Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

BNDES apoia privatização da Cagece

Da Coluna Eliomar de Lima. no O POVO deste sábado (24):

Se depender do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, o pacote de concessão de ativos públicas do governador Camilo Santana (PT) poderá ser tocado com apoio da instituição. As linhas de financiamento estarão à disposição dos interessados. Paulo Rabello afirma ser um liberal que defende que muitos dos serviços hoje sob o controle do Estado passem para a iniciativa privada, que tem maior poder de resolução e menos burocracia.

Indagado sobre a Cagece, com estudos nesse sentido, mas que deverão ficar para uma próxima gestão, disse ser a favor da venda. “Agora tem que ser privatização inteligente, com metas a serem perseguidas e entregues pelo concessionário, com contratos bem feitos. Temos é que desonerar o Estado de setores que a área privada pode fazer perfeitamente”. Emendou: “Sou simpatizante ferrenho da privatização”, deixando a certeza de que, se virar mesmo candidato a presidente, defenderá essa postura nos palanques.

O dirigente do BNDES é filiado ao PSC e o presidente nacional da legenda, Pastor Everaldo, que estava em Fortaleza nesta semana, garantiu para este colunista: “Rabello já está como nosso candidato!”

Resultados da Lava Jato garantem bloqueio de US$ 44 milhões no exterior em 2018

O Ministério da Justiça (MJ) informou nessa sexta-feira (23) que, em 2018, as investigações da Operação Lava Jato levaram ao bloqueio de mais de US$ 44 milhões (R$ 142,61 milhões, ao câmbio do dia) no exterior. Os valores, depositados em bancos suíços, foram bloqueados como resultado de uma cooperação jurídica internacional entre o MJ e o governo da Suíça.

Os recursos bloqueados em 2018 ainda não foram devolvidos ao Brasil. O MJ informou que isso só vai ocorrer “após o trânsito em julgado das ações condenatórias penais na Justiça brasileira ou após a concordância dos réus em dispor desses ativos mantidos no exterior, nos casos que envolvem acordos de colaboração premiada”.

Entre 2014 e fevereiro de 2018, as investigações da Lava Jato resultaram no bloqueio de US$ 377,5 milhões no exterior. Desse valor, US$ 135 milhões (R$ 437,55 milhões ao câmbio do dia) já foram repatriados.

(Agência Brasil)

Em momento histórico, ONU tem mais mulheres que homens na liderança

Pela primeira vez na sua história, as Nações Unidas atingiram a paridade de gênero no seu alto escalão, com ligeira diferença a mais para o lado feminino: agora são 23 mulheres e 21 homens na linha de frente da organização. E até o fim deste mês, o grupo da alta liderança ganhará mais uma mulher. A informação foi dada nessa sexta-feira (23) pelo porta-voz do secretário-geral da ONU, Stephane Dujarric.

O chefe das Nações Unidas, António Guterres, em reunião com seu gabinete hoje, ressaltou que ainda que a notícia seja motivo de celebração, esta é apenas uma parte do plano da ONU para estabelecer a paridade de gêneros. O objetivo do secretário-geral é que a organização alcance esta paridade em um nível mais amplo até 2021.

Assim que assumiu o seu posto, Guterres anunciou o nome da nigeriana Amina Mohammed como vice-secretária-geral e da embaixadora brasileira Maria Luiza Ribeiro Viotti como sua chefe de gabinete.

Ainda no encontro, Guterres falou da importância de a ONU continuar a combater a exploração e os abusos sexuais dentro da organização.

(Agência Brasil)

Trump insiste em armar professores para impedir tiroteios em escolas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender nesta sexta-feira (23) sua proposta de armar “por volta de 10 ou 20%” dos professores do país para que eles possam responder a possíveis tiroteios nas escolas, apesar da polêmica que isto gerou no país.

Se essa proposta estivesse em vigor quando um jovem de 19 anos abriu fogo na semana passada em uma escola de ensino médio em Parkland (Flórida), “um professor teria enchido ele de tiros antes que ele pudesse reagir”, argumentou Trump.

Em um discurso bastante improvisado na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC, na sigla em inglês), o grande evento anual da direita americana, Trump se mostrou frustrado pela rejeição que sua proposta de armar alguns professores gerou em vários setores da sociedade do país.

“Há pessoas que são boa gente e se opõem a isso. Eles não gostam da ideia de que os professores portem armas”, afirmou Trump. Mas o presidente ressaltou que não são “todos os professores” que estarão armados e que não quer que “uma pessoa que nunca segurou uma arma e nem sabe o que é esteja armada”.

“Mas, dentro do total de profissionais de educação, há uns 10%, 20% de pessoas bastante especializadas” em armas, “pessoal militar, pessoal de agências de segurança, que dão aulas”, indicou o presidente.

