Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Moro apresentará no início de governo plano de combate à corrupção e ao crime organizado

211 1

O juiz federal Sergio Moro, confirmado para o Ministério da Justiça, disse hoje (23) que vai apresentar em 2019 um projeto com medidas contra a criminalidade sustentado em três eixos: combate à corrupção, ao crime organizado e aos crimes violentos. Moro participou nesta sexta-feira do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, promovido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.

“Primeiro [vou] apresentar um projeto de lei contra a corrupção logo no início da legislatura. Sempre com respeito ao Parlamento, com abertura ao diálogo. Corrupção está desenfreada, crime organizado está cada vez mais forte. Crime violento, que afeta a todos, principalmente minorias. É um projeto em gestação. O foco vai ser agenda contra corrupção, anticrime organizado e contra o crime violento.”

Para Moro, serão necessárias algumas mudanças nas leis criminais para dar suporte ao combate efetivo às ilegalidades. Como exemplo, ele citou a necessidade de mudar o sistema de progressão de pena e regime.

“Tem que se proibir progressão de regime para o preso que mantém vínculo com organizações criminosas. Tem que liberar preso apto para ressocialização. Se colocar em liberdade, vai apenas potencializar aquela organização criminosa. Serve como desestímulo ao ingresso dos presos nessas organizações criminosas”, afirmou.

“As penas até já são elevadas, o problema é o tempo de prisão real. Tem que mexer na progressão. Tem casos bárbaros, de sangue, que em pouco menos de 10 anos a pessoa já está progredindo. Às vezes parricidas [quem mata os pais] saindo em Dia das Mães”, acrescentou.

Alternativas

Moro defendeu ainda a aprovação de leis que deem respaldo legal à realização de “operações disfarçadas”, sem que isso comprometa a punição futura do criminoso. “Nos Estados Unidos são feitas operações disfarçadas. É preciso colocar na lei que vender ou entregar droga a um agente disfarçado constitui crime. A mesma coisa em relação a armas e lavagem de dinheiro. Não exclui o crime. O policial está lá para revelar o crime.”

O futuro ministro destacou ainda a necessidade de se distinguir o que é crime nos casos em que a Justiça Eleitoral muitas vezes classifica como caixa 2 – doações não declaradas de campanha a políticos.

“O problema é que hoje algumas condutas criminais extremamente complexas, muitas vezes envolvendo lavagem de dinheiro com conta no exterior, estão sendo interpretadas [como] de competência da Justiça Eleitoral. A lei tem que deixar claro que se é corrupção não é caixa 2, é corrupção, não é competência da Justiça Eleitoral. Crime de caixa 2 não se configura se há crime mais grave. Sem demérito à Justiça Eleitoral, ela não tem condições de apurar essas condutas.”

Moro destacou que há um desejo por melhoria na Justiça e na segurança pública e que o Brasil não pode mais naturalizar a situação dos elevados índices de criminalidade, da mesma forma como deixou de considerar natural a hiperinflação que havia no passado. Segundo ele, o caminho é aperfeiçoar as instituições. “Temos crença de que problemas permanentes são quase problemas naturais, que temos que conviver com elevados índices de criminalidade. Isto é falso. Temos que melhorar nossas instituições e melhorar as respostas para esse tipo de problema.”

O futuro ministro comparou o momento atual ao que o país já viveu. “[Quando havia] a hiperinflação, a gente dizia que o Brasil era assim mesmo, que tínhamos de aprender a conviver com ela, que não se podia fazer nada”, disse Moro, definindo a essência do projeto que apresentará ao Congresso em 2019. “É um Plano Real contra a alta criminalidade no Brasil.”

(Agência Brasil)

13º salário – Prefeitura paga última parcela no dia 20 de dezembro

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), confirmou, nesta sexta-feira, que vai pagar a segunda parcela do 13º salário dos servidores públicos municipais no dia 20 de dezembro. O desembolso equivale a 60% do benefício e representa um total de R$ 180.755 milhões.

A primeira parcela, equivalente a 40%, foi paga no dia 18 de junho, num total de R$ 85,6 milhões. Com a parcela restante, a soma sobe para R$ 266,3 milhões.

