Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Artigo – “Uma experiência missionária em Moçambique”

Com o titulo “Uma experiência missionária em Moçambique”, eis artigo do Padre Ademir Costa da Silva, da Canção Nova. Ele aborda desafios de evangelizar num País com mais de 20 dialetos, por exemplo. Confira:

Em agosto de 2017, o fundador da comunidade Canção Nova, Monsenhor Jonas Abib, fez-me a proposta de viver uma experiência missionária em Moçambique, junto aos salesianos que estão ao norte do país, na Província de Tete. Aceitei o desafio e embarquei para África.

No ano de 2018, inserimo-nos na missão da paróquia São João Batista, na Vila de Moatize, na diocese de Tete, que conta com uma rádio comunitária. Essa paróquia possui trinta comunidades e algumas das aldeias atendidas estão a 100 km da sede. Ali desenvolvemos nossos trabalhos junto aos missionários salesianos.

Já em 2019, eu e o missionário leigo Cristian Boher nos inserimos na missão da paróquia Nossa Senhora da Conceição, na Aldeia do Zobué, na fronteira com o Malawi. Uma igreja que estava há quase 20 anos sem padre residente, recebia ajuda pastoral dos salesianos que vinham da paróquia vizinha, a 100 km.

Defrontamo-nos com muitos desafios missionários. Enfrentamos a realidade da inculturação e da adaptação em uma cultura tribal. O idioma oficial de Moçambique é o português, porém existem no país mais de 20 dialetos falados nas diversas etnias. Nas zonas rurais e aldeias não se fala o português, somente dialeto. São os desafios culturais que todos vivem ao se dispor a viver a missão ad gentes.

Estamos na realidade de um país em processo de evangelização, no qual, em muitos lugares, o Evangelho não foi anunciado. Nas aldeias, muitos ainda não conhecem Jesus Cristo, e também faltam missionários. Na Diocese de Tete, oito, das 28 paróquias, estão sem padres. Em Moçambique, as religiões tradicionais são muito fortes, e nós respeitamos. É preciso entender a cultura para evangelizar sem ferir as raízes do povo. É um processo lento, que requer muita paciência.

Temos também os desafios da pobreza e desigualdade social. Moçambique, apesar do desenvolvimento econômico dos últimos anos, continua a ser um dos países mais pobres do mundo. Vemos ainda muita fome e miséria, pessoas que têm apenas uma refeição por dia. Com os problemas do sistema de saúde precário, muitas pessoas morrem de malária e AIDS. São inúmeros os problemas na área da educação, escolas degradadas e falta de infraestrutura.

Ao nos depararmos com tudo isso, nos sentimos pequenos, insuficientes e incapazes. Mas, em Deus, colocamos nossa “gota d’água” nesse oceano infinito de necessidades. Temos atendido e celebrado com o povo de Deus: missas, confissões, batizados, exéquias, matrimônios; buscado orientar e formar os jovens.

Fazemos missão nas aldeias, mesmo sem falar o dialeto local. Um tradutor local nos auxilia em tudo. Quando sobra algum tempo livre, tentamos ajudar um pouco no cuidado das crianças que ficam a todo momento no quintal da casa paroquial. Recebemos mais do que damos ao povo!

Um povo pobre, porém generoso, alegre, acolhedor, que celebra tudo. O canto e a dança nos contagiam. Apesar de não entendermos o dialeto, cantam algo que parece já estar em nossa alma.

Eles nos ensinam como realmente devemos viver e celebrar cada momento, principalmente a Santa Missa. Não vi isso em nenhum lugar do mundo. Não restringem horários para Deus, por exemplo, não têm horário para terminar a missa, duas a três horas é pouco pois continuam lá louvando e cantando ao Senhor. Assim, é o povo da África!

Temos vivenciado com muita alegria os desafios desta missão que nos faz crescer humana e espiritualmente com a cultura desse povo. E assim, com a graça da Divina Providência, continuamos a cantar uma Canção Nova no continente africano.

*Padre Ademir Costa da Silva,

Missionário da Comunidade Canção Nova. Atualmente está na Aldeia de Zobué, Província de Tete, Moçambique.

(Foto – Divulgação)

Aprovados no concurso da Secult serão convocados em novembro, informa Camilo

A Secretaria da Cultura do Ceará vai, finalmente, dar posse aos 102 aprovados no primeiro concurso público da história da pasta. Isso ocorrerá a partir do dia 5 de novembro, informou o governador Camilo Santana, nesta terça-feira (3), durante bate-papo com a população pelo Facebook e Instagram.

