Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Dilma trava programa de laptops de Lula

98 1

Lançado com entusiasmo pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o projeto Um Computador por Aluno (UCA) praticamente foi abandonado na transição para o governo Dilma Rousseff. Parte dos 150 mil laptops comprados pelo governo por R$ 82, 5 milhões está subaproveitada. Há também registro de alto índice de laptops quebrados e avariados.

Dos 600 mil computadores oferecidos em 2010 a governadores e prefeitos, que supostamente dariam continuidade ao programa, pouco mais da metade foi comprada. O prazo da oferta venceu no final do ano passado e não houve nova licitação.

Na Escola Basílio da Gama, em Tiradentes (MG), os laptops do projeto continuavam encaixotados porque a internet não funciona e faltam armários e carteiras, relata avaliação encomendada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE).

Em Santa Cecília do Pavão, no Paraná, outro dos cinco municípios alvo do projeto, a situação é “caótica”, segundo o relatório ao qual o Estado teve acesso. Por falta de infraestrutura e sem capacitação adequada, os professores “sentem a inovação como ameaça”, diz o texto do relatório, debatido reservadamente no governo.

“Vamos mergulhar na reflexão”, reagiu o ministro da Educação, Aloizio Mercadante ao ser questionado sobre o destino do UCA. Na quinta-feira, o ministro anunciou da distribuição de tablets aos quase 600 mil professores do ensino médio, até o final de 2012.

“Começar pelo professor é mais seguro”, repetiu o ministro Mercadante, marcando discretamente a mudança de rumo do programa de inclusão digital nas escolas.

(Estadão)

Futuro ministro das Cidades omite ser sócio em empresas

85 1

Anunciado pelo Palácio do Planalto como novo ministro das Cidades, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) ocultou da Justiça Eleitoral nas últimas eleições o fato de ser dono de quatro empresas. Duas delas têm atuação na área da construção civil e incorporação de imóveis, atividades ligadas ao ministério que ele comandará oficialmente a partir desta segunda-feira (6).

O Ministério das Cidades tem como um de seus carros-chefes as ações na área da habitação social.

Aguinaldo Ribeiro afirmou, por meio de sua assessoria, que declarou à Receita Federal ser sócio das empresas e disse que irá se desligar delas para chefiar o Ministério das Cidades.

Ele não explicou, entretanto, o motivo de ter omitido as informações em sua declaração à Justiça Eleitoral quando se candidatou a deputado federal nas eleições de 2010.

(Folha)

‘Pode tentar quantas vezes quiser’, diz Cuba à blogueira

151 4

“Aqui está. É para comunicar a você que não obteve autorização para viajar”. “De novo? Dezenove vezes?” “Dezenove vezes”. “Vou continuar tentando”. “Você pode tentar quantas vezes quiser”.

Esta é a tônica do diálogo que uma funcionária do departamento de imigração de Cuba teve com a blogueira Yoaní Sanchéz, na última sexta-feira (3), ao negar pela 19ª vez permissão para a blogueira deixar o país. Yoaní postou o áudio no Youtube e no Twitter neste sábado (4).

Na tela preta, é exibida a transcrição do diálogo que teve com a autoridade cubana. Ao final da conversa, a blogueira diz que um dia vai conseguir sair do país, “quando este absurdo não existir mais”. E a resposta, novamente, é “tente quantas vezes quiser”.

Ao final do áudio, a blogueira exibe a tela preta com o artigo 13 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que diz, entre outras questões, que toda pessoa tem direito a sair de qualquer país, inclusive do próprio, e a retornar.

Na tarde da última sexta-feira, Yoaní havia divulgado, também através do Twitter, que o governo cubano lhe havia negado permissão de viagem.

“Não há surpresas. Voltaram a me negar a permissão de saída. É a ocasião de número 19 em que me violam o direito de entrar e sair do meu país”, escreveu.

A blogueira opositora ao regime comunista da ilha postou também uma fotografia da negativa recebida do governo cubano. Crítica do regime dos Castro, Yoaní recebeu na semana passada da Embaixada Brasileira em Havana o visto de turista para visitar o Brasil. A intenção era participar do lançamento do documentário “Conexão Cuba-Honduras, do cineastra Dado Galvão, no próximo dia 10, na Bahia.

(O Globo)

Ministro diz que policiais que cometerem crimes na Bahia vão para presídios federais

66 5

Ao visitar a Bahia neste sábado (4), no quarto dia da paralisação da Polícia Militar (PM), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que, por solicitação do governo do estado, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) já reservou vagas em presídios federais para encaminhar, se necessário, policiais que tenham cometido algum tipo de crime durante o movimento grevista. Cardozo se reuniu com o governador da Bahia, Jaques Wagner, e disse que todas as ocorrências criminosas serão tratadas como crimes federais.

