Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Deputado da tatuagem, Wladimir Costa agride eleitor

230 1

Wladimir Costa é do tipo que não leva desaforo para casa. Em um evento na cidade de Jacundá (PA) na noite desta quinta-feira (26), o deputado da tatuagem desferiu um tapa na cara de um eleitor presente, informa a Veja.

O engraçadinho nem viu de onde veio o golpe.

“Explica a tatuagem do Temer na sua bunda, por favor”, pediu o homem.

“Homem que é safado apanha na cara. Isso não é coisa de homem falar não”, disse Costa após o tapa. Em seguida, pediu calma aos presentes.

*Confira o vídeo aqui.

Eunício divulga nota rebatendo tese de que estaria se reaproximando das oposições no Ceará

737 1

Amigos para sempre.

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB) divulga, nesta sexta-feira, nota rebatendo informações dando conta de que ele poderia retomar o diálogo com as oposições no que diz respeito a acordos eleitorais 2018. Confira:

Nota  Pública

A assessoria de imprensa do senador Eunício Oliveira informa, sobre notas publicadas na imprensa, nessa quinta-feira, 26, o presidente do Congresso Nacional não procurou o senador Tasso Jereissati (PSDB) para tratar de eleições 2018 no Ceará ou em âmbito nacional.

O parlamentar confirma extenso respeito pelo senador Tasso, companheiro de chapa nas eleições de 2014. Porém, não tratou sobre quaisquer assuntos ligados à política eleitoral.

O senador Eunício Oliveira reafirma seu compromisso de trabalhar, de forma incansável, pelo desenvolvimento do Estado e melhoria da qualidade de vida dos cidadãos cearenses, independente da conjuntura política.

Assessoria de Imprensa do Senador Eunício Oliveira

VAMOS NÓS – Eunício quer mesmo garantir a parceria com o governador Camilo Santana (PT).

As eleições e o general do Tasso Jereissati

Da Coluna Política do O POVO desta sexta-feira, assinada pelo jornalista Éricok Firmo, confira o tópico “Falta à oposição mais que candidato”. Confira:

A oposição no Ceará testa o general Guilherme Theophilo como candidato. Por ora, é um balão de ensaio, a conferir se consegue ou não se firmar. Mesmo os otimistas acham que ele nem precisaria ir ao segundo turno para fazer boa figura. Um desempenho digno já seria de se comemorar. Porém, o problema é maior. A falta de rumo do grupo que se contrapõe a Camilo Santana (PT) não é apenas pela ausência de nome competitivo para a disputa. O problema começa pelo fato de não ser um bloco. Não existem forças estruturadas, organizadas, minimamente coesas que façam questionamento ao governo. Não há constância, presença de atuação na Assembleia Legislativa – e não é por não haver munição para tanto. Nem há plataforma política, bandeiras, discurso, coisa nenhuma.

O eventual governo que surgiria de uma possível coalizão oposicionista seria uma baita incógnita. Estão lá desde Tasso Jereissati (PSDB), de inclinações liberais e de redução do Estado, até o Capitão Wagner (Pros), cujos apoios e atuação estão pautados em corporações de servidores públicos. No meio disso, estão Lúcio Alcântara, de volta ao PSDB 12 anos depois de protagonizar, com Tasso, o mais ruidoso rompimento da política cearense neste século. Está Roberto Pessoa, que também já disse e ouviu muitas e más sobre e de Tasso.

O novo e revigorado PSDB emerge com o improvável retorno de Lúcio e a entrada de Roberto Pessoa, depois de ter visto o controle do PR ser tomado dele para ser entregue à deputada federal Gorete Pereira e ir assim parar na base governista.

Também na oposição,está Genecias Noronha (SD), dono do maior reduto de votos do Ceará na atualidade. Nenhum líder político tem tamanho controle sobre um colégio eleitoral quanto ele em Parambu. Uma forma, digamos, muito tradicional de fazer política. E há o MDB, doido para ficar na base de Camilo, mas com receio de ser colocado para fora da aliança governista. Não que a minguada oposição possa rejeitar o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Mas, é uma incógnita como ele seria recebido.

