Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ceará volta a perder na Série B

94 1

O Ceará chegou à sua oitava rodada consecutiva sem vitórias (sete derrotas e um empate), na tarde deste sábado (17), ao perder para o Bragantino, no estádio Presidente Vargas, por 2 a 1, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

A equipe alvinegra ainda saiu na frente do placar, logo aos dois minutos de partida, mas permitiu a virada do time paulista.

Na última rodada, no próximo sábado (24), o Ceará enfrenta o Vitória (BA), em Salvador.

Deputados devem votar projeto que acaba com o fator previdenciário

87 3

A Câmara dos Deputados deverá votar na próxima semana, em sessões extraordinárias, o projeto que acaba com o fator previdenciário, incidente nas aposentadorias do setor privado.

O fator foi criado em 1999 com o objetivo de desestimular a aposentadoria precoce por meio de um cálculo que diminui o valor dos proventos para aqueles que se aposentam mais cedo. Entretanto, até mesmo o governo admite que o mecanismo não surtiu o efeito esperado porque a média de idade dos recém-aposentados não aumentou.

A matéria conta com substitutivo de autoria do atual ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas. Ele propôs a fórmula 95/85, segundo a qual a aposentadoria sem cortes ocorreria quando a soma da idade e dos anos de contribuição do segurado atingisse 95. No caso das mulheres, 85.

A mudança ainda provoca controvérsia dentro do governo, que teme consequências de possíveis processos na Justiça pedindo equiparação com a nova regra para as aposentadorias já concedidas.

O presidente da Câmara, Marco Maia, afirmou na última quarta-feira (14) que ainda “costura um acordo” para a análise da proposta. “O acordo não é simples. Há resistência dentro do governo em função do impacto que poderá haver na Previdência”, disse Maia.

(Agência Câmara de Notícias)

Questionada lei estadual que impede restrição a crédito por falta de pagamento de conta telefônica

A Associação Nacional das Operadoras Celulares (ACEL) ajuizou Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4875) no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar a lei piauiense que impede a inscrição do nome de consumidores em cadastro de restrição ao crédito por falta de pagamento das contas. A proibição consta da Lei estadual 6.183, de 6 de março de 2012. A ACEL argumenta que a norma estadual avançou em esfera de atuação exclusiva da União, já que, por via transversa, acabou por se imiscuir na sistemática de concessão de serviço público federal.

“A vedação de inscrição de usuários inadimplentes nos cadastros de proteção ao crédito gera impacto direto em toda a prestação de serviços de telecomunicação, pois acaba por onerar o próprio sistema, o que será suportado pelos demais usuários, configurando, pois, clara violação aos princípios da igualdade e proporcionalidade”, alega a associação.

Para a entidade, ao impor obrigação de “não fazer” – vedar a inscrição de inadimplentes – às concessionárias e permissionárias de serviço público, inclusive, portanto, às empresas de telecomunicação, o Estado do Piauí invadiu a esfera de competência privativa da União (artigo 22, inciso IV, da Constituição Federal) e criou um novo “direito” ao usuário – não ter seu nome inscrito em cadastro de inadimplentes quando somente a lei federal poderia fazê-lo, nos termos do artigo 175, parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal.

(STF)

Na Espanha, Dilma volta a defender estímulo ao crescimento e menor rigor fiscal como antídoto para a crise

Em seu discurso na sessão de abertura da 22ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Conferência Ibero-Americana, que ocorre em Cádiz, na Espanha, a presidenta Dilma Rousseff voltou a defender o modelo brasileiro de investimento público e abertura de mercados como antídoto contra a crise econômica mundial.

Portugal e Espanha estão entre os países da Europa que mais têm sofrido com os efeitos da crise no continente. A presidenta criticou o modelo de austeridade fiscal proposto por alguns países da União Europeia que penaliza a população e não apresenta os resultados esperados.