“Todos os crimes cometidos nesse período são qualificados como crimes federais e serão tratados como tais. Seremos muito firmes no cumprimento do nosso dever”, disse Cardozo em entrevista na Base Aérea de Salvador.

O ministro viajou à Bahia acompanhado do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi, e da secretária nacional da Segurança Pública (Senasp), Regina Miki. Cardozo considerou “inaceitável” a forma como os policiais estão conduzindo a greve. “O Estado de Direito não permite o abuso do próprio direito. Isso [a greve], da forma como está sendo tratado, é inaceitável.”

Pelo menos 12 mandados de prisão já foram expedidos contra militares grevistas. Hoje, o governador Jaques Wagner descartou a possibilidade de concessão de anistia militar para todos os envolvidos no movimento grevista, uma reivindicação feita pelo conjunto das associações que representam PMs na Bahia.

“Sou um democrata convicto e a única regra que faz a democracia funcionar é o respeito à lei”, disse o governador, que fez questão de ressaltar que não se trata de uma ato de “arrogância ou de intolerância” do governo. “Se alguém depreda ônibus, depreda o carro da polícia, se alguém sai na rua atirando para cima, isso tudo é crime”.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia estima que um terço da Polícia Militar do estado esteja parado.  O efetivo conta com 31 mil policiais.

(Agência Brasil)

Fotógrafo da morte de Vladimir Herzog diz que ditadura o usou

507 1

Suicídio de Herzog é visto como assassinato

Uma revelação exclusiva é o destaque da “Ilustríssima” deste domingo (5), na Folha: o repórter da Lucas Ferraz, da Sucursal de Brasília, localizou em Los Angeles o autor da mais importante imagem da história do Brasil nos anos 1970 –a foto do jornalista Vladimir Herzog morto numa cela do DOI-Codi, em São Paulo, no ano de 1975.

Fotógrafo da Polícia Civil de São Paulo, o santista Silvaldo Leung Vieira, então com 22 anos, foi recrutado pelo Dops (Departamento de Ordem Social e Política) para uma de suas primeiras “aulas práticas”: o registro do cadáver do jornalista, que havia comparecido espontaneamente ao DOI-Codi, após ter sido procurado por agentes da repressão em sua casa e na TV Cultura, onde trabalhava como diretor de jornalismo. Ele tinha ligações com o PCB (Partido Comunista Brasileiro), mas não chegou a ter atividades na clandestinidade.

“Ainda carrego um triste sentimento de ter sido usado para montar essas mentiras”, afirmou Silvado à Folha, por telefone.

Segundo relatos de testemunhas, Vlado, como era conhecido pelos amigos, foi torturado e espancado até a morte. A imagem produzida por Silvaldo ajudou a derrubar a versão do suicídio, uma vez que seu corpo pendia de uma altura de 1,63 m, com as pernas arqueadas e os pés no chão, o que torna altamente improvável que tenha se matado.

Leung: suicídio foi mentira

A morte gerou manifestações, como a famosa missa na catedral da Sé, em São Paulo, e contribuiu para que o presidente Ernesto Geisel e seu ministro Golbery do Couto e Silva vencessem a queda de braço com a linha dura da ditadura, que pedia um aperto na perseguição à esquerda, sob o argumento de que o país vivia a ameaça do comunismo.

“Tenho para mim que esses acontecimentos foram a raiz das Diretas-Já”, disse à Folha o então governador de São Paulo, Paulo Egydio Martins, que também tinha atritos com os militares da linha dura.

Silvaldo Leung Vieira também fotografou a cena do “suicídio” de Manoel Fiel Filho, operário que morreu em situação semelhante à de Herzog e cuja morte também foi decisiva para mudar os rumos do regime. Essa imagem, no entanto, nunca apareceu.

(Folha)

Russos estão prestes a alcançar lago “alienígena” na Antártida

Após duas décadas de ensaios, pesquisadores russos vão iniciar a exploração do mais alienígena dos lagos terrestres. Contudo, a falta de contato com colegas americanos por seis dias deixa todos apreensivos. Poderia ter dado algo errado?

Não, não é a abertura de mais um episódio da série de televisão “Arquivo X”. Fato é que os cientistas estão no mais inóspito ambiente da Terra – o interior do continente antártico. E as águas que eles pretendem estudar ficam sob 3,6 km de gelo.

Estima-se que o lago Vostok, mantido em estado líquido pela pressão e pelo calor interno da Terra, esteja isolado do resto do planeta há pelo menos 14 milhões de anos.

Daí o interesse por ele: sabe-se lá que criaturas podem ter sobrevivido e prosperado num ambiente tão diferente.

Imagina-se que o lago tenha mais semelhança com o ambiente encontrado em Europa, uma das luas de Júpiter, do que com a Terra.

“É tentadora a analogia entre o Vostok e o oceano subsuperficial de Europa”, afirma Eduardo Janot Pacheco, astrônomo do IAG (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas) da USP.