“Esses professores amam seus alunos, e têm talento com as armas”, ressaltou Trump, ao acrescentar que prefere que os professores levem essas armas escondidas, ao invés da presença de “centenas de guardas com rifles por todo o colégio”.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio lança projeto de cidadania no bairro Vicente Pinzón

O prefeito Roberto Cláudio lança neste sábado (24), a partir das 8h, o projeto +Bairros, ação que objetiva levar mais cidadania aos bairros de Fortaleza. O Projeto +Vicente Pinzon será a primeira edição da iniciativa inovadora que contemplará os 20 bairros da Regional II, com ações de cidadania, proporcionando lazer, prestação de serviços e melhorias urbanas.

A edição no bairro Vicente Pinzón, inicia o calendário de atividades que seguirá o mesmo padrão nos outros bairros. O local receberá, durante uma semana, um mutirão de serviços, envolvendo a população e o poder público, no desenvolvimento de atividades que possam melhorar a qualidade de vida da comunidade.

“Nossa idéia é unir forças com a comunidade, para que ela participe ativamente das melhorias desenvolvidas no seu bairro. Os moradores de cada área irão contribuir com os trabalhos desenvolvidos pelo poder público e auxiliar no desenvolvimento das atividades, principalmente na eliminação dos pontos de lixo”, afirma Ferruccio Feitosa, titular da Secretaria Regional II.

(Prefeitura de Fortaleza)

Aneel mantém bandeira tarifária verde para a conta de luz em março

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou hoje (23) que a bandeira tarifária de março continuará na cor verde, o que significa que não haverá cobrança extra nas contas de luz. Com isso, nos três primeiros meses do ano, não terá havido cobrança adicional nas contas de energia.Em janeiro, a bandeira já havia ficado na cor verde. Em fevereiro a Aneel decidiu manter a tarifa no mesmo patamar. A manutenção dela em março significa que a situação nos reservatórios das hidrelétricas continua a melhorar, devido à volta das chuvas.

Nos últimos meses de 2017, por causa do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, houve cobrança extra nas contas de luz via bandeira tarifária. Isso ocorre para arrecadar recursos necessários para cobrir custos extras com a produção de energia mais cara, gerada por termelétricas.

Em outubro e novembro vigorou a bandeira vermelha no patamar 2, a mais alta prevista pela agência. Em outubro, o acréscimo foi de R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos no mês. Em novembro, como a Aneel antecipou a revisão dos valores que seriam aplicados a partir de janeiro de 2018, o valor adicional passou para R$ 5,00 a cada 100 kWh.

Já em dezembro, em razão do início do período chuvoso, a agência reguladora determinou a cobrança da bandeira vermelha, mas no patamar 1, com cobrança extra de R$ 3,00 a cada 100 kWh.

(Agência Brasil)

Universidades fazem mobilização contra homicídios de jovens no Ceará

Várias entidades ligadas às universidades do Ceará estão divulgando um manifesto nestes tempos de violência. Entre as queixas, o fato de janeiro já ter registrado 482 homicídios, com casos em sua maioria na periferia de Fortaleza. Confira o teor da nota:

Manifesto de Repúdio e solidariedade

Nós, grupos abaixo-assinados, viemos manifestar nosso repúdio e indignação com o estado de violência e do que consideramos extermínio, principalmente da população jovem, negra e pobre das periferias de Fortaleza e em outras regiões do Ceará. O ano de 2017 ficou marcado como o mais violento da história local, ultrapassando cinco mil crimes violentos letais e intencionais. Ainda sob forte impacto desses acontecimentos, a sociedade cearense foi surpreendida, no primeiro mês de 2018, com o agravo do quadro de violência. Nosso estado foi palco de outras duas grandes tragédias: a Chacina de Cajazeiras, que vitimou oito mulheres e seis homens, a maior parte jovens e, inclusive, uma criança; e a Chacina na Cadeia Pública de Itapajé, na qual 10 presos foram assassinados.

Com aproximadamente 482 homicídios, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, janeiro de 2018 foi o mês do ano mais violento desde 2013. É, portanto, inadmissível minimizar a gravidade das chacinas e dos assassinatos que vêm ocorrendo de forma crescente na Capital e no Estado do Ceará, tomando tais ocorrências como “casos isolados”, em que vidas estão sendo absurdamente eliminadas sem que providências efetivas sejam apresentadas pelo poder público, através de órgãos competentes.

Também nos indignamos com as tentativas de justificação desses assassinatos, sob a alegativa de possíveis envolvimentos das vítimas com crimes e com o tráfico de drogas. Nosso compromisso com a produção de conhecimentos e com práticas sociais críticas à realidade nos leva ao entendimento de que a rede de violência instalada em nosso estado é complexa e se expande conforme o aumento da desigualdade social. Agir dentro da legalidade e combater as injustiças e iniquidades sociais deveriam ser o eixo condutor de uma POLÍTICA de segurança pública na qual “toda vida importa”.

Consideramos, portanto, necessária a mobilização da sociedade civil para que não se prolongue este estado de exceção em que vivemos nos últimos anos. Não queremos e não estamos indiferentes a ele, que vem fazendo vítimas e deixando familiares, amigos e pessoas próximas com suas dores e perdas sem eco e sem visibilidade.

