Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Alvarás: empresários aguardam novidades

156 2

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (21):

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) prometeu anunciar, na segunda-feira (23), novidades relacionadas à lei que instituiu o aumento das taxas de alvarás e a cobrança que, pela medida, passa a ser anual. A informação é do presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, que esteve conversando com o chefe do Executivo municipal nesta semana.

O reajuste das taxas gerou polêmica e reações da parte não só da Fiec, mas de entidades do setor produtivo como o Sinduscon, Sindilojas, CDL, FCDL, Associação Comercial do Estado e Abrasel, esta representante de bares e restaurantes. Todos dizem que a matéria, como está, com percentuais de cobrança levando em conta o metro quadrado de imóvel, por exemplo, gerando aumento até 200% em alguns segmentos, provocará demissões.

Beto não adiantou o que o prefeito vai comunicar, mas disse apostar no bom senso da autoridade.

Na noite da quinta-feira (19), antes do ato de entrega do Troféu Clóvis Rolim, no Theatro José de Alencar, um grupo de microempresários protestou contra o aumento das taxas. RC, no entanto, estava em Brasília, onde participou da convenção que homologou Ciro Gomes candidato a presidente pelo PDT.

O prefeito sabe que o caso gera desgastes. Agora é saber se ele pagará por esse desgaste neste ano que, também, é eleitoral.

Bolsonaro diz que Janaína Paschoal pode ser anunciada como vice amanhã

O pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que a advogada Janaína Paschoal, filiada ao partido dele e professora da USP, voltou a ser uma possibilidade de nome para vice de sua chapa. Uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2015, Paschoal deve ir hoje ao Rio de Janeiro conversar pessoalmente com Bolsonaro para discutir o assunto.

“O meu sentimento é de que ela está com vontade de ajudar a transformar o Brasil. Estamos ‘namorando’ por telefone. Ela deu sinal verde. Ela deve vir ao Rio amanhã (sábado) e, provavelmente, no domingo estará na convenção. Pode acontecer de anunciar lá. Vai ser a dupla Já-Já”, disse o deputado federal ontem ao O Globo.

Na última terça-feira, 19, Bolsonaro havia descartado o nome da advogada. “Ela saiu do radar da discussão sobre o posto de vice”, chegou a afirmar, argumentando que ela disputaria o cargo de deputada estadual. Paschoal, por sua vez, disse em entrevista que não havia recebido o convite para ocupar o posto, mas que “se essa dupla acontecer, será para revolucionar o País”.

Bolsonaro voltou atrás após receber, em três dias, dois “nãos”: um do senador Magno Malta (PR-ES), que preferiu disputar a reeleição ao Senado; e outro do PRP, que rejeitou indicar o general reformado Augusto Heleno porque essa composição não seria “atraente para os diretórios estaduais do partido”.

O pré-candidato chegou ainda a cogitar o nome do general Hamilton Mourão, que é filiado ao PRTB. A negociação com ele não está encerrada. O presidente da sigla, Levy Fidelix, disse que busca uma aliança de pequenos partidos para garantir a presença do general numa chapa presidencial e que espera conversar pessoalmente com Bolsonaro sobre o assunto. “Aqui a gente faz uma política macro. É preciso chegar e dizer: ‘Fidelix meu amigo, pá-pá-pá’”.

A convenção de Bolsonaro está marcada para amanhã, no Rio de Janeiro. Se ele fechar com Paschoal e formar uma chapa pura, ficará apenas com oito segundos de propaganda eleitoral na televisão e no rádio, o que pode dificultar o crescimento das intenções de voto.

Para o professor de ciência política do Ibmec-MG, Adriano Gianturco, são muitos os fatores que podem explicar as baixas que Bolsonaro recebeu nos últimos dias, além dos pontos que ele deve levar em consideração para a escolha de um vice. “Mais que intenções de votos, o que se deve buscar em um vice são os apoios que ele tem de grupos organizados e camadas da sociedade. Não adianta só buscar alguém diferente achando que vai ampliar os votos porque ninguém vota com base só no vice”, explicou.

