Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

FB participa da Olimpíada Latino-Americana de Robótica

A Rede Farias Brito de Ensino participa, a partir desta terça-feira, em João Pessoal (PB), da Olimpíada Latino-Americana de Robótica. O evento vai se estender até sábado.

No grupo do FB, tendo à frente Aline Castro, coordenadora de Olimpíadas, os alunos Lucas Patrocínio (18), Alexandre Costa (18), Matheus Cunha (18) e Gisele Vieira (17) e a expectativa de conquistar novas medalhas.

O objetivo é a classificação para a Olimpíada de Robótica de Sidney (Austrália) em 2019.

(Foto – Paulo MOska)

Petrobras registra lucro líquido de R$ 6,6 bi no terceiro trimestre

A Petrobras fechou o terceiro trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 6,6 bilhões, resultado 371% superior aos R$ 266 milhões obtidos no mesmo período no ano passado.

Com o resultado, a estatal encerra os primeiros nove meses do ano com um lucro líquido de R$ 23,6 bilhões, crescimento de 371% em relação a igual período de 2017.

O resultado reflete maiores margens na comercialização de derivados no mercado interno e o aumento das exportações, além da alta do preço do barril do óleo no mercado externo e da depreciação do real frente ao dólar.

(Agência Brasil)

Vetmóvel atende nesta semana no bairro São Gerardo

291 1

Até a próxima sexta-feira, 9, o Vetmóvel – a clínica veterinária móvel da Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal da Prefeitura de Fortaleza, estará atendendo, gratuitamente, na praça do North Shopping, no bairro São Gerardo.

A praça fica por trás desse polo de compras e o atendimento ocorrerá no horário comercial.

Difamar alguém em grupo de WhatsApp causa dano moral

Difamar alguém em um grupo de WhatsApp causa dano moral por gerar repercussão na esfera íntima do ofendido em um meio com grande visibilidade entre amigos, familiares e clientes dos participantes.

Com esse entendimento, a 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo manteve decisão que condenou em R$ 15 mil dois moradores que ofenderam a honra de administradores de condomínio ao enviarem mensagens acusatórias em grupo no aplicativo.

Os réus acusaram os integrantes da diretoria da associação que administra um loteamento de superfaturamento em obras. Entre as expressões enviadas ao grupo, formado por aproximadamente 100 vizinhos, consta “estão levando por fora, e muito”.

Segundo o relator da apelação, desembargador Pedro de Alcântara da Silva Leme Filho, é “incontroversa a ofensa difamatória inserida pelos requeridos através de comentários em grupo de WhatsApp por eles criado, causando repercussão na esfera íntima dos apelados, ademais por se tratar de veículo de grande visibilidade entre amigos, familiares e clientes do autor”.

Para o magistrado, “certo que agredir alguém, sobretudo em grupo de Whatsapp com vizinhos, é tido como conduta reprovável pela sociedade, sendo razoável conceder uma satisfação de ordem pecuniária ao ofendido”.

“Os réus, ao extrapolarem o seu direito à livre manifestação, desbordando os limites legais e passando à ilicitude, causaram danos à honra dos autores que, por conseguinte, devem ser reparados”, finalizou o relator, seguido de forma unânime por todos os membros da turma.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP)

Centro de Detenção Provisória está com quase o dobro de sua capacidade

Cláudio Justa preside o Conselho Penitenciário do Estado.

O Centro de Detenção Provisória inaugurado, recentemente, em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza), pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará, já está com quase o dobro de sua capacidade, que é de 568 presos.

A constatação está num relatório elaborado pelo Conselho Penitenciário do Estado, que fez inspeção no local. De acordo com a cúpula do Conselho, esse presídio abriga, inclusive, membros de facções diversas e já registrou quatro tentativas de fuga.

Esse presídio foi construído com o objetivo de desafogar as celas das delegacias na Capital e Região Metropolitana.

