Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ministério Público apresenta denúncia por desvios do fundo eleitoral

O Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais denunciou 11 pessoas por crimes envolvendo candidaturas-laranja do PSL no estado em 2018. Entre os denunciados, está o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Segundo a denúncia, foram cometidos os crimes de falsidade ideológica, de apropriação indébita eleitoral e de associação criminosa.

A suspeita é de que, nas eleições de 2018, o diretório do PSL em Minas Gerais inscreveu para disputar o pleito mulheres cujas candidaturas seriam uma forma de a legenda receber verbas públicas por meio do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o fundo partidário. Parte deste dinheiro teria sido então desviado para empresas de pessoas ligadas ao diretório estadual do PSL

Segundo a denúncia, cerca de R$ 260 mil foram recebidos pelas candidatas, dos quais mais de R$190 mil foram repassados a outras candidaturas. À época dos crimes apontados, Marcelo Álvaro Antônio era o presidente estadual do PSL. Na denúncia, o ministro é citado por seu nome de batismo, Marcelo Henrique Teixeira Dias.

Por meio de nota, o ministro reafirma confiança na Justiça e reforça a convicção de que “a verdade prevalecerá e sua inocência será comprovada”. No texto, o ministro reitera que não cometeu qualquer irregularidade na campanha eleitoral de 2018 e que seguirá à frente do Ministério do Turismo.

Segundo a apuração do MPE-MG, o PSL inscreveu candidatas sem a intenção de que elas fossem, de fato, eleitas. Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabelece que os partidos políticos destinem no mínimo 30% do total de recursos do Fundo Partidário para o financiamento de campanhas de suas candidatas em campanhas eleitorais.

De acordo com o promotor de Justiça Eleitoral, Fernando Abreu, candidatas mulheres foram cooptadas e receberam propostas para que se candidatassem e, durante a campanha, pagassem despesas eleitorais de outros candidatos, como uma forma de burlar o repasse de recursos do fundo eleitoral e beneficiar outras candidaturas.

“Naturalmente, como presidente do partido [Marcelo Álvaro Antônio], havia direcionamento de recursos partidários, o controle do dinheiro passava por toda a diretoria. Como presidente, naturalmente, existia uma certa influência. Agora, o apontamento, o direcionamento, não consta nos autos no sentido de se dizer que teria sido ele o responsável para direcionar [os recursos]”, explicou o promotor.

Abreu explicou que a apuração identificou maior direcionamento de recursos para a campanha de dois deputados, que foram eleitos no último pleito: Marcelo Álvaro Antônio (eleito a deputado federal) e Professor Irineu (deputado estadual). Segundo ele, donos de gráficas forneciam notas subfaturadas ou em nome de terceiros para omitir as informações dos reais beneficiários.

(Agência Brasil)

Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa segunda-feira

Em parceria com os governos estaduais, distrital e municipais, o Ministério da Saúde inicia, na segunda-feira (7), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Na primeira fase, que vai até o dia 25 de outubro, o público-alvo serão as crianças com idade entre 6 meses e 4 anos e 29 dias.

A segunda etapa, de 18 a 30 de novembro, terá foco na população com idade entre 20 e 29 anos. Em entrevista coletiva, o ministro titular da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a prioridade para este grupo justifica-se porque, como provavelmente não receberam a segunda dose da vacina, seus filhos acabam apresentando um sistema imunológico mais vulnerável à doença. Além dos dois períodos, a campanha também destaca o dia 19 de outubro como o Dia D, para mobilização nacional.

Levantamento do governo federal mostra que, até o dia 28 de agosto, 5.404 casos de sarampo foram confirmados em todo o país. Além disso, houve o registro de seis óbitos, sendo quatro deles de pacientes menores de 1 ano.

A unidade federativa com maior incidência é São Paulo (15,11 a cada 100 mil habitantes), que concentra 97% dos casos e é seguida por Bahia (6,64) e Sergipe (5,86). Embora apresente índice de 0,21, o Pará preocupa, devido à sua cobertura vacinal, que é, atualmente, de 76%, disse Mandetta. O Amapá apresenta a segunda cobertura mais baixa, de 77%, perdendo para a Bahia, com 80%, e o Maranhão e o Piauí, ambos com 83%.

