Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Assédio faz vereador deixar o bairro onde nasceu e morou a vida inteira

118 10

Moradores do bairro Bom Jardim estão lamentando o sumiço do vereador Antônio Farias de Sousa, o “A Onde É”, 37, que, neste domingo (6), decidiu fazer a sua mudança para uma outra moradia.

O assédio de eleitores e vizinhos, por emprego e ajuda com dívidas, teria motivado a mudança de endereço. A pergunta mais frequente no bairro agora é: “A Onde É que foi parar o vereador”?

O assédio aos vereadores novatos, eleitos pelas comunidades carentes, é um dos assuntos mais comentados nos bastidores da Câmara Municipal de Fortaleza.

Começo de jogo

84 4

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (6), pelo jornalista Valdemar Menezes:

Desde a última quarta feira, as novas gestões municipais entraram em ação para dar conta da missão a que se comprometeram. Em Fortaleza, a transmissão de cargo foi civilizada e sem agressões mútuas. Não faltaram, é claro, algumas jogadas de última hora, como a de atribuir à ex-prefeita Luizianne Lins a responsabilidade pelo reajuste da tarifa dos ônibus urbanos.

Na verdade, ela apenas viu-se obrigada a assinar um decreto cumprindo determinação judicial. A Justiça havia atendido a uma liminar dos empresários reivindicando o reajuste. Tanto que o prefeito Roberto Cláudio pretende lutar para que a Justiça recue dessa posição. Ele também fez um apelo para o “desarmamento dos espíritos” e um tempo mínimo para se assenhorar da situação. É justo.

Certamente, isso não deve significar a inaceitabilidade de correção e crítica à gestão, se necessário.

Consumidor poderá ter mais tempo para desistir de compra

No final de ano, período em que tradicionalmente aumentam as vendas, começaram a tramitar no Senado três novos projetos voltados à defesa dos consumidores. Os projetos garantem mais tempo para desistir do contrato e a obtenção de produtos conforme a publicidade veiculada, além de responsabilizar o comerciante quando o produto apresentar defeito.

Os projetos de lei do Senado 457, 458 e 459, todos de 2012, de autoria do senador Wilder Morais (DEM-GO), alteram o Código de Defesa do Consumidor – CDC (Lei 8.078/1990). O PLS 457/2012 caracteriza como objetiva a responsabilidade do comerciante no caso de vício aparente de qualidade do produto. Nessa situação, o comerciante poderia entrar com ação regressiva contra o fornecedor. O projeto também antecipa o prazo de 30 para 15 dias para que o consumidor possa exigir a substituição do produto, a restituição imediata da quantia paga ou o abatimento proporcional do preço nos casos em que o comerciante não puder reparar o produto.

Na justificativa do senador, o projeto pretende coibir a produção de mercadorias de baixa qualidade e garantir o reparo imediato ao consumidor nesses casos. De acordo com o atual CDC, o fornecedor e o comerciante têm responsabilidade solidária nos casos de vícios de qualidade nos produtos, e a reparação deve acontecer após o prazo de 30 dias sem conseguir corrigir o vício.

O PLS 458/2012 aumenta de 7 para 15 dias o prazo para que consumidor se arrependa da compra feita. De acordo com Wilder Morais, o aumento do prazo favorece o consumo consciente.

“Dessa forma, evita-se o superendividamento dos consumidores, haja vista ser o prazo necessário para verificar a necessidade de realização daquela compra, bem como da satisfação do cliente sobre aquele produto”, afirma o senador na justificativa do projeto.

(Agência Senado)

Mandela está recuperado de infecção, diz governo

A Presidência da África do Sul informou que o ex-presidente Nelson Mandela se recuperou de uma infecção pulmonar e da cirurgia de cálculo biliar que o deixaram várias semanas internado em um hospital de Pretória.

O governo emitiu um comunicado, citando fontes médicas, assegurando que Mandela tem progredido de forma constante e continua a melhorar.

O ex-presidente está em sua casa em Joanesburgo desde a alta hospitalar, há 11 dias.