Verificar o que existe vivo no Vostok é uma forma de especular sobre a possibilidade de haver vida em luas geladas como Europa. Isoladas da luz solar, as criaturas que habitam esses ambientes têm de viver dos poucos nutrientes que ali existem.

Os russos têm perfurado o gelo que cobre o Vostok há muito tempo. Mas em 1998, a cem metros de onde começa a água, eles foram obrigados a interromper o trabalho.

A preocupação da comunidade internacional era a de que a perfuração contaminasse o lago com microrganismos de fora, eliminando o potencial para descobertas e prejudicando o ecossistema que pode existir lá.

Só em 2010, após desenvolverem um novo protocolo de segurança, os russos puderam prosseguir.

Na semana passada, a equipe liderada por Valery Lukin reportou a colegas americanos, por e-mail, que estava nos 20 a 30 metros finais. O último contato entre russos e americanos aconteceu na última segunda-feira (30).

Desde então, a equipe antártica tem mantido silêncio, o que gera apreensão no resto do mundo.

O que pode dar errado

Há a pequena possibilidade de que a súbita liberação da pressão do lago gere um gêiser gigante. Além disso, os cientistas correm contra o tempo: as perfurações só podem ser feitas durante o verão antártico, que está no fim. No inverno, as temperaturas inviabilizam os trabalhos.

Tudo faz parte de um aprendizado que pode ser útil para explorar recantos inóspitos do Sistema Solar.

“Esse é um grande ensaio técnico para perfurar capas de gelo em Europa”, diz Cassio Leandro Barbosa, astrônomo da Univap (Universidade do Vale do Paraíba), em São José dos Campos (SP).

O interesse maior da pesquisa, no entanto, diz respeito à biologia e à evolução da vida. “As formas de vida que estão para ser descobertas se isolaram do mundo há 20 milhões de anos”, afirma. “De lá para cá, como evoluíram? Esses seres serão o paradigma a ser procurado em ambientes extraterrestres.”

Separação de continentes

Hoje, o lago Vostok está sob quase quatro quilômetros de gelo, no interior do continente antártico.

Mas cerca de 65 milhões de anos atrás, quando ele estava na superfície, a configuração dos continentes era bem diferente.

A Antártida estava conectada à Austrália e ainda tinha clima subtropical, com florestas e fauna expressiva.

A separação das duas massas de terra, com o gradual avanço da Antártida para o polo Sul, levou ao congelamento permanente. Estima-se que a capa de gelo tenha selado o conteúdo do lago Vostok entre 25 milhões e 14 milhões de anos atrás.

“Ou seja, as formas de vida lá existentes evoluíram de maneira independente há mais tempo do que o passado desde que nossos ancestrais desceram das árvores”, diz Eduardo Janot Pacheco, astrônomo da USP.

Dadas as atuais condições ambientais, a existência de criaturas multicelulares sofisticadas no interior do lago é altamente improvável. Imagina-se que ele seja um ambiente dos mais inóspitos, saturado em nitrogênio e oxigênio, com concentrações 50 vezes maiores do que a em lagos típicos da Terra.

Além disso, a falta de luz solar deve levar a uma baixa presença de nutrientes, que limitaria a evolução da vida. Com efeito, é o que torna tudo tão interessante.

De que maneiras os organismos teriam se adaptado a essas condições?

A regra é esperar o inesperado, segundo os cientistas. “Durante a escavação desse túnel de aproximadamente quatro quilômetros de comprimento, já haviam sido descobertos microrganismos, dos quais não sabemos nem mesmo a que reino pertencem”, afirma Janot.

Por isso, os russos se animam com a possibilidade de descobertas que podem mudar completamente o panorama da biologia, tal como é ensinada hoje nas escolas.

Entretanto, para isso ainda será preciso esperar.

Mesmo que os exploradores consigam atingir a água do lago nesta temporada, o recolhimento de amostra para análise só se dará em cerca de um ano.

(Folha)

Líder taleban enviou carta a Obama, afirmam autoridades

Autoridades americanas confirmaram que o líder do Taleban, o mulá Mohammed Omar, escreveu ao presidente Barack Obama no ano passado, numa demonstração de interesse em negociações para encerrar a guerra no Afeganistão.

A carta foi considera autêntica pelas autoridades que viram o documento, mas funcionários da Casa Branca, mais céticos, declararam que não era possível ter certeza de que vinha realmente de Omar.

O texto não assinado foi repassado através de um intermediário do Taleban em julho.

Um funcionário da administração Obama afirmou que a carta representava pontos de vista consistentes com o teor das conversas mantidas com emissários do movimento terrorista.

Autoridades se manifestaram sob condição de anonimato devido ao conteúdo delicado desse documento.

Uma mensagem direta de Oamba poderia ser um sinal muito forte de que o grupo insurgente está interessado em negociações diplomáticas de nível mais alto.