Em conversa com o deputado Major Olympio (PSL-SP), Janaína Paschoal já chegou a acertar uma candidatura à Assembleia Legislativa de São Paulo.

O general Hamilton Mourão (PRTB) tem demonstrado interesse de compor a chapa de Bolsonaro. Ele chegou a dizer: “Eu continuo sentado no banco de reservas em condições de, se necessário for, participar dessa grande empreitada”.

(O POVO com agências)

Ministério vai criar comissão contra o crime organizado

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que será criada uma Comissão Nacional de Inteligência e Operações contra o crime organizado. O foco da comissão será o combate às facções criminosas que atuam no sistema penitenciário brasileiro.

Jungmann declarou que o controle dos grupos criminosos está tornando o Brasil refém do sistema prisional. Para o ministro, as organizações criminosas precisam ser enfrentadas porque representam hoje a maior ameaça à segurança do país.

“Hoje o sistema penitenciário brasileiro, que já é o terceiro maior do mundo, está sob o controle das facções e grupos criminosos, por isso eu estou criando a Comissão Nacional de Inteligência e Operações contra o crime organizado reunindo todos os órgãos do governo federal e do governo estadual para combater as facções criminosas, que hoje representam a maior ameaça à segurança pública dos brasileiros e brasileiras e às instituições, à sociedade e à própria democracia”, afirmou.

Além da criação da comissão, Jungmann disse que o ministério vai financiar os estados que quiserem bloqueadores de sinais de celular e tornozeleiras para evitar o encarceramento de mais jovens. O ministro citou ainda um projeto de lei que tramita no Congresso e prevê que os chefes de facções cumpram toda a pena no sistema de segurança máxima, e não apenas um ano como é hoje.

O projeto prevê ainda o fim das visitas íntimas e que as visitas familiares ou com advogados sejam monitoradas em parlatórios. “Se nós não cortarmos o fluxo de comunicação entre o grande crime que está preso e o crime que está na rua nós, na verdade, estaremos enxugando gelo”, disse.

Segundo o ministro, o Brasil tem hoje, aproximadamente, 70 facções criminosas, desde locais até internacionais, como o PCC (Primeiro Comando da Capital), que atua em 5 países da América do Sul e outras regiões. Jungmann chamou a atenção ainda para a falta de controle sobre o sistema prisional.

“O controle é deficitário, existe infelizmente corrupção, falta de pessoal, falta de controle. E nós vamos lutar contra isso, criando o conselho nacional e tomando todas as medidas necessárias para combater o crime organizado. Pode ser inclusive através do Sistema Unificado de Segurança Pública, que faz com que, pela primeira vez, União, estados, municípios e todas as polícias estejam integradas na operação, na inteligência e no combate ao crime organizado”, declarou.

A comissão nacional deverá ser composta pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Polícia Federal, Forças Armadas, Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda que monitora a questão da lavagem de dinheiro, além do Banco Central e todas as polícias militares do país.

O ministro também adiantou que nas próximas semanas o presidente Michel Temer deve editar um decreto que cria uma política nacional para presos egressos e vai disponibilizar, inicialmente, R$ 50 milhões para iniciativas que inibam a reincidência de crimes.

(Agência Brasil)

Fortaleza segura o empate e segue líder da Série B

Na partida mais esperada da 16ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Fortaleza segurou o empate diante do CSA, em 0 a 0, na noite dessa sexta-feira (20), no estádio Rei Pelé, em Maceió, em dia inspirado do goleiro tricolor Marcelo Boeck. Com o resultado, o Fortaleza segue líder da competição, enquanto o time alagoano manteve a vice-liderança.

O Fortaleza é a primeira equipe a chegar à casa dos 30 pontos, quatro a mais que o primeiro time na boca do G4. Na terça-feira (24), o Fortaleza recebe o Avaí, no Castelão.

