Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

3 a 1 – Fortaleza sofre com síndrome de times paulistas e leva virada do Corinthians

95 2

Metade das seis derrotas do Fortaleza, nas 12 primeiras rodadas do Brasileirão, foram para times paulistas. Após ser goleado pelo Palmeiras, por 4 a 0, ser derrotado em casa para o São Paulo, por 1 a 0, agora o Leão permitiu a virada do Corinthians, na noite deste domingo (28), em pleno Castelão, por 3 a 1.

O Fortaleza deixou a primeira etapa à frente do placar, depois que Osvaldo cabeceou, livre de marcação, e a bola ainda bateu na zaga antes de entrar. Na segunda etapa, porém, um outro Fortaleza volta a campo e ficou fácil para o Corinthians. Boselli empatou, Pedrinho virou e Danilo ampliou.

O Fortaleza, que na vitória parcial experimentava pela primeira vez a oitava posição na tabela de classificação, voltou para a 14ª colocação.

No próximo sábado (3), às 19 horas, no Castelão, Ceará e Fortaleza realizam o primeiro Clássico-Rei do atual modelo do Brasileirão.

(Foto: Reprodução)

Pai de santo acusado de estupros será investigado por benefícios relacionados à infância

Acusado de dopar e cometer abusos sexuais contra mulheres no município de Ibiapina, na região da Serra da Ibiapaba, a 360 quilômetros de Fortaleza, o pai de santo Francisco Aucivam Pereira Linhares, 29, será investigado pela Polícia por benefícios ligados à infância.

Após receber o benefício do Bolsa Família, até meados de 2016, Aucivam Linhares atualmente possui o Cartão Mais Infância, da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) do Governo do Ceará. O benefício é destinado à extrema pobreza de famílias com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses.

Segundo a Polícia, os estupros teria ocorrido em rituais religiosos, após as vítimas ingerirem substâncias misturadas a bebidas alcoólicas.

Procurador diz ser prematuro atribuir morte de cacique a garimpeiros

O procurador-chefe da Procuradoria da República no Amapá, Rodolfo Soares Ribeiro Lopes, disse ser prematuro afirmar que os assassinos do cacique da aldeia Waseity, da Terra Indígena Waiãpi, sejam garimpeiros que invadiram a reserva localizada no oeste do Amapá.

“Há várias linhas investigativas em curso e não é possível afirmar o que ocorreu. Estamos trabalhando com várias hipóteses. É possível que o crime tenha sido praticado por garimpeiros, por caçadores ou até mesmo por outros indígenas”, declarou Lopes.

“O procurador titular vai assumir o caso amanhã e poderá esclarecer melhor sobre a existência ou não destes conflitos na terra indígena”, acrescentou Lopes, explicando estar acompanhando os fatos na condição de procurador plantonista.

Segundo o Conselho das Aldeias Waiãpi-Apina, garimpeiros invadiram a terra indígena e atacaram ao menos uma aldeia, a Yvytotõ, durante a última semana.

O chefe da aldeia Waseity, Emyra Waiãpi, foi morto na tarde de segunda-feira (22). De acordo com o conselho, entretanto, a morte não foi testemunhada por indígenas e só foi percebida na manhã de terça-feira (23).

Ainda de acordo com o conselho, grupos de Waiãpi encontraram não índios armados entre sexta-feira (26) e sábado (27), quando a aldeia Yvytotõ foi invadida e tiros foram ouvidos próximos à aldeia Jakare. O conselho comunicou a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Ministério Público Federal (MPF) na sexta-feira. Na tarde de sábado, policiais federais e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Amapá foram acionados e se deslocaram para a região a fim de apurar as denúncias.

“O MPF instaurou dois procedimentos. Um criminal, para apurar as circunstâncias da morte da liderança indígena. E outro para apurar a suposta invasão à terra indígena”, acrescentou o procurador da República, admitindo ainda não haver detalhes sobre a morte de Emyra Waiãpi. “É muito cedo para afirmarmos o que aconteceu. As equipes da PF e do Bope já estão na terra indígena recolhendo as informações necessárias para esclarecer o que de fato ocorreu”.

