Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

PF deflagra operação para apreender aeronaves envolvidas com tráfico internacional de drogas. O Ceará é alvo

752 6

A Polícia Federal realiza uma operação, nesta quinta-feira, onde tenta apreender 47 aeronaves. A ação tem como alvo uma quadrilha especializada em transportar drogas da Colômbia e da Bolívia para o Brasil, os Estados Unidos e a Europa. Segundo informações do Portal G1, a PF também busca prender 55 pessoas envolvidas no esquema.

Os mandados são cumpridos no Ceará – aqui apenas um mandado, Distrito Federal, em Goiás, no Pará, no Paraná, em Roraima, em São Paulo e no Tocantins. Além da apreensão das aeronaves, o juiz determinou o sequestro de 13 fazendas e de cerca de 10 mil cabeças de gado.

De acordo com a investigação, a quadrilha transportou mais de 9 toneladas de cocaína entre 2017 e 2018, em 23 voos que carregavam 400 quilos da droga, em média, cada um. Além de pilotos, a organização contava com mecânicos que adulteravam as aeronaves para aumentar a autonomia dos voos e ocultar o prefixo original dos aparelhos, para despistar as autoridades. O grupo usava Palmas e Porto Nacional, no Tocantins, como pontos de apoio.

Nessa ação, a PF mobiliza 400 agentes e conta com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás. Os mandados foram expedidos pelo juiz federal Pedro Felipe dos Santos, da 4ª Vara de Palmas.

Segundo a PF, os investigados devem responder por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

DETALHE – A operação foi batizada de Flak, termo que, de acordo com a PF, era usado durante a Segunda Guerra Mundial para identificar a artilharia antiaérea alemã, adiantou a assessoria de imprensa da Corporação.

(Fotos – Polícia Federal)

Sine/IDT em clima de desmonte

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

O governo estadual estabeleceu como regra para os contratos de gestão com as Organizações Sociais (OS) neste 2019 repetir o valor contratado em 2018, com corte de 10%. No entanto, no caso do Sine/IDT esse parâmetro ficou totalmente defasado, denunciam servidores do órgão.

Eles dizem que não foi levado em conta a realidade financeira pós-implantação da convenção coletiva de trabalho, nem o déficit gerado pelo não realinhamento do contrato celebrado em 2018.

Caso prevaleça essa orientação, o ajuste a ser feito provocará: I) a redução drástica e abrupta dos serviços prestados à população; II) o fechamento de 14 Unidades de Atendimento da rede; e III) a demissão de aproximadamente 50 empregados, com impacto sobre a performance e as condições de funcionamento do Sine/IDT. Eles dizem que, na prática, saiu o então titular na área, Josbertini Clementino – hoje assessor na liderança do PDT em Brasília -, mudou o nome da pasta – Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), sob comando de Maia Júnior, mas o desmonte prossegue.

(Foto – Arquivo)

Radar divulga com exclusividade pontos da nova Previdência dos militares

A Coluna Radar, da Veja Online, divulga, com exclusividade, quatro pontos da nova previdência dos militares, projeto que será entregue dentro de 30 dias ao Congresso.

O texto, já aprovado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente Jair Bolsonaro, mostra que os militares também darão sua parcela de contribuição no esforço para que o governo reequilibre as contas públicas e o país tenha capacidade de investimento. A espinha dorsal da reforma:

1. O tempo de contribuição dos militares mudará de 30 para 35 anos;

2. A contribuição subirá de 7,5% para 10,5%.

3. Pensionistas passarão a contribuir igual ao militar da ativa e aposentado; Hoje os beneficiários recebem na íntegra.

4. E já está na PEC a compensação previdenciária do militar temporário. Quase 60% das forças armadas hoje são de temporários. Quando ele se transfere para o INSS terá de pagar a diferença.

Reforma da Previdência – Camilo espera que proposta seja solução para déficit do setor nos Estados

O governador Camilo Santana (PT) argumentou que a reforma a ser discutida no Congresso Nacional deve prever solução também para o déficit causado nos estados brasileiros por conta da Previdência. Ele destaca ainda a existência de “unanimidade quanto à necessidade da Reforma da Previdência”, mas que é necessário pensar “uma solução para o problema do déficit previdenciário público a curto prazo”.

