Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Dodge pede arquivamento de denúncia contra Renan e Jader Barbalho

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu o arquivamento de uma investigação sobre supostas propinas em um contrato de alienação da companhia elétrica argentina Transener, em 2006. A informação é da Veja Online.

Nessa investigação, estão como alvo os senadores Renan Calheiros (MDB) e Jader Barbalho (MDB), o ex-senador Silas Rondeau (MDB) e o ex-deputado federal cearense Aníbal Gomes (ex-MDB e hoje no DEM).

Oito denúncias contra o senador Rena Calheiros já foram para a gaveta. Tudo por falta de provas.

Há mais duas, também sob pedido de arquivamento de Dodge.

FPM – Sai primeiro repasse de abril para as prefeituras

O primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) — que será creditado para as prefeituras nesta quarta-feira, 10 de abril — distribuirá R$ 3.198.220.357,79. O valor, segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), já considera a retenção destinada ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Em relação ao mesmo decêndio de abril de 2018, a quantia teve crescimento de 8,74%. Quando considerada a inflação do período, o aumento é de 4,99%. O levantamento da CNM está baseado nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional. Também no acumulado do ano, o valor total do fundo apresenta crescimento positivo em comparação ao mesmo período de 2018. De janeiro até o primeiro decêndio de abril de 2019, a evolução no total repassado é de 10,88% (sem considerar os efeitos da inflação).

Para os 2.460 Municípios que recebem coeficientes 0,6, o valor a ser repartido soma R$ 795.402.172,88, ou seja, 19,90% do total do repasse. É importante destacar que há diferenças entre os Estados.

SERVIÇO

*Confira mais detalhes sobre repasses aqui.

Com 95% dos votos, Netanyahu tem leve vantagem

Com 95% dos votos apurados hoje (10) em Israel, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tem uma leve vantagem sobre o general Benny Gantz, ex-ministro da Defesa do país. A expectativa é que as apurações sejam finalizadas em três horas.

Confirmada a vitória de Netanyahu, ele marcará um recorde: irá completar o quinto mandato como primeiro-ministro. A vitória dele se deve à coalizão dos partidos religiosos e conservadores com o Likud.

Porém, o azul e branco, de centro liderado por Gantz, obteve o mesmo número de assentos que o Likud – 35 no Knesset, o parlamento – de um total de 120 lugares.

Nos últimos dias da campanha, Netanyahu se comprometeu a anexar partes da Cisjordânia ocupada. A iniciativa encerra a perspectiva de paz com os palestinos. Ontem (9) Netanyahu e Gantz comemoraram a vitória.

(Agência Brasil/Foto – AFP)

A história de seis cassações, 55 anos atrás no Ceará

273 3

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quarta-feira:

Hoje faz 55 anos da cassação de seis deputados estaduais cearenses pelos próprios colegas, em clima de regime militar. O fato se registrou no dia 10 de abril de 1964, quando o prédio da Assembleia Legislativa – na rua São Paulo, no Centro de Fortaleza, onde atualmente funciona o Museu do Ceará – foi cercado pelas forças policiais da época.

Na lista, entre alguns cassados: Blanchard Girão, Fiúza Gomes, Pontes Neto, Raimundo Ivan Barroso e Amadeu Arraes, este último o único ainda vivo. “Foram os primeiros parlamentares cassados e presos, tendo direitos políticos suspensos por dez anos”, relembra o presidente da Comissão Estadual de Anistia Wanda Sidou, Mário Albuquerque.

Para evitar que o grupo fosse alvo de humilhações, pois o Legislativo estava sob olhares de militares e de populares, Adauto Bezerra e Haroldo Sanford, então deputados estaduais e coronéis, conduziram os seis cassados em seus carros particulares e os entregaram na 10ª Região Militar. Mauro Benevides presidiu a sessão naquela data sob a mira do Exército.

Por essas e outras, viva a democracia!

Sede do Movimento Crítica Radical é arrombada nesta madrugada de quarta-feira

434 4

A sede do Movimento Crítica Radical, que fica na rua João Gentil, nº47, no bairro Gentilândia, em Fortaleza, foi arrombada na madrugada desta quarta-feira.

