Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Domingos Filho conversa com a cúpula nacional do PSD sobre os porquês do apoio a Camilo

455 3

Domingo Filho, conselheiro à disposição do TCE, ao lado de sua mulher, a ex-prefeita de Tauá, Patricia Aguiar, foi recebido em Brasília pela direção nacional do PSD. Com ele, o filho, o deputado federal Domingos Neto.

No encontro, os porquês da adesão do PSD cearense, até ontem oposição, ao Governo de Camilo Santana (PT). Nada vazou do encontro até agora.

Cobrança automática de conta da TIM vira uma tortura

Vários clientes da TIM que chegaram a atrasar alguns dias o pagamento da conta, mas cumpriram a obrigação, estão se sentindo constrangidos pelo sistema automático de cobranças da operadora.

Um cliente, que atrasou, mas pagou a conta no último dia 14, informa que, diariamente e, de hora em hora, recebe o telefonema (021-96550-7739) no celular ou no fixo de sua casa cobrando essa conta.

Ele diz que já informou o caso à operadora, mas ouviu a resposta: “Senhor, a cobrança é automática…nada podemos fazer!”

Isso é uma tortura, gente!!

O Caso do vestido da noiva

Com o título “O Caso do vestido da noiva”, eis artigo de Emmanuel Furtado, desembargador federal do TRT do Ceará e professor universitário, que pode ser conferido no O POVO desta quinta-feira. Ele aborda um detalhe do casamento do príncipel Harry com Meghan Markle que pode ser simples, mas de uma profundidade incrível. Confira:

Drummond, em sensível poema sobre um vestido na parede, que é objeto de diálogo entre filhas e mãe, mistura passado, presente, paixões, perdão, tibieza humana e sentimento familiar. Não darei “spoiler”, pois os que já leram tal peça hão de concordar com os pontos que cito. Não escreverei sobre tal vestido. Mas sem possuir conhecimento de moda feminina, ficou evidente para a infinidade dos que assistiram ao casamento do Príncipe Harry de Gales com Meghan Markle, o fato de o vestido da noiva não ter um só detalhe, adereço, sendo um corte inteiro, costurado de alto a baixo.

Ora, não é todo dia que se casa com um príncipe, mas parece que a noiva Meghan quis que não seu vestido, mas ela, filha de uma negra, viesse a ser o centro das atenções, ao adentrar para uma das realezas mais tradicionais da contemporaneidade. Fiquei a pensar o que passava pela mente da Rainha Elizabeth, ao ver não só o ingresso de uma afrodescendente na família real, mas a concreta possibilidade de tal matrimônio gerar um rebento de cor negra. À custa de muita luta, as mudanças ocorrem! O discurso do bispo, também negro, foi corajoso, recordando o período da escravidão, da qual a Inglaterra foi uma das praticantes! O músico negro, de 19 anos, deixou perplexa a assistência! O coral, todos negros, arrepiou os mais insensíveis! No outro dia, as estilistas tiveram que repaginar suas propostas para os vestidos de noivas, à simplicidade do usado por Meghan!

E quanto ao preconceito em relação à etnia, haverá mudança? Aqui mesmo no Brasil, onde se ouvem propostas inclusive de aniquilar com os quilombolas? Estudos comprovam que o “homo sapiens” teria surgido na África há milênios, portanto lá estaria a origem de todos nós! Qual a plausibilidade do racismo? Quantas Marielle Franco precisarão ser brutalmente assassinadas para que um dia se constate que sem igualdade não há futuro? Que, a exemplo de Meghan, todos tenhamos a coragem de usar a indumentária da simplicidade!

Emmanuel Furtado

etfurtado@uol.com.br

Desembargador do TRT e professor da UFC.

