Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Prêmio Nobel da Paz sai para um médico congolês e uma ativista yazidi

O Prêmio Nobel da Paz de 2018 foi concedido hoje (5) a uma dupla considerada exemplo de esforços para para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerras e conflitos armados. O congolês Denis Mukwege e a ativista do povo yazidi Nadia Murad são os agraciados este ano.

“Cada um deles à sua maneira ajudou a dar maior visibilidade à violência sexual em tempo de guerra, de modo que os perpetradores possam ser responsabilizados por suas ações”, diz o texto oficial da Academia do Prêmio Nobel, na Suécia. O prêmio reconhece a maior contribuição para a paz mundial.

Médico ginecologista, Denis Mukwege atua nos cuidados e na defesa das vítimas de violência e abuso sexual. Já Nadia Murad, da minoria yazidi perseguida em vários países, é considerada testemunha dos abusos. Ela foi escrava sexual no Iraque.

Indicados

A lista de indicados é mantida em sigilo, daí a dificuldade em saber exatamente quem são. Porém, foi informado que, neste ano, houve 311 concorrentes: 216 pessoas e 115 organizações.

Os nomes dos líderes coreanos Kim Jong-Um, da Coreia do Norte, e Moon Jaen-in, da Coreia do Sul, integraram a lista, assim como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

Outra organização cotada foi a União Americana pelas Liberdades Civis (em inglês ACLU) pela defesa das liberdades individuais e, principalmente, dos imigrantes e refugiados nos Estados Unidos.

Histórico

O primeiro Nobel da Paz foi entregue em 1901. Já receberam a premiação líderes internacionais envolvidos na resolução de conflitos internacionais, como Shimon Peres, Yasser Arafat e Yitzhak Rabin, em 1994.

Temas ambientais, de direitos humanos e combate à pobreza também estiveram entre os assuntos de destaque do Nobel da Paz. No ano passado, a Campanha Internacional pela Abolição de Armas Nucleares recebeu o prêmio.

(Agência Brasil)

Bolsonaro diz que Haddad é fantoche de Lula

Em entrevista à TV Record, na noite dessa quinta-feira (4), o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que Fernando Haddad, do PT, é fantoche de Lula. Segundo institutos de pesquisas de intenções de voto, Bolsonaro e Haddad polarizam as eleições deste ano.

Sobre a agressão sofrida por meio de Adélio Bispo, Bolsonato afirmou que não quer antecipar fatos, mas não acredita que o agressor agiu sozinho.

Bolsonato negou que seja racista, homofóbico e agressor de mulheres. Disse que embate com a deputada Maria do Rosário foi uma reação, após ser chamado de estuprador.

Com relação às fake news, Bolsonaro alegou que Haddad espalha no Nordeste que a sua candidatura sugere acabar com o Bolsa Família. “Eles (petistas) fazem isso toda eleição”, reclamou. O candidato se disse contra às falsas notícias e alegou que não há como controlar milhões de pessoas que postam em redes sociais notícias que destacam sua candidatura, por meio de fake news.

Bolsonaro defendeu o general Mourão, seu vice de chapa, ao afirmar que ele não defendeu o fim do 13º salário. Aproveitaram uma fala mal interpretada do general para desgastar sua candidatura.

O candidato do PSL disse que o combate à corrupção passa pela mão indicação política a cargos no governo.

Bolsonaro afirmou que o ex-ministro Palocci está colaborando com a Justiça e que os depoimentos apontam para uma “tomada de poder” por parte do PT.

O candidato do PSL se diz necessário para o momento. “Querem trazer o socialismo, o comunismo. (…) Será o fim da nossa pátria, se o PT chegar ao poder”, ressaltou Bolsonaro, ao completar que respeitará os números das urnas.

Jair Bolsonaro disse desconfiar das pesquisas de intenções de voto, quando acredita que deverá vencer no primeiro turno.

(Foto: Reprodução)

Candidatos fazem as considerações finais

Alckmin diz que 20% dos votos são decididos nos últimos dias.

Álvaro Dias destaca o combate à corrupção e com o fim de privilégios, quando governador do Paraná.