Ao mesmo tempo, expressamos nosso sentimento de pesar e compartilhamos com o sofrimento de tantos que estão aterrorizados frente à incerteza, ao desamparo e à angústia quanto à expectativa dos desdobramentos futuros dessa situação, e até a incerteza sobre uma próxima chacina.

Como coletividade, queremos manifestar a nossa solidariedade às famílias enlutadas e, em associação com os movimentos sociais organizados, atuar na perspectiva de contribuir para interromper esta cadeia de violência.

Estamos juntos e juntas nesta luta.

Fortaleza, 22 de fevereiro de 2018.

Assinam:

1. Grupo de Pesquisa Linguagem, Práticas Culturais e Cidadania/UFC
2. Liga de Direitos Humanos/UFC
3. Núcleo Cearense de Estudos e Pesquisa sobre a Criança – NUCEPEC/UFC
4. VIESES/UFC: Grupo de Pesquisas e Intervenções sobre Violência, Exclusão Social e Subjetivação
5. Núcleo de Psicologia Comunitária – NUCOM/UFC
6. Núcleo de Psicologia do Trabalho – NUTRA/UFC
7. Núcleo de Estudos sobre Drogas – NUCED/UFC
8. Laboratório de Práticas e Pesquisas em Psicologia e Educação – LAPPSIE/UFC
9. Grupo Diz Juventudes/UFC
10. Grupo Travessias/UFC
11. Grupo Kilomba/UFC
12. Grupo de Pesquisa da Relação Infância, Juventude e Mídia – GRIM/UFC
13. Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Poder, Cultura e Práticas Coletivas – GEPCOL/UFPE
14. Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa da Infância e Adolescência Contemporâneas – NIPIAC/UFRJ
15. Associação Nacional Rede de Pesquisadores e Pesquisadoras da Juventude Brasileira – REDEJUBRA
16.Laboratório de Pesquisa em Psicologia Ambiental – LOCUS/UFC
17. Grupo de Estudos e Pesquisa da Pedagogia Paulo Freire – GEPPF/UFPB
18. Grupo de Pesquisa Ludicidade, Discurso e Identidade nas Práticas Educativas – LUDICE/FACED/UFC
19. Laboratório Artes e Micropoliticas Urbanas – LAMUR – PPGArtes ICA|UFC
20. Núcleo Interdisciplinar de Intervenções e Pesquisas sobre a Saúde da Criança e do Adolescente – NUSCA/UECE
21. Laboratório de Estudos da Habitação – LEHAB/UFC
22. Laboratório dos Sistemas Complexos Família e Comunidade – LESPLEXOS/UNIFOR
23. Laboratório Psicanálise, Cultura e Subjetividade – LAEPCUS/UNIFOR
24. Programa de Pós-Graduação em Psicologia/UNIFOR
25. Rede Internacional Coletivo Amarrações – Psicanálise e Cultura
26. Coletivo de Professores do Curso de Psicologia da UNIFANOR
27. Eixo de Pesquisas “Filosofias da Diferença, Tecnocultura e Educação” do Programa de Pós-Graduação em Educação/UFC

28. Laboratório de Psicanálise/UFC

29. Núcleo de Estudos e Pesquisas de Gênero – NEGIF/UFC

30. Núcleo de Psicologia Social e do Trabalho – NUSOL/UECE

31. Laboratório de Pesquisa em Psicologia, Subjetividade e Sociedade – LAPSUS/UFC

32. Nexus – UFC/Sobral

33. Rede de Estudos e Afrontamentos das Pobrezas, Discriminações e Resistências – REAPODERE/UNILAB

34. Laboratório de Seguridade Social e Serviço Social – LASSOSS/UECE

35. Grupo de Pesquisa em Segurança Alimentar e Nutricional – GPSAN/UECE

36. Coletivo GRAÚNA: Professores por uma Educação Democrática

37. Laboratório de Psicanálise – LAPSU/UECE

38. Laboratório de Estudos da Aprendizagem, Subjetividade e da Saúde Mental – LADES/UECE

39. Núcelo de Atenção Psicossocial à Comunidade – NAPSI/UECE

DETALHE: As universidades estão divulgando uma programação para discutir a questão da violência. De 26 a 28 deste mês de fevereiro, inaugurando o semestre de 2018.1, professores de diferentes áreas que aderiram ao movimento vão pautar a temática na sala de aula. A proposta do grupo é promover, nos próximos meses, seminários e eventos sobre a prevenção e o enfrentamento aos homicídios em diferentes departamentos das universidades.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Família de operário que morreu afogado em obra do Eixão das Águas aciona a Cogerh

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh) não prestou qualquer assistência à família do empregado terceirizado Francisco Vanecir Menezes Sales (47), morto em serviço, no fim de 2017, por afogamento numa das obras do Eixão das Águas, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza).

O advogado Fernando Férrer, em nome da esposa do falecido, Maria Valdenice Sales, e do filho menor dele, impetrou reclamação trabalhista, que foi distribuído para a 3ª Vara do Trabalho, processo 0000060-17.2018.5.07.0003.

