Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Centenário de José Euclides é destacado na Câmara dos Deputados

Dona Maria José e José Euclides.

O deputado federal Leônidas Cristino (PDT) ocupou a tribuna da Câmara, nesta semana, para homenagear o centenário de José Euclides, pai de Ciro e Cid Gomes. Confira o discurso:

O deputado federal Leônidas Cristino (PDT) hemenageou nesta terça-feira o centenário de nascimento de José Euclides Ferreira Gomes Júnior, ex-prefeito de Sobral nos anos 1977 a 1983, celebrado no dia 29 de março de 2018. “O momento é propício à reflexão sobre a vida de um homem de bem com quem” – acrescentou – “tive a honra de conviver em Sobral”, disse, em pronunciamento na Câmara.

Cursou o ensino médio no Colégio Sobralense e concluiu no Rio de Janeiro Licenciatura em Geografia e História pela Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil, tendo sido orador da turma. Fez também Direito. No interior de São Paulo, exerceu o magistério, a advocacia, ajudou a formar a Associação Comercial e presidiu o Diretório da União Democrática Nacional (UDN) em Adamantina, onde se estabeleceu.

No Oeste paulista, conheceu o amor da sua vida, a mãe de seus cinco filhos, dona Maria José Santos Ferreira Gomes, com quem se casou em 1957, em Pindamonhangaba. De volta a Sobral, foi professor catedrático de Sociologia, Antropologia e História na Faculdade de Filosofia Dom José, hoje Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), advogado de ofício (atual defensor público) e agropecuarista.

“É gratificante a compreensão que fica do seu valor humano, a estatura intelectual, os valores morais e éticos que nortearam a sua vida. Doutor José Euclides influenciou toda uma geração”, afirmou Leônidas Cristino.

O deputado cita Ciro Gomes, seu primogênito que, ao prefaciar livro do pai, ressalta a “extraordinária capacidade de trabalho e sua intransgredível fibra moral”; o admirável engenho que conciliava a “profunda cultura intelectual” com “a argúcia para os fatos mundanos da vida prática”. Menciona a habilidade do “intelectual refinado” que era “capaz de montar horas a fio a cavalo, enquanto cuidava do gado,… sua definitiva vocação telúrica”.

Homem de profunda leitura em vastas áreas do conhecimento humano, José Euclides cultivava o debate, a oratória, e encantava a inteligência dos alunos e ouvintes dos seus discursos ou da boa conversa. Foi membro da Academia Sobralense de Estudos e Letras.

Segundo o parlamentar, o homenageado foi um exemplo de pai, admirado e respeitado pelos filhos, fonte de consulta e orientação. “Os meninos”, já grandes, quando ocupavam altos cargos da administração pública, partilhavam decisões com o pai e ouviam as sábias palavras.

Sobral é hoje, conforme Leônidas Cristino, exemplo para o Brasil na educação, saúde, modelo de administração pública. “É o resultado da semente plantada por José Euclides em sua austera e profícua gestão e continuado pelo filho Cid Gomes. O Ceará também é exemplo para o País enquanto Estado de finanças equilibradas, líder na Educação e outras políticas públicas inovadoras”, assinala.

“A grande árvore é conhecida por seus bons frutos. O exemplo do pai moldou o caráter dos filhos, vocacionados para a vida pública, que se conduzem na política e no exercício da vida cotidiana orientados pelo exemplo recebido em casa, de trabalho, ética e moral”, observa o deputado.

O caçula da família, Ivo, hoje governa Sobral, depois de ter exercido vários mandatos de deputado estadual e desempenhado as funções de Secretário de Estado. Lia, médica de profissão, somou as vocações paterna e materna e tem forte atuação na vida pública, notadamente nas atividades políticas e trabalhos sociais dedicados aos menos favorecidos.

Cid, por sua vez, relata Leônidas, exerceu por duas vezes mandatos de deputado estadual, prefeito de Sobral e governador do Ceará. Presidiu a Assembleia Legislativa do seu Estado e foi ministro da Educação. Lúcio, engenheiro civil, depois de alguns anos na iniciativa privada, hoje é secretário de Infraestrutura.