Em nota, a Funai também trata o fato como uma “suposta invasão” e um “possível ataque” à terra indígena. Já o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), organização indigenista vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cobra das autoridades públicas medidas “urgentes, estruturantes e politicamente isentas” para que os responsáveis pelo ataque aos Waiãpi sejam identificados e punidos.

Pelas redes sociais, a prefeita de Pedra Branca do Amapari, Beth Pelaes (PMDB), disse que a população repudia qualquer forma de agressão às famílias indígenas e a seu território. “Estamos, todos, muito sensibilizados e chocados com o que está acontecendo”, escreveu a prefeita, assegurando que as medidas de segurança para “impedir o agravamento do conflito entre índios e garimpeiros” já estão sendo adotadas.

Pedra Branca do Amapari é um dos três municípios amapaenses que abrigam a Terra Indígena Waiãpi.

(Agência Brasil)

Marinha alerta para ventos de até 60 km/h no litoral do Ceará

Embarcações cearenses devem ficar atentas aos fortes ventos que deverão atingir a costa do Ceará, entre a noite deste domingo (28) e a tarde da terça-feira (30).

O alerta é da Marinha do Brasil, em nota à imprensa, que aponta ventos de até 60 km/h, suficientes para virar embarcações de médio porte.

Neste período do ano, embarcações pesqueiras costumam ir à deriva em alto mar. Os fortes ventos também deverão atingir parte do litoral do Rio Grande do Norte e do Maranhão.

Novas regras de tramitação de MPs entram em vigor após recesso

Reivindicação antiga dos senadores está prestes a se tornar realidade. Na volta do recesso parlamentar, em agosto, sessão solene do Congresso Nacional vai marcar a promulgação da emenda à Constituição (EC) que altera as regras e prazos de tramitação de medidas provisórias (MPs).

Depois de oito anos tramitando, o tema ganhou força na Casa, quando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se comprometeu com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a votar a matéria. O compromisso veio depois que senadores acirraram o descontentamento com o volume de medidas provisórias que só chegavam da Câmara para serem analisadas no Senado às véspera de perder a validade.

Um desses casos foi a Medida Provisória 867/18, que alterava vários pontos do Código Florestal. À época, o presidente do Senado, propositalmente, deixou a MP perder a validade. A decisão foi tomada a pedido de líderes do Senado, que reclamavam que a Casa estava fazendo papel de carimbar decisões do deputados, já que não tinham tempo para debater as propostas.

Regras

Uma das grandes novidade da PEC que muda a tramitação das MPs é a proibição de inclusão, no texto, dos chamados “jabutis” – temas estranhos ao objeto original da MP –, mas que eram inseridos de última hora para pegar carona na tramitação mais ágil das MPs e virar lei rapidamente. Com as novas regras, passa a ser vedado o acréscimo de pontos que não sejam vinculados ao objeto da MP “por afinidade, pertinência ou conexão”.

A PEC define prazos específicos para cada fase de tramitação das MPs. A comissão mista de deputados e senadores – primeira fase de tramitação das MPs – terá 40 dias para analisar e votar a proposta. Em seguida, o plenário da Câmara dos Deputados terá até 40 dias para votar a proposta. Vencida a etapa, a MP segue para o Senado, que terá 30 dias para analisar a matéria. Se os senadores apresentarem emendas, os deputados terão mais 10 dias para apreciá-las. Nenhum desses prazos poderá ser prorrogado.

Ainda pelas novas regras, caso o prazo da comissão mista seja descumprido, a MP avançará para a Câmara dos Deputados sem o parecer. Já o descumprimento dos demais prazos significará a perda de validade da medida provisória.

