Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Cooperativas de crédito ganham cada vez mais expressividade no mercado

Em artigo sobre o oligopólio no mercado financeiro de cinco bancos, o Mestre em Gestão Empresarial e consultor financeiro Fabiano Mapurunga destaca o surgimento dos bancos digitais e das cooperativas de crédito como alternativa aos consumidores. Confira:

O Brasil há muito é dominado por um oligopólio no mercado financeiro, formado por cinco bancos, que juntos detém 90% do mercado de crédito (Banco Central do Brasil, 2018). Tal fato sempre causa algum desconforto pois, a população fica à mercê das condições impostas por estas instituições tanto para tomar crédito, quanto para usar seus meios de pagamentos e outros serviços. Porém já desponta, com certa relevância, outras instituições que prometem fazer frente aos grandes bancos, dando mais alternativas para os consumidores. Falamos dos Bancos Digitais e das Cooperativas de Crédito. Trataremos hoje, destas últimas em específico, e no futuro comentaremos também sobre as Corretoras de valores, que representam uma alternativa fabulosa para seus investimentos.

Cooperativas de créditos são instituições financeiras compostas pela associação de pessoas com a finalidade de prestar serviços financeiros exclusivamente aos seus associados, onde seus cooperados são ao mesmo tempo donos e usuários da cooperativa, participando de sua gestão e usufruindo de seus produtos e serviços (Banco Central do Brasil, 2018). Tais instituições possuem os principais mecanismos usados pelos bancos, como: conta – corrente, aplicações financeiras, cartões de crédito, empréstimos e financiamentos.

Algumas nuances apresentam boas diferenciações sendo estas:

– Os associados têm o mesmo poder de voto, independente da sua cota de participação no capital social da cooperativa;

– O cooperativismo não objetiva lucros, todos possuem direitos e deveres iguais;

– A cooperativa costuma prestar um serviço personalizado a seus clientes;

– Tanto a distribuição de lucros, ou sobra como chamam, assim como os prejuízos que possam vir a ter, são realizadas entre os cooperados obedecendo às operações que cada um realiza com a cooperativa, dessa forma os ganhos ou prejuízos acabam retroalimentando a comunidade dos cooperados;

– A atividade das Cooperativas de crédito são devidamente regulamentadas e supervisionadas pelo Banco Central;

– Um consumidor ao invés de abrir uma simples conta como cliente, ele se torna um cooperado, significando que ele passa a ser usuário e dono do negócio;

– Todos os depósitos realizados nas cooperativas são protegidos pelo Fundo garantidor de Cooperativismo de Crédito (FGCoop). Tal fundo tem como objetivo proteger os créditos e depósitos em caso haja uma intervenção ou liquidação extrajudicial dessas instituições. O valor hoje limite dessa proteção por CPF é de R$ 250 mil reais, o mesmo praticado para os bancos.

Interessante verificar que, hoje cooperativas como Sicoob, Sicredi e outras além de estarem crescendo em número físico de agências, também conseguem oferecer taxas até 50% mais baixas que as dos bancos. As mesmas estão na contramão dos bancos, onde hoje esses, estão reduzindo seu número de agências e aumentando a digitalização dos seus processos, pois seus custos transacionais não suportam mais o modelo antigo, onde a capilaridade se caracterizava como uma de suas fortalezas. O cliente, no final das contas, quer ter taxas mais atrativas. Logo as cooperativas já partem na frente.

Estudos do Banco Central apontam que as Cooperativas têm crescido à taxa de 20% ao ano em suas operações, mesmo com toda a nossa crise econômica. Tal crescimento tem forte concentração nas operações de crédito agrícola localizados nas regiões Sul e Centro-Oeste. Porém o crescimento acontece também para o número de cooperados que está hoje na ordem de 80%, chegando a 1,1 milhão seguido fortemente, pelo número de pessoas físicas que cresceu 52% indo para 8,1 milhões.

Apesar das operações com agronegócios representarem uma boa fatia do crescimento, despontam com toda força as modalidades de crédito pessoal e cartão de crédito, como as que mais crescem para as Pessoas Físicas.

As Cooperativas adotam a estratégia de crescimento em seu número de agências, para se tornarem cada vez mais populares e já estão saindo dos interiores e indo para as grandes capitais. Suas taxas são significativamente mais baixas para a grande maioria das operações dos bancos, em função dos seus reduzidos custos transacionais.

Os números dessas entidades são bastante promissores, quando verificamos que em média crescem 16% ao ano em operações de crédito, com uma taxa de inadimplência média de 2,1%, enquanto a dos bancos chega a 5,5%.