Ciro ressalta que há 4 anos o país está parado pela política da divisão e agora corre o risco da política do ódio, o que não permite ao Brasil se reconciliar.

Meirelles afirma que agora é o momento de se comparar história dos candidatos. Ódio não gera emprego e vingança não combate a insegurança e não se cria melhoria para a saúde.

Haddad aponta raízes humildes e diz que aprendeu com Lula a ajudar a quem mais precisa. Levante bandeira do trabalho e da educação.

Marina agradece a Deus por não ter caído na tentação do ódio e se diz pacificadora. País não precisa de força física, mas de força moral.

Boulos afirma que domingo é dia de barrar o ódio e pede o voto da esperança.

(Foto: Divulgação)

Ciro diz que Bolsonaro fugiu ao debate, enquanto dá entrevista a outra emissora

Questões relacionadas aos direitos dos trabalhadores, reforma da previdência, desemprego e a desigualdade social deveriam ser esclarecidas pelo candidato Bolsonaro, líder nas pesquisas de intenções de voto.

A cobrança é de Ciro Gomes, em debate com Henrique Meirelles. Para Ciro, Bolsonaro foge ao debate, enquanto dá entrevista à emissora de televisão (Record).

Ciro pede esclarecimentos sobre declarações na campanha de Bolsonaro de perdas do adicional de férias e do 13º salário.

Meirelles aponta que entrevista concedida por Bolsonato tem o conforto na abordagem dos problemas do país.

(Foto: Divulgação)

Marina cobra de Haddad o reconhecimento dos erros do PT

Para a candidata Marina Silva, Haddad poderá cometer os mesmos erros do PT, nos governos Lula e Dilma, diante da dificuldade do partido em reconhecer as falhas cometidas ao longo de 14 anos.

Haddad alega que falou sobre o assunto em outras oportunidades, mas ressaltou conquistas dos governos petistas, como geração de emprego e oportunidades à pessoas menos favorecidas socialmente.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro é o principal alvo entre demais candidatos

Ausente no debate promovido pela Globo, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi o principal alvo no primeiro bloco.

Ciro Gomes apontou que o país mão pode estar dividido e que não se pode votar pelo ódio. Haddad e Boulos afirmaram o risco do retorno da perca de direitos, como no tempo da ditadura militar. Marina e Álvaro Dias lamentaram declarações do vice de Bolsonaro, que criticou o 13º salário e adicional de férias. Meirelles e Alckmin apontaram questões do crescimento econômico e retomada do emprego.

(Fotos: Reprodução)

Dr. Eron propõe criação de escola de música em Fortaleza

O vereador Dr. Eron (PP) apresentou projeto de indicação que cria a Escola de Música Lauro Maia Teles. Pela proposta, a escola deverá ser gerida pela Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o Sindicato dos Músicos do Ceará.

Dr, Eron Moreira destacou que a escola deverá servir para a formação de músicos, formação de bandas de música, além de inserir a criança e o adolescente no contexto cultural e educativo.

O projeto será encaminhada para a Comissão Permanente, onde receberá parecer do relator.

(Foto: Divulgação)

Após ataques, campanha por placas de Marielle já arrecada R$ 28 mil

Menos de um dia depois que circularam nas redes sociais imagens de dois candidatos do PSL-RJ exibindo uma placa destruída que homenageava a vereadora Marielle Franco, uma campanha feita por simpatizantes e apoiadores das causas defendidas por ela já arrecadou hoje (4) 14 vezes o valor definido como meta para fazer novas placas.

O valor estipulado foi de R$ 2 mil para a confecção de 100 placas. Em apenas 24 minutos, a quantia foi obtida. Por volta das 15h desta quinta-feira, as doações já somavam R$ 28 mil com a adesão de mais de mil pessoas. A organização da campanha fará mil placas e destinará o dinheiro restante para outras ações de homenagem à vereadora ainda não divulgadas.

Em um vídeo postado nas redes sociais, o candidato a deputado estadual Rodrigo Amorim, e o candidato a deputado federal Daniel Silveira, ambos do PSL-RJ, retiram a homenagem da placa que foi colocada na esquina da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, onde Marielle cumpria seu primeiro mandato quando foi assassinada.