Somadas as folhas de novembro, paga em 1º de dezembro, e de dezembro, a ser paga em 1º de janeiro de 2019, ambas estimadas em cerca de R$ 283 milhões, a Prefeitura estará injetando no mercado aproximadamente R$ 745 milhões em 30 dias.

A parcela restante do 13º salário beneficiará 49.749 mil servidores, entre ativos e inativos, e 3.216 pensionistas.

DETALHE – Nessa quarta-feira, o governador Camilo Santana anunciou que o pagamento do restante do 13º salário do pessoa do  Estado ocorrerá no dia 21 de dezembro, a data-limite permitida pela lei.

(Foto – Divulgação)

Expolog 2018 – Comentarista de economia da GloboNews entre os conferencistas

Fortaleza vai ser sede, nos dias 28 e 29 deste mês de novembro, no Centro de Eventos, da Feira Nacional de Logística (Explog). Trata-se do maior encontro do gênero no País que, nesta edição, terá como tema central “Intermodalidade e a Conexão Global no Brasil Pós-Paralisação”.

O tema diz respeito a um contexto de logística de cargas pós-greve enfrentada pelo transporte rodoviário após a paralisação dos caminhoneiros no fim do ano passado.

A Expolog deve atrair público de cerca de 4,5 mil participantes, com destaque para a presença de João Borges, jornalista e comentarista da GloboNews João Borges, que abrirá o evento, além do presidente da Transnordestina, Jorge Luiz de Mello, e do economista-chefe do BNB, Luiz Alberto Esteves.

(Foto – Divulgação)

Fortaleza será sede do XIV Fórum Multissetorial de Responsabilidade Ambiental

Eis um evento importante e que ocorrerá no auditório da Federação das Indústrias do Ceará nos dias 29 e 30 deste mês de novembro: o XIV Fórum Multissetorial de Responsabilidade Ambiental.

É sempre fundamental o debate sobre a convivência e a questão hídrica principalmente num Estado hoje com suas reservas abaixo dos 12%.

SERVIÇO

Mais Informações- ihab.org.br/forum

Ministro do STF alerta sobre indulto de Natal e temor de perdão para corruptos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse hoje (23) que, se o plenário da Corte “derrubar” o entendimento que o levou a suspender o indulto natalino de 2017, “é evidente [que] virá um novo decreto do mesmo estilo, e aí boa parte das pessoas que foram condenadas nos últimos anos por corrupção estarão indultadas”.

As declarações do ministro ocorreram após um almoço organizado pela Associação de Ex-Alunos de Harvard Law School, em comemoração aos 200 anos do curso de direito da instituição. O evento foi nesta tarde no salão nobre da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Luiz Fux, outro ministro do STF, também esteve presente, mas saiu sem conceder entrevistas. Participaram ainda do evento o governador eleito do Rio, Wilson Witzel, e o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, que assumirá a pasta indicado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

O STF começou a julgar na quarta-feira a suspensão do indulto assinado pelo presidente Michel Temer no ano passado e deverá concluir, na próxima quarta-feira 928), o julgamento da constitucionalidade da medida. O julgamento definitivo foi interrompido após as sustentações da Procuradoria-Geral da República (PGR), da Defensoria Pública da União (DPU) e de entidades em prol do direito de defesa.
Contexto
Em dezembro do ano passado, durante o recesso de fim de ano, a então presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, atendeu a um pedido da PGR e suspendeu o indulto presidencial. Em seguida, o relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, restabeleceu parte do texto, mas retirando a possibilidade de benefícios para condenados por crimes de corrupção, como apenados na Operação Lava Jato.

Durante as manifestações na quarta-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu a suspensão do indulto. Segundo Raquel Dodge, o presidente da República tem a prerrogativa de fazer o decreto, no entanto, o ato não é absoluto e pode sofrer controle constitucional. Para a procuradora, o decreto não teve a finalidade de desencarcerar e foi “ampliativo e generoso” com detentos que cumpriram apenas 20% da pena.

O defensor público-geral federal, Gabriel Faria Oliveira, defendeu a validade do decreto. Para o defensor público, o texto se aplica a presos pobres, grande parte da massa carcerária, e não a condenados na Lava Jato. Segundo Faria, apenas 0,4 % do total de presos responde por crime de corrupção contra a administração pública.

