Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Por que as obras demoram tanto?

70 2

Obra foi uma promessa de campanha, ainda em 2004

Há dois mandatos à frente de suas gestões, Cid Ferreira Gomes, o governador cearense conhecido por prometer obras de grande magnitude, e Luizianne Lins, a prefeita fortalezense que há oito anos trabalha a entrega de um hospital especializado na saúde da mulher, mostram-se adeptos de uma linha de governo que tornou-se cultura entre os gestores Brasil afora: iniciar um mandato de quatro anos com planos para oito.

Estratégia de quem prospecta a reeleição ou simplesmente planos que acabam se arrastando por fatores não antevistos pelos gestores, o fato é que grande parte das obras prometidas no primeiro ano de gestão dos governantes acaba por se estender de tal forma que chegam a ser entregues após mais que o dobro do prazo de conclusão inicialmente previsto.

Há não muitos anos, um mandato era suficiente para o gestor inaugurar uma obra de expressividade. Hoje, os projetos não aumentaram o porte, mas demandam mais tempo para conclusão. No Ceará, sobram exemplos de obras prometidas em primeiro mandato e que não foram entregues após os quatro anos de gestão. Metrofor, Hospital da Mulher, Centro de Eventos, Cucas … Projetos inconclusos que se tornaram paradigma de planejamentos mal feitos.

Em dezembro deste ano, Luizianne Lins encerra seus oito anos como prefeita da capital cearense. Em poucos meses, começa a se desenhar o cenário pré-eleitoral e é dada partida para a disputa entre os candidatos à sucessão. Neste contexto, os feitos do atual governo virarão portfólio para um possível sucessor aliado. Em contraponto, novos projetos, obras inéditas e planos ainda desconhecidos permearão a mente dos eleitores.

Diante desse quadro, caro leitor, O POVO abre debate sobre o novo tempo para se concluir uma obra prometida ainda em campanha eleitoral. Por que elas atrasam tanto? Que estorvos são encontrados durante a burocracia para se licitar e dar prosseguimento a uma obra? A possibilidade de reeleição determina a escolha de um candidato para que ele dê prosseguimento a algo inacabado? E dar continuidade a um projeto iniciado por um colega. Por que não?

(O POVO)

Literatura infantil estimula criatividade e tolerância, diz escritora de livros para crianças

“Uma criança que lê desde pequena se torna um adulto mais aberto, capaz de enxergar o outro com olhar mais democrático, reconhecendo e respeitando as experiências alheias”, diz a jornalista e escritora Alessandra Roscoe, durante a 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, em Brasília.

Segundo a escritora, a literatura não apenas estimula a criatividade como permite exercer a imaginação ao extremo. “A gente precisa de fantasia para aguentar o tranco do mundo real”, acredita.

Com 12 livros escritos mais duas participações em coletâneas, Alessandra busca inspiração na convivência com os filhos para as histórias. Para atrair a atenção da criançada, vale apelar para todos os sentidos, mas sem perder de vista o conteúdo. “Ilustrações, cantigas, poesia, o livro infantil precisa ter algo a mais, mas sem deixar de contar uma história envolvente e, antes de tudo, estimular a leitura por prazer”, explica.

Para Alessandra, é importante estimular a leitura desde cedo, de preferência desde a barriga da mãe. Ela participa de grupos de leitura com gestantes, com bebês e com crianças pequenas. Os pais que aderiram ao método aprovam a experiência.

(Agência Brasil)

Dragão do Mar em crise?

72 5

Conforme O POVO publicou nas edições de terça e quarta-feira passadas, no próximo dia 30 o contrato entre o Unibanco/Itaú e o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura será encerrado. Os cinemas continuarão funcionando, como a própria diretoria esclareceu em nota. Mas o fim da parceria que garantiu por mais de uma década (o Espaço Unibanco foi inaugurado em janeiro de 1999, antes mesmo da inauguração oficial do próprio Dragão do Mar) às duas salas de cinema do centro cultural uma programação alternativa aos cinemas de shopping redobra a atenção sobre a gestão do equipamento.

