Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Aécio inicia dia 8 visitas pelo Nordeste

60 1

O senador Aécio Neves (MG-PSDB) vai iniciar, a partir do próximo dia 8, visitas aos Estados do Nordeste. A informação é do senador Eduardo Azeredo, que deverá integrar a caravana do mineiro que admite disputar em 2014 a presidência da República.

A primeira de Aécio Neves no Nordeste será na Capital pernambucana, Recife. No dia 9, ele estará em Salvador (BA) e no dia 10, em Natal (RN).

Fortaleza, segundo EduardoAzeredo, ficou para quando o ex-senador Tasso Jereissati retornar dos EUA, onde está num misto de check-up e negócios.

Gastos do Governo com saúde estão em queda

“A grave crise no setor da Saúde reflete, entre outros problemas, escolhas do governo no rateio dos recursos federais. Desde 2000 — quando entrou em vigor a Emenda Constitucional 29, que estabelece um piso de gastos para o setor — até o ano passado, o montante de recursos efetivamente aplicados caiu de 1,76% do Produto Interno Bruto (PIB) para 1,66%, na contramão do espírito da lei.

Levantamento realizado pelo GLOBO mostra que, na área social, o setor foi o que mais perdeu na comparação com os demais. Na Educação, os gastos subiram de 0,97% para 1,29% do PIB nesse período. Na Previdência, pularam de 6,3% para 6,9%, e na Assistência, de 0,45% para 1,06% do produto.

Os números da execução orçamentária mostram enorme diferença entre o que o governo se comprometeu a gastar e o que, na prática, foi destinado à Saúde. De 2000 a 2010, a diferença entre os valores empenhados (prometidos) no orçamento da Saúde e o que foi efetivamente gasto no setor chega a R$ 45,9 bilhões, sem considerar a inflação do período. Só em 2010, essa diferença foi de R$ 6,4 bilhões.

Em 2010, se os valores empenhados no Ministério da Saúde tivessem sido efetivamente gastos no custeio do setor, a parcela do governo federal aplicada pularia de 1,66% para 1,83% do PIB. No ano passado, foram empenhados R$ 67,328 bilhões e, gastos, efetivamente, R$ 60,924 bilhões.”

(O Globo)

Isenção de IPVA para motoristas portadores de deficiência física emperra na PGE

Uma mensagem vai garantir isenção do pagamento do IPVA para proprietários de veículos com deficiência física. A decisão vale para 2012 e atende a um pleito de entidades que atuam em defesa desse segmento.

O espírito natalino já chegou assim ao prédio da Secretaria da Fazenda, que não divulgou ainda o número de beneficiados pela medida. Há um detalhe que emperra o envio dessa proposta para a Assembleia Legislativa: a Procuradoria Geral do Estado ainda não concluiu detalhes legais do texto, que precisa ser remetido para votação dos deputados estaduais.

Sobre o IPVA, outro dado: os boletos baterão à porta do contribuinte a partir de meados de janeiro.

(Coluna Vertical, do O POVO)

Aumento do mínimo põe R$ 54 bi na economia e dá fôlego ao PIB em 2012

60 1

“O reajuste de 14,3% no valor do salário mínimo, que passa dos atuais R$ 545 para R$ 622,73 em janeiro, deverá injetar cerca de R$ 64 bilhões na economia brasileira em 2012.

A destinação desses recursos para consumo ou pagamento de dívidas tende a acelerar os negócios e permitir que o Produto Interno Bruto (PIB) volte a crescer no primeiro trimestre do ano que vem, depois de ficar praticamente estagnado ao longo do segundo semestre de 2011.

“Nossa estimativa é de que o PIB brasileiro volte a crescer em um ritmo de 0,8% no primeiro trimestre de 2012, principalmente por causa do impulso dado pelo salário mínimo em um período que tradicionalmente é fraco”, diz o economista-chefe da LCA Consultores, Bráulio Borges, autor do estudo sobre o impacto do aumento do mínimo no crescimento econômico do País.”

(Estadão)

Ex-prefeita comemora aniversário após participar de protestos em Wall Street

222 6

“Em clima de celebração política, a ex-prefeita de Fortaleza e membro do grupo Crítica Radical Maria Luíza Fontenele, comemorou ontem seu aniversário de 69 anos após retorno de Nova Iorque, no último dia 25, quando participou do movimento “Ocupe Wall Street”, “pela emancipação humana e fim do sistema capitalista”.