Marcha dos Prefeitos – Jair Bolsonaro é vaiado durante sabatina

Pré-candidato do PSL à Presidência da República nas eleições de 2018, o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) foi vaiado duas vezes durante sabatina na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, organizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Ele foi o primeiro dos pré-candidatos a ser hostilizado pela plateia, por ter dado respostas consideradas curtas e não se aprofundado no tema em debate. O caso ocorreu nessa quarta-feira.

Após a primeira vaia, ele perguntou: “É para mim ou pelo tempo?”, em referência ao fato de não ter usado os quatro minutos disponíveis para resposta. “Já estou satisfeito. Vamos para a próxima”, disse ao encerrar sua fala antes da hora.

Bolsonaro respondeu a questões da pauta municipalista – como repasses de verbas para saúde, educação e saneamento básico – e também se firmaria o compromisso de receber os representantes dos municípios a cada três meses.

Na segunda onda de vaias, ele subiu o tom de voz: “Quem tiver ideias, por favor, me procure. Não vim aqui para dizer que sou melhor do que os outros. Não tem solução fácil. Não tem espaço aqui para gente que, na base do grito e do gogó, diz que vai resolver”, disse.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, ponderou que Bolsonaro poderia virar presidente e que todos os partidos estavam representados no plenário — em referência aos prefeitos. “Vamos respeitar e evitar a intolerância”, disse.

Ao iniciar sua participação no palco, o deputado avisou que estava “segurando os ataques” que recebe desde que assumiu a pré-candidatura. Ele considera que a campanha será marcada por um “vale-tudo”. “Meu pavio foi curto no passado, cresceu agora”, disse o capitão da reserva do Exército.

Aos prefeitos, Bolsonaro sugeriu a extinção do Ministério das Cidades — “alvo de cobiças e luta fratricida dentro do Parlamento”, segundo ele. Ele propõe que o governo federal repasse os recursos diretamente para as prefeituras, sem intermediação da pasta. “Quero ficar sábado e domingo na praia. Se não desburocratizar e mandar o dinheiro direto para os senhores, isso não será possível”, disse o parlamentar.

(Veja Online)

Confiança do Comércio recua 4,1 pontos em maio, diz FGV

O Índice de Confiança do Comércio, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 4,1 pontos de abril para maio, ao passar de 96,7 para 92,6 pontos. Com o resultado, o indicador retornou ao mesmo patamar de novembro de 2017. Em médias móveis trimestrais, o indicador recuou 1 ponto depois de oito altas seguidas.

De abril para maio, a confiança recuou em 11 dos 13 segmentos pesquisados. O Índice de Situação Atual, que mede a avaliação dos empresários do comércio sobre o momento presente, caiu 4,7 pontos e chegou a 89,4 pontos, menor nível desde janeiro passado (88 pontos).

Já o Índice de Expectativas, que mede a avaliação dos empresários em relação ao futuro, caiu 3,2 pontos, para 96,2 pontos, menor valor desde setembro de 2017 (95,6 pontos).

De acordo com a FGV, a queda do indicador sinaliza que o setor já percebe uma desaceleração no ritmo do crescimento das vendas. “ A queda da percepção atual sugere que a recuperação das vendas deve continuar de forma gradual e sujeita a tropeços ao longo do ano”, disse o pesquisador da FGV Rodolpho Tobler.

(Agência Brasil)

Trabalhadores da Indústria Naval do Ceará estão em greve

1568 2

Cerca de 600 trabalhadores da Indústria Naval do Ceará (Inace) estão em greve há três dias. Eles protestam contra os seguidos atrasos nos pagamentos dos salários em todos os meses desde janeiro, assim como da Participação nos Lucros (PL) da empresa, esta pendente desde março.

Representados pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Ceará (Sindmetal) e pela Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), os trabalhadores realizaram assembleia na manhã desta quinta, 24, em frente à sede da empresa, na Praia de Iracema.

O deputado estadual Moisés Braz (PT) esteve presente na mobilização e manifestou apoio à greve, ao lado dos presidente da Central, Wil Pereira, e do Sindmetal, Fernando Chaves.

