Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Justiça mantém prisão domiciliar do médico Roger Abdelmassih

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou o recurso do Ministério Público e manteve a prisão domiciliar do ex-médico Roger Abdelmassih. Ele deixou a Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, em outubro do ano passado, ao ter um habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski.

Condenado a 181 anos de prisão por 48 estupros de 37 de suas pacientes, Abdelmassih recebeu pela primeira vez o benefício em julho de 2017. No entanto, após uma internação, em agosto, voltou à prisão por uma nova decisão judicial que cassou a liminar autorizando que ele cumprisse a pena em casa devido a falta de tornozeleiras eletrônicas no estado de São Paulo. A defesa argumenta que o ex-médico tem uma doença grave e não pode ser prejudicado pela falta do equipamento de monitoramento.

Na quinta-feira (22), 6ª Câmara de Direito Criminal de São Paulo decidiu pela manutenção de Abdelmassih no regime domiciliar.

O estado de São Paulo está sem sistema de tornozeleiras eletrônicas desde agosto do ano passado, quando foi rompido o contrato com a empresa que fornecia os equipamentos. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a rescisão ocorreu por uma série de falhas no sistema de monitoramento.

(Agência Brasil)

Capitão Wagner – Riscos e fragilidades de uma candidatura

583 1

Com o título “Riscos e Fragilidades de Wagner”, eis tópico da Coluna Política desta sexta-feira, assinada pelo jornalista Érico Firmo no O POVO. Confira:

A disposição de Wagner para ser candidato envolve aceitar riscos. Nos últimos 60 anos, dois governadores foram eleitos como opositores ao Poder Executivo de plantão. Um foi Parsifal Barroso, em 1958. O outro foi Cid Gomes, em 2006. É uma empreitada incerta e, se perder, o Capitão fica sem mandato.

Camilo construiu bases sólidas para a reeleição. Costurou aliança que dá tranquilidade da qual Cid Gomes nunca desfrutou. Teve méritos, como atravessar sem sobressaltos a crise econômica na qual muitos estados foram à bancarrota. E os resultados na educação e infraestrutura são expressivos. Na saúde, conseguiu erradicar o surto de sarampo. Mas, os problemas persistem. Na segurança, há o desastre.

No saldo final, Camilo é favorito para se reeleger. Caso decida arriscar o mandato — e desistir da perspectiva de eleger robusta bancada para o Pros, seu futuro partido — Wagner sabe que será para entrar como azarão.

Essa perspectiva havia sido afastada na virada do ano e retornou porque a situação de Camilo na segurança só piora. O Capitão nem via chance. Agora, enxerga alguma.

Entre idas e vindas, Wagner criou alguns problemas para si. Um de seus grandes trunfos é a militância mais barulhenta e articulada entre todos os grupos políticos do Ceará na atualidade. O Capitão é mais arejado e esclarecido que a quase totalidade dos apoiadores — por isso mesmo os lidera. Em nome de agradar essa base, ele se abraçou ao que há de mais retrógrado e repugnante na política brasileira.

Chegou a gravar vídeo com Jair Bolsonaro (PSC-RJ), a quem chamou de presidente. A aproximação entre eles foi motivo, aliás, do afastamento de Tasso Jereissati (PSDB). O Capitão pensava fazer um giro, mas pode ter feito um girau. Na mesma época, Bolsonaro começou a ser alvo de denúncias e questionamentos sobre aumento de patrimônio e uso indevido de verbas. Além do cálculo que Wagner talvez não tenha feito: o pior desempenho de Bolsonaro nas pesquisas é no Nordeste, onde passa longe do apelo de outras regiões.

Agora, Wagner já trata de tentar se distanciar. Mas, esse tipo de movimento deixa nódoas.

Confiança do Consumidor cai 1,4 ponto em fevereiro, diz FGV

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas caiu 1,4 ponto em fevereiro, ao passar de 88,8 pontos em janeiro para 87,4. Em relação a fevereiro de 2017, no entanto, o índice avançou 6,7 pontos.