Apesar da atual diretoria do Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC) – organização social que administra o Dragão, o Centro Cultural Bom Jardim e a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho – tratar o caso como um episódio isolado, consequência da decisão administrativa do próprio banco, o fim do contrato reflete, de certa forma, um processo de degeneração e enfraquecimento da atuação do centro cultural na cidade.

Antes do cinema foi a livraria Livro Técnico, fechada ainda ano passado. O aumento da violência no entorno do espaço também passou a ser cada vez mais comentado entre seus frequentadores, o que, se não é algo novo, parece ter sido agravado com os anos. Essa sensação de insegurança, combinada à imagem de deterioração física que o Dragão do Mar espelha em detalhes, como na grama transformada em chão batido na Praça Verde, as pedras portuguesas soltas do calçamento ou os bancos depredados, deixa o equipamento cada vez menos convidativo e destituído de sua função primeira.

Inaugurado em agosto de 1998 de forma experimental, o Dragão do Mar surgiu como um projeto pretensioso, um colosso de 30 mil metros quadrados de área total com museu, anfiteatro, teatro, salas de cinema, livraria, cafeteria, entre outros espaços. Meses depois, em abril do ano seguinte, data de inauguração oficial, somou-se ainda o Planetário Rubens Azevedo, um dos mais modernos do País. Sua política deveria atuar na formação, produção e difusão das artes no Ceará, além de capitanear um processo de requalificação da área, uma antiga zona portuária.

Depois de 13 anos, o equipamento mantém um orçamento médio de R$ 6 milhões por ano (R$ 6,5 mi foi o valor de 2011), quase todo gasto na manutenção do espaço, que recebe todos os finais de semana uma leva de pessoas em busca de diversão. Se por um lado ele virou um grande polo da noite fortalezense, por outro recebe cada vez mais críticas sobre a ausência de ações em outras áreas tidas como fundamentais para a demanda que ele se propõe a atender.

(O POVO)

Guerrilha do Araguaia não foi um episódio qualquer da história, diz presidente da Comissão de Anistia

61 1

O presidente da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão, afirmou nesse sábado (14) que a Guerrilha do Araguaia, que completou 40 anos no último dia 12, não foi um episódio qualquer da história do Brasil, mas sim um momento no qual houve um massacre direcionado a um conjunto de brasileiros resistentes em uma das maiores mobilizações militares.

A data foi lembrada durante o Sábado Resistente, ciclo de eventos realizado uma vez por mês no Memorial da Resistência de São Paulo. O evento é organizado pelo Memorial e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, para lembrar o período da ditadura militar no Brasil.

O encontro debateu o legado do movimento guerrilheiro, além da responsabilidade pelos crimes cometidos pelo Estado na região. “Reunir quase três mil soldados para dizimar a vida de 79 militantes é uma brutalidade que precisa ser cada vez mais denunciada e transformada em uma questão de debate público nacional para que as pessoas tenham consciência de que a violência da ditadura tem reflexos até os dias de hoje”, disse Abrão.

Segundo ele, é necessário um trabalho cotidiano para superar a cultura da violência.”Esse é o legado que a juventude do Araguaia deixa para nós”, acrescentou.

Atualmente, destacou Abrão, o país vive em uma democracia, porém ainda existem ambientes autoritários e de opressão nesse regime. “Saber  se dar conta disso é perceber que a democracia não é um fim em si mesma, é um processo, e nossa tarefa hoje não é mais a de simplesmente reconquistar o direito de votar e viver com liberdade, e sim o de democratizar nossas relações sociais e aquilo que nos iguala enquanto cidadãos.”

Para o diretor do Núcleo de Preservação da Memória Política, Maurice Politi, é preciso regatar, a todo momento, os movimentos de resistência à ditadura militar, porque durante muitos anos passou-se uma borracha em cima do que aconteceu no país e, por isso, a juventude não conhece esse período da história. “Partimos do princípio de que, só conhecendo o passado, podemos entender o presente e construir um futuro melhor para que períodos como aquele não se repitam mais”, disse ele.