O processo seletivo estava contemplado em uma das metas estabelecidas na Lei do Plano Estadual de Cultura, sancionada em 2016 pelo governador.

“A Secretaria da Cultura do Estado é a mais antiga do Brasil. Nunca teve um concurso e eu assumi o compromisso de fazer o concurso público e fizemos. São 102 profissionais e, por sugestão do próprio secretário (da Cultura) Fabiano Piúba, a gente vai aproveitar o Dia Nacional da Cultura – 5 de novembro, para convocar os nossos primeiros concursados da Secretaria da Cultura do Estado”, revelou Camilo.

“A partir de hoje, nós vamos começar a divulgar um calendário para os concursos. Ao longo desse mês de setembro nós vamos dirimir as dúvidas de vocês”, prometeu Camilo Santana.

(Foto – Fábio Lima)

Caixa Econômica planeja abrir capital de cartões e seguros

A Caixa Econômica Federal pretende vender a participação que tem no banco Panamericano e abrir o capital de algumas subsidiárias. Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, entre os negócios que o banco pretende abrir à iniciativa privada estão os braços de seguros e cartões. As intenções foram apresentadas durante a divulgação do balanço da instituição, realizada hoje (3).

A oferta de ações da seguradora deve, de acordo com Guimarães, ser a primeira operação. Ele explicou que, como a empresa de cartões faz parte da Caixa Participações, holding do banco, o processo é mais complexo.

Sobre o Panamericano, adquirido pela Caixa em 2009, Guimarães disse que a instituição não se encaixa na estratégia do banco, por isso, em algum momento deve ser vendido. “Não existe nenhuma pressa para vender a participação no Panamericano. Só que a participação no Panamericano não é estratégica. Já conversei com o ministro [da Economia] Paulo Guedes. Nós vamos vender tudo o que não é estratégico, seja de uma maneira integral, seja parcial”, ressaltou.

Ressalvas

As negociações para abrir o capital das subsidiárias serão facilitadas, segundo o presidente da Caixa, com a retirada da ressalva que havia no balanço do banco devido às acusações do envolvimento de dirigentes e ex-administradores em ações ilegais. Desde 2017, a auditoria responsável por avaliar a confiabilidade dos números apresentava a possibilidade de riscos de perdas pelo envolvimento nas fraudes.

Os riscos surgiram após a deflagração das operações A Origem, Cui Bono?, Sepsis e Patmos, conduzidas pela Polícia Federal e Ministério Público Federal. Segundo as investigações, agentes políticos teriam recebido propinas para fraudar a liberação de empréstimos para empresas. As notícias do esquema, conforme o próprio balanço, começaram a ser divulgadas em 2015, e levaram a Caixa a contratar uma investigação independente para apurar as denúncias, em 2017.

Porém, segundo Guimarães, os riscos de problemas foram afastados pela auditoria nesse balanço, recuperando a credibilidade do banco. “É muito importante para quando nós façamos uma abertura de capital em uma das novas subsidiárias, com ressalva, muitos investidores estrangeiros poderiam não aderir”, disse Guimarães.

Lucro

A Caixa apresentou alta no lucro líquido do primeiro semestre, de 22,2% em comparação com o mesmo período de 2018. Segundo o balanço do banco, de janeiro a junho, o lucro chegou a R$ 8,1 bilhões. No segundo trimestre, o lucro líquido teve alta de 21,6%, registrando R$ 4,1 bilhões.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, destacou como grande avanço a retirada da ressalva do balanço do banco pela auditoria responsável por avaliar a confiabilidade dos números. Desde 2017, os balanços do banco apresentavam a possibilidade de riscos de perdas devido as suspeitas de envolvimento de administradores e ex-administradores em ações ilegais.

Crédito

A carteira de crédito da Caixa, no entanto, foi reduzida ao longo dos últimos 12 meses. Em junho deste ano, o banco tinha um saldo de R$ 682,4 bilhões em empréstimos, 1,9% menor do que o verificado em junho de 2018. De acordo com o balanço, a retração foi puxada por uma diminuição de 7,9% no crédito comercial para pessoa física e 30,7% no concedido para empresas. Por outro lado, houve aumento de 3,6% no crédito habitacional e 1,2% para infraestrutura.

No crédito imobiliário, a Caixa detém 69% do mercado, com uma carteira de R$ 452,3 bilhões, sendo que, desses, R$ 176,1 bilhões são com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em relação ao programa Minha Casa, Minha Vida, foram contratados R$ 17 bilhões.

