Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Fortaleza embarca em clima de otimismo para encarar o Guarany

O time do Fortaleza que goleou a equipe do Paraná Clube, no último sábado, pode ser a equipe que enfrentará, nesta terça-feira, o Guarany de Campinas, em São Paulo, em jogo válido pela Série B, do Brasileirão. Admitiu, nesta madrugada de segunda-feira, o técnico Márcio Fernandes.

Recém-chegado ao clube, ele, no entanto, entre um cafezinho e outro com atleas, já mostrou entrosamento com o grupo e destacou que a goleada contra o Paraná foi “importante para levantar a autoestima da equipe”. 

 Entre jogadores como o atacante Luis Carlos e o meia Cristian o pensamento foi o mesmo: o novo técnico deu novo anîmo e trouxe a confiança de volta ao elenco. Par Luis carlos, a vitória contra o Guarany é a prioridade. Um time como o Fortaleza, segundo disse, não pode estar na zona de rebaixamento, mas lutando para chegar à primeira divisão.

“O técnico, sem dúvida, levantou a nossa autoestima. A gente respeita o Guarany, mas vamos pra cima”, acentuou Cristian.

Governador entrega mais uma Casa de Privação Provisória de Liberdade

O governador Cid Gomes (SB) vai entregar nesta segunda-feira, a partir das 9h30min, mais uma Casa de Privação Provisória e Liberdade (CPPL). Dessa vez, em Itaitinga (Região Metropolitana de Fortaleza), com capacidade para 950 presos e resultado de um investimneto da ordem de R$ 13 milhões.

A unidade a ser entregue se chamará Professor José Jucá Neto e foi construída em uma área de 21.147,47 metros quadrados. São blocos administrativos, de saúde, de vivência, módulo isolador e alambrado.

Segundo o secretário de Justiça e Cidadania do Estado, Marcos Cals, ainda neste ano será construído um presídio militar em Aquiraz, com capacidade para 130 internos. Também até o fim de 2009, será inaugurada a Penitenciária de Segurança Máxima em Pacatuba, com capacidade para 500 detentos. Em Horizonte, será construída uma penitenciária para Joven Adultos (idade entre 18 e 24 anos), disponibilizando mais 426 vagas ao sistema prisional.

Mulheres fazem mobilização em Brasília em defesa da Lei Maria da Penha

mariapenha

“Representantes da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) chega nesta segunda-feira em Brasília para uma série de ações em defesa da Lei Maria da Penha. Elas terão audiência com o ministro Haroldo Rodrigues, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Na terça e quarta-feira, a comitiva vai avaliar a situação da lei e os riscos que ela vem correndo, além de participar de audiências no STJ – com o ministro Celso Limongi – e no Supremo Tribunal Federal (STF). Estão previstos também encontros com a bancada feminina no Congresso Nacional, com representantes da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Durante as audiências será entregue petição online, com mais de 5 mil assinaturas.”

 (Agência Brasil)

Obras do Metrofor completam uma década

“Quando surgiram os primeiros planejamentos sobre o trânsito de Fortaleza, na década de 1970, uma questão ganhava força: por que não implantar um metrô na Capital? A ideia repercutiu, mas só em 1987 o Governo do Estado anunciou a implantação do projeto de criação do Metrô de Fortaleza, que ganhou a sigla Metrofor. Do discurso para a prática passaram-se 12 anos. O ponto de partida para o início das obras foi dado no dia 24 de agosto de 1999, há exatos dez anos.

Na ocasião, o trecho compreendido entre o Shopping Benfica e a rua Padre Cícero foi interditado para que fossem feitas as primeiras escavações das obras subterrâneas do metrô. A mudança causou transtornos e engarrafamentos, já que os veículos que seguiam da avenida José Bastos com destino à rua Carapinima tinham de desviar na altura da rua Padre Cícero e pegar a avenida da Universidade para ir rumo ao Centro.

Bancado basicamente com recursos do Governo Federal (que financia entre 80% a 90% da obra), o projeto Metrofor sofreu, antes mesmo das obras começarem, cortes de recursos. O fato se repetiu nos anos seguintes e, em 2002, quando as obras deveriam estar prontas, o repasse de verbas chegou a ter queda de 70%.