Segundo a FGV, a confiança dos consumidores em fevereiro acomodou-se em nível próximo a novembro passado, influenciada por uma menor satisfação com relação à situação econômica e perspectivas menos otimistas para os próximos meses.

Em fevereiro, tanto as avaliações sobre a situação atual quanto as expectativas em relação aos próximos meses pioraram. O Índice de Situação Atual (ISA) caiu 1,4 ponto indo para 75,2 pontos, interrompendo a trajetória de seis altas consecutivas. O Índice de Expectativas (IE) teve queda pelo segundo mês consecutivo passando de 97,6 para 96,5 pontos.

(Agência Brasil)

Agência Fitch rebaixa nota do Brasil

A agência internacional de risco Fitch rebaixou nesta sexta-feira (23) a nota de crédito soberano do Brasil de “BB” para “BB-“. A informação é do Portal G1, adiantando que, com isso, o país ficou ainda mais longe do selo de bom pagador de sua dívida. O rating do Brasil foi colocado agora 3 degraus abaixo do grau de investimento. Já a perspectiva para a nota mudou de negativa para estável.

“O rebaixamento do Brasil reflete persistentes e grandes déficits fiscais, a alta crescente da dívida pública e a falta de legislação sobre reformas que melhorariam o desempenho estrutural das finanças públicas”, diz a Fitch no comunicado.

O corte já era esperado pelo mercado em função da demora na aprovação de medidas para reequilibrar as contas públicas e de incertezas ligadas às eleições. O rebaixamento acontece dias após o governo ter desistido de tentar aprova a reforma da Previdência em fevereiro, como inicialmente anunciado, em razão de decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro.

“A decisão do governo de não colocar a reforma da Previdência em votação no Congresso representa um importante revés na agenda de reformas e reduz a confiança na trajetória de médio prazo das finanças públicas e no compromisso político de abordar a questão”, afirmou a agência. Na terça-feira, a Fitch já tinha alertado que o fracasso em aprovar a reforma da Previdência pressionava para o rebaixamento do rating soberano do Brasil.

Governo assina acordo pró-requalificação do Distrito Industrial do Cariri

A Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Ceará assinou, nesta sexta-feira (23), durante a abertura do Fórum de Oportunidades e Promoção da Cultura Exportadora no Cariri, no Centro de Convenções do Crato , o Termo de Requalificação do Distrito Industrial do Cariri. Com isso, o D.I da região será requalificado e ganhará adequação para uso múltiplo, agrupando outras atividades de pequeno porte, de serviços, equipamentos públicos. O acordo vai servir ainda para a elaboração do Plano Diretor da área, com investimentos dos cofres estaduais no valor de R$ 1,33 milhão. Em um segundo momento, será realizado um estudo sobre as novas vocações empresariais para a área, adianta a assessoria de imprensa da SDE.

Segundo o secretário do Desenvolvimento Econômico do Estado, Cesar Ribeiro, a requalificação do Distrito Industrial do Cariri, autorizada com recursos do MAPP pelo governador Camilo Santana, vai incentivar “cada vez mais o desenvolvimento da indústria, comércio e serviços da região”. O D.O está localizado estrategicamente entre as cidades do Crato, Juazeiro e Barbalha.

O Fórum Realizado pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), e pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e sua Secretaria-Executiva do Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação (CZPE). O prefeito José Arnon, de Juazeiro do Norte, e o presidente da Cegás, Hugo Figueiredo. Mário Lima, presidente da ZPE, também esteve no encontro.

O Fórum de Oportunidades e Promoção da Cultura Exportadora no Cariri, apresenta discussões acerca de importância do comércio exterior para a competitividade das empresas e também apresenta a estrutura do Governo do Ceará e do Governo Federal para dar suporte aos interessados em fazer comércio exterior. A iniciativa é da SDE, com apoio do Ministério da Indústria e a Secretaria-Executiva do Conselho Nacional de Zonas de Processamento de Exportações (ZPE). O ministro Marcos Jorge de Lima (MDIC) participou dos debates.

Na programação, órgãos como o MDIC, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), com o Porto do Pecém e a Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE Ceará), apresentaram suas estruturas e soluções que visam estimular a exportação. O ministro, em sua fala, fez um balançom positivo da economia.