O petista caracteriza esse como “o grande gargalo dos estados”. Ele enfatiza que isso é um dos maiores entraves para maiores investimentos por parte dos governos estaduais, ressaltando ainda que “o Ceará é um estado que está diferenciado nesse contexto” já que tem conseguido manter um bom índice. “(Mas) Tem estados que não conseguem investir um terço do percentual que gasta com o déficit da previdência pública comparada com a sua corrente líquida”, contrapõe.

Santana esteve presente ontem no Fórum de Governadores do País, em Brasília, onde o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o secretário da Previdência, Rogério Marinho, detalharam os pontos do projeto. Elogiando a intenção de diálogo, o governador ressaltou que a reforma “precisa ser construída coletivamente” para que possa “atingir os objetivos” propostos.

Pontos que provocaram críticas ao projeto também foram comentados pelo governador como sendo questões que são “muito diferenciadas do ponto de vista regional”. “Em estados do Nordeste e do Norte, a economia gira muito em torno da aposentadoria dos trabalhadores. Então, isso vai ter um impacto muito forte”, afirma.

(O POVO)

Senado aprova bloqueio de bens de investigados por terrorismo

Os senadores aprovaram, nessa quarta-feira, o projeto que determina o bloqueio imediato de bens de pessoas e entidades investigadas ou acusadas por terrorismo (PL 703/2019). A proposta segue agora para sanção do presidente.

A proposta, enviada pelo Executivo, determina o cumprimento imediato, pelo Brasil, de sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas relacionadas ao crime de terrorismo, principalmente o bloqueio de ativos. A ideia é agilizar o procedimento de bloqueio de bens — desde valores e fundos até serviços, financeiros ou não — e a identificação de empresas e pessoas associadas ao terrorismo e à proliferação de armas de destruição em massa.

A legislação brasileira já possui norma para atender a essas sanções (Lei 13.170, de 2015), mas prevê a necessidade de ação judicial para fazer o bloqueio de ativos, o que foi criticado pelo conselho da ONU devido à demora. De acordo com o texto aprovado pelos senadores, o bloqueio deverá ser feito atendendo resoluções das Nações Unidas.

“Pelo texto, após receber oficialmente do Conselho de Segurança da ONU o pedido de bloqueio de valores ou de restrições à circulação de pessoas ou ao ingresso de bens, o Ministério da Justiça comunicará aos órgãos devidos para a adoção das providências. A União também deverá informar ao Conselho de Segurança e a seus comitês de sanções sobre medidas adotadas por juízes para o bloqueio de bens e valores que sejam instrumento, produto ou proveito dos crimes de terrorismo.

No caso do bloqueio de bens e ativos, móveis e imóveis, os órgãos reguladores ou fiscalizadores serão informados para que determinem às entidades esse bloqueio. Essa situação envolve, por exemplo, o Banco Central, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Conselho Monetário Nacional (CMN), que fiscalizam o sistema financeiro. Quanto à restrição para entrada ou saída de pessoas, caberá à Polícia Federal comunicar as empresas de transporte internacional”, diz reportagem publicada pela Agência Senado.

(Agência Senado)

Vitor Valim diz que facções tomam casas da população, diante da omissão do Estado

O deputado Vitor Valim (Pros) defendeu nessa quarta-feira (20), no plenário da Assembleia Legislativa, que o Poder Legislativo debata a problemática da violência no Ceará.

“Temos que ter a coragem de fazer o enfrentamento correto à violência, acolhendo e expondo as denúncias de pessoas expulsas de suas residências pelas facções criminosas, pois já não são casos isolados”, afirmou Valim, ao apontar a omissão das autoridades da segurança pública.

Para o parlamentar, a atual Legislatura tem o dever de fazer algo pela população, por meio de uma CPI.

“Esta Casa não pode se calar diante da situação atual, precisamos fazer alguma coisa, seja instalando a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico ou algo do tipo”, ressaltou.