De acordo com ela, a experiência de nove dias no movimento aumentou a compreensão de que há a necessidade da teoria ser apropriada cada vez mais por número maior de pessoas. “O conteúdo do movimento é muito interessante, agrega diferentes setores. O fato de ser um movimento horizontal, as decisões são sempre tomadas cotidianamente pelo coletivo em assembleias. Não tem um caráter imediato de uma reivindicação, é contínuo”, diz Maria.

Ela destaca que dentro do grupo aumentou a responsabilidade no sentido de apontar cada vez mais a perspectiva de transformação. E ainda, que não sejam soluções pontuais e sim radicais. Célia Zanetti, também membro do grupo, chama atenção para dois grandes problemas que perpassam pelas reivindicações dos manifestantes: desemprego e saúde. Outro detalhe é a grande participação de idosos e estudantes, conta. A questão do policiamento também chocou. “Era um sistema repressivo, cinco helicópteros sobrevoando a manifestação o tempo todo, a cada quarteirão os policiais tentavam barrar e demorava muito tempo par a negociação”.”

(O POVO)

"A imprensa ajudou a matar Amy Winehouse", diz vocalista do Pulp

O músico Jarvis Cocker, vocalista da banda inglesa Pulp, disse em entrevista ao jornal britânico “The Guardian” que acredita que a imprensa teve sua parte na culpa da morte de Amy Winehouse.

Cocker acredita que a constante presença dos tabloides na vida de Amy a fazia beber e tomar drogas para aguentar a pressão e que ele mesmo agiu de forma similar durante a era de ouro do britpop, nos anos 1990.

“Amy Winehouse morreu neste ano e todo mundo só falava que as drogas tinham matado a Amy Winehouse. Eu acho que a imprensa matou Amy Winehouse tanto quanto as drogas, porque a imprensa coloca as pessoas em um lugar em que elas não têm paz, então, elas só tentam escapar. Às vezes, você usa drogas e bebe para fazer isso”, disse Cocker.

“Essa atmosfera de medo que os tabloides causam, eu experimentei um pouco disse nos velhos tempos, faz com que você não queira sair, e você passa a agir de forma mais estranha, porque fica mais consciente, então, você quer perder o controle de algum jeito”, explicou.

(agências)

Tecnologia que levou o Brasil ao pré-sal não avançou em segurança

O passo a passo do acidente da Chevron na Bacia de Campos acende, para o Brasil, a luz amarela para o que ocorre com a rápida expansão da exploração do petróleo em alto mar. Às vésperas do início das atividades em larga escala na camada do pré-sal, quem evitou uma tragédia de grandes proporções na costa do Sudeste foi, em grande parte, a sorte: o vazamento foi descoberto pela Petrobras, não pela Chevron, e foi a estatal brasileira quem cedeu equipamentos para os primeiros trabalhos de contenção da mancha na lâmina d’água. Os ventos que sopraram para o mar também têm reduzido as chances de a lambança atingir o litoral na forma de bolas de piche.

Com a segurança da indústria não é movida a vento, é prudente, antes de o valioso petróleo do pré-sal começar a ser bombeado para a superfície, corrigir um descompasso: a tecnologia que levou a Petrobras e a engenharia brasileira aos confins da terra em busca de energia e dólares não avançou proporcionalmente em segurança, estratégias e políticas de prevenção.

A prevenção de acidentes é atualmente o elo fraco da cadeia, como explica o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. Houve nas últimas décadas um investimento em tecnologia e políticas de prevenção perigosamente desproporcional aos pesados recursos aplicados para alavancar a exploração. “Isso fica claro quando há um acidente. As empresas que investiram pesado para se instalar na exploração têm extrema dificuldade para fazer parar o vazamento e recolher o óleo. O mercado penaliza muito esses erros, mas nem assim as companhias têm conseguido evitar e solucionar satisfatoriamente os desastres”, alerta.

Pires lembra que, por mais que pareçam duras as multas e pesadas as sanções à petroleira Chevron, a verdadeira punição pelo vazamento de óleo na Bacia de Campos não vem do governo e das entidades brasileiras, mas do mercado. O castigo imposto pelas autoridades até o momento, que beira os 250 milhões de reais, é pequeno se comparado às perdas de mais 14 bilhões de dólares no valor da companhia.