“A Defensoria Pública defende a competência discricionária do presidente da República para edição do decreto de indulto. Se flexibilizarmos o decreto, no presente momento, a todos os decretos de indulto futuros, haverá contestação judicial”, afirmou.

Barroso considerou inconstitucionais as regras originais do decreto editado por Temer, que previa, por exemplo, a concessão do indulto mesmo a quem não pagou as multas previstas em suas penas, ou àqueles que tivessem cumprido somente 20% do tempo de prisão ao qual foram condenados. Ele também impôs o limite de oito anos de pena como o máximo a que o detento pode ter sido condenado para poder receber o indulto. O decreto original não trazia limite para a condenação.

Outro ponto estabelecido por Barroso foi a exclusão do indulto daqueles que cometeram os chamados crimes de colarinho branco.

Pacto de integridade

No evento no Rio de Janeiro, Barroso defendeu ainda que o Brasil estabeleça um pacto de integridade, de honestidade, em substituição a um pacto oligárquico que, segundo ele, é multipartidário e não tem ideologia. O ministro fez uma análise dos 30 anos da Constituição de 1988 e avaliou que a fotografia do momento brasileiro é relativamente sombria, mas que o filme da democracia no país revela realizações importantes. Ele citou a estabilidade institucional, a estabilidade monetária e a inclusão social de mais de 30 milhões de pessoas.

De outro lado, lembrou com ponto negativo a posição do Brasil como um dos países mais violentos do mundo. “Temos que revisitar nossa política de drogas”, disse.

Barroso também citou como desafios a serem enfrentados a baixa representatividade proporcionada pelo sistema político e a corrupção estrutural e sistêmica. “Embora tenhamos razões para nos envergonhar, acho que o Brasil tem motivos para se orgulhar pela maneira corajosa e determinada como está enfrentando a corrupção”, afirmou.

(Agência Brasil)

Empreender 2018 – Um encontro sobre negócios digitais

Vem aí o XII Seminário Empreender 2018.

Nos dias 7 e 8 de dezembro, no Centro de Negócios do Sebrae, tendo como tema central “EmpreenTECH: Negócios Digitais – Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo”.

Segundo a organização, o foco será a inclusão, capacitação e empreendedorismo digital, com realização de palestras que abordarão negócios digitais, incentivo ao desenvolvimento de startups e orientação para o financiamento da atividade.

Estão previstas 30 horas ininterruptas, com ações que ocorrerão, inclusive, na madrugada.

SERVIÇO

As inscrições são gratuitas e já podem ser efetuadas por meio da página seminarioempreender.com.br, onde também é possível conferir a programação completa.

Lula, Dilma, Guido Mantega e Palocci viram réus no “Quadrihão do PT”

Os ex-presidentes Dilma Roussef e Luís Inácio Lula da Silva, ambos do PT, e os ex-ministros Antônio Palocci e Guido Mantega (Fazenda), e João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, viraram réus em ação penal acatada, nesta sexta-feira, 23, pela 10ª Vara Federal do Distrito Federal. Eles são acusados de formar uma organização criminosa no caso que ficou conhecido como “Quadrilhão do PT”. A informação é do Portal G1.

A denúncia foi protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, em setembro do ano passado. A acusação aponta que o grupo teria recebido R$ 1,48 bilhão. Outros integrantes da cúpula do PT também foram denunciados à época, como os ex-ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, da Comunicação Social, Edinho Silva, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além da senadora Gleisi Hoffman.

Agora, acatada a denúncia pelo juiz Vallisney Oliveira, os reús terão 15 dias para apresentarem a defesa. Parte do processo foi parar na primeira instância após, em marços deste ano, o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato, ter dividido o processo, enviando parte dele para a Justiça Federal do DF, que deve julgar aqueles políticos sem foro privilegiado.

(Foto – Agência PT)

Fies terá 100 mil vagas em 2019

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) deverá ofertar, em 2019, 100 mil vagas financiadas pelo governo. O número de vagas está em resolução publicada hoje (23) no Diário Oficial da União. A oferta está condicionada à disponibilidade de R$ 500 milhões provenientes do orçamento do Ministério da Educação.