Leônidas Cristino relata que Ciro Gomes foi deputado estadual e federal; prefeito de Fortaleza, governador do Ceará e ministro da Fazenda e da Integração Nacional. “É um nome que honra a política nacional e que, mais uma vez, para servir ao Brasil, apresenta-se como pré-candidato à Presidência da República pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). Este é o legado do Doutor José Euclides Ferreira Gomes Júnior”, finaliza Leônidas Cristino em sua homenagem.

MEC libera para o Ceará a complementação dos recursos do Fundeb

As verbas referentes à parcela de março da complementação da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) já estão disponíveis nas contas correntes de Estados e Municípios beneficiários. Responsável pela transferência dos valores, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão vinculado ao MEC, repassou R$ 963,9 milhões aos entes federativos na última segunda-feira, 26. Desse total, R$ 96,3 milhões referem-se à complementação para o pagamento do piso do magistério. A informação é do site do MEC.

“Os recursos transferidos por meio do Fundeb são essenciais para a garantia de uma educação básica de qualidade, nos quatro cantos do país”, observa o ministro da Educação, Mendonça Filho. “A complementação da União aos municípios é essencial para a melhoria da educação básica e valorização dos profissionais que atuam em sala de aula, porque leva em consideração a situação social e econômica de cada estado e seus municípios.”

Complementação

Conforme a lei que instituiu o Fundeb, a União repassa a complementação aos estados e respectivos municípios que não alcançam com a própria arrecadação o valor mínimo nacional por aluno estabelecido a cada ano. Em 2018, esse valor é de R$ 3.016,67. Os estados que recebem a complementação são: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí.

Principal fonte de financiamento da educação básica pública, o Fundeb é formado por percentuais de diversos impostos e transferências constitucionais, a exemplo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Pelo menos 60% dos recursos do Fundeb devem ser usados na remuneração de profissionais do magistério em efetivo exercício, como professores, diretores e orientadores educacionais. O restante serve para despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino, compreendendo, entre outras ações, o pagamento de outros profissionais ligados à educação, bem como a aquisição de equipamentos e a construção de escolas.

Movimento Evangélico promove nesta sexta-feira o PAZcoa Cidade

O Movimento Evangélico vai promover nesta sexta-feira, em vários pontos de Fortaleza, o PAZcoa Cidade. O objetivo é apregoar a cultura de paz no momento em que a cidade, principalmente, vive clima de violência em consequência da ação de facções criminosas.

As atividades ocorrerão no período das 9 às 11 horas em sete locais distintos da cidade, com ato contando com a música tema, explicação do contexto do local, apresentação de dados e estatísticas da violência e orações. Haverá a leitura do Manifesto PaZcoa Cidade e o encerramento de mãos dadas orando o Pai Nosso e/ou a oração de Francisco de Assis nesses locais.

Os sete locais das manifestações são: Praça da Imprensa, Assembleia Legislativa, Palácio da Abolição, Fórum Clóvis Beviláqua, Instituto Médico Legal (Pefeoce), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e Ordem dos Advogados do Brasil.

SERVIÇO

*Mais informações – (85) 98213-1212.

Prefeituras recebem repasse do FPM nesta quinta-feira santa

*

Será de R$ 2,2 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o repasse do terceiro decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para este mês de março. Em valores brutos, somado o Fundeb, o montante é de R$ 2,7 bilhões. O valor será creditado nas contas dos Entes locais nesta quinta-feira, 29 de março.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) salienta que de acordo com os dados da Secretaria Tesouro Nacional (STN), o 3º decêndio de março de 2018, comparado com mesmo decêndio de 2017, apresentou um aumento de 8,98% em termos nominais – sem considerar os efeitos da inflação. O montante é 30,17% maior que o previsto pela STN para o decêndio. De acordo com a área de Estudos Técnicos da entidade, o valor deflacionado do repasse do 3º decêndio de março em relação ao mesmo decêndio de 2017 apresentou um crescimento de 6,23% – levando em conta as consequências da inflação.

A recomendação da entidade é que seja realizado um planejamento estratégico para não haver surpresas negativas no segundo semestre.

SERVIÇO

*Confira o estudo completo e valor que seu Município receberá aqui.