(Associated Press)

Prefeitura de São Paulo – Serra vai ou não?

119 4
“Os tucanos que conversaram com José Serra nos últimos dias saíram com a sensação de que o “não” peremptório dado por ele em relação a uma eventual candidatura a prefeito pode ser reavaliado. Essa é, aliás, uma novela que não terminará tão cedo.

A propósito, o número de paulistanos que admitem que Lula poderá influenciar na sua escolha do prefeito subiu de modo impressionante nos útimos quatro anos. Em março de 2008, o Datafolha dizia que apenas 17% seguiriam Lula. Agora, 48%.

Te cuida, PSDB.”

(Lauro Jardim – Veja Online)

Jaques Wagner vê ligação de PMs grevistas com crimes

111 6

O governador da Bahia, Jaques Wagner, disse acreditar na participação de policiais militares grevistas em homicídios e saques ocorridos em Salvador nas últimas horas. Desde a última terça-feira (31), o Estado sofre com a paralisação parcial da Polícia Militar.

“Parte dos crimes pode ser parte da operação montada, da tentativa de criar um clima de desespero na população para fazer o governo sucumbir, uma tentativa de guerra psicológica, como ocorreu recentemente em outros Estados, como o Maranhão e o Ceará”, disse o governador, neste sábado (4). “Não tenho dúvida que parte de tudo isso é cometido por ordem dos criminosos que se autointitulam líderes do movimento.”

O governador também negou a possibilidade de anistia dos policiais militares que tiverem cometido atos de vandalismo ou violência durante a paralisação. A anistia é um dos itens da pauta de reivindicações tanto dos PMs grevistas (cerca de um terço da corporação, de 32 mil homens), quanto dos que continuam trabalhando. “Não existe essa possibilidade, não vejo como anistiar, perdoar, o que quer que seja”, disse. “Isso seria como eu dizer a outros criminosos que amanhã eles podem ser anistiados.”

O governador voltou a dizer, sem citar nomes, que a Justiça baiana já expediu mandados de prisão para 12 lideranças da greve – e que outros quatro já foram pedidos. “Tenho certeza que a determinação judicial será cumprida”, afirmou.

(Agência Estado)

Reforma de Dilma emperra alianças de Haddad

Sem conseguir fechar alianças de peso para impulsionar a candidatura de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo, o comando da campanha petista pressiona a presidente Dilma Rousseff a atender o PR e o PDT na reforma ministerial.

A avaliação interna é a de que Haddad precisa anunciar logo o apoio de um partido aliado para criar fato político e neutralizar comentários de que o PT depende do PSD do prefeito Gilberto Kassab.

O PT deixou até de reivindicar o Ministério do Trabalho, ocupado interinamente por Paulo Roberto Pinto (PDT) desde a queda de Carlos Lupi, em dezembro. Motivo: a direção petista sabe que o PDT não quer trocar de cadeira na Esplanada e decidiu não mais esticar a corda.

A recondução de um nome indicado pelo PR para o Ministério dos Transportes também é considerada fundamental para o partido fechar coligação com Haddad em São Paulo. Uma aliança com o PR pode garantir pelo menos três minutos de tempo de televisão no horário gratuito para o ex-ministro da Educação, pouco conhecido do eleitorado.

(Estadão)

A morte no/do futebol

138 3

Em artigo publicado neste sábado, no O POVO, o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante avalia a  violência no futebol. Confira:

Aqui, a discussão envolve a proposta da Polícia Militar: no clássico Fortaleza x Ceará apenas a presença de uma das torcidas. As duas juntas, um risco de violência incontrolável. Estamos nessa tensão, quando do Egito chega notícia que torcidas em conflito, após uma partida de futebol, provocaram a morte de 74 pessoas e centenas de feridos.

O que foi feito do futebol? Por que essa violência tão explícita?

Os esportes surgiram, nas Olimpíadas, exatamente como uma forma de sublimação da violência. No lugar da guerra explícita entre países e etnias, organizou-se um embate simbólico. Uma emulação. Um “como se fosse”. Daí, as faixas e os troféus aos vencedores.

Fala-se em catarse. Uma oportunidade de extravasar todas as raivas e frustrações vividas no social. No Brasil, teríamos três grandes fórmulas: o Carnaval, o futebol e o jogo do bicho. São mecanismos criados pela cultura. Desses, o futebol tornou-se o mais importante. Somos uma pátria de chuteiras. Lembram-se das Copas do Mundo? Único momento em que nos tornamos “aquela corrente pra frente.”

Os campos de futebol são chamados agora de arenas. Os jogadores de animais e os goleadores de matadores. As torcidas viraram bandos organizados, feito brigadas. Cria-se um ambiente para disputas que vão além das quatro linhas. Além, óbvio, de ser usado para manipulação política de todos os gêneros. (vide Copa de 2014!)