(Foto: Reprodução)

INSS convoca 178 mil segurados para perícia

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) divulgou edital de convocação de beneficiários de auxílio-doença e aposentados por invalidez para realização de perícia médica para revisão do benefício.

Em publicação no Diário Oficial, foram convocadas mais de 178 mil pessoas. O segurado tem até o dia 13 de agosto para fazer o agendamento pelo telefone 135.

No dia da perícia, o beneficiário deve apresentar documentação médica disponível, como atestados, laudos, receitas e exames. Quem não agendar a perícia até 13 de agosto terá o benefício cancelado. Do total de convocados, 168.523 são de aposentados por invalidez e 10.412 são beneficiários do auxílio-doença.

Segundo a publicação oficial, a convocação foi feita porque o INSS não conseguiu encontrar alguns dos beneficiários no endereço informado no cadastro do Sistema Único de Benefícios (SUB), ou porque, no próprio cadastro, não havia informações suficientes para o envio da correspondência.

(Agência Brasil)

LDO de 2019 proíbe contingenciamento de recursos captados por universidades públicas

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, prestes a receber a sanção presidencial, proíbe o contingenciamento de recursos captados pelas universidades e instituições públicas de ciência e tecnologia, como no caso de doações e convênios.

Entre os anos de 2014 e 2017, os investimentos em ciência e tecnologia caíram a menos da metade no Brasil. Saíram de R$ 8,4 bilhões para R$ 3,2 bilhões. Para este ano, o orçamento que foi programado é ainda menor: R$ 2,7 bilhões. Os cortes no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação afetam toda a pesquisa feita no País.

O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, deputado Goulart (PSD-SP), afirma que o colegiado foi consciente das necessidades do setor nas discussões orçamentárias. “Os cortes não são feitos pelo ministério e sim pela equipe econômica. E tivemos todo o cuidado agora na comissão de aprovar uma emenda para que o setor de pesquisa não sofra corte.”

O presidente-substituto do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), professor Marcelo Moraes, reconhece a necessidade dos cortes orçamentários, mas não concorda com o receituário brasileiro. Ele afirma que o incentivo à pesquisa e investimentos em ciência e tecnologia previnem as crises.

“Há cinco anos tínhamos o dobro do orçamento no Ministério de Ciência e Tecnologia. E o que isso reflete no desenvolvimento do País? Veremos mais adiante”, afirma Moraes lembrando que, enquanto o Brasil investe 1% do PIB, a Coréia investe 5% do seu PIB. “E há 20 anos, a Coréia era igualzinha a gente e hoje ela despontou.”

O cientista defende o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico como uma importante garantia ao fomento à pesquisa. Mas o fundo é constantemente contingenciado. Segundo ele, a perspectiva de arrecadação neste ano é de R$ 4,5 bilhões, mas, quando termina o ano os recursos não usados voltam para o Tesouro. Neste ano foi liberado pouco mais de R$ 1 bilhão, o que segundo ele, é pouco.

No ano passado havia a promessa de R$ 5,81 bilhões para o Ministério da Ciência e Tecnologia. Ainda em abril, 44% do valor foi contingenciado. Antes do fim do ano, apenas R$ 500 milhões foram recuperados. No final, o valor investido foi de R$ 3,77 bilhões.

No Legislativo, o assunto é tratado entre duas realidades: o desequilíbrio fiscal do País e a relação entre ciência e tecnologia e desenvolvimento. A área de ciência e tecnologia é apenas uma das áreas com cortes orçamentários. O contingenciamento do orçamento deste ano é de R$ 16 bilhões. Desse valor, R$ 477 milhões seriam destinados a investimentos em ciência e tecnologia.

O Projeto de Lei Complementar 358/17, do deputado Daniel Vilela (MDB-GO), muda a natureza contábil do FNDCT e o torna um fundo de natureza financeira, para que recursos ligados à inovação e pesquisa científica não possam ser contingenciados. A proposta aguarda votação na Comissão de Ciência e Tecnologia.