Ele se diz impressionado com o fato de a Cogerh ter passado para imprensa, na época, que estaria dando total assistência aos familiares.

Já a direção da Cogerh, em nome, garante que “todo apoio possível foi prestado à família. Inclusive, com a disponibilidade de assistência psicológica.” Reconhece que há, no momento, a judicialização do fato, com audiência já marcada no âmbito da Justiça do Trabalho.

*Saiba como foi o caso aqui.

(Foto – Mauri Melo)

Detran realiza primeira prova do concurso para vistoriador neste domingo

Mais de 13.578 candidatos farão neste domingo, 25, a prova, para 50 vagas destinadas ao cargo de vistoriador do Detran do Ceará, em 7 cidades: Fortaleza, Juazeiro do Norte, Sobral, Iguatu, Crateús, Quixadá e Russas. Os portões dos locais de prova serão abertos às 8h30min e fechado uma hora depois, quando a prova começará. A informação é da assessoria de imprensa do órgão.

Em Fortaleza, o exame será aplicado no campus do Itaperi e Centro de Humanidades, ambos da Uece(responsável pela organização do concurso e elaboração das provas),sede do IFCE, Colégio Justiniano de Serpa,
Colégio César Cals e Colégio Adauto Bezerra.

Em função de 171 mil candidatos inscritos para os 383 cargos do Detran, a realização das provas foi dividida em três datas diferentes, conforme o cargo escolhido. As próximas datas são 11 de março, para os cargos de nível superior (engenheiro civil, engenheiro mecânico, arquiteto, administrador, contador, assuntos educacionais e
especialista em tecnologia da informação), com 8.958 inscritos para 33 vagas; e para o único cargo de nível fundamental (assistente de trânsito e transportes), com 58.176 para 50 vagas; e 8 de abril, somente para o cargo de agente de trânsito e transportes (nível médio), com 91.157 inscritos para 250 vagas. Além dos 13.578 inscritos
para 50 vagas de vistoriador.

No edital do concurso, o Detran definiu que os selecionados serão lotados nas cidades sede de unidades regionais do Órgão, por isso a concorrência acontece entre os candidatos que se inscreveram para cada sede das 15 regionais: Fortaleza, Aracati, Baturité, Camocim, Crateús, Iguatu, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Morada Nova, Quixadá, Russas, Sobral, Tauá e Tianguá.

Candidatos

Neste domingo, o número de inscritos para cada regional é o seguinte: Fortaleza, 7.391 candidatos; Aracati, 284; Baturité, 365; Camocim, 180; Crateús, 380; Iguatu, 479; Itapipoca, 404; Juazeiro do Norte, 1.973; Limoeiro do Norte, 177; Morada Nova, 157; Quixadá, 414; Russas, 200; Sobral, 571; Tauá, 242 e Tianguá, 361 candidatos.

Mega-Sena pode pagar R$ 6,2 milhões neste sábado

O concurso 2.017 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 6,2 milhões neste sábado (24). O sorteio será realizado às 20 horas (horário de Brasília) no Caminhão da Sorte da CAIXA, que está estacionado em Campo Belo (MG).

Aplicando o prêmio de R$ 6,2 milhões na Poupança da CAIXA, o ganhador receberá mensalmente mais de R$ 24 mil apenas em rendimentos. As apostas podem ser feitas até uma hora antes da hora do sorteio em uma das mais de 13 mil lotéricas do país.

Clientes com acesso ao Internet Banking CAIXA também podem fazer suas apostas na Mega-Sena pelo seu computador pessoal, tablet ou smartphone. Para isso, basta ter conta corrente no banco e ser maior de 18 anos. O serviço funciona das 8 às 22 horas (horário de Brasília), exceto em dias de sorteios (quartas e sábados), quando as apostas se encerram às 19 horas, retornando às 21 horas para o concurso seguinte.

Fortaleza ganha patrocínio da Caixa Econômica

261 2

O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occi, anunciou na manhã desta sexta-feira, 23, no lançamento do Projeto Ceará Veloz, realizado no Palácio da Abolição, que a empresa vai ser um dos patrocinadores do Fortaleza nesta temporada. As negociações entre o Tricolor e a entidade foram iniciadas no último mês de outubro, período em que Luís Eduardo Girão estava no comando do Leão.

Outro encontro aconteceu em novembro passado, já sob a gestão de Marcelo Paz. Na reunião, os dirigentes do Tricolor saíram animados com a possibilidade da Caixa estampar sua marca na camisa do Fortaleza em 2018. Segundo O POVO apurou, o contrato entre Fortaleza e Caixa prevê um repasse mensal de R$ 200 mil, o que totalizaria a quantia de R$ 2,4 milhões anuais. A marca da companhia ocupará a frente da camisa do Leão.

O Fortaleza buscava o patrocínio da Caixa há bastante tempo. No entanto, como a companhia não patrocina clubes que estão na Série C do Campeonato Brasileiro, as tratativas não podiam acontecer. Após a ascensão do time do Pici à Segundona, as negociações foram iniciadas e a parceria foi selada.