No vídeo, Daniel defende que o assassinato não justificava colar a placa, o que classificou de vandalismo. Já Rodrigo afirma que outras 60 mil pessoas foram assassinadas no país.

Dias depois, os candidatos levaram a placa a um ato político para apoiadores em Petrópolis, na Região Serrana. O ato foi registrado em mais um vídeo postado nas redes sociais, e Amorim e Silveira exibem a placa quebrada ao meio. Os dois foram fotografados com os pedaços da placa nas mãos, e as imagens se espalharam nas redes.

Com a repercussão, os dois políticos fizeram uma transmissão ao vivo no Instagram em que afirmam que repudiam o assassinato de Marielle e defendem que seus algozes têm que ser investigados e punidos severamente.

Na gravação transmitida na internet, eles afirmam que não haverá pedido de desculpas e defendem que retiraram a homenagem como se fosse uma pichação qualquer, sem a intenção de atingir a imagem da vereadora, porque buscavam restaurar o patrimônio público havia sido depredado.

(Agência Brasil)

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro sobe três pontos e Haddad avança um ponto

232 2

O resultado da pesquisa Datafolha de candidatos a presidente foi conhecido na noite desta quinta-feira, 4 de outubro. A consulta foi encomendada pela Rede Globo e jornal Folha de S. Paulo.

Jair Bolsonaro (PSL) aparece isolado com 35% de intenções de voto. Fernando Haddad (PT) vem em segundo com 22%. Ciro Gomes (PDT) marcou 11%, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 8%. Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira, 2, Bolsonaro subiu três pontos, Haddad subiu um ponto; Ciro manteve o percentual e Alckmin caiu um ponto.

Confira o resultado da pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira:

Jair Bolsonaro (PSL): 35%; Fernando Haddad (PT): 22%; Ciro Gomes (PDT): 11%; Geraldo Alckmin (PSDB): 8%; Marina Silva (Rede): 4%; João Amoêdo (Novo): 3%; Henrique Meirelles (MDB): 2%; Alvaro Dias (Podemos): 2%; Cabo Daciolo (Patriota): 1%; Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram. Branco/nulos: 6%; Não sabe/não respondeu: 5%.

(O POVO Online)

Morre a mãe do advogado Reno Ximenes

Morreu na noite desta quinta-feira (4) a professora e missionária Alaís Ximenes Ponte, 96. Ela era viúva do professor Osmar de Sá Ponte e mãe do advogado Reno Ximenes, além de Romero, Verá Lúcia, Marcos, Aníbal, Amilcar, Manfredo, Maria Ayrtes, Rita Helena, Expedito, Osmar Júnior e Rômulo.

O velório ocorre a partir das 20 horas, na Ethernus, bairro Aldeota. O sepultamento está previsto para esta sexta-feira (5), às 14 horas, no Cemitério Jardim Metropolitano, no município de Eusébio.

Nossos pêsames à família.

(Foto: Arquivo)

Dólar interrompe série de quedas e sobe fechando a R$ 3,89

A cotação da moeda norte-americana fechou hoje (04) em pequena alta de 0,22%, cotada a R$ 3,8960 para venda interrompendo os três últimos pregões em baixa. O Banco Central realizou swaps cambiais tradicionais, sem efetuar nenhum leilão futuro de venda do dólar.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o pregão em baixa de 0,38%, com 82.952 pontos. Papéis de grandes companhias, como Petrobras, encerraram o dia em alta de 0,97%, Bradesco subindo 0,48% e Itau com valorização de 0,11%.

(Agência Brasil)

Luciano Huck usa Instagram para pedir votos

497 1

O apresentado global Luciano Huck usou sua conta do Instagram para pedir votos para candidatos do movimento Renova BR.

No Stories, ele ressaltou a importância das escolhas para o legislativo e recomendou candidatos a deputado, todos do PPS, partido pelo qual o apresentador cogitou lançar-se à presidência.

Os indicados foram Paulo Gontijo (estadual / RJ), Marcelo Calero (federal / RJ), Humberto Laudares (federal / SP), Diogo Busse (estadual / PR), Marrafon (federal / MT) e Will Bueno (federal / MG).