Para complicar, o próprio Tasso tem relação bastante cordial e faz elogios a Camilo. Não estivesse o governador filiado ao PT e comprometido com dois pré-candidatos a presidente – Ciro Gomes (PDT) e Luiz Inácio Lula da Silva ou quem quer que o PT indique – o caminho mais óbvio seria os tucanos estarem na base aliada. Genecias também faz afagos em relação ao Palácio. Não faz muito tempo, posou sorridente em foto com o governador. Em eleições passadas, chegou a declarar apoio a um lado e mudar para o outro conforme as negociações se afunilam. Ele controla muitos votos, entrega a mercadoria, mas pede alto em troca.

Esse é o panorama do grupo que,em tese, almeja chegar ao poder no Ceará. Oferecer alternativa ao ciclo que completará 12 anos no cargo. Não é propriamente um projeto. A chegada de um general de fora da política, que fez carreira longe do Estado, não é propriamente algo que deixe o cenário mais claro.

É uma pena que há tanto tempo o Ceará não tenha oposição forte, consistente e que não aparece apenas nas eleições. É sintoma da miséria da política estadual. Grupos oposicionistas fortes só se viabilizam quando vislumbram chances de chegar ao poder. Por isso, eles nascem dentro dos governos. Foi assim que Cid Gomes rompeu com Lúcio Alcântara meses antes da eleição para virar governador. E que Eunício tentou o mesmo em 2014, sem o mesmo sucesso.

É necessário paraa democracia haver oposição real. A situação de falta de contraponto que se tornou regra no Ceará é lastimável. Desse cenário se chega ao que acontece hoje no Ceará: improvisa-se um nome para tentar transformar em governador. Não é a forma mais séria e respeitosa de tratar a população e o Estado.

(Foto – Elisa Maia – ALAM)

PSDB escolhe candidato a governador como se buscasse um secretário da Segurança

Com o título “Quando o oportunismo vence a oportunidade”, eis artigo do jornalista Guálter George, editor de Política do O POVO. Para ele, o PSDB começa mau quando escolhe um candidato a governador como se buscasse um secretário da Segurança Pública. Confira:

Sabe-se pouco do pensamento do general Guilherme Theophilo, fator que inibe qualquer tentativa de imaginar o que seria um governo seu no enfrentamento de problemas em áreas como saúde e educação, para ficar em apenas duas entre as que se considera prioritárias. O que dá para falar sobre ele é que caminha para ser escolhido como candidato da oposição ao governo do Ceará, representando o PSDB — ao qual recentemente se filiou —, pelo vínculo direto e natural que tem com o campo da segurança pública. É, até o momento, o único fundamento que parece credenciá-lo à indicação para o posto.

Um mau começo, sem dúvida nenhuma. Sugerir um candidato ao Governo como se estivesse escolhendo um secretário de Segurança Pública, sem apresentar uma demonstração clara de que seja alguém realmente apto a entender as dificuldades políticas de comandar uma máquina administrativa com os desafios e as peculiaridades que temos no Ceará, coloca em dúvida a própria seriedade daquela história anunciada de formação de um grupo de alto nível para direcionar os passos oposicionistas, fazer caravanas pelo Interior, ouvir as pessoas, encomendar pesquisas, blá blá blá. Somente então, dizia-se lá atrás, haveria definição de quem iria representar na luta eleitoral a voz dos que consideram o Estado mal administrado, hoje nas mãos do petista Camilo Santana.

Por enquanto, à espera de mais detalhes sobre o que realmente pensa o militar aposentado, fica a sensação de que a única razão que leva ao seu nome como provável candidato é o oportunismo político. A população está com medo, assustada com o avanço da violência que grassa nas ruas e que realmente desafia Camilo e seu governo. Enfim, o ambiente mostra-se propício, na perspectiva objetiva de ganhar a eleição, a uma candidatura que apresente perspectiva de solução para este problema específico. Nada mais simbólico do que oferecer um general como opção, mesmo que isso transpareça mais interesse imediato de explorar a crise na segurança pública do que em vê-la resolvida.

Pode-se alegar que uma outra alternativa trabalhada é a do deputado Capitão Wagner, também um militar na origem. Neste caso, porém, já existe uma ideia de como ele pensa a gestão pública, há uma experiência anterior de candidatura majoritária — à Prefeitura de Fortaleza na campanha de 2016 —, enfim, seu pensamento mais largo sobre os problemas e a maneira como devem ser enfrentados de alguma forma encontram-se postos no debate político cearense. Um aspecto que até relativiza suas relações notórias com a temática da segurança, mesmo que elas continuem tendo o maior peso do seu discurso.

O general Theophilo, neste momento, é uma invenção como candidato.