(Agência Brasil)

Com derrota na Capital, partido se volta para o Interior

82 4

Nascido no início da década de 1980 no grande centro industrial do ABC paulista, o PT foi durante muitos anos um partido de atuação praticamente restrita aos grandes centros urbanos. O cenário mudou e nos anos 2000 a sigla ramificou-se pelas áreas interioranas. Em 2012, perdeu algumas capitais, entre elas Fortaleza – após oito anos no comando. Assim como em outros estados, o PT no Ceará terá pequenas e médias cidades sob seu poder. Isso implica em mudanças estratégicas na atuação do partido daqui em diante e, em especial, neste ano, quando serão preparadas as bases para a eleição de 2014.

A avaliação geral no partido, ao menos nos discursos, é de que, apesar de derrotas emblemáticas, o PT sai vitorioso do processo eleitoral de 2012. “Se por um lado perdemos Fortaleza e Juazeiro, por outro ganhamos em municípios como Itapipoca, Sobral, Canindé e Pacajus, que são cidades estratégicas. Então nos sentimos fortes”, afirma o deputado federal José Guimarães (PT). Segundo ele, uma das estratégias a partir de agora é valorizar mais essas prefeituras do Interior, tornando-as “referências de gestão”. O objetivo maior é fomentar o cenário para a eleição presidencial de 2014, quando a presidente Dilma Rousseff (PT) deverá tentar a reeleição.

Logicamente, há também o interesse local. Ter seus prefeitos bem avaliados será fundamental para as aspirações petistas no Estado, seja para lançar nome próprio, seja para barganhar espaços e prestígio caso a aliança com PSB e PMDB se mantenha – hipótese mais provável no cenário atual.

Mesmo dizendo que os eleitos pelo PT são “prefeitos de todas as correntes”, Guimarães reconhece que a maioria desses gestores está direta ou indiretamente ligada a ele. “A maioria têm relação com nosso mandato, até porque cuido bem deles em Brasília”, afirma. O senador José Pimentel (PT) e o deputado federal José Airton (PT) estão na mesma situação, embora com grau de influência menor. Ambos foram procurados por O POVO. Pimentel disse apenas que não comentaria as estratégias do partido. Airton não atendeu nem retornou as ligações realizadas.

O deputado federal Artur Bruno (PT) cita a importância do Interior, mas reconhece que a derrota em Fortaleza “atinge fortemente o partido”. Segundo ele, apesar de avanços, é preciso avaliar os “erros do rompimento com PSB e PMDB”. Bruno diz ainda que é necessário fazer um balanço dos motivos da derrota.

(O POVO)

Inscrições para o Sisu começam nesta segunda-feira

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre as inscrições a partir desta segunda-feira (7) até a próxima sexta-feira (11) para os estudantes que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O sistema oferece 129.279 vagas em 3.751 cursos oferecidos em 101 instituições públicas de ensino superior.

Podem concorrer às vagas todos os alunos que fizeram o Enem e tiveram nota maior que zero na redação. É preciso entrar no site do sistema, para fazer a inscrição. Cada estudante pode selecionar até duas opções de cursos, especificando a ordem de preferência, o nome das instituições e o turno.

Além disso, será possível também escolher a modalidade de concorrência. O Sisu se adequará à Lei de Cotas, de agosto de 2012. As inscrições são gratuitas e as instituições de ensino devem ofertar acesso à internet aos estudantes interessados.

De acordo com o cronograma do Sisu, publicado no Diário Oficial da União do último dia 26, as inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, no portal do Sisu. Para a seleção no primeiro semestre de 2013, vale a nota do Enem 2012, divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 28.

O resultado da primeira chamada do Sisu será divulgado no dia 14 de janeiro e da segunda chamada, no dia 28 de janeiro, no site do Sisu e das instituições. As matrículas serão feitas nas instituições nos dias 18, 21 e 22 de janeiro para a primeira chamada e dias 1º, 4 e 5 de fevereiro para a segunda.

(Agência Brasil)

O que se esperar de Roberto Cláudio?

61 1

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (6), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

Há justificados motivos para se considerar a possibilidade da gestão Roberto Cláudio à frente da Prefeitura de Fortaleza estar intimamente ligada ao projeto administrativo do governador Cid Gomes em relação à Capital. Além de ter se empenhado pessoalmente para elegê-lo, fazendo panfletagem em via pública e até se expondo em demasia para autoridade da sua estatura, ao pilotar triciclo com cores berrantes pela periferia da cidade, o governador já vinha prestigiando RC desde quando o hoje prefeito assumiu cadeira no parlamento estadual. Na curta carreira política de seis anos, Roberto Cláudio foi vice-líder do governo na Assembleia e presidente da Casa, de onde saiu para assumir a prefeitura Fortaleza. Tudo isso graças ao apoio incondicional do governador. Diante dessa trajetória nada mais natural que RC seja grato a Cid Gomes por ascensão tão rápida.