(Foto: Divulgação)

Editorial do O POVO – “O caminho da reforma da Previdência”

Com o título “O caminho da reforma da Previdência”, eis o título do Editorial do O POVO desta quinta-feira:

A entrega da proposta de reforma previdenciária ao Congresso, pelo presidente Jair Bolsonaro, ocorre em momento difícil para o governo, tanto pelos problemas gerados em seu próprio núcleo, quanto pela dificuldade que encontrará na Câmara e no Senado para aprovar o projeto. Esta semana, por exemplo, deu-se o desfecho, pelo menos parcial, de uma questão que se agigantou pela falta de habilidade do presidente, levando à ruidosa demissão do secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

A reforma da Previdência assemelha-se a uma espécie de “bala de prata” para que o governo prove aos agentes econômicos que está em condições de implementar as mudanças que o País exige, de modo a retomar o crescimento e reduzir o desemprego. Se restam poucos segmentos opondo-se abertamente a mudanças na Previdência, ainda há muita divergência sobre o que deve ser feito para recolocar o sistema nos trilhos, afora a defesa de privilégios corporativos que, certamente, se farão sentir, vindas de categorias com grande poder de pressão.

Portanto, são enormes os obstáculos que surgirão na tramitação do projeto, pois trata-se de uma PEC, exigindo quórum qualificado na Câmara e no Senado. Para enfrentar um desafio dessa dimensão, será necessária uma equipe de governo preparada para responder aos questionamentos que surgirão entre os que serão atingidos diretamente, ou seja, praticamente toda a sociedade.

Além desse aspecto geral – e sem entrar no mérito das propostas -, há o trabalho de convencimento dos parlamentares, o que exigirá um esforço intenso de negociação, trabalho ainda não iniciado, pelo que se observa. A derrota sofrida na terça-feira, quando a Câmara derrubou o decreto que alterava as regras da Lei de Acesso à Informação, foi um claro aviso que os deputados não aceitarão passivamente propostas oriundas do Palácio do Planalto, incluindo os aliados do governo.

Após a votação, o líder do PSL – partido de Jair Bolsonaro – na Câmara, Delegado Valdir, manifestou-se duramente: “O Parlamento deu um basta, acabou a lua de mel, deu um recado ao governo. Se não houver essa aproximação, com certeza o governo será derrotado em outros momentos”, afirmou, conforme registrou o portal Jota. Isso acontece quando o governo de Bolsonaro mal chegou à metade dos 100 dias, prazo que se convencionou chamar de “lua de mel” com novas administrações, período em que as cobranças seriam menores.

Agora é ver se o governo terá a competência necessária para promover essa negociação, de preferência nos novos moldes propostos durante a campanha eleitoral, ou se apelará para o toma lá dá cá da velha política.

(Editorial do O POVO)

Mega-Sena – Ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 37 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.126 da Mega-Sena. A estimativa da Caixa é R$ 37 milhões para o próximo sorteio do prêmio principal, no sábado (23).

Foram as seguintes as dezenas sorteadas na noite dessa quarta-feira (20) no Caminhão da Sorte, estacionado na cidade de Jundiái, no interior de São Paulo: 07 – 12 – 24 – 27 – 39 – 58.

A quina teve 130 apostas vencedoras. Cada ganhador vai receber R$ 21.346,79. A quadra registrou 8.139 acertadores. Cada um vai receber R$ 487,08.

As apostas para o próximo concurso podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) de sábado, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas custa R$ 3,50.

(Agência Brasil)

Câmara dos Deputados conclui votação do cadastro positivo

O Plenário da Câmara dos Deputados terminou hoje (20) a votação dos destaques ao projeto de Lei Complementar (PLP) que trata do chamado Cadastro Positivo. Em vigência desde 2008, o cadastro positivo é um serviço de banco de dados sobre informações dos pagamentos em dia e de empréstimos quitados. O texto básico foi aprovado em maio do ano passado. Ontem (19), os três destaques apreciados pelos deputados foram rejeitados.

O projeto torna automática a entrada nesse tipo de cadastro de todas as pessoas físicas e jurídicas. O consumidor que quiser sair terá que solicitar a exclusão. Atualmente, o registro só ocorre mediante autorização expressa e assinada pelo cadastrado.

Um dos destaques rejeitados, do PT, propunha transformar a adesão ao cadastro facultativa. Mas por 307 votos a 160, a alteração foi rejeitada mantendo a adesão compulsória.

Por 379 votos a 7, os deputados rejeitaram também o destaque do deputado Laercio Oliveira (PP-SE) que dispensava as empresas de autorizarem previamente o acesso a seu histórico de crédito. Os deputados rejeitaram ainda, por 278 votos a 140, emenda do deputado Paulo Teixeira (PT-SP) que determinava que gestores de bancos de dados informassem imediatamente ao Banco Central sobre incidentes de segurança que acarretassem prejuízo ou risco ao titular dos dados.