De acordo com informações da pasta, foram adquiridos, para este ano, 60,2 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o ano que vem, a encomenda foi de 65,4 milhões de doses.

Em 2020, o ministério dará continuidade à campanha. A imunização será dividida em três etapas e incluirá pessoas com idade de 50 a 59 anos. Ao todo, espera-se que a vacinação atinja 39 milhões de brasileiros, que equivalem a 20% da população.

“Nós sabemos que as crianças de 6 meses a 1 ano de idade são as que respondem clinicamente pior ao sarampo. Acabam desenvolvendo um quadro de pneumonia muito grave, e os óbitos acabam tendo uma prevalência maior nessa faixa etária. Então, o clássico é vacinar aos 12 meses e aos 15 meses. Quem fez isso com seus filhos abaixo de 5 anos fez o correto, a criança está coberta e não há necessidade de aplicar mais uma dose. Aqueles que só deram uma dose aos 12 meses e não deram a segunda devem ir agora para fazer a segunda dose, porque uma dose só não dá sistema imunológico competente para enfrentar um surto de sarampo”, afirmou o ministro.

“O que é a novidade à qual as pessoas devem estar atentas? De 6 meses a 1 ano, quando não era recomendada a primeira dose, estamos fazendo a chamada dose 0. Vacinar os bebês e depois, aos 12 meses, fazer a dose regulamentar, como se fosse a primeira, e a segunda. Essas crianças a gente vai blindar mais, porque elas são as principais vítimas fatais do sarampo”, acrescentou, ressaltando que o governo está cogitando voltar a aplicar a vacina oral contra sarampo, que ficou vulgarmente conhecida como a “vacina de gotinha”.

(Agência Brasil)

Fortaleza cansa no segundo tempo e São Paulo chega à vitória: 2 a 1

202 2

Após um primeiro tempo com a igualdade no placar e ações em campo, o Fortaleza iniciou a segunda etapa em cima do São Paulo, na tarde deste sábado (5), no estádio Pacaembu, na abertura da 23ª rodada do Brasileirão, mas acabou derrotado por 2 a 1.

Pablo, aos 13 minutos do primeiro tempo, abriu o placar para a equipe paulista. Wellington Paulista, aos 38 minutos, empatou para o Fortaleza, em cobrança de pênalti. Mas Igor Gomes, aos 34 minutos da segunda etapa, deu a vitória ao São Paulo.

Com o resultado, o Fortaleza se manteve na 14ª colocação na tabela de classificação, mas poderá perder duas posições ao final da rodada, para o Ceará e para o Fluminense.

O Fortaleza volta a campo na quarta-feira, no Castelão, diante da Chapecoense.

(Foto: Reprodução)

África terá maioria dos falantes do português até o fim do século

Com cerca de 210 milhões de habitantes e a maior população entre os países-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), o Brasil é hoje, de longe, a nação com o maior número de falantes do idioma. Mais de oito em cada 10 pessoas que falam português no mundo atualmente são brasileiros.

“No entanto, a partir de 2050, essa realidade começará a mudar e o crescimento demográfico de Angola e Moçambique, somado a uma redução da população no Brasil, puxará o pêndulo da língua portuguesa para o continente africano”. A afirmação é do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, para quem, até o final deste século, a maioria dos falantes do português estará na África.

O ministro português dos Negócios Estrangeiros disse que está otimista com a expansão do idioma lusitano. “A Unesco diz que é uma das três línguas do mundo que mais vai crescer e que mais está a crescer. Isso nos dá uma enorme responsabilidade,” afirmou.

Merece especial destaque na preservação e difusão da língua a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), integrada por Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Seis dos nove membros da CPLP são países africanos.

Segundo o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, “a partir dos três pilares da CPLP – a concertação político-diplomática, a cooperação em todos os domínios e a promoção e difusão da língua portuguesa –, surgem iniciativas concretas de cooperação e apoio em casos de crise e estreita coordenação dos nove países nos foros multilaterais”.