Claro que em campo, ou melhor, nas arquibancadas estão pessoas tensas, trazendo das ruas todas as frustrações e recalques do dia a dia. E não são poucos. O futebol não estaria sendo eficaz para promover essa liberação. Pela violência demonstrada, estamos diante de uma tríplice falência: da vida social, da capacidade de sublimar e de promover alegria simbólica através do drible e do gol.

Então, o campo de futebol, no lugar de ser uma praça de confraternização e paz, tornou-se uma arena onde os sentimentos mais bestiais nos reinauguram na barbárie. O que era sinal de alegria virou sintoma. O ser humano está doente!

Policial morre com 15 tiros na Bahia mortes chegam a 59 com greve

84 2

Um policial civil morreu em Salvador (BA) na manhã deste sábado (4) após ser atingido por 15 tiros. Este é o 59° homicídio registrado na capital baiana desde o início da greve da Polícia Militar, na última terça-feira (31).

De acordo com a Polícia Civil, João Carvalho Filho, 48, foi morto por volta de 10h, enquanto estava em seu carro, parado numa avenida do bairro Iguatemi, próximo a uma área de invasão conhecida como “Polêmica”.  Ele aguardava a mulher sair do médico quando foi baleado. Carvalho morreu na hora. Segundo a polícia, sua arma foi levada.

Boatos de arrastões

Salvador vive uma onda de saques e assaltos desde o início da greve da PM. Cento e cinquenta homens da Força Nacional foram enviados para o Estado por causa da greve. Outros 500 deverão chegar até o fim do dia deste domingo (5). O Exército também deverá encaminhar, ao todo, dois mil homens.

Segundo o comando do 18º Batalhão da PM, um novo boato de arrastão fez com que comerciantes fechassem as portas mais cedo nesta sexta-feira (3) na avenida Sete de Setembro e outras vias da região central de Salvador. O mesmo já havia ocorrido no dia anterior.

Também no centro da capital baiana, uma mulher foi morta a tiros na noite desta sexta-feira na praça da Piedade. Segundo a polícia, o crime aconteceu durante um tumulto, com correria e tiroteio. A corporação investiga se a confusão teria começado devido a um arrastão que teria ocorrido na região.

No Pelourinho, o policiamento passou a ser feito por homens do Exército, com metralhadoras e fuzis. Shows do Olodum, da cantora Ivete Sangalo, entre outros, foram adiados.

(Folha)

Decisão do STF deve ser vista como vitória da sociedade

101 1

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) tomada na noite de quinta-feira (2) no sentido de manter a prerrogativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de poder investigar magistrados, independente do trabalho das corregedorias locais, sem precisar de justificativa, deve ser vista como uma vitória da cidadania. Além de por fim ao ponto mais polêmico de uma crise que colocou o Poder Judiciário em xeque nos últimos meses, o entendimento da mais alta corte de Justiça do País é também um importante momento do nosso Judiciário.

Ao encerrar a pendenga com decisão contrária ao que pretendiam notadamente as associações de classe dos magistrados, que era priorizar as investigações nas corregedorias dos Estados, o STF deu demonstração de altivez, não se curvando a um dos maiores cancros da sociedade moderna, que é o corporativismo. Como bem ressaltou o ministro Gilmar Mendes, “até as pedras sabem que as corregedorias não funcionam quando se trata de investigar os próprios pares”. Se até entre os magistrados há esse entendimento, imagine-se como ficaria a imagem do Judiciário perante à sociedade caso fosse tirado do CNJ  esse direito.

Longe de entender a decisão do STF como porta aberta para a caça às bruxas, a reflexão primordial a ser feita agora é que fatos do tipo devem servir para que o Judiciário se aproxime cada vez mais das demandas da sociedade, saindo do encastelamento que marca a trajetória desse poder ao longo da história recente do País.

O Brasil vem passando por transformações nos campos político, social e econômico, com reflexos em nosso posicionamento internacional. Em vista disso, era inaceitável que o Judiciário, peça basilar na consolidação da democracia, ficasse de fora desse novo momento. Nesse aspecto, a sociedade clama com razão para que também o Judiciário, como os demais poderes constituídos da República, se mostre transparente para que se torne forte.

(O POVO / Editorial)

Queda no desemprego modifica estratégia de campanhas nos EUA

A melhora do índice de desemprego nos Estados Unidos apresentado no mês de janeiro dá ao presidente Barack Obama a chance de reverter a narrativa econômica negativa de seu mandato, enquanto seus adversários republicanos revisam a retórica de suas campanhas para vencer as eleições gerais de novembro.

Dados divulgados nesta sexta-feira (3) pelo Departamento de Trabalho dos EUA mostraram que a taxa de desemprego caiu para 8,3% em janeiro, o nível mais baixo desde fevereiro de 2009. Além disso, 243 mil novas vagas foram criadas no mercado de trabalho americano.

