Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Sobral ganha unidade do Sest/Senat

O ex-deputado federal Chiquinho Feitosa, presidente da Federação das Empresas de Transportes do Ceará, Piauí e Maranhão (Fetrans), vai inaugurar nesta quinta-feira, em Sobral, uma unidade do Sest/Senat, o braço social e de serviços da entidade.

No ato, Chiquinho, que também preside o DEM no Ceará e é primeiro suplente do senador tucano Tasso Jereissati, dividirá a tribuna com o prefeito Ivo Gomes (PDT).

(Foto – Reprodução do Youtube)

Eleições da OAB do Ceará prometem esquentar em outubro

343 1

Erinaldo Dantas, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados (CAACE), confirma: é pré-candidato a presidente da OAB do Ceará.

Com isso, ele se junta a um grupo de presidenciáveis que já acomoda Fábio Timbó, secretário-geral da Ordem; Edson Santana, eterno presidente do Sindicato dos Advogados de Fortaleza e Região Metropolitana; e Marcelo Mota, atual presidente, que já não conta mais com o apoio do seu padrinho, Valdetário Monteiro.

A expectativa é de que a campanha, após o pleito eleitora, vá esquentar. O mês das eleições na entidade é novembro.

Supermercados desperdiçam R$ 3,9 bi em alimentos por ano, diz Abras

Os supermercados brasileiros desperdiçaram, no ano passado, o equivalente a R$ 3,9 bilhões em frutas, legumes e verduras e produtos das sessões de padaria, peixaria e açougue. Na comparação com 2016, houve queda de R$ 54.2 milhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (15) pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na capital paulista.

O levantamento, feito em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA/Provar), considerou números de 2.335 supermercados do país. Apenas em frutas, verduras e legumes, o desperdício atingiu R$ 1,8 bilhão no ano passado, aproximadamente R$ 600 mil a mais do que em 2014.

O superintendente da Abras, Márcio Milan, disse que sensibilizar o setor supermercadista para o desperdício é mais importante do que considerar as perdas financeiras. “Temos que discutir com todo o setor produtivo. Juntos somos capazes de resolver isso”, afirmou Milan.

Na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), empresa estatal de abastecimento que recebe produtos de 1,5 mil municípios brasileiros e de 14 países e comercializa de 10 a 12 mil toneladas diariamente, as perdas diárias são estimadas em 1,3%.

Segundo a chefe do Centro da Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento da Ceagesp, Anita Gutierrez, para evitar o desperdício, é importante que o alimento tenha qualidade no momento da colheita. “O tratamento pós-colheita – passar cera – ajuda, mas não resolve. Para que se tenha um bom produto na gôndola, ele tem que ser produzido de maneira correta”, afirmou Anita.

Podridão

Anita identifica, entra os principais problemas que levam os alimentos à podridão, danos mecânicos na colheita e na pós-colheita – no momento da embalagem e no manuseio. A perda de água e os machucados nos alimentos, além disso, levam à redução considerável de valor.

Outro ponto levantado pela especialista é a diferença de temperatura a que o produto é submetido no período que abrange da colheita à embalagem e transporte até o destino final. Certos alimentos são transportados sob refrigeração e, quando chegam ao destino, levam choque de temperatura, o que acelera seu metabolismo e leva à perda de qualidade.

O diretor da Associação Brasileira de Agronegócio, Luiz Cornacchioni, também destacou que metade das perdas do setor ocorre durante a logística (processo que envolve armazenagem, circulação e distribuição de produtos). A comercialização com menos intermediários da roça aos supermercados, permitindo melhores ganhos tanto para o produtor, e preços mais baixos para o consumidor, é uma das metas.

Agricultura familiar

Em junho deste ano, a Abras firmou protocolo de intenções para aumentar o relacionamento dos supermercados com a agricultura familiar. O consultor Vitor Correa, da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, informou que técnicos já estão sendo capacitados para esse acompanhamento. Segundo Correa, atualmente, 3,5 milhões de famílias trabalham no setor, sendo 600 mil em cooperativas.

(Agência Brasil)

Eleitor que for doar para partido ou candidato deve ficar atento com o Imposto de Renda

Com a campanha eleitoral tendo início nesta quinta-feira pelas ruas de todo o País, vale o alerta: eleitor que quiser fazer alguma doação a partidos ou candidatos – sobretudo neste ano, com a facilidade das vaquinhas virtuais -, deverá prestar contas aà Receita Federal e ficar atento para não cair em fraudes ou na malha fina do Imposto de Renda (IR) a ser declarado no ano que vem.

De acordo com a Recieta, o eleitor pode doar até 10% dos rendimentos brutos que obteve no ano passado, mas há ainda um teto de R$ 1.064,10 por dia no financiamento coletivo.