A taxa de inadimplência teve queda de 0,04 ponto percentual em comparação com o mesmo período de 2018, ficando em 2,46%.

(Agência Brasil)

Estácio fecha convênio com Diocese do Crato

.

 

A Estácio de Juazeiro do Norte firmou convênio com a Diocese do Crato.

Com a parceria, vai conceder bolsas de estudo para os colaboradores da instituição e associados da Região do Cariri espalhados em mais de 60 paróquias, com descontos de até 40%, o que deve beneficiar cerca de 10 mil fiéis, informa a Instituição.

O convênio foi celebrado com a participação do bispo Dom Gilberto Pastana e Padre Joaquim Ivo. Segundo Greice Benetti, gerente comercial da Estácio Juazeiro do Norte, “esse é mais um momento de alegria, pois será uma parceria de grande importância para a região e que, com certeza, irá possibilitar o ingresso em cursos como Farmácia, Enfermagem, Nutrição e Fisioterapia, através de uma oportunidade única”, destaca.

Além dos seis cursos presenciais, a Estácio conta ainda com 74 cursos EAD, 19 modalidades flex, além de 45 cursos de pós-graduação.

SERVIÇO

Mais informações – 88 9 9936-0031 / 88 9 9934-0085 / 88 9934-0167.

(Foto – Divulgação)

Aquiraz Riviera vai ser sede do maior torneio de golfe do Norte e Nordeste

O Complexo Aquiraz Riviera, situado em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza),  será palco, no período de 6 a 8 de setembro, da 9ª Copa de Golfe Interclubes do Norte e Nordeste. O evento contará com a participação de cerca de 80 competidores entre profissionais e amadores, que serão distribuídos em 12 equipes.

Segundo a organização, o certame conta com categoria única: Stroke Play por equipe em 36 buracos. O torneio tem a chancela da Confederação Brasileira (CBG) e da Confederação Pernambucana de Golfe. No encerramento, que acontece no domingo (8), serão entregues as premiações aos vencedores com uma confraternização e muita diversão entre os golfistas.

SERVIÇO

*Aberto e Gratuito

*Hora: A partir das 7 h

Inscrições: Encerradas.

*Mais informações: 85 9 9710-0910 / 85 3391.4655.

(Foto Divulgação)

7 de Setembro – Bolsonaro não fará discurso

145 1

O Palácio do Planalto está acertando os últimos preparativos para o desfile cívico do dia 7 de setembro, feriado da Independência. Como em anos anteriores, cerca de três mil militares vão desfilar ao longo da Esplanada dos Ministérios. Segundo o governo, pelo menos dois mil militares estão envolvidos no esquema de segurança e trânsito. Cerca de 1,5 mil pessoas, representando instituições da sociedade civil e escolas, também devem participar do desfile.

O presidente Jair Bolsonaro participará da cerimônia ao lado da primeira-dama Michelle, além de ministros e autoridades. Segundo o Palácio do Planalto, não haverá discurso durante o evento, que tem duração prevista de 1h15min.

Entre as atrações, são esperadas a banda marcial do Corpo de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro, desfile de blindados da Marinha e do Exército, exibição de aeronaves da Força Aérea, da Marinha e do Exército. O ponto alto será a apresentação, já tradicional durante o desfile, da Esquadrilha da Fumaça.

Equipamentos das Forças Armadas, como automóveis, armas e aeronaves ficarão expostos no gramado da Esplanada entre os dia 5 e 7 de setembro, para visitação gratuita da população.

(Com Agência Brasil)

Artigo – “Bolsonaro: Crescer ou Cair”

147 1

Com o título “Bolsonaro: crescer ou cair”, eis artigo de Ricardo Alcântara, que aborda a recente pesquisa Datafolha sobre o desempenho do presidente. Confira:

Para Bolsonaro, a má notícia – dobrou sua desaprovação, segundo pesquisas – trouxe embutida uma péssima notícia: os índices de aprovação caíram em todos os segmento (renda, idade, escolaridade, região e cor).

Não há um núcleo de resistência favorável a ele, ou seja, seu governo não o aproxima dos interesses específicos de nenhum setor e, nesses casos, o quadro sugere uma dificuldade maior de controle sobre a tendência de queda.

No entanto, há um alento para o presidente: quem puxa a avaliação para baixo (segundo a Datafolha) são os mais pobres e as pessoas de 35 a 59 anos, faixa etária onde estão os pais e mães de família, o grosso da população economicamente ativa.