A informação é da ex-vereadora Rosa da Fonseca, adiantando que aguarda a chegada da Polícia ao local. No local, além de móveis, opera a rádio Web do Crítica Radical e ainda fica guardado todo o sistema de som utilizado pelo grupo em suas manifestações.

O grupo Crítica Radical deverá fazer um boletim de ocorrências.

(Foto – Ian Soares)

Conselho Nacional dos Direitos Humanos promove encontro na OAB do Ceará

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) promoverá, nesta quarta-feira (10), no auditório da sede da OAB do Ceará, em Fortaleza (Bairro Guararapes), uma audiência pública sobre “Segurança Pública no Estado do Ceará”. O encontro ocorrerá das 9 às 13 horas e ocorre após uma operação de apuração e avaliação de violação de direitos humanos nos presídios cearenses.

A audiência pública contará com a participação de lideranças e representantes das entidades, da sociedade civil e das instituições públicas com atuação na defesa dos direitos humanos. A missão do CNDH no Ceará iniciou no último dia 8, com a realização de reuniões com diversas instituições e visita aos locais de privação de liberdade.

O Conselho Nacional de Direitos Humanos decidiu vir ao Ceará após relatos enviados pela Comissão Permanente dos Direitos da População em Privação de Liberdade e de peritos do Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura, ligado ao Ministério da Justiça, que trataram da crise no sistema prisional no Estado.

DETALHE – O CNDH é um órgão autônomo, criado pela Lei nº 12.986/14, que tem por finalidade a promoção e a defesa dos direitos humanos, mediante ações preventivas, protetivas, reparadoras e sancionadoras das condutas e situações de ameaça ou violação desses direitos e a proteção aos direitos e garantias fundamentais, individuais, coletivos ou sociais previstos na Constituição Federal, nos tratados e atos internacionais celebrados pela República Federativa do Brasil.

(Foto – llustrativo)

Bolsonaro receberá para jantar embaixadores de países muçulmanos

O presidente Jair Bolsonaro janta hoje (10) com embaixadores de países muçulmanos, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. O encontro ocorre após a visita do presidente a Israel, quando anunciou a abertura de um escritório de negócios em Jerusalém, destinado às áreas de ciência, tecnologia, inovação, comércio e economia.

A CNA informou que o encontro é para fortalecer as parcerias comerciais entre o agronegócio brasileiro e os países do mundo islâmico. A previsão, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é que 51 embaixadores estejam presentes.

No jantar com Bolsonaro e os embaixadores muçulmanos estarão os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, além do presidente da CNA, João Martins.

O presidente Jair Bolsonaro dá posse ao novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em cerimônia no Palácio do Planalto.
O presidente Jair Bolsonaro – Antonio Cruz/Arquivo Agência Brasil
Tereza Cristina disse que o mercado islâmico, os muçulmanos e os árabes são “grandes compradores de milho, soja, proteína animal”.

A ministra afirmou que, durante o jantar com os embaixadores, será dito: “Continuamos aqui, somos grandes fornecedores, queremos continuar essa parceria, essa cooperação comercial. O Brasil continua sendo o melhor parceiro que vocês podem ter. Então, espero que todos esses que confirmaram estejam lá”.

(Agência Brasil)

Avenida Santos Dumont terá sentido único no fluxo de carros a partir desta quinta-feira

441 1

A partir da madrugada desta quinta-feira, 11, será implantado desvio para a continuação das obras para a construção do binário da avenida Santos Dumont. O trecho desviado corresponde às ruas Valdetário Mota e doutor Francisco Matos, no bairro Manoel Dias Branco.

Com o desvio, parte da avenida Santos Dumont passará a operar em sentido único, Centro-Praia (oeste-leste). Já o sentido oposto poderá ser percorrido pela rua Desembargador Lauro Nogueira ou pela rua Professor Sila Ribeiro, as quais levam à avenida Dom Luís. Este binário será uma extensão do modelo implantado em 2014 nas avenidas Santos Dumont e Dom Luís.