INSS libera demonstrativo de rendimentos para aposentados e pensionistas

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) divulgou hoje no site o demonstrativo de rendimentos de 2017 dos aposentados e pensionistas obrigados a apresentar a declaração do Imposto de Renda à Receita Federal.

Para consultar o extrato, o segurado deve acessar o site do INSS e consultar o Extrato de Imposto de Renda (IR) no menu de serviços da Central “Meu INSS”, com login e senha.

Para fazer o cadastro no Meu INSS, são necessários o CPF, nome completo, data e local de nascimento e nome da mãe para gerar um código de acesso provisório. Depois, o segurado deve fazer login, com a senha provisória.

Logo em seguida, aparecerá mensagem para que o cidadão crie sua própria senha. A senha deve conter números e letras, além de um caractere especial, como “#@$%!*-/+”. Pelo menos uma letra deve ser maiúscula e outra minúscula.

Também no site é possível consultar o demonstrativo de anos anteriores. Em caso de dúvidas, o cidadão pode ligar para a Central 135. Brasileiros no exterior também conseguem acessar o Meu INSS.

De acordo com o INSS, o demonstrativo do ano base 2017 pode ser retirado nas agências de Previdência Social (APS). O órgão recomenda, no entanto, “para mais conforto ao cidadão”, que a impressão seja feita na internet ou nos terminais de autoatendimento dos bancos.

(Agência Brasil)

Camilo e Eunício em mais uma solenidade que promete verbas federais para o Ceará

O governador Camilo Santana (PT), ao lado do presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB) e do ministro das Cidades, Alexandre Baldy, assinou, nesta manhã de sexta-feira, no Palácio da Abolição, acordo de um pacote de obras intitulado Ceará Veloz.

Trata-se de um conjunto de ações que promete acelerar o crescimento da economia cearense e objetiva estimular investimentos e melhorar o ambiente de negócios. Eis as projeções:

– Prevê a injeção de R$ 8,7 bilhões em mais investimentos públicos somando 524 mil empregos e R$ 2,6 bilhões em massa salarial no Ceará.

– Com projeção adicional de tributos de R$ 1,8 bilhão oriundos de arrecadações de Cofins, ICMS, Imposto de Importação, PIS/PASEP, IPI, CSSL, IRPJ e outros pagamentos que incidem sobre a produção.

*Eixos de organização

Os cinco pontos desenvolvidos, com previsão de investimentos no total de R$ 8,7 bilhões, são:

– Simplificação e Desburocratização, tornando mais simples e direta a formação de parcerias com o setor público, investimentos de R$ 1,2 bi;

– Infraestrutura Econômica, com investimentos em rodovias, aeroportos, portos, barragens e adutoras, investimentos de R$ 3,6 bilhões;

– Infraestrutura Social, com investimentos em saúde, educação, segurança, assistência social, investimentos de R$ 2,9 bi;

– Economia do Conhecimento, com investimentos em pesquisa e desenvolvimento de projetos inovadores, investimentos de R$ 843 milhões; e,

– Oportunidades de Negócios, construindo PPPs e concessões, incentivos fiscais e grandes acordos de investimentos e hubs, investimentos de R$ 3,2 bilhões.

A Crise de Intolerância exige um novo Pacto Social

Com o título “A crise de intolerância está pedindo um novo pacto social”, eis artigo de Guálter George, editor de Política do O POVO.  “Os sinais dos últimos tempos indicam uma espécie de esgotamento no modelo de sociedade que tem sido a garantia de uma eficaz convivência entre diferentes, situação que nos é nova e que exige imediata atitude…”, alerta o articulista. Confira:

O Brasil precisa de um novo pacto social. Ou, pelo menos, de repactuar este que há anos tem garantido a paz relativa de suas ruas e cidades, mesmo em meio a um quadro de injustiças e desigualdades que qualquer estudo mais sério realizado aponta entre os mais graves de um mundo já marcado por desequilíbrios. Os sinais dos últimos tempos indicam uma espécie de esgotamento no modelo de sociedade que tem sido a garantia de uma eficaz convivência entre diferentes, situação que nos é nova e que exige imediata atitude de resposta daqueles que detêm algum nível de responsabilidade sobre o destino das pessoas. E não falo apenas de quem ocupa cargo público, com ou sem mandato popular.