Além do atraso nos salários e no PL, os trabalhadores também aprovaram a exigência de abono dos dias parados e o desligamento de funcionários da empresa que praticam assédio moral contra os empregados. Representantes dos operários, da CUT e do Sindmetal têm reunião com a Procuradoria Regional do Trabalho. Ainda nesta quinta-feira, é possível que haja um acordo.

(Foto – CUT/CE)

Como vai a política de apoio aos soropositivos do Ceará?

A Associação Caririense e Pastoral da Aids denunciam problemas com o Laboratório Central (Lacen) de Juazeiro do Norte. O equipamento ameaça não realizar Exame CD4 e Carga Viral por falta de profissionais.

Já o Fórum do Movimento Social de Luta contra a Aids denuncia a falta de medicamentos para infecções oportunistas no Hospital São José. Também denuncia a falta de assistente social para essa clientela.

Greve dos caminhoneiros pode provocar desabastecimento de carne no Ceará

O SindiCarnes do Ceará, que congrega frigoríficos e distribuidores de carnes do Estado, divulgou nota, nesta quinta-feira. Eis o conteúdo:

Em virtude da greve dos caminhoneiros no Brasil, o abastecimento de carnes no Estado do Ceará poderá ser afetado, caso esse movimento paredista continue até segunda-feira, no que comprometeria os estoques do produto.

Os frigoríficos distribuidores estão retendo a saída dos produtos por conta das barreiras da greve.

Atenciosamente,

*Francisco Everton*
Presidente – Comércio Varejista

*Paulo Henrique*
Presidente – Comércio Atacadista.

Temer faz reunião com ministro sobre greve dos caminhoneiros

Antes de viajar para Porto Real (RJ) e Belo Horizonte (MG), o presidente Michel Temer coordena hoje (24), a partir das 8h45, no Palácio do Planalto, reunião para discutir o impasse em torno dos preços dos combustíveis. A conversa ocorre no dia seguinte ao anúncio da Petrobras de redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 15 dias.

Temer convocou para a reunião os ministros Eduardo Guardia (Fazenda), Moreira Franco (Minas e Energia), Valter Casemiro (Transportes, Portos e Aviação), o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Com a decisão de ontem (23) da Petrobras, o governo espera conseguir negociar com o movimento dos caminhoneiros, que hoje atinge o quarto dia de greve, paralisando o abastecimento de vários setores no país. Os caminhoneiros se queixam do preço final do diesel.

(Agência Brasil)

Brasil ganha certificação de país livre da aftosa com vacinação

Depois de mais de 50 anos de trabalho na erradicação e prevenção da febre aftosa nos rebanhos, o Brasil recebe hoje (24) a certificação de país livre da doença com vacinação, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). As ações, compartilhadas entre os governos federal e estaduais e o setor privado, incluem a vacinação nos pastos, a vigilância nas fronteiras e a estruturação da rede laboratorial do país.

A maioria dos estados brasileiros já tinha o reconhecimento de zona livre da aftosa com vacinação. Agora, com o novo status sanitário, a comercialização de carnes e animais vivos será facilitada tanto dentro quanto fora do país. “Isso mostra que o país, com um dos maiores rebanhos do mundo, tem se preocupado com as questões sanitárias. Isso passa mais credibilidade e segurança a compradores”, disse o superintendente técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bruno Lucchi.

Segundo ele, a certificação de país livre de aftosa pode, inclusive, agregar valor a outros setores, como o da suinocultura. “Não temos o mesmo risco [de outros países onde o vírus da febre aftosa circula], isso agrega valor muito grande às exportações, os mercados pagam bem melhor. Temos o ganho direto e o indireto”, explicou.

A diretora-geral da OIE, Monique Eloit, entregará o certificado sanitário ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, na sede da organização em Paris, durante a 7ª Sessão Plenária da instituição. A Comissão Científica da OIE aprovou a certificação do Brasil em 2017, mas os 181 países integrantes da organização oficializam a decisão nesta quinta-feira.