(Veja Online/Foto – Divulgação)

Centro de Fortaleza – Rua Guilherme Rocha está com reforma quase concluída

Está ficando uma beleza a reforma dos calçadões do Centro de Fortaleza, projeto tocado pela Prefeitura e com apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Eis aí a rua Guilherme Rocha, com seu primeiro quarteirão prontinho. Nova drenagem, nova pavimentação, novas luminárias e, em breve, mobiliário urbano e quiosques padronizados.

A obra fica concluída no dia 23 de novembro e, após isso, entra a obra na rua Liberato Barroso.

(Foto – Divulgação)

Temer: “No domingo, vamos eleger a oposição e a situação”

O presidente Michel Temer defendeu hoje (4) a Constituição Federal, pedindo inclusive, ao final do discurso, um aplauso para o texto. A Constituição, considerada o principal símbolo do processo de redemocratização nacional completa 30 anos nesta sexta-feira (5). O presidente participou no final desta manhã do lançamento de programas educacionais no Palácio do Planalto.

Às vésperas das eleições, Temer ressaltou que o próprio processo eleitoral está garantido na Constituição. “Vamos exercitar um dos resultados máximos da Constituição de 88 que é o voto”, disse. “Pensar diferente é revelador em uma democracia. No domingo, vamos eleger a situação e a oposição. A eleição elege quem governa e quem fica na oposição. Temos que ver isso com naturalidade”.

Temer disse ainda que a Constituição uniu princípios liberais e princípios do socialismo, ao mesmo tempo protegendo, por exemplo, a propriedade privada e garantindo direitos sociais como o direito à educação e à saúde.

Para o presidente não há a necessidade de convocar uma nova Assembleia Constituinte: “Nosso Estado precisa ser reformulado a cada período porque nós temos uma vocação extraordinária para a cada 25, 30 anos achar que tem uma crise institucional, uma crise econômica, uma crise política, é preciso criar um novo estado”, disse ao acrescentar que um país ganha estabilidade institucional “quando tem instituições consolidadas”, o que é garantido pela Constituição.

O presidente também defendeu medidas tomadas durante o governo, como a Emenda Constitucional 95, de 2016, conhecida como teto dos gastos, que limita por 20 anos os gastos públicos federais ao Orçamento do ano anterior corrigido pela inflação.

“Quando lançamos o teto dos gastos públicos, era conhecido como PEC da morte porque iria acabar com educação e com a saúde do pais. Desde os primeiros momentos que editamos os Orçamentos, sempre aumentamos as verbas para educação e para saúde”, diz.

Constituição Federal

Após 21 anos de ditadura militar, a Constituição passou a vigorar como instrumento que proporcionou a criação de mecanismos para evitar abusos de poder do Estado. Ela foi definida por uma Assembleia Nacional Constituinte, presidida pelo deputado Ulysses Guimarães (então PMDB-SP).

Uma Assembleia Nacional Constituinte, para definir o texto, foi convocada em 1985 pelo presidente José Sarney. Ao todo, participaram 559 parlamentares, sendo 72 senadores e 487 deputados federais. Entre os constituintes, 26 eram mulheres.

Foram coletadas 72.719 sugestões de cidadãos de todo o país, além de 12 mil sugestões dos constituintes e de entidades representativas.

(Agência Brasil)

A Infeliz escolha

Com o título “Infeliz escolha”, eis artigo de Pedro Henrique Antero, cientista político. Ele bate na escolha do nome de Che Guevera para o Cuca da Barra do Ceará, aproveitando mote da visita recente da filha mais velha do revolucionário ao Ceará. Confira:

Na semana passada, a imprensa estampou a fotografia de Aleida Guevara, filha mais velha do revolucionário e criminoso Che Guevara, que lutou pela implantação da ditadura comunista em toda a América Latina, à semelhança do que havia ocorrido em Cuba. Segundo a notícia divulgada, ela veio ao Ceará para cumprir uma agenda oficial de visitas às escolas do MST, bem como proferir palestra no Cuca da Barra do Ceará que leva o nome do seu pai.