É um alento para o governo porque são os provedores de renda e os mais pobres, cuja avaliação está mais afetada pelo quadro de estagnação e, portanto, os mais sensíveis às melhorias de uma provável retomada do crescimento.

Logo, o destino dele está nos resultados da economia. Fatores internos já são favoráveis: o equilíbrio fiscal é observado, há uma tímida recuperação em curso, a Reforma da Previdência irá injetar mais confiança no mercado.

Contudo, “paira sobre o mundo o espectro” de uma recessão global, já anunciada por cabeças acreditadas do mercado, lá fora. Há indicadores fortes nesse sentido, mas nenhum deles ainda consolidado. Alguns preveem. Poucos contestam.

Se a tsunami vier, nos pegará vestindo as calças e atingirá em cheio as exportações. Não estamos, ao contrário de 2008, preparado para chamá-la de “marolinha”. Viveremos dias ainda mais difíceis do que estes, de 2015 para cá.

Com tantas frentes de conflito abertas, contrariando setores sociais organizados, o consenso ocidental e instituições (nem sempre tão) republicanas, o presidente não tem, nem parece desejar, estabilidade política suficiente para liderar um país em crise.

Se a economia global se comportar conforme o manual, a coisa vai. Se houver turbulência, a possibilidade de que o congresso tire a carta Flávio Bolsonaro da manga e jogue a família do presidente no banco dos réus será a porta de saída.

E não seria surpresa para ele, pois quando escolheu o general Mourão para ser vice, acenando com os fantasmas do passado ditatorial, a senha era esta mesma: “ruim comigo, pior com eles” – e quem afirmou isso foi seu próprio filho, Carlos 02.

Não é esse o cenário que se deseja, por óbvio. Mas não é improvável.

*Ricardo Alcântara,

Escritor e publicitário.

(Foto – Arquivo Pessoal)

Setembro Amarelo – Unidades de saúde e escolas de Caucaia engajam-se na campanha

A Secretaria de Saúde de Caucaia engajou-se no Setembro Amarelo. Montou uma programação especial nas Unidades Básicas de Saúde com palestras e rodas de conversa, dentro do objetivo de esclarecer e conscientizar a população sobre a valorização da vida e a prevenção ao suicídio, informa a assessoria de imprensa da Prefeitura desse município da Região Metropolitana de Fortaleza.

No próximo dia 6, às 14 horas, acontecerá uma Roda de Conversa sobre suicídio na UBS Francisca de Fátima, localizada no bairro Parque Guadalajara. O público-alvo são pacientes do Programa Saúde Mental atendidos pela unidade.

No dia 25 de setembro, a SMS promoverá audiência pública na Câmara Municipal com a temática de prevenção ao suicídio. A atividade contará com a presença da primeira-dama de Caucaia, deputada estadual Erika Amorim, que apresentará as políticas públicas relativas ao assunto.

Durante a manhã de todas as quartas-feiras de setembro, acontecerá no Centro Integrado de Desenvolvimento Infantil (Cidi) a Sala de Espera Saudável, um projeto com a participação de psicólogos abordando a prevenção ao suicídio.

A Secretaria Municipal de Educação também elaborou programação de palestras e roda de conversa em escolas municipais de Caucaia com a participação de psicólogos da SMS e professores universitário dos cursos de Direito e Psicologia. A ideia é abordar assuntos como violência doméstica e suicídio entre jovens.

Profissionais do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps) também participam de programação que nos Centro de Referência da Assistência Social (Cras), que visa à prevenção da ocorrência de situações de vulnerabilidade social e risco nos territórios. Estarão também no Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), onde são oferecidos serviços com o objetivo de acolher, orientar e acompanhar famílias e indivíduos em situação de violação de direitos.

DETALHE – Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio mata um brasileiro a cada 45 minutos. E pode ser prevenido em pelo menos 90% dos casos.

 

Fies – Inscrições para vagas remanescentes começam nesta quarta-feira

O processo seletivo para vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) referente ao segundo semestre de 2019 começa nesta quarta-feira (4). As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site do programa.

As vagas remanescentes são aquelas que não foram ocupadas durante os processos seletivos regulares do Fies. Por exemplo: desistência dos candidatos pré-selecionados ou pela falta de documentação.

O edital com os prazos foi publicado na edição dessa segunda-feira (2) do Diário Oficial da União.

Como ocorre desde o segundo semestre de 2015, houve o estabelecimento de cursos prioritários. Até sexta-feira (6), serão ofertadas somente as vagas remanescentes nas áreas de saúde, engenharia e ciência da computação, licenciatura, pedagogia normal e superior.

