhadores mais experientes, vez que o acréscimo do custo da sua mão de obra estaria compensado com a redução correspondente no seu Imposto de Renda.

(Agência Senado)

Banheiros completam 9 meses sem uso, apesar de concluídos

243 2

term parangaba banheiros

Em julho de 2011, a então gestão Luizianne Lins anunciou a reforma do banheiro masculino no piso do terminal da Parangaba, além da construção do banheiro feminino e de um elevador para pessoas com necessidades especiais. As obras foram concluídas ainda na gestão anterior, mas um “imbróglio” entre a Prefeitura de Fortaleza e a Caixa Econômica Federal impedem a inauguração dos equipamentos de primeira necessidade à população.

Há cinco meses, o coordenador do terminal, Vilemar Brito, disse ao Blog que aguarda com ansiedade a inauguração dos banheiros no andar térreo para que possa dar início às reformas dos banheiros do piso superior, que sofrem com encanação precária e estrutura deficiente.

Usuários com necessidades especiais e idosos acabam em situação vexatória, quando precisam fazer uso dos banheiros e não têm como subir a escadaria que dá acesso ao piso superior. Apesar de imprescindíveis à população, o Ministério Público ainda não se pronunciou sobre a questão dos banheiros do terminal da Parangaba.

DETALHE – Bom seria se nossos políticos e agentes da Justiça fossem obrigados a viver um dia no mês como a população, com direito a ônibus superlotados e atendimento pelo SUS.

Chanceler alemã defende regulação europeia contra espionagem

159 1

alemanha merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu neste domingo (14), em entrevista à televisão pública do país, a implementação de uma regulamentação europeia para proteger melhor os dados privados dos cidadãos disponíveis na internet.

Angela Merkel defende que “as empresas da internet, o Facebook, o Google, e outras, sejam obrigadas a indicar nos países europeus a quem transmitem os dados” dos seus usuários. Essa medida, disse, deveria “fazer parte de um acordo europeu sobre a proteção de dados”.

Na entrevista ao canal público alemão ARD, Angela Merkel destacou os resultados da viagem a Washington, na semana passada, do ministro do Interior alemão, Hans-Peter Friedrich, para obter esclarecimentos do governo norte-americano após a revelação da existência de um programa mundial de vigilância de comunicações eletrônicas pelos Estados Unidos.

“Foi dito claramente ao ministro do Interior que não havia espionagem industrial visando empresas alemãs”, disse Angela Merkel, acrescentando que a Alemanha está disponível para trabalhar “em conjunto [com os Estados Unidos] contra o terrorismo, mas é preciso garantir, por outro lado, a proteção de dados dos cidadãos”.

A dois meses das eleições legislativas na Alemanha, a oposição acusa Merkel de ter conhecimento de espionagem contra cidadãos alemães.

(Agência Lusa)

“Criança pode trabalhar, quando o trabalho ajuda a construir o seu caráter”

personagem 130714 josé chaves

Aos 12 anos de idade, José Chaves andou quase dois dias para se inscrever no Bolsão da Seca do município de Morada Nova, no Baixo Jaguaribe. Após se sustentar somente com farinha e água e dormir ao relento, o menino descobriu no ato da inscrição que precisaria ter, no mínimo, 14 anos. Mesmo assim, teria que trabalhar ao lado dos pais.

“Lembro da minha frustração e da fome que sentia. Tive que voltar todo o trajeto de mãos abanando. Chorei por não ter como ajudar a minha família, que também passava fome no distrito onde morávamos. Hoje tenho consciência que o meu esforço não foi em vão, pois ajudou a moldar o meu caráter”, contou José Chaves, atualmente vendedor de batatas fritas na Praça do Carmo, no Centro de Fortaleza.