(Agência Brasil)

1 a 1 – Fortaleza segue empatando com o São Paulo no primeiro tempo

Após sair atrás do placar, com gol de Pablo, aos 13 minutos, o Fortaleza reagiu diante do São Paulo, na tarde deste sábado (5), no Pacaembu, e empatou com gol de Wellington Paulista, aos 28 minutos, em cobrança de pênalti. A partida se encontra no intervalo e abriu a 23ª rodada do Brasileirão.

O treinador do Fortaleza, Rogério Ceni, ex-goleiro do São Paulo, foi aplaudido pela torcida do tricolor paulista.

No último lance do primeiro tempo, o goleiro Marcelo Boeck fez grande defesa e evitou o segundo gol do São Paulo. A partida está sendo realizada no Pacaembu porque o Morumbi foi cedido para um show neste fim de semana. No outro jogo da abertura da rodada, Vasco e Santos seguem em 0 a 0.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro diz que não questionará vetos à lei de abuso de autoridade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (5) que não fará questionamentos ao Supremo Tribunal Federal em relação aos vetos na lei que tipifica os crimes de abuso de autoridade. Em setembro, o Congresso Nacional derrubou 18 vetos referentes à lei.

“Eu vetei em grande parte a lei de Abuso de Autoridade. O Parlamento derrubou vetos, essa lei entra em vigor a partir do ano que vem. Lei é lei. Tem gente questionando agora, via Ação Direta de Inconstitucionalidade, no Supremo Tribunal Federal. Eu não pretendo questionar, posso fazer, mas não pretendo fazer isso daí. Essa briga já não é mais minha”, disse Bolsonaro ao participar, por meio de uma live, do Simpósio Nacional Conservador de Ribeirão Preto.

“A regra do jogo é essa. O que o Supremo decidir, eu vou cumprir. O que o Congresso votar e chegar nas minhas mãos, eu tenho poder de vetar. Se o Parlamento derrubar o veto, é lei e não se discute mais”, acrescentou.

O presidente afirmou também que não vai mais interferir no projeto de lei que altera as regras eleitorais, sancionado no dia 27 de setembro. Entre os pontos vetados pelo presidente da República, está justamente a recriação da propaganda político-partidária no rádio e na televisão, que havia deixado de existir com a reforma eleitoral anterior (Lei 13.487, de 2017).

“Fiz os vetos e o mundo caiu na minha cabeça”, argumentou. “Falaram que eu estava fazendo o jogo de cartas marcadas, para que o parlamento derrubasse o veto para que as mudanças valessem para a eleição do ano que vem”, afirmou. “E o que aconteceu? Os vetos não foram apreciados. Se forem apreciados a partir da semana que vem, eles não valem para a eleição do ano que vem. Por que a lei eleitoral precisa entrar em vigor um ano antes da eleição. Isso só valerá para 2022”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que prepara mudanças na gestão dos órgãos ligados à área da Cultura, como Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Agência Nacional do Cinema (Ancine).

“Nós não podemos perder a guerra com a informação. Deixamos tudo isso muito à vontade no passado. Estamos preparando mudanças na questão da Cultura, da Funarte, da Ancine. Muita gente empregada lá, em cargos de comissão, desde o primeiro ano do governo Lula. Algumas pessoas têm mandato, a gente não vai perseguir ninguém, mas o Brasil mudou. Não pretendo [aceitar] mais certo tipo de obra por aí. Isso não é censura, é preservar os valores cristãos, tratar com respeito a nossa juventude”, disse.

(Agência Brasil)

Girão defende manutenção de vetos na lei sobre partidos políticos e eleições

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) defende que o Congresso mantenha os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de lei (PL 5.029/2019) que altera regras para partidos políticos e para as eleições. Ele considera “uma aberração” a possibilidade de o Legislativo retomar dispositivos que vão comprometer a transparência e a ética no processo eleitoral.

O projeto foi convertido na Lei 13.877, de 2019. Entre os dispositivos vetados está a alteração na composição do Fundo Eleitoral, usado para o financiamento de campanhas. De acordo com o texto, o valor do fundo deveria ser definido pelo projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) e formado pelo percentual de emendas de bancada com execução obrigatória. Atualmente, 30% do fundo é composto por recursos destas emendas. Outros trechos são a possibilidade de uso do Fundo Partidário para pagamento de multas e débitos aplicadas aos partidos por infração à legislação e a mudança das regras para a comprovação de gastos com passagens aéreas.