O problema a considerar, de início, é que não temos um líder, nesse momento, que se considere naturalmente apto a conduzir esse processo. O leque disponível de opções, independente da realidade que apontarem pesquisas de intenção de votos sobre os aptos a comandar o País a partir de 2019, não aponta ninguém capaz de representar qualquer perspectiva de reaproximar diferentes, de juntar lados, de criar um sentimento único ao pensar o futuro do País. Polarizamos demais as coisas nos últimos tempos, 0u deixamos que polarizassem, o que torna mais difícil a procura por uma saída.

O que é certo, insista-se, é que a pacificação da sociedade precisa entrar com urgência na agenda da política nacional, sob pena de agravamento de um quadro que já parece assustador o bastante.

Ninguém precisa deixar de enxergar o mundo da maneira como acredita, não é de busca pelo pensamento único de que se está falando, mas, da construção de consensos possíveis, a partir dos quais apareçam espaços para que se volte a respirar como era possível fazer antes. O asfixiante Brasil de agora nega uma bela história de tolerâncias que geraram exemplos para o mundo.

Para citar um, f0i aqui que se conseguiu aplicar de maneira eficazmente própria, quase única, um sincretismo religioso que até então assegura a todas as fés um digno tratamento de consideração. Por que deixar que algo de tanto valor se perca num ambiente de ódio que nega um caminho que o País decidiu trilhar, lá atrás, pela convivência pacífica e o respeito mútuo?

A política, com suas p0larizações mesquinhas, artificialmente criadas algumas delas, é muito responsável pela situação crítica. Portanto, deve-se mesmo cobrar inicialmente da política que as soluções apareçam, muito embora a sociedade em geral também esteja precisando se envolver mais com o processo. O drama da insegurança pública nos estados, para recorrer a uma outra referência popular importante, não pode ser enfrentado apenas à base das intervenções federais, de força-tarefa, de reforços na ação de combate à criminalidade etc. É preciso ter consciência de que as causas da violência, que são econômicas e sociais, também, precisam ser atacadas de maneira simultânea para recolocarmos as coisas em ordem.

O Brasil não precisa negar seus graves problemas, do presente e do passado, para reencontrar um nível de civilidade que perdeu-se, por alguma razão. Precisamos reaprender a nos aceitar, mesmo diferentes, como meio de assegurar tranquilidade ao dia-a-dia de cada um. Independente das disputas políticas e crises econômicas.

Guálter George gualter@opovo.com.br Editor de Política

Incra entrega títulos de propriedade no Ceará

A parlamentar destacou a entrega dos títulos rurais.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, regional do Ceará, fez a entrega de títulos de terras em Quixeré (Vale Jaguaribano), na manhã desta sexta-feira (23). A medida atende à expectativa do governo federal de acelerar a titularização de terras no Brasil, informa a assessoria de imprensa do órgão. Desde do início deste ano foram entregas títulos no Ceará, mais precisamente em Novo Oriente, Quiterianópolis, Crateús e Tamboril.

A entrega dos registros foi articulada pela deputada estadual Aderlânia Noronha (SD) e pelo deputado federal Genecias Noronha. O objetivo, segunda a Aderlânia, é “dinamizar a vida do homem do campo, dando segurança jurídica e um aumento significativo na renda familiar de cada produtor.

O prefeito de Quixeré, Santiago Bessa, enfatizou, no ato, a importância da emissão dos títulos: “É um sonho antigo da comunidade e fico feliz por estar saindo do papel. É uma conquista importante para nosso município”.

Mulher do presidente do TRF-2ª Região recebeu R$ 12 milhões da Fecomércio do Rio

A Operação Jabuti, que levou à prisão do presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, nesta manhã de sexta-feira, fez a Lava-Jato do Rio atingir um novo patamar: desta vez, ela atinge também o Poder Judiciário. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

A documentação levantada pelo Ministério Público Federal mostra o pagamento de honorários milionários a escritórios de advocacia do Rio.