Não à toa, o prefeito repete, sempre que possível, ser Cid referência política para ele. Esperar, portanto, que haja por parte do novo prefeito questionamentos diretos ao governador será querer demais, principalmente pelo próprio perfil pessoal de Roberto Cláudio, conhecido pelo fino trato, mesmo em meio à classe política, tão afeita a rasteiras e armadilhas. Nesse sentido, não custa lembrar que na história política de Fortaleza pós-proclamação da República (1889), poucos foram os gestores da Capital que não estiveram alinhados ao poder estadual. Para se ter ideia, até 1925, os administradores do executivo em Fortaleza, na época os intendentes, eram nomeados pelo presidente do Estado entre os vereadores eleitos. De 1925 até a revolução de 1930, passaram a ser eleitos diretamente pelo povo, mas com forte influência do aparato de poder estadual.

Com a revolução de 1930, os prefeitos passam a ser nomeados agora pelo interventor estadual, sendo que, somente em 1947, volta-se a eleição direta pelo povo, período que perdurou até a instituição do Ato Institucional nº 5, no ano de 1967. Mesmo após o término do período de exceção, foram poucos os momentos em que os prefeitos de Fortaleza se confrontaram diretamente com o poder estadual de plantão. Exemplo disso foi a eleição de Maria Luiza, esta sim, eleita por cima de pau e pedra contra os governos federal e estadual. Depois de Maria vieram Ciro Gomes, Juraci Magalhães, Antônio Cambraia, novamente Juraci, e, finalmente, Luizianne Lins. Destes, com exceção de Juraci, que chegou a se indispor em alguns momentos com Tasso, todos estiveram bem próximos ao governo estadual. Até Luizianne, que durante a campanha disse que não seria bom para a cidade ter um prefeito do lado do governador, esteve ao lado de Cid até quando pode.

Mesmo em épocas distantes, seria muito reducionismo achar que essas ligações entre governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza ao longo dos anos não deixaram marcas importantes para a cidade. Umas mais, outras menos, é claro. No caso de Roberto Cláudio, a dúvida que se coloca, a partir daí, é saber até que ponto essa proximidade irá trazer os benefícios para a cidade, em meio aos enormes desafios que estão colocados. Mas isso, por enquanto, ainda é cedo para avaliar, e qualquer análise é mera conjectura, quando não, interesses e desejos contrariados.

Dirigente alvinegro morre de infarto e sepultamento ocorre neste domingo

268 2

O médico e segundo vice-presidente do Ceará Sporting, Gotardo Peixoto Figueiredo Lima, 62, morreu nesse sábado (5) de infarto fulminante, no interior de sua residência. Irmão do deputado federal André Figueiredo, Gotardo Peixoto trabalhava no Hospital do Cancer da Universidade Federal do Ceará.

O corpo está sendo velado na Ethernus, na rua Padre Valdevino, 1688. Às 14h30min haverá uma missa de corpo presente. Logo em seguida, às 16 horas, ocorrerá o sepultamento, no cemitério Parque da Paz.

Nossos pêsames aos familiares.

Petrobras é considerada a maior financiadora de cultura do país

A Petrobras foi considerada a maior financiadora da cultura no país em 2011, com desembolsos de R$ 172 milhões, segundo o sistema de acompanhamento do Ministério da Cultura. No ano anterior, esses investimentos chegaram a R$ 136 milhões. No esporte, foram investidos R$ 54 milhões em 2010 e R$ 57 milhões no ano seguinte, valores que devem aumentar com o aporte de R$ 30 milhões para projetos de educação esportiva nos próximos dois anos.

A empresa “norteia sua política de patrocínios valorizando a cultura brasileira, buscando alcance social e articulada com as políticas públicas para o setor”. São beneficiadas as áreas de artes cênicas, cinema, artes visuais, festivais, literatura, recuperação e digitalização de acervos e patrimônio imaterial.