CEARÁ

O Alvinegro já tem acordo com a Caixa desde o começo de 2017 e a renovação está confirmada. A diretoria do Ceará, entretanto, negocia um valor maior do que os R$ 200 mil mensais, afinal, a equipe deixou a Série B e conseguiu o acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro, competição que vai disputar a partir de abril de 2018. O objetivo é chegar aos R$ 6 milhões por ano.

(Com Rômulo Costa e Neto Rebouças do O POVO Online)

Quem é o artilheiro mais bonito: Artur, do Ceará, ou Gustagol, do Fortaleza?

Várias leitoras, principalmente, deste Blog mandaram uma sugestão bem curiosa, mas, de qualquer forma, interessante no campo das amenidades esportivas.

A sugestão: Qual desses artilheiros é o mais bonito: Gustavo, o “Gustagol”, do time do Fortaleza, ou Artur, do time do Ceará?

Foto: Mateus Dantas/ O POVO

Foto: Júlio Caesar/ O POVO

 

 

Anitta atrasa quatro horas para show e é vaiada em Miami

A cantora Anitta foi vaiada após atrasar, em quatro horas, o show que faria na boate Liv, em Miami, na noite da última quinta (22). A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

Ela subiu ao palco às 3 horas da madrugada e, após cantar poucas músicas, deixou o local sem se despedir.

Na mesma noite, Anitta havia se apresentado no prêmio de música latina Lo Nuestro, promovido por uma TV hispânica dos Estados Unidos.

Os ingressos para o show meteórico da funkeira custaram a partir de 45 dólares, cerca de R$ 150.

Presidente da Fecomércio do Rio é acusado de desviar R$ 10 milhões

O presidente da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), Orlando Dinizpreso na manhã de hoje (23), é acusado de participar de um esquema criminoso que desviou mais de R$ 10 milhões de recursos públicos provenientes do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac), em esquema de lavagem de dinheiro com notas fiscais sem a prestação de serviços e com o pagamento de funcionários fantasmas ligados a pessoas de confiança do ex-governador Sérgio Cabral.

Diniz foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e organização criminosa, sendo o principal alvo da Operação Jabuti, deflagrada na manhã de hoje (23) pelo MPF, a Polícia Federal e a Receita Federal, dento da Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia Federal, todos os mandados da Operação Jabuti foram cumpridos com sucesso pelos 60 policiais que foram a campo. Foram executadas as prisões temporárias de Plínio José Freitas Travassos Martins, Marcelo José Salles de Almeida e Marcelo Fernando Novaes Moreira, todos diretores de confiança de Diniz no Sesc e no Senac. Eles foram chamados para prestar esclarecimentos sobre atitudes demandadas pelo presidente da Fecomércio-RJ para se blindar e dificultar as investigações.

Também foram cumpridas dez ordens de busca e apreensão e dez intimações para investigados prestarem depoimentos.

O procurador regional da República José Augusto Vagos explicou que Orlando Diniz está sendo investigado porque, na condição de presidente do sistema Fecomércio, lavou dinheiro entre os anos de 2007 e 2011 com o auxílio da organização de Sérgio Cabral, com a emissão de notas fiscais de prestação de serviço de consultoria pela empresa Thunder. A acusação de corrupção ativa é pela contratação de funcionários fantasmas, chamados por pessoas da própria Fecomércio de “funcionários jabuti”.

“Até o ano de 2017, [Diniz] manteve vários empregados que foram contratados pelo Sesc e Senac a pedido do Sérgio Cabral, empregados esses que efetivamente não trabalhavam lá, recebiam o salário sem trabalhar. Com essas duas fraudes, o prejuízo foi de cerca de R$ 10 milhões, entre lavagem de dinheiro e pagamento de salários para pessoas que não iam trabalhar, os chamados funcionários jabutis”, disse Vagos.

Também integrante da equipe da Lava Jato no Rio de Janeiro, o procurador da república Felipe Bogado explicou que Diniz utilizou de manobras jurídicas, feitas por meio de convênios, em que recursos do Sesc e do Senac eram transferidos para a Fecomércio.

“Inequivocamente são verbas federais, que iam direto para o cofre do terceiro setor, do Sistema S. Por isso mesmo essas verbas são sujeitas ao controle do TCU [Tribunal de Contas da União] e da CGU [Controladoria-Geral da União]. E a partir dessa manobra feita pelo Orlando Diniz essas verbas passaram para a Fecomércio e aí sim puderam ser livremente gastas sem controle nenhum porque a Fecomércio não se sujeita a esse tipo de controle, como o Sesc e o Senac se sujeitam”, disse Bogado.

O Sistema S, que abrange nove entidades de serviço, está previso no artigo 149 da Constituição Federal, e os recursos são oriundos de contribuição dos empregadores.

Escritórios

Outra linha de investigação da operação deflagrada hoje é o pagamento de R$ 180 milhões feitos pela Fecomércio a escritórios de advocacia. Entre os escritórios que aparecem na contabilidade está o Ancelmo Advogados, da esposa de Cabral, já condenada pela 7ª Vara Federal por lavagem de dinheiro, que recebeu R$ 20 milhões.