Com tudo isso as Cooperativas ainda possuem muito campo para crescer aqui no Brasil e assim esperamos que o façam. Hoje existem apenas 967 cooperativas e 6.037 pontos de atendimento.

Procurem cada vez mais informações sobre as Cooperativas de crédito, pois quanto mais alternativas de crédito mais barato e de serviços mais competitivos tivermos, melhor será para seus negócios.

Fabiano Mapurunga

CEO da Go Partners Consultoria em Finanças e Negócios. Mestre em Gestão
Empresarial. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria

PSB vai apoiar Eunício Oliveira e Cid Gomes para o Senado

O presidente do PSB no Ceará, deputado federal Odorico Monteiro, anunciou, neste fim de semana, a decisão do partido de apoiar a reeleição do emedebista Eunício Oliveira e também a eleição do pedetista Cid Gomes ao Senado.

O PSB, segundo  parlamentar, também decidiu que irá se coligar proporcionalmente com o MDB, ou seja, os dois partidos estarão juntos nas disputas por vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal.

O apoio a Cid (ainda não confirmou a pré-candidatura) e Eunício ocorrerá independente de uma aliança entre ambos. A decisão surpreende pelo fato do PSB ter optado por nomes e não por partidos.

(Foto – Divulgação)

SUS tem quase R$ 2 bilhões a receber das operadoras de planos de saúde

Quase R$ 2 bilhões devidos ao Sistema Único de Saúde (SUS) não foram repassados pelas operadoras de planos de saúde ou estão contingenciados devido a ações judiciais impetradas pelas empresas. O valor se refere a atendimentos prestados a beneficiários de saúde suplementar por unidades públicas de saúde.

A cobrança é prevista pela Lei 9.656 de 1998, que define que as operadoras devem ressarcir a União sempre que um de seus beneficiários usar o SUS para um serviço que esteja previsto no contrato do plano de saúde.

Desse valor, R$ 346,27 milhões estão suspensos devido a decisão judicial. Outros R$ 1,28 bilhão simplesmente não foram pagos pelas operadoras de saúde suplementar e foram inscritos na Dívida Ativa da União. Há ainda cerca de R$ 300 milhões que não foram pagos mas ainda não chegaram a ser inscritos na Dívida Ativa.

Os dados são da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que regula os planos de saúde e é a responsável por fazer os cálculos e as cobranças desses ressarcimentos.

Segundo a gerente de Ressarcimento ao SUS da ANS, Fernanda Freire de Araújo, muitas empresas apostaram na judicialização do processo para evitar o pagamento, uma vez que o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda não tinha decidido se o ressarcimento era constitucional ou não. Apenas em fevereiro deste ano, o STF decidiu que a cobrança é legal e pode ser feita pela ANS.

“Até a decisão do STF, a gente ainda tinha uma incerteza, se era constitucional ou não, se elas [as operadoras] iam ter razão na invalidade dessa cobrança, então muitas apostavam na judicialização, porque ela judicializa, deposita o dinheiro e segura a discussão”, disse.

Segundo a gerente, o dinheiro depositado em juízo não será imediatamente ressarcido ao SUS, porque as ações estão distribuídas em varas da Justiça de todo o país e essa cobrança poderá demorar até dois anos. Além disso, nem todo dinheiro depositado em juízo se refere ao questionamento da constitucionalidade do ressarcimento. Alguns processos questionam, por exemplo, o valor cobrado pela ANS por determinado procedimento médico prestado pelo SUS.

A decisão do STF ajudará também, segundo Fernanda, na cobrança do valor que está inscrito na Dívida Ativa. Segundo ela, o ressarcimento é uma forma não só de reaver o dinheiro gasto pelo Estado com o procedimento médico, como também proteger o beneficiário dos planos de saúde.

“O ressarcimento é uma proteção para que a operadora não deixe de constituir a rede dela e não expurgue todo mundo para o SUS. É garantir que o beneficiário tenha seu contrato coberto”, disse.

Nem todas as cobranças, no entanto, deixam de ser pagas ou são contestadas na Justiça. Desde 2013, os planos de saúde já ressarciram o SUS em R$ 2,06 bilhões. O dinheiro é repassado pela ANS ao Fundo Nacional de Saúde para ser repartido entre os estados e prefeituras que prestaram o atendimento ao beneficiário.

Em resposta, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), que representa as principais operadoras de planos de saúde do país, informou que as empresas recorrem à Justiça quando entendem que a cobrança é indevida (como, por exemplo, nos casos de procedimentos excluídos por lei, fora da abrangência geográfica do plano ou em período de carência) e quando a ANS não aceita anular a cobrança.