Outra. Os dados devem ser informados na ficha de “Doações a Partidos Políticos, Comitês Financeiros e Candidatos a cargos efetivos” no programa de declaração do IR 2019.

Jocélio Leal ganhará homenagem do Conselho Regional de Economia

Jocélio Leal, editor-chefe de Negócios e Economia do O POVO, está entre homenageados desta quita-feira, às 19 horas, na Assembleia Legislativa. Dentro da sessão que vai comemorar o Dia do Economista.

Segundo o presidente do Conselho Regional de Economia, haverá também uma homenagem especial: à memória de Cláudio Ferreira Lima, que foi secretário do Planejamento da Era Tasso, técnico de ponta do Banco do Nordeste, secretário-adjunto da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Governo Camilo), além de consultor da Federação das Indústrias do Ceará.

(Foto – Tapis Touge)

No Brasil, pequenos negócios respondem por 55% dos empregos formais

Com o título “Prioridade para os pequenos negócios”, eis artigo do superintendente estadual do Sebrae, arquiteto e urbanista Joaquim Cartaxo. Ele prossegue sua pregação em favor da pequena e microempresa no cenário da economia deste Brasil. Confira:

É fato que os pequenos negócios desempenham papel fundamental no crescimento econômico brasileiro. Representam 98% do total de empresas formalizadas, respondem por 27% do Produto Interno Bruto, por 55% dos empregos formais e 44% da massa salarial do País.

Além disso, ganham ainda mais em importância por também serem a principal porta de entrada dos jovens brasileiros no mercado de trabalho. Ano passado, de acordo com pesquisa do Sebrae a partir do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), os pequenos negócios deram oportunidade de emprego para a maioria (55%) do total de 1,4 milhão de pessoas que assinaram a carteira de trabalho pela primeira vez. As médias e grandes empresas absorveram 44% dessa mão de obra e as empresas da administração pública, o 1% restante.

Segundo o mesmo estudo, 69,5% das 755,5 mil pessoas que foram contratadas pelas micro e pequenas empresas em 2017 que tiveram a carteira assinada, pela primeira vez, eram jovens com até 24 anos de idade. Os segmentos econômicos que mais empregaram esses jovens, neste período, foram comércio (39%) e serviço (36%). Juntos responderam por 75% do total do primeiro emprego. Registre-se que estes dois segmentos compreendem cerca de 78% do total de pequenos negócios existentes no País.

Outro ponto: os trabalhadores do sexo masculino representam a maioria da mão de obra contratada pelos pequenos negócios para o primeiro emprego (54%) em 2017, porém as mulheres foram a maioria nestes dois segmentos: 51% mulheres, 49% homens no comércio; 53% mulheres, 47% homens no serviço.

Os dados acima evidenciam a importância das micro e pequenas empresas na geração de emprego e renda. Apesar disso, as administrações públicas não valorizam esse setor como estratégico para a economia brasileira. É preciso mudar esta lógica e dar aos pequenos negócios a merecida prioridade pela grande contribuição ao desenvolvimento do País.

*Joaquim Cartaxo

cartaxojoaquim@bol.com.br

arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae do Ceará.

Cabo Daciolo já ultrapassa em pesquisa Meirelles, Boulos e Amoêdo

Mais conhecido por denunciar delirantes planos de dominação comunista, Cabo Daciolo (Patriota) pode se gabar da posição invejável entre os nanicos.

Segundo informa a Veja Online, com 1,2% de intenção de votos revelados na última pesquisa do Instituto Paraná no cenário sem Lula, Daciolo ficou à frente de João Amoêdo (Novo), que tem 1,1%, Henrique Meirelles (MDB), com 0,9%, e Guilherme Boulos (PSol), com 0,7%.

Registrada sob o número BR -02891/2018, a pesquisa utilizou uma amostra de 2.002 eleitores através de entrevistas pessoais em 26 estados e no Distrito Federal e em 168 municípios entre os dias 9 e 13 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

(Foto – Reprodução de TV)

Camilo abre campanha de rua em Sobral

O governador Camilo Santana (PT) vai abrir a sua campanha de rua nesta quinta-feira, em Sobral (Zona Norte). Ele vai estar ao lado do candidato ao Senado, o ex-governador Cid Gomes (PDT). Haverá caminhada com saída, a partir do meio-dia, do tradicional Beco do Cotovelo.

Camilo, pelo visto, já começa a campanha com seu candidato a senador, mas espera-se também que, informalmente, ele apoie a reeleição de Eunício Oliveira (MDB).

Inflação pelo IGP-10 fecha em 0,51% em agosto

A inflação – medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) – desacelerou em agosto, fechando em 0,51%, resultado 0,42 ponto percentual menor que a alta de 0,93% de julho. Com o resultado, o índice acumula alta de 6,61% nos primeiros oito meses do ano, enquanto a taxa acumulada nos últimos doze meses é de 8,78%.