— Nós temos que manter esses vetos do presidente, pelo menos isso, já que ele não vetou alguns pontos absurdos, como aquele que permite que os partidos possam pagar com o dinheiro do contribuinte a advogado de componentes do partido que são acusados de corrupção, que estão sendo investigados. Então, que, pelo menos, a gente possa manter os vetos que o presidente fez, porque vão querer derrubá-los — alertou.

(Agência Senado)

Rendimento do Fortaleza é acima da média dos últimos rebaixados em três anos

O Fortaleza está 0.1% acima da média das equipes que encerraram o Brasileirão na 16ª colocação – a primeira equipe fora da zona de rebaixamento – na tabela de classificação nos últimos três anos. O rendimento do Leão, nas 22 rodadas da atual temporada, é de 37.8%, após a vitória sobre o Botafogo, por 1 a 0, na segunda-feira (30), no Castelão. Nenhuma equipe foi rebaixada à Série B com tal rendimento.

Já o Ceará, com 34.8%, chegou ao seu pior rendimento na atual temporada. O desempenho do Vozão é 2.3% abaixo das equipes que encerraram o Brasileirão na 17ª colocação – a primeira equipe na zona de rebaixamento – na tabela de classificação nos últimos três anos.

Neste sábado (5), a partir das 17 horas, no Pacaembu, São Paulo e Fortaleza abrem a 23ª rodada do Brasileirão.

Desde que o Campeonato Brasileiro foi unificado, em 1973, o Fortaleza nunca derrotou o São Paulo fora de casa. A última vez que o Leão venceu em São Paulo foi em julho de 2005, no então Palestra Itália, na vitória de 2 a 1 sobre o Palmeiras.

Neste ano, o cardeal alemão Joseph Ratzinger havia sido recentemente eleito papa Bento XVI, a missionária Dorothy Stang era assassinada na Amazônia, Michael Jackson era inocentado de todas as 10 acusações de abuso sexual, pela primeira vez o Brasil ouviu o termo mensalão e Lula amargava a maior reprovação do mandato.

(Foto: Arquivo)

Soldado – Assaltante deixa cair identidade na fuga e surpreende a Polícia

Um assaltante foi preso neste sábado (5), no bairro Bulandeira, em Barbalha, no Cariri, a 504 quilômetros de Fortaleza, após deixar cair a identidade durante a fuga. Para surpresa da Polícia, o suspeito é soldado da corporação.

Ao ser reconhecido pela vítima, o militar foi conduzido à delegacia. Diante da notícia pela cidade, outras vítimas reconheceram o policial em outras práticas de assalto.

Ao ser autuado em flagrante, o soldado disse ser usuário de drogas. A Polícia não informou se o militar usava a arma da corporação nos assaltos.

(Foto: Arquivo)

Pagamentos instantâneos podem aumentar receita de bancos em US$ 500 bi

As formas de realizar pagamentos em todo o mundo estão se tornando cada vez mais instantâneas, invisíveis (feitas por meio digital) e gratuitas. Nesse cenário, os bancos que investirem em inovação tecnológica podem aumentar as receitas com pagamentos em US$ 500 bilhões até 2025. Essa é a conclusão de um relatório da empresa Accenture, feito com base em pesquisa a 240 executivos de pagamentos de bancos de 22 países, entre eles o Brasil.

Por outro lado, bancos que não adotarem modelos de negócios inovadores, segundo o documento, devem perder receitas. A estimativa de perda é de até 15% da receita global de pagamentos dos bancos, o equivalente a US$ 280 bilhões, devido ao crescimento de pagamentos digitais e pela concorrência com instituições não bancárias, as chamadas fintechs – empresas de tecnologia no setor financeiro.

A pesquisa indica que, atualmente, 46 países possuem uma solução de pagamento instantâneo e mais 12 planejam implementar uma em breve. No Brasil, segundo afirmou o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, no final do último mês, o projeto de pagamentos instantâneos será concluído em 2020, antes mesmo do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), que só tem previsão lançar o modelo em 2024.