Na visão da Fenasaúde, há uma necessidade de maior integração e agilidade de informações entre os sistemas público e privado. “Quando um beneficiário de plano de saúde é atendido na rede pública – como em casos de acidentes em via pública -, a operadora precisa ser informada o mais rápido possível para que promova a transferência dele para a rede privada, desde que essa remoção não cause prejuízo à saúde do beneficiário. Não há interesse das operadoras nem dos beneficiários em utilizar a rede pública de saúde. As operadoras asseguram a oferta e garantia dos serviços contratados junto aos seus beneficiários”, diz nota da Fenasaúde.

(Agência Brasil)

PT lança movimento para votação de candidatos ao Senado

O PT quer a manutenção de seus atuais senadores, nas eleições de outubro próximo, além da eleição de novos senadores. O movimento “Quero o PT no Senado” será lançado nesta segunda-feira (16), em Fortaleza, a partir das 18 horas, no Centro.

No Ceará, o partido possui José Pimentel, que já manifestou interesse em concorrer à reeleição.

A deputada federal Luzianne Lins é encarregada da mobilização no Estado.

Nascimentos na China caem 3,2% em 2017

O número de nascimentos caiu 3,2% na China em 2017 em relação ao ano anterior, ao atingir 17,58 milhões de bebês, segundo números divulgados pela Comissão Nacional de Saúde e citados pela imprensa estatal.

O ano anterior, 2016, tinha sido o primeiro após o final da política do filho único e na China houve 18,46 milhões de nascimentos, com um aumento de 11,5% sobre o exercício precedente.

No entanto, esse efeito positivo só durou um ano no número global de nascimentos. Mesmo assim, 51% dos bebês nascidos durante 2017 não eram o único filho da família, acrescentam os dados de hoje.

O governo chinês eliminou a partir do dia 1º de janeiro de 2016 a política do filho único a fim de combater o envelhecimento demográfico, permitindo que as famílias tivessem dois filhos.

No entanto, apesar do aumento inicial do primeiro ano, a forte queda do segundo e da primeira metade de 2018 está levando as autoridades a pensar em eliminar todos os limites à natalidade, segundo informou a imprensa, algo que poderia ocorrer inclusive este ano.

Após o final da política do filho único, implantada em 1979, os nascimentos não aumentaram o esperado pelas autoridades devido, conforme declarações de várias fontes, à falta de habitação nas grandes cidades e de serviços como educação ou saúde.

(Agência EFE)

França goleia a Croácia e é bicampeã 20 anos após título em casa

Duas décadas após vitimar a Seleção Brasileira na decisão da última Copa do Mundo que sediou, a França voltou a levantar o mais cobiçado troféu do planeta. O time comandado por Didier Deschamps, campeão como jogador em 1998, fez 4 a 2 sobre a Croácia na final deste domingo, no Estádio Luzhnikí, em Moscou, e igualou Argentina e Uruguai como detentora de dois títulos mundiais.

Agora, a França só está atrás de Brasil, com as suas cinco conquistas, e Alemanha e Itália, com quatro cada, no rol de maiores vencedores de Copas do Mundo. Os franceses ainda deixaram para trás Espanha e Inglaterra, ambas com uma taça, enquanto a Croácia precisou se contentar com o vice-campeonato, a sua melhor campanha em Mundiais. Em 1998, havia sido terceira colocada, posto hoje ocupado pela Bélgica.

Para superar os croatas, a França teve a mesma prudência das fases anteriores da Copa do Mundo da Rússia. Suportou a pressão inicial da equipe adversária e abriu o placar com um gol contra de Mandzukic. Absorveu o empate, que veio com Perisic, e voltou a ficar à frente ainda no primeiro tempo, em pênalti convertido por Griezmann. Na segunda etapa, Pogba e Mbappé transformaram o triunfo em goleada, e Mandzukic descontou em falha feia do goleiro Lloris.

A Croácia rejeitou o jogo estudado nos primeiros minutos da final da Copa do Mundo. Vindo de três prorrogações, o time dirigido por Zlatko Dalic aproveitou o fôlego inicial para partir para cima da França, aparentemente surpreendida pela postura da seleção adversária.

Os franceses, no entanto, não mudaram o estilo que marcou a sua campanha no Mundial. Com um jogo cauteloso desde a fase de grupos, a equipe de Didier Deschamps teve paciência para conter o ímpeto da Croácia e, aos poucos, começar a se soltar no gramado.

Aos 17 minutos, a França abalou, de fato, os croatas. Griezmann sofreu uma falta na ponta direita bastante contestada pela seleção adversária e apresentou-se para a cobrança. Ele levantou a bola na área, onde Mandzukic fez a torcida brasileira recordar Fernandinho, protagonista de lance infeliz contra a Bélgica, e cabeceou para anotar o gol contra.