“A gente está investigando os pagamentos. Chamaram atenção por serem vultuosos, são pagamentos milionários, e foram feitos sem os controles previstos no Sesc e no Senac, com subterfúgios para driblar a fiscalização do TCU e da CGU. Poderia ser pagamentos a qualquer segmento, mas esses dos escritórios de advocacia chamaram a atenção”, explicou Vagos.

Segundo ele, ainda não se sabe se houve de fato prestação de serviços advocatícios por todos os escritórios, mas que eles podem ter sido feitos e serem regulares.

(Agência Brasil)

Vossa Majestade… o Supremo Tribunal Federal

Com o título “O diálogo do Diálogo com o Monólogo, Vossa Majestade, o Supremo Tribunal Federal”, eis artigo do sindicalista Antonio Ibiapino da Silva, filiado ao PT. Confira:

Vossa Majestade, talvez tenha sido bom, mas também pode ter sido uma ilusão tê-lo conhecido e acreditado em vossa sabedoria e, sobretudo, no espírito de justiça que se lhe imputam.

Sempre me esforcei para acreditar que Vossa Majestade estaria acima de qualquer interesse que fosse além da justiça em si. Em minha ingenuidade acreditei que a política, os negócios, as classes sociais e seus interesses específicos não faziam parte do eixo central de atuação de Vossa Majestade, e, que o vosso papel era o de promover a justiça para todos; porque a justiça por sua própria natureza só tem razão de ser, se for na forma de um bem supremo.

Em Bom Dia, Senhor Courbet, Jorge Coli faz uma extraordinária reflexão sobre alguns pontos inerentes à ética e a justiça. Coli cita um episódio ocorrido no governo de Napolião III, o traidor da República e usurpador da vontade popular, quando este através de seu ministro tenta aliciar um artista.

Por sorte Majestade, o artista em vez de se render à nulidade, reage com uma negativa e escreve uma carta, que com o tempo, se torna um grande documento alusivo a dignidade humana. Como disse Jorge Coli em sua palestra, passo a palavra a Courbet:

Senhor Ministro

Foi na casa de meu amigo Jules Dupré, em I’Isle-Adam, que soube da inclusão no Jornal Oficial de um decreto que me nomeia Cavaleiro da Legião de Honra.

Esse decreto, do qual minhas opiniões bem conhecidas sobre as recompensas artísticas e sobre os títulos nobiliários deviam ter me poupado, foi determinado sem meu consentimento, e é o senhor, Senhor Ministro, que pensou dever tomar a iniciativa.

Não tema que eu desconheça os sentimentos que o guiaram. Chegando ao ministério depois de uma funesta administração que parecia ter escolhido a tarefa de matar a arte em nosso país, e que o teria conseguido pela corrupção ou pela violência se não houvesse encontrado aqui e ali alguns homens de coragem para contrariá-la, o senhor desejou assinalar sua chegada a esse posto por uma medida que contrastasse com as atitudes de seu predecessor.

Esse procedimento o honra, Senhor Ministro, mas permita-me dizer-lhe que ele não poderia mudar em nada nem minha atitude, nem minhas determinações.

Minhas opiniões de cidadão se opõem a que eu aceite uma distinção que provém da ordem monárquica. Essa condecoração da Legião de Honra que, em minha ausência e para mim, o senhor estipulou, meus princípios a recusam.

Em tempo algum, em caso algum, por nenhuma razão, eu a teria aceitado. Ainda menos hoje, quando as traições se multiplicam de todos os lados e a consciência humana se contrista com tantas polinódias interesseiras. A honra não está nem em um título, nem em uma fita, ela está nos atos e nos motivos dos atos. O respeito a nós próprios e a nossas ideias constitui a maior parte dela. Honro-me mantendo-me fiel aos princípios de toda a minha vida; se eu os desertasse, deixaria a honra para tomar os símbolos dela.

Meu sentimento de artista também opõe-se a que eu aceite uma recompensa que me é outorgada pela mão do Estado. O Estado é incompetente em matéria de arte. Quando decide recompensar, usurpa o gosto público. Sua intervenção é inteiramente desmoralizante, funesta ao artista, que ela engana a respeito do seu próprio valor, funesta à arte, que ela aprisiona nas conveniências oficiais e que ela condena à mais estéril mediocridade; seria sábio para ele abster-se. O dia em que nos deixar livres, terá preenchido seus deveres em relação a nós.

Aceite, portanto, Senhor Ministro, que eu decline a honra que o senhor acreditou fazer-me. Tenho cinquenta anos e sempre vivi livre; quando morrer, quero que digam de mim: aquele nunca pertenceu a nenhuma escola, a nenhum regime, a não ser o regime da liberdade.

Queira receber, Senhor Ministro, com a expressão dos sentimentos que acabo de lhe expor, minha mais distinta consideração.

Gustave Goubert.