Outra emenda rejeitada, de autoria do deputado André Figueiredo (PDT-CE) proibia a comercialização dos bancos de dados do cadastro positivo. O texto foi rejeitado por 271 votos a 143.

Os deputados rejeitaram um destaque de autoria do PSB e mantiveram no texto um dispositivo que dispensa os gestores de bancos de dados sobre informações financeiras de se sujeitarem à legislação aplicável aos bancos e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central.

Cadastro positivo

Os dados do cadastro positivo poderão ser coletados por empresas em geral com as quais se faz transações comerciais e instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central. Deputados contrários à proposta argumentam que a medida viola o direito à privacidade e que vai gerar tratamento diferenciado para consumidores que tiverem algum tipo de dívida. Parlamentares favoráveis dizem que o projeto vai favorecer mais acesso a crédito e juros menores a quem estiver adimplente.

Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), a proposta vai contra a vontade dos milhões de brasileiros que optaram por não incluir os dados no cadastro positivo atual.

O deputado Aliel Machado (PSB-PR) afirmou que a proposta vai dar muito acesso aos bancos e instituições financeiras. “Vamos escolher se defendemos o direito do povo frente o interesse econômico, porque quem está pressionando pela aprovação do projeto são os bancos”, disse Machado.

Já o deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) acredita que o cadastro positivo vai permitir acesso ao crédito. “O cadastro positivo favorece o cidadão. O negativo não favorece, mas este favorece e vai colocar milhões de pessoas em condições de ter crédito. E são os mais pobres que têm dificuldade de crédito e terão oportunidade de juros menores a partir da nota obtida”, disse.

A matéria será apreciada novamente pelo Senado, antes de ir à sanção do presidente da República.

(Agência Câmara)

Sa

3 a 0 – Vozão goleia Guarany e se mantém 100% no Estadual

O Ceará goleou o Guarany de Sobral, por 3 a 0, na noite dessa quarta-feira (20), no Castelão, e disparou na liderança do Campeonato Estadual, com três vitórias em três jogos, além de nove gols marcados e nenhum sofrido. Roger, duas vezes, e Felipe marcaram os gols.

Na noite desta quinta-feira (21), Fortaleza e Ferroviário abrem a quarta rodada da segunda fase da competição, no primeiro clássico do ano do futebol cearense. As duas equipes dividem a vice-liderança do Estadual, com seis pontos.

(Foto: Reprodução)

Réu é condenado a 26 anos de prisão por feminicídio

O réu José Almir da Silva Moreira foi condenado a uma pena de 26 anos de reclusão em regime fechado, por crime de homicídio qualificado pelo motivo fútil, pela crueldade, pela surpresa e pelo feminicídio, vitimando Maria Rosimery Moreira da Silva. A condenação partiu do Conselho de Sentença da 5ª Vara do Tribunal do Júri de Fortaleza durante sessão do último dia 15. José Almir e Maria Rosimery mantinham união estável há cerca de 20 anos, tendo dois filhos maiores de idade. Conforme a investigação, o relacionamento entre os dois era marcado por episódios de violência doméstica, a exemplo de ofensas verbais, ameaças e agressões, protagonizados pelo acusado, na maioria das vezes, por ciúmes imotivados e em ocasiões de ingestão de bebida alcoólica. As informações são da assessoria de imprensa do Ministério Público do Ceará.

O crime ocorreu em 17 de maio de 2017, por volta das 2 horas, no pavimento superior da casa do pai de Rosimery, no bairro Dias Macedo, em Fortaleza. O acusado José Almir, fazendo uso de arma de uma faca tipo peixeira e de um estilete, atingiu a integridade da companheira, Maria Rosimery, matando-a. Na época, a vítima e o acusado estavam morando temporariamente no endereço enquanto a casa dos dois estava em reformas. Segundo testemunhas, poucos dias antes do delito, em 12 de maio de 2017, ela relatou à família que estava sendo ameaçada de morte pelo denunciado.