“Temos assistido, nos últimos anos, aos enormes sacrifícios por parte das populações dos países que estão mergulhados na crise: reduções de salários, desemprego, perda de benefícios. As políticas exclusivas, que só enfatizam a austeridade, vêm mostrando seus limites em virtude do baixo crescimento. E, apesar do austero corte de gastos, assistimos ao crescimento dos déficits fiscais e não a sua redução. Os dados e as previsões para 2012 e 2013 mostram a elevação dos déficits e a redução dos PIBs [produtos internos brutos]”, disse.

Para a presidenta, a simples demonstração de rigor nos gastos públicos não é suficiente para garantir a confiança no mercado internacional. “Confiança não se constrói apenas com sacrifícios. É preciso que a estratégia adotada mostre resultados concretos para as pessoas, apresente um horizonte de esperança e não apenas a perspectiva de mais anos de sofrimento”, destacou.

(Agência Brasil)

Centro de Eventos ainda sem telefones públicos

345 2

O Centro de Eventos ainda aguarda a instalação de telefones públicos para a comodidade dos usuários. Em tempos de telefonia celular, iphone e iped, muitos podem pensar que o bom e velho telefone público caiu em desuso.

Mas isso não é consenso entre os frequentadores da Bienal, que ocorre no Centro de Convenções. Muitas pessoas reclamaram a não instalação dos aparelhos.

(Foto: Paulo MOska)

Crimes banais e o potencial assassino

134 2

Em artigo no O POVO deste sábado, o editor adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, comenta a banalidade de brigas no trânsito, que muitas vezes acaba em morte. Confira:

No último feriado um homem foi morto a tiros em Fortaleza no bairro Vicente Pizon após se envolver em discussão banal de trânsito. Segundo a Polícia informou à imprensa, Francisco de Assis da Costa, 35, quase colidiu o carro contra o veículo do acusado e os dois entraram em atrito. Testemunhas relataram que o autor do crime voltou momentos depois e efetuou os disparos contra Francisco, que morreu no local.

Como se nota, fato trágico que poderia perfeitamente ter sido evitado com pouco mais de tolerância. Infelizmente, porém, o fato que vitimou Francisco não se trata no Brasil de coisa rara. Muito ao contrário. Segundo dados revelados recentemente pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em média, 80% dos homicídios no país tem como motivação fatos banais, como ciúmes, conflitos agrários, discussões no trânsito, homofobia, intolerância religiosa, racismo, vingança e violência doméstica, entre outras. No Acre, com base no levantamento apresentado pelo CNMP, 100% dos homicídios tem causas banais como motivadoras.

Somente no ano passado, mais de 40 mil pessoas foram assassinadas dessa forma. O que fazer então para evitar essa verdadeira carnificina? O pior, é que nem se pode culpar o poder público por esses dados alarmantes, como se costuma fazer quando os índices de violência crescem. Como evitar que vizinhos se agridam, ou que parentes se matem ao menor sinal de divergência? Até mesmo a realização de campanhas educativas não é garantia da diminuição dessas estatísticas. O trânsito, por exemplo, não só mata através dos acidentes, como é dos maiores meios de propagação da violência.

Números que impressionam pela facilidade com que se está tirando a vida das pessoas e coloca a todos em risco. Sim, porque diante do que é relatado, quem está a salvo de ação tomada ao calor da emoção? Nesse campo, ainda, não adianta apontar o dedo. Principalmente porque em muitos casos o potencial assassino só se revela em segundos.

Pagamento de bolsa está atrasado

Alunos aprovados em concurso da Polícia Civil denunciam atraso de pagamento da bolsa do curso de formação, realizado na Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (Aesp).

Um dos alunos, que não quis se identificar, conta que o pagamento atrasado é referente ao mês de outubro e deveria ter sido depositado no quinto dia útil deste mês.

O curso de formação para os candidatos aprovados terminou no fim do mês passado. “Pode ser que acabe ficando por isso mesmo, porque o curso já acabou e não vamos conseguir reunir o grupo para fazer pressão”, disse o aluno. “Fomos informados de que o pagamento já tinha sido repassado pelo Governo do Estado para a Aesp. Bastava fazer as transferências (para os alunos)”, emendou.