A decisão foi tomada pelo Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil e consta no Plano Trienal do Fies para o período de 2019 a 2021.

O Fies oferece financiamento com condições especiais no ensino superior privado para estudantes que atendam determinados critérios. Entre eles, está a exigência de ter tirado pelo menos 450 pontos e não podem ter zerado a redação no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em uma ou mais edições desde 2010.

Novo Fies

O novo Fies foi anunciado no ano passado. O programa passou a ter uma modalidade financiada diretamente pela União, voltada para estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, ou seja R$ 2.862, nos valores de 2018. Neste ano foram disponibilizadas também 100 mil vagas nessa modalidade.

As outras duas modalidades incluídas no P-Fies são financiadas com recursos de fundos constitucionais regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O risco de crédito é assumido pelos bancos. Foram disponibilizadas, em 2018, 210 mil vagas. A partir do próximo ano, o P-Fies não terá um número definido de vagas, a oferta será condicionada à demanda.

(Agência Brasil)

Desembargador reconsidera decisão e manda Ilário Marques reassumir a Prefeitura de Quixadá

812 3

O desembargador Lincoln Araújo, do Tribunal de Justiça do Ceará, reconsiderou sua decisão de afastamento e determinou a reintegração do prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), no cargo. A decisão foi proferida nesta tarde de sexta-feira, informa o advogado do prefeito, Gustavo Brasilino de Freitas.

“Em que pese a gravidade das acusações contra o agravante, enquanto prefeito municipal, não há evidências, até  o momento, de que sua manutenção no cargo prejudicaria as investigações que ainda estão em curso sob comando do Ministério Público Estadual”, expõe, em sua decisão, o desembargador, no que Ilário Marques reassume de imediato. O petista estava afastado das funções desde 16 de agosto último.

Na última quarta-feira, a Câmara Municipal de Quixadá rejeitou pedido de impeachment contra Ilário Marques (PT). O pedido deu entrada na Casa no último dia 14, por meio da advogada Flavia Regina Cabral de Oliveira, ligada ao grupo político do médico Ricardo Silveira, derrotado por Ilário no último pleito eleitoral de 2016.

A denúncia solicitava à Câmara Municipal a apuração de suposta infração político-administrativa, orçamentária e financeira e por improbidade administrativa, com pedido de impeachment a desfavor de Ilário Marques.

A votação se deu nominalmente. Cada vereador expressou o voto e fez sua justificativa, sendo que 09 (nove) votaram pelo arquivamento, 07 (sete) pelo acolhimento, e 01 (um) ausente (licença).

Ao analisar o conteúdo da denúncia, a maioria dos vereadores de Quixadá votou pelo arquivamento por entender que a peça era vazia e não trazia fatos consistentes que pudessem atribuir qualquer responsabilidade ao prefeito Ilário Marques.

Operação Fiel da Balança

O petista fora afastado pela Operação intitulada Fiel da Balança que, em agosto último, teve objetivo de combater crimes de falsidade e desvio de verba pública do serviço de coleta de resíduos sólidos de Quixadá. Ainda de acordo com o órgão, a infração consistia na adulteração dos documentos, que informavam quantidades superiores de entrada de lixo no aterro sanitário do município. A Justiça também rompeu sigilos bancário e fiscal dos alvos da operação.

Foram cumpridos na época mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura de Quixadá, nas casas de agentes públicos e privados nas comarcas de Fortaleza e Quixadá “bem como na sede da empresa RPC Locações e Construções Eireli – EPP, representada pelo empresário Paulo César Mendonça de Holanda”, diz informe do MPCE.

Ilário se manifestou nessa ocasião por nota publicada em seu Facebook. No comunicado, disse que a ação do MPCE baseava-se em “narrativa maldosa e irresponsável do empresário Ernani Teles Castro Junior”, proprietário do primeiro aterro sanitário particular do Estado.

(Foto – TV O POVO)

Ministro do STJ nega recurso de Lula por absolvição na Operação Lava Jato

O ministro Felix Fischer, relator da Operação Lva Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou, nesta sexta-feira, 23, o recurso especial em que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedia que sua condenação em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá fosse revista e ele, absolvido. Lula está preso desde 7 de abril para cumprir a pena de 12 anos e 1 mês de prisão a que foi condenado no processo pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). A informação é da Veja Online.