O Brasil, que se destaca no pioneirismo de algumas das tecnologias de exploração em grandes profundidades, deveria liderar também em tecnologia. Mas as falhas no quesito segurança da indústria do petróleo não são exclusividade dos órgãos e empresas daqui. “No vazamento da BP, nos Estados Unidos, também ficou claro que os órgãos de fiscalização não estão preparados para lidar com grandes acidentes”, diz. A pressão da sociedade e dos países, em defesa de seu patrimônio ambienta, pode ser a chave para mudar as regras do jogo. “Se o mercado continuar a impor grandes perdas a cada falha grave das companhias, tirar petróleo vai se revelar algo bem menos barato para as empresas. E se não prestarem atenção, isso pode ficar muito caro. O momento não é de falar em expulsar empresas, mas de uma reflexão serena e profunda sobre como vamos explorar nosso litoral”, afirma.

(Veja)

Ceará aposta na rivalidade mineira para seguir na Série A

O Ceará desperdiçou uma grande chance de respirar na Série A do Brasileirão, ao empatar com o Cruzeiro, na noite deste domingo (27), no estádio Presidente Vargas, em 2 a 2.

Com o resultado, o Vozão segue na zona de rebaixamento. Mas agora aposta na rivalidade entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, que se enfrentam na última rodada da competição, no próximo domingo (4), para seguir na elite do futebol brasileiro. Além de torcer por uma vitória do Atlético, ou empate, o Ceará terá que vencer o Bahia, em Salvador, no mesmo dia.

Sem possibilidade de cair para a Série B, após o empate deste domingo com o Santos, na Vila Belmiro, em 1 a 1, o Bahia no entanto poderá disputar a Copa Sul-Americana se derrotar o Ceará.

Outra boa disputa é pelo título. Corinthians e Vasco são os únicos que ainda podem colocar a mão na taça. O Timão enfrenta o Palmeiras e o Vasco joga contra o Flamango, na última rodada. Vitória corintiana ou empate em qualquer um dos jogos assegura o título para São Paulo.

'Indignados' se manifestam em Madri contra crise econômica

Centenas de “indignados” se manifestaram neste domingo (27) em Madri contra a crise econômica e pediram ao novo governo conservador eleito nas eleições de 20 de novembro que faça políticas a favor dos trabalhadores.

“Caminhemos juntos contra a crise e o capitalismo na greve geral”, lia-se em uma das faixas. Seis marchas foram organizadas em diferentes pontos de Madri, percorrendo a capital espanhola para se reunir na Praça de Netuno, ao lado do Congresso dos Deputados.

Entre gritos de “Que paguem pela crise os capitalistas!” e armados com cartazes com dizeres como “Não aos corruptos!”, os manifestantes avançaram sem incidentes até a praça, onde uma barreira policial os impediu de chegar ao Congresso.

O número de manifestantes desta vez foi bastante inferior ao das marchas anteriores de 19 de junho ou de 15 de outubro, que reuniram milhares de pessoas.

Os manifestantes pediram ao novo executivo a implantação de leis “que realmente defendam aos trabalhadores das agressões dos empresários e dos banqueiros”. “A manifestação serve para exigir do partido que irá governar o país que mude o rumo da economia e não faça políticas a favor das empresas, dos mercados e, sobretudo do que diz Merkel”, afirmou Rafael Flores.

(France Press)

Câmara estuda abrir processo contra Lupi por desvio de salário

A Câmara dos Deputados informou que estuda abrir processo disciplinar e cobrar ressarcimento do ministro Carlos Lupi (Trabalho), que foi funcionário fantasma do Congresso por seis anos. A Folha revelou neste sábado (26) que ele recebeu salário da Câmara de dezembro de 2000 a junho de 2006, mas não aparecia na repartição onde estava lotado –a liderança do PDT.

“Vamos tomar providências. Se houve conduta irregular na época, pode caber processo, ressarcimento ou coisa dessa natureza”, disse o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS).

Os partidos da oposição cobraram no próprio sábado a demissão imediata do ministro, que nega ter recebido indevidamente.