Avaliada em R$ 8,5 milhões, a implantação do binário está prevista para ser entregue em outubro deste ano. As obras consistem na remoção do canteiro central, construção de sistema de drenagem, implantação de pavimentação asfáltica, ciclofaixas, calçadas padronizadas, sinalização viária e paisagismo.

(O POVO Online/Foto  Mateus Dantas)

Enem 2019 – Termina nesta quarta-feira prazo para pedir isenção da taxa

Hoje é o último dia para pedir a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Os pedidos poderão ser feitos até 23h59, no horário de Brasília, na Página do Participante do Enem. A taxa de inscrição deste ano é R$ 85.

O prazo para pedir a isenção da taxa começou no último dia 1º. Podem solicitar a isenção da taxa os estudantes que estão cursando a última série do ensino médio, em 2019, em escola da rede pública; aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, o que, em valores de 2019, equivale a R$ 1.497.

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, com renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 499), ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.994).

A isenção de taxa de inscrição não é automática para nenhum grupo de participantes e a solicitação não poderá ser feita durante as inscrições.

Justificativa

Termina também hoje o prazo para que os estudantes que não pagaram o Enem 2018 e que, por algum motivo, faltaram às provas apresentem justificativa e peçam de novo a isenção.

Esses estudantes precisam enviar, também pela Página do Participante, documentos comprobatórios da justificativa da ausência. Os documentos aceitos variam de acordo com a causa: acidentes, mortes na família, internação, trabalho, casamento, emergência médica, intercâmbio acadêmico, entre outros.

A relação dos documentos consta do anexo II do Edital do Enem. Não serão aceitos documentos autodeclaratórios emitidos pelos pais ou responsáveis.

Próximos passos

Os resultados do pedido de isenção e da justificativa de ausência no Enem 2018 serão divulgados no dia 17 de abril.

Os estudantes que não tiverem a solicitação aceita poderão entrar com recurso, no período de 22 a 26 de abril, na Página do Participante. O resultado do recurso será divulgado, no mesmo endereço, a partir de 2 de maio.

Para participar do exame, os estudantes, com ou sem isenção da taxa, devem fazer a inscrição no período de 6 a 17 de maio.

Enem 2019

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. No primeiro dia de prova, os participantes responderão a questões de linguagens e ciências humanas e farão a prova de redação. Para isso, terão 5 horas e 30 minutos No segundo dia, os estudantes terão 5 horas para resolver as provas de ciências da natureza e matemática.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep e no aplicativo oficial do Enem até o dia 13 de novembro. O resultado será divulgado, conforme o edital, em data a ser divulgada posteriormente.

As notas do Enem podem ser usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superio pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

(Agência Brasil)

Camilo Santana acusa General Theophilo de fazer “politicagem”

231 2

O governador Camilo Santana (PT) rebateu acusações do secretário nacional da Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, que atribuiu ao Palácio Abolição a culpa pela saída da cidade de Maracanaú (RMF) de projeto do Ministério da Justiça. Foi durante transmissão ao vivo, nessa terça-feira, por suas redes sociais.

“Nunca foi oficializado nada do governo do Estado. Não tem um ofício da secretaria falando desse programa nem dizendo o que queria de apoio do Estado”, diz Camilo.

“Até hoje não sei qual o apoio para a implantação desse projeto”, completou Camilo.

Camilo admite também haver ficado “surpreso que, num evento político, o secretário ter anunciado que o projeto não veio por culpa do Estado”. E foi duro: “Isso é mentira”.

Para o governador, a “eleição já passou” e lamentou que esse projeto esteja sendo “de forma desleal” para fazer “politicagem baixa”.

(Foto – Arquivo)

Os 100 primeiros dias da gestão Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) chega à marca dos 100 dias com duas derrotas: a paralisia de um dos principais ministérios da Esplanada (Educação) e a queda de popularidade, aferida pelo instituto Datafolha – o presidente é o gestor mais mal avaliado em início de mandato desde a redemocratização.

Bolsonaro, todavia, obteve duas vitórias políticas nesse mesmo período: o leilão dos terminais aeroportuários, realizado com sucesso, e a flexibilização da posse de