MPF do Ceará vai discutir cartelização de preços de combustíveis

O Ministério Público Federal no Ceará convocou reunião com representantes do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Ceará (Sindipostos) para tratar sobre denúncias de suposta cartelização nos preços de combustíveis no Ceará. A reunião está marcada para as 9 horas da próxima segunda-feira (2)., informa a assessoria de imprensa do MPF..

A investigação do MPF faz parte de procedimento administrativo do procurador da República Oscar Costa Filho. No âmbito da mesma atuação, o MPF enviou ofício ao Sindipostos requisitando informações sobre a suspensão da venda de combustíveis nos feriados e finais de semana.

Nesta terça-feira, liminar concedida pelo desembargador do trabalho Francisco José Gomes convergiu com o entendimento do MPF de que o serviço é essencial à coletividade e determinou o funcionamento dos postos durante todo o feriado da Semana Santa.

Eleições 2018 – Primeiro voto na urna será para deputado federal

Nas eleições gerais deste 2018, estarão em disputa os cargos de presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador de Estado e do Distrito Federal, senador, deputado federal, estadual e distrital. A votação será realizada simultaneamente em todo o País no dia 7 de outubro, em primeiro turno, e no dia 28 de outubro, nos casos de segundo turno.

De acordo com a legislação em vigor, o eleitor fará a sua escolha na urna eletrônica, obedecendo à seguinte ordem de votação: deputado federal, deputado estadual ou distrital, senador primeira vaga, senador segunda vaga, governador e presidente da República (Lei nº 9.504/1997, art. 59, § 3º).

O voto é a forma pela qual todo cidadão pode escolher quem o representará na Administração Pública, na elaboração de leis e na aplicação do dinheiro público para melhoria do país, dos estados e dos municípios.

(Com TSE)

Índice de Confiança de Serviços recua 1,7 ponto de fevereiro para março

O Índice de Confiança de Serviços, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 1,7 ponto de fevereiro para março deste ano, para 91,4 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. A queda ocorreu depois de o indicador acumular alta de 10,4 pontos nos oito meses anteriores. Em relação a março de 2017, no entanto, houve crescimento de 9,3 pontos.

De fevereiro para março, a queda da confiança atingiu sete das 13 principais atividades do setor de serviços pesquisadas pela FGV. O principal motivo para o recuo do indicador foi o menor otimismo dos empresários em relação ao futuro, já que o Índice de Expectativas caiu 2,8 pontos, para 96,1 pontos. Os empresários esperam uma demanda futura menor.

O Índice da Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no momento presente, também recuou, embora em ritmo mais moderado (0,6 ponto) e chegou a 86,8 pontos em março. O empresariado também avaliou mal a demanda atual.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada do Setor de Serviços avançou 0,6 ponto percentual em março, para 82,8%.

(Agência Brasil)

Vale a pena ver O Mecanismo?

Com o título “Vale a pena ver O Mecanismo”, eis artigo do jornalista Elio Gaspari, que pode ser conferido no O POVO desta quarta-feira. Ele aborda a polêmica em torno do filme que se baseia na Lava Jato. Confira:

É bom negócio ver “O Mecanismo”, a série de José Padilha na Netflix. Seus oito episódios contam a história da Lava Jato até as vésperas da prisão de Marcelo Odebrecht. Eles giram em torno de dois eixos.

O primeiro é uma novela padrão onde há sexo, traições, doenças, rivalidades, muitos palavrões e até mesmo uma menina com deficiência. A quem interessar possa: o agente Ruffo nunca existiu. Pena que ele seja um narrador do tipo “faço sua cabeça”, numa espécie de reencarnação do Capitão Nascimento de “Tropa de elite”. A agente Verena é uma exagerada composição.

É a segunda história, a da Operação da Lava Jato, que valoriza a série. E é ela que vem provocando a barulheira contra Padilha. A ex-presidente Dilma Rousseff (Janete Ruskov na tela) acusa “O Mecanismo” de duas fraudes.