Os advogados do ex-presidente ainda podem recorrer da decisão de Fischer, que deve ser publicada até a próxima segunda-feira, 26, para que a Quinta Turma do STJ julgue o caso. O colegiado, conhecido por manter as decisões vindas das instâncias inferiores, é composto pelo relator da Lava Jato no tribunal superior e outros quatro ministros: Jorge Mussi, Reynaldo Soares da Fonseca, Ribeiro Dantas e Joel Ilan Paciornik.

Além do recurso de Lula, Felix Fischer também negou os pedidos de José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e de Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-diretor da empreiteira, ambos também condenados pelo TRF4 no processo envolvendo o imóvel no litoral paulista.

O ministro sequer analisou o recurso do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, que foi absolvido em primeira e segunda instâncias. Okamotto queria que na sentença constasse que ele foi absolvido por não existir provas e não por “falta de provas”.

(Foto – Reprodução de Youtube)

Morre Pierre Gervaiseau, o pesquisador que lutou pela APA da Chapada do Araripe

533 2

Será celebrada às 18 horas desta sexta-feira, a missa de corpo presente do pesquisador e criador da Fundação Araripe, Pierre Maurice Gervaiseau. Ele morreu por volta das 4 horas, na cidade do Crato (Regão do Cariri). O ato terá à frente o Monsenhor Ágio Augusto Moreira, e ocorrerá na Capela de São José Operário, no Lameiro. O corpo está sendo velado na sede do Geopark Araripe, no Crato.

A Universidade Regional do Cariri (Urca), através de portaria, decretou luto oficial de três dias, a partir da data de hoje, pela morte do pesquisador e a sua relevante contribuição na conquista da Área de Proteção Ambiental (APA) da Chapada do Araripe, com abrangência nos estados do Ceará, Pernambuco e Piauí, e a criação da Fundação Araripe, com sede em Crato, além do trabalho que tem como principal objetivo a promoção do desenvolvimento sustentável da Bacia Hidrográfica do Araripe.

Pierre Gervaiseau foi um defensor dos Direitos Humanos e deixa um legado importante para as atuais e futuras gerações no Cariri e do semiárido brasileiro, pelo importante trabalho em prol do desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida dos moradores dessas áreas.

Em setembro de 2016, aos 94 anos, ele foi agraciado, através do reconhecimento da Comunidade Acadêmica da Urca, com o título de Doutor Honoris Causa.

O reitor da URCA, José Patrício Pereira Melo, por meio da portaria, destaca a relevante importância do pesquisador, que foi marido da ex-reitora da Urca e ex-secretária da Cultura do Ceará, Violeta Arraes, já falecida.

(Foto – Urca)

BNB conquista nível máximo em indicador de governança do Ministério do Planejamento

Ministro Esteves Colnago e Romildo Rolim.

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, recebeu, nesta sexta-feira, 23, certificação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão que avalia a instituição com o enquadramento Nível 1 de Governança. O índice é o patamar máximo da metodologia Indicador de Governança – IG-Sest, desenvolvido pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais. A informação é da assessoria de imprensa do BNB.

A cerimônia que reconhece as empresas públicas com as melhores práticas e compromisso de busca contínua pela transparência foi realizada em Brasília e contou com a presença do ministro Esteves Colnago.

O IG-Sest possui regulamento próprio composto por três dimensões: Gestão, Controle e Auditoria; Transparência das Informações; e Conselhos, Comitês e Diretorias. A metodologia avalia o cumprimento dos requisitos que buscam implementar as melhores práticas de mercado e maior nível de excelência em governança corporativa nas empresas estatais.

O objetivo do indicador é avaliar o cumprimento dos requisitos exigidos pela Lei nº 13.303, de 30 de junho de 2016, regulamentada pelo Decreto nº 8.945, de 27 de dezembro de 2016, e diretrizes estabelecidas nas Resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União – CGPAR (criada pelo Decreto nº 6.021, de 22 de janeiro de 2007).