Entre eles está o Basílio Advogados. Ele pertence a Ana Basílio, que é casada com o desembargador André Fontes, presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. O órgão é responsável pelos recursos da própria Lava-Jato do Rio.

Segundo a denúncia, o escritório recebeu R$ 12 milhões para atuar em ações no Tribunal de Justiça do Rio, no STJ e na Justiça Federal.

Entrega da declaração do IR 2018 começa no dia 1º de março

O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2018, ano-base 2017, começa na próxima quinta-feira (1º) e se estenderá até o dia 30 de abril. A informação é da Secretaria da Receita Federal. Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, também receberão mais cedo as restituições do Imposto de Renda. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade.

As restituições começarão a ser pagas em junho, e seguem até dezembro, para os contribuintes cujas declarações não caíram em malha fina.

A multa para o contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo correspondente a 20% do imposto devido.

DETALHE – Nesta ano, a Receita vai exigir o CPF para dependentes com 8 anos ou mais. Em 2017, o CPF passou a ser obrigatório para crianças a partir de 12 anos. A redução da idade visa evitar que a declaração caia na malha fina, “possibilitando maior rapidez na restituição do crédito tributário”, informou o Fisco.

Ministro da Fazenda vem posar de presidenciável em Fortaleza

Boa parte do PIB cearense vai prestigiar nesta sexta-feira, às 15 horas, uma palestra do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no Hotel Gran Marquise.

O tema do evento, promoção do Lide, Fiec e CDL Fortaleza, é sugestivo: “Brasil – Conquistas da Economia e Desafios para 2018”.

Mas a maioria do empresariado que o Blog tem ouvido não apostado fichas no Meirelles presidenciável.

Prévia da inflação fica em 0,38% em fevereiro

A prévia da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – 15 (IPCA-15), ficou em 0,38% em fevereiro deste ano. O índice ficou em 0,39% em janeiro e em 0,54% em fevereiro do ano passado. O dado foi divulgado hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa foi a segunda menor taxa do IPCA-15 para meses de fevereiro desde a implantação do Plano em Real em 1994, ficando acima apenas da taxa de fevereiro de 2000 (0,34%). O IPCA-15 acumulado no ano está em 0,77%, já a taxa acumulada em 12 meses chega a 2,86%.

Entre os principais responsáveis pela prévia da inflação de fevereiro estão os grupos de despesas educação e transportes. Os gastos com educação subiram 4,01%, refletindo os reajustes dos valores dos cursos que habitualmente são praticados no início do ano letivo. Os cursos regulares ficaram 5,24% mais caros.

Já os transportes ficaram 1,11% mais caros devido, principalmente, ao aumento de 2,03% dos combustíveis. A gasolina subiu 1,78%, e o etanol, 3,11%.

Os gastos com alimentação subiram apenas 0,13%. Deflações (quedas de preços) foram observadas nos grupos de despesas habitação (-0,51%) e vestuário (-0,73%).

(Agência Brasil)

Presidente da Adece também vai deixar o cargo

A presidente da Agência do Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa, confirmou para o Blog que vai mesmo deixar o cargo e disputar cadeira de deputada federal.

Ela é também presidente estadual do PSC e afirma que quer, nessa missão, tocar projetos que planejam ações de desenvolvimento não só para o Ceará, mas, também, para a região Nordeste.

Nicolle assegura ainda que o PSC do Ceará vai marchar apoiando a reeleição do governador Camilo Santana (PT).

FUI!

Além de  Nicolle, deixarão cargos em abril, de olho em mandato, Inácio Arruda (Ciência e Tecnologia), Dedé Teixeira (Desenvolvimento Agrário), Mauro Filho (Fazenda), Josbertini Clementino (Trabalho), Fernando Santana (Adjunto de Gabinete do Goveno) e Jesualdo Farias (Cidades). Henrique Javi (Saúde) deve mesmo sair em breve para assumir cargo na Unimed.