(Foto – Arquivo)

Pacote apoiado por Moro contraria Bolsonaro ao propor CGU autônoma

Sergio Moro e Paulo Guedes.

O pacote anticorrupção apresentado pelo juiz Sergio Moro como guia de sua futura gestão à frente do Ministério da Justiça defende o reforço da independência da Controladoria-Geral da União, apontando em direção contrária à indicada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. É o que informa a Coluna Painel desta terça-feira no jornal Folha de S.Paulo.

Ao convidar Moro para o ministério na semana passada, Bolsonaro sugeriu que ele poderia incorporar a CGU, principal órgão de controle interno do governo, ampliando seus poderes como ministro.

A subordinação da CGU ao futuro ministro da Justiça é tratada como incerta pela equipe de Bolsonaro. Moro, que promete detalhar seus planos em entrevista coletiva nesta terça-feira (6), em Curitiba, tem dito que a ideia ainda está em estudos.

Organizado pela Transparência Internacional em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, o pacote que o juiz analisa inclui projeto de lei para definir melhor as atribuições da CGU e mantê-la subordinada à Presidência da República, com autonomia para vigiar outros ministérios.

Em 2015, a então presidente Dilma Rousseff (PT) cogitou transferir a CGU para a Justiça e recuou após protestos dos funcionários do órgão. Na semana passada, o sindicato da categoria se manifestou contra a fusão sugerida por Bolsonaro.

(Foto – Ian Cheibub, da Folhapress)

Estacionamento do aeroporto de Fortaleza ganhará área coberta

A Fraport, gestora do Aeroporto Internacional Pinto Martins, iniciou a implantação de uma área coberta no estacionamento do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Terá, segundo funcionários da Parebem, a nova empresa que passou a gerir o estacionamento, um preço diferenciado dos R$ 14,00 cobrados por horário nesse local.

Todo o serviço deve ficar pronto até 20 deste mês.

(Foto – Paulo MOska)

Confira a equipe de transição de Bolsonaro

Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil.

Parte da equipe de transição do governo já está nomeada. A lista com os escolhidos pelo presidente eleito Jair Bolsonaro foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Inicialmente, foram definidos 22 assessores, depois incluídos mais cinco que vão atuar sem remuneração. Até o fim desta semana, outros nomes deverão ser agregados.

Bolsonaro pode indicar até 50 pessoas para sua equipe de transição. Na lista, estão alguns nomes já confirmados como futuros ministros, como o economista Paulo Guedes, que vai comandar o superministério da Economia – que une Fazenda, Planejamento e Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior. Nenhuma mulher foi nomeada para a equipe, até o momento.

Também compõem a equipe de transição o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, que assumirá a Defesa; além do astronauta Marcos Pontes, que irá para Ciência e Tecnologia. O advogado Gustavo Bebianno, que estava interinamente como presidente do PSL e um dos principais coordenadores de campanha de Bolsonaro, é outro nome que aparece na lista de nomeados.

Confira os outros integrantes da equipe de transição:

Marcos Aurélio Carvalho, Paulo Roberto, Luciano Irineu Carvalho, Paulo Antônio Spencer Uebel, Arthur Bragança de Vasconcellos Weintraub, Gulliem Charles Bezerra Lemos, Eduardo Chaves Vieira, Roberto da Cunha Castello Branco, Luiz Tadeu Vilela Blumm e Carlos Von Doellinger.

Também foram nomeados hoje Bruno Eustáquio Ferreira Castro de Carvalho, Sérgio Augusto de Queiroz, Antônio Flavio Testa, Carlos Alexandre Jorge da Costa, Paulo Roberto Nunes Guedes, Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, Abraham Bragança de Vasconcellos Weitraub, Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro e Ismael Nobre.

De acordo com o Diário Oficial da União, os seguintes assessores não terão remuneração Alexandre Xavier Ywata de Carvalho, Pablo Antônio Fernando Tatim dos Santos, Waldery Rodrigues Júnior, Adolfo Sachsida e Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque.