Ao voltar para casa, o menino não desistiu em ajudar a família e pescava durante o dia e caçava às noites. “Eu ficava sozinho nas matas com dois cachorros. Tinha sorte, sempre trazia algum (tatu) peba. Somente uma vez eu vi uma visagem (assombração), mas eu sempre fui muito centrado em minhas coisas e não dei importância. Se tivesse chegado mais perto, eu atiraria”, comentou.

Aos 17 anos, José Chaves decidiu ir para onde acreditava haver muito trabalho e chegou a Fortaleza, no bairro Messejana, após carona com caminhoneiros. “Vim com o endereço de uma tia, mesmo sem ela saber. Fui bem recebido pelo marido dela, que logo me levou para trabalhar em uma obra”, lembra.

O momento mais difícil ocorreu no Natal de 1987, quando o então adolescente decidiu explorar a cidade. “Nunca havia andado de ônibus e não sabia que teria que dar sinal para descer. Lembro que pulei do ônibus, quando ele diminuiu a velocidade. Mesmo assim, me machuquei. Acho que até hoje o motorista e os passageiros não entenderam nada”, ressaltou.

Casado e pai de uma menina de 5 anos, o vendedor de batatinhas deseja que a filha estude bastante durante a infância e a adolescência. “É muito difícil descobrir as coisas na hora, sentindo na pele. Melhor ter um conhecimento sobre tudo”, disse.

Gastos nas férias podem crescer até 100% e exigem planejamento, diz educador financeiro

No mês de julho os gastos são mais altos para quem tem filhos por causa das férias escolares. A família precisará desembolsar com viagens ou, se ficar em casa, com o aumento das despesas pelo fato de as crianças passarem mais tempo ligadas na televisão e no computador e também porque querem fazer passeios. Os custos podem ficar até 100% acima dos habituais, de acordo com a projeção do educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Dsop Educação Financeira. Por isso, é aconselhável fazer um planejamento para o período.

“Quando estamos em casa abrimos mais a porta da geladeira, tomamos mais banhos, acendemos mais as luzes, assistimos mais à televisão e usamos mais o computador. Isso pode elevar de 20% a 30% os gastos de uma família, ou até mais. Todos devem ficar atentos aos exageros. Com saídas para passeios em shoppings e afins o custo pode subir até 50%. Se a família for viajar, dependendo de para onde, pode ter gastos extras equivalentes à renda de um mês”, analisa Domingos.

De acordo com ele, a melhor forma de evitar que as despesas da época de férias desestabilizem o orçamento é fazer um diagnóstico prévio da situação financeira para determinar como todos devem se comportar. No caso de uma viagem, a organização deve começar meses antes. O ideal é poupar ou pagar com antecedência as passagens e os hotéis. Dessa forma, a família evita usar o dinheiro da planilha do mês de julho com essas despesas. Nas duas situações, é importante que o esforço para economizar ou não extrapolar seja negociado com todos os membros da família.

(Agência Brasil)

Plenário pode concluir votação de projeto dos royalties nesta semana

A votação do projeto de lei que direciona os recursos dos royalties do petróleo à educação e à saúde (PL 323/07) é a prioridade do Plenário na terça-feira (16) e na quarta-feira (17). O texto conta com urgência constitucional e tranca os trabalhos. Os deputados já votaram o parecer do relator, deputado André Figueiredo (PDT-CE), e mantiveram a maior parte do texto da Câmara.

Entretanto, se algum dos destaques for aprovado, o texto pode mudar. Desses destaques, três apresentados pelo PMDB retomam a redação do Senado.

A principal diferença entre as duas versões é quanto ao uso dos recursos que serão alocados no Fundo Social. Esse fundo receberá os royalties da União conseguidos com os contratos de concessão de áreas de pré-sal, com parcela do bônus de assinatura e por rendimentos obtidos com a venda da parcela de óleo que caberá ao governo federal nos contratos de partilha de produção.

O texto da Câmara permite o uso de 50% dos recursos do Fundo Social para a educação até que se atinja o percentual de 10% do PIB aplicado no setor, segundo meta do Plano Nacional de Educação (PNE).