Recuperar o mercado de trabalho americano e colocar a economia do país de volta aos trilhos do crescimento são dois grandes desafios que o atual presidente enfrenta desde o início de seu mandato em 2009. Com a aparente melhora, Obama se fortalece na disputa eleitoral por um segundo mandato na Casa Branca.

O aparente favorito para conquistar a nomeação do Partido Republicano para disputar a presidência com Obama, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney e os membros de sua campanha enfrentam agora uma melhora econômica que ameaça a retórica usada em seus ataques aos democratas.

O republicano e seus assessores fizeram mudanças logo na sexta-feira para ajustar seu discurso sobre o desemprego, rejeitando a ideia de que uma boa notícia para o país significa uma má notícia para Romney, e insistindo que sua meta sempre foi maior do que apenas criar empregos.

Discurso de Romney

Favorecido pelas pesquisas, que lhe outorgam 45% do respaldo dos republicanos no Estado de Nevada, palco das próximas primárias pelo partido neste sábado (4), Romney se concentrou em tentar evitar os benefícios políticos que o desemprego possa ter para Obama.

“Infelizmente, estes números não podem ocultar o fato de que as políticas do presidente Obama impediram uma recuperação econômica verdadeira. Podemos fazer melhor”, disse em comunicado o ex-governador de Massachusetts.

Os dados de desemprego eram esperados com especial interesse em Nevada, Estado com o índice mais alto de todo o país: 12,6%, segundo números de dezembro.

Assessores de Romney citados pelo jornal americano “Washington Post” afirmaram que sua campanha contra Obama se centraria no que chamam de sensação geral de “miséria prolongada” entre os eleitores preocupados com a crise.

Economia de Obama

A situação econômica ainda incerta nos EUA é um grande desafio que Obama e seus estrategistas precisarão enfrentar.

Analistas apontam que os EUA ainda precisam criar 6 milhões de empregos para voltar ao nível de desemprego que era registrado em 2008. A taxa de desempregados continua historicamente alta e seu desempenho é incerto, uma vez que o país ainda está vulnerável aos efeitos da crise na zona do euro.

Apesar disso, indicadores econômicos vêm sinalizando certa melhora. Na sexta-feira passada (27), por exemplo, o governo divulgou que o PIB (Produto Interno Bruto) americano havia crescido 2,8% no quarto trimestre, mostrando uma aceleração. Com isso, a economia americana avançou 1,7% em 2011, em comparação a 2010.

Pesquisas sugerem, porém, que a economia continuará sendo um desafio para Obama conquistar eleitores desconfiados, a menos que o desempenho do país mostre um forte avanço ao longo dos próximos nove meses.

Apesar de cinco meses seguidos de redução do desemprego, mais americanos veem de forma negativa a gestão econômica de Obama do que positiva, e apenas 9% da população afirmou em janeiro, em uma pesquisa realizada pelo Washington Post-ABC que estavam percebendo uma forte recuperação econômica.

(Folha)

Irã cortará exportação de petróleo para alguns países europeus

O ministro do petróleo do Irã disse que o Estado islâmico não recuaria de seu programa nuclear, mesmo que as suas exportações de petróleo bruto sejam reduzidas, informou a agência de notícias oficial local Irna neste sábado (4).

Rostam Qasemi disse que o Irã cortaria exportações de petróleo para algumas nações europeias em retaliação à decisão de redução de alguns países de cortar importação de petróleo iraniano.

O ministro iraniano instou a Europa a reconsiderar a sua proibição ao petróleo iraniano, e disse que o mercado de petróleo está em equilíbrio agora, mas seria lançada em turbulência, sem a oferta de petróleo do Irã.

“Infelizmente, a UE (União Europeia) sucumbiu à pressão dos Estados Unidos. Espero que revejam a sua decisão sobre de sanções a exportações de petróleo do Irã”, afirmou Qasemi. “Nós não vamos abandonar nosso curso apenas nuclear, mesmo se não podemos vender uma gota de petróleo”.

Tensões com o Ocidente aumentaram no mês passado, quando Washington e UE impuseram sanções ainda mais duras contra o Irã em uma tentativa de forçá-lo a fornecer mais informações sobre seu programa nuclear.

As medidas destinam-se a desligar o segundo maior exportador de petróleo da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) de vendas de petróleo bruto.

“O mercado de petróleo internacional vai experimentar tumulto na ausência de petróleo iraniano com consequências imprevisíveis sobre os preços do petróleo”, acrescentou.

No entanto, analistas dizem que o mercado global de petróleo não seria muito afetado se o Irão vier a fechar a torneira de petróleo para a Europa.