Poderá, à medida em que se apresente, mostrar ser muito mais do que isso e se fazer convencer como opção de qualidade para comandar a gestão pública cearense. No entanto, a maneira como chega ao jogo da disputa pelo governo do Ceará resulta de um processo político que levou em consideração, até agora como único valor, o fato de ter o perfil ideal para explorar eleitoralmente o quadro de medo e de pavor que aflige a nossa população.

*Guálter George

gualter@opovo.com.br

Editor de Política.

Inadimplência das empresas têm alta de 8,92% em março

169 1

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores cresceu 8,92% em março de 2018, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O crescimento foi puxado, principalmente pela região Sudeste, cujo crescimento do número de empresas inadimplentes foi de 15,26% na comparação anual. Na demais regiões também houve crescimento, mas em patamares menores e em tendência de desaceleração: alta de 3,56% no Sul, 2,35% no Centro-Oeste, 2,33% no Nordeste e 1,23% no Norte. Os dados foram apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na passagem de fevereiro para março de 2018, sem ajuste sazonal, houve leve alta de 2,36% nos atrasos no país.

Os especialistas do SPC Brasil explicam que a alta expressiva da inadimplência na região Sudeste é um fenômeno localizado, que aconteceu devido a revogação de uma lei no Estado de São Paulo que exigia por parte dos credores o envio de uma carta com Aviso de Recebimento (AR) antes de efetivar o registro de atraso. “Com o fim da lei, que burocratizava e tornava mais caro o processo de registrar uma dívida no banco de dados, muitas das negativações que estavam represadas entraram na base de dados de forma mais abrupta, contribuindo para um aumento da inadimplência não apenas na região Sudeste, mas no Brasil como um todo”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Outro indicador também mensurado pelo SPC Brasil e pela CNDL é o de dívidas em atraso em nome de pessoas jurídicas. Neste caso, o crescimento foi de 7,47% na comparação anual e o destaque, mais uma vez, foi do Sudeste, que observou variação de 14,45% no período. Na comparação mensal, na passagem de fevereiro para março, a variação positiva foi de 2,40%.

Entre os segmentos devedores, a alta mais expressiva ficou com o ramo de serviços, que apresentou crescimento de 12,64%. Em seguida aparecem o comércio (6,12%), indústria (5,57%) e agricultura (3,82%).

Considerando os setores credores, ou seja, apenas as empresas que deixaram de receber por uma dívida, o ramo de serviços também lidera e apresentou alta de 9,29% no último mês de março. Em segundo lugar estão as indústrias (6,75%), acompanhadas das empresas do comércio (3,02%). O único ramo a apresentar recuo foi a agricultura, cuja queda foi de -3,88% no período. De modo geral, cada empresário inadimplente possui duas dividas registradas no banco de devedores e 70% de todas as pendências são com o setor de serviços, que contempla instituições financeiras.

Para a economista Marcela Kawauti, “a inadimplência cresceu de forma acelerada nos momentos mais agudos da crise, e agora está limitada pelo cenário de escassez crédito. Nos próximos meses, espera-se que a melhora da atividade econômica alivie a situação financeira das empresas, contribuindo para reduzir o fenômeno da inadimplência”.

(Com Serasa Brasil)

Eleições 2018 – Tucanas do Ceará participam de seminário no Recife

O Secretariado do PSDB/Mulher do Ceará participa, no Recife (PE), de um seminário de capacitação. A realização é do PSDB/Mulher Nacional em parceria com a Fundação Konrad Adenauer e o Instituto Teotônio Vilela. “O Papel da mulher na democracia: desafios e oportunidades nas eleições de 2018” é o tema do encontro.

Além de discutir o cenário político-econômico atual, o objetivo do seminário é preparar as pré-candidatas tucanas do Nordeste para o período eleitoral que se aproxima.

Na caravana cearense, a vereadora Sheila Diniz (presidente do PSDB/Mulher do Ceará), a vereadora Emília Pessoa e as militantes Kamyla Castro, Maria de Jesus e Natália Lima Girão.

(Foto – Divulgação)

Grupo Ventura inaugura filial Ford

Edson Filho, Edson, Francisco e Júlio Ventura Neto.

O Grupo Ventura inaugurou, nessa noite de quinta-feira, uma nova loja Ford em Fortaleza. É a quinta filial da montadora na Capital cearense.