O PPS vai pedir sindicância na Câmara e acionar o Ministério Público Federal. De acordo com a legenda, o episódio pode caracterizar crime de falsidade ideológica do então servidor e de prevaricação de quem o contratou. Para o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), a presidente Dilma Rousseff “tem de assumir o papel de mandá-lo embora”.

O líder do PSDB, deputado Duarte Nogueira (SP), também criticou o ministro. “Se você pegar um baralho e abrir as cartas, o Lupi está em todas. Tudo o que é irregularidade ele aparece. Agora até funcionário fantasma ele foi.”

O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), líder do DEM, disse que o “assunto é muito grave” e merece investigação na Casa.

Para o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello, o caso “é muito negativo” e “acaba fragilizando as instituições e o próprio contribuinte”.

Durante o período em que recebia como assessor parlamentar, Lupi morava no Rio de Janeiro, e não em Brasília.

As normas da Câmara estabelecem que os ocupantes de cargos de natureza especial (como era o caso de Lupi naquela época) têm de exercer funções técnicas e administrativas e atuar dentro das instalações do Congresso.

Lupi, porém, dedicava-se exclusivamente a tarefas partidárias. Era o vice-presidente do PDT. Depois da morte do ex-governador Leonel Brizola, em 2004, assumiu o comando da legenda.

A reportagem conversou com assessores, deputados e ex-deputados do partido. Nenhum deles confirmou que Lupi trabalhou na Câmara durante os seis anos em que recebeu salário.

Hoje essa remuneração é de R$ 12 mil. Usando o valor como base, ele teria ganho R$ 864 mil indevidamente.

(Folha)

Irã ameaça ensinar aos EUA significado de 'uma verdadeira guerra'

O ministro da Defesa do Irã, Ahmad Vahidi, avisou aos Estados Unidos que seu país está preparado para ensinar “o que significa uma verdadeira guerra”.

“O Irã é muito forte neste momento e está preparado para mostrar aos EUA o que significa uma autêntica guerra, se eles realizarem um ato de loucura”, disse Vahidi perante uma multidão de Voluntários Islâmicos na cidade de Bushehr, informaram a imprensa local.

As frequentes notícias sobre armas e preparação bélica e os desafios às potências “arrogantes”, especialmente EUA e Israel, aumentaram no Irã depois que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) demonstrou sua suspeita que o programa nuclear iraniano tem uma vertente militar.

Vahidi advertiu neste domingo (27) que “os que ameaçam a nação iraniana devem decidir até que ponto estão dispostos a se sacrificar e quantos deles estão dispostos a morrer”.

“Também devem saber por quanto tempo poderiam suportar uma guerra e em que medida iriam tolerar assistir ao afundamento de seus navios de guerra e ter em mente como vão se proteger dos golpes destrutivos e poderosos dos mísseis e foguetes do Irã”, acrescentou.

O ministro advertiu ao Governo dos EUA que não devem crer que tem experiência em guerras, porque no Iraque o regime de Saddam Hussein “se rendeu” e no Afeganistão ocuparam o país porque “não havia ninguém para lutar”, mas agora, “sua situação em ambos países é muito adversa”, com uma resistência crescente.

Além disso, os iranianos advertiram que não duvidarão em recorrer à guerra econômica e que, se forem atacados, podem cortar o Estreito de Ormuz, pelo qual sai um terço do petróleo que se consome no mundo.

Isto poderia criar escassez de petróleo em muitos países, disparar ainda mais os preços e provocar uma hecatombe de consequências imprevisíveis em uma situação de crise que já afeta grande parte do mundo.

(EFE)

Bomba caseira apreendida entre torcedores do Ceará e Cruzeiro

A Polícia apreendeu na tarde deste domingo (27), no terminal da Parangaba, uma bomba caseira a base de pregos entre torcedores do Ceará e do Cruzeiro.  O artefato estava em uma cadeira, junto com rojões, e a Polícia não conseguiu identificar o portador.

Os torcedores foram levados para o 5º Distrito, no mesmo bairro, e, após esclarecimentos ao delegado plantonista, foram liberados. Ceará e Cruzeiro jogam nesta tarde, no estádio Presidente Vargas, pela penúltima rodada do Brasileirão. Os dois times estão ameaçados de rebaixamento.