A partir de sábado (7), as inscrições são abertas para todas as áreas. Os prazos para participar do processo seletivo dependem da situação do estudante. Candidatos não matriculados em Instituição de Educação Superior têm até 11 de setembro para se inscrever. Para os matriculados, o prazo é 29 de novembro.

Para a inscrição, o candidato tem que atender às seguintes condições: ter participado do Enem, a partir da edição de 2010, obtendo média igual ou superior a 450 pontos e nota na redação superior a zero; e possuir renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

A ocupação das vagas será ocorrerá de acordo com a ordem de conclusão das inscrições, que garantem ao candidato apenas a expectativa de direito à vaga remanescente para a qual se inscreveu. Após a conclusão da inscrição, o candidato tem dois dias úteis para validar as informações na instituição de ensino.

Não pode fazer a inscrição o candidato que não tenha quitado financiamento anterior pelo Fies ou pelo Programa de Crédito Educativo ou aquele que atualmente possua financiamento do Fies.

(Agência Brasil)

PGJ do Ceará define banca organizadora do concurso de promotor de justiça

O procurador-geral de Justiça e presidente da Comissão de Concurso do Ministério Público do Estado do Ceará, Plácido Rios, celebrou, nesta terça-feira, com o coordenador de negócios do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), professor José Otávio Nogueira Guimarães, o contrato de serviços especializados para a organização e realização de concurso público para provimento de vagas no cargo de promotor de justiça de Entrância Inicial da carreira do Ministério Público do Estado. O concurso objetiva o provimento imediato de 44 cargos e a formação de cadastro de reserva, informa a assessoria de imprensa do MPCE.

Segundo o representante do Cebraspe, a partir da assinatura do contrato, a expectativa é de que os trabalhos sejam imediatamente iniciados com previsão de término dentro do menor tempo possível. O próximo passo será a construção de um cronograma detalhado que será apresentado aos integrantes da comissão. O concurso contará com as seguintes fases: prova objetiva, provas discursivas, inscrição definitiva (composta pelos exames de sanidade física e mental e pela sindicância da vida pregressa e investigação social), prova oral, prova de tribuna e avaliação de títulos.

Além do presidente da Comissão de Concurso, Plácido Rios, e do coordenador de negócios do Cebraspe, José Otávio Guimarães, também participaram da reunião de assinatura do contrato os promotores de justiça: Raimundo Nogueira Filho (secretário da Comissão de Concurso); Régio Vasconcelos (assessor de Políticas Institucionais); Haley de Carvalho Filho (secretário-geral da PGJ); a secretária de Recursos Humanos da PGJ, Ana Sudário; e a servidora Tatiana Brito, que presta apoio administrativo da Comissão do Concurso.

(Foto- MPCE)

Câmara dos Deputados ganha Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro

A Câmara dos Deputados vai ganhar a Frente Parlamentar em Defesa Patrimônio Cultural Brasileiro.

Um ato, a partir das 11 horas desta quarta-feira, no Salão Nobre da Casa, marcará o lançamento dessa mobilização, que contará com a presença do ministro da Cidadania, Osmar Terra, da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogea, e do presidente do Conselho de Arquitetos e Urbanistas do Brasil, o cearense Luciano Guimarães.

Proposta pelo deputado maranhense Hildo Rocha, entre as principais finalidades da iniciativa estão apoiar e fortalecer as instituições ou órgãos federais, estaduais e municipais responsáveis pela defesa da memória do país.

De caráter suprapartidário, sem fins lucrativos, a Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Histórico Nacional pretende acompanhar a tramitação de proposições na Câmara dos Deputados e no Senado Federal que contribuam para o aprimoramento de legislação de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro. Também tem como objetivo promover debates, audiências e seminários sobre o tema.

(Foto – CAU)

Petrobras comemora: Produção de petróleo e gás atinge 3 milhões de barris

A produção total de petróleo e gás da Petrobras registrou uma média diária de 3 milhões de barris de óleo equivalente (boed) em agosto deste ano. O pico da produção chegou a 3,1 milhões de barris em um dia. De acordo com informações divulgadas pela estatal, os valores são recordes.

A média da produção do pré-sal também registrou recorde em agosto: média de 2,2 milhões de boed, com um pico de 2,5 milhões de barris em um dia.

O boed é uma medida usada pela indústria do petróleo para calcular o somatório da produção de petróleo (que é medida em barris) e da produção de gás (que é medida em metros cúbicos).