Já o texto do Senado permite o uso de 50% dos rendimentos do fundo (e não de seu valor total), o que diminuiria o montante a ser aplicado em curto e médio prazo. O governo defende a proposta aprovada no Senado.

(Agência Câmara Notícias)

Jegue vira atração na Tabuba

foto eliomar 130714 paulo moska

Além da praia e do sol, turistas e frequentadores da praia da Tabuba, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, encontraram uma nova atração neste domingo (14).

Jegues a caráter das savanas africanas chamaram a atenção de quem passeava pelas areias da praia. Com direito e um passeio, por alguns trocados.

(Foto: Paulo MOska)

Dominguinhos deixa UTI

O músico Dominguinhos, de 72 anos, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, onde está se tratando desde janeiro, quando foi transferido do Hospital Santa Joana, no Recife. Segundo o boletim médico divulgado na noite desse sábado (13), o quadro do cantor e compositor é estável.

Dominguinhos havia sido transferido para a UTI no início do mês com quadro de arritmia cardíaca, oscilação de pressão arterial e infecção respiratória. Na ocasião, o músico respirava com a ajuda de aparelhos.

O compositor, sanfoneiro e cantor passou mal poucos dias após show, no dia 13 de dezembro, em homenagem a Luiz Gonzaga, na cidade de Exu (PE). O artista teve várias paradas cardíacas e foi hospitalizado com quadro de arritmia e infecção respiratória na capital pernambucana, complicações de um câncer de pulmão.

Dominguinhos tem uma carreira de mais de 50 anos – sua primeira gravação foi aos 16 anos, em um disco de Luiz Gonzaga – e coleciona prêmios, entre eles o Grammy Latino de Melhor Disco Regional, em 2002, com Chegando de Mansinho; o Prêmio da Música Brasileira, conquistado em 2008; e o Prêmio Shell de Música, em 2010.

(Agência Brasil)

“Reduzir a maioridade penal é o caminho mais fácil para não enfrentar as verdadeiras causas da violência juvenil”, diz Patrícia Saboya

186 4

patrícia saboya 130714

Para a deputada estadual Patrícia Saboya (PDT), a falta de um sistema protetivo eficaz faz com que jovens acabem na criminalidade. “A questão está em compreender os fatores que levam os jovens à criminalidade e a violência não está restrita aos delitos, mas, principalmente, às desigualdades sociais”, afirmou a deputada, em enquete no O POVO deste domingo (14), sobre os 23 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Para Patrícia, houve avanços no País, após a implantação do ECA, diante da “efetivação dos direitos de crianças e adolescentes, pela família, sociedade e poder público, que juntos, permitem o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência”.

Patrícia Saboya lamenta a proposta no Congresso Nacional em reduzir a maioridade penal para 16 anos. “Reduzir a maioridade penal é o caminho mais fácil para não enfrentar as verdadeiras causas da violência juvenil. Mas, por que não cumprir o que determina o ECA? Já temos a Lei. A mesma pressão para se reduzir a idade penal deveria ser revertida em indignação para que os governantes fizessem valer um Estatuto que nunca foi prioridade”, comentou.

Crise criadora

102 5

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (14):

Nada como uma crise para revelar o estofo dos indivíduos que lidam com ela; o desnivelamento das forças e dos interesses até então encapuzados; enfim, a retirada das máscaras. Mas, não só: a revelação das novas forças emergentes e a descarga de energias criativas, destinadas a moldar uma nova realidade.

Na primeira parte, viu-se que o Congresso Nacional está nu e não representa o povo. E que os cidadãos brasileiros começam a perceber que estão ali os fatores que amarram o País: não propriamente a instituição congressual em si, mas, a amálgama de forças apodrecidas que capturaram o Congresso e o tornaram refém e instrumento dos interesses dessas forças que não têm nada a ver com os da maioria da sociedade, nem têm correspondência com voto de quem foi à urna escolher um representante.