Um dos homenageados do dia, José Moraes, conhecido como Zé da Onça, era um camponês que vivia no Araguaia e apoiou os guerrilheiros que lá se instalaram, ajudando-os com alimentação, abrigo e transporte de mantimentos “Eu me sinto muito emocionado, forte, porque eles eram pessoas humildes, que ajudavam os outros. Eles viam uma pessoa pela primeira vez e parecia que já a conheciam há 200 anos. Eu amava aquele povo. O que lembro dos guerrilheiros, eu vi e conto o que vi ao vivo. Eu convivi com eles.”

O movimento guerrilheiro no Araguaia começou no fim dos anos 60 para lutar contra a ditadura militar. Organizado por pessoas ligadas ao PCdoB, o grupo acabou constituindo o primeiro movimento que enfrentou o Exército durante o regime militar. No conflito, morreram mais de 60 pessoas e muitos corpos continuam desaparecidos.

(Agência Brasil)

Líder do Governo manda nota para Blog

130 15
O Blog recebeu nota do líder do Governo na Assembleia Legislativa, Antônio Carlos (PT), acerca de post intitulado “Caso dos consignados – Líder do Governo com cara de “Amélia””. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Gostaria de fazer alguns esclarecimentos que reputo importantes em relação a nota publicada na tarde de ontem (13/04), nesse importante e conceituado veículo de comunicação. Vamos a eles.

1.Todas as posições defendidas enquanto lider do governo na al o que inclui obviamente as relativas aos posicionamentos do Estado – recentes e anteriores sobre os consignados– foram dialogadas diariamente por mim com Governador Cid e os membros designados por ele para tratar do assunto.

2. Obviamente que pelo fato do governo ter tomado posições sobre o episódio em questão –como havíamos antecipado– sem açodamento, mas de forma equilibrada e com a devida responsabilidade, faz com que a oposição procure argumentos para não reconhecer que o Governo está agindo de maneira correta sobre o assunto.

3. As declarações do próprio governador, de que não permite tráfico de influência em seu governo, reafirmam sua posição objetiva em não aceitar nenhum tipo de desonestidade ou desvio de conduta. Ao tomar as decisões anunciadas recentemente, contraria a oposição que afirmava rotineiramente que nada seria feito.

4. Chama atenção, portanto, a interpretação da oposição que faz a separação entre minhas posições de líder e as posições do governo. Isto na prática não existe.

5. Na condição de líder do governo, não ajo e não agi, em momento algum, diante da responsabilidade que tenho, sem que tenha uma combinação política com o governo que, repito, defendo não só por ser líder, mas por acreditar nas suas ações inclusivas. Governo que defendo também pelo fato do meu partido, o PT, de maneira democrática e amplamente majoritária ter decido contribuir com o projeto em andamento Ceará.

* Deputado Antonio Carlos (PT)

Líder do Governo na Assembleia Legislativa.

Para Ciro, sonho de ser presidente ainda não acabou

136 13


“Sonho ser presidente da República. Minha hora melhor já passou. Isso não significa que não apareça uma outra oportunidade, mas a melhor hora já passou”, diz o ex-governador Ciro Gomes, numa entrevista para a Agência Estado. Ele afirma que não pensa mais em mudar de partido. “Não vou mais tentar construir em outro partido como fiz noutras ocasiões. O PSB é um partido de gente muito boa. E a ideia do socialismo democrático é a ideia que o mundo precisa praticar como saída para essas gravíssimas contradições. Eu vou continuar militando aí”.

Depois de se separar da atriz Patrícia Pilar e sem exercer nenhum cargo eletivo, o ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB) diz que passa por um momento de “desintoxicação” na política, mas não descarta a possibilidade de ser candidato à Presidência da República novamente.

Mesmo longe da política, ele mostra que não deixou de acompanhar os assuntos nacionais. Questionado sobre o alcance dos escândalos envolvendo o contraventor Carlinhos Cachoeira, parlamentares e políticos de diversos partidos, inclusive alguns da base aliada do governo, Ciro defendeu a presidente Dilma Rousseff e elogiou suas atitudes. “Ela já demonstrou ao País que não tem compromisso com o erro. Até agora, todos os que fizeram xixi fora do penico ela pôs para fora”, comentou.

“Ela está obrigada a governar o dia a dia. Ela recebeu o pacote pronto, que é uma aliança comprometida no seu centro com a fisiologia e o patrimonialismo, quando não com a roubalheira.”