No último domingo (20), Maggi discursou na abertura oficial da 86ª Sessão Geral da OIE. Ele disse que o reconhecimento do Brasil como país livre da aftosa com vacinação é “a vitória de uma longa e dura trajetória de muita dedicação de pecuaristas e do setor veterinário oficial”.

O Brasil iniciou o combate organizado à febre aftosa ainda na década de 60, por meio de campanhas de vacinação. “Naquela época, a doença se manifestava de forma endêmica, com milhares de focos por ano. Era um verdadeiro caos sanitário”, disse o ministro no discurso.

(Agência Brasil)

Servidores de posto de saúde paralisam e cobram segurança

Servidores do Posto de Saúde Flávio Marcílio (Mucuripe) paralisaram atividades na manhã desta quinta-feira (24) em ato contra a insegurança no local. O grupo foi mobilizado pelo Sindifort, que representa os servidores públicos junto ao Paço Municipal.

Após o início do movimento, o vereador Jonh Monteiro (PDT) compareceu ao local juntamente com o comandante da PM na área, capitão Messias Mendes, e prometeu aos servidores solução para o problema na unidade de saúde, assumindo inclusive o compromisso de levar o prefeito até o local. A paralisação foi suspensa, mas poderá voltar a ocorrer caso o problema persista.

Na última terça-feira, 22, funcionários do Posto de Saúde Messejana (Casa Verde) também paralisaram temporariamente as atividades cobrando o retorno de seguranças (guardas municipais), porteiros e controlistas.

A segurança para servidores durante o horário de trabalho é uma das pautas da Campanha Salarial dos servidores municipais neste ano. O Sindifort tem cobrado uma maior atenção do Executivo com esta questão

(Foto – Jaqueline Lima)

Combustíveis: tempo quente e café frio

Com o título “Combustíveis: tempo quente e café frio”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que aborda a crise dos caminhoneiros e altas do diesel. Confira:

Uma velha anedota política adverte que se pode perceber a proximidade do fim do mandato de um presidente quando o garçom do Palácio do Planalto começa a servir-lhe café frio. Isso pode acontecer pelo término natural do período que lhe toca cumprir — sem possibilidade de reeleição — ou quando a sua companhia torna-se tóxica, devido à impopularidade, fazendo o dito cujo perder o poder de mando. O presidente Michel Temer, que já reunia todas essas condições para receber a sua xícara gelada, agrega mais um motivo para abalar a sua credibilidade, ao nível de rodapé: a greve dos caminhoneiros.

Temer, que se diz adepto do parlamentarismo, tentou experimentá-lo em seu governo, quando tinha as duas Casas – a Câmara e o Senado – à sua disposição, seja para aprovar leis impopulares (como a reforma trabalhista) ou para livrá-lo de processos no Supremo Tribunal Federal (STF), como ocorreu por duas vezes. Agora, seus antigos escudeiros, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) estão na cabeça da lista dos que começam a abandonar o barco.

Maia afirma que a greve dos caminhoneiros acontece porque o governo “errou” em sua política de preços de combustíveis. Ele não diz, porém, quais seriam esses erros; também não se conhece nenhuma crítica de Maia ao reajuste automático, antes de a bomba dos preços estourar.

Eunício, um “golpista” acolhido pelo PT, volta-se agora contra Temer, seu antigo aliado na trama do impeachment de Dilma Rousseff. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, ele bate com dureza no presidente, confrontando-o por querer impor a candidatura de Meirelles ao partido.

O senador mostra-se ainda revoltado com a disparada do preço dos combustíveis. Quando perguntado sobre o assunto respondeu: “Entre os ‘Parentes’ (referência ao nome do presidente da Petrobras, Pedro Parente) e os consumidores, eu vou ficar com os consumidores”. Resta saber porque ele não ficou ao lado dos “consumidores” nas reformas trabalhista e da Previdência.