A loja conta com 4 mil metros quadrados nos padrões mundiais da marca, com espaços para atendimento “expresso” ao cliente, oficina e showroom com 11 carros em exposição.

SERVIÇO

*Jangada Ford – Avenida Barão de Studart, 1540, Aldeota.

(Foto – Divulgação)

Camilo vai ao Bom Jardim e entrega casas. Mas sem fazer festa

280 1

O governador Camilo Santana (PT) esteve, nesta manhã de sexta-feira, no Bom Jardim. Ao lado de técnicos da Caixa Econômica Federal, entregou as chaves de 576 unidades dos residenciais Heloneida Studart e Ana Fácó.

A assessoria do presidente do Congresso Nacional havia divulgado que Eunício Oliveira (MDB) prestigiaria o ato, ao lado do presidente da Caixa, Nelson Antonio dos Santos, mas Camilo preferiu evitar o clima de festa.

Nesta semana, num confronto envolvendo a PM e grupos ligados a facções, uma criança acabou morrendo. Camilo se solidarizou e optou por um ato simples, segundo sua assessoria.

(Foto – Divulgação)

Taxa de desemprego sobe para 13,1%, diz IBGE

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 13,1% no primeiro trimestre do ano. No último trimestre de 2017, atingiu 11,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em março de 2017, o desemprego havia sido de 13,7%.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (27) pelo IBGE, no Rio de Janeiro.

 

(Agência Brasil)

MPCE divulga resultado da “Operação Tapa Buraco” na CPPL-3

Com o apoio da Polícia Militar do Estado do Ceará, através do Batalhão de Choque, e da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), através do Grupo de Apoio Penitenciário (GAP), o Núcleo de Segurança e Disciplina (Nused), da Coordenadoria de Inteligência (Coint), e de agentes penitenciários da unidade, realizou a Operação Tapa-Buraco na CCPL 3, em Itaitinga (RMF).

Com ordem judicial concedida pela Vara de Corregedorias de Presídios, a equipe realizou inspeção extraordinária, visando buscar e apreender celulares, drogas e outros materiais ilícitos, bem como localizar túneis que poderiam servir para fuga dos detentos ali presos.

Confira o que foi apreendido:

– 79 chips de celulares;

– 63 aparelhos de celular;

– carregadores de aparelho celular;

– substâncias análogas à cocaína, maconha e crack;

– armas artesanais, conhecidas como “cossocos”;

– diversos papéis com anotações.

Todo o material será remetido à Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Justiça e, posteriormente, à Perícia.

(Foto – Arquivo)

Marina Silva planeja giro pelo Nordeste, de olho no espólio de Lula

De olho no espólio lulista, a presidenciável Marina Silva (Rede) pretende intensificar suas viagens ao Nordeste. Sem o petista na corrida eleitoral, até 34% dos eleitores da região rejeitam escolher candidato. É o que informa a Coluna Painel, da Folha de S. Paulo desta sexta-feira.

Quem também planeja viajar pela região é o presidenciável tucano Geraldo Alckmin.

(Foto – Alan Marques/Folhapress)

MP do Ceará reage a críticas da Adepol

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) divulga nota, nesta sexta-feira, acerca das críticas da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado (Adepol) em torno da investigação que envolveu um dos seus membros, o delegado Romério Almeida. Confira:

NOTA PÚBLICA

O Ministério Público do Estado do Ceará e a Polícia Civil têm uma longa e profícua história de união e cooperação, que sempre foi pautada no respeito mútuo e nos interesses maiores da sociedade. Em todas as instâncias de governança, o Ministério Público tem defendido o fortalecimento da Polícia Civil e a valorização de seus agentes, que cumprem funções de extrema relevância para o Estado de Direito. Ambas instituições têm conduzido importantes investigações, na maioria das vezes em regime de força-tarefa, para combater todas as formas de criminalidade, atendendo ao anseio da cidadania por mais segurança e mais probidade.

As investigações realizadas pelo Ministério Público do Estado do Ceará têm obedecido os ditames constitucionais e legais, com absoluto respeito aos direitos e garantias fundamentais dos implicados, bem como aos direitos e interesses que pertencem à coletividade. Num Estado de Direito, todos estão sujeitos ao império da lei e quem quer que cometa atos ilícitos deve ser investigado e, conforme o caso, processado e julgado.