Na área de esportes, a Petrobras tem três programas: Esporte & Cidadania, alinhado à Política Nacional do Esporte; Esporte Motor; e Esporte de Rendimento, no qual patrocina as séries A e B do Campeonato Brasileiro de Futebol e a Copa do Brasil, as maiores competições nacionais da modalidade.

Procurada pela reportagem, a empresa informou, por meio de sua assessoria, que “atua de forma articulada com as políticas públicas de cultura e esporte”, patrocinando prioritariamente projetos culturais aprovados pelas leis federais de incentivo à cultura e tem parceria com o Ministério da Cultura no programa Ação Extraordinária Petrobras.

Para o professor da Faculdade de Administração e Finanças da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Manoel Marcondes Neto, o investimento das estatais “acaba sendo complementar”, mas, salvo no caso de fundos, tende a ser pontual.

(Agência Brasil)

Civil e comunitária

67 8

Da Coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (6), pelo jornalista Valdemar Menezes:

Começou mal a questão referente à Guarda Municipal. Há um lobby querendo implantar uma corporação militarizada, nos moldes da PM, indo de encontro a toda a discussão dos últimos anos sobre a necessidade de se desmilitarizar a polícia.

É um retrocesso que não deve ser aceito passivamente pelas forças democráticas. No caso da Guarda Municipal, então, sua função mais do que nunca deve ser civil e comunitária. Deve proteger os monumentos e os espaços públicos da Cidade e orientar os cidadãos quanto aos acessos aos serviços públicos, quando circulam pelas ruas da Cidade, fiscalizando o cumprimento dos códigos de direitos ao cidadão, sobretudo, aos idosos, deficientes, jovens e crianças.

Sua imagem deve se equiparar à dos bombeiros e não à dos PMs. Nada de incentivar a cultura da truculência policial. Já foi um erro grande o modelo adotado até aqui, com fardamento agressivo, próprio de forças de combate. Foi um equívoco muito grande. Não se deve permitir que prossiga. Na verdade, é preciso impedir que essa deformação se agrave ainda mais.

Guardas municipais, aliás, não devem ser armados.

Obama chora loucura americana

57 1

Em artigo no O POVO deste domingo (6), o psicanalista Valton de Miranda Leitão comenta a reação do governo norte-americano do último massacre contra crianças na escola. Confira:

O presidente dos EUA, Obama, ao comentar o mais recente morticínio no seu país, não conteve as lágrimas. A imprensa mundial se resume a mostrar a repetição de atrocidades, que quase já são anunciadas para o mês seguinte. Creio que existe uma espécie de furor assassino e guerreiro inscrito na mentalidade cultural norte-americana. O assassinato de presidentes desde Lincoln a Kennedy não inclui outros que morreram em consequência de atentados, mostrando a dimensão da belicosidade na intimidade política daquele país.

A nação líder do capitalismo mundializado lidera as guerras de dominação no mundo, possui a estrutura militar mais sofisticada do planeta, enquanto sua indústria supre a maior parte do mercado mundial de armas. A consciência social impregnada de competitividade destrutiva transforma cada indivíduo num Narciso, em cujo espelho está a imagem de James Bond.

A violência brasileira tem origem na pobreza, a violência islâmica mistura política, pobreza e religião, enquanto nos EUA a riqueza armada até os dentes transtorna a mente narcísico-fetichista. Os fetiches da arma e do dinheiro são alimentos ingeridos pela mente, onde predomina a vaidosa arrogância. Qualquer descontentamento pode açular o guerreiro vingador que mata para gratificar a constante frustração, produzida na sociedade do trauma por diferenças mínimas.

Em 1927, um homem matou 57 pessoas numa escola norte-americana inconformado com as notas que o colégio atribuíra ao filho. O número exato de soldados norte-americanos que após retornarem das inúmeras guerras promovidas pelo seu país matam a família inteira por qualquer discussão trivial nunca foi exposto pela imprensa americana desde a Proclamação da Independência. O mercado interno da indústria armamentista nutre clubes de tiro e colecionadores de arma, espalhados por todo o território nacional, estimulando constantemente o narcisismo assassino latente na sociedade e no indivíduo.