Apesar disso, em 13 de maio de 2017, parte da família teve de viajar ao interior do Ceará, permanecendo na residência o casal e uma das irmãs da vítima. Uma testemunha relatou às autoridades que, na noite de 16 de maio, por volta das 19 horas, jantou em companhia do casal e não percebeu nenhuma anormalidade. Após o jantar, a testemunha desceu para o andar de baixo e ali permaneceu até adormecer. Há informações de que o acusado saiu da residência e voltou em horário já avançado.

Durante a madrugada, cerca de 2 horas, uma testemunha acordou com os gritos da vítima suplicando por socorro. Então, correu para o corredor que dá acesso à escada, mas não pôde subir, porque o portão havia sido previamente trancado, com cadeado, pelo acusado. Nesse momento, o agressor portava faca e estilete e golpeava a vítima, inclusive na garganta, até a morte, de forma indiferente aos gritos e aos apelos da ofendida e da irmã dela. A equipe de local de crime constatou que, no corpo da vítima, havia “múltiplas lesões” frontais, nas regiões do “tronco e pescoço, mão e ombro”, conforme o Termo de Recognição Visuográfica nº 759/2017.

Terminada a execução, o acusado deixou rapidamente o local, saindo pelo portão de acesso à escada e, novamente, trancando-o com cadeado. Em seguida, evadiu-se, utilizando um automóvel de marca Monza, parado à frente da residência, de propriedade do próprio denunciado. A testemunha afirmou que teve de usar uma pedra para arrombar o cadeado e subir ao pavimento superior, onde encontrou a vítima já morta.

A polícia foi acionada e empreendeu diligências com o objetivo de capturar o acusado. Com ajuda de informes de populares, ele foi localizado, em um quartinho na Rua Capitão Hugo Bezerra, quase esquina com BR 116. Ao ser abordado, ele alegou que teria apenas encostado a faca no pescoço da companheira, no intuito de intimidá-la, mas que ela mesma, na tentativa de desvencilhar-se, era quem havia enfiado a faca na própria garganta.

Todavia, no momento em que os policiais indagaram sobre os diversos golpes desferidos na vítima, ele acabou confessando a integralidade das agressões. Na presença da Polícia Civil, confessou a autoria delitiva e informou que a ofendida foi agredida enquanto estava deitada em uma rede. Sobre o aspecto motivacional, alegou que estaria sendo traído pela companheira e que suspeitava de que ela estava pretendendo se separar. As armas do delito – uma faca tipo peixeira e um estilete – foram encontradas no local, sujas de sangue, e devidamente apreendidas.

O delito foi praticado “contra mulher em razão da condição de sexo feminino”, por envolver “violência doméstica e familiar”, tal como definido no inciso VI do parágrafo 2º e no inciso I do parágrafo 2º-A, ambos do artigo 121 do Código Penal, e tal como descrito na própria Lei 11.340/06, no artigo 7º. Vítima e acusado mantinham união estável por vários anos, e o agressor, com uma conduta marcada por surpresa, vilania, covardia, perfídia e deslealdade menosprezou a condição de vulnerabilidade da mulher no âmbito doméstico, inserindo-se no inciso IV do parágrafo 2º do artigo 121 do Código Penal, consistente na impossibilidade ou dificuldade de defesa da vítima. O relatório final do inquérito policial foi assinado em 25 de maio de 2017 pela delegada do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Évna América de Aquino Leitão Paixão.

Centro de acolhimento de animais é aprovado na Câmara Municipal de Fortaleza

890 11

A criação de um equipamento responsável por recolher e acolher animais em situação de vulnerabilidade, abandono e maus tratos, prestando assistência e abrigo provisório foi aprovada pela Câmara Municipal de Fortaleza, diante do projeto da vereadora Larissa Gaspar (PPL).

“A ideia do centro de acolhimento de animais é recepcionar os animais que estão sofrendo com maus tratos e abandono, tratá-los, é uma vez reabilitados, colocá-los para adoção. Há muitas pessoas que têm vontade de ter um bichinho em casa e. com isso. iremos fomentar a iniciativa da adoção”, destacou Larissa Gaspar, nesta quarta-feira (20), durante pronunciamento.