A mídia que acusa é a mesma que esquece

Permeando todo o processo de derrubada dos ministros, a mídia. No entanto, o professor David Fleischer destaca que esse acompanhamento é rompido já no momento em que se troca de comando na pasta. Isso gera, até mesmo, o aborto de um desfecho sobre o caso envolvendo o órgão público, muito além da participação do ministro. “Isso é muito comum no Brasil. Você tem acusações de corrupção, tem gente que é presa, indiciada, mas se livra e não se consegue recuperar todo o dinheiro roubado”, disse.

“É uma postura equivocada, sensacionalista, que não serve nem se coaduna com o verdadeiro Estado democrático de direito. A mídia acusa e, no outro dia, esquece. E quando aquela acusação é reparada ou não, também não dá mais notícia. Isso é prejudicial para a República”, protestou o vice-líder do Governo na Câmara, deputado federal José Guimarães (PT).

Já o deputado Chico Lopes (PCdoB), correligionário do ex-ministro dos Esportes, Orlando Silva, também substituído neste ano, destaca que sua saída marcou o final da cobertura por parte da imprensa. “Enquanto ainda esperamos que o bandido prove que ele recebeu dinheiro”, disse. Ele se refere ao policial que participou de denúncia que indicava que Silva teria sido beneficiário de um esquema de desvio de dinheiro do programa Segundo Tempo, do Governo Federal.

Para o deputado Danilo Forte (PMDB), o principal prejuízo tanto surge quando concentra na própria classe política. “A atividade política, em si, é muito ingrata. É muito fácil bater palma para quem está por cima e muito fácil vaiar aqueles que estão em derrocada. A solidariedade na política é muito curta”, afirmou.

(O POVO)

Produtividade deverá compensar perdas com novo Código Florestal

48 1

As acirradas discussões sobre o Código Florestal podem estar chegando perto do fim. Os problemas de adaptação às novas regras continuarão. As perdas propaladas tanto por ruralistas como por ambientalistas, no entanto, não devem ocorrer.

Os parreirais da Serra Gaúcha e os cafezais dos morros do Espírito Santo não voltarão a ser reflorestados, o que seria ilógico se ocorresse. Mas também os elevados custos que os produtores anunciavam ter com a preservação ambiental não vão ocorrer.

Um dos pontos positivos da aprovação do novo Código Florestal será o de eliminar a insegurança jurídica do setor. O produtor terá regras claras e o poder público poderá exigir o cumprimento delas. Pelo menos 3,5 milhões de produtores, entre pequenos e médios, poderão regularizar sua situação ambiental com as novas regras.

As áreas a serem recompostas, tanto as de beira de rios e de encostas de morros como as de reserva legal, não serão um grande peso para os produtores.

Na avaliação do ex-ministro da Agricultura Reinhold Stephanes, os pequenos produtores de grãos poderão recuperar pelo menos 60% da produção com aumentos de produtividade e cuidados maiores com a lavoura.

No caso dos grandes produtores, que têm tecnologias mais avançadas, o aumento de produtividade poderá compensar pelo menos 90% da perda de áreas que serão destinadas à preservação.

Os dados mostram que o país vem registrando forte aumento de produção, sem crescimento correspondente de área. Desde 1990, o país elevou em 28% a área agrícola e em 180% a produção.

A situação da pecuária é ainda mais favorável. Stephanes avalia que a busca de uma melhora nas pastagens pode levar a uma compensação de 100% das áreas que serão utilizadas para preservação ambiental.

(Folha)

CNJ: número de juízes ameaçados sobe 50%

O número de juízes ameaçados no país subiu 50% de 12 de agosto deste ano até hoje. Um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revelou que a quantidade de magistrados na mira de criminosos saltou de cem para 150 em apenas três meses. Os dados são baseados nas informações prestadas pelos tribunais locais à corregedoria do CNJ.Logo após a morte da juíza Patrícia Acioli, assassinada na porta de casa em 12 de agosto, houve aumento nas denúncias. Em apenas 13 dias depois do crime, 34 magistrados foram acrescentados à lista, somando 134 casos. De lá para cá, mais 16 foram incorporados à estatística.

O perigo para alguns magistrados não passa somente pela ameaça. O juiz federal da 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Lafredo Lisboa, descobriu que foram oferecidos R$ 500 mil para quem o matasse, e que havia um plano para sua execução.