(Agência Brasil)

Rede de clinica popular cearense vai expandir no Norte e Nordeste

122 1

A Clínica Sim , hoje a maior rede de clínicas populares na região nordestina, já tem projeto de expansão de suas atividades no Norte e Nordeste.

Nesta terça-feira, às 16 horas, no RioMar Papicu, o diretor de Expansão do grupo, Ivan Cordeiro, apresentará esse projeto que prevê duas filiais em Belém (PA), com inauguração dessas unidades já marcada para o próximo dia 16.

No Ceará, a Clínica Sim conta com 13 filiais, sendo 10 na Capital cearense.

(Foto – Divulgação)

Bolsonaro avisa: vai vetar quase 20 artigos da lei de abuso da autoridade

85 1

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (3) que deve vetar quase 20 pontos do Projeto de Lei de sobre abuso de autoridade, aprovado na Câmara dos Deputados no dia 14 de agosto. “Deve chegar a quase 20 vetos, mas tem artigo que tem que ser mantido porque é bom. Não serão só nove”, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira.

Ontem (2), o presidente afirmou que vetaria, pelo menos, nove dos dez pontos sugeridos pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. O décimo ainda estava em discussão.

Bolsonaro tem até a próxima quinta-feira (5) para anunciar a decisão, dia em que termina o prazo de 15 dias úteis para o veto ou sanção. Em caso de veto, o texto volta para análise do Congresso Nacional, que pode manter ou derrubar os vetos presidenciais.

O projeto engloba atos cometidos por servidores públicos e membros dos três Poderes da República, do Ministério Público, dos tribunais e conselhos de contas e das Forças Armadas. De acordo com o texto, poderá ser considerado abuso de autoridade obter provas por meios ilícitos; executar mandado de busca e apreensão em imóvel, mobilizando veículos, pessoal ou armamento de forma ostensiva, para expor o investigado a vexame; impedir encontro reservado entre um preso e seu advogado; e decretar a condução coercitiva de testemunha ou investigado sem intimação prévia de comparecimento ao juízo.

No total, a proposta apresenta 37 ações que poderão ser consideradas abuso de autoridade, quando praticadas com a finalidade específica de prejudicar alguém ou beneficiar a si mesmo ou a terceiro. Entre eles, está o dispositivo que tipifica como abuso de autoridade o uso de algemas em preso quando não houver resistência à prisão ou ameaça de fuga. O presidente Jair Bolsonaro já afirmou que esse trecho sobre a restrição ao uso de algemas será vetado.

O texto também prevê a criação do crime de caixa 2, de compra de votos e o aumento de pena para o crime de corrupção, tornando a prática hedionda em alguns casos. Atualmente considerada crime eleitoral e não penal, com penalidade inferior à aplicada a outros crimes e passível de prescrição no prazo de um mandato, a prática de caixa 2 em campanha eleitoral poderá ser tipificada como crime.

Amazônia

O presidente Bolsonaro falou também que a reunião de líderes sul-americanos prevista para acontecer em Leticia, na Colômbia, na sexta-feira (6), foi remodelada e deve ser feita por videoconferência. Na ocasião, os mandatários devem discutir uma política única de preservação da Amazônia e de exploração sustentável da região. “Temos lá riquezas incalculáveis, se soubermos bem explorar essa riqueza de forma racional e agregando valor, é um termendo impulso a nossa economia”, disse o presidente.

Uma comitiva ministerial também está reunindo os governadores da Amazônia Legal para colher dados e propostas para um plano de desenvolvimento sustentável da região. O primeiro encontro aconteceu ontem, em Belém (PA), e o segundo será hoje, em Manaus (AM).

(Agência Brasil)

Artigo – “Tom belicoso de Bolsonaro é estratégia política”

215 1

Com o título “Tom belicoso de Bolsonaro é estratégia política”, eis artigo de Plinio Bortolotti, jornalista do O POVO. “(…) apesar de a aprovação do governo Bolsonaro ter caído, ela se mantém no índice de 29%, percentual bastante representativo, apesar das atitudes aparentemente desastradas do presidente”, diz o texto. Confira:

Mauro Paulino e Alessandro Janoni assinaram artigo no jornal Folha de S. Paulo com o título “Com tom belicoso, Bolsonaro arrisca pregar apenas para convertidos”. O texto analisa a mais recente pesquisa do instituto Datafolha (do qual ambos são diretores), que revela o crescimento da desaprovação do governo Bolsonaro, mesmo em segmentos fiéis ao presidente, isto é, “entre moradores do Sul e os que têm altas renda e escolaridade – perfis que o elegeram com expressivas taxas de apoio”. (Veja links abaixo).

