Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Candidatos voltam a perguntar para candidatos

145 2

Valdeci pergunta sobre planejamento de Roberto Cláudio para o setor de serviços. Roberto diz que criará uma agência para apoio às cooperativas, diante do “fundo semente”. Roberto Cláudio lamenta a não construção de outros Cucas. “Pelo menos dois em cada regional”, idealiza.

Roberto pergunta a Moroni sobre postos de saúde. Moroni diz que a saúde é um “drama de vida ou morte. O médico escolhe quem vai viver, quem vai morrer”. Destaca o vice Lineu Jucá, que cansou das promessas de melhoria na saúde pública. Roberto diz que concorda com a descentralização da saúde, “não é preciso construir um novo hospital, mas reformular os frotinhas e reaparelhar os postos”. Moroni lembra que não há em Fortaleza um centro de fisioterapia. Diz que acredita no Hospital da Mulher, mas que é necessário um centro pediátrico.

Moroni pergunta para Marcos sobre saneamento básico. Afirma que apenas R$ 3 milhões estão destinados para o saneamento, diante de um orçamento de R$ 5 bilhões. Marcos afirma que irá ser rigoroso com a Cagece, “não vou ficar nessa briguinha, não”. Diz que parceria prejudica. “A nossa administração não será uma secretaria estadual”, assegura.

Marcos pergunta a Roseno sobre a queda no emprego de carteira assinada em Fortaleza. Roseno diz que metade da economia na cidade é informal e quer apoio às redes de economia solidária. Roseno critica últimos governos federais, inclusive o do PSDB. Marcos diz que PSDB foi governo há 10 anos e que Roseno apoiou a primeira eleição de Luizianne. Roseno diz que não há como fugir que o PSDB reforçou a macroeconomia e que o governo do PT copiou.

Roseno cobra de Elmano a transparência nos contratos dos terceirizados. Diz que Elmano havia afirmado que seriam 10 mil terceirizados, mas a informação seria número maior. Elmano fala sobre geração de emprego por concurso. Roseno reforça o apelo pela transparência, pois há uma relação promíscua entre as empresas terceirizadas e vereadores. “A população sabe disso”, acusa. Elmano ignora apelo e diz que o PT é o governo dos concursos.

Elmano fala sobre o projeto Vila do Mar e pergunta a Inácio sobre um projeto de moradia. Inácio diz que a promessa era de 40 mil moradias e Fortaleza é criticada até pela Caixa Econômica. Elmano informa que esta semana Fortaleza foi apontada como a capital nordestina com maior entrega de casas no projeto Minha Casa, Minha Vida. Inácio lamenta que obras não foram concluídas em oito anos.

Inácio pergunta a Heitor sobre o estatuto da cidade. Heitor critica a falta de planejamento. Inácio lamenta que o Instituto de Planejamento foi liquidado em 1997.

Heitor pergunta a Valdeci sobre a falta de qualidade no ensino fundamental. Valdeci que questão da educação está ligada à urbanidade. Heitor diz que diretor de escola será escolhido por concurso público.

Candidatos respondem a perguntas de internautas

Inácio responde a pergunta de moradora do Carlito Pamplona sobre combate ao tráfico. Inácio responde com clínicas de acolhimento.

Moroni responde a pergunta de internauta sobre indicação de diretores por parte da administração pública. Moroni critica o modelo, mas reconhece avanços, como a merenda escolar. Lamenta a falta de qualidade no ensino.

Valdeci responde a pergunta de internauta do Dias Macedo sobre esgotos a céu aberto. Valdeci responsabiliza a falta de planejamento, como também ocorre na saúde e na educação.

Elmano responde a pergunta de professor sobre educação. Elmano diz que dirigentes das escolas possuem qualificação e assegura que houve avanços. Afirma que ampliará programa de “um computador para cada aluno e que aumentará salário dos professores”.

Marcos responde a pergunta sobre dependência química. Marcos coloca problema na falta de oportunidades de empregos. Compara índices de Fortaleza e Recife, favoráveis à capital pernambucana.

Roberto Cláudio responde a pergunta de morador do Passaré, em relação à habitação e invasão de terrenos. Roberto fala déficit habitacional em Fortaleza. Diz que foram entregues cinco mil casas populares nos últimos anos, a maioria em parceria do Governo Federal , por meio da Caixa Econômica. Assegura que vai investir em moradias populares, com o apoio do governador Cid Gomes.

Heitor responde a pergunta de internauta sobre a falta de atendimento na saúde e pede soluções para postos de saúde sem filas e hospitais sem macas nos corredores. Heitor diz que IJF opera sequelas, não lesões. Volta a destacar proposta para a construção do IJF 2, que priorizará traumas. Afirma que atendimento à saúde será nos três turnos.

Roseno responde pergunta de professora sobre educação infantil. Roseno lamenta que número de crianças em creches não supera a 10% da necessidade. Diz que próxima gestão terá que ampliar número de creches e profissionalizar atendimento. Lembra que há uma inexplicável terceirização.