— Em 2004, tomei conhecimento pela presidência do Tribunal (de Justiça) que um réu, condenado, prestando depoimento na Vara de Execuções Penais, teria dito que havia uma operação em que eu seria assassinado. A minha morte só não ocorreu porque, em um determinado dia, não passei no local por onde passava sempre — disse.

(O Globo)

Duda Mendonça financia vaquejada no Pará

O marqueteiro Duda Mendonça, responsável pela campanha a favor da divisão do Pará, está bancando a construção de uma pista de vaquejada em Xinguara (no sudeste, a 850 km de Belém).

A vaquejada é uma atividade recreativa –criticada por entidades protetoras dos animais– na qual pessoas montadas a cavalo precisam prender um boi pelo seu rabo e puxá-lo até derrubar.

Duda não é praticante das vaquejadas, mas, de acordo com pessoas próximas, gosta de assistir a elas. Um de seus filhos é adepto da prática e disputa vaquejadas.

Por isso, o marqueteiro resolveu ajudar o Sindicato dos Produtores Rurais de Xinguara, município no qual tem terras, a construir a pista.

Ela começou a ser feita no início do ano, no parque de exposições da cidade e tem 140 metros de comprimento. O custo total será de R$ 500 mil, segundo o sindicato.

Em 2004, o marqueteiro foi detido pela Polícia Federal no Rio de Janeiro durante uma operação de repressão a rinhas de galo.

“Ele está ajudando a conseguir doações e também doando do bolso dele. Graças à sua influência, outras pessoas estão ajudando”, afirmou Osvaldo de Oliveira, presidente do sindicato.

A previsão é que a pista seja inaugurada em maio, com uma grande festa. De acordo com o sindicato de Xinguara, Duda vai aproveitar as vaquejadas para leiloar animais que possui em sua fazenda.

(Folha)

UPPs reduziram homicídios em 38 bairros

53 1

Quase três anos após o início da implantação do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora, os resultados da política que tem mudado o Rio são números impressionantes. Pela primeira vez, um levantamento feito pelo GLOBO revela o impacto de 17 UPPs nos indicadores de criminalidade de 38 bairros da cidade. Com base na análise das estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP), é possível dizer que o fim dos tiroteios e do controle do tráfico nas favelas beneficiadas, das zonas Sul, Norte e Oeste, representaram uma queda média de 50% no total de homicídios. Ao se reduzir o número de mortes, cerca de 270 vidas foram salvas nesse período: se fosse uma, já valeria a pena, mas esse total representa mais do que se mata em dois meses na cidade. Roubos, foram menos 11 mil.

Para chegar aos valores médios, os dados foram examinados em blocos, já que as unidades foram inauguradas em anos diferentes. Nas delegacias que ficam nas áreas de influência das quatro primeiras UPPs (Dona Marta, Pavão-Pavãozinho/Cantagalo, Cidade de Deus e Batam), os assassinatos caíram pela metade: de 216 em 2008 para 114 em 2010, uma redução de 47%. Os latrocínios caíram 40%; os roubos de veículos, 46%; assaltos a lojas, 21%; a residências, 38%; a bancos, 86%; a coletivos, 27%; e a transeuntes, 21%.

Moradores ainda relatam abusos

Num beco e outro, ouvem-se histórias de abusos. Uma das guarnições que atuam no morro usaria até pedaços de pau para espancar aqueles que não seguem à risca as novas regras. A relação entre morador e policial é delicada. Depois de voltar de um show, X., que tinha bebido, esbarrou num PM da UPP: — Só por isso, ele colocou a pistola na minha cabeça.

Apesar disso, algumas pesquisas mostram avanços. O Instituto de Opinião da Fundação Getúlio Vargas (FGV) criou o Índice de Percepção da Presença do Estado, que mediu a forma como os moradores do Complexo do Alemão estão vendo as ações de órgãos públicos na comunidade. Foram feitas 400 entrevistas. De zero a 100, os entrevistados deram nota 32 para a atuação da polícia em 2009, antes da ocupação, e 57 em 2011.

Quando perguntados se a polícia tratava bem os moradores, os entrevistados deram nota 26 em 2009 e 49 este ano. Sobre os equipamentos culturais, deram 45 em 2009 e 58 este ano. A única novidade que chegou ao local foi um cinema 3D. Além disso, 60% disseram acreditar que a vida vai melhorar muito e 16%, um pouco.