(Foto: Arquivo)

Reforma da Previdência – Economia não pode ser menor que R$ 1 trilhão, diz Paulo Guedes

252 2

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje (20) que o governo federal está aberto a fazer ajustes na proposta de reforma da Previdência enviada ao Congresso Nacional, mas que a economia com as mudanças não pode ser inferior a um R$ 1 trilhão. Segundo ele, um valor inferior a essa meta pode comprometer a viabilidade de um futuro sistema de capitalização, que será proposto mais adiante por meio de Projeto de Lei Complementar.

“Abaixo de de R$ 1 trilhão, você já começa a comprometer o lançamento para as novas gerações, porque nós vamos lançar um regime de capitalização para as novas gerações. Nós precisamos de uma folga, de um impulso fiscal suficiente, ou seja, acima de R$ 1 trilhão, que nos permita lançar um sistema novo. Se começar a desidratar essa reforma, nós não conseguimos que as futuras gerações escapem dessa armadilha”, afirmou a jornalistas após se reunir com o governador de São Paulo, João Dória.

Pelos cálculos de técnicos do governo, a proposta, como foi apresentada, vai gerar uma economia de R$ 1,165 trilhão em 10 anos

O ministro voltou a defender que a reforma apresentada, se aprovada, vai reduzir desigualdades, acabar com privilégios, democratizar a poupança e acelerar o crescimento do país. Guedes classificou a receptividade da proposta entre os governadores como “extraordinária”, mas admitiu que poderá haver “acomodação” de sugestões ao longo da tramitação. “Todas essas sugestões estão sendo muito bem recebidas. A nossa solução é abrangente, ampla o suficiente para haver esse espaço de acomodação”, ressaltou.

O governador de São Paulo, João Doria, defendeu a essência da reforma e ressaltou o apoio da bancada de parlamentares do estado, a maior do país. “Viemos aqui para reafirmar ao ministro o apoio do governo de São Paulo, da bancada de São Paulo, à reforma da Previdência, na sua essência”, disse.

Mudanças no BPC
O ministro da Economia defendeu as mudanças propostas no Benefício de Prestação Continuada (BPC), que será de R$ 400 para quem tiver entre 60 e 69 anos, e de um salário mínimo a partir dos 70 anos, caso a reforma seja aprovada. Atualmente, o BPC é pago para deficientes, sem limite de idade, e para idosos, a partir de 65 anos, no valor de um salário mínimo. O benefício é concedido a quem é considerado em condição de miserabilidade, com renda mensal per capita inferior a um quarto do salário mínimo.

Segundo Paulo Guedes, a redução do valor do benefício até os 70 anos é para desestimular aquelas pessoas que não contribuem para a Previdência. “Nós oferecemos uma facilidade que a pessoa, já aos 60 anos, recebe uma parte do salário mínimo [R$ 400], de forma que quando chegar aos 70 anos, ele recebe o salário inteiro. Isso era para evitar justamente que o brasileiro não contribua, porque o brasileiro pode falar: ‘olha, se eu contribuir ou não contribuir, vou chegar aos 65 e ganhar um salário mínimo do mesmo jeito, então eu prefiro não contribuir'”, argumentou.

Caso haja resistência quanto ao pagamento de valor inferior a um salário mínimo no BPC, Paulo Guedes disse que a previsão poderia ser retirada, mantendo o benefício apenas a partir de 70 anos, o que geraria uma economia adicional entre R$ 50 e R$ 60 bilhões, segundo ele.

“Isso era uma coisa que nós estávamos pagando, para tornar [o BPC] acessível mais cedo e, ao mesmo tempo, impedir que houvesse pessoas que não contribuíssem, porque se aposentariam com a mesma idade. Então, nós, na verdade, criamos uma facilidade. Se os governadores acharem que isso é ruim, podemos tirar isso, e ganhamos [uma economia de] mais R$ 50 ou R$ 60 bilhões. Nós temos flexibilidade para isso”, acrescentou.

(Agência Brasil)

Museu da Fotografia de Fortaleza promove exposição e oficina com pontos arquitetônicos da cidade

Neste fim de semana (23 e 24 de fevereiro), o Museu da Fotografia de Fortaleza terá uma oficina bem interessante e que contará com dois profissionais de peso da área: Thiago Braga, fotógrafo, e Igor Ribeiro, arquiteto.