Aleida veio, sem dúvida, relatar experiências ocorridas em seu país que vive sob uma severa ditadura há 59 anos. Que contribuição, então, na área social, poderia essa senhora trazer para o nosso Estado ? Tratou-se, portanto, de um convite estranho e até mesmo inusitado. Isso revela, apenas, um comportamento ideológico de políticos mal resolvidos, que não abrem mão das regalias e acertos do capitalismo, mas temem o patrulhamento tradicional das esquerdas brasileiras.

A história do socialismo e do comunismo no mundo parece não ter sido suficiente, ainda, para demonstrar a muitos que esses regimes jamais proporcionaram a liberdade para seus povos. China, Cuba e Coréia do Norte, no momento, e União Soviética, no passado, são exemplos irrecusáveis de que tais regimes devem ser rechaçados, de qualquer maneira, enquanto o povo está livre. A esses regimes se assemelhou, também, com sinal trocado, o nazismo que matou um número de pessoas quase tão grande quanto o comunismo.

A história do Ceará é rica em nomes que se sacrificaram pelo bem estar do seu povo e pelas liberdades dos cearenses. Demócrito Rocha, fundador deste jornal, é um exemplo de cidadão que lutou pela liberdade de expressão em nosso Estado. Houve heróis, também, na luta contra a escravidão, na Confederação do Equador e em outros movimentos libertários. A Igreja Católica nos oferece, igualmente, centenas de exemplos de vigários que dedicaram suas vidas em favor do próximo, não havendo necessidade de designar um equipamento público com o nome de alguém que aqui nunca esteve e que representa o que há de mais cruel, despótico e retrógrado em política na América Latina. Luiziane Lins não foi feliz em sua escolha.

*Pedro Henrique Chaves Antero

phantero@gmail.com

Professor de Ciências Políticas.

Preço da cesta básica cai em 10 Capitais, indica Dieese

O preço da cesta básica, no mês de setembro, caiu em dez das 18 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo levantamento divulgado hoje (4), Goiânia teve a maior redução (-2,31%), ficando em R$ 354,11. Em 12 meses, o conjunto de produtos registrou queda de 5,06 na capital goiana. Recife teve a segunda maior retração em setembro (-2,17%), ficando em R$ 332,75.

Em São Paulo, a cesta básica ficou estável no mês passado, no valor de R$ 432,83. Em 12 meses, a cesta teve alta de 2,81% na capital paulista. Na capital paulista, o conjunto de produtos tem o segundo maior valor entre as cidades pesquisadas.

As maiores elevações foram verificadas em Campo Grande (5,24%) e Salvador (1,26%). Na primeira, os produtos estão cotados atualmente em R$ 383,77 e na outra em R$ 315,86. Na capital baiana, no entanto, a cesta acumula queda de -0,84% em 12 meses. Em Campo Grande, o conjunto de produtos registra alta de 6,83% no período, a maior entre as cidades pesquisadas.

A cesta mais cara no mês, segundo o levantamento, é a de Florianópolis (R$ 435,47). Os itens tiveram alta de 0,97% em setembro e de 3,89% em 12 meses.

Itens

Entre agosto e setembro, seis produtos tiveram retração nos preços: batata (-8,14%), tomate (-5,31%), leite integral (-4,15%), açúcar refinado (-1,67%), manteiga (-1,15%) e óleo de soja (-0,30%). Em 12 meses, cinco itens registram quedas acumuladas: feijão carioquinha (-11,73%), açúcar refinado (-8,88%), tomate (-8,84%), café em pó (-5,76%) e batata (-5,24%).

No mês, tiveram alta o pão francês (1,23%), a carne bovina de primeira (1,71%), o café em pó (2,42%), a banana (2,63%), o arroz agulhinha (2,67%) e a farinha de trigo (5,99%). Em 12 meses, acumulam elevações a banana (1,03%), o óleo de soja (1,20%), a carne bovina de primeira (2,52%), o arroz agulhinha (5,48%), a manteiga (6,83%), o pão francês (9,32%), o leite integral (21,86%) e a farinha de trigo (26,91%).

(Agência Brasil)