O novo texto também estabelece que a MP passará a trancar a pauta, ganhando prioridade de votação a partir do 30º dia de tramitação na Câmara, do 20º dia de tramitação no Senado e durante todo o período de tramitação para revisão na Câmara, se houver.

Pela regra em vigor desde 2001, uma MP perde a eficácia se não for convertida em lei até 120 dias e não há definição de prazos para a comissão mista e para cada uma das Casas. Muitas vezes, ainda na primeira etapa – a da comissão especial – o tempo é todo consumido, sem que os plenários das duas Casas tenham a oportunidade de analisar a matéria.

Oficialmente, o recesso parlamentar termina no dia 31 de julho. Como o dia 1° de agosto cai em uma quinta-feira, a expectativa é de que os parlamentares retornem ao trabalho no dia 6 de agosto.

(Agência Brasil)

Fortaleza, enfim, conquista confiança do apostador e é favorito contra o Corinthians

Apesar de se reversar com o Palmeiras na conquista do título do Brasileirão, nos últimos quatro anos, o Corinthians terá que fazer mais para superar o favoritismo do Fortaleza, na noite deste domingo (28), a partir das 19 horas, no Castelão, pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

É que a equipe do treinador Rogério Ceni, invicta há três jogos, ganhou moral após o empate em 2 a 2, diante do Atlético Mineiro, na rodada anterior, após estar perdendo por 2 a 0, em pleno estádio Independência, em Belo Horizonte.

Segundo sites de apostas online, o Fortaleza é favorito para a partida com 38% de chances de vitória, contra 29.2% de chances de vitória para o Corinthians e 32.7% de empate.

(Foto: Arquivo)

Após ataque hacker, Alcolumbre volta a defender CPMI das Fake News

Na volta do recesso parlamentar em agosto, uma das prioridades de deputados e senadores deve ser a instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar a veiculação de notícias falsas. Entre as autoridades que tiveram o celular invadido por hackers o presidente do Congresso, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) reforçou na última semana a importância da investigação.

“A ação indevida dos hackers leva ainda à produção de fake news, que só servem para gerar a confusão de informações e a manipulação da opinião pública. Combater esse crime não é dever só da polícia, o legislador também deve colaborar com soluções e leis mais transparentes para o bem de todos. É isso que queremos debater na CPMI que vai investigar as notícias falsas no Congresso Nacional”, disse Alcolumbre, em nota. ao saber que também foi alvo de invasão.

Com objetivo de aperfeiçoar a legislação em torno das chamadas fake news, segundo o senador, o Parlamento precisa ouvir especialistas, autoridades e representantes das organizações civis, em busca de uma resposta efetiva, para impedir esse tipo de crime e “promover a correta informação da sociedade”.

Comissão

A comissão será composta por 15 senadores e 15 deputados, além de igual número de suplentes. A CPI terá 180 dias para investigar a criação de perfis falsos e ataques cibernéticos contra a democracia e o debate público. A prática de ciberbullying contra autoridades e cidadãos vulneráveis também será investigada, assim como o aliciamento de crianças para o cometimento de crimes de ódio e suicídio.

Hackers

Além do presidente do Senado, figuram na lista de autoridades que tiveram o celular invadido por hackers, ministros de Tribunais Superiores, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Justiça, Sergio Moro, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o presidente Jair Bolsonaro.

(Agência Brasil)

Dirigentes de conselhos no Ceará elaboram pauta contra a PEC da desobrigatoriedade

103 1

Dirigentes cearenses no COFECON, CFC e CFA e presidentes regionais do CORECON, OAB, CRC, CREMEC, CRC e CRA, dentre outros, se reuniram em Fortaleza para elaborar uma pauta contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 108/2019, assinada pelo ministro Paulo Guedes, que propõe o fim da obrigatoriedade da inscrição nos conselhos profissionais.

Os dirigentes pretendem estender a pauta para outros Estados, além de um encontro com a bancada federal do Ceará no Congresso nacional.