Jogaram para dentro do consulado petista a operação abafa que decapitou as investigações das lavagens de dinheiro do caso Banestado, ocorrido durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. (Há uma referência a “dez anos depois”, mas ela ficou embaralhada.) Noutro lance, puseram na boca de Lula (Higino, igualzinho ao original, graças ao ator Arthur Kohl) a frase “é preciso estancar a sangria”, do senador Romero Jucá. Também não há prova de que “Higino” tenha pedido a “Janete” para trocar a direção da “Polícia Federativa”.

A narrativa do caso será útil para muita gente que perdeu o fio da meada da Lava Jato. Essa é a razão pela qual é melhor ver a série do que não vê-la. A Lava Jato fez um memorável serviço de faxina e hoje parece banalizada, o que é uma pena. O câncer de que fala o agente Ruffo estava lá e ainda está. Entrou areia no mecanismo das empreiteiras, mas ele funciona em outras bocas.

Num primeiro momento, Padilha explicou-se: “O Mecanismo” é uma obra-comentário, na abertura de cada capítulo está escrito que os fatos estão dramatizados. Se a Dilma soubesse ler, não estaríamos com esse problema”.

Seja lá o que for uma “obra-comentário”, Dilma sabe ler, e essa explicação tem o valor de um balanço de empreiteira. Seria como se o diretor Joe Wright, de “O Destino de Uma Nação”, atribuísse a trapaça que fez com Lord Halifax a uma licença cinematográfica. Num comentário posterior, Padilha disse que expôs a corrupção do PT e do MDB. É verdade, pois o vice de Dilma chama-se “Themes” e foi posto no jogo. O tucano Aécio Neves também está no mecanismo: “Se o ‘Lúcio’ vence a eleição, breca isso na hora”. O procurador-geral Rodrigo Janot ficou por um fio. Padilha pegou pesado ao mostrar os pés dos ministros do Supremo entrando numa sessão enquanto Ruffo fala nas “ratazanas velhas” de Brasília. A dança dos presos comemorando uma decisão do STF também foi forte, mas, como se viu há pouco, o Supremo decide, e réus festejam.

Padilha bateu num caso histórico. A série é dele e fez o que bem entendeu, mas a trama novelesca e as catilinárias de “Ruffo” tiraram-no de outro caminho, o de uma série e de um filme recentes. “The Crown” é factualmente impecável e mexeu com os mecanismos da Casa de Windsor. “A guerra secreta” não precisou demonizar Richard Nixon para contar a história da briga do “Washington Post” pela publicação dos “Papéis do Pentágono”. Nos dois casos, não houve novela paralela, pois o recurso não era necessário.

*Elio Gaspari

opiniao@opovo.com.br 

Jornalista.

Operação Malabares desarticula grupo que falsificava documentos públicos

A Promotoria de Justiça da Comarca de Pentecoste (Vale do Curu), com apoio da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), deflagrou, nesta manhã de quarta-feira, a Operação Malabares. Trata-se, segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público do Estado, de um desdobramento da Operação Cascalho do Mar, que investiga a participação de gestores públicos e empresários em fraudes de licitação em prefeituras cearenses.

Nessa nova etapa, o objetivo foi desarticular um grupo que, entre outros crimes, é suspeito de falsificar documentos públicos, inclusive do Ministério Público Estadual, para habilitar fornecedores em aditivos de contratos com a Prefeitura de Apuiarés, na Região do Vale do Curu. O responsável pela operação é o promotor de Justiça de Pentecoste, Jairo Pereira Pequeno Neto.

Os indícios de crime que motivaram essa nova operação foram encontrados em documentos apreendidos durante a segunda fase da Operação Cascalho do Mar, deflagrada na última sexta-feira (23/03). Nessa nova etapa, foram cumpridos mandados judiciais de prisão e de busca e apreensão em Fortaleza e em Apuiarés, expedidos pelo juiz da Comarca de Apuiarés, Caio Lima Barroso. José Darlan Pereira Barreto, procurador da empresa Patrol Engenharia e Serviços Ltda., teve a prisão preventiva decretada e foi detido na casa dele, em Fortaleza, na manhã desta quarta-feira (28). Os outros dois mandados de prisão tiveram como alvos os filhos de Darlan, identificados como sócios da empresa Patrol. Bruna Gonçalves Barreto vai ficar em prisão domiciliar, por ser mãe de filhos menores de idade. Já Marcos Vinícios Gonçalves Barreto teve a segunda prisão preventiva decretada em menos de uma semana. Ele está detido desde a última sexta-feira (23/03), quando foi alvo da segunda fase da Operação Cascalho do Mar. Outras pessoas estão sendo investigadas por suspeita de participação no crime. Também foram apreendidos um carro de luxo, celulares e computadores.