Transição

A equipe de transição será coordenada pelo ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, já confirmado para a Casa Civil no governo eleito. Segundo ele, além dos 22 nomeados e cinco assessores, até o final desta semana, a equipe deverá sem ampliada com a indicação de novos integrantes, além da cessão de técnicos e servidores de outras áreas, bem como a designação de mais pessoas para compor a transição de forma voluntária.

Todos os nomeados serão automaticamente exonerados dez dias após a posse de Bolsonaro. Os integrantes da equipe de transição poderão dispor de um telefone celular com acesso ao sistema que servirá como base para o governo eleito.

A plataforma, chamada Governa, já é utilizada para troca de informações entre os ministérios. A equipe de transição terá acesso irrestrito às informações das pastas, como dados sobre o governo atual e o que se planeja para 2019 com base no Orçamento previsto para o ano que vem.

(AgênciaBrasil)

Rádio O POVO/CBN abre hoje o projeto “Grandes Nomes 2018”

Tem início nesta terça-feira, a partir das 10 horas, na Rádio O POVO/CBN, o projeto Grandes Nomes 2018. O médico Carlos Roberto Rodrigues é o primeiro convidado de uma série que se encerrará dia 12. Entre vários temas, ele abordará o futuro Distrito de Saúde de Porangabussu.

Ainda na lista dos convidados estão Célio Studart (PV), vereador do PV que foi eleito deputado federal com a pauta dos pets; o poeta Bráulio Bessa; Geraldo Luciano, vice-presidente do Grupo M. Dias Branco; e o ator Silvero Pereira.

Tudo com transmissão ao vivo também pela página do Facebook O POVO/CBN, O POVO Online e TV O POVO, que exibirá as entrevistas em datas a serem divulgadas antecipadamente.

(Foto – Alex Gomes)

Bolsonaro embarca para Brasília de olho na transição

.

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) viajou, na manhã desta terça-feira (6), para Brasília. Ali, vai cuidar da transição de governo, informa o Portal G1, adiantando que esta é a primeira vez que ele viaja à capital federal depois das eleições.

A expectativa é que ele participe, nesta terça-feira, da sessão solene no Congresso Nacional em homenagem aos 30 anos da Constituição. Na quarta, ele deve se reunir com o atual ocupante do cargo, Michel Temer, e com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

O comboio deixou a casa de Bolsonaro, no Rio de Janeiro, às 5h27 e chegou à base aérea do Galeão às 6h. No trajeto, um dos batedores se acidentou. O avião da Força Aérea Brasileira decolou do Rio de Janeiro por volta das 7 horas.

(Foto – Agência Brasil)

Comércio cearense espera incremento de 10% nas vendas durante o Natal

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta terça-feira:

O comércio cearense espera um incremento nas vendas, por conta do Natal, da ordem de 10%.

É o que informa o vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado e vice da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza, Honório Pinheiro. Ele afirma que não está sendo otimista em demasia, apegando-se ao fato de que “faz parte da tradição da clientela presentear nessa época” e promover uma série de confraternizações que asseguram a venda de produtos variados que vão dos eletroeletrônicos, eletrodomésticos, roupas, calçados e também “lembrancinhas das mais variadas”.

Honório destaca que o comércio aposta em campanha maciça de publicidade e em promoções. A Federação do Comércio do Estado deve, nos próximos dias, divulgar pesquisa sobre as expectativas do consumidor quanto ao período natalino.

Aliás, bom lembrar que o Natal para esse segmento já começou. É só passar o Dia de Finados que até Papai Noel já aparece cruzando os céus e aterrissando nos shoppings do Estado.

(Foto – Ilustrativa)

Pesquisa – O que o brasileiro achou de Sergio Moro na equipe de Bolsonaro?