Com a vantagem no marcador, a torcida francesa passou a cantar ainda mais alto no Estádio Luzhnikí, sobrepondo-se à maioria croata. Dentro de campo, o país campeão mundial de 1998 também parecia que tiraria proveito do momento para se impor diante da finalista inédita de Copas do Mundo.

A superioridade francesa, contudo, durou dez minutos. Aos 27 minutos, Modric bateu falta ensaiada, jogando a bola para o lado direito da área. Mandzukic e Rebic desviaram pelo alto até Vida escorar para Perisic. O meia da Internazionale cortou para a esquerda para se desvencilhar de Kanté e chutou forte e cruzado para empatar o jogo.

A França reagiu. Aos 35 minutos, Griezmann bateu um escanteio da direita, e Perisic tocou a bola com o braço ao afastar para a linha de fundo. O árbitro argentino Néstor Pitana já havia assinalado novo tiro de canto quando começou a ser convencido pela reclamação de Matuidi, que viu o lance, e seus compatriotas a consultar o VAR.

Pitana, então, correu em direção ao monitor instalado à beira do gramado. Demorou, mas assinalou o pênalti a favor da França. Griezmann, o homem das bolas paradas, ignorou a movimentação provocativa do goleiro Subasic, deslocou o oponente e recolocou a sua nação à frente no placar.

Com mais de 60% de posse de bola no primeiro tempo, a Croácia iniciou o segundo sem alterações, esperançosa de que seria recompensada pela ofensividade. A França, como tinha feito na semifinal a ponto de enervar a Bélgica, não teve vergonha de se fechar e ficar armada para os contra-ataques.

O primeiro susto por meio de contragolpe ocorreu aos seis minutos. O astro Mbappé, apagado até então, foi lançado por Pogba e acelerou pela ponta direita, caçado por Vida. Só parou quando Subasic surgiu diante dele para fazer a defesa, em lance tão veloz quanto um grupo de torcedores que invadiu o campo pouco depois.

Embora a estratégia já tivesse mostrado potencial, a França resolveu se precaver também defensivamente, trocando Kanté, que tinha cartão amarelo, por N’Zonzi. Já Pogba, mesmo com algumas falhas na marcação, permaneceu no gramado. Para a alegria dos franceses.

Aos 13 minutos, Pogba fez mais um lançamento para Mbappé, que, desta vez, cruzou quando avançou à linha de fundo direita. Griezmann reteve a bola e rolou para trás, onde já tinha chegado o volante do Manchester United. Ele finalizou forte, carimbou a marcação e ficou com o rebote. Na segunda tentativa, estufou a rede.

A França assumiu o controle da decisão a partir de então. Abatida, a Croácia dava sinais de ter enfim acusado o desgaste físico, deixando a bola mais tempo nos pés dos franceses. Aos 19 minutos, Mbappé desferiu novo golpe ao ter espaço para concluir rasteiro de fora da área. Subasic, que nem esticou o braço, aceitou.

O quarto gol fez a França relaxar no Luzhnikí. Até demais. Aos 23, Varane recuou a bola para Lloris, que, cheio de confiança, tentou driblar Mandzukic. Não conseguiu. O centroavante croata dividiu com firmeza e mandou a bola para dentro, desta vez a favor do seu país.

Diminuir a considerável vantagem francesa fez a Croácia reavivar as suas esperanças, mas não tanto. Bem protegida, agora com Tolisso e Fekir nos lugares de Matuidi e Giroud, a França sabia administrar a partida, apenas à espera do momento de levantar, em 15 de julho de 2018, o troféu que Zinedine Zidane conquistou em 12 de julho de 1998.

(Gazeta Esportiva)

Mulher morre após veículo colidir em poste durante perseguição policial na Washington Soares

Vítima ainda não identificada morreu após perseguição policial na avenida Washington Soares, no bairro Messejana, na Capital. O veículo em que a mulher estava colidiu com um poste e ela morreu na hora. O carro estava sendo usado em ação criminosa, de acordo com a Polícia. Caso aconteceu na noite da sexta-feira, 13.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), composição da Polícia Militar do Ceará (PMCE) recebeu chamado via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) de que suspeitos que praticavam assalto estavam trafegando em carro na avenida.

Os policiais deram início a perseguição ao carro de modelo Volkswagen Golf, de cor vermelha e placa MYT-4303. Minutos depois, o carro colidiu com um poste. A mulher morreu e José Fábio Sousa Filho, 22, e Jeferson Marvel Pereira, 25, foram presos em flagrante e encaminhados para o 30º Distrito Policial. O primeiro tinha passagem por roubo e o segundo por três receptações, falsificação de documentos e tráfico de drogas. O caso está sendo investigado agora pelo 18º Distrito Policial, no Passaré.