(Foto – André Oliveira)

Cidade 2000 – Reforma de praça que virou novela

De Mário Albuquerque, leitor do Blog, recebemos nota, em tom de queixa e alerta para a Prefeitura de Fortaleza. Confira:

Prezado Eliomar de Lima,

Eis uma foto parcial da reforma da praça central da Cidade 2000. Há uma insatisfação geral com o projeto, principalmente por parte dos comerciantes da área pela demora na conclusão da obra (alguns pequenos negócios fecharam), como pelo projeto em si que dificulta o acesso de potenciais consumidores (estacionamento diminuto).

Há evidentes erros de projeto no que concerne à distinção entre áreas de pedestres e de veículos, o que vem causando confusão e desentendimento geral (é muito comum carros invadirem área de pedestre).

Mas, sem sombra de dúvida, os principais prejudicados são os comerciantes que, além de terem suas taxas de alvará aumentadas exageradamente, ainda por cima vêem o acesso de consumidores dificultado.

Espera-se uma ação corretiva por parte da prefeitura.

Sem mais,

*Seu Leitor Mário Albuquerque.

VAMOS NÓS – Espera-se que haja correção no projeto e, também, fiscalização do trânsito no local

Fábio Lima, repórter fotográfico do O POVO, fatura mais um prêmio nacional

Fábio Lima, 47, repórter fotográfico do O POVO, faturou mais um prêmio nacional.

Ele conquistou o primeiro lugar no II Prêmio Policiais Federais, promoção da Federação Nacional dos Policiais Federais e Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal.

Ele ficou finalista com dois trabalhos, com um a ser premiado com dinheiro e troféu.

(Foto – Arquivo Pessoal)

Risco do País está em nível aceitável, diz Fux

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (23) que o país tem segurança jurídica para atrair investidores estrangeiros e mostrou coragem para enfrentar o problema da corrupção, com a Operação Lava Jato. A afirmação foi feita durante palestra no simpósio Segurança Jurídica: Risco Brasil, promovido pela Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro.

“Em matéria de risco país nós estamos hoje em um índice bem aceitável no mundo. Pode parecer paradoxal, mas a atuação honesta do Poder Judiciário na Operação Lava Jato, muito antes de denegrir a imagem do país, mostrou que o país tem coragem para ser passado a limpo, é um país que tem coragem de combater esse flagelo mundial, que é a corrupção, e tem coragem de mostrar como está combatendo a corrupção”, afirmou o ministro.

Fux destacou que a segurança jurídica visa transmitir previsibilidade ao cidadão, para ele saber o que pode, ou não pode, ser feito. Segundo o ministro, essa previsibilidade está garantida para atrair investidores. “O risco Brasil está ótimo, os investidores perderam o medo com relação ao Brasil. Então, novos tempos virão, bastante alvissareiros. E por outro lado, a segurança jurídica está garantida por várias regras.”

O ministro acrescentou ainda que os investidores podem confiar que Brasil e Israel têm uma relação muito “frutífera”, que tende a melhorar com o novo governo. “A relação agora tende a ser acrescentada por uma relação ideológica mais forte ainda, tendo em vista que o presidente [eleito, Jair Bolsonaro] ostensivamente declarou seu apoio a Israel.”

Em seguida, Fux, que é judeu, destacou a importância dos debates para as comemorações de 60 anos de criação da Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria do Rio.

(Agência Brasil)

Caixa divulga nova etapa do seu Programa de Demissão Voluntária

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta sexta-feira (23), por meio de nota, uma nova etapa do Programa de Desligamento de Empregado (PDE). Desde 2016, cerca de 12,5 mil empregados se desligaram da banco, sendo 8,6 mil por adesão aos programas de demissão voluntária. O alcance de R$ 11,5 bilhões de lucro acumulado do ano (9M18), divulgado no último dia (14), foi impactado de forma direta pela redução de 7,1% nas despesas de pessoal em relação ao mesmo período de 2017.

O objetivo do programa é dar continuidade aos ajustes de estrutura do banco diante do cenário competitivo e econômico atual, buscando mais eficiência. O índice de eficiência operacional da CAIXA no 3T2018 alcançou o patamar de 45,8%, melhor marca da instituição.