Outro candidato, que também preferiu não ter a identidade divulgada, disse que a formação durou quatro meses. Segundo ele, não houve problemas no recebimento da ajuda de custo nos meses anteriores. “No início (do curso) houve um atraso, mas foi pequeno. Resolveram e estavam pagando em dias. Eles falam que, no máximo, (o pagamento) vai até o dia 10, mas até agora nada”, reclama o candidato.

A secretária-executiva da Aesp, Mariana Abreu, garante que o pagamento foi efetuado para todos os alunos. Segundo ela, as transferências para as contas bancárias foram realizadas no último dia 13. “É estranha essa reclamação”, disse.

A reportagem tentou ouvir o delegado de Polícia Civil Francisco Quintino, membro da comissão organizadora do concurso. Uma mensagem gravada no celular informava que ele não poderia atender no momento, pois se encontrava em uma reunião.

(O POVO)

Aumento da escolaridade ajuda empregado doméstico a mudar de profissão

O aumento da escolaridade média da população e um mercado de trabalho aquecido que possibilita a abertura de vagas em diversos setores contribuem para que um número crescente de empregados domésticos mude de profissão, conforme explicou o gerente da Coordenação de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Cimar Azeredo.

Para confirmar sua tese, ele citou os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2011, divulgada pelo IBGE, que indicam queda no número de empregados domésticos em três anos. Somando 7,2 milhões de pessoas em 2009, o contingente caiu para 6,6 milhões em 2011.

“Quando a pessoa se torna empregada doméstica, em geral, ela não é preparada para aquilo, ela não planejou que seria dessa forma, mas acaba arrumando o emprego e, por falta de opção, vai fazer o que aprendeu em consequência da sua própria condição social, que é arrumar cozinha, lavar roupa. Com um mercado de trabalho favorável, que abre outras portas, e com nível de escolaridade mais elevado, que lhes permite conquistar essas vagas, as pessoas estão migrando para outros setores, principalmente comércio e serviços”, explicou.

Azeredo destacou que uma das consequências desse movimento é a redução da oferta de profissionais no mercado e até a elevação dos preços cobrados pelos serviços.

Ao perceber o aumento na procura de mulheres, muitas vezes “desesperadas”, por empregadas domésticas, principalmente babás, em um grupo de discussão feminino na rede social Facebook, a servidora pública federal Débora Castro decidiu administrar uma lista e intermediar o contato entre as duas pontas. Ela recebe indicações de empregadas domésticas disponíveis e encaminha para as mulheres cadastradas, a maioria formada por mães com filhos pequenos.

(Agência Brasil)

Ceará vence por 10 a 0!

O Ceará aplicou uma goleada histórica, por 10 a 0. Mas os torcedores alvinegros não devem se animar muito, pois o jogo ocorreu há exatos 60 anos, pelo Campeonato Estadual. O adversário foi o América, que na época ainda era considerado “grande”.

“Para um clube como o América, que possui tradição e um passado a zelar, é humilhante ter que abandonar o campo com um escore de 10×0 sobre as costas”, comentou o repórter do O POVO, na matéria da página de Esportes.

Sessenta anos depois, o Ceará amarga sete rodadas sem vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro. A última vez que o torcedor alvinegro conseguiu comemorar uma vitória já faz um mês, quando a equipe goleou o América (RN), por 4 a 0.

Na tarde deste sábado (17), o Ceará enfrenta o Bragantino, no estádio Presidente Vargas, na penúltima rodada da competição.

Contratações temporárias neste fim de ano deverão crescer 5,5% em relação a 2011

Em todo o país serão criadas neste fim de ano 155 mil vagas de trabalho temporário. O número é 5,5% maior que o do mesmo período de 2011. A estimativa é da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Assertem).

“Entendemos que esse aumento se deve ao fato da economia estar mais estável, ao [maior] acesso ao crédito, à redução da taxa de juros e ao Imposto sobre Produtos Industrializados [IPI – que teve a redução prorrogada pelo governo federal para produtos como carros, geladeiras e móveis, entre outros]. As ações que o governo dotou estimulam as compras e, consequentemente, as contratações”, disse a presidenta da Assertem, Jismália de Oliveira Alves.