Os suspeitos são ligados à empresa Patrol Engenharia e Serviços Ltda., já investigada na Operação Cascalho do Mar. Dessa vez, os operadores da firma teriam fraudado documentos do Ministério Público Estadual, usando o timbre da instituição, para recomendar a aprovação de aditivos em contratos de coleta e limpeza urbana com a Prefeitura de Apuiarés. O Ministério Público afirma que jamais emitiu as referidas orientações ao município. O promotor de Justiça destaca a audácia do grupo criminoso em forjar os documentos públicos com o único intuito de enriquecer ilicitamente. As contas da Patrol Engenharia já haviam sido bloqueadas em razão de uma Ação Civil Pública, proposta pelo promotor da Comarca em 2017, e os proprietários já respondiam processo por ato de improbidade administrativa.

Diligências

Desde o início da Operação Cascalho do Mar, em dezembro de 2017, o Ministério Público do Estado do Ceará vem atuando contra um suposto esquema de fraude contra prefeituras cearenses, envolvendo gestores públicos e empresários. Na primeira etapa da Operação, foram cumpridas medidas cautelares de prisões preventiva e temporária, busca e apreensão, condução coercitiva e afastamento de gestores públicos em Paracuru, Fortaleza, Tauá, Eusébio, Caucaia e Groaíras.

O então prefeito de Paracuru, José Ribamar Barroso Batista, chegou a ser conduzido coercitivamente e continua afastado do cargo. Ele foi preso em flagrante por posse ilegal de armas. Também foram presos preventivamente Ranieri de Azevedo Batista, filho do prefeito, e os empresários Alonso de Melo Feitosa e Gabriel Ilário da Silva. Também foram detidos temporariamente, Joana D’Arc Batista Carvalho, chefe de Gabinete e filha do prefeito de Paracuru; Érica da Silva Brasil, secretária de Governo de Paracuru; e o empresário Ricardo Henrique Lemas. No momento, apenas José Ribamar Barroso e Érica da Silva Brasil estão em liberdade.

Na segunda fase da Cascalho do Mar, deflagrada no dia 23 de março de 2018, o alvo foi o “braço empresarial” do suposto esquema fraudulento. Foram cumpridos mandados de prisão e de busca em apreensão em Fortaleza e em Tauá. Os três investigados com mandados de prisão expedidos pela desembargadora Lígia Andrade de Alencar Magalhães foram detidos num único imóvel no bairro Alagadiço Novo, na capital. Os alvos presos foram Luiz Maycon Pereira Barreto (irmão de José Darlan), Marcos Vinicios Gonçalves Barreto (filho de José Darlan) e Francisco Sávio Venâncio Bonfim. Quatro veículos foram apreendidos, além de documentos, CPU, pendrives e relógios. José Darlan Pereira Barreto também chegou a ser preso nesta operação, por posse de munição, mas pagou fiança e foi solto.

Os suspeitos tinham relação com várias empresas investigadas, vencedoras de licitações para prestação de serviços de locação de veículos, locação de pessoal, merenda escolar, transporte escolar e coleta de resíduos sólidos em municípios cearenses. São elas: São Jorge Locação e Construção Ltda.; FOS Construções, Serviços e Empreendimentos Ltda.; Alpha Serviços Ltda.; Patrol Engenharia e Serviços Ltda.; Santo Antônio Serviços Ltda.; e Luiz Maycon Pereira Barreto ME. Os indícios apontam fraudes em licitações desde 2011.

Segundo a Procap, muitas empresas não tinham sequer patrimônio nem funcionários. Os empregados só eram contratados após a conquista das licitações. Muitos eram indicados por vereadores e lideranças políticas dos municípios investigados.