234 1

Um pesquisa exclusiva realizada pelo Instituto Paraná mostra: a ida do juiz federal Sergio Moro para o Ministério da Justiça foi aprovada por 82% dos brasileiros. A informação é da Veja Online.

De acordo ainda com a pesquisa, só 14% dos entrevistados rejeitaram a mudança, enquanto 2,8% não quiseram opinar.

Ou seja, um tento para o governo de Jair Bolsonaro.

(Foto -Reprodução de TV)

Editorial do O POVO – “Arboviroses: Hora de prevenir”

Com o título “Arboviroses: Hora de prevenir”, eis o Editorial do O POVO desta terça-feira:

Com a aproximação do início de um novo ano – e antes da estação chuvosa, que vai de janeiro até abril – uma preocupação toma conta das autoridades da Saúde, no Ceará: os cuidados preventivos em relação às arboviroses – doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem o vírus da dengue, Zika vírus, chikungunya e febre amarela. Isso significa não só ficar atento à menor incidência de algum desses vírus para que seja notificada imediatamente ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), mas manter uma estrutura preventiva de controle do vetor (mosquito Aedes Egypti) e de uma vigilância contínua sobre notícias de sua trajetória não só no Brasil, mas também no Exterior.

Nem sempre isso é suficiente, pois, às vezes, há surpresas inesperadas. Foi o que aconteceu em 2015, ano em que os órgãos de saúde brasileiros estavam preparados para a chikungunya, que estava atacando o Caribe e já produzira mais de um milhão de casos em um ano. Contudo, o que investiu com todo furor sobre o Nordeste e outras regiões foi o Zika vírus (a chikungunya veio em seguida), causando um verdadeiro pânico, em face da síndrome congênita que provocou microcefalia em fetos. Uma doença sobre a qual se tinha pouquíssimas informações.

Por isso, nunca existe segurança total sobre se a chegada das chuvas trará ou não epidemias de arbovírus. Será que o controle do mosquito hospedeiro foi suficiente? Terá havido alguma mutação nos vírus, desde a última incidência? – tais são as indagações que assomam as autoridades sanitárias. Assim, mais do que nunca, cabe ao departamento de Medicina Tropical do Ministério da Saúde (MS) reforçar, desde já, o sistema de vigilância epidemiológica de modo a permitir uma reação rápida diante de qualquer surpresa desagradável.

As mutações advêm da adaptação dos arbovírus a uma dada situação, através de seleção natural para preservação da espécie. Isso explica porque após vários séculos de circunscrição à África, onde era endêmica, tenha finalmente rompido as barreiras locais e adquirido capacidade para adentrar outras áreas onde antes não conseguia avançar por sucumbir à mudança de ambiente.

Insistir na prevenção exige investir na difusão da informação para que a população tenha uma atuação propositiva e não fique apenas à espera das medidas oficiais. A escola, as associações de moradores, as empresas, os sindicatos de classe e as organizações eclesiais, todos devem ser conscientizados sobre a contribuição que podem dar junto ao seu público de influência. Da parte do governo federal, é preciso que não sonegue recursos financeiros para essas ações profiláticas. Sai mais barato prevenir do que curar.

(Editorial do O POVO)

Morre Roni, o atual mascote Tutuba do Ferrão

Aos 36 anos, após ter sofrido um acidente de trânsito no fim de semana que passou, morreu, na madrugada desta terça-feira, na UTI do IJF, o homem que, desde 2015, vestia a fantasia do mascote do Ferrão, o Tutuba.

Ronierbson Gomes interpretava o personagem do modo mais natural possível. Não por acaso, colecionou admiradores em todas as torcidas nestes quatro anos recentes, muito em função de suas coreografias, além do jeito de vibrar, lamentar gols perdidos e incentivar o time na beira do campo. Tais situações irreverentes também provocaram algumas expulsões.