Segundo ela, São Paulo será responsável pelo maior número de contrações. “São Paulo lidera o número de contratações, com 29,87% [do total de contratações previstas em todo o país], o que corresponde a 46.299 vagas”, disse em entrevista à Agência Brasil, ressaltando a importância do setor comercial na criação de vagas temporárias.

“A indústria deve atender 25% dessas vagas e o comércio, portanto, fica com 75%. No caso do comércio, os principais contratantes são os shoppings centers, os supermercados, as lojas de departamento e o varejo de rua”, ressaltou. Em média, o comércio deve pagar em torno de R$ 872 (aumento de 3,5% em relação ao ano passado) e, a indústria, em torno de R$ 1.115 (crescimento de 5% em comparação a 2011).

Para Jismália, os jovens devem ser os mais beneficiados pelo trabalho temporário. “O trabalho temporário também traz para os jovens, em situação de primeiro emprego, a oportunidade da inserção no mercado de trabalho. Cerca de 20% destas vagas são destinadas para os jovens nessa condição”, disse, ressaltando que o emprego temporário é uma boa chance para quem busca um trabalho efetivo.

“Sempre sugiro que as pessoas encarem a oportunidade não apenas como um trabalho temporário, mas como oportunidade de efetivação. A pesquisa indica que 23 mil trabalhadores, das 155 mil vagas, terão a oportunidade de ser efetivados”, declarou.

Segundo a presidenta da Assertem, é importante também que os candidatos a vagas temporárias observem a legalidade do contrato de trabalho. “O trabalhador temporário tem todos os direitos do trabalhador efetivo, exceto a monta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço [FGTS] e também o aviso prévio. Portanto, ele deve ficar atento a essa relação formal. A pessoa precisa exigir o registro em carteira e um contrato de trabalho que vai estabelecer as regras desta relação”, orientou.

(Agência Brasil)

Equipes de transição se reúnem nesta segunda-feira

A nova equipe técnica da Prefeitura de Fortaleza, composta pelo coordenador do programa Fortaleza Bela Quero te Ver, José Delano de Oliveira; pela doutora em economia e ex-presidente do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), Marlene Casela; e pelo coordenador do Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor), Daniel Lustosa, se reúne com a equipe de transição do prefeito eleito Roberto Cláudio, nesta segunda-feira (19), a partir das 9 horas, na Secretaria Municipal de Administração, no bairro Dionísio Torres.

Cid Gomes convida prefeitos eleitos para o Carnabral

170 4

O prefeito eleito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB), e de outros municípios cearenses se encontram em Sobral, Região Norte do Estado, nas festividades do Carnabral, o “Carnaval fora de época de Sobral”. O convite foi do governador Cid Gomes, que também se encontra em sua terra natal.

A festa será encerrada neste sábado (17) e conta com as atrações de Ricardo Chaves, Netinho e Timbalada.

Nesta Luizianne jogou mal

84 11

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (17), pelo jornalista Érico Firmo:

Luizianne Lins (PT) tem desempenho controverso como gestora, mas seu talento para política é inquestionável. Mesmo nas jogadas mais arriscadas, como foi a escolha de Elmano de Freitas (PT) como candidato, o resultado foi surpreendente. Embora derrotado no fim, ele terminou o primeiro turno na frente e, no segundo turno, perdeu por estreita margem. Bem diferente da inviabilidade que lhe atribuía Cid Gomes (PSB).

A despeito do resultado, a prefeita saiu-se relativamente bem em jogada de altíssimo risco, mas derrapou onde não havia razão. Naquele que deveria ser seu último ato de gestão, realizou um dos mais atrapalhados lances políticos de sua trajetória. O Réveillon está entre as mais consolidadas marcas da administração que se encerra. O natural seria que buscasse fazer a festa com mais brilho que nunca, para marcar o desfecho de seu governo. Faria sua despedida e poderia destacar os aspectos positivos de seu legado. E deixaria patente a responsabilidade de seu sucessor em dar continuidade ao que construiu.