Por meio do pagamento instantâneo, a ideia é que pessoas e empresas possam transferir dinheiro em tempo real, sem restrição de horário. As transações com dinheiro em espécie ou por meio de transferências bancárias – Transferência Eletrônica Disponível (TED) e Documento de Ordem de Crédito (DOC) e débitos – serão substituídas por pagamentos instantâneos.

Receita global

O estudo da Accenture constatou que a receita global de pagamentos provavelmente crescerá a uma taxa anual de 5,5%, passando de US$ 1,5 trilhão em 2019 para mais de US$ 2 trilhões até 2025. Mas esse crescimento ficará restrito a bancos que transformarem seus modelos de negócios para adotar as mais recentes tecnologias e se concentrarem em fornecer mais valor agregado em serviços para seus clientes.

O relatório é baseado em um modelo de análise de risco de receita, para medir tendências de métodos de pagamentos entre consumidores e projeta mudanças no comportamento, na tecnologia e na regulamentação dos agentes de mercado.

Segundo o documento, nos próximos seis anos, os bancos vão enfrentar pressão adicional sobre as receitas de transações e taxas de cartões, com os métodos livres de impostos colocando em risco 8% da receita de pagamentos. Além disso, a concorrência de instituições não bancárias em pagamentos invisíveis – por meio dos quais os pagamentos são concluídos em uma carteira virtual em um aplicativo ou dispositivo móvel – colocará em risco 3,9% das receitas bancárias.

A substituição do cartão por pagamentos instantâneos, em que os fundos são liquidados e transferidos em tempo real e os bancos oferecem pouco ou nenhum juro, é projetada para colocar um risco adicional de 2,7% nas receitas de pagamentos.

O cenário se baseia nos atuais declínios em receitas de transações e taxas de cartões, em que a regulamentação vem desencadeando a compressão de taxas e a tecnologia, substituindo o papel dos bancos nos novos modelos de pagamentos. Entre 2015 e 2018, a receita das transações de cartão de crédito de clientes corporativos caiu 33%; a receita de transações com cartão de débito de pessoa física caiu quase 15%; e a receita oriunda de cartões de crédito caiu quase 12%.

A pesquisa mostra ainda que o setor está ciente dos desafios colocados pelas novas tecnologias em pagamentos. Mais de dois terços (71%) dos executivos entrevistados concordam que os pagamentos estão se tornando gratuitos; quase três quartos (73%) acreditam que a maioria dos pagamentos já é invisível ou o será nos próximos 12 meses; e ainda mais executivos (78%) disseram que os pagamentos já são ou se tornarão instantâneos nos próximos 12 meses.

O levantamento foi feito este ano com executivos dos seguintes países: Austrália, Brasil, Canadá, China (continente e Hong Kong), Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, Malásia, México, Noruega, Cingapura, Espanha, Suécia, Tailândia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos.

(Agência Brasil)

As fácil-fácil e o trabalho extraclasse

Em artigo sobre os recentes resultados do Enade, o jornalista Nicolau Araújo expõe a realidade de muitas faculdades particulares. Confira:

“Vamos ganhar um diploma de nível superior”? Ofereceu de panfleto na mão a simpática moça, nas proximidades do terminal da Messejana, ao sugerir a matrícula em uma faculdade instalada no bairro.

Dias antes, havia me intrometido na conversa de duas estudantes da mesma faculdade, quando uma delas temia não alcançar meio ponto na prova final em uma das disciplinas do semestre vigente. Apontei que a insignificância de meio ponto na prova final seria resultado de um semestre extraordinário, com notas excelentes.

“Sim!”, confirmou a estudante. Então, como alguém com notas excelentes temia não alcançar meio ponto em uma prova? Ah, os trabalhos extraclasse. Muitas vezes sequer feitos pelos próprios estudantes, mas decisivos na recuperação de avaliações pífias.

Incomodado ainda com a aluna que afirmou que faria uma promessa ao santo pelo meio ponto na prova, disse à moça do panfleto que mal sabia ler ou ser capaz de realizar as quatro operações da matemática.

“Mas, o senhor terminou o ensino médio?”, insistiu a moça. Confirmei a conclusão, mas aleguei que já havia alguns anos e, ainda assim, por meio de supletivo, da mesma forma que o ensino fundamental.