(O POVO Online)

Trump se declara disposto a concorrer à reeleição

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressou sua intenção de concorrer à reeleição em 2020 em entrevista ao jornal britânico Mail on Sunday, na qual afirma que não vê nenhum democrata capaz de ganhar dele. Embora admita que “nunca se sabe o que passa com a saúde e outras coisas”, Trump, de 72 anos, confirmou ao ser perguntado pelo jornalista Piers Morgan se vai tentar a reeleição que tem “toda a intenção de fazê-lo”.

“Bom, tenho toda a intenção de fazê-lo. Parece que todos querem que o façamos”, ressaltou Trump, destacando: “Me sinto bem”.

Questionado se vê algum candidato democrata que possa ganhar dele nas eleições, respondeu: “Não. Não vejo ninguém. Conheço todos eles e não vejo ninguém”, e insistiu Trump: “Eles não têm o candidato adequado”.

O presidente americano chegou no sábado em visita privada de dois dias à Escócia para jogar golfe em um dos seus complexos de luxo, após terminar sua visita oficial ao Reino Unido e antes de partir neste domingo (15) para Helsinque, onde vai se reunir na segunda-feira (16) pela primeira vez em uma cúpula bilateral com seu colega russo, Vladimir Putin.

Perguntado se Putin é um dos dirigentes “impiedosos” com os quais se reuniu, como o norte-coreano Kim Jong-un, Trump respondeu: “Não posso dizer, suponho que provavelmente seja. Mas poderia nomear outros também”.

“No entanto, se nos dermos bem com a Rússia, isso é uma coisa boa. Não conheço [Putin]. Encontrei com ele um par de vezes, o conheci no G20”, em referência à cúpula realizada em Hamburgo.

“Acho que provavelmente poderíamos nos dar bem”, insistiu Trump, embora tenha admitido: “Agora somos competidores”.

(Agência EFE)

Redução de mortes no Ceará anima, mas é preciso cautela

181 1

Editorial do O POVO deste domingo (15) afirma que é cedo ainda para comemorar a redução dos índices de violência no Ceará, devendo-se aguardar pelo menos mais um trimestre para que se possa estabelecer um cotejamento preciso. Confira:

Pelo terceiro mês seguido, o Ceará reduziu o número de mortes violentas em relação a igual período do ano passado. Apenas em junho, a queda foi de 19% nos homicídios no Estado. A taxa de decréscimo é maior em Fortaleza. No mesmo intervalo, a Capital fez cair o índice de assassinatos em 38,6%, puxando a trajetória de queda das estatísticas gerais.

Vistos unicamente sob a perspectiva do último trimestre, os números animam e podem sugerir acerto das políticas de segurança, sobretudo depois das chacinas dos bairros Cajazeiras e Benfica, ambas neste semestre. Somadas, só as duas matanças resultaram em 21 mortos.

No acumulado do semestre, porém, o Ceará registra crescimento de 3,5% na curva de homicídios. Foram 2.380 mortes neste ano e 2.299 em 2017. Apenas Fortaleza (12,8%) e a região sul (9,6%) do Estado conseguiram derrubar os dados de assassinatos. Nesse mesmo período, houve aumento de 21,2% de mortes na Região Metropolitana.

Contrastadas, há duas realidades que desafiam o Governo do Estado: uma que mostra os efeitos positivos dos recursos empregados até agora no combate à criminalidade, principalmente na Capital, onde os Crimes Violentos Letais Intencionais (terminologia utilizada pela Secretaria da Segurança Pública) tiveram redução drástica.

Nessa hipótese, é cedo ainda para comemorar os índices, devendo-se aguardar pelo menos mais um trimestre para que se possa estabelecer um cotejamento preciso.

A outra realidade pode apontar para a migração do crime, que, asfixiado na capital cearense ante ações mais efetivas das polícias Militar e Civil, teria alterado a sua geografia, passando a atuar com mais frequência agora nas regiões desguarnecidas do Interior.

Embora não tenha relação com as facções criminosas, a chacina registrada ontem no município de Palmácia, que deixou cinco mortos, pode ser indício dessa mobilidade do banditismo no Estado.

Daí a importância de, sem descurar dos avanços já constatados na Capital, reforçar o setor de inteligência no Interior, num esforço de complementaridade das ações a fim de reduzir os assassinatos no restante do Estado.