Entidades farão ato em repúdio ao assassinato de ambientalista

Entidades que defendem o meio ambiente realizarão, neste domingo, a partir das 10 horas, um ato em memória de Carlos Henrique. Carlos foi assassinado no dia 1º deste mês, no Conjunto José Walter, após um batizado. Ele era geógrafo ambiental, integrante do INSTITUTO AMBIENTAL VIRAMUNDO e estava trabalhando na Autarquia do Meio Ambiente da Prefeitura de Eusébio. O ato ocorrerá ao lado da Igreja Santíssima Trindade no José Walter, na Av. C (ao lado do Colégio Otávio de Farias), no local onde ele foi assassinado.

Na ocasião será plantado um pé de IPÊ simbolizando a luta de Carlos em defesa do meio ambiente e da vida. Representantes das Comissões de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Câmara Municipal e Governo do Estado, Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Ceará, Crítica Radical, Rosa da Fonseca, Maria Luiza Fontenele, o vereador João Alfredo, Movimento VIRAMUNDO, familiares e amigos participarão da manifestação.

Deputado cearense participa de reunião do Conselho Agropecuário do Sul na Bolívia

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal, integra a comitiva do Mmnistro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, que vista a Bolívia nesta segunda e terça-feira. O objetivo é participar da XXII Reunión Ordinaria Del Consejo Agropecuario Del Sur na cidade de Santa Cruz de la Sierra e que será aberta por Mendes Ribeiro e pela ministra do Desenvolvimento Rural da Bolívia, Nemesia Achocollo.

Entre os assuntos a serem discutidos no encontro: a cooperação técnica e as relações comerciais entre os países, diálogo com o setor privado, tarifas tributárias, a situação das negociações agrícolas na OMC, além da exposição dos ministros de Agricultura dos países presentes para a Rio +20, com foco para futuras ações regionais conjuntas.

Na terça-feira, está prevista coletiva de imprensa no Hotel Los Tajibos onde se realiza a reunião.

PMs acusados de tentativa de homicídio contra turistas vão a julgamento nesta 2ª feira

97 1
” A 2ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua levará a julgamento, nesta segunda-feira (16/04), às 13h30, os policiais militares Rinaldo Carmo Sousa, Francisco Edemildo de Lima e ainda Antônio Eduardo Martins Maia, já excluído dos quadros da PM do Ceará. Eles são acusados pelas tentativas de homicídio contra os espanhóis Marcelino Ruiz Campelo e Maria del Mar Santiago Almudever, o italiano Innocenzo Brancati e a brasileira Denise Sales Campos Brancati, no ano de 2007, em Fortaleza.

O júri será presidido pelo magistrado Henrique Jorge Holanda Silveira, titular da Vara. A acusação terá à frente o promotor de Justiça Manoel Epaminondas Vasconcelos Costa e a defesa ficará a cargo do defensor público Eduardo Villaça. Segundo o Ministério Público do Ceará (MP/CE), no dia 26 de setembro de 2007, por volta das 21h, as vítimas trafegavam no sentido Aeroporto-Aldeota, em uma caminhonete, quando foram alvejadas por disparos vindos de viaturas policiais que faziam cerco para capturar acusados de roubar um caixa eletrônico.

Sem fazer abordagem, os policiais efetuaram diversos tiros, dos quais 22 atingiram o automóvel. Innocenzo Brancati, que dirigia o veículo, foi atingido no braço e Marcelino Ruiz Campelo levou um tiro no ombro esquerdo. A bala se instalou na coluna e ele ficou paraplégico.

Ainda de acordo com a denúncia, os disparos só cessaram quando a vítima Denise Sales Campos Brancati saiu do automóvel para demonstrar que não eram assaltantes. O MP/CE denunciou dez policiais militares, sendo que a Justiça pronunciou oito. Desses, dois já foram julgamentos e condenados.

Em dezembro de 2011, Francisco Emanuel Rodrigues Felipe recebeu pena de três anos e seis meses de reclusão, em regime aberto. No dia 23 de novembro do ano passado, Luiz Ary da Silva Barbosa Júnior foi condenado a 24 anos de prisão, em regime fechado.