Os dados foram divulgados hoje (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV).

Em agosto do ano passado, o IGP-10 havia fechado com deflação (inflação negativa) de 0,17%. Segundo a FGV, a queda do indicador reflete desaceleração de preços nos três componentes que formam o IGP-10.

(Agência Brasil)

PCdoB anuncia voto em Cid Gomes para o Senado. Apoio a Eunício está de molho

O PCdoB do Ceará está fechado com o ex-governador Cid Gomes (PDT) para o Senado, mas ainda não decidiu se apoiará a reeleição do emedebista Eunício Oliveira.

Quem diz é o ex-secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado e ex-senador Inácio Arruda.

Inácio garante que, nos próximos dias, o Comitê Estadual do partido, fará reunião para acertar o passo em termos de segundo postulante ao Senado.

Se depender do deputado federal Chico Lopes (PCdoB), o emedebista não terá o apoio dos comunistas. Nos bastidores da legenda, o que que se diz é Lopes não apreciaria dividir o mesmo espaço político com quem trabalhou pelo impeachment de Dilma Roussef.

64% do eleitorado acha que a candidatura de Lula será impugnada

Em sua nova pesquisa, o Instituto Paraná quis saber como o eleitor vê a situação da candidatura de Lula.

Para 64%, o ex-presidente será impedido pelo Tribunal Superior Eleitoral de tentar a Presidência da República novamente. Outros 30,4% disseram que ele conseguirá ser candidato, enquanto 5% não sabe ou não quis opinar. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

(Foto – Marlene Bergamo, da Folhapress)

Alemanha reconhece o terceiro sexo

O Governo alemão aprovou nesta quarta-feira um projeto de lei para introduzir no registro de nascimento um terceiro sexo, além do masculino e feminino, sob a determinação de “outro” ou “diverso”. Estima-se que na Alemanha há aproximadamente 80 mil intersexuais, algo menos de 1% da população.

A decisão cumpre sentença do Tribunal Constitucional de 2017 que determina a introdução de uma terceira opção no registro de nascimento. A nova lei vai permitir ao registro de pessoas que não pertencem aos sexos masculino e nem feminino.

O porta-voz do Governo, Stefen Seibert, informou que o Parlamento deve ainda analisar a lei e acredita que em 2019 entrará em vigor.
“É hora de modernizar de uma vez a legislação vigente”, apontou a ministra de Justiça, a social-democrata Katarina Barley.

(Agência Brasil com EFE)

Prévia do PIB do Banco Central apresenta retração de 0,99% no segundo trimestre do ano

O Banco Central divulgou, nesta quarta-feira, que a  economia brasileira registrou contração no segundo trimestre deste ano. De acordo com a instituição, o chamado Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) registrou uma queda de 0,99% na comparação com os três primeiros meses deste ano. Esse número foi calculado com “ajuste sazonal”, uma “compensação” para comparar períodos diferentes de um ano. A informação é do Portal G1.

Segundo o BC, essa foi a maior queda do IBC-Br desde o primeiro trimestre de 2016 – quando o indicador registrou um tombo de 1,51% na comparação com os três meses anteriores. Esse recuo, no segundo trimestre deste ano, aconteceu após uma expansão de 0,20% nos três primeiros meses de 2018 (número revisado) e uma alta de 0,76% no último trimestre de 2017.

O IBC-Br, do Banco Central, é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB, que é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números oficiais do PIB do segundo trimestre deste ano serão divulgados no dia 31 de agosto.

“Nunca antes na história deste País…”, nos decepcionamos tanto

Com o título “”Nunca antes na história deste País…”, nos decepcionamos tanto”, eis artigo de Leandro Vasques, advogado criminalista, mestre em Direito pela UFPE e filiado ao PSDB. Ele aborda este período eleitoral onde até amizades podem sucumbir diante das paixões políticas. Confira:

O período eleitoral se descortina, as candidaturas estão se desenhando e as posturas políticas vão sendo despertadas em boa parte dos eleitores. Um terreno fértil para o debate de ideias, mas também para hostilidades, principalmente nas redes sociais, um manancial inesgotável de informações – sejam elas verdadeiras ou falsas.

O ano de 2018 traz um ambiente eleitoral complexo, pelo contexto pós-impeachment e pelas denúncias contra o governo interino, o que produz no cidadão brasileiro um quase compulsório sentimento de mudança. Ao mesmo tempo, parte dos eleitores ainda se apega à velha política, defendendo-a como forma de recuperar o Brasil da crise instalada. Temos inclusive a peculiar situação de um condenado da Justiça, preso, anunciar sua candidatura à Presidência da República. “Nunca antes na história deste País” nos decepcionamos tanto.