Outro projeto de lei complementar tramita no Senado (PLS 315/17) e também impede o contingenciamento de recursos do fundo de ciência e tecnologia. O texto também aumenta de 25% para 50% o percentual de recursos do FNDCT emprestados à Finep. Desde fevereiro, o projeto está pronto para votar na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Já o deputado Celso Pansera (PT-RJ) quer destinar 25% do Fundo Social do Pré-Sal para programas e projetos na área de ciência e tecnologia (PL 5876/16). “Isso tem um impacto muito grande porque a fronteira do pré-sal hoje tem crescido muito. Então significaria, em valores do ano passado, quase R$ 2 bilhões; e em 2030, quando o pré-sal atingir o seu ápice, R$ 6,5 bilhões”, calcula Pansera.

O texto aguarda votação na Comissão de Finanças e Tributação.

(Agência Câmara Notícias)

Oficina de fotografia de celular volta neste fim de semana

177 1

O professor e fotógrafo Thiago Braga retorna neste fim de semana com a oficina Fotografia de Celular, a partir das 13 horas deste sábado (21), em aulas de campo no Mercado Central e no Mercado dos Peixes. O curso será encerrado no domingo (22).

Para participar, o interessado deverá realizar uma pré-inscrição, por meio do e-mail inscricao@museudafotografia.com.br e o investimento será de R$ 150.

(Foto: Arquivo)

UFC avança em quatro de cinco itens de ranking de melhores universidades da América Latina

Saiu o ranking de reputação acadêmica Times Higher Education (THE), um dos mais importantes e prestigiados do mundo, que traz as melhores universidades da América Latina neste ano de 2018. A Universidade Federal do Ceará melhorou a própria nota em quatro dos cinco itens avaliados, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

Em relação a 2017, a UFC avançou em pesquisa (volume de publicações, reputação dos periódicos nos quais a instituição publica etc.), cuja nota passou de 37.9 a 48.5; citações, com nota ampliada de 53.9 para 58.2; internacionalização, com aumento de 26.3 para 30.2; e transferência de conhecimento, cuja nota cresceu de 37.9 para 43.0. O quinto item de avaliação é ensino (ambiente de aprendizagem), no qual a nota da UFC passou de 53.5 para 52.6, permanecendo praticamente estável.

Com pontuação geral também maior em relação ao ano passado – movendo-se do intervalo de 46.7-49.5 para o de 49.4-53.4 –, a UFC figura no ranking de 2018 na 51ª posição. Este ano, o ranking avaliou 129 universidades latino-americanas, contra 82 no ano passado.

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) lidera o ranking latino-americano. Mais detalhes sobre o levantamento podem ser obtidos no site do THE (https://bit.ly/2L9P2IB).

No jogo que decide a liderança da Série B, não há favoritismo para CSA e Fortaleza

Ao final da noite desta sexta-feira (20), Fortaleza ou CSA, um dois dois chegará à casa dos 30 pontos na Série B do Campeonato Brasileiro e, de quebra, à liderança da competição. Ambos se enfrentarão a partir das 21h30min, no Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL), sem favoritismo para qualquer equipe, de acordo com as apostas em sites online.

Enquanto o time da casa aparece com 34,2% da preferência dos apostadores, o atual líder da Série B possui 33,9%. Já o empate aparece com 31,8%.

Apesar da condição de líder e vice-líder da competição. Fortaleza e CSA estão com campanhas tímidas nas 10 últimas rodadas. Os dois times somaram apenas 13 pontos, cada, sete posições abaixo dos “emergentes” Goiás, Ponte Preta, Guarani e Atlético Goianiense, além de Figueirense, Vila Nova e Avaí.

O Fortaleza lidera a tabela de classificação com 29 pontos, seguido por CSA (28), Vila Nova (27), Avaí (26), Atlético GO (26), Figueirense (25), Ponte Preta (24) e Guarani (23). Fortaleza, CSA e Ponte Preta ainda não jogaram nesta 16ª rodada.