Marun nega participação em supostas fraudes no Ministério do Trabalho

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, negou que tenha participado de supostas fraudes no Ministério do Trabalho para beneficiar sindicatos em Mato Grosso do Sul, seu reduto eleitoral. A informação de que o nome de Marun estaria envolvido foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, com base em um relatório obtido junto à Polícia Federal (PF), que apura irregularidades na concessão de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho.

Por meio de nota, o ministro afirmou não haver interesse político, uma vez que declarou, ao aceitar ser ministro, que não disputaria as eleições. “Na verdade, estão usando o fato de eu me predispor a atender com atenção os pleitos que me chegam de MS para tentar retaliar e enfraquecer o ministro que questiona abertamente os abusos de autoridade praticados, especialmente no inquérito dos Portos”, diz a nota.

A Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, foi deflagrada há um ano, a partir de denúncia sobre concessão de falsos registros sindicais. Segundo a PF, foi descoberto um “amplo esquema de corrupção dentro da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho, com suspeita de envolvimento de servidores públicos, lobistas, advogados, dirigentes de centrais sindicais e parlamentares”.

No início deste mês, a terceira fase da operação levou ao afastamento do então ministro do Trabalho Helton Yomura, que pediu demissão do cargo. O novo ministro Caio Vieira de Mello, ao assumir o comando da pasta, suspendeu por 90 dias todos os procedimentos de análise e publicações relativas ao registro sindical, em portaria publicada na edição do Diário Oficial da União da última quinta-feira (11).

(Agência Brasil)

Praça do Pajeú será adotada nesta segunda-feira pela CDL-Fortaleza

203 1

O prefeito, Roberto Cláudio assina, nesta segunda-feira (16), às 08h, a primeira renovação de convênio do Programa Municipal de Adoção de Praças e Áreas Verdes de Fortaleza. Ele estará acompanhado da secretária de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz.

O equipamento público beneficiado com a continuidade da parceria, que tem validade de cinco anos, será a Praça do Pajeú, adotada oficialmente em 2013, pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). Há cinco anos, a instituição se tornou colaboradora no trabalho de manutenção do espaço de lazer no Centro da cidade.

A Praça do Pajeú fica localizada entre a Avenida Dom Manuel e a Rua 25 de Março, área da Regional Centro. O equipamento, que é cortado pelo Riacho Pajeú, possui 15 mil metros quadrados e conta com mobiliário urbano, iluminação branca, paisagismo, lixeiras e ampla área de convivência.

“É gratificante vermos a continuidade de parcerias, entre o poder público e a iniciativa privada, que visam exclusivamente qualificar a cidade e transformá-la em um local melhor para seus moradores. Que parcerias como essa, com a CDL, aplicada na Praça Pajeú, sirva de exemplo e possa fomentar o voluntariado e o sentimento de pertença nos diversos segmentos da sociedade civil”, afirma o prefeito Roberto Cláudio.

A assinatura do convênio de renovação da adoção da Praça Pajeú ocorrerá durante a realização do Fórum do Centro, que visa elaborar um plano de ação para o bairro Centro, com o objetivo de assegurar a revitalização da área, com execução de curto prazo e norteada pelos eixos de Habitação, Ordenamento do comércio informal e Segurança, Turismo e Cultura, Infraestrutura e Mobilidade, Política de apoio a moradores de rua e Fiscalização.

Para a secretária de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz, “essa ação conjugada em defesa do interesse coletivo soma os esforços do poder público e da sociedade, como sempre defende o prefeito Roberto Cláudio, é decisivo para o sucesso de nossas políticas públicas. Aqui em Fortaleza, Prefeitura e sociedade estão engajados e comprometidos, garantindo ganhos efetivos para a cidade com o programa de adoção de praças e áreas verdes”, afirma a secretária Águeda Muniz.

(Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Fortaleza)

Mega-Sena volta a acumular e prêmio da quarta-feira é de R$ 56 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números do concurso 2.059 da Mega-Sena, sorteados na noite desse sábado (14) em São Miguel do Oeste, no interior catarinense. Segundo a Caixa Econômica Federal, o prêmio da quarta-feira (18) deverá chegar a R$ 56 milhões.

Os números sorteados nesse sábado foram: 0405364044 e 56.

Ninguém também acertou os cinco números do concurso 4.724 da Quina. O prêmio desta segunda-feira (16) deverá ser de R$ 1,2 milhão, de acordo ainda com a Caixa. Os números sorteados nesse sábado foram: 14 – 17 – 30 – 48 e 58.