Vossa Majestade, em vossa opinião, este homem é ou não é digno de apresso? E por que um homem sozinho, que em tese não teria maiores compromisso com a sociedade foi capaz de se elevar ao píncaro da dignidade humana, e Vossa Majestade que por dever de oficio teria a obrigação de defender a pátria e a justiça se acovarda de tal modo a não se dignar a pelo menos tecer uma opinião contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, que se não para Vossa Majestade, mas para o mundo foi a maior faça da história do Brasil?

Lamento que com tanta experiência e com tantos saberes, Vossa Majestade não tenha percebido ainda que os trezentos e sessenta e sete vigaristas armaram uma tramoia para enganar a nação e desmoralizar para sempre a Constituição, que como deve saber Vossa Majestade, significa luz no caminha de quem busca liberdade, justiça social e a democracia!

Se não para o Brasil, que no dizer do estrangeiro nada mais é do que uma Republica de Bananas; mas para o mundo, os vigaristas do parlamento e os vigaristas do poder econômico produziram um dos maiores espetáculo da historia da humanidade; digno de ser chamado: A Maldita Comedia e contristar a consciência do planeta.

O espetáculo foi tão grosseiro, que no dia seguinte os jornais do mudo inteiro o traduziram como ridículo e degradante: “Pela esposa Paula, pela sobrinha Helena, pela tia que me criou quando eu era pequeno, pelo neto Gabriel, pelos corretores de seguro do Brasil, pelos evangélicos, pelo petróleo, pela ditadura militar, pelo torturador Brilhante Ustra, terror da Dilma Rousseff, pelo Brasil que deve seguir o exemplo de Rui Muniz, prefeito de Montes Claro. Baboseira, baboseira e baboseira!”

Não seria papel de Vossa Majestade corrigir aquela degradante faça? Vossa Majestade, não poderia pelo menos dizer que o Brasil não é a Republica dos Bananas e nem tampouco está sujeito as cabalas da CIA, polícia secreta do capitalismo dos Estados Unidos?

Vossa Majestade, não vês que a nossa pátria está entregue a uma quadrilha vulgar, que a cada dia retira direito dos pobres e entrega nossas riquezas aos ricos?

Majestade, alguém me disse que o salário da presidenta Cármem Lúcia é R$ 37.476,93, eu não sei se é verdade, mas como em nosso país desde que criaram a Republiqueta do Paraná, qualquer coisa que seja dita em nome de qualquer interesse se torna verdade; vamos imaginar que esse valar seja realmente verdadeiro. Assim sendo, Majestade, o salário mínimo que é de R$ 954,00, representa 2,5% do salário da presidenta do Supremo. E ainda assim o chefe, o chefe da nação, teve a coragem de suprimir R$ 10,00 desses pobres coitados que vivem a passar fome!

Vossa Majestade acredita? Não é mentira não, tem provas! Se Vossa Majestade quiser pode perguntar aos operários, eles iram confirmar.

Majestade, tudo que fizeram até agora foi através da corrupção e da violência, e se não houvessem encontrado aqui e ali alguns homens e mulheres de coragem para contrariá-los já teriam feito muito mais desgraças.

Vossa Majestade ainda lembra-se do Padre Antonio Vieira? Se lembrares, conheces o sermão da Quinta Dominga da Quaresma, pregado na igreja maio da cidade de São Luiz do Maranhão, no ano de 1654. Nesse dia ele disse: “A verdade é filha legítima da justiça, porque a justiça dá a cada um o que é seu. E isso é o que faz e o que diz a verdade, ao contrário da mentira. A mentira ou vos tira o que tendes, ou vos dá o que não tendes; ou vos rouba, ou vos condena.”

Sobre isso, qual é a vossa opinião, Majestade?

Enquanto te mantiveres calado falarei um pouco sobre o Eterno Retorno do Mesmo, tese cosmológica ou imperativo ético? Uma reflexão de Scarlett Marton, sobre o que escreveu Nirtzsche.

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: “Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terá de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez – e tu com ela, poeirinha da poeira!”. – Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderias: “Tu és um deus, e nunca ouvi nada mais divino!”

Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa: “Quero isso ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?” Pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou então, como terias de ficar de bem contigo mesmo e com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?”

Majestade, o que vás fazer diante do retorno do mesmo, da mentira, da violência e da morte da justiça? Se a resposta for nada, então como vais ficar de bem contigo mesmo?

Para Vincent Défourny, representante da UNESCO no Brasil; há no país uma defasagem entre os ideais apresentados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e a realidade social do país. “De um lado, temos no Brasil um país que assinou a declaração e que, teoricamente, a assume, mas que, de outro lado, ainda carece da sua real implementação.”

Défoury fala sobre a realidade do país antes do golpe. Certamente seria muito mais caustico agora, quando a quadrilha que assaltou o poder acaba de retirar direitos consignados na Consolidação das Leis do Trabalho desde 1943. E nesse eterno retorno do mesmo, veremos a volta da fome, da criança abandonada e o crescimento desenfreado da violência. É… O termo é este! Porque violência atrai violência! É a lei do retorno, ou seja, e a ação violenta de quem foi transformado em criminoso, contra os criminosos fabricantes de criminosos!