Os policiais Marcelo Lima Alves e Francisco Eloy da Silva Neto, também acusados de envolvimento no crime, foram pronunciados, mas recorreram da decisão junto ao Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). Outros dois PMs, Antônio Liberato Dias e Marcos Antônio da Silva, foram impronunciados por falta de provas, porém o Ministério Público estadual apelou ao TJCE. O policial Francisco Eunias de Souza, também acusado, morreu durante o curso da ação.”

(Site do TJ-CE)

Sarney será submetido a cateterismo na manhã deste domingo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), internado no final da tarde desse sábado (14) no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, será submetido a um cateterismo na manhã deste domingo (15), de acordo com boletim médico divulgado pelo hospital na noite de sábado. O procedimento é usado pelos médicos para ter acesso ao interior do coração do paciente, por meio de um vaso sanguíneo do braço, pescoço ou coxa e, em geral, é feito para diagnóstico ou para pequenas cirurgias.

Sarney antecipou um check up, marcado para quinta-feira (19), em razão de fortes dores de cabeça. Os exames iniciais – elerocardiograma e ecocardiograma – detectaram alterações “compatíveis com o quadro de insuficiência coronária”, de acordo com nota do hospital.

O presidente do Senado e também ex-presidente da República tem 81 anos e é um dos parlamentares mais idosos do Congresso Nacional. Sarney foi ainda governador do Maranhão, estado onde nasceu.

(Agência Brasil)

Delta aparece em gravações de operação da PF. Construtora tem obras do Ceará

Essa matéria é do site Contas Abertas

O principal “cliente” da Delta Construções no governo federal é Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), vinculado ao Ministério dos Transportes. Segundo a Controladoria Geral da União (CGU), entre os anos de 2007 e 2010, foram encontradas irregularidades em 60 contratos que somam R$ 632,3 milhões. As ações envolvem a conservação, recuperação, restauração e tapa-buracos em 31 rodovias do país. No período do levantamento, a construtora recebeu R$ 2,1 bilhões do Ministério dos Transportes.

As irregularidades estão localizadas em 17 estados. Os problemas ocorreram em Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Sergipe, São Paulo e Tocantins. De acordo com a CGU, o levantamento não engloba todos os trabalhos realizados pela Controladoria, mas sim uma amostra das apurações realizadas, entre 2007 e 2010.

As maiores irregularidades do biênio 2007/2008 foram constatadas em Contratos de Reabilitação e Manutenção de Rodovias (Crema). No contrato da BR-316, no Maranhão, no valor de R$ 101,5 milhões houve atrasos na implantação dos postos de pesagem, ausência dos serviços de manutenção dos trechos e superposição de contratos. Nas BR’s 010 e 316, no Pará, que envolviam ações no valor de R$ 73,3 milhões, foram observadas falhas de desempenho referentes à existência d e buracos na pista e nos acostamentos, desníveis entre a pista e o acostamento, bem como depósitos de materiais em locais inadequados.

Entre 2009 e 2010, os maiores problemas descobertos foram pagamentos indevidos de R$ 2,2 milhões oriundos de sobrepreço na licitação em serviços de manutenção e recuperação no estado do Mato Grosso (BR-070/163/346/MT). Além disso, sobrepreço de R$ 6,8 milhões na licitação e contratação da obra. Ao todo, o contrato tinha valor de R$ 39,4 milhões.

Conforme o Contas Abertas publicou no último dia 12, se considerados os contratos da instituição com a administração federal direta ( xcluídas as empresas estatais) desde 1996, os valores recebidos pela Delta cresceram 193 vezes. Naquele ano, a construtora recebeu R$ 4,5 milhões da União. Em 2011, o valor chegou a R$ 884,5 milhões. O crescimento exponencial chamou atenção nesta semana, tendo em vista que a empresa foi citada em diversas gravações da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.

PMDB realiza encontro em Guaraciaba do Norte. Neste domingo, será a vez de Itapipoca

255 1

O presidente regional do PMDB, senador Eunício Oliveira, comandou, neste sábado, em Guaraciaba do Norte (Região da Ibiapaba), mais um encontro regional do partido no Interior. O encontro, tendo a presença de parlamentares como o deputado federal Mauro Benevides, ex-presidente estadual, ocorreu no Hotel Sol Nascente e reuniu lideranças de vários pontos daquela banda do Estado.