(O Globo)

Ministro leva tapa na orelha em 'protesto contra corrupção'. Confira o vídeo

48 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=CWH8daWeA8A&NR=1[/youtube]

O ministro da Agricultura da Índia, Sharad Pawer, estava dando uma entrevista quando foi surpreendido ao ser agredido com um tapa na orelha.

O agressor, Harvinder Singh, acabou sendo contido pela polícia, mas ele disse que seu ato foi motivado pelos altos preços de alimentos no país e pela corrupção.

Aos gritos, ele falou: ”Vocês não sabem por que eu bati nele? O cidadão comum está apreensivo. Eu estou errado?”.

(BBC Brasil / Youtube)

A cidade de Oz

466 9

Eis a paródia que recebemos do vereador Plácido Filho (PDT) sobre a obra “O Mágico de Oz”, do escritor norte-americano L. Frank Baum. Segundo o vereador, a paródia “A cidade de Oz” é uma oportunidade de um olhar diferente sobre como as coisas ocorrem. Confira:

Dorothy ainda vive o sonho de heroína, quando sequer percebe que seu grande feito foi um acaso, um “azarão”, como diria um certo crítico mais envolvido com a trama.

A morte da Bruxa Malvada do Oeste se deu por um simples golpe de sorte, depois que a casa da menina loira caiu em cima da casa da bruxa má, após um furacão levantar a moradia de Dorothy pelos ares. Furacão hoje rebatizado de circunstância. Mera circunstância.

Na verdade, Dorothy teve tudo para mudar a história da cidade de Oz, para onde o destino a arrastou, se realmente tivesse tirado bom proveito da imagem de heroína e proporcionado as mudanças tão necessárias para o mundo fantástico.

Em sua jornada, a menina esteve ao lado do Homem de Lata, do Espantalho e do Leão Covarde.

Mas, ao invés de ajudar o Homem de Lata a ganhar um coração, Dorothy aprisionou-lhe a razão com um falso sentimento de luta em defesa das mais fracas criaturas. E o Homem de Lata se diz orgulhoso, feliz e esperançoso. Sentimentos de quem acredita possuir um coração.

Ao invés da busca de um cérebro para o companheiro Espantalho, a menina roubou-lhe o sentimento com propagandas que enganam os incautos. E ele passou a enxergar como concreto os feitos que só existem na imaginação e nas palavras.

Ao incentivar o Leão Covarde a buscar Fortaleza… digo, fortaleza, Dorothy fez de sua covardia armas mais mortais que garras afiadas e grandes presas.

E assim Dorothy conseguiu sustentar por mais tempo a sua imagem de heroína e até arrancar a vassoura da Bruxa Malvada do Leste, a pedido do mágico de Oz.

Somente depois, após concentrar tamanho poder, a menina descobriu que o mágico era apenas um simples homem. Um homem passivo a erros e defeitos bem parecidos aos seus. Talvez por isso tenha pulado do balão do mágico, quando ele mais precisava dela para seguir a sua jornada.

Agora é Dorothy quem precisa de apoio em sua jornada. O mágico de Oz já está um pouco distante. Mesmo sem a menina loira, o homem seguiu o seu destino. Dorothy agora entende que não deveria ter pulado de seu balão. Deveria ter seguido o homem, mesmo que apenas adiante. Quem sabe, até o momento atual.

Mas eis que aparece a Bruxa Boa do Norte e assinala para Dorothy uma jornada promissora, ao entregar-lhe sapatos vermelhos, de rubi. A Bruxa Boa do Norte, que antes era aliada do mágico de Oz, hoje lhe faz críticas. Ao se desgastar com o mágico de Oz, a Bruxa Boa do Norte não teve poderes suficientes para que Dorothy sustentasse os sapatos por um período mais longo. E eles se perderam no tempo e no espaço.

Talvez a Boa Bruxa do Norte não fosse tão poderosa quando ela própria imaginava. Talvez nem bruxa boa fosse. Quem sabe, ainda, as bruxas malvadas, derrotadas por Dorothy, eram as verdadeiras heroínas da história. E a menina loira, assim como envolveu seus companheiros Homem de Lata, Espantalho e Leão Covarde, também teria iludido a todos. Isso, pelo menos, é o que as criaturas de Oz acreditam atualmente.