De acordo com as investigações, o “braço” empresarial do suposto esquema fraudulento é formado por membros de uma mesma família. Eles criavam várias empresas, ora como proprietários ora como procuradores, e usavam “laranjas” para omitir seus nomes na razão social de algumas firmas.

Assembleia Legislativa debaterá assassinato de Marielle Franco

A execução de Marielle Franco e o extermínio da juventude negra no Brasil serão pauta de debate a ser realizado na Assembleia Legislativa do Ceará. O encontro, organizada pelo mandato do deputado estadual Nestor Bezerra (PSOL), acontecerá nesta quarta-feira, às 14 horas, no Complexo das Comissões (Auditório 5).

Para o encontro foram convidados representantes do Instituto Negra do Ceará (Inegra), Coletivo Nacional de Juventude Negra (Enegrecer), Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Confecção Feminina e Moda Íntima de Fortaleza (Sindconfe), Comitê Cearense Pela Prevenção Homicídios na Adolescência (CCPHA) e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

Marielle

A vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ) foi morta a tiros na noite do dia 14 de março, no bairro do Estácio, na cidade do Rio de Janeiro. Além da vereadora, o motorista do veículo, Anderson Pedro Gomes, também foi baleado no atentado e morreu. Quinta vereadora mais votada nas eleições de 2016, Marielle Franco era reconhecida por sua histórica luta em defesa dos direitos humanos, especialmente em defesa dos direitos das mulheres negras e moradores de favelas e periferias. Também denunciava a violência policial.

Grupo Edson Queiroz compra marcas de água mineral da Nestlé

A Nestlé acaba de fechar a venda de seu negócio de água no Brasil para o Grupo Edson Queiroz, detentor das águas Minalba e Indaiá.

A transação, segundo informação do jornal Valor Econômico, envolve as marcas Petrópolis e São Lourenço, sendo que a operação deverá ser anunciada oficialmente até esta quinta-feira.

A vendedora foi assessorada pelo Bradesco e o comprador pelo Santander. O Grupo Edson Queiroz ocupa hoje o sétimo lugar no ranking de águas minerais no País, segundo site da empresa.

Presidente da Abih nacional faz romaria pelo Nordeste divulgando a Conotel 2018

O presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Manoel Cardoso Linhares, realiza verdadeira maratona pelo Nordeste. E

le divulga o 60º Congresso Nacional de Hotéis e a Equipotel Regional que ocorrerão no período de 16 a 18 de maio próximo, no Centro de Eventos.

Manuel Cardoso adianta que  o Conotel 2018 terá como tema “Brasil, crescimento do setor hoteleiro”. São estimados cerca de 4 mil participantes nos dois eventos na Capital cearense.

Quixeré registra chuva de 135 milímetros

Fortaleza não combina mesmo com chuva.

O pior é que os mesmo pontos de alagamento ressuscitam à vontade, expondo certa inépsia dos operadores da máquina pública municipal.

Bem, mas vamos ao que mais interessa mesmo o cearense, que é chuva boa molhando o Estado. Segundo boletim da Funceme, foram registradas precipitações pluviométricas, nesta quarta-feira, em 77 cidades.

Confira as 10 maiores:

Quixeré (Posto: Quixere) : 135.0 mm

Russas (Posto: Capim Grosso) : 105.0 mm

Russas (Posto: Sitio Timbauba Macore) : 97.3 mm

Limoeiro Do Norte (Posto: Bixopa) : 86.0 mm

Russas (Posto: Peixe) : 84.6 mm

Morada Nova (Posto: Lagoa Da Serra) : 60.0 mm

Acaraú (Posto: Aranau) : 52.2 mm

Limoeiro Do Norte (Posto: Sitio Malhada) : 51.8 mm

Limoeiro Do Norte (Posto: Limoeiro Do Norte) : 49.0 mm

São Luís Do Curu (Posto: Sao Luis Do Curu) : 46.0 mm

Naumi Amorim acerta instalação da Supergasbras em Caucaia

O prefeito de Caucaia, Naumi Amorim (PMB), recebeu, nesta semana, em seu gabinete, representantes da empresa Supergasbras, especializada em gás liquefeito e que se instalará na região do Genipabu. Com a sede brasileira situada no Rio de Janeiro, o grupo é holandês, opera em todo o Brasil e emprega 13 mil pessoas no mundo. Tem 70 anos de atuação. A informação é da assessoria de imprensa da Prefeitura.