“Então está resolvido! O senhor pode cursar a faculdade”, determinou a moça do panfleto.

Mas, e o vestibular? Como iria me virar com a redação? E os cálculos dos problemas de matemática?

“A prova é só uma formalidade – me surpreendi com o emprego do termo -, a redação não é obrigatória – me surpreendi novamente, desta vez perplexo – e todas as questões são de marcar (objetivas). Não precisa de cálculos (na prova de matemática)”, revelou a moça, que confirmou ainda que os trabalhos extraclasse “salvam” qualquer “nota baixa”.

Infelizmente, há dois anos, já havia visto o absurdo em uma faculdade no bairro Jacarecanga, quando uma estudante confessou ter se matriculado sem a redação, pois seria semianalfabeta.

Outros milhares de casos explodem todos os anos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), quando o rendimento satisfatório das chamadas “fácil-fácil” não chega a 5%. Este semestre, 3,3%.

O resultado disse tudo impacta no péssimo profissional que é despejado no mercado de trabalho, diante de ganho salarial tão pífio quanto à competência.

Nesta semana, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reconheceu que universitários com baixo rendimento nas “fácil-fácil” não deveriam ter o diploma de nível superior. No entanto, a declaração contradiz o tratamento dispensado às universidades públicas, que a cada ano perdem verbas e o incentivo a pesquisas.

Nessa prova, Weintrau precisará do trabalho extraclasse…

Nicolau Araújo

Jornalista

Mega-Sena sorteia R$ 18 milhões neste sábado e Quina acumula

A Mega-Sena sorteia um prêmio de R$ 18 milhões neste sábado (5), segundo estimativa da Caixa Econômica Federal. As apostas podem ser feitas até as 19 horas, em qualquer agência lotérica, ao preço mínimo de R$ 3,50.

Já a Quina possui um prêmio de R$ 1,6 milhão, após nenhum apostador acertar os cinco números, sorteados na noite dessa sexta-feira (4), em São Paulo. A aposta mínima custa R$ 1,50.

Os números sorteados foram: 08 – 21 – 31 – 58 e 69. As 43 apostas com quatro acertos receberão a quantia de R$ 9,4 mil, cada.

Roberto Cláudio diz que PDT não irá se meter nas questões internas do PT

O prefeito Roberto Cláudio, que neste sábado (5) foi reconduzido à presidência do PDT de Fortaleza, disse durante a convenção do partido, na Assembleia Legislativa do Ceará, que o PDT não irá se meter nas questões internas do PT, que sinaliza para candidatura própria ao Palácio do Bispo.

“A gente não se mete em discussões que não sejam do nosso próprio partido”, comentou Roberto Cláudio.

Como presidente municipal do PDT, Roberto Cláudio informou que o plano é o fortalecimento do partido nos movimentos sociais em Fortaleza, além da preparação de uma forte bancada do partido na Câmara Municipal, maior, inclusive, dos atuais 11 vereadores pedetistas.

No final deste ano, o PDT deverá iniciar seminários mensais para debater os principais temas da cidade.

(Foto: Paulo MOska)

Lupi afirma que apoio ao PT no Ceará, em 2022, depende do comportamento do partido na sucessão de RC

Carlos Lupi até tentou desconversar, ao afirmar que a sucessão de Camilo Santana somente ocorrerá em 2022. Mas a movimentação do PT em Fortaleza incomodou mais e o presidente nacional do PDT antecipou a estratégia do partido às eleições ao Palácio do Bispo e ao Palácio da Abolição.

“2022, né? Então temos que esperar um pouquinho, primeiro temos que passar por 2020… Vamos ver se o PT apoia o Roberto Cláudio aqui! É, primeiro temos que saber isso”, avisou Lupi, neste sábado, no auditório Murilo Aguiar, na Assembleia Legislativa do Ceará, na Convenção Estadual e Municipal do PDT.