A elaboração de um manifesto conjunto em defesa dos conselhos como proteção da sociedade; o desenvolvimento de ações conjuntas de fiscalização e a definição de um calendário de reuniões ao longo do ano para assuntos comuns são outras pautas definidas no encotro que ocorreu na OAB.

(Foto: Divulgação)

Taxa básica de juros será definida nesta semana

134 3

A taxa básica de juros – a Selic – será definida nesta semana. A quinta reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), responsável por definir a taxa, será realizada terça e quarta-feira (31).

Segundo a última pesquisa do BC ao mercado financeiro, a expectativa é que o Copom inicie um ciclo de cortes na Selic, em momento de economia fraca. A previsão do mercado é que a Selic sofra cortes de 0,25 ponto percentual nesta semana e nas próximas três reunião (setembro, outubro e dezembro), encerrando 2019 em 5,5% ao ano. Atualmente, a taxa básica está em 6,5% ao ano.

A taxa básica de juros é o principal instrumento do banco para alcançar a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Neste ano, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para o mercado financeiro, a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar abaixo do centro da meta, em 3,78%. Para 2020, a previsão também está abaixo da meta (4%), em 3,9%.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, o Copom precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião do Copom.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

Histórico

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano.

O processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico, 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes.

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

(Agência Brasil)

Planejamento familiar, maioridade penal, cotas raciais… governo Bolsonaro ainda não mostrou a cara

Há cerca de cinco anos e meio, o então deputado federal Jair Bolsonaro proferia discurso de agradecimento pela recondução do que seria o seu último mandato como parlamentar, após os então 23 anos de Congresso Nacional. Apesar do mesmo tom do atual presidente, as bandeiras defendidas ainda diferem das atuais medidas… Confira alguns tópicos:

Eu queria agradecer a Deus a oportunidade que Ele me deu para continuar mais quatro anos ocupando esta tribuna. Queria agradecer também a oportunidade que deu ao meu filho, o policial federal Eduardo Bolsonaro, eleito por São Paulo para Deputado Federal com 82 mil votos.

(…) O meu nome, o meu passado, obviamente, ajudaram bastante. É uma linha que eu tracei nesta Casa, desde quando aqui cheguei, em 1991. Podem alguns não gostar de mim, mas sabem exatamente qual é o meu posicionamento.

(…) as minhas propostas, as minhas ideias, o que eu defendo é aquilo com que, cada vez mais, a população tem se identificado. E vamos continuar nessa mesma linha. Queria agradecer aqui ao Sr. Olavo de Carvalho, que me citou em seu blog, dizendo que, caso ele fosse eleitor no Rio de Janeiro, votaria em mim. É um homem que representa mais do que a Direita, representa o direito em nosso País, representa a democracia e representa a verdade.

(…)

Entre o que nós defendemos — e vamos pedir apoio aos que foram reeleitos e aos novos que aqui chegarão — está o tema do planejamento familiar. O Brasil não pode continuar crescendo com mais de dois milhões de habitantes, aproximadamente, a cada ano que passa.

(…) Outro assunto com o qual me coaduno, em parte com o candidato Aécio Neves, é a redução da maioridade penal. Por que em parte? Porque ele quer a redução apenas para aqueles que cometem crimes hediondos. Para mim, todos deveriam responder pelos seus crimes, independente de ser hediondos ou não. Hoje, o jovem sabe o que é certo e o que é errado. (…) Então, a redução da maioridade penal, como forma de inibir a criminalidade ainda na fase juvenil, é algo mais do que pedido pela sociedade. Em qualquer pesquisa se nota que 92% da população quer a redução da maioridade penal. E, lamentavelmente, o Governo que está aí de plantão, o Governo do PT, não admite sequer discutir esse assunto.

Também tenho tido muito apoio quanto à questão da meritocracia. Até os negros — a maioria com quem eu tenho conversado — são contra as cotas no Brasil.