Cumprindo com o seu dever constitucional, o Ministério Público tem investigado e processado todos os autores de atos ilícitos independentemente das funções públicas ou ocupações privadas que exerçam, inclusive seus próprios agentes, numa demonstração de seriedade e isenção no trato dos assuntos públicos. A cooperação entre os Poderes e instituições que formam o Sistema de Segurança e Justiça é indispensável para a incolumidade pública e a paz social, e não será abalada pela apuração de desvios individuais e pontuais, haja vista que o respeito entre as instituições permanece inabalável.

*Plácido Barroso Rios

Procurador-Geral de Justiça do Estado do Ceará.

Defesa de Lula aposta em “decisão do STF” para anular condenação

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aposta na decisão recente da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) para reforçar os argumentos a fim de tentar anular nos tribunais superiores a condenação do petista no processo do tríplex do Guarujá, no litoral paulista. A informação é da Veja Online.

A decisão do STF que determinou a retirada de trechos das delações de executivos da Odebrecht nas ações penais referentes à compra de um terreno para o Instituto Lula e à reforma do sítio de Atibaia foi considerada “importante” para os defensores do petista, preso desde o dia 7 de abril para cumprir pena de 12 anos e 1 mês em regime fechado.

Os advogados do ex-presidente alegaram, nos recursos que apresentaram ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região para que os casos sejam analisados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo STF, que o juiz federal Sergio Moro não tinha competência legal para conduzir a ação do tríplex.

Nos três processos, a argumentação da defesa é semelhante: as supostas vantagens (a construção do instituto, a reforma do sítio e o tríplex) não têm ligação direta com desvios da Petrobras. Essa alegada ligação é que justifica a competência para Moro conduzir as ações.

“O fato indiscutível é que não há correlação entre os desvios praticados na Petrobras e o custeio da construção do edifício ou, ainda, das supostas reformas realizadas no tal tríplex — que, por sua vez, não tem relação jurídica com o recorrente [Lula]“, sustentam os advogados do ex-presidente nos recursos especial (ao STJ) e extraordinário (ao STF).

Nas ações do instituto e do sítio, o STF determinou apenas a extração das citações feitas por delatores da Odebrecht, deixando a condução deles nas mãos de Moro. A defesa do ex-presidente, porém, cobrou de Moro, na quarta-feira, a transferência dos dois processos para a Justiça Federal de São Paulo e, como consequência, a nulidade dos dois casos.

Nos recursos ao STJ e STF contra a condenação do tríplex, os advogados pedem que, por Lula ter sido julgado por um “juiz de exceção” (no caso Moro), todo o processo têm de ser anulado. “Foi uma competência construída de forma artificial e contra o que estabelece a Constituição e as leis do país. Não só o processo do tríplex, como as demais ações que tramitam em Curitiba padecem de manifesta nulidade”, afirmou o advogado Cristiano Zanin.

“Desde o início alegamos que o Moro não é o juiz natural, mas forçaram. Agora vão dizer o quê? Que vai atrapalhar a Lava Jato? O Supremo decidiu e vamos ver também o que fazemos nos processos lá embaixo”, afirmou outro integrante da equipe de defesa do ex-presidente, sob a condição do anonimato.

Na quarta-feira, a Procuradoria-Geral da República disse, por meio da assessoria de imprensa, que deve recorrer da decisão da 2ª Turma do STF, possivelmente apresentando embargos de declaração, a fim de verificar o alcance da decisão do colegiado. Os procuradores da Força Tarefa da Lava Jato em Curitiba atacaram a decisão do Supremo, chamando-a de “superficial”, e minimizaram as implicações dela para os casos em curso em Curitiba.

SSPDS diz que investe contra as facções criminosas

169 1

André Costa é o titular da SSPDS.

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

Em nota enviada a este colunista, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado esclarece que tem realizado, desde 2015, uma série de ações e investimentos em inteligência.

A nota elenca as seguintes medidas: Sistema Policial de Indicativo de Abordagem (Spia), uma tecnologia de rastreamento de veículos que resultou no crescimento das abordagens a veículos suspeitos e envolvidos em delitos, aumentando as prisões e a recuperação de bens; Investimento de R$ 20 milhões em 700 câmeras de videomonitoramento em 42 municípios, com mais de 50 mil habitantes, o que contribui para a geração de dados; Aumento no efetivo da Coin, da SSPDS, e reestruturação do Departamento de Inteligência da Polícia Civil e da Coordenadoria de Inteligência da PM, o que contribuiu para queda de 10% nos assaltos a bancos em 2017, comparado a 2016; Gestão de análise de dados por meio do Projeto SPI (Segurança Pública Integrada), em parceria com a UFC, o que vai possibilitar mapeamento de condutas delitivas, facilitando a gestão eficiente dos recursos de policiamento, investigação e inteligência.