O mote do encontro foi o pleito deste ano. O PMDB quer expandir ações em todo o Estado e deverá lançar nomes em 110 municípios pelos menos, de acordo com seu dirigente estadual.

Neste domingo, Eunício seguirá com sua caravana para o município de Itapipoca, onde haverá convenção municipal do PMDB. O ato acontecerá às 10 horas, no Clube Social Imperatriz. Em Itapipoca, o partido apostará fichas na candidatura do empresário Roberto Leite.

Morre cineasta Paulo Cezar Saraceni

Vitima de disfunção múltipla dos órgão, morreu neste sábado, no Rio,o cineasta e roteirista Paulo Cezar Saraceni. Ele foi um dos fundadores do Cinema Novo e estava estava internado desde outubro do ano passado, quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). O velório será realizado no Parque Lage, no Jardim Botânico, a partir das 14 horas deste domingo.

Carioca de 1933, Saraceni era considerado um prodígio pela classe artística brasileira desde sua estreia, em 1959, quando o curta-metragem “Arraial do Cabo” conquistou sete prêmios. Em mais de 50 anos de carreira, filmou 13 filmes, guardando especial apreço pelo título finalizado em 2011.

(Com Agências)

Cientistas identificam o umami como um quinto sabor encontrado em alguns alimentos e temperos

Ao imaginar um prato ou uma bebida que dá água na boca, as pessoas podem ir além do salgado, doce, amargo e azedo. É a descoberta de um quinto sabor básico: o umami. A palavra, de origem japonesa, significa delicioso e saboroso. Na prática, o umami é reconhecido por ser duradouro, ficando na boca por mais tempo do que os demais sabores. Inconscientemente ou não, as pessoas tendem a não exagerar quando ingerem algo cujo sabor predominante é o umami.

O sabor está presente em vários alimentos e temperos que ocupam a mesa do brasileiro, como o queijo parmesão, os peixes, os frutos do mar, o tomate, os cogumelos, o molho shoyu e algumas carnes.

Há oito anos, cientistas brasileiros da área de Toxicologia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo, pesquisam em ratos os efeitos biológicos (aspectos bioquímicos) de uma das substâncias responsáveis por esse quinto sabor – o glutamato monossódico.

O professor Felix G. Reyes, da Unicamp, que coordena o grupo de pesquisas, lembrou que a descoberta do umami foi gerada pela percepção do glutamato como realizador de sabor nos alimentos. Segundo o professor, em seguida foi verificado que o inosinato e guanilato também contribuem com o umami.

Reyes destacou ainda que o gosto doce está associado à glucose e à sacarose, o salgado ao cloreto de sódio (sal de cozinha), no amargo há um conjunto de elementos que são na sua maioria orgânicos e no azedo a sensação gustativa depende da concentração do íon hidrogênio.

Ao comer ou beber algo são acionados de 7.500 a 12.000 botões gustativos, que ficam na boca. O que parece simples e automático é identificado pela língua, que percebe os gostos doce, azedo, salgado, amargo e umami, e transmite as informações para o cérebro por meio dos nervos gustativos.

“A descoberta do umami é do começo do século 20, no Japão, quando o pesquisador Kikunae Ikeda, da Universidade Imperial de Tóquio, fez pesquisas e chegou à conclusão que existe um quinto sabor, daí o nome umami ser de origem japonesa”, disse Reyes que, atualmente, desenvolve pesquisas para avaliar o uso seguro do glutamato como aditivo alimentar para observar possíveis efeitos que esse composto possa provocar no organismo humano.

O pesquisador acrescentou ainda que o uso do glutamato como aditivo alimentar é autolimitante, pois os resultados mostram que o exagero na ingestão de um alimento ou tempero nos quais predominam o umami causam uma sensação desagradável.

Reyes disse também que efeitos adversos à saúde têm sido associados ao glutamato quando o organismo é exposto por uma via que não seja a oral. Assim, de acordo com ele, é necessário avançar nas pesquisas para verificar os impactos das substâncias que integram o umami, quando ingeridas junto com os alimentos.