Roni, na foto de reprodução do Facebook, também colecionou amigos em uma vida marcada pela paixão pelo futebol e pelo Ferroviário, que começou ainda menino, nas arquibancadas, passou para o campo e na tentativa de ser jogador.

Longe da nobre função de ser o Tutuba, ele era vendedor e deixa a mulher, Nivanda Ribeiro, e dois filhos meninos, família que tanto amava.

E em um ano tão bom para o Ferroviário dentro de campo, com os títulos da Série D e da Fares Lopes, o clube e a comunidade coral perdem um grande e jovem representante, um momento triste (e que também me entristece).

Tutuba, a torcida do Ferrão sempre saberá honrá-lo.

(Blog Futebol do POVO/Foto – Mateus Dantas)

Bolsonaro chama de “vexame” prova do Enem

229 1

O presidente eleito Jair Bolsonaro criticou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e considerou a prova realizada domingo (4) como um “vexame” e uma “doutrinação exacerbada”. Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, na TV Band, Bolsonaro afirmou que a questão ideológica é grave no país que precisa ser enfrentada.

“Tão mais grave que a corrupção é a questão ideológica no Brasil, que está muito arraigada por parte de alguns aqui em nossa pátria e você tem que lutar contra isso. Até a própria prova do Enem, é um vexame você ver o que é uma prova do Enem, o que mede conhecimento, por exemplo, essa primeira parte realizada no domingo passado, ou seja, uma doutrinação exacerbada”, declarou Bolsonaro.

O presidente disse ainda que o Enem deveria cobrar “conhecimentos úteis” para a sociedade em vez de tratar de assuntos que possam influenciar os jovens futuramente. “Uma questão de prova que entra na dialética, na linguagem secreta de gays e travestis não tem nada a ver, não mede conhecimento nenhum. A não ser obrigar para que no futuro a garotada se interesse por esse assunto”, afirmou.

Filho de Bolsonaro

Mais cedo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), também criticou o Exame. Em sua conta no Twitter, o filho do presidente eleito compartilhou um comentário pejorativo sobre uma das questões em que havia um texto sobre “o dialeto secreto” usado por gays e travestis. “Aviso que não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

A pergunta, no entanto, não cobrava dos estudantes o conhecimento sobre o vocabulário dos gays e travestis, mas trazia um texto de apoio sobre o tema e questionava quais as características técnicas para que uma linguagem seja considerada um dialeto.

O deputado ainda recomendou aos estudantes que eles estudem o que os deixarão aptos para a vida. “Prezados estudantes, quando vocês forem ser entrevistados para um emprego ou estiverem abrindo um empreendimento aviso: sexualidade, feminismo, linguagem travesti, machismo e etc terão pouca ou nenhuma importância. Portanto, estude também o que lhe deixará apto para a vida”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

O deputado também compartilhou um post que chama o Enem de “bizarro” e defende a aprovação do projeto que quer instituir a chamada Escola sem Partido.

(Agência Brasil)

Torcida do Fortaleza prepara mosaico duplo para o jogo contra o CSA

Pela quarta vez nesta Série B do Brasileiro, a torcida do Fortaleza prepara um mosaico para levantar na arquibancada. Depois de homenagear a seleção brasileira, o centenário do clube e trazer um show pirotécnico para dentro do Castelão, a ideia agora é utilizar o desenho para fazer um pedido especial.

Diferente dos demais mosaicos, que sempre recorriam ao escudo do Fortaleza ou ao mascote, desta vez o tema será o desenho japonês Dragon Ball. O grupo Leões do Mosaico garante, no entanto, que tudo fará sentido na hora da execução.

João Paulo Lima, o Paulinho, um dos coordenadores do grupo, faz mistério sobre o que será visto na arquibancada, mas dá pistas. “Vamos fazer uma solicitação, não será diretamente aos jogadores, mas eles poderão realizar nosso desejo”, disse. Além dos papéis, que não faltam nos mosaicos, serão utilizadas bandeiras, fumaças, fogos, cordas e roldanas. “Além de efeitos especiais, teremos uma parte em 3D”, avisa Paulinho.