O instinto de morte, “sempre prestes a explodir”, é encoberto pela superficialidade no consumo, ao lado da permanentemente proclamada defesa da liberdade e do direito individual. O individualismo e narcisismo exacerbados combinam-se com a ideia de aumento do patrimônio e da riqueza como único objetivo da vida. O economista norte-americano Gary Becker, prêmio Nobel, demonstrou, segundo o gosto acadêmico nacional pelas estatísticas, que as relações afetivas familiares e entre marido e mulher são substituídas pelo puro interesse custo-benefício; portanto, a mulher passa a valer pelo dote em dinheiro, enquanto o homem é prestigiado pelo patrimônio familiar.

Dentro desse sistema político, cuja virulenta cultura se espalha pelo mundo como american way of life, o ser humano busca abrigo nas religiões salvacionistas que também trocam o céu pelo dinheiro! Obama, que já esbarrou no conservadorismo político ao tentar implementar seu programa de saúde, agora esbarra na indústria bélica ao propor a limitação de vendas de armas aos cidadãos. O caldeirão da bruxa armamentista produz fetiches, mas o feitiço se volta contra o feiticeiro.

Especialistas alertam para riscos de desequilíbrio nutricional de crianças e adolescentes no período das férias

Especialistas do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo, que desenvolvem o projeto Meu Pratinho Saudável, alertam para os riscos da obesidade infantil, durante o período das férias, além de outras doenças, como o diabetes, colesterol alto e a hipertensão.

“Neste período os horários ficam irregulares, mas nem por isso os pais devem descuidar da alimentação. Essas outras enfermidades não atingem mais só adultos, a gente observa muito em crianças”, destaca a nutricionista do projeto, Miriam Furtado. Ela reforça que drásticas alterações na rotina alimentar durante as férias podem dificultar o retorno a uma alimentação mais regular e saudável no período de aulas. “Se sai muito [da rotina], para voltar depois é mais difícil, principalmente para as crianças pela questão da adaptação às regras”, explica.

A nutricionista ressalta ainda a atenção que deve ser dada à hidratação das crianças. “Elas desidratam muito fácil. Especialmente nas férias, que muitas brincadeiras são ao ar livre, sob o sol. Então é [preciso] oferecer bastante água e complementar com suco de fruta, água de coco ou até mesmo frutas que tenham bastante água na composição, como melancia e melão.”

É preciso também evitar o sedentarismo, de acordo com ela. “Esse também é o momento para incentivar a prática de atividades físicas. Isso ajuda o metabolismo, a digestão e traz muitos outros benefícios.”

(Agência Brasil)

Rio de Janeiro tem menor índice de presos trabalhando; Ceará é o penúltimo

As dificuldades do preso no Rio de Janeiro de arrumar emprego já começam dentro do sistema penitenciário, antes mesmo de conseguir a liberdade. Segundo os dados mais recentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), de julho de 2012, o estado do Rio é a unidade da Federação com o mais baixo índice de detentos exercendo atividades de laborterapia (capacitação que envolve atividade produtiva) e trabalho em todo o país.

De acordo com os dados, enquanto a média nacional de presos que trabalham é 20%, o Rio de Janeiro tem apenas 2% de seus 33,6 mil detentos com alguma ocupação (ou seja, 676). A força de trabalho dos sistemas penitenciários de estados como São Paulo e Minas Gerais representa, respectivamente, 25% e 22% do total de presos.

Além do Rio, apenas cinco estados brasileiros têm menos de 10% de seus presos executando alguma atividade laboral: Pará (8%), Paraíba (8%), Acre (6%), Rio Grande do Norte (5%) e Ceará (3%).

Segundo a Fundação Santa Cabrini, órgão do governo fluminense responsável por ajudar detentos e ex-detentos a conseguir trabalho, os dados do Depen (que são informados pelo próprio estado do Rio) estão incompletos porque não incluem os presidiários que trabalham como faxineiros dentro das unidades prisionais. Por isso, segundo a entidade, o total de empregados dentro do sistema penitenciário ultrapassa o número de dois mil detentos e chega a 7% da população carcerária.

Mesmo considerando os novos dados apresentados pela Fundação Santa Cabrini, o estado do Rio de Janeiro continua tendo, relativamente, um dos quatro menores contingentes de trabalhadores no sistema penitenciário brasileiro.