Luizianne sempre teve instinto peculiar apenas aos políticos mais vocacionados. Mas, nesse caso, parece ter confundido o instinto com o impulso. Agiu aparentemente movida pelo ímpeto de quem permanece naturalmente magoada com o resultado eleitoral. Ao condicionar a realização do Réveillon a iniciativas do Governo do Estado e do prefeito eleito, deu a Roberto Cláudio (PSB) a oportunidade de se apropriar, de certa forma, da marca simbolicamente associada a ela. Entregou de bandeja uma das características mais fortes de seu mandato para o adversário se aproveitar.

E, do ponto de vista político e administrativo, era óbvio que não caberia outra postura ao governador Cid Gomes e ao gestor eleito de Fortaleza que não garantir as medidas ao alcance deles para a realização do Réveillon. Luizianne acabou criando a seguinte situação: se a festa for um sucesso, será em função do aval dado pelos dois dirigentes do PSB. Afinal, ela mesma disse que a concretização ou não dependeria de ambos. Se, por outro lado, for um fracasso, a Prefeitura não tem como transferir a culpa. As garantias pedidas a terceiros foram dadas. A bola está com a atual gestão.

Às vezes, os grandes talentos enxergam algo onde as pessoas comuns não veem. Ou a atitude de Luizianne foi absolutamente genial ou foi mesmo apenas uma trapalhada das grandes.

Vereador Plácido lamenta não cumprimento de promessa do líder da prefeita

125 14

“O clima entre os terceirizados da Prefeitura é de tensão e descrédito. Muitos até acreditam que serão vítimas de calote e já não sabem a quem recorrer”.

A declaração é do líder da oposição na Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Plácido Filho (PDT), diante das duas semanas de atraso nos salários dos servidores terceirizados na área da Saúde da Prefeitura de Fortaleza.

Na última terça-feira (13), no plenário do Legislativo Municipal, Plácido Filho denunciou a situação dos terceirizados da Saúde, que também estão sem receber benefícios como vale-alimentação e passcard. “O líder da prefeita, vereador Ronivaldo Maia (PT), deu a palavra que resolveria o problema, junto à prefeita Luizianne Lins. Mas, pelo visto, as coisas estão confusas nesse fim de gestão”, lamentou Plácido.

O Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Apoio a Gestão em Saúde (IDGS), na condição de Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), é o responsável pelos salários de cerca de cinco mil terceirizados da Saúde, além da compra de medicamentos. Segundo a entidade, a Prefeitura não teria feito o repasse de recursos para o pagamento de salários.

Devolução já!

99 1

Da coluna Vertical, no O POVO deste sábado (17):

O procurador da República Alessander Sales deu entrada numa ação civil pública na Justiça Federal contra a Coelce e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Quer a devolução imediata de cerca de R$ 300 milhões que a Coelce vinha cobrando indevidamente na conta de luz nos últimos anos, o que foi reconhecido por essa estatal.

Segundo Alessander, a devolução imediata é questão de justiça, até “porque o dinheiro foi captado dos consumidores residenciais e industrias e existe”. A Aneel determinou que a Coelce fizesse a devolução entre 2013 e 2014, no que para o procurador tal decisão fere a legislação do setor energético do País.

Deputados podem votar marco civil da internet

Apesar das negociações que ocorreram nesta semana, continua o impasse em torno do marco civil da internet (PL 2126/11, apensado ao PL 5403/01).

O relator do projeto, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), defende em seu texto a permanência do conceito de neutralidade da rede, que pretende garantir a inexistência de privilégios na transmissão dos dados, independentemente de conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicativo.

Segundo o relator, pressões dos provedores de conexão têm impedido o consenso em torno do texto. Os provedores são contra o princípio da neutralidade. Além disso, estariam insatisfeitos com a proibição de guardar os registros da navegação dos usuários de internet.

A neutralidade de rede, de acordo com o relator, vai impedir que os provedores façam distinção de velocidade entre um ou outro site ou aplicativo. Alguns deputados, no entanto, manifestaram-se contra a neutralidade e defenderam a possibilidade de o provedor dar preferência, na transmissão de dados, para o consumidor que pagar mais.