(Foto: Arquivo)

Equipe econômica reduz para 1,6% previsão de crescimento do PIB

169 1

A greve dos caminhoneiros e a demora na recuperação econômica fizeram a equipe econômica reduzir a estimativa de crescimento da economia para este ano. Segundo o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, divulgado hoje (20) pelo Ministério do Planejamento, a estimativa caiu de 2,5% para 1,6%.

A estimativa de inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) aumentou de 3,4% para 4,2%. De acordo com a equipe econômica, a alta do dólar e o impacto da paralisação dos caminhoneiros contribuíram para aumentar a projeção de inflação oficial.

Divulgado a cada dois meses, o Relatório de Receitas e Despesas orienta a execução do Orçamento para o restante do ano. Apesar de o documento ser de autoria do Ministério do Planejamento, os parâmetros para a economia são elaborados pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda.

Para 2019, a estimativa para o crescimento econômico de 2019 caiu de 3,3% para 2,5%, disse o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Fábio Kanczuk. Segundo ele, a queda de 0,9 ponto percentual na projeção para o PIB de 2018 deve-se a três motivos: 0,2 ponto deve-se à greve dos caminhoneiros, 0,35 ponto deve-se à diminuição da liquidez internacional decorrente da perspectiva de aumento de juros nos Estados Unidos e 0,35 ponto restante tem origem no agravamento das incertezas internas.

O secretário disse que alguns indicadores de junho, como consumo de papelão e de energia elétrica, mostram que a economia está se recuperando na margem (em relação a maio), apesar de a previsão para o ano inteiro ter sido reduzida. “Na margem, estamos observando uma melhoria. É sinal de que o governo fazendo trabalho fiscal e reduzindo incerteza, podemos ter números melhores para o ano que vem”, declarou.

A estimativa da Fazenda coincide com a do Banco Central (BC). No último Relatório de Inflação, divulgado no fim de junho, o BC reduziu de 2,6% para 1,6% a estimativa de crescimento para o PIB em 2018.

A previsão da equipe econômica, no entanto, está mais otimista que a do mercado financeiro. Na última edição do Boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a projeção de crescimento dos analistas de mercado caiu de 1,53% para 1,5% este ano.

A previsão para o IPCA também coincide com a do último Relatório de Inflação do BC, que aponta que o índice fechará o ano em 4,2%.

A projeção está próxima da estimativa do mercado financeiro. Na edição mais recente do Boletim Focus, os analistas projetam inflação oficial de 4,15%.

(Agência Brasil)

Acusado de ser chefe de facção paulista é preso em motel do Crato

A Polícia Federal e a Polícia Militar cumpriram mandado de prisão do Mato Grosso do Sul contra Adriano Moreira da Silva. A prisão foi confirmada pela Polícia Federal de Juazeiro do Norte, que não repassou detalhes do caso para não atrapalhar a investigação. A ação aconteceu nesta sexta-feira, 20, no Crato. O preso foi encaminhado a delegacia da Polícia Federal de Juazeiro do Norte.

De acordo com o major Luciano Rodrigues, a prisão do homem aconteceu no motel Faraó. A Polícia Federal solicitou o apoio da Força Tática de Apoio (FTA) do Crato para realização da abordagem. Ele estava no Crato para o festejos que acontecem na cidade e se passava por turista.

Conforme o POVO Online apurou, Adriano é natural de Mombaça e é investigado por exercer espécie de gerência de facção criminosa de São Paulo.

(O POVO Online / Jéssika Sisnando)

Brasil perde 661 vagas com carteira assinada em junho

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (20), mostram que foram fechadas 661 vagas de emprego formal em junho no país. No mês passado, foram registradas 1.167.531 admissões e 1.168.192 desligamentos.

No acumulado do ano, houve crescimento de 392.461 empregos, representando variação de +1,04%. Nos últimos 12 meses, foi registrado acréscimo de 280.093 postos de trabalho, correspondente à variação de +0,74% em relação a igual período anterior. Em junho do ano passado, foram criados 9.821 novos empregos.