Trata-se da Oficina de Fotografia de Arquitetura que terá aulas divididas entre expositivas, com exercícios em sala, e externas, com prática fotográfica. Ocorrerá também, durante a aula teórica, um momento de contato com programas atuais de edição e manipulação de imagem. O objetivo é apresentar os conceitos que definem a fotografia de arquitetura como tal, suas características e técnicas, assim como um breve histórico através da produção de grandes mestres da área.

No primeiro dia, serão realizados exercícios em sala. No segundo, os alunos irão no ônibus do Museu, junto com o professor, para fotografar no Palácio da Abolição e no Dragão do Mar. Podem se inscrever arquitetos, amantes de viagens e interessados em fotografia, de modo geral. Recomendado a alunos que tenham noções básicas de fotometria e uso o equipamento, além de domínio do manuseio de exposição, velocidade e ISO e que possuam câmera fotográfica, preferencialmente DSLR e tripé. Dispositivo móvel também poderá ser utilizado.

Perfil

Thiago Braga – Professor e fotógrafo, formado em filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) e mestre em comunicação pela Universidade Federal do Ceará (UFC), onde desenvolveu pesquisas sobre estética fotográfica e filosofia da fotografia. Diretor de pesquisa e intercâmbio do Instituto da Fotografia (Ifoto), lecionou no Porto Iracema das Artes, hoje trabalha na Travessa da Imagem e ministra oficina no Museu da Fotografia de Fortaleza.

Perfil Igor Ribeiro – Arquiteto e urbanista pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2009) e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Design – PPGAU+D – UFC (2018). Sócio-fundador do escritório Rede Arquitetos, atuando desde 2011 em projetos de variadas escalas e áreas de conhecimento, tendo sido premiado em alguns concursos e participado de conferências. Foi um dos idealizadores das 3 edições do Fórum Jovens Arquitetos Latino-Americanos – FJAL. Foi júri da comissão do 26 Ópera Prima, concurso nacional de trabalhos de graduação em Arquitetura e Urbanismo e júri do prêmio Maquinar (Fortaleza – 2018). É professor do Centro Universitário 7 de Setembro e, desde 2015, atua também como fotógrafo de arquitetura, tendo o trabalho publicado em diversos portais e revistas nacionais e internacionais, como Archdaily, Revista Projeto, entre outros.

SERVIÇO

Horário: sempre a partir de 13 horas

Museu da Fotografia de Fortaleza – Rua Frederico Borges, 545 – Varjota

Inscrições: R$60,00 (somente em dinheiro, presenciais, no Museu)

Mais informações: (85) 3017-3661.

(Foto – Divulgação)

Vem aí o I Simpósio Multidisciplinar de Segurança do Paciente

Fortaleza vai ser sede do I Simpósio Multidisciplinar de Segurança do Paciente do Estado do Ceará. Vai acontecer dia 9 de março, no Lulla’s Plazá, numa promoção da Sociedade de Anestesiologia do Estado. O objetivo é debater avanços, estratégias e desafios para a redução de riscos durante o processo de cuidado na área da saúde.

Segundo o “Documento de Referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente”, elaborado pelo Ministério da Saúde, pela Fundação Oswaldo Cruz e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pesquisas científicas realizadas em diferentes países, incluindo o Brasil, mostram que, em média, 10% dos pacientes internados sofrem algum tipo de evento adverso, sendo que 50% destes eventos são evitáveis.

O dano causado pelo cuidado à saúde e não pela doença de base é responsável pela perda de milhares de vidas e também por prejuízos econômicos, uma vez que prolonga o tempo de permanência dos pacientes em ambientes hospitalares.

SERVIÇO

*Mais Informações e inscrições: www.saec.org.br

Fortaleza terá passeio ciclístico com músicas e fantasias de Carnaval

Fortaleza assistirá, no próximo sábado, 23, a um passeio ciclístico em clima de Carnaval. A Rede Bike Anjo vai celebrar seis anos de atividade na capital cearense e, por conta disso, os voluntários do projeto farão o Bloquinho do Bike Anjo (BBA). O passeio ciclístico gratuito será de 5 km de extensão com muita música, fantasia e animação.