Os dois lados dos papéis do mosaico serão utilizados. Quando virados, eles formam um desenho diferente. Foto: João Paulo/Leões do Mosaico/Divulgação
Uma novidade será que o desenho terá dois cenários. O primeiro será visto quando todos erguerem os papéis do mosaico e o outro será formado quando todos virarem os papéis, ao sinal dos organizadores. Tudo vai acontecer no setor sul da arquibancada do Castelão, onde costuma ficar a torcida organizada.

Patrocínio oficial

Todos os custos da festa na arquibancada serão bancados pelo Fortaleza. O mosaico deve custar em torno de R$ 13 mil. A preparação será feita durante toda a manhã e tarde desta terça-feira, 6. Os materiais já estão confeccionados.

As festas feitas pela torcida na arquibancada têm agradado Rogério Ceni. Em coletiva, após a vitória do Tricolor por 2 a 1 sobre o Atlético-GO, o técnico disse que não esquece de nenhum dos mosaicos e afirmou que em poucos lugares do mundo se encontra uma atmosfera semelhante a do Castelão lotado.

(O POVO Online/Foto – Brenno Rebouças)

Carioca, o homem que liderou o sequestro de Dom Aloísio Lorscheider

438 1

Antônio Carlos de Souza Barbosa entra cabisbaixo à sala do diretor do presídio, trazido por agentes. Cumprimenta balançando a cabeça rapidamente. Veste o uniforme da cadeia: camisa branca de algodão, calção laranja, chinelas. Desde maio deste ano, foi transferido da Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL 3) para o Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira (IPPOO 2), em Itaitinga. Está ali por medida de segurança. Havia sido julgado pelo tribunal do crime para morrer, segundo ele próprio. Conta que acabou liberado pouco antes de tomar o chamado “coquetel da morte”.

Poucos fios brancos no cabelo, o rosto já com traços envelhecidos, mas ainda o olhar expressivo – como na cena marcante de 24 anos atrás, quando fez refém o então arcebispo de Fortaleza, cardeal Aloísio Lorscheider. Ainda eram tempos sem internet, mas as fotos e filmagens dele com a faca no pescoço e no costado do religioso rodaram meio mundo. O nome de batismo, comum, foi eclipsado com o tempo pela alcunha pesada que adotou. No crime, afamou-se como “o Carioca”.

Pergunto como prefere ser chamado. Pelo nome ou o apelido? “Tanto faz, não tenho mais nada a esconder”, responde. Carioca nasceu no Ceará. Ainda criança foi morar com os pais no Rio de Janeiro. O pai teria sido tenente-coronel da PM. A fala é com sotaque paulistano – dos mais de 30 anos que já viveu entre presídios, mais da metade foi em penitenciárias paulistas.

Quando jovem, Carioca garante que esteve nas Forças Armadas. Diz ter sido soldado da Aeronáutica, “a poucos meses” de se tornar oficial, mas teria saído expulso ao ser descoberto desviando armas e munições. Ao O POVO, a Força Aérea Brasileira nega que ele já tenha feito parte do contingente militar. Não encontrou nenhum registro com seu nome.

Escolhas de vida foram levando Carioca ao mundo cão. Roubou bancos, casas de câmbio, matou, liderou rebeliões, fugas de cadeias, sequestrou, foi chefe de facção criminosa no Ceará. “Graças a Deus, só nunca cometi estupro. Mas, tráfico, tudo…”, afirma, invocando a fé em meio a tantos ilícitos.

Sequestro de Dom Aloísio

No caso que lhe deu a maior notoriedade, em 15 de março de 1994, comandou um grupo de presos que manteve 11 reféns dentro do então maior presídio do Ceará, o Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS). Entre as vítimas estava dom Aloísio Lorscheider. O cardeal, que no fim dos anos 1970 chegou a ser indicado como possível sucessor do papa João Paulo I. Para Carioca, foi o refém imaginado como um passaporte para a liberdade. Mas virou o principal carimbo de sua biografia transgressora.