O fato é que, definitivamente, nem Eunício e nem Rodrigo Maia, estão a fim de tomar café frio na companhia de Temer.

*Plínio Bortolotti

plinio@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Eunício dá recado a Temer e promete cessar-fogo contra Meirelles

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, já deu o recado que gostaria para o Palácio do Planalto ao dizer que ninguém o tiraria do MDB. Foi a maneira encontrada para rebater Michel Temer que, no dia anterior, havia convidado os correligionários que resistem ao nome do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a procurarem outra legenda.

Após os tiros disparados e emedebistas alvejados, já houve o cessar-fogo na Presidência do Senado.

Embora não tenha qualquer simpatia por Meirelles e continue pregando que adoraria votar em Lula, Eunício não voltará a bombardear o candidato escolhido por seu partido. A menos que seja provocado, claro…

(Veja Online/Foto – Estadão)

Morte na Creche – Entre a Dor e a Cobrança

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

O caso do piso que cedeu numa creche no bairro Ancuri causando a morte de Hannah Evelyn de Andrade Laranjeira, de 4 anos, causa revolta. Para alguns, uma fatalidade, mas, convenhamos, um piso cedendo é algo notado por qualquer um e, se no local havia uma fossa, deveria ter sido providenciado o reparo. O fato ocorreu ontem de manhã no Centro de Educação Infantil Professora Laís de Sousa Vieira Nobre. Houve feridos, comoção e nota da Prefeitura de Fortaleza lamentando e se solidarizando com a família.

Esse mesmo fato expõe a falta de manutenção em alguns equipamentos da Prefeitura. Também a ausência de fiscalização rotineira, num cenário onde o Paço Municipal tenta despejar reforma por cima de reforma de creches, praças e outros equipamentos públicos.

O momento é de dor, mas de cobrar responsabilidades dos que administram a estrutura pública desta cidade. O prefeito RC deu coletiva tentando evitar desgastes da gestão, alvo de opositores. Cabe, no entanto, ao Ministério Público e a Polícia Civil separar cenários e buscar respostas para que essa fatalidade, possivelmente previsível, não fique impune. Nem se repita.

(Foto – Repórter Igor Cavalcante)

Caminhoneiros prosseguem protestos na BR-116 contra altas do óleo diesel

Caminhoneiros continuam protestando contra aumentos do preço dos combustíveis ,e, em especial, do óleo diesel. Na BR-116, em frente a sede da Fábrica Fortaleza, na cidade do Eusébio (Região Metropolitana de Fortaleza), o grupo ocupa uma das faixas da rodovia e só permite a passagem de ônibus, carros de passeio, vans e motocicletas.

A categoria deverá interditar também a Pont4e JK, no município de Aracati (Litoral Leste). A Polícia Rodoviária Federal acompanha o protesto, enquanto em Brasília o governo federal deve promover nova rodada de negociações buscando evitar colapso no abastecimento.

*Mais informações da situação no País aqui.

Feirão da Caixa de Fortaleza vai leiloar 184 mil imóveis

O leilão de 184 imóveis será a principal novidade da 14ª edição do Feirão Caixa da Casa Própria, em Fortaleza. As unidades são de propriedade do banco e estão localizados em todo o Ceará. Os lances mínimos variam de acordo com o valor do imóvel. O evento será dividido em três momentos de amanhã (10 horas, 15 horas e 15h30min), data de abertura do Feirão, que vai até domingo, 27, no Espaço Jangada, no shopping Iguatemi. Para poder efetuar os arremates é necessário levar os mesmos documentos exigidos na solicitação de crédito imobiliário no Feirão: RG, CPF, comprovantes de renda e endereço.