(Agência Brasil)

Projeto amplia possibilidade de apresentação de títulos em concursos

A Câmara analisa o Projeto de Lei PL 4645/12, do deputado Dr. Grilo (PSL-MG), que concede aos títulos de especialização emitidos por entidades de classe profissional a mesma validade daqueles concedidos por universidades e faculdades. A medida valerá para efeito de comprovação de títulos em concursos públicos e processos seletivos ou admissionais em entidades públicas ou empresas privadas.

Com isso, os títulos de especialização emitidos pelas entidades de classe profissional, inclusive associações de caráter científico cultural, registradas pelos respectivos conselhos, terão a mesma pontuação dos demais documentos.

“A qualidade e eficiência dos cursos ministrados pelas associações e entidades de classe são comprovadas e reconhecidas pelos conselhos de classe, que são os responsáveis pela fiscalização e regulamentação do exercício profissional”, argumenta o deputado.

(Agência Câmara de Notícias)

Dilma estaria na mira de espionagem em Brasília

109 5

A Polícia Federal abriu investigação para apurar a existência de uma rede de espionagem ilegal, com atuação em Brasília, que teria políticos e autoridades entre seus alvos. Além de deputados e senadores, suspeita-se que os arapongas tenham mirado até a presidente Dilma Rousseff.

A investigação começou a partir de documentos entregues ao Ministério Público Federal e ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pelo deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ), em julho passado. O material inclui extratos de ligações telefônicas e trocas de e-mail entre parlamentares. Miro disse ao jornal O Estado de S. Paulo que recolheu o material de um araponga, cujo nome não foi revelado, que disse estar sofrendo ameaças e queria proteção policial.

“Criou-se na capital do país, sob os olhos dos poderes da República, uma sociedade anônima de criminosos e violadores de dados pessoais”, afirmou o deputado. “Não há cidadão nesse país, nem mesmo a presidente, seguro da sua privacidade e isso é muito ruim para a democracia.”

A PF informou por meio de sua assessoria que abriu procedimento preliminar de investigação para verificar a autenticidade dos documentos. O órgão confirmou que há indícios veementes de crime.

O grupo ao qual o espião arrependido está ligado tem foco de atuação no Distrito Federal, em particular autoridades do governo local. Mas o material entregue por ele inclui aparentes extratos de ligações telefônicas e e-mails de parlamentares federais, como o senador Blairo Maggi (PR-MT), o deputado Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO) e o ex-senador Demóstenes Torres, cassado por envolvimento com o esquema de corrupção e exploração de jogos ilegais comandado por Carlinhos Cachoeira. A PF, entretanto, não vê associação automática do grupo com o contraventor.

(Veja)

Para além do simbolismo, prefeito

70 6

Em artigo no O POVO deste sábado (5) o editor adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, destaca as visitas do prefeito Roberto Cláudio aos postos de saúde, quando se descobriu que a propaganda que a antiga gestão fazia do atendimento na periferia não refletia a insatisfação da comunidade. Confira:

As visitas que o prefeito Roberto Cláudio e a secretária Socorro Martins estão fazendo aos postos de saúde em Fortaleza nesses primeiros dias da nova gestão são importantes para demarcar alguns fatos em relação a esse tema por parte do poder público municipal.

Um deles diz respeito ao aspecto simbólico desses atos. Apesar de a saúde ser assunto caro à população como atestam as pesquisas de opinião pública, não lembro da gestora anterior ter se dado ao trabalho de conhecer de perto como ocorria o atendimento nessas unidades na Capital. Isso sem contar que a secretária municipal da pasta não era lá muito afeita a dar satisfação sobre as suas ações administrativas, que o digam os profissionais de imprensa que tentavam obter alguma informação dela.

Outro ponto a ser destacado sobre as visitas são as revelações que estão vindo a público. No discurso da gestão Luizianne, a área da saúde era apontada como uma das que tiveram avanço, oferecendo à população mais pobre a atenção que em outras gestões não havia sido dada. Alegavam ainda que a chamada classe média não reconhecia essa melhora por não precisar utilizar o sistema. Vê-se, agora, porém, que a coisa não era assim tão boa. Falta de medicamento, profissionais insuficientes e estrutura física deficitária em determinados postos de saúde desnudam quadro completamente diferente do que tentava passar a administração anterior. É preciso lembrar que não foram visitadas nem 10% das unidades que RC pretende conhecer pessoalmente.