Nesse cenário em ebulição, até as amizades são ameaçadas. Como poetizou Mário Quintana, a amizade é uma espécie de amor que nunca morre, e não deve ser vitimada por esgrimas partidárias, as quais se renovam intermitentemente a cada biênio, ora em nível local, ora em nível nacional. E também como versejou Vinícius de Moraes, acerca das vicissitudes da amizade: “Enfim, depois de tanto erro passado/ Tantas retaliações, tanto perigo/ Eis que ressurge noutro o velho amigo/Nunca perdido, sempre reencontrado.” Assim, é incompreensível que pessoas se digladiem visceralmente por política, assim como por futebol. Os campos futebolísticos são mais propensos a embates apaixonados, afinal a opção por um determinado time, no mais das vezes, desafia a razão e resiste a toda e qualquer demonstração lógica. No entanto, o coliseu político tem oportunizado o mesmo tipo de escaramuça, transbordante de furor e carente de bom senso. A autovigilância é boa conselheira nesses momentos.

Lembre que muitos dos postulantes que antes se destilavam veneno agora se abraçam. Você tem todo democrático direito de apoiar o candidato que lhe transmite maior confiança – assim como seus amigos também têm. Não permita que esse efêmero período imploda amizades com décadas de existência, afinal, ainda conforme Quintana, “eles passarão, eu passarinho”.

*Leandro Vasques

leandrovasques@leandrovasques.com.br

Advogado, mestre em Direito pela UFPE e conselheiro da Escola Nacional da Advocacia (ENA).

Policiais civis e a acirrada disputa por vagas na Assembleia

979 4

Julierme Sena, candidato a deputado federal, faz dobradinha com Toni Brito

Após a desistência do deputado estadual Roberto Mesquita de concorrer à reeleição, a disputa pela conquista da terceira vaga pelo PROS no legislativo estadual aumentou.

Depois de Vitor Valim e Soldado Noélio, a terceira vaga, nas contas da direção do partido, está entre três policiais: o policial militar Major Mário, o policial militar Michel Mendonça e o policial civil Toni Brito, que poderá ser uma das surpresas do pleito.

Pelo menos é isso o que circula nos bastidores da política e da polícia. A categoria dos policiais civis vem se articulando para eleger representantes em nível de Assembleia e Câmara dos Deputados e o policial civil Toni Brito aparece com atuação na área social na área do Conjunto Ceará.

(Foto – Divulgação)

Cármen Lúcia está na presidência do País outra vez

Antes de embarcar para o Paraguai, na manhã de hoje (14), o presidente Michel Temer transmitiu o cargo a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, na Base Aérea de Brasília. Essa é a quinta vez neste ano que Cármen Lúcia assume interinamente o comando do país. Temer vai ao Paraguai para acompanhar a cerimônia de posse do presidente Mario Abdo Benítez.

Ao contrário do que foi divulgado na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, não acompanham Temer na viagem ao Paraguai. Eles optaram por viajar para a Argentina para compromissos particulares, de acordo com as assessorias dos parlamentares.

Desde o mês de abril, os presidentes das duas Casas têm deixado o Brasil todas as vezes que Temer tem compromissos no exterior, para não assumirem interinamente a presidência o que os deixariam impedidos de disputar cargo eletivo no pleito de outubro, de acordo com o previsto na lei eleitoral.

Como o Brasil não tem vice-presidente desde o impeachment de Dilma Rousseff, os primeiros na linha sucessória para assumir o comando do país na ausência de Temer são o presidente da Câmara, seguido pelo presidente do Senado e então o presidente do Supremo Tribunal Federal.

A previsão é que o presidente Michel Temer retorne a Brasília no meio da tarde de hoje.

(Agência Brasil/Foto – CNJ))

Carta de Lula será lida para a militância antes do pedido de registro de sua candidatura

Uma carta de Lula será lida no ato de seu registro na corrida eleitoral, nesta quarta (15), para a militância que promete lotar o entorno do Tribunal Superior Eleitoral. Nela, segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo, Lula diz que não quer favores da Justiça Eleitoral.

“Quero apenas os direitos que vêm sendo reconhecidos pelos tribunais há anos em favor de centenas de outros candidatos.” O ex-presidente diz que é vítima de uma caçada judicial e que só a morte, a renúncia ou um ato do TSE pode rifá-lo. “Não pretendo morrer nem cogito renunciar. Vou brigar até o final.”

Caberá a Fernando Haddad (PT), candidato a vice de Lula, ler a carta para a militância. Na versão prévia do texto, ele não era mencionado nominalmente pelo ex-presidente.

(Foto – Lula Marques, Agência PT)