Além do leilão, serão oferecidos nos três dias de Feirão serviços como: análise cadastral e enquadramento nas linhas de crédito existentes; simulação de crédito habitacional; análise de produtos comerciais; seguro e consórcio. Serão disponibilizados 6.400 imóveis, sendo 3.100 novos e 3.30 usados. Os valores variam entre R$ 128 mil e R$ 1,5 milhão.

“A gente teve quase 16 mil pessoas acessando o espaço do Feirão e quase R$ 1 bilhão em negócios encaminhados ou fechados no ambiente do feirão em 2017. Como a gente tem as grandes novidades que são as reduções de taxa dentro do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) e também o aumento das cotas de financiamento e o retorno do Financiamento do Interveniente Quitante, a gente acredita que possa potencializar o resultado”, afirma George Gress, superintendente regional da Caixa.

Na ocasião, Gress falou também sobre os números do programa Minha Casa minha Vida no Ceará. Ainda não há uma projeção de quantas das 150 mil unidades que a Caixa estuda contratar para este ano virão para o Estado.

“A gente já teve encaminhadas aqui e assinadas cerca de 2.250 unidades no Ceará. O Ceará é sempre um grande demandador de faixa 1 do MCMV. Para você ter ideia, a gente tem mais de 45 mil unidades contratadas, grande parte já entregues”, diz.

Sobre o momento no segmento imobiliário, André Montenegro, presidente do Sindicato dos Construtores do Ceará (Sinduscon-CE), projeta, em razão da queda dos juros, recuo no estoque de imóveis.

“Fechamos 2017 com algo em torno de 11 mil imóveis e baixamos para 8 mil agora no fim de março. A projeção é que em agosto fique em torno de 5 mil. Com o cenário positivo, André projeta ainda alta no volume de negócio nesta edição do Feirão Caixa.

(O POVO – Repórter João Marcelo Sena)

Ivo Gomes embarca em nova viagem para os EUA

A vice- prefeita de Sobral, Christiane Coelho, assumiu a chefia do executivo municipal no final da tarde dessa quarta-feira, 25. Ficará no cargo até a próxima segunda-feira, 28.

Isso, porque o prefeito Ivo Gomes (PDT) embarca para os Estados Unidos Dessa vez, nada de curso Curso Internacional de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância 2018, onde é bolsista pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

“Interesses particulares”, informa sua assessoria de imprensa.

Senado aprova projeto de Tasso que torna gastos públicos mais eficientes

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nessa quarta-feira (23) o PLS 319/2017, de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que estabelece critérios de desempenho para orientar a remuneração de contratos firmados pela administração pública.

Pelo texto do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), na contratação das obras e serviços, inclusive de engenharia, poderá ser estabelecida remuneração variável vinculada ao desempenho da empresa contratada, com base em metas, padrões de qualidade, critérios de sustentabilidade ambiental e prazo de entrega definidos no contrato. Esse rol de exigências deverá constar do edital da licitação.

Tasso destaca que “a Lei de Licitações não considera a possibilidade de a remuneração do contratado ser atrelada ao alcance de metas, traduzidas em parâmetros de desempenho. Do nosso ponto de vista, essa restrição não condiz com as necessidades de determinados serviços de engenharia”.

O relator da matéria na CCJ, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), defendeu a aprovação da proposta e considera que poderá trazer melhores resultados e redução de custos ao erário. O pagamento da remuneração máxima prevista no contrato passará a depender da satisfação dos padrões mínimos de qualidade estabelecidos pela administração pública.

“Privilegia-se, dessa forma, as contratadas que bem desempenham suas obrigações contratuais, permitindo-se que a remuneração das demais seja estabelecida em um patamar inferior. Cuida-se, assim, de um modelo remuneratório extremamente justo, do qual toda a sociedade se beneficiará”, acredita Anastasia.

Por ser terminativo na Comissão, caso não haja recurso para votação pelo Plenário no prazo regimental, o projeto seguirá à Câmara dos Deputados.