Em virtude disso, as construtoras começaram a demitir os operários que atuavam na construção do metrô. As obras pararam naquele ano e, a partir dali, as verbas destinadas ao Metrofor foram usadas praticamente para cobrir prejuízos com a paralisação.

“Nos primeiros anos, tivemos até um bom ritmo de obras, mas a crise financeira internacional da época interferiu de forma que o Governo Federal teve de rever os valores que seriam repassados a alguns projetos. Daí começou o contingenciamento de recursos e o projeto não conseguiu evoluir. Todos os nossos cronogramas da obra tiveram de ser revistos”, explica Maia Júnior, secretário estadual de Transportes, Comunicações e Obras entre 1995 e 2002 e vice-governador do Estado entre 2003 e 2006.

O atual secretário de Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, acrescenta que o andamento das obras também foi prejudicado por falhas de planejamento. “O Metrofor foi um projeto inicialmente elaborado de forma deficiente, com muitos problemas de execução, que resultaram em uma série de aditivos (anexos ao projeto original), já que as equações financeiras não foram bem elaboradas”.

O tempo passava e os recursos continuavam insuficientes para dar ritmo ao projeto. Entretanto, o Metrofor ganhou novos rumos em 2007, com a inclusão do projeto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, que viabilizou a quantia de R$ 579,8 milhões para serem aplicados entre 2007 e 2010. Na avaliação do presidente da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos, Rômulo Fortes, os recursos do PAC permitiram algumas adequações no projeto, o que viabilizou a celeridade das obras.

“Hoje já não temos mais problemas de recursos. Com dinheiro em caixa, detectamos todos os empecilhos que atrapalharam o andamento das obras e hoje estamos voltando a trabalhar em ritmo acelerado”, afirma.”

(Jornal O POVO)

Tião Viana omitiu patrimônio ao concorrer ao Senado

“Aexemplo do senador José Sarney, o petista Tião Viana, do Acre, que disputou com ele a Presidência do Senado, em 2008, também ocultou patrimônio da Justiça Eleitoral. Na campanha para senador, em 2006, Viana não declarou um terreno no melhor condomínio residencial de Rio Branco, adquirido dois anos antes.

A compra do terreno foi registrada no cartório de imóveis de Rio Branco com valor de R$ 30 mil. No terreno, Viana e sua mulher construíram uma casa de 477 metros quadrados, concluída em maio de 2007. A casa foi avaliada em R$ 600 mil, no termo de habite-se emitido pela prefeitura.
José Sarney (PMDB-AP) não informou à Justiça Eleitoral a casa onde mora, em Brasília, avaliada em R$ 4 milhões, e atribuiu a omissão, primeiro, a um erro de seu contador e, depois, a mero “”esquecimento”.

A assessoria do senador Tião Viana alegou que o terreno não foi declarado à Justiça Eleitoral porque pertencia à mulher dele, Marlúcia Cândida Viana.
Mas, como o senador é casado em regime de comunhão total de bens, o imóvel pertence aos dois, segundo tributaristas ouvidos pela Folha.

Na sexta-feira, o advogado do senador deu outra explicação para o fato: disse que o partido preparou a relação entregue à Justiça Eleitoral com base na declaração de Imposto de Renda dele em 2006. Ocorre que o terreno constava apenas da declaração de Imposto de Renda da mulher naquele ano.

De acordo com a assessoria do senador, Tião Viana passou a incluir o imóvel em sua declaração de Imposto de Renda a partir de 2007, e, em 2006, ele e a mulher pegaram financiamento na Caixa Econômica Federal para construir a casa.

Nos casamentos com comunhão de bens, em que os cônjuges fazem declaração de IR em separado, os imóveis adquiridos pelo casal são informados por um deles, mas o outro deve fazer constar em sua declaração que o bem foi registrado no CPF do cônjuge. Para o advogado do senador, o partido não atentou para tal fato quando listou os bens para o registro da candidatura.