Por outro lado, emerge um cidadão coletivo, inconformista, que acaba de descobrir que é detentor de uma força insuspeita, escondida até então pela alienação e que pode ser utilizada para recuperar os instrumentos decisórios há muito sequestrados pelos usurpadores da soberania popular.

Padre Elvis é assassinado ao reagir a assalto

187 11

O diretor do diretor do Centro Educacional da Juventude Pe. João Piamarta, padre Elvis Marcelino de Lima, foi morto em assalto às 22h10, deste sábado (13), na Praia de Iracema.

Segundo os policiais da Delegacia de Homicídios, o padre foi abordado ao entrar no próprio carro, na rua José Avelino esquina com rua Senado Almino, reagiu ao assalto e foi baleado. A vítima morreu no local do crime.

A Polícia já identificou a dupla de assaltantes que na mesma noite já havia realizado um assalto na Praia de Iracema, fugiu com o carro e nas proximidades do Banco Central assaltou outro carro, sem vítimas.

O velório do padre Elvis Lima será na Capela do Centro Educacional da Juventude Pe. João Piamarta, na Av. Aguanambi, 2479, Bairro de Fátima.

(O POVO Online)

Dinheiro do futebol brasileiro passa pelo tráfico de drogas, corrupção política e países terroristas

730 1

 charge eliomar 130714 futebol corrupção

O grito de gol do torcedor brasileiro, muitas vezes ecoa no grito da dor de famílias que perderam seus filhos para o tráfico de drogas, na miséria causada pela corrupção política ou ainda na brutalidade de um atentado terrorista.

A constatação é do Grupo de Ação Financeira (Gafi), órgão internacional de combate à lavagem de dinheiro, que apresentou um relatório em que países como o Brasil usam o futebol para a lavagem de dinheiro no exterior – algumas vezes em países como a Coreia do Norte, que é apontada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas como financiadora do terrorismo -, que retornam ao Brasil para a corrupção política.

De acordo ainda com o relatório do Gafi, a lavagem de dinheiro no futebol brasileiro é motivada pela quase nenhuma fiscalização da origem do dinheiro dos clubes – às vezes vindo do tráfico de drogas ou de armas -, além da dificuldade de avaliação dos preços dos atletas negociados e da pouca punição aos clubes, quando descobertos nos crimes financeiros.

Segundo a reportagem do jornal Folha de S.Paulo, neste domingo (14), o Corinthians, o Palmeiras e o Atlético Mineiro negociaram atletas nos últimos anos diretamente com empresas instaladas em paraísos fiscais. De acordo ainda com a reportagem, também há casos de “contratos fantasmas”, quando as transações no exterior e o montante envolvido deram entrada no Banco Central do Brasil como “não informadas”. Dados do BC apontam que, nos últimos 10 anos, a movimentação de compra e venda de atletas no exterior somam R$ 4,5 bilhões.

(com agências)

Operadoras de telefonia móvel poderão alugar redes para sistemas de localização de pessoas

181 1

Já está valendo a lei que permite às operadoras de telefonia celular alugarem suas redes para a implantação de sistemas de localização de pessoas desaparecidas. A Lei 12.841 foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e altera a Lei Geral de Telecomunicações para estabelecer essa possibilidade.

O autor do projeto de lei que foi aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado, deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), explicou que o principal objetivo da proposta é integrar todas as informações sobre pessoas desaparecidas para facilitar a sua localização. “Colocar na internet os dados das pessoas desaparecidas tem um alcance muito maior do que colocar um folheto nas paredes das delegacias”, avaliou. Outra ideia do projeto é o uso do sistema GPS para localização de celulares de pessoas desaparecidas.

A lei não estabelece como será a remuneração das operadoras pelo uso das redes, apenas diz que o sistema de localização está sujeito às regras de mercado. Colatto prevê que os governos poderão fazer convênios com as empresas para interligar as informações. “Ou as empresas podem prestar um serviço social, depois diluem dentro do processo”, disse.