“Em conclusão, as evidências científicas indicam que essas moléculas [que formam o umami] são seguras quando usadas como aditivos alimentares. Mas é preciso desenvolver mais pesquisas. Queremos verificar se há impactos bioquímicos, hematológicos ou outros efeitos adversos ao organismo”, disse Reyes.

(Agência Brasil)

Revista Singular – Mais uma edição lançada

Cinquenta anos depois do assassinato do líder rural João Pedro Teixeira, em Sapé, município paraibano, pelos capangas do  latifundiário Aguinaldo Veloso Borges, a história volta à tona. Recentemente, a presidente Dilma Rousseff empossou o novo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP), neto de Aguinaldo. A nomeação indignou os paraibanos defensores da reforma agrária.

A revista Singular deste mês e cujo lançamento ocorreu neste sábado, no Flórida Bar, relembra o episódio da morte do camponês (retratado no filme “Cabra Marcado para Morrer”, de Eduardo Coutinho)  e suas consequências e publica entrevista com a viúva de João Pedro, Elizabeth Teixeira que continua, aos 87 anos, defendendo os ideais pela posse da terra.

Além da reportagem principal, a Singular, editada pelo jornalista Eliézer Rodrigues,  ainda traz ensaio de fotografia, literatura, humor, cordel e outros temas interessantes.

Cúpula das Américas: Dilma pede mais integração econômica entre países americanos para enfrentar crise

A presidenta Dilma Rousseff pediu neste sábado (14) em seu discurso no primeiro dia da 6ª Cúpula da Américas, na Colômbia, mais integração entre os países da América Latina, do Caribe e dos Estados Unidos como forma de defesa contra a crise econômica internacional.

“A integração é uma forma de nós nos articularmos para fazer face às consequências nefastas que a crise provoca”, disse Dilma diante do presidente americano, Barack Obama, do presidente colombiano, Juan Manuel Santos e dos chefes de Estado de outros 31 países.

Para a presidenta, é necessário que os países latino-americanos e caribenhos se articulem para fortalecer os mercados internos e integrem os setores energético e logístico e as cadeias produtivas. Na opinião de Dilma, dessa forma será possível garantir crescimento para todos de maneira igualitária. “Nós temos setores industriais significativos que podem ser articulados num processo de integração em que todos nós ganhemos, uma integração entre iguais”, disse a presidenta.

Dilma destacou ainda a necessidade de articulação das fontes de financiamento do setor produtivo dos diversos países e citou como exemplo o “extraordinário crescimento” nas relações de investimento entre o Brasil e a Colômbia. “Precisamos articular também processos de sustentação e financiamento dos nossos setores produtivos e dos nossos investimentos. Seja com o Focen [Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento do Mercosul], seja com os nossos bancos de desenvolvimento, seja com o BID [Banco Interamericano de Desenvolvimento].”

Para a presidenta, o investimento é a única forma de evitar inflação e bolhas especulativas nas economias de todos os países americanos, apesar do bom momento vivido pelo continente no que se refere ao emprego e crescimento econômico. A distribuição de renda associada à integração e ao investimento, de acordo com ela, é outra forma de garantir a transformação dos países da América.

A 6ª Cúpula das Américas acontece neste sábado e neste domingo (15) e tratará de temas como desastres naturais, redução da pobreza, acesso e utilização de tecnologias, segurança e integração. Além disso, é esperado que questões antigas que permeiam os debates no continente também sejam abordadas nos encontros entre os chefes de Estado. É o caso do combate ao tráfico de drogas e do apoio à Argentina no conflito histórico com a Inglaterra pelas Ilhas Malvinas.

(Agência Brasil)

Atleta da urna

44 4

Da coluna Vertical, no O POVO deste sábado (14). Confira:

O deputado federal Artur Bruno (PT) é um dos atletas que participarão, neste domingo (15), da corrida pelos 286 anos de Fortaleza, da avenida Leste-Oeste até a avenida Beira Mar. Mas com a cabeça em outra corrida: a de pré-candidato à Prefeitura.