França e Croácia disputam a final da Copa do Mundo

França e Croácia se enfrentam neste domingo, às 12 horas (de Brasília), no Estádio Luzhnikí, em Moscou, na Rússia, na grande decisão da Copa do Mundo. Os franceses eliminaram a Bélgica nas semifinais, ganhando por 1 a 0. Já os croatas, de virada, fizeram 2 a 1 na Inglaterra, precisando de mais uma prorrogação, a terceira do time no torneio. Por conta dos tempos extras, a Croácia vai ter jogado praticamente oito partidas nesta edição.

Trata-se de um reencontro vinte anos depois. Ambos duelaram nas semifinais da Copa do Mundo de 1998 e os franceses ganharam por 2 a 1, arrancando para um título inédito, que ainda falta para os croatas.

Didier Deschamps, treinador da França, tem a chance de repetir o feito de Zagallo e do alemão Franz Beckenbauer, sendo campeão mundial como jogador e treinador. Ele integrou o time de 1998. O comandante se mostra otimista.

“Nós fizemos tudo o que tinha que ser feito até este momento e agora chegou a hora de ir a campo e tentar escrever uma história bonita. Estamos preparados desde muito antes de a competição começar e fomos ganhando força com ela, crescendo e superando os obstáculos. Portanto, estou otimista e a minha expectativa é a do título, mesmo sabendo que do outro lado do gramado estará um grande oponente”, disse Didier Deschamps.

O desgaste físico realmente é a maior preocupação do técnico Zlatko Dalic. Mas até diante deste cenário ele procura buscar motivação. Nas oitavas os croatas eliminaram a Dinamarca nos pênaltis, enredo que se repetiu nas quartas contra a anfitriã Rússia. Nas semifinais, as penalidades não foram necessárias, porém, a vaga diante dos ingleses veio mesmo na prorrogação.

“Nós escolhemos o caminho mais complicado e difícil. Enfrentamos uma maratona de jogos, atuaremos um jogo a mais que a França e por isso mesmo sabemos que as dificuldade serão enormes. Mas como o que não mata fortalece, vamos buscar força justamente neste nosso poder de testar nossos limites. Falta mais um capítulo nesta história e queremos que o final seja feliz, pois a Croácia melhora”, disse Zlatko Dalic.

As duas equipes não confirmaram as escalações, mas como superação é a palavra de ordem, a base das semifinais deverá ser mantida. Na França a aposta está no equilíbrio de Paul Pogba no meio e na força ofensiva do trio: Kylian Mbappé, Antoine Griezmann e Olivier Giroud.

Pelo lado croata a estrela da companhia é o maestro Luka Modric, candidato a craque da Copa. Mas não se pode desprezar o oportunismo do perigoso artilheiro Mario Mandzukic, autor do segundo gol contra a Inglaterra.

Caso a decisão deste domingo termine empatada no tempo regulamentar, acontecerá uma prorrogação de trinta minutos. Persistindo a igualdade, o campeão será conhecido nas cobranças de pênaltis. Isso aconteceu apenas duas vezes na história da Copa do Mundo. Em 1994 a Seleção Brasileira derrotou a Itália nos pênaltis, após 0 a 0. Já em 2006 os franceses, que ficaram no 1 a 1 com a Itália, perderam o caneco nos pênaltis.

(Gazeta Esportiva)

Apesar de trégua, Israel bombardeia Gaza em resposta a ataque

Israel atacou nesse sábado (14) uma plataforma de lançamento de morteiros que estava disparando contra o território do país a partir da Faixa de Gaza, uma ação que ocorreu pouco depois do anúncio de um cessar-fogo.

“Dois morteiros foram lançados desde a Faixa de Gaza contra o território israelense. Em resposta, o Exército atacou a plataforma que estava no sul da região”, disse o governo de Israel em nota.

Os movimentos islamitas Hamas e Jihad Islâmica tinham anunciado pouco antes do novo incidente um acordo para conter a escalada de violência das últimas horas.

Dois jovens palestinos morreram em bombardeios de represália de Israel contra alvos militares em Gaza. Ontem, as milícias palestinas chegaram a disparar mais de 200 foguetes e morteiros contra o território israelense. Três pessoas ficaram feridas.

O jornal Haaretz afirmou que Israel aceitou o cessar-fogo, mas um oficial de segurança disse, pedindo anonimato, que só os “fatos no terreno” determinarão como o país agirá na região.

(Agência EFE)

Direitos Humanos devem ser respeitados na Internet, diz ONU

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou resolução defendendo o respeito, a promoção e o exercício dos direitos humanos na internet. As resoluções não tem força de lei, mas são orientações importantes para guiar governos e a sociedade.