Candidatos respondem sobre proposta prioritária para Fortaleza

No primeiro bloco do debate da TV O POVO, os oito candidatos têm que responder sobre um projeto ou uma ação específica para Fortaleza.

Heitor Férrer quer construir um segundo IJF. Moroni quer resgatar a vida de jovens, diante de um plano municipal de segurança. Roberto Cláudio quer construir seis policlínicas e reestruturar os postos de saúde. Valdecir Cunha quer implantar um instituto de planejamento para recuperar a cidade. Roseno quer um pacto pela vida para a infância e para a adolescência. Inácio quer planejar a cidade, principalmente os postos de saúde. Marcos quer acompanhar os serviços da prefeitura, por meio do síndico do bairro. Elmano quer fortalecer o atendimento à saúde, em parceria com o Governo Federal.

No próximo bloco, candidato pergunta para candidato.

Candidatos já se encontram na TV O POVO

128 1

Quatro candidatos à Prefeitura de Fortaleza já se encontram nos estúdios da TV O POVO, onde a partir das 18 horas ocorrerá o primeiro debate entre os oito melhores candidatos avaliados pela pesquisa Datafolha/O POVO.

São eles: Moroni, Renato Roseno, Roberto Cláudio e Heitor Férrer. Roberto Cláudio chegou na companhia dos irmãos Ciro e Ivo Gomes.

Judoca medalha de ouro pretende montar projeto social em Teresina para revelar talentos

A judoca Sarah Menezes ainda não conseguiu dormir depois das vitórias desse sábado (28) em Londres. Aos 22 anos de idade, foi a primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro dessa modalidade em Jogos Olímpicos.

Além disso, quebrou um jejum de 20 anos desde a última vez que o judô nacional subiu ao lugar mais alto do pódio olímpico, o que aconteceu nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, com Rogério Sampaio.

A emoção que impediu o sono da grande campeã olímpica, de 1,54 metro e 48 quilos, nascida em Teresina, tem motivos além da medalha. Ela disse que falou apenas rapidamente com os pais por telefone, depois da última luta, mas prevê que o feito “vai mudar completamente” sua vida e a de sua família.

Sarah Menezes quer incentivar os mais jovens a praticar o esporte na capital piauiense. “Pretendo, depois dessa medalha, montar um projeto social para que apareçam novos talentos. Penso em ajudar as pessoas que estavam ao meu redor, no momento que mais precisei”.

A judoca também fez um agradecimento especial ao seu técnico, Expedito Falcão, um dos principais motivos para não ter deixado o Piauí pra treinar em outro centro. “Quem sempre acreditou em mim foi meu treinador, Expedito. Então, nunca saí de Teresina porque sempre foi ele quem mais acreditou nesse sonho, e eu acabei sonhando com ele”.

Ela também destacou o trabalho psicológico feito desde os Jogos Olímpicos de Pequim, quando foi derrotada na primeira luta, com apenas 17 anos de idade. “O que mais é preciso trabalhar nos atletas é a parte mental mesmo”, disse.

Para os próximos meses, a estudante de Educação Física, que teve que trancar a faculdade por conta dos treinamentos para os jogos, disse que não pensa em treinos e lutas. “Não quero saber de judô agora, não. Quero estudar, voltar pra faculdade e estudar inglês. É muito ruim viajar o mundo e não conseguir conversar”.

(Agência Brasil)

Avaliação anual de saúde poderá ser obrigatória para motoristas

Tramita na Câmara o Projeto que torna obrigatória a avaliação anual de saúde para motoristas de ônibus e de cooperativas de vans e táxis.

Os exames serão os mesmos da avaliação admissional de um novo funcionário, o que inclui entrevista com médico, medição dos batimentos cardíacos e da pressão arterial e ainda a realização de exames complementares de sangue ou do coração, por exemplo.

Conforme o texto, a avaliação será condição para participação das empresas em licitações de novas linhas, concessões ou permissões para prestação de serviços.

“Muitos dos acidentes que ocorrem nas estradas brasileiras têm como causa principal as más condições de saúde dos motoristas. Eles cumprem jornadas longas, em condições de higiene quase sempre precárias, com alimentação inadequada. São mal remunerados e não realizam exames periódicos”, afirma Francisco Floriano (PR-RJ), autor do projeto.

Ele observa que, além disso, o motorista está exposto a ruídos, gases tóxicos e trânsito intenso, que também prejudicam a saúde.

(Agência Câmara de Notícias)

Igreja Universal aceita doação de garota de programa e gera polêmica

230 2

A oferta de dinheiro, por parte de uma garota de programa, para a construção do Templo de Salomão está gerando polêmica na web. A mulher, que há 7 anos reside na Nova Zelândia, participou de uma videoconferência com o bispo Guaracy Santos, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), quando prometeu doar a renda de uma semana do trabalho em uma casa de shows de garotas de programa.