(…) Não teremos mais eleições livres em nosso País. Teremos em 2018, sim, a homologação das candidaturas, em que o PT escolhe o nome e corre para o abraço, nem faz mais campanhas, porque a base de pessoas pobres que o PT vem criando cresce cada vez mais. A única coisa que eu elogio no PT é que ele realmente gosta de pobres. Quanto mais pobre houver no Brasil, melhor para o PT.

Um abraço.

Jair Bolsonaro

Deputado Federal

2014

Bloqueio de verbas federais para manutenção do ensino pode ser proibido

A Proposta de Emenda à Constituição 96/19 propõe a execução orçamentária obrigatória das programações relativas à manutenção e desenvolvimento do ensino. O objetivo da proposta é proibir o contingenciamento das verbas para as políticas educacionais do Executivo.

As ações de “Manutenção e Desenvolvimento do Ensino – MDE” são todas aquelas que visam alcançar os objetivos básicos da educação nacional com ações voltadas à obtenção dos objetivos das instituições educacionais de todos os níveis.

A autora da proposta, deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS), destaca que o projeto não busca alterar os valores mínimos instituídos constitucionalmente para o setor nem a previsão do Novo Regime Fiscal, mas determinar a execução orçamentária.

Ela justifica o projeto diante das recentes decisões do governo federal de contingenciar recursos das universidades federais.

“Sob a alegação infundada de que as universidades fazem balbúrdia, entre outros argumentos ainda piores, foi anunciado o contingenciamento de 30% da verba para a UnB, UFF e UFBA. Ao ser alertado que tal ato administrativo com motivo ilegal e inconstitucional poderia levá-lo ao banco dos réus em razão de crime de responsabilidade, o ministro da Educação acabou por estender a todo o ensino superior sua política de aniquilação do ensino, pesquisa e extensão de nosso País”, afirma a parlamentar.

A deputada destaca que as universidades são responsáveis por 95% da pesquisa realizada no Brasil e que não poderão pagar contas básicas, como água e luz, e honrar os contratos com serviços terceirizados de limpeza e segurança. “Restaurantes universitários e programas de assistência estudantil também ficarão sem recursos. Alguns institutos federais e universidades podem até mesmo fechar as portas no segundo semestre, o que comprometeria diretamente a entrega de um serviço público garantido constitucionalmente”, assinala Fernanda Melchionna.

Inicialmente, a proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) quanto à sua admissibilidade. Se aprovada, ainda terá de ser examinada por uma comissão especial criada especialmente para esse fim, antes de seguir para votação, em dois turnos, no Plenário.

(Agência Câmara Notícias)

Fortaleza Tritões busca primeira vitória no Brasil Futebol Americano

Após proporcionar a partida mais emocionante da estreia do Brasil Futebol Americano, no último dia 7, quando perdeu para o São Luís Sharks, por 30 a 23, na capital maranhense, o Fortaleza Tritões busca a primeira vitória na competição, na tarde deste domingo (28), a partir das 14 horas, no estádio Murilão, em Messejana, diante da forte equipe pernambucana Petrolina Carrancas.

Além de contar com o apoio da torcida, o Fortaleza Tritões terá no estádio a “cãopanhia” desses fiéis amigos, que terão acesso livre às arquibancadas, desde que os donos dos cãezinhos não esqueçam de levar ração, água e saquinho para as necessidades fisiológicas dos animais. Parte da bilheteria do jogo (R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia) será destinada ao Abrigo Infantil Casa Sonho.

O Petrolina Carrancas estreou na competição, em casa, no vale do São Francisco, diante de outra equipe cearense, o Roma Gladiadores, e não tomou conhecimento do adversário, na vitória por 49 a 0.

(Foto: Divulgação)

Bolsonaro defende redução da carga tributária

186 2

O presidente Jair Bolsonaro disse nesse sábado (27) que o país tem que reduzir a carga de impostos e que deve apresentar uma reforma tributária depois da aprovação da reforma da Previdência.