A cena é histórica: o cardeal jogado ao chão, imobilizado numa gravata de braço e uma faca que lhe espetava as costelas e o pescoço. Os olhos arregalados de Carioca – a tal expressividade mencionada há pouco – e o semblante assustado do religioso. Vinte horas de terror até um desfecho com todos os reféns vivos.

Carioca foi recapturado nove dias depois. As ideias para a fuga com os reféns eram outras, ele revela hoje: “Os planos na época eram pra nós invadir o aeroporto, pegar um avião”. Dias antes, parceiros do lado de fora teriam desistido de explodir a muralha do IPPS. (Colaborou Demitri Túlio)

Bastidores

As duas sessões de entrevista com Carioca foram no início de setembro (dias 4 e 11). A primeira durou 1h15min. A segunda, 35 minutos. Somadas as conversas preliminares, quase duas horas totalizadas nos dois encontros.

O primeiro pedido feito à Secretaria da Justiça, sobre a possibilidade de a conversa acontecer, foi dia 8 de agosto. No dia 28, a confirmação de que Carioca havia topado.

Carioca concedeu a entrevista sem algemas. Permaneceu calmo e sempre eloquente. Somente numa pergunta da 1ª sessão, pediu para não responder. No 2º encontro, não quis falar sobre nomes de comparsas.

Em reportagens de 1994, logo que foi preso pelo sequestro do cardeal Lorscheider, Carioca chegou a ser mencionado como condenado no caso Abílio Diniz. Porém, nunca houve aprofundamento a respeito.

O POVO falou com dois dos reféns do sequestro no IPPS: Mário Mamede, então deputado estadual, e Raimundo Brandão, à época coordenador estadual do Sistema Penal. Ambos hoje estão aposentados.

Mamede lembra de seu momento mais tenso no episódio. Disse ter sido ameaçado de morte por Carioca. “Ele dizia que não estavam brincando. ‘Vamos dar um tiro na cabeça dele, jogar no pátio’. Fiquei olhando pra ele. Não pisquei o olho até que ele não me olhou mais”.

Brandão depois tornou-se subsecretário da Justiça, que administra as penitenciárias estaduais. No dia, chegou a travar luta corporal com um dos detentos, quando o sequestro foi anunciado. Escreveu um livro sobre o caso: O pastor e os 12 reféns.

Após a entrevista, a pedido da diretoria do IPPOO 2, Carioca assinou um termo autorizando a publicação de suas declarações e das imagens.

*Mais sobre Carioca aqui.

*Mais ainda sobre Carioca aqui.

(O POVO – Repórter Cláudio Ribeiro/ Colaborou Demitri Túlio)/Foto – Aurélio Alves)

Vozão perde para o Sport e rebaixamento volta a incomodar

Em um jogo equilibrado, valeu o desespero do Sport, diante da cautela do Ceará. Com gol de Gabriel, aos 8 minutos do segundo tempo, o time pernambucano derrotou o Vozão, por 1 a 0, na noite desta segunda-feira (5), na Ilha do Retiro, pelo complemento da 32ª rodada do Brasileirão.

Com o resultado, o Ceará caiu duas posições na tabela de classificação e está a três pontos da zona de rebaixamento. O Vozão ainda desperdiçou a chance de integrar. pela primeira vez nesta temporada, de ingressar no grupo da Sul-Americana. O Ceará é o 15º colocado, com 37 pontos, à frente do Sport (36), Vitória da Bahia (34), América Mineiro (34), Chapecoense (34) e Paraná (18),

No domingo (11), o Ceará recebe no estádio Castelão o vice-líder Internacional.

(Foto: Reprodução)