(Reuters)

Fantasmobrás: o medo de assombração na Petrobras

225 1

É quase sempre após o entardecer e à noite que tudo acontece. Barulhos estranhos ecoam pelos corredores e salas vazias, portas corta-fogo se batem, torneiras se abrem sozinhas, passos são ouvidos e vultos de pessoas são vistos passar. Não se trata de filme de suspense ou história de castelo medieval. São os fantasmas que andam assombrando os funcionários da Petrobras em um dos prédios onde a petrolífera está instalada — segundo o relato dos amedrontados frequentadores desse ponto que carrega uma história terrível.

Os fenômenos inusitados e inexplicáveis estão acontecendo, em pleno século XXI, no Torre Almirante, um edifício dos mais modernos, encravado em uma área nobre do Centro do Rio, na Avenida Almirante Barroso, esquina com Avenida Graça Aranha. Com 36 andares, o edifício todo espelhado, alugado pela Petrobras, tem duas faces planas, cada qual voltada para uma das ruas.

Desde sua inauguração, em 2005, os 36 andares são ocupados por diversas gerências da Petrobras, como Gás e Energia, Engenharia, Materiais e Segurança e Meio Ambiente. Desde o início, empregados da estatal , assim como o pessoal da limpeza e da segurança, têm diversas histórias para contar. No local onde foi construído o Torre Almirante, moderno e arrojado, existiu o edifício Andorinha, erguido em 1934 com 12 andares. O Andorinha foi destruído por um terrível incêndio em 17 de fevereiro de 1986. Uma tragédia que matou 21 pessoas, das quais duas se atiraram pelas janelas, e deixou 50 feridas. Das portas corta-incêndio, muitas estavam trancadas.

Os fatos estranhos no novo Torre Almirante, levados muito a sério por quem os relata, seriam uma ótima experiência para os estudos de Jason Hawes e Grant Wilson, que vivem nos EUA e se notabilizaram por serem caça-fantasmas. Muitas de suas experiências passam em uma série na televisão, chamada “Ghost Hunter”. Os dois são os fundadores da Taps — Sociedade Paranormal do Atlântico, na qual uma equipe de pesquisa investiga assombrações e outros acontecimentos inexplicáveis.

Muitos funcionários da Petrobras contam que, desde a inauguração do Torre Almirante, são vistas e ouvidas assombrações, principalmente à noite. Quem visitar qualquer dos 36 andares com certeza ouvirá uma história passada pelas pessoas que circulam no prédio, onde trabalham 3.700 funcionários da estatal.

É o caso da Renata Garcia, que foi trabalhar na Torre Almirante em março de 2010. Ela conta que, como era nova na Petrobras, ninguém comentara sobre qualquer evento estranho. Renata também não sabia da história do Andorinha nem que ele tinha existido naquele local.

— Eu não sabia de nada, não conhecia ninguém e ninguém me contou nada. E eu comecei a trabalhar normalmente — explicou a funcionária.

Logo no primeiro mês de trabalho, o computador dela não funcionava, desligando-se automaticamente.

— Não era uma ou duas vezes por dia. Eram dez vezes por dia que isso acontecia. E eu chamava a todo instante o pessoal da informática.

Renata chegou a trocar de computador três vezes em apenas dois meses. Usou o computador de um colega quando ele saiu de férias. Não adiantou. Um técnico disse que poderia ser um problema elétrico na baia de trabalho, porque não havia mais explicações para o problema. O eletricista checou tudo e não encontrou alterações. Renata trocou de lugar para usar outro computador, e o problema continuou acontecendo. O computador se desligava sozinho.

Foi quando alguns colegas de trabalho comentaram com Renata a tragédia do Andorinha. Ela decidiu, então, comprar essência de alfazema — que, dizem, afasta os maus espíritos e atrai energias boas —, uma pirâmide com pedras dentro e um cristal. Colocou tudo ao lado do computador.

— Deu uma melhorada, mas os problemas não pararam totalmente. Já sabia que não era problema no computador. Teve um dia com muito o que fazer e eu não conseguia trabalhar. Aí resolvi falar com eles: “Acabou a palhaçada. Agora vocês vão me deixar trabalhar, eu não quero saber, acabou a brincadeira. Quero trabalhar, me deixem em paz”. E nunca mais meu computador, misteriosamente, deu problemas — garantiu Renata.

Ela ainda teve outra experiência estranha. Em junho de 2010, ficou trabalhando até tarde, sozinha com apenas outra colega. Por volta das 23h, as duas começaram ouvir o barulho de pessoas correndo. Levantaram-se das cadeiras, foram até o corredor e não viram viva alma.

— Ficamos com medo e falamos que era um sinal para a gente parar de trabalhar — disse Renata.

Tatiane Melo trabalha no 340 andar desde que sua gerência foi para lá, em 2006. Ela confirma que muitas pessoas comentam sobre fatos estranhos. Tatiane disse que ouve muitos comentários principalmente do pessoal da limpeza que fica sozinho à noite ou trabalha nos fins de semana, quando o prédio está vazio:

— Acredito plenamente que há muitas almas por aqui. Escuto muitos ruídos, vejo vultos com frequência. Às vezes eu sinto alguma coisa próxima à minha mesa.