Secretário da Saúde pede demissão, mas governador não aceita

4784 2

O físico Henrique Javi, secretário da Saúde do Ceará, foi ao governador Camilo Santana (PT) pedir demissão. Recebeu convite da nova diretoria da Unimed para assumir a superintendência da cooperativa.

O governador não aceitou o pedido, mas há expectativas de que Javi acabará deixando a administração, dentro da reforma do secretariado a ser feita por Camilo, que tem alguns assessores decididos a postular mandato.

Aliás, o convite que a Unimed fez a Javi é tentador. Pelo salário bom e porque ele ficaria livre das dores de cabeça da pasta, uma das mais criticadas pela população.

Chove em mais de 70 municípios do Ceará

A Funceme registrou chuvas, até as 8h30min desta sexta-feira, em mais de 70 cidades cearenses. Para este dia, há previsão de nebulosidade variável, com chuva em todas as regiões. Confira as 10 maiores:

Neruoca (Posto: Meruoca) : 82.0 mm

Granja (Posto: Sambaiba) : 69.0 mm

Quiterianópolis (Posto: Santo Antônio) : 61.0 mm

Quixeramobim (Posto: Assentamento Novo Canaa) : 58.0 mm

Aracoiaba (Posto: Furnas) : 49.0 mm

Morrinhos (Posto: Morrinhos) : 47.0 mm

Caririaçu (Posto: Caririacu) : 47.0 mm

Campos Sales (Posto: Campos Sales) : 39.0 mm

Uruburetama (Posto: Uruburetama) : 38.0 mm

Fortaleza (Posto: Fund.ma.nilva(agua Fria)) : 37.0 mm

Prefeito decide sobre reajuste dos servidores até a próxima quarta-feira

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

O prefeito Roberto Cláudio (PDT), em contato com este colunista, informa que, até a próxima quarta-feira, divulgará tudo sobre reajuste para os servidores municipais. Por enquanto, os estudos são realizados pela Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão, no que não quis adiantar se virá aumento ou se a categoria ficará sem reajuste, o que ocorreu no exercício passado.

Bom destacar que o governador Camilo Santana, parceiro em quase tudo do prefeito, já concedeu 3%, mas deve dar outras melhorias para algumas categorias. Será que RC seguirá essa cartilha camiliana?

No caso dos municípios, os gastos do Executivo com pessoal pode chegar até a 54% da Lei de Responsabilidade Fiscal e o limite prudencial é 51% (parágrafo único, art. 22, da LRF). Isso garante, segundo o Sindifort, representante dos servidores, que o prefeito Roberto Cláudio pode dar um reajuste bem maior que o percentual dado por Camilo Santana.

Um estudo feito por Aécio Oliveira, economista e professor da UFC, mostra que em 2016 o gasto com pessoal na Prefeitura foi somente de 48,05% da LRF, bem abaixo até do limite prudencial de 51% e do limite máximo de 54%.

O Sindifort reivindica 9,42% de reajuste relativo à reposição da inflação dos anos de 2016 e 2017 e avalia que, como o ano é de eleições, RC não vai querer queimar o filme da reeleição do governador.

Pesquisa mostra que 30% das startups não conseguem se manter no mercado

O sucesso global de empresas de tecnologia como Apple, Google e Facebook ajudou a disseminar a tese de que boas ideias podem se transformar em grandes negócios. Contudo, o caminho não é simples, e parte das empresas iniciantes não consegue se manter no mercado.

É o que mostra pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Cerca de 30% das startups analisadas fecharam as portas no último período. Startups são empresas jovens, inovadores e com alto potencial de crescimento.

O levantamento foi realizado com empresas participantes do programa Inovativa Brasil, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que promove ações de assistência e capacitação. Foram ouvidas 1.044 companhias, principalmente de Tecnologia da Informação e da Comunicação (31%), Desenvolvimento de Software (21%) e Serviços (18%).

As empresas entrevistadas apontaram como principal motivo para o fechamento a dificuldade de acesso a capital (40%), obstáculos para entrar no mercado (16%) e divergências entre os sócios (12%).

(Agência Brasil)