Tião Viana informou à Justiça Eleitoral possuir R$ 23.977 em bens (valor inferior ao registrado pelo terreno), sendo R$ 15,6 mil em cadernetas de poupança, em nome dos filhos; R$ 6.316 em conta corrente no Banco do Brasil e R$ 924,54 em título de capitalização.

A omissão não terá consequência para o senador, do ponto de vista da legislação eleitoral, do mesmo modo que Sarney também não sofreu sanção do TSE por omitir a casa de R$ 4 milhões.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, a legislação eleitoral não prevê punição para candidatos flagrados nesta situação. O artigo 11 da lei 9.504 (que define as normas para as eleições), apenas lista, entre os requisitos para o registros das candidaturas, a necessidade de apresentação de declaração de bens assinada pelo candidato.

O tribunal tem confrontado as informações dos candidatos com suas declarações de IR apenas para verificar se os que justificam gastos de campanha com recursos próprios possuem patrimônio para tal.

Para o TSE, os candidatos deveriam declarar seus bens e os dos cônjuges, porque o objetivo da lei é dar transparência e permitir que a sociedade fiscalize a evolução patrimonial dos políticos, já que o IR é sigiloso.”

(Folha de São Paulo)

Maracanaú – Administração Roberto Pessoa enfrenta protesto de servidores

Professores e demais servidores da Prefeitura de Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza) vão realizar ato de protesto, a partir das 8 horas desta terça-feira, em frente ao fórum municipal, contra a administração Robefrto Pessoa (PR).

A categoria está contra situações “impostas pelo prefeito” como a retirada de anuênio de servidores instáveis, a demissão de alguns servidores e a implantação do Fundo Próprio de Previdência entre outras queixas.

Nesta terça-feira, além do protesto, o grupo vai dar entrada num pedido para que o Ministério Público Estadual investigue a gestão municipal. A mobilização é puxada pelo sindicatos SUPREMA (Sindicato dos Professores de Maracanaú) e SISMA (Sindicato dos Servidores de Maracanaú)

Sindicalistas fazem mobilização pró-redução da jornada de trabalho

“As entidades sindicais estão programando mobilizações esta semana na Câmara em favor da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional que reduz para 40 horas a jornada de trabalho semanal.

A PEC está na pauta para votação em plenário e o assunto já foi discutido em audiências públicas com empregados e empregadores na comissão-geral criada para tratar do tema.

De acordo com a Força Sindical, no ano passado os trabalhadores da área farmacêutica foram a primeira categoria a reduzir coletivamente a jornada de trabalho, que caiu para 36 horas semanais, a exemplo do que já ocorre em alguns setores da indústria, cujas atividades exigem longos intervalos de folga.

Para o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, a redução da jornada de trabalho semanal de 44 para 40 horas permitirá a geração de 2 milhões de empregos, com elevação de 1,9% no custo das folhas de pagamento. Ele destaca que “é um percentual pequeno, uma vez que os ganhos que elas [categorias] tiveram nos últimos anos foram muito compensadores. A produtividade no Brasil, de 2002 para cá aumentou em 27%”, argumenta o sindicalista.

No último dia 14, a Força Sindical promoveu em várias capitais a Jornada Nacional Unificada de Lutas, com o apoio de outras entidades de representação dos trabalhadores, movimentos populares e estudantis. A redução da jornada semanal de trabalho figurou entre as principais reivindicações.

Em reunião realizada no dia 20 no Rio de Janeiro, a Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) posicionou-se contra a aprovação da proposta de emenda à Constituição, que também estabelece aumento de 50% para 70% do valor da hora extra.

A entidade discorda da previsão de Paulo Pereira da Silva, da Força Sindical, e diz que a aprovação pode provocar desemprego, aumento da informalidade e elevação da inflação. A CNC defende que “num momento de recuperação da crise econômica reduzir a jornada encarecerá os produtos e reduzirá a competitividade na área comercial”.

O presidente da CNC, Antônio Oliveira Santos citou os resultados da medida na França, que segundo ele “empobreceu em relação a outras nações da Europa, como a Alemanha”, depois que os trabalhadores tiveram a jornada reduzida.”