Ele lembrou que muitas vezes os desaparecidos são pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos, ou com limitações de natureza mental. “O governo pode, em um clique, integrar todas as informações sobre pessoas desaparecidas no país inteiro. Com isso, vai ter um instrumento muito forte de acesso facilitado das pessoas”, explicou.

(Agência Brasil)

Aumentos de impostos serão insuficientes para financiar melhorias no transporte público

Anunciadas nas últimas semanas em resposta às pressões das ruas, as medidas que pretendem baratear e melhorar a qualidade do transporte público acenderam outro debate. Os aumentos de tributos propostos até agora serão insuficientes para financiar as obras, as desonerações e as reduções de tarifas prometidas, em uma conta que, até agora, aproxima-se de R$ 60 bilhões.

No fim de junho, a presidenta Dilma Rousseff prometeu um pacote de R$ 50 bilhões para melhorar a mobilidade urbana. Em agosto, o Senado pretende votar o passe livre nacional para estudantes, que deverá consumir mais R$ 5,5 bilhões por ano segundo o próprio presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

A conta ficará ainda maior com a ampliação das desonerações para as empresas de transporte público, aprovada pelo Senado no último dia 2 e que seguiu para a Câmara dos Deputados. O impacto ainda não está estimado, mas o ministro da Fazenda, Guido Mantega, adiantou que não existe espaço fiscal para novas desonerações.

Para financiar a melhoria do transporte coletivo, diversas propostas de aumento de impostos surgiram nas últimas semanas. O Movimento Passe Livre (MPL) defende o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para automóveis a fim de financiar o transporte público. O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) protocolou, no início do mês, uma proposta de emenda à Constituição na Câmara para taxar jatinhos, helicópteros, lanchas e iates usados sem finalidade comercial.

Os reajustes tributários sugeridos até agora, no entanto, compensarão apenas parcialmente o pacote de bondades para o transporte público. De acordo com o Sindifisco Nacional, a cobrança de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) sobre embarcações aéreas e aquáticas de uso pessoal gerará receitas de R$ 2,7 bilhões por ano caso a alíquota máxima de 4% seja aplicada pelos estados e pelo Distrito Federal, que detêm o controle do imposto. Já a revogação do IPI reduzido para os veículos aumentaria a arrecadação em R$ 4,2 bilhões por ano, de acordo com o Ministério da Fazenda.

Na melhor das hipóteses, os aumentos de impostos compensariam apenas as desonerações já em vigor para o transporte coletivo. Desde janeiro, as empresas de transporte urbano, assim como os fabricantes de ônibus e equipamentos ferroviários, estão incluídas na desoneração da folha de pagamentos, que farão o governo deixar de arrecadar R$ 1,98 bilhão este ano. Em junho, o governo zerou o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) das passagens, acarretando a renúncia de pelo menos R$ 1,2 bilhão em 2013.

(Agência Brasil)

Comissão aprova inclusão de moradias móveis no Minha Casa, Minha Vida

A Comissão de Desenvolvimento Urbano aprovou proposta (PL 5094/13) que equipara as moradias móveis (trailer e motor home) de populações itinerantes a habitações populares para que possam receber financiamento do programa Minha Casa, Minha Vida. O objetivo do texto é atender grupos como ciganos e artistas circenses.

O relator, deputado Paulo Foletto (PSB-ES), destaca que as populações itinerantes, “por razões evidentes”, não podem morar em imóveis. “É justo, portanto, que o Minha Casa, Minha Vida ajude essas comunidades a adquirir ou reformar suas habitações móveis”, afirma.

Pelo texto, as populações itinerantes terão direito não só à compra, mas também à reforma de suas moradias.

Na justificativa, o autor da proposta, deputado Tiririca (PR-SP), lembra que só os artistas de circo, que estão à margem do programa habitacional do governo, somam cerca de 25 mil pessoas no País.

(Agência Câmara Notícias)