Esta é a primeira queda na criação de empregos com carteira assinada este ano. Em maio, foram gerados 33.659 empregos formais e, em abril, foi registrada a criação de 115.898 vagas. Os dados de junho mostram a dificuldade da recuperação econômica no país.

Segundo o Caged, houve crescimento do emprego em junho em três dos oito setores da economia. Os dados registram expansão no nível de emprego nos setores de agropecuária, com mais 40.917 postos; serviços industriais de utilidade pública, com mais 1.151 postos, e serviços, com mais 589 postos.

Verificou-se queda no nível de emprego nos setores da indústria de transformação, com menos 20.470 postos; comércio, com menos 20.971 postos; administração pública, com menos 855 postos; construção civil, com menos 934 postos, e extrativa mineral, com menos 88 postos.

(Agência Brasil)

Conselho Cearense de Boxe Amador e Profissional está com inscrições abertas para curso de árbitros

O Conselho Cearense de Boxe Amador e Profissional (CCB) está com inscrições abertas para o primeiro curso oficial de formação de árbitros de boxe amador e profissional no Estado do Ceará. A capacitação ocorre nos dias 31 de agosto e 1º e 2 de setembro. O curso, homologado pelo Conselho Nacional de Boxe (CNB), sob a presidência de Geyza Caryny, será ministrado pelo maior árbitro de boxe profissional do Brasil, Antônio Bernardo. As inscrições vão até o dia 30 de julho.

De acordo com o presidente do CCB, Emanoel Barroso, o objetivo do curso é formar um quadro de arbitragem sólido no Estado. “Estamos trabalhando muito para que a modalidade cresça e planejamos trazer grandes eventos para o Ceará, mas para isso precisamos primeiro aumentar o efetivo de árbitros qualificados no Estado.”, destacou.

Para Emanoel, essa capacitação também é um passo significativo para o crescimento da modalidade no Ceará. “É a primeira vez que o Conselho Nacional vem para Fortaleza oferecer essa capacitação e isso representa um grande avanço no cenário do boxe cearense.”, afirmou.

No curso, os alunos serão submetidos a uma avaliação prática e teórica. Caso sejam aprovados vão receber uma carteira de registro de árbitro e juiz do Conselho Nacional de Boxe, ficando assim aptos para arbitrar lutas do Boxrec (Sistema de registro de eventos profissionais e cartel de lutadores).

SERVIÇO

Curso de Formação de Árbitros de Boxe
Inscrições: Até dia 30 de julho
Valor do curso: R$350,00 em ate 2x S/juros no Cartão de Crédito ou à vista com 10% de desconto.
Data: 31 de agosto e 1º e 2 de setembro
Maiores informações: (85) 98826 2600

(Colaborou a jornalista Anna Rita Regadas)

Fies 2018 – Inscrições terminam neste domingo

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) encerra, no próximo domingo (22), as inscrições para os candidatos ao crédito no segundo semestre deste ano. Serão ofertadas pelo menos 155 mil vagas, das quais 50 mil com juro zero. Os interessados podem se inscrever no site do programa na internet.

Pode concorrer às vagas do Fies quem fez uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010 e teve média igual ou superior a 450 pontos, além de nota maior que zero na redação.

O novo Fies tem modalidades de acordo com a renda familiar do candidato. A modalidade que tem juro zero destina-se a candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é R$ 42 mil.

A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre três e cinco salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

O resultado da seleção do Fies será divulgado no dia 27 deste mês, em chamada única. Os candidatos pré-selecionados deverão complementar as informações da inscrição no período de 27 a 31 deste mês e, em seguida, fechar a contratação do financiamento.

No caso dos estudantes inscritos no P-Fies, não haverá lista de espera. Os demais candidatos poderão manifestar interesse entre os dias 1º e 24 de agosto.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores de instituições privadas que tenham avaliação positiva do Ministério da Educação.