O limite de desligamento dessa edição do Programa de Desligamento está fixado em 1,6 mil empregados, conforme orçamento aprovado para o ano. Caso o banco atinja o número máximo de desligamentos, a expectativa é economizar mais de R$ 324 milhões ao ano.

PDE

O período de adesão será de segunda-feira, 26, a 30 de novembro. Podem aderir ao PDE os empregados: aposentados ou aptos a se aposentar até o último dia do ano; empregados com mais de 15 anos de trabalho na Caixa; ou ainda aqueles que possuem adicional de incorporação de função de confiança.

Praça das Flores, de Fortaleza, em clima de Eco Arte

Neste sábado (24) e domingo (25), o público poderá conferir ao XII Eco Arte, na Praça das Flores, no bairro Aldeota. O evento é promovido pelo Instituto Hidroambiental Águas do Brasil e vai promover de reuso de material reciclável como vidro, água, madeira e plástico.

A programação é para toda a família e gratuita. Além das oficinas de reciclagem, o público poderá curtir oficinas de dança de salão, intervenções artísticas visuais, artesanato, feiras ecológicas e muita brincadeira para as crianças. O Eco Arte acontece de 17h às 22h.

SERVIÇO

*Praça Dr. Carlos Alberto Studart Gomes – Praça das Flores.

*Horário – Das 17 às 22 horas

*Mais Informações e inscrições www.ihab.org/ecoarte

De Varjota para o Mundo

Com o título “De Varjota para o Mundo”, eis artigo de Magela Lima, professor universitário e ex-secretário da Cultura de Fortaleza. Ele comemora  a conquista do Prêmio Jabuti, de Literatura, pelo poeta cearense Maílson Furtado. Confira:

Se tiver coisa mais linda do que Mailson Furtado (com a camisa do Leão) desfilando com a família em carro aberto, no pingo do meio-dia, para comemorar seus dois prêmios Jabuti, eu preciso urgentemente saber. Duvido muito que tenha cena mais delicada e intensa que aquela. Uma cidade inteira abraçando, entusiasmada, o feito inédito de seu poeta é de fazer chorar qualquer um. A festança toda deu-se porque seu à cidade foi eleito não só o melhor livro de poesia, mas também o livro do ano de 2018 pela Câmara Brasileira do Livro.

Em 60 anos de história do Jabuti, principal premiação literária do País, esta foi a primeira vez em que um autor independente, aquele que publica sem o apoio direto de uma editora, teve tal êxito. Mailson Furtado é um gigante e merece todo e mais carinho, todo e mais aplauso. Com apenas 27 anos, filho de agricultores, egresso da escola pública, ele já conta com cinco livros: além de à cidade (2017), Sortimento (2012), Conto a Conto (2013) e Versos Pingados (2014), se prepara para lançar Passeio pelas ruas de mim (e de outros). Todos eles, produções independentes.

Não bastasse isso, é ainda ator e diretor da companhia teatral Criando Arte, em atividade desde 2006 lá mesmo em Varjota, editor do jornal Pescaria, pai do pequeno Fernando, de dois anos, amor da vida da atriz Yane Cordeiro e cirurgião dentista, seu ofício de formação. Mailson Furtado é, sobretudo, o retrato de uma vida criativa que pulsa intensamente e tão poucas vezes com merecido reconhecimento Ceará e Brasil adentro. Mailson Furtado é a prova de que o lugar da cultura é qualquer lugar. Mailson Furtado é a certeza de que a invenção não tem limites.

O Jabuti – os Jabuti, aliás – e tudo mais que se desenrolar a partir deles, não só reorganizam a escrita de vida de Mailson Furtado e sua lindeza de família, como também reorganizam a narrativa de sua Varjota, cidade jovem, com pouco mais de 30 anos. Definitivamente, Mailson e as outras 18.367 pessoas que ali vivem nunca mais serão os mesmos. Sem sair de casa, eles ganharam o mundo e esse é um caminho sem volta. Que alegria a nossa, cearense, saber que Mailson Furtado, sua cidade e seu à cidade existem e são tão poderosos!

*Magela Lima

lima.magela@gmail.com

Jornalista e professor universitário.