“Temos que abraçar as empresas que estão vindo e manter com abraços mais fortes ainda as empresas que aqui ficam”, destacou o prefeito.

A unidade da Supergasbras em Caucaia terá área de 70 mil metros quadrados. Desse total, 30 mil metros quadrados serão utilizados inicialmente até o fim deste ano. Já há projeto para ampliação num investimento global de R$ 60 milhões. A base fornecera gás para todo o Ceará e Rio Grande do Norte, com previsão de estender-se ao Piauí.

Segundo o presidente da Agência de Desenvolvimento do Município de Caucaia (Adeca), Jaime Verçosa, a carta de anuência está pronta com a proposta da empresa. Para o gerente de relações institucionais da Supergasbras, Ricardo Tonietto, o acolhimento e interesse por parte da Prefeitura de Caucaia é fundamental para a instalação da empresa. O gás que abastecerá a unidade de Caucaia virá dos Estados Unidos.

Por mês, a Supergasbras fornece 35 milhões de botijões de gás ao Brasil. A empresa também trabalha com gás a granel para restaurantes, condomínios e indústrias. Em Caucaia, a empresa já tem 25% do mercado. Distribui oito mil botijões por mês em todo o município. Com a unidade do Genipabu, a expectativa é de criar de 100 a 150 empregos formais diretos.

De onde vem a força do crime?

Eis a Coluna Política, do jornalista Érico Firmo, no O POVO desta quarta-feira, mais precisamente o tópico “De onde vem a força do crime”. Confira para boas reflexões:

A força das facções criminosas que atuam no Ceará não está necessariamente em sua organização. Na quinta-feira, por exemplo, ao realizar o primeiro da série de ataques, tentaram invadir agência dos Correios. Não conseguiram. Então, tentaram colocar fogo no prédio. De novo deu errado. Então, apenas deixaram algumas cartas por lá. Na madrugada do sábado, ao tentarem explodir a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), três envolvidos na ação foram mortos pela Polícia. Foram duas ações importantes, mas um tanto desastradas. Não são coisa de bandidos altamente organizados, com alto grau de preparação. Eles possuem armas de grande porte, equipamento pesado. Mas, também não é isso que dá poder a elas.

A força das facções está na quantidade de jovens recrutados. Eles podem perder muitas vidas, mas possuem pessoal para repor.

É uma terrível e trágica força. Apesar dos números recordes de homicídios, durante anos, os grupos criminosos estão ainda mais fortes. Apesar de muitas das vítimas serem jovens seduzidos pelas facções, que se matam numa guerra concentrada principalmente nas periferias.

Para fazer frente às facções, será necessário ser capaz de oferecer oportunidades a esses jovens capazes de disputar com o poder de atração dos grupos criminosos. Tem gente que acha que isso é “defesa de bandido”. Que esse pessoal optou pelo crime mesmo e que devem morrer ou ir para a cadeia. A questão para a qual não se atenta é que, ou se obstrui os canais de recrutamento dos criminosos, ou a violência não diminuirá.

A quantidade de mortes continuará avassaladora, os crimes seguirão sem conhecer fronteira, atingindo inclusive a classe média. Criar oportunidades para evitar a entrada de adolescentes no mundo do crime não é benevolência, diletantismo, nada disso. É o único caminho. Não é fácil nem rápido.

Porque o contingente policial tem crescido. O secretário ameaça, no estilo “Justiça ou cemitério”. Nunca houve tanta gente presa. Nunca a Polícia matou tanto. Nunca morreram tantos detentos. O Moroni Torgan, que sempre prometeu resolver a situação da violência, está há anos enfronhado com os governos e é o homem da segurança dentro da Prefeitura. Resolveu? Parece estar a caminho de resolver?