(Com Agências)

Defesa de Sarney divide presidenciáveis ao comando do PT nacional

“Entre os candidatos à presidência do PT, apenas os ligados às alas mais à esquerda do partido admitem que a defesa de José Sarney (PMDB-AP) provocou uma crise institucional na legenda. Já a ala mais alinhada com o Planalto, preocupada com os resultados deste desgaste na eleição de 2010, prefere restringir os problemas à bancada no Senado.

Nos últimos dois dias, a Folha ouviu cinco dos seis postulantes à vaga hoje ocupada pelo deputado Ricardo Berzoini (PT-SP). As respostas refletem as divisões que tradicionalmente aparecem no partido.

Candidato apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, José Eduardo Dutra é o mais alinhado à atual administração. Para ele, o PT vive problemas isolados em meio a uma fase onde há praticamente consenso em torno do nome da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) para disputar o Planalto em 2010, da política de alianças e dos rumos do governo Lula.

Em linha completamente oposta está o candidato da Esquerda Marxista, Serge Goulart. Para ele, é um “erro grave” de Lula e do PT sustentar Sarney. “Toda a crise no partido é resultado da política de alianças. E é uma crise centrifugadora”, disse. “O PT está sendo liquidado por uma política que não leva a nada”, acrescentou.

De todos, ele foi o mais crítico à postura do senador Aloizio Mercadante (PT-SP), que, na sexta-feira, após sucessivas promessas em contrário, anunciou que permaneceria na liderança do partido no Senado, apesar de discordar da postura da direção do PT e do governo em relação a Sarney.
“Na medida em que ele é líder do partido, deveria conversar esta questão da liderança com o partido, e não com Lula. Ele não é líder do governo”.

Markus Sokol, da corrente O Trabalho, classificou a postura do PT no Senado de “lamentável”. “[A crise] é um pedágio que estamos pagando por esta aliança descabida com o Sarney”, disse. “O grave é o Planalto expor o partido a uma postura contrária a da bancada”. Sokol propôs a Berzoini antecipar a reunião do diretório nacional do partido marcada para 17 de setembro para discutir estas questões, mas até sexta-feira não havia recebido resposta.

O deputado Geraldo Magela (PT-DF), do Movimento PT, também foi crítico à postura do partido. “O PT vai pagar um preço altíssimo por uma crise que é do PMDB. O que aconteceu atinge todo o partido”, afirmou. Iriny Lopes (PT-ES), candidata da Articulação de Esquerda, se mostrou solidária à postura defendida por Berzoini e pelo Planalto e disse que Mercadante foi “coerente”. “Ele sai fortalecido porque não negociou a liderança. Ele não abriu mão do discurso dele para ficar com o cargo”, afirmou. Ela defendeu que o PT precisa ter independência em relação a quem tenha cargo eletivo, mas negou qualquer crise neste sentido. O deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), candidato pela Mensagem ao Partido, não respondeu às ligações da Folha.”

(Folha de São Paulo)

CNJ e Previdência firmam parceria

“O ministro José Pimentel (Previdência Social) assina amanhã, em Fortaleza, um protocolo de intenções com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O documento vai permitir, em um prazo de 60 meses, a troca de informações e apoio tecnológico entre o INSS e o CNJ.

Este é o primeiro passo para um futuro Acordo entre os órgãos para acelerar o trâmite das ações previdenciárias e assistenciais. Entre essas ações, está a concessão do auxílio-reclusão aos familiares dos detentos que são segurados da Previdência. ”

(Coluna Vertical, do O POVO)

CGU combate nepotismo na área federal

“Os ministros têm mais um mês para informar à Controladoria-Geral da União (CGU) se possuem vínculos familiares com funcionários que ocupam cargo em comissão ou exercem funções de confiança no Governo Federal. A exigência é uma iniciativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para combater o nepotismo no Poder Executivo.
Além dos ministros, também estão obrigados a prestar as informações os ocupantes de cargo de natureza especial e integrantes do grupo de direção e assessoramento da União. O cadastramento começou em 23 de julho e deu prazo de 60 dias para os funcionários prestarem as informações.”