Ana Paula trabalha nos serviços de limpeza do edifício há alguns meses. Afirmou que ouve muitos barulhos estranhos, principalmente aos sábados, quando trabalha das 7h às 13h, com o prédio vazio:

— Escuto barulhos que parecem passos andando. Um dia, eu vi um vulto e fiquei assustada. As meninas (colegas de trabalho) falam que veem também, mas nem ligam. Acho que esse prédio é mal-assombrado.

Ana Paula contou que seu marido é vigia do prédio à noite e também relata que, de vez em quando, ouve as portas de emergência batendo, escuta o barulho de passos e vê vultos.

— Ele fica preocupado porque, afinal, é vigilante e tem medo de que seja algum bandido. Mas não é nada.

Outro vigia noturno carrega os mesmos relatos:

— Não é em todos os andares. Mas é impressionante, tem vezes em que vários telefones tocam juntos de madrugada. Ficamos preocupados se é alguém invadindo. O mais impressionante foi escutar uma criança chorando, em 2005.

Vera Luz é funcionária antiga da Petrobras e está no Torre Almirante desde que a divisão de Gás e Energia se mudou para lá. Há alguns anos, como era substituta na gerência de sua divisão, muitas vezes trabalhava até tarde, 22h ou 23h. Começava a ouvir portas se abrindo e fechando, passos e, em algumas ocasiões, via um vulto passando. Ela chegou a pensar que era algum vigia da noite, mas, quando ia conferir, não via ninguém. Uma vez, quando estava trabalhando à noite, escutou o barulho da torneira da pia da copa aberta.

— Uma vez , entrei em um dos elevadores vazios quando estava indo embora tarde da noite. Entrou uma gravação automática que pede para desocupar o elevador por estar com excesso de peso. E eu estava sozinha — lembra Vera.

Em outro momento, Vera estava trabalhando em sua mesa e sentiu como se alguém respirasse perto dela:

— Achei que era algum colega brincando, mas não havia ninguém. Uma vez, entrei no banheiro e uma porta bateu. Sempre depois das 20h essas portas de fuga batem. Escutam-se móveis se arrastando no andar de cima.

Vera passou a rezar quando presencia essas coisas.

Uma funcionária contou que lia um relatório à tarde. Quando levantou o olhar, viu uma pedra de vulcão à sua frente, com pontos vermelhos, como se pegasse fogo:

— Quando o prédio foi inaugurado, muitos empregados não queriam vir trabalhar aqui. Tentei não entrar nessa paranoia. Nunca tinha visto nada até que, de um tempo para cá, comecei a ver alguns vultos. Uma vez eu falei: “Me deixa em paz que eu quero trabalhar”. Mas também já fiquei aqui até mais tarde e nada aconteceu.

(O Globo)

Artur Bruno – Faço o que eu digo, mas não faça o que faço?

128 13

O deputado federal Artur Bruno não gostou muito da possibilidade de ver o senador José Pimentel como candidato do PT à Prefeitura de Fortaleza. Para ele, o partido não pode abrir mão de uma figura como a do ex-ministro no Senado.

Quer dizer então que Artur deixando a Câmara está tudo bem? Não faria falta? Interessante.

Faça o que eu digo, não o que eu faria, parece ser a lógica do companheiro Bruno.

(O POVO / Coluna Sônia Pinheiro / Inês Aparecida e Ítalo Coriolano)

Na agenda de Dilma no Ceará, nenhum compromisso com a prefeita. Até agora

A presidente Dilma Rousseff não terá programação com a prefeita Luizianne Lins (PT) durante sua visita ao Ceará, na próxima terça-feira. Pelo menos é essa a informação de membros das equipes que acertam o roteiro de sua peregrinação por obras.

Dilma chegará pela manhã e aterrissará na Base Aérea de Fortaleza, quando será recebida pelo governador Cid Gomes e outras autoridades. Na agenda, consta uma inspeção às obras do Projeto Metrofor, mais precisamente a Lina Sul. Também ida à Estação de Tratamento e Abastecimento (ETA) Oeste, tocada pela Cagece, além de uma visita ao Trecho V, do exião ds Águas que, quando concluido, levará água da barragem Castanhão para o Complexo Portuário e Industrial do Pecém.

Dilma pernoitará na Capital cearense para, no dia seguinte, se deslocar para a Região do Cariri. Ali, inspecionará as obras da transposição das águas do rio São Francisco, hoje em ritmo desacelerado no trecho cearense – houve redução de trabalhadores em razão da redução de verbas, segundo empreiteiras. Ela também irá ao trecho em obras da Ferrovia Transnordestina.

A viagem de Dilma é para ver de perto a situação das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

(Com Coluna Vertical, do O POVO)