Sergio Moro elogia lei de Tasso Jereissati

5723 1

Na entrevista ao Roda Viva (TV Cultura), na última segunda-feira, o juiz federal Sérgio Moro – o homem dos processos da Lava Jato, elogiou a Lei das Estatais, que veda uso dos órgãos federais com nomeações políticas.

“A lei é tão boa que deveria se estender à gestão federal”, disse.

O autor dessa lei é o senador Tasso Jereissati (PSDB).

(Foto -Agência Senado)

 

Maluf é internado em hospital de Brasília

O deputado federal afastado Paulo Maluf (PP-SP) foi internado em um hospital particular da Asa Sul, em Brasília, por volta da 0h desta quarta-feira (28). A informação é do Portal G1.

O Hospital Home confirmou a internação do deputado, mas não informou o motivo nem o estado de saúde dele até as 9h desta quarta.

Segundo os advogados de Maluf, o deputado tem problemas cardíacos e ortopédicos, além de câncer de próstata e diabetes. Ao STF, a defesa pediu a prisão domiciliar alegando “questões humanitárias e riscos à saúde”.

Maluf está preso na Complexo Penitenciário da Papuda desde 22 de dezembro, depois de decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou o cumprimento imediato da pena de 7 anos e 9 meses de prisão a que ele foi condenado por lavagem de dinheiro no período em que foi prefeito de São Paulo (SP) – entre 1993 e 1996.

Fiec cobra do prefeito a suspensão do aumento das taxas de alvarás

305 1

Presidentes dos 40 sindicatos ligados à Federação das Indústrias do Estado (Fiec) pediram que a Prefeitura de Fortaleza suspenda a aplicabilidade da lei aprovada recentemente na Câmara Municipal, que modifica valores das taxas de alvarás da Cidade. O pleito foi feito durante reunião na tarde de ontem, na sede da entidade, e vem gerando polêmica entre a classe empresarial.

Os representantes da Fiec discutiram o assunto com o superintendente da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), Marcelo Pinheiro. Antes do encontro, pela manhã, o presidente da Federação, Beto Studart, reuniu-se com o prefeito Roberto Cláudio (PDT).

“Há indignação de todos em relação a essa lei que foi aprovada de forma repentina. Sugeri que o prefeito recuasse da aplicabilidade da norma, para que a gente possa restabelecer todas as discussões”, afirma.

Beto considera que aumentar taxas no atual momento é totalmente inapropriado, pois as empresas ainda estão passando por dificuldades geradas pela crise econômica no Brasil. Além disso, entende que houve “excesso na lei”. “Estamos torcendo para que ele (prefeito) tenha discernimento de estadista para suspender a aplicação dessa lei”, diz.

O presidente do Sindicato dos Construtores do Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro, participou da reunião da tarde e disse que os empresários “não vão aceitar nenhum centavo a mais nas taxas de alvarás” previstas no novo Código Tributário de Fortaleza. Para ele, o aumento prejudica toda a sociedade.

Lembra que, no caso do alvará de funcionamento, a taxa somente era paga no momento da constituição da empresa. Com a mudança, será cobrada anualmente. “Quem pagava R$ 1.500 por um alvará de funcionamento vai ter que desembolsar R$ 15 mil todo ano. É uma aberração”, critica.

Quanto às taxas dos alvarás de construção, a Prefeitura fará em breve uma reunião específica com o Sinduscon-CE. De acordo com André Montenegro, “há casos em que o valor saltou de R$ 8 mil para R$ 130 mil”.

O prefeito Roberto Cláudio rebate as críticas e garante que 78% das atividades comerciais pagarão, em média, R$ 300 por ano com alvarás. E lembra que o aumento é para manter a desburocratização de processos, viabilizada pelo programa Fortaleza Online.

“Só 0,6% das atividades tem taxa de R$ 15 mil por ano. São grandes negócios. O boato que circula na praça não é real. Esse recurso será para investimentos em tecnologia. A simplificação de alvarás tem um custo alto. Desenvolver e manter tecnologia são muito caro. São milhões de reais aplicados no serviço. E essa arrecadação só financiará 10% do valor global. Noventa por cento do custo para facilitar a vida do empresário ainda é financiado pela Prefeitura”, observa.

(O POVO – Repórter Raone Saraiva)