Vem aí o I Festival de Teatro Católico de Fortaleza

A  Comunidade São Francisco realizará, no período de agosto a setembro, o I Festival de Teatro Católico, com tema franciscano, na Área Pastoral do Álvaro Weyne (Fortaleza). A premiação é de R$ 1.000,00, que serão distribuídos para as três peças que obtiverem os melhores resultados de pontuação somadas as notas que serão observadas por um corpo de jurados escolhidos pela comunidade São Francisco em um  total de três.

Pode participar do festival qualquer grupo, pastoral, comunidade, escolas da área pastoral do Álvaro Weyne ou da cidade de Fortaleza como também do interior do estado. As equipes deverão apresentar peças que retratem a vida e a obra de São Francisco de Assis, um dos santos mais populares do Brasil e do Mundo ou algum fato, milagres e santos que fizeram parte da historia do santo.

SERVIÇO

* Inscrições – Sede da Comunidade São Francisco, rua São Francisco, 70 – Bairro Álvaro Weyne, na sede da associação UMLAW, mesmo endereço, na secretaria da Igreja Nossa Senhora de Fátima, rua Silvio Romero, 370 ou no sitio www.umlaw.org.br.

* Informações: 8839 9859 Ivan

Marina: Candidatura do PT contra o PV é luta de Davi contra Golias

“A senadora Marina Silva (AC), que recentemente saiu do PT, disse em entrevista à Folha de S.Paulo que uma candidatura do PT contra uma do Partido Verde (PV) é como uma luta entre David e Golias. Segundo Marina, o PT, com seu tempo de TV na propaganda eleitoral, número de militantes e a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é como o gigante Golias, retratado na Bíblia como um soldado do exército Filisteu em uma guerra contra o povo de Israel. Por outro lado, o PV, com menos de dois minutos de TV, é como Davi, o pequeno soldado hebreu que derrotou o gigante com uma funda.

Marina Silva deixou o PT após convite do Partido Verde (PV) para que concorra à presidência pela legenda no ano que vem. Marina, contudo, não anunciou a filiação ao PV ou a campanha à sucessão de Lula.”Se comparar o tempo de TV da candidatura do PT -o que significa o Bolsa Família, o PAC, o Luz para Todos, o que significa (o programa) Minha Casa, Minha Vida, ter um presidente com 80% de credibilidade, ter palanques de A a Z em 5.000 municípios, com uma militância de 1,6 milhão de filiados- com a de um partido pequeno, com menos de dois minutos na TV, sem palanques, é como se fosse uma luta de Golias contra Davi”, disse Marina à Folha.

Contudo, Marina tentou amenizar a declaração e disse que não imagina “que a candidatura do PT é Golias e nem tenho a pretensão de ser o Davi, só posso imaginar que a minha funda vai se lançar contra o Golias da desesperança, do pragmatismo.”Sobre a crise no Senado, a senadora disse que o apoio ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que enfrenta uma série de denúncias, é insustentável. “No meu entendimento, o melhor para a crise era o seu afastamento temporário, inclusive como forma de preservar a figura histórica de Sarney”, disse ao jornal.”

(Folha Online)

“Movimento PT” de José Airton ganha espaço na chapa de Luizianne Lins

Com apoio unânime para ser eleita presidente regional do PT, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, informou, neste domingo, que vai começar agora a discutir a formação da futura executiva. “Vamos ao Interior conversar com as bases”, prometeu Luizianne, que confirmou em coletiva estar como candidata a presidente regional do partido.

Já o deputado federal José Airton, que comanda a corrente “Movimento PT”, anunciou já ter fechado com Luizianne um acordo. Presente à coletiva que ela deu neste domingo, na sede petista, José Airton informou para o Blog:

“Nós vamos manter o cargo que tínhamos na executiva estadual, que era a Secretaria de Planejamento e Finanças. O companheiro da nossa corrente, Reudson de Souza, que já respondia por essa tarefa, é o indicado”.