Majestade, em poucos dias um homem poderá ser prezo, mesmo sem nenhuma prova cabal contra ele. Para isso bastou a Republiqueta do Paraná decidir de forma vil e indigna como fez Herodes contra aquele outro homem que morreu na cruz. E enquanto isso Majestade, centenas de milhares de ladrões continuarão livres para roubar e vender a preço de bananas as nossos riquezas. Eles retirarão do Brasil e entregarão às grandes corporações internacionais para que se tornem cada vez mais ricas e arrogantes contra nós mesmos. E enquanto isso Majestade, os filhos daqueles operários que ganham apenas 2,5% do salário da presidenta do Supremo morrerão nas portas dos hospitais por falta de médicos e até por falta de coisas menores como gases e dipirona, por exemplo.

E neste caso, como vais ficar de bem contigo mesmo Majestade?

Majestade, a consciência humana se contrista com tantas polinódias interesseiras. E se há esse sentimento é porque está na hora de se reconhecer que a honra não está nem em um título, nem em uma fita, ela está nos atos e nos motivos dos atos. No respeito a nós próprios e as nossas ideias.

Majestade, a quadrilha está livre e com todas as prerrogativas para impulsionar o crime à pátria e a democracia; se por covardia ou porque os tribunais estão impedidos de agir todo rigor da lei não cair sobre ela, e se, neste caso, os juízes em seu conjunto não renunciarem, não me restará outra coisa senão apiedar-me de sua honra e compadecer-me da mácula sem precedentes que cairá sobro o poder judicial.

A nação aguarda retorno e que não seja o eterno retorno do mesmo.

*Antonio Ibiapino da Silva

Sindicalista e do PT.

Inflação da construção civil fica em 0,14% em fevereiro, diz FGV

O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado  (INCC-M) registrou inflação de 0,14% em fevereiro deste ano. A taxa ficou abaixo do resultado do mês anterior (0,28%). O índice acumula taxas de 0,43% no ano e de 3,61% em 12 meses, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O subíndice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,32% em fevereiro, abaixo do 0,59% de janeiro. Em 12 meses, esse subíndice acumula taxa de 2,86%.

Já o subíndice referente a mão de obra não registrou variação. No mês anterior, a variação havia sido de 0,03%. Esse subíndice acumula alta de 4,24% em 12 meses.

O INCC-M serve de referência para atualização dos valores das construções de habitações e também faz parte do conjunto de dados do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), utilizado na correção dos contratos de aluguel.

(Agência Brasil)

Centro de Referência em Educação e uma ajuda que saiu pelo ladrão

Com o título “Há males que vêm para o bem”, eis artigo do jornalista Carlos Viana. Ele expõe situação absurda do Centro de Referência em Educação e Atendimento Especializado do Ceará e velhos problemas de infraestrutura. Confira:

O Centro de Referência em Educação e Atendimento Especializado do Ceará (Creaece), um equipamento da Secretaria da Educação do Ceará, referência no apoio educacional a pessoas com deficiência (PCD) interrompeu, no último dia 25 de janeiro, suas atividades após a fiação e motores do ar-condicionado terem sido furtados. A previsão, segundo a própria Seduc é que as atividades sejam normalizadas no dia 5 de março.

Há pelo menos dois anos a troca da fiação era solicitada, porque havia várias quedas de energia e o temor era de um incêndio.

“ Graças “ a Deus criminosos acabaram furtando os fios e agora, mesmo causando tanto transtorno aos diversos alunos que utilizam os serviços do Centro, a fiação será trocada.

Mas isso não é suficiente. É preciso que a Seduc dê mais atenção ao local, uma vez que ali são atendidos, diariamente, vários alunos da rede pública de ensino com alguma deficiência, sem falar em vários funcionários que também são PCD.

Além da troca da fiação, é necessário que o Creaece tenha manutenção constante, pois um incêndio ali seria catastrófico.

Outro ponto que precisa de atenção é a segurança pois, mesmo a poucos quarteirões da avenida 13 de Maio, o entorno do equipamento é deserto e são comuns relatos de assaltos nas proximidades.

O público do Creaece é formado, em sua grande maioria, por pessoas carentes que só conseguem ir até lá porque possuem o cartão de gratuidade nos ônibus. São pessoas que sequer têm dinheiro para comprar um lanche ou pegar um transporte alternativo para chegar com um pouco mais de segurança e conforto.

São cegos, surdos, cadeirantes e autistas que, cotidianamente vão ao Creaece em busca de aprendizado e, por conseguinte, de um futuro melhor, mais digno.

Mas essa dignidade passa pela manutenção e segurança do Creaece.

Quando aluno do ensino médio fui beneficiado com o excelente trabalho desenvolvido pelo Creaece, (à época com outro nome), e sei de sua relevância para a educação das pessoas com deficiência que, como eu, querem estudar e profissionalizar-se.

As pessoas com deficiência, que já sofrem tanto para ter acesso à educação precisam de mais atenção.

*Carlos Viana

bpcarlosviana@gmail.com

Jornalista do O POVO.