“Queremos adiantar a reforma da Previdência e apresentar nossa reforma tributária. A reforma mãe é a da Previdência. Temos que mostrar para o mundo que gastamos mais do que arrecadamos e queremos equilibrar isso aí. Depois é simplificar. A carga tributária temos que começar a diminuir, caso contrário você estimula o contrabando e a entrada desse material de outras maneiras, o que é ruim para todo mundo”, disse.

O presidente voltou a defender a nomeação de seu filho, Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, como embaixador brasileiro nos Estados Unidos. “Vocês acham que eu botaria um filho meu num posto de destaque como esse para pagar vexame? Eu quero um contato imediato, rápido, com o presidente norte-americano”.

(Agência Brasil)

Plácido Filho, bom de gogó e também de coração

Quem está acostumado a assistir ao vereador Plácido Filho (PSDB) na TV Fortaleza ou ouvir seus pronunciamentos na FM Fortaleza não imagina que o homem, além do forte gogó, também é bom de coração.

Nesse sábado (28), o parlamentar andou por toda a cidade propagando seu amor à esposa e advogada Roxane Benevides. Este repórter do Blog esbarrou com ele em uma dessas andanças.

“Hoje é dia dela. Âncora do meu dia a dia e mãos dadas quando as dificuldades surgem. Que feliz ter você ao meu lado para celebrar sua vida. Muitas alegrias sempre. Que os céus te façam cada vez mais uma esposa e mulher maravilhosas”, pronunciou o vereador para a garantia do voto da esposa, com o texto sancionado sem veto em qualquer artigo.

(Foto: Paulo MOska)

Mega-Sena volta a acumular e prêmio da quarta-feira é de R$ 10 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números da Mega-Sena, sorteados na noite desse sábado (27), em São Paulo. Segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o prêmio da quarta-feira (31) deverá ser de R$ 10 milhões.

Os números sorteados foram: 0209424448 e 50.

As 51 apostas com cinco acertos receberão R$ 35,8 mil, cada, enquanto as 3.884 apostas com quatro acertos terão direito a R$ 673, cada.

O concurso 5.031 da Quina também acumulou e o prêmio desta segunda-feira (29), de acordo ainda com a estimativa da Caixa é de R$ 2,1 milhões. Os números sorteados foram: 33 – 35 – 50 – 54 e 73.

A Timemania também não apresentou acertadores e o prêmio da terça-feira (30) será de R$ 10,7 milhões, conforme estimativa da Caixa. os números sorteados foram: 11 – 14 – 38 – 47 – 49 – 54 e 80.

Não gastei nada além do que já ia gastar, afirma Bolsonaro sobre uso de helicóptero da FAB

314 4

“Eu fui ao casamento do meu filho. Minha família, da região do Vale do Ribeira, estava comigo. Eu vou negar o helicóptero pra ir pra lá? E mandar de carro pra lá? Não gastei nada além do que já ia gastar”.

A declaração é do presidente Jair Bolsonaro, nesse sábado (27), ao justificar o uso de um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), por parte de sua família, em maio último, no dia do casamento do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente.

Ao assegurar que não teria cometido nenhuma irregularidade, Bolsonaro desafiou jornalistas a conferirem seus gastos com cartão corporativo e a compararem com os de governos anteriores.

“Se eu errar, eu assumo meu erro e arco com as consequências. Até o momento, pelo que vejo, nada de errado aconteceu em meu governo”, avaliou.

Desburocratização

O presidente disse, ainda, que quer tornar opcional a matrícula em autoescolas para quem quiser tirar sua carteira de motorista.

“Quem quiser fazer uma autoescola que faça. Não pretendo acabar com a autoescola, pretendo [deixar que] quem quiser fazer a prova prática sem aulas, que faça”.

Segundo ele, a meta é desburocratizar o Brasil. “Eu não sabia que atestado de óbito tinha validade. É grana para cartório. Por que ninguém mexe nisso?”, indagou.

(Com a Agência Brasil)