Como resultado, diz a nota, “o Ceará é pioneiro e referência em integração de ações de inteligência e troca de dados com outras forças de segurança, visando à formulação de estratégicas de combate ao crime organizado. Não à toa, o Ceará foi escolhido para sediar o Centro Regional de Inteligência do Nordeste.” Bom lembrar: a nota é uma resposta às críticas do diretor da Faculdade de Direito da UFC, Cândido Albuquerque, que cobrou investimentos em Inteligência para combater as facções.

Coreias se comprometem a agir para conseguir a “paz permanente”

As duas Coreias se comprometeram, nesta sexta-feira (27), a cooperar para estabelecer uma “paz permanente” na península e abrir conversas com os Estados Unidos, com o objetivo de assinar um tratado de paz definitivo que
substitua as hostilidades entre Pyongyang e Seul.

“O Norte e o Sul vão cooperar ativamente para estabelecer um sistema de paz permanente e estável na Península Coreana”, diz a declaração conjunta assinada pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente sul-coreano,
Moon Jae-in, ao final da histórica cúpula realizada hoje na fronteira militarizada.

O líder norte-coreano Kim Jong-un cumprimenta o presidente sul-coreano Moon Jae-in na fronteira entre os dois países.

(Agência Brasil, EFE/Foto Reuters TV)

Controvérsia acadêmica – O Golpe de 2016

155 1

Com o título “Controvérsia acadêmica”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira:

A comunidade universitária do Ceará e os meios democráticos em geral foram surpreendidos por uma ação civil pública e pedido de liminar, impetrados por um membro do Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE), pedindo a “imediata anulação dos atos administrativos que instituíram a disciplina “Golpe de 2016 e o futuro da democracia brasileira”, na grade optativa do curso de História da Universidade Federal do Ceará (UFC). O argumento sustenta que a disciplina compromete o pluralismo de ideias por não incluir versão contrária.

Uma ação judicial dessa natureza é impensável na ordem jurídica da Constituição de 1988, um marco na história do constitucionalismo brasileiro em termos de prevenção do autoritarismo, fundada na precedência dos direitos e garantias fundamentais. O seu artigo 207 diz expressamente: “As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. É, portanto, de sua prerrogativa definir, de forma independente, os conteúdos pertinentes às suas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Merece crítica o fato de os organizadores do curso da UFC caracterizarem, de saída, como “golpe” o impeachment sofrido pela presidente Dilma Rousseff, pois este transcorreu dentro das normas democráticas. No entanto, tentar censurar a universidade por sustentar esse argumento em um curso é absolutamente incabível. Observe-se ainda que, no caso em tela, a matéria é optativa, isto é, não obrigatória. Inscreve-se nela quem tem interesse no assunto e, se discordar de suas premissas, terá oportunidade fazê-lo na aula, ajudando o debate, pois essa é a lógica do mundo acadêmico.

É de se lembrar que a iniciativa de apresentar uma disciplina (optativa) caracterizando claramente o impeachment de 2016 como “golpe” surgiu na Universidade de Brasília (UnB). E foi justamente a reação do ministro da Educação, Mendonça Filho, ameaçando processar o organizador do curso por “improbidade administrativa”, que provocou o movimento de solidariedade em outras universidades, levando o curso disseminar-se por todo o país. O ministro, por seu despropósito, responde a uma ação na Comissão de Ética da Presidência da República que apura se ele cometeu abuso de autoridade no exercício do poder, ao tentar coibir a autonomia universitária.

O que se vê por aqui é o Ministério Público do Ceará cometendo o mesmo equívoco, em confronto direto com o texto constitucional.

Louis Arthur Charles é o nome do terceiro filho de Kate e William

Louis Arthur Charles é o nome do terceiro filho da duquesa de Cambridge e do príncipe William, que nasceu na segunda-feira (23), em Londres. O anúncio foi feito pelo Palácio de Kensington, informam as agências internacionais.

O bebê, que é o quinto na linha de sucessão da coroa britânica, nasceu com 3,8 kg, às 11h01min, no Hospital St.Mary, em Paddington. Por volta das 18 horas, o casal apresentou o caçula para a imprensa e retornou para casa.