(Agência Câmara de Notícias)

Governo pede sugestões de planos de cargos e salários para profissionais do SUS

70 1

O Ministério da Saúde estabeleceu até dia 30 de novembro para os secretários de Saúde darem sugestões de planos de cargos, carreiras e salários e de melhoria das condições de trabalho de profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). A intenção do governo é promover melhorias nas condições de trabalho dos profissionais do SUS.

Mozart Sales, secretário de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, disse em nota que o objetivo é estimular gestores e profissionais a encontrarem, de maneira integrada, soluções inovadoras que possam melhorar as condições dos profissionais do SUS e evitar a fragilização dos vínculos trabalhistas.

O Ministério da Saúde deve investir R$ 29 milhões em dez projetos  de abrangência intermunicipal e/ou regional que serão selecionados entre os enviados. Destes, sete selecionados serão projetos de melhorias das relações e dos vínculos de trabalho e três de planos de carreira, cargos e salários.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) sugere que seja adotada uma carreira de estado com dedicação exclusiva, semelhante a dos magistrados. No Dia do Médico, comemorado em outubro, o presidente do CFM, Roberto d’Ávila diz que é uma boa forma de valorizar o trabalho dos médicos e, além disso, suprir a carência de profissionais em cidades menores, principalmente da região amazônica e do interior do Nordeste do país.

(Agência Brasil)

Procurador entra com ação civil pública contra Coelce e Aneel pela devolução de R$ 300 milhões

170 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=m3PvHXWDAkw&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg&index=1&feature=plcp[/youtube]

O procurador da República Alessander Sales deu entrada numa ação civil pública na Justiça Federal contra a Coelce e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Quer a devolução imediata de cerca de R$ 300 milhões que a Coelce vinha cobrando indevidamente na conta de luz nos últimos anos, o que foi reconhecido por essa estatal.

 

Ministro Joaquim Barbosa nega suspensão de reajuste para professores

114 6

“O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, negou pedido de liminar (decisão provisória) de seis governadores para suspender o índice de reajuste do piso nacional de professores da rede pública, definido em lei de 2008. O critério atual leva em conta o aumento no valor gasto por aluno no Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica). Com base nesse parâmetro, o reajuste deste ano foi de 22,22% em relação ao valor pago ano passado –o salário subiu de R$ 1.187 para R$ 1.451.

Com dificuldade para cumprir a regra, muitos Estados ainda não pagam o valor estipulado. Em sua decisão, o ministro argumentou que o Supremo já considerou constitucional a fixação do piso para a rede pública em 2011 e que esse questionamento sobre o mecanismo de reajuste deveria ter sido feito nesta ação. “Essa omissão sugere a pouca importância do questionamento ou a pouco ou nenhuma densidade dos argumentos em prol da incompatibilidade constitucional do texto impugnado”, disse.

Barbosa rebateu ainda tese dos governadores de que pode faltar recursos para pagar a correção. Ele sustenta que previsão legal obriga a União a complementar os recursos locais para atendimento do novo padrão de vencimentos. “Toda e qualquer alegação de risco pressuporia prova de que o governo federal estaria a colocar obstáculos indevidos à legítima pretensão dos entes federados a receber o auxílio proveniente dos tributos pagos pelos contribuintes de toda a Federação”.

Na ação, os Estados destacam a diferença entre o reajuste atual e o que seria aplicado com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). O INPC acumulado em 2011 foi de 6,08%. O documento é assinado por governadores dos Estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí, Rio Grande do Sul, Roraima e Santa Catarina. Entre eles, há apenas um petista: o governador Tarso Genro, ex-ministro da Educação. Ao validar o piso no ano passado, o Supremo entendeu que ele deve ser composto apenas pelo vencimento básico, sem levar em consideração os benefícios adicionais, como vale-refeição e gratificações. A decisão teve origem em outra ação direta de inconstitucionalidade proposta pelos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul e Ceará.”

*Com Portal Uol aqui.