DETALHE – O ex-ministro Ciro Gomes e o deputado José Sarto, presidente da Assembleia Legislativa, que se encontra no Exterior, não compareceram ao evento

(Foto: Paulo MOska)

Eleições 2020 – Lupi diz que arrancada pedetista no país começa neste sábado em Fortaleza

261 3

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse na manhã deste sábado (5), no auditório Murilo Aguiar, na Assembleia Legislativa do Ceará, durante a convenção do partido no Estado, que a arrancada nacional pedetista para as eleições do próximo ano começa por Fortaleza. O deputado federal André Figueiredo será reconduzido à presidência do PDT no Ceará, enquanto o prefeito Roberto Cláudio ficará mais uma vez à frente do Diretório em Fortaleza.

“A arrancada começa por Fortaleza porque o partido aqui é maior, com o Estado tendo o maior numero de prefeitos, de vereadores, de deputados, a liderança maior de Ciro Gomes é daqui, de Cid Gomes, de André Figueiredo… a sua base no Ceará como sustentação para fazer Ciro Gomes presidente do Brasil em 2022”, avaliou Lupi.

(Foto: Paulo MOska)

Lei que torna transporte irregular infração gravíssima entra em vigor

A partir deste sábado (5), quando entra em vigor a Lei nº 13.855, o transporte “pirata” de passageiros, incluindo de estudantes, passa a ser considerado infração gravíssima ao Código de Trânsito Brasileiro.

Publicada no Diário Oficial da União de 8 de julho, a Lei nº 13.855 alterou o Código, tornando mais rigorosas as penalidades aplicadas aos motoristas flagrados transportando passageiros mediante remuneração, sem terem a autorização para fazê-lo.

Ao ser classificado como infração gravíssima, o transporte irregular de estudantes passa a ser punido com multa de R$ 293,47 multiplicado pelo fator 5, totalizando R$ 1.467,35, e mais a remoção do veículo a um depósito.

Já o transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não licenciado, passa de infração média a gravíssima, punida com multa e remoção do veículo. O motorista só não será punido em “casos de força maior ou com permissão da autoridade competente”.

Nos dois casos, os motoristas ainda perdem 7 pontos na carteira de habilitação, conforme estabelece o Artigo 259 do Código de Trânsito Brasileiro.

(Agência Brasil)

Ministro admite que muitos universitários não deveriam se formar

222 1

Para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o universitário que não consegue responder nem 10% das questões do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) não deveria se formar, não deveria ter o diploma de nível superior.

A indignação do ministro é respaldada nos maus resultados dos cursos das instituições particulares de ensino superior, quando somente 240 cursos conseguiram o conceito máximo, entre os 7.276 avaliados, uma taxa pífia de 3,3%.

Os dados divulgados ontem (4), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam ainda que, entre os cursos das universidades públicas, o percentual de conceito máximo sobe para 20.3%.

O ministro lamentou que só há restrição para quem não faz a prova, mas não para o aluno que apresenta um rendimento abaixo da expectativa do mercado ou que “boicota” as respostas do exame.

“A gente tem uma série de sugestões, tudo vai passar pelo Congresso”, idealizou Weintraub.

(Com agências / Foto: Arquivo)

Frente apresentará ao governo resultado de audiências sobre combate ao narcotráfico

A Frente Parlamentar Mista de Desenvolvimento Estratégico do Sistema Penitenciário, Combate ao Narcotráfico e Crime Organizado promoveu debate sobre combate ao narcotráfico nas fronteiras e o custo da violência para o País, nessa sexta-feira (4), em Manaus.

Presidida pelo deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), a frente deve elaborar relatório para o governo federal com as informações obtidas. O Amazonas foi escolhido pelo grupo para receber o primeiro de uma série de eventos que objetivam ampliar o debate em torno do combate ao tráfico de drogas e à criminalidade em todo o Brasil.

Capitão Alberto Neto lamentou o sucateamento das forças de segurança que atuam nas fronteiras e as consequências do narcotráfico. Ele citou como exemplo a Base Anzol da Polícia Federal, instalada no município de Tabatinga, na tríplice fronteira Brasil, Colômbia e Peru, que já chegou a ser desativada, mas voltou a operar sem as condições ideias para que os agentes de segurança o narcotráfico de forma efetiva.

“A Base Anzol está sucateada e parece que não é prioridade, mas nós precisamos fomentar e mostrar que é sim prioridade fechar essas torneiras”, destacou.

(Agência Câmara Notícias)