STF julga na 5ª feira processo contra Palocci

“Um processo contra o deputado federal Antonio Palocci (PT-SP), acusado da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa e da divulgação indevida desses dados, em 2006, quando era ministro da Fazenda do governo Lula, será o destaque da pauta de julgamentos da semana no Supremo Tribunal Federal (STF).

O relator do processo é o presidente do STF, Gilmar Mendes. Os ministros decidirão na sessão da próxima quinta-feira (27) se recebem a denúncia e abrem ação penal contra o parlamentar, o ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso e o jornalista Marcelo Netto, assessor de imprensa do Ministério da Fazenda à época dos fatos.

Na mesma data será julgado recurso do deputado federal Edmar Moreira (PR-MG) contra o recebimento da denúncia no inquérito no qual é acusado de prática do crime de apropriação indébita de contribuições previdenciárias. O caso é de relatoria do ministro Carlos Ayres Britto.

Na quarta-feira (26), os ministros vão analisar um mandado de segurança ajuizado contra a negativa da Mesa do Senado Federal em cumprir decisão da Justiça Eleitoral que cassou o mandato do senador Expedito Júnior (PR-RO). O Supremo vai dizer se decisões da Justiça eleitoral relativas à compra de votos devem ser cumpridas imediatamente ou aguardar a análise de eventuais recursos.

Outro julgamento previsto para ser retomado na semana é o de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra a cobrança compulsória pelo Instituto de Previdência dos Servidores de Minas Gerais (IPSEMG) de assistência médica, hospitalar, odontológica, social, farmacêutica e complementar dos servidores temporário. Já há sete votos favoráveis à procedência do pedido.

O plenário do STF ainda deve voltar a discutir na quarta-feira (26) se a prerrogativa de foro por exercício de função permanece para magistrados que se aposentam.”

(Agência Brasil)

Mercadante diz que errou ao anunciar renúncia irrevogável

“O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) publicou em seu perfil no Twitter, na noite deste sábado, um pedido para que as pessoas tentem conhecer as razões de ter voltado atrás na sua decisão de renunciar à liderança do partido no Senado. Na última sexta-feira, o parlamentar subir à tribuna para declarar que permaneceria no cargo por causa de um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Errei ao dizer que anunciaria uma renúncia irrevogável mas gostaria que vocês conhecessem as razões mais profundas que me levaram a essa decisão”, escreveu Mercadante. “Gostaria, se possível, que vocês lessem meu discurso na tribuna e a carta que o presidente Lula me enviou”, acrescentou.

Na carta, Lula diz que respeita a posição de Mercadante, mas que não concordava com a saída dele. “Companheiro Mercadante, você me expressou sua indignação com a situação do Senado. Respeito sua posição, mas não posso concordar com sua renúncia à liderança da bancada do PT. A bancada e eu consideramos você imprescindível”, escreveu o presidente.

Nos bastidores do governo, o comentário é que o líder do PT agiu para “ficar bem na foto” com os eleitores, já que é candidato a novo mandato.”

(Agência Estado)

Ilário diz que abriu pela unidade e já admite disputar para deputado federal

O presidente regional do PT, Ilário Marques, anunciou, neste domingo para o Blog, que abriu do desejo de postular a reeleição ao cargo “em favor da unidade do partido”.

“Contribui com a unanimidade ao retirar meu nome do processo, mesmo tendo discordâncias e alguns questionamentos no que  diz respeito à politica. Mas contribui com unidade, o que é fundamental para o PT”, reiterou Marques.

Ele não compareceu à entrevista coletiva que a prefeita Luizianne Lins concedeu, neste domingo, na sede petista, quando, tendo ao lado várias lideranças partidárias,  anunciou que seria candidata à presidência estadual do PT por unanimidade.

O grupo de Ilário Marques deverá registrar chapa para disputar vagas no diretório estadual que, por sua vez, elegerá a nova executiva estadual

FUTURO

Ilário Mrques anunciou ainda para o Blog que se ficar confirmada a candidatura do ministro José Pimentel (Previdêncai Social) para o Senado, ele disputará cadeira de deputado federal em 2010.