O BBA é pensado principalmente para os ciclistas iniciantes, que querem perder o medo de andar no trânsito, mas todos que quiserem cair na folia sobre duas rodas serão bem-vindos. A rota terá como ponto de partida e chegada a Praça Luíza Távora. A concentração para o início do passeio começa às 15h30min. A previsão é de que o evento termine às 17 horas, informa a assessoria de imprensa da Bike Anjo

 

Confira o mapa do percurso

Após partirem da Praça Luíza Távora, os ciclistas irão seguir pela Av. Santos Dumont, dobrar na Av. Senador Virgílio Távora e prosseguir pela Av. Dom Luís, cruzando a Praça Portugal. A rota continua pelas ruas Joaquim Nabuco, Ana Bilhar, Dep. Moreira da Rocha e Monsenhor Bruno, até chegar novamente à Praça Luíza Távora.

SERVIÇO

*Para mais informações, acesse o site bikeanjo.org.

(Foto – Divulgação)

Aumenta número de pessoas que buscam por crédito, aponta Serasa

O número de pessoas que buscam crédito no país aumentou 2,9% em janeiro na comparação com o mês anterior, aponta indicador da empresa de consultoria Serasa Experian. Em relação a janeiro de 2018, houve alta de 0,6%. Para os economistas da consultoria, a estabilidade da taxa de juros e da inflação, e a melhora do grau de confiança dos consumidores explicam o resultado.

Houve variação positiva da procura por crédito em todas as faixas de renda em janeiro deste ano em relação ao dezembro de 2018. O maior crescimento (3,1%) foi registrado entre os consumidores que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais. Na faixa de até R$ 500 por mês, houve alta de 2,6%. Para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês, o avanço foi de 2,8%.

Entre as maiores rendas, a busca por crédito cresceu 2,6% para a faixa de renda entre R$ 2 mil e R$ 5 mil mensais; 2,4% para o consumidor com renda entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por mês e de 2,7% para quem ganha mais de R$ 10 mil.

Na análise por região, houve avanços da demanda por crédito em todas as regiões em janeiro em relação ao mês anterior: no Centro-Oeste (6%); Nordeste (2,7%); Norte (1,3%); Sul (4,8%); e no Sudeste (2%). Em relação a janeiro de 2018, foram registradas altas no Centro-Oeste (10,8%); Nordeste (8,2%), Norte (6,4%) e Sul (2,8%). A exceção foi o Sudeste (-5,3%).

Em relação a janeiro de 2018, a procura por crédito apresentou variações positivas apenas nas faixas de renda mais baixas. Houve avanço de 3,6% para quem recebe até R$ 500 mensais e de 1,3% para quem ganha entre R$ 500 e R$ 1 mil por mês. Para os que recebem entre R$ 1 mil e R$ 2 mil por mês, o recuo foi de 0,3%. Para a faixa de renda entre R$ 2 mil e R$ 5 mil mensais, a queda foi de 0,8%. Foram registrados recuos de 1,1% para o consumidor com renda entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por mês e de 1,2% para quem ganha mais de R$ 10 mil.

(Agência Brasil)

Ministro Marcos Pontes garante novas tecnologias para o Ceará no plano dos recursos hídricos

Marcos Pontes e o deputado federal Heitor Freire (PSL).

O deputado federal Heitor Freire (PSL) foi recebido em audiência, em Brasília, pelo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, ocasião em que discutiram um plano de ações para o Ceará. Um dos principais pontos abordados foi a área dos recursos hídricos.

O ministro Marcos Pontes apresentou ao parlamentar uma tecnologia israelense que conheceu durante visita ao país no início deste ano. Um dos destaques ficou por conta da empresa israelense Watergen, que doou 11 máquinas que transformam a umidade do ar em água. As máquinas podem produzir até 900 litros de água por dia, dependendo do local de instalação e da umidade do ar, que deve ser de, pelo menos, 15%. O ministro Marcos Pontes garantiu que uma dessas máquinas virá para o Ceará.

“Nós estamos elaborando um estudo para saber qual cidade vai receber a máquina. Sabemos que o acesso à água potável é imprescindível para ajudar a controlar doenças e também reduzir problemas como a mortalidade infantil e outros, além, claro, de permitir um maior cuidado com o preparo dos alimentos e o consumo das pessoas e animais. Temos certeza que essa máquina será muito bem aproveitada aqui no Ceará”, destaca Freire.

O ministro Marcos Pontes garantiu que em breve fará uma visita ao estado para conhecer de perto as necessidades da população cearense.

(Foto – Divulgação)