O texto segue a linha do título, qual seja, a necessidade de o chefe do Executivo “adequar-se ao cargo de presidente da República, caso queira melhorar sua imagem junto aos brasileiros”, pois, ao “intensificar essa característica (belicosa) nos últimos meses, Bolsonaro comprometeu parcela simbólica de seu capital eleitoral”.

Para confirmar essa hipótese – de que Bolsonaro “ganharia”, caso moderasse a sua linguagem e evitasse suas propostas mais estrambóticas – os articulistas reproduzem o resultado de alguns itens da pesquisa, argumentando que a “verborragia presidencial é abominada pela grande maioria da população e alcança quase 90% de reprovação quando se vale, por exemplo, de conteúdo escatológico”.

Além disso a pesquisa mostra reprovação a “marcadores de preconceito e nepotismo”, como nas frases sobre os “governadores da Paraíba (Nordeste)” e a indicação do filho para embaixada brasileira nos EUA, com rejeição de 70%. Bolsonaro é afetado também, dizem Paulino e Janoni, na polêmica sobre as recentes queimadas na Amazônia. Para eles, a desqualificação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), passando pelos registros da Nasa sobre o desmatamento, até o escurecimento do céu na tarde de 19 de agosto na cidade de São Paulo, pesaram contra o presidente. “Gatilhos não faltaram para que diferentes setores da sociedade despertassem para o problema” do meio ambiente, escrevem os articulistas.

A análise está correta, mas é de se observar que, apesar de a aprovação do governo Bolsonaro ter caído, ela se mantém no índice de 29%, percentual bastante representativo, apesar das atitudes aparentemente desastradas do presidente.

Há algum tempo defendo a tese que Bolsonaro age propositalmente ao regurgitar seus despautérios, portanto é uma estratégia para tensionar o ambiente, deixando seus seguidores de prontidão. A ele não interessa falar para “todos os brasileiros”, mas para o setor mais radicalizado de seus apoiadores, que o seguirão em qualquer hipótese.

Mesmo que o índice de quem aprova o seu governo caia para 20% – a meu ver recuará até esse percentual – ele deverá manter a tática dos discursos agressivos, talvez tornando-os ainda mais ferozes. Assim, Bolsonaro não pode mudar agora o seu comportamento, pois perderia o apoio da extrema direita, e teria dificuldade em readquirir o apoio de setores mais “refinados” que, envergonhados procuram agora se afastar do presidente, depois de tê-lo levado docemente constrangidos (afinal, era preciso derrotar o pêtê) à cadeira presidencial.

A vanguarda desse setor já está apostando em candidatos mais limpinhos e cheirosos, como o apresentador da Globo Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria, como alternativas para 2022.

Enquanto isso, Bolsonaro continuará agindo como chefe de uma facção de extrema direita – que irá defendê-lo quanto mais odioso for seu discurso -, ofendendo os limites da democracia. Sobre essa base sectária, ele poderá lançar seus tentáculos sobre as instituições, procurando controlá-las, submetendo-as ao seu grupo. Se conseguir esse intento, talvez volte a atrair até mesmo alguns dos setores que hoje se afastam dele, para os quais a democracia pouco importa, frente aos dividendos que poderão obter apoiando um governo com poderes autoritários.

De qualquer modo, a elite brasileira fica com duas possibilidades: pode voltar a enamorar-se de Bolsonaro, pois o divórcio ainda não foi assinado, e, enquanto isso, vai dando corda às iniciativas dos rapazes de roupas de grife: Luciano Huck e João Doria.

*Plinío Bortolotti,

Jornalista do O POVO.

—————————————————————————————————————————————————————-

*Pesquisa sobre Bolsonaro aqui.

*Artigo de Mauro Paulino e AlessandroJanoni aqui.

(Foto – Presidência)

MP da carteira estudantil digital será assinada nesta semana

O presidente Jair Bolsonaro deve assinar, nesta semana, a medida provisória (MP) que vai instituir a carteira digital do estudante. Batizada de MP da Liberdade Estudantil, a medida deve passar a oferecer uma nova modalidade de identificação estudantil, em versão totalmente digitalizada.

Ainda não há informações sobre se o novo documento substituirá as atuais carteiras de estudante. “[Sobre] a carteira de identidade [estudantil] digital, deve ser assinada a Medida Provisória nesta quinta-feira (5)”, informou o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, em entrevista a jornalistas, nesta segunda-feira (2).