(Agência Barsil)

Executiva Nacional do PDT vai escolher o vice de Ciro Gomes

263 1

Na mesma convenção que homologou a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República, o PDT decidiu delegar à Executiva Nacional a escolha do candidato a vice na chapa do partido. Caberá também à cúpula pedetista articular com outras legendas e fechar a coligação que apoiará o presidenciável. Os partidos têm até o dia 15 de agosto para apresentar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a chapa completa, incluindo as legendas aliadas.

Depois de aclamado candidato a presidente, Ciro Gomes fez um discurso de quase 30 minutos, no qual apresentou suas principais proposta. “A primeira e mais urgente tarefa é gerar empregos”, afirmou para uma plateia de aproximadamente 800 pessoas que lotavam o auditório da sede nacional do PDT.

Para gerar empregos, Ciro Gomes disse que é preciso investir em ciência, tecnologia e inovação, bem como recuperar a indústria brasileira. Ele enumerou ainda a melhoria da segurança pública, com uma maior participação do governo federal, o aprimoramento da educação e da saúde, além de equilibrar as contas públicas e acabar com privilégios na administração pública. “Mudar o Brasil é preciso e é possível”, afirmou.

Mais de uma vez, Ciro citou o ex-governador Leonel Brizola, fundador do PDT, que morreu em 2004, mas ainda é reverenciado no partido. “Recebo esta grave missão do PDT do meu amigo Leonel Brizola, porque quero cuidar do nosso povo. Quero protegê-lo”, disse. Ciro Gomes defendeu uma campanha em que o debate de ideias prevaleça sobre o ódio: “O Brasil não vai sair desta situação difícil na base do nós contra eles”.

Ainda sem vice e sem alianças, Ciro convidou “todos as forças políticas” a se juntarem ao PDT para “ajudar a mudar o Brasil”. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que agora a missão dos filiados e simpatizantes é multiplicar o trabalho que já vem sendo desenvolvido pelo país e defender a candidatura de Ciro Gomes. “Vamos, a partir de agora, invadir as ruas e as praças do país para fazer Ciro Gomes presidente do Brasil”, disse Carlos Eduardo Alves, ex-prefeito de Natal (RN).

(Agência Brasil)

SSPDS esclarece sobre falta de armas para policiais civis recém-empossados

261 1

Sobre a denúncia feita neste Blog pelo vereador Julierme Sena (PR) apontando para a falta de armas para os policiais civis recém-empossados, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará manda a seguinte nota de esclarecimento:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) esclarece que o processo de aquisição de 4.100 armas para estruturar a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e Polícia Militar do Ceará (PMCE) foi finalizado antes da nomeação dos novos policiais civis.

Contudo, como a licitação tem moldes internacionais, houve trâmite burocrático com o Exército Brasileiro para liberação dos armamentos, produzidos nos Estados Unidos.

O secretário adjunto da SSPDS, Alexandre Ávila, esteve no Exterior para acompanhar a liberação dos equipamentos. A previsão é de chegada das armas para o início da próxima semana.

SSPDS

Ex-presidente do BNDES agora é candidato a presidente pelo PSC

O Partido Social Cristão (PSC) lançou hoje (20), em Brasília, o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimentismo Econômico e Social (BNDES) Paulo Rabello de Castro como canditado à Presidência da República. O partido é presidido pelo Pastor Everaldo.

Nascido no Rio de Janeiro em 1949, Rabello de Castro, de 69 anos, é doutor em economia pela Universidade de Chicago. Foi presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mais recentemente comandou o BNDES, de junho de 2017 a março de 2018. Fundador da SR Rating, primeira empresa brasileira de classificação de riscos de crédito, é também autor de mais de 10 livros. Ex-presidente do Lide Economia, coordenou até junho de 2016 o Movimento Brasil Eficiente.

Liberal por formação e convicção, Rabello defende o estabelecimento de um sistema tributário mais enxuto e eficiente. Também é favorável à redução da máquina do Estado. Antes de se filiar ao PSC, em 2017, foi do Partido Verde (2002-2010) e do Partido Novo (2016-2017).

(Agência Brasil)