A garota brasileira se disse disposta a fazer a doação para sair do seu estado de miséria. “Eu acredito naquilo que o bispo (Edir) Macedo disse que todos que fizerem a doação e contribuírem com o templo vão ficar rico. Eu acredito que não vou continuar com essa vida, bispo, tenho certeza”, relatou a mulher para o bispo.

Guaracy Santos aceitou a proposta, diante de uma “oferta sincera”. “Vai ser um diferencial daquilo que você precisa para mudar de vida, porque você se mostrou disposta a construir casa pra Deus. Deus vai construir casa pra você”, assegurou o bispo.

A polêmica recai sobre a prosperidade material e a tentativa de legitimar o trabalho da prostituição frente a uma contribuição ao Reino. Para o teólogo presbiteriano e pastor, Augustus Nicodemus, “o maior problema não é o fato de que ela faz ofertas para fins ‘evangélicos’, mas como ela encara a prostituição – algo que foi ‘obrigada’- a fazer para conseguir ganhar a vida, desta forma querendo legitimizar, aquilo que ela e todos nós sabemos que é contra a vontade de Deus”, disse.

(com agências)

Maré baixa

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (29), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

As intenções de voto para o candidato Inácio Arruda (PCdoB) na primeira pesquisa O POVO/Datafolha surpreenderam pelo lado negativo. Por estar no Senado e ter disputado duas eleições municipais para a Prefeitura, era de se esperar patamar bem acima do registrado.

Internamente até se admite que Inácio tenha enfrentado problemas por posições tomadas no Congresso, mas sua história de militância deveria ter lhe garantido melhor posição. O pior de tudo é que a campanha terá pouco tempo de TV para tentar reverter o quadro.

Para agravar o problema, é um dos poucos candidatos que não têm relação com a temática da saúde, a principal preocupação do fortalezense hoje.

Sancionada com vetos lei que troca dívida de universidade por bolsas de estudos

153 2

Sancionado com vetos pelo Executivo o texto que troca as dívidas de universidades privadas por bolsas de estudo. A lei prevê que 90% das dívidas das universidades, o equivalente a R$ 13,5 bilhões, serão transformadas em bolsas do programa Prouni. Os 10% restantes deverão ser pagos em espécie no prazo de 15 anos, que começa a ser contado a partir de julho de 2013. A ideia é beneficiar cerca de 300 mil alunos.

A iniciativa, que prevê ainda a redução de 40% no valor das multas de mora, ficou conhecida como Programa de Reestruturação e Fortalecimento do Ensino Superior. O programa foi incluído no texto da medida provisória pelo relator, o deputado Pedro Uczai (PT-SC).

A medida vale para dívidas vencidas até 31 de maio deste ano e alcança montantes que, divididos pelo número total de matrículas, resultem em um mínimo de R$ 1,5 mil.

(Agência Câmara de Notícias)

Consumidores recebem produtos gratuitamente caso encontrem mercadorias fora do prazo

O Procon do Rio de Janeiro, em parceria com a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e com o Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública, irá assinar, nesta segunda-feira (30), acordo que garante ao consumidor o direito de receber gratuitamente outro produto caso encontre nos supermercados produtos que estejam com o prazo de validade expirado. Se não existirem mais unidades deste item, ele deverá receber um outro que seja equivalente.

De acordo com a secretária municipal de Defesa do Consumidor, Solange Amaral, a campanha “Todos de Olho na Validade” é uma forma de alertar o consumidor sobre a importância de se verificar a validade dos produtos, além de uma ser uma garantia de bem estar para si e para sua família. “A iniciativa faz com que os supermercados zelem para não ter dentre as suas prateleiras quaisquer produtos, especialmente alimentícios, que estejam vencidos”, disse Solange.

Cerca de 500 lojas que integram as redes de supermercado participarão da campanha em todo o município, que começará a valer no dia 15 de agosto. Segundo a secretária, o acordo vai trazer muitos benefícios para a população.

“Essa é uma conquista significativa, porque vai educando o consumidor para questões de defesa de sua saúde e, ao mesmo tempo, amplia o compromisso que o comércio e os fornecedores de alimento têm com os cidadãos. O Código de Defesa do Consumidor – que vai completar 22 anos no Brasil – é um dos melhores do mundo, e nós precisamos avançar mais e mais na defesa dos direitos da população”, acrescentou Solange.

(Agência Brasil)

Coisa de iluminado

183 5

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (29), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

Por mais justificativas que possam ser dadas pelos marqueteiros, excluir o sobrenome Cals da campanha do candidato tucano é no mínimo achar que o fortalezense é idiota. Ora, Marcos Cals atingiu o patamar de intenções de voto na pesquisa O POVO/Datafolha justamente por recall de outras campanhas disputadas.

Vir agora um iluminado achar que o nome Marcos é de mais fácil assimilação pelo eleitor, chega a ser risível do ponto de vista eleitoral. Quer dizer que toda a história do candidato será jogada fora e zerada a partir do novo nome? Uma pena que o próprio candidato tenha caído nessa, sem contar que também deixa de lado o legado para o estado de César e Marieta.