Atualmente, a Lei nº 12.933/2013, chamada Lei da Meia-Entrada, atribui a prerrogativa exclusiva de emissão da Carteira de Identificação Estudantil às próprias entidades estudantis, como a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), além de suas entidades estaduais e municipais filiadas.

(Agência Brasil)

Caixa registra lucro líquido de R$ 8,1 bi no primeiro semestre do ano

O lucro líquido da Caixa Econômica Federal cresceu 22,2% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. Segundo o balanço do banco divulgado hoje (3), de janeiro a junho, o lucro chegou a R$ 8,1 bilhões. No segundo trimestre, o lucro líquido teve alta de 21,6%, registrando R$ 4,1 bilhões.

A carteira de crédito da Caixa, no entanto, foi reduzida ao longo dos últimos 12 meses. Em junho deste ano, o banco tinha um saldo de R$ 682,4 bilhões em empréstimos, 1,9% menor do que o verificado em junho de 2018. De acordo com o balanço, a retração foi puxada por uma diminuição de 7,9% no crédito comercial para pessoa física e 30,7% no concedido para empresas. Por outro lado, houve aumento de 3,6% no crédito habitacional e 1,2% no para infraestrutura.

No ramo do crédito imobiliário, a Caixa detém 69% do mercado, com uma carteira de 452,3 bilhões, sendo que desses, R$ 176,1 bilhões são com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Em relação ao programa Minha Casa, Minha Vida, foram contratados R$ 17 bilhões.

A taxa de inadimplência teve queda de 0,04 ponto percentual em comparação com o mesmo período de 2018, ficando em 2,46%.

Ressalva

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, destacou como grande avanço a retirada da ressalva do balanço do banco pela auditoria responsável por avaliar a confiabilidade dos números. Desde 2017, os balanços do banco apresentavam a possibilidade de riscos de perdas devido as suspeitas de envolvimento de administradores e ex-administradores em ações ilegais. Os riscos surgiram após a deflagração das operações “A Origem”, “Cui Bono?”, “Sepsis” e “Patmos”, conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

Segundo as investigações, agentes políticos teriam recebido propinas para fraudar a liberação de empréstimos para empresas. As notícias do esquema, conforme o próprio balanço, começaram a ser divulgadas em 2015 e levaram, a Caixa a contratar uma investigação independente para apurar as acusações em 2017.

(Agência Brasil)

Romildo Rolim fica à frente do BNB até agosto de 2021

O Conselho de Administração do Banco do Nordeste reconduziu o atual presidente, Romildo Rolim, para o comando da Instituição. A informação é do jornalista Igor Gadelha, da revista Crusoé. A decisão foi tomada na última reunião do organismo, no ultimo dia 29.

Ele cumprirá o próximo biênio até agosto de 2021 e sua recondução não causou surpresa, embora tenha sido feita sem maiores alardes para o mercado.

Romildo é funcionário de carreira do BNB e ali chegou indicado pelo então senador Eunício Oliveira (MDB). Permanece pelo critério técnico e também por ter conquistado o respaldo de todas as federações de indústrias do Nordeste, além do apoio de empresários do Espírito Santo e Minas, onde o banco tem atuação.

(Foto – BNB)

Autora cearense de 16 anos lança romance na Bienal Internacional do Rio

Nascida e criada em Fortaleza, a escritora Belle Leal, de 16 anos, vai lançar seu segundo livro na XIX Bienal Internacional do Livro do Rio. Trata-se do romance “Quando a Gente Acontece”, que surpreende pela narrativa madura sobre os conflitos reais de um relacionamento a dois. A noite de autógrafos acontecerá nesta sexta-feira, às 19 horas, no estande da Editora Coerência (Pavilhão Verde).

 

Na trama, Sophie, uma mulher de 26 anos, se sente (quase) satisfeita com tudo que já conquistou. É uma cirurgiã de sucesso e trabalha no melhor hospital de São Paulo. Após a perda do seu padrinho, a jovem se vê presa a uma grande decisão que não cabe somente a ela.

Mesmo após tantas conquistas, o coração da protagonista continua inquieto e ela não entende o porquê. A jovem tem um relacionamento com o homem perfeito. Roberto é forte, alto, bonitão e a trata como uma princesa, mas será isso o que Sophie busca? É nesse ponto que leitores são convidadas a debater sobre o que realmente traz felicidade.

(Foto – Divulgação)