“Se Pimentel não for candidato à Câmara Federal, eu disputarei”, avisou Ilário Marques, que preferiu não ir à coletiva “para almoçar com a minha família”. Ele disse que raramente tem feito isso em razão de suas tarefas em Quixadá e por causa de afazeres políticos de sua mulher, Rachel Marques. Ilário tem filho que mora fora do Estado.

Luizianne confirma candidatura à presidência do PT do Ceará

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, anunciou, neste domingo, durante entrevista coletiva das mais concorridas, na sede do PT estadual, que é candidata mesmo à presidência regional da legenda. O Processo de Eleição Direta (PED) ocorrerá em novembro e Luizianne entra na disputa com nome tendo a unanimidade das correntes.

Na entrevista, ela prometeu lutar pelo fortalecimento do PT em 2010 com a confirmação do seu nome pelo PED, que ocorre em novebro. Também falou sobre desafios nacional e estadual e a luta contra a direita. Prometeu apoio a Eunício Oliveira (PMDB) para o Senado e, ainda no ato, lançou o ministro José Pimentel (Previdêncai Sovial) para a outa vaga de senador.

Luizianne Lins ainda agradeceu Ilário Marques pelo trabalho que realizou à frente da direção petista do Estado. Ilário e sua mulher, a deputada estadual Rachel Marques, no entanto, não compareceram ao ato.

Ela fez o anúncio tendo ao lado o vice-governador Francisco Pinheiro, o secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado, Camilo Santana, deputados federais petistas Eudes Xavier, José Nobre Guimarães e José Airton, o ex-presidente do PT estadual e secretário das Cidades do Estado, Joaquim Cartaxo, os deputados estaduais Nelson Martins, líder do Governo Cid Gomes, e Artur Bruno. Também vários secretários de sua administração compareceram ao evento.

Sai edital de concurso público para a Prefeitura de Caucaia

Saiu o edital de concurso público para a Prefeitura de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). Serãoofertadas 2.859 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior, com salários variando de R$ 470 a R$ 4.400,00.

As vagas são para agente administrativo, arquivista, arquiteto, auditor, biólogo, cirurgião dentista, desenhista, cozinheiro, médico, engenheiro, economista, enfermeiro, eletricista, entre outros.

As inscrições podem ser realizadas no período de 1 a 30 de setembro no site www.funece.iepro.org.br. A taxa é de R$ 60 para nível médio e fundamental e R$ 120 para nível superior. Detalhe: 5% das vagas são destinadas a portadores de deficiência.

As provas serão realizadas nos dias 14, 21 e 28, no período matutino para nível superior e vespertino para nível fundamental e médio. Os locais serão divulgados no dia 23 de outubro.
As avaliações objetivas e a prova discursiva/produção textual terão a duração de 4 horas.

SERVIÇO

Informações referentes ao Concurso no endereço – Rua 25 de Março, 780, em Fortaleza.

Telefone – (85) 3231-8482.

* Confira o edital clicando aqui.

(Este Blog com Diário do Nordeste)

Luizianne dá coletiva neste domingo para anunciar candidatura ao PT estadual

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, dará entrevista coletiva às 13 horas deste domingo, na sede do PT municipal. Após uma semana de vários encontros políticos, anunciará que entra na disputa pela presidência do partido no Estado, o que ocorrerá em novembro próximo.

Luizianne ainda tentará até as 20 horas desta segunda-feira buscar ser consenso com setores petistas que resistem e que querem ter o direito de postular como é o caso de Ilário Marques, atual presidente, e o deputado federal José Airton.

VAMOS NÓS  – Luizianne segue assim mesmo modelo adotado pelo governador Cid Gomes, que será o presidente estadual do PSB. Com isso, ambos querem amarrar as bases e assumir de vez e, pessoalmente, as negociações relacionadas ao processo eleitoral 2010. Ou seja, criaram o “coronelismo moderno” nas legendas locais. Queríamos ver essa postura hoje se não houvesse a máquina por trás.