O documento afirma que os mesmos direitos garantidos no mundo offline devem ser proporcionados também no ambiente online. Entre eles a liberdade de expressão, que deve ser respeitada e viabilizada independentemente de plataformas e de fronteiras.

No texto, o conselho chama os governos dos países-membro a fortalecerem a cooperação de modo a desenvolver programas de facilitação do acesso e do uso de meios de comunicação e tecnologias. Esses recursos são vistos como instrumentos fundamentais para o exercício dos demais direitos humanos pelas pessoas.

Este esforço inclui também a busca pela diminuição das desigualdade digitais entre cidadãos, especialmente na perspectiva de gênero, e a garantia de um ambiente online seguro e sem discriminação. A disseminação e a apropriação das tecnologias, recomenda, deve ser realizada orientada pelos direitos humanos.

Essa abordagem envolveria, por exemplo, a acessibilidade nesses equipamentos, de modo a permitir que elas sejam plenamente aproveitadas por pessoas com deficiência. Entre recursos para este público estão a audiodescrição e medidas de facilitação de leitura (como variações de contraste em sites e aplicativos).

Ao mesmo tempo, a resolução indica aos governos a importância de desenvolverem “remédios” para quando violações de direitos humanos ocorrem na rede.

A resolução elenca a privacidade e a segurança como dois valores orientadores importantes. Neste sentido, recomenda aos governos a aprovação de leis ou normas semelhantes que assegurem a proteção de dados dos cidadãos. Nesta semana, o Congresso Nacional aprovou a primeira lei geral de proteção de dados, mas a matéria ainda precisa da sanção do presidente Michel Temer e levará um ano e meio para entrar em vigor.

Além disso, o documento salienta a responsabilidade também do setor privado. “Empresas devem trabalhar para viabilizar soluções técnicas que deem segurança e protejam a confidencialidade das comunicações digitais”, acrescenta, citando como recursos técnicos o uso de anonimização (quando os dados não podem mais ser relacionados a um indivíduo) e criptografia (uma ferramenta para dificultar a leitura de uma informação transmitida).

(Agência Brasil)

Palestina e Israel acertam cessar-fogo em Gaza com mediação do Egito

Os movimentos Hamas e Jihad Islâmica anunciaram neste sábado (14) um acordo de cessar-fogo com Israel na Faixa de Gaza para conter as tensões das últimas horas.

Os porta-vozes do Hamas, Fawzi Barhoum, e da Jihad Islâmica, Dawood Shihab, usaram as redes sociais para elogiar os esforços do Egito para promover a paz e deter a escalada de violência na região.

“As mediações e as intervenções das partes regionais e internacionais resultaram em um acordo que encerra a atual escalada de tensões entre as facções militares em Gaza e os militares da ocupação israelense”, afirmou o site de notícias Safa.

Segundo a imprensa local, diplomatas egípcios trabalharam com o enviado especial para o processo de paz da ONU, Nicolai Mladinov, para por fim às hostilidades, as mais graves desde 2014.

O jornal Haaretz afirmou que Israel aceitou o cessar-fogo, mas um oficial de segurança disse, pedindo anonimato, que só os “fatos no terreno” determinarão como o país agirá na região.

A escalada de violência na Faixa de Gaza começou na noite de ontem, quando as milícias palestinas lançaram cerca de 200 foguetes e morteiros contra o território de Israel, que anunciou que responderia aos ataques com bombardeios contra alvos do Hamas.

Dois jovens palestinos, de 15 e 16 anos, morreram nas ações de Israel, de acordo com o Ministério da Saúde da Palestina, que informou que outras 25 pessoas ficaram feridas.

Em Israel, três pessoas sofreram ferimentos leves após um projétil palestino atingir uma casa em Sderot, cidade perto de Gaza.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tinha anunciado que aumentaria a intensidade dos ataques se fosse necessário. O jornal Times of Israel publicou uma declaração na qual o premiê diz que manteria a campanha de represália ao Hamas até que o movimento islamita “entendesse a mensagem”.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Dirigentes alertam: Sem aceitar vale-transporte, metrô de Fortaleza pode entrar em colapso

Dirigentes do Metrofor reclamam a perda da maior fatia de usuários do transporte público, no trajeto Fortaleza/Maracanaú, que corresponde à Linha Sul do sistema metroviário.

O motivo é a recusa do sistema em receber PassCard, o vale-transporte eletrônico. Segundo os dirigentes, em contato com o Blog, o PassCard deveria estar operando há um ano. “Mas, até hoje, o Metrofor só aceita passagens pagas em dinheiro vivo”, afirmam.

“Se isso mudar, a receita aumenta. Por enquanto, quem continua no lucro são os empresários de ônibus”, apontam.

(Foto: Arquivo)