Se nos primeiros dias a intenção da nova gestão era acenar com a possibilidade de novo olhar sobre a questão da saúde, o intento parece ter sido conseguido. Agora, porém, para além dos aspectos simbólicos das visitações e do desmantelamento de um discurso, é preciso que o atual prefeito passe a agir o mais rápido possível. Em pouco tempo, de nada terá servido para a população essa visita se efetivamente não houver a transformação do modelo. Além disso, será decepcionante se todo o aparato mobilizado servir apenas como estratégia de marketing.

PDT tem adotado a política de “para os mesmos”

128 20

Da coluna Vertical, no O POVO deste sábado (5):

O ex-vereador Plácido Filho ainda não entrou na cota de cargos do PDT na gestão RC. O presidente estadual da legenda, André Figueiredo, estaria priorizando gente do seu grupo.

Vamos nós – Ninguém questiona o importante papel do vereador Plácido no desgaste da gestão Luizianne Lins. O prefeito Roberto Cláudio tirou proveito na campanha de muitos discursos e estudos do então líder da oposição na Câmara Municipal. No segundo turno, o empenho de Plácido para a campanha Roberto Cláudio, principalmente nos bairros Bom Jardim e Serviluz, foi evidente. O PDT tem alegado que Plácido não teria fidelidade ao partido. Isso não é verdade, de acordo com o que a imprensa tem divulgado ao longo dos quatro anos de mandato de Plácido. Foi ele que na última eleição levou Heitor Férrer para a periferia, votou em André Figueiredo para deputado federal, em Cid Gomes para governador e também em Eunício Oliveira para senador. Querer o voto para o petista José Pimentel era pedir muito para o maior opositor que a gestão do PT conheceu em Fortaleza.

Câmara de Fortaleza: nova gestão participativa

Em artigo no O POVO deste sábado (5), o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Walter Cavalcante (PMDB), destaca projetos voltados à cidadania e à melhora dos serviços da Prefeitura. Confira:

A partir de 1º de fevereiro, a Câmara Municipal de Fortaleza inicia seus trabalhos. Como presidente da Casa, eleito pela maioria dos 43 vereadores da Legislatura 2013 – 2016, estaremos, durante os próximos dois anos, na luta para garantir os direitos do cidadão.

Com uma pauta que vai, desde a valorização das comissões técnicas até a importante regulamentação do novo Plano Diretor de Fortaleza, pretendemos usar da unidade entre os 21 partidos presentes para aproximarmos cada vez mais o Legislativo Municipal da população.

De início, e em um período de convocação extraordinária, aprovamos nessa sexta-feira, 4, as mensagens do Executivo que versam sobre a reforma administrativa, criando novas secretarias e reformulando algumas já existentes.

A proposta é melhorar serviços e ações oferecidos pela gestão do prefeito Roberto Cláudio (PSB) e do vice Gaudêncio Lucena, meu companheiro de partido, possibilitando maior celeridade e responsabilidade com o bem público e com os munícipes.

À frente da augusta Casa, pretendemos trabalhar com transparência por entendemos que o reflexo de todo o processo democrático oriundo da Câmara Municipal está no dia a dia do fortalezense. E ao cidadão cabe o papel fundamental da saudável cobrança em relação aos atos dos vereadores escolhidos.

Dentre as metas da minha gestão para o período 2013–2014 estão, além do melhoramento do espaço físico do Legislativo, a criação da Comissão Permanente de Negociação, que terá a função de facilitar o diálogo do legislativo com os movimentos sociais; e a criação do escritório de Direitos Humanos fortalecendo convênios com advogados, de modo a dar assistência a pessoas mais carentes e entidades que procurem a Câmara em busca de garantir seu pleno exercício da cidadania.

Pretendo também, como presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, dar continuidade ao projeto Câmara nos Bairros, por entender que esta é a forma mais democrática de ouvir a população e interagir às suas demandas e necessidades, servindo como um canalizador desses anseios para os órgãos competentes.

A difusão da cultura nas instalações da Câmara, utilizando a praça Barros Pinho como palco, e a abertura de espaço na grade de programação da TV Fortaleza para atos ecumênicos são outros dois pontos que destaco como formas de aproximar o legislativo do cidadão.

É, portanto, uma luta que, em nome do povo de Fortaleza e de Nossa Senhora de Fátima, da qual sou devoto, manteremos à frente da Câmara Municipal: o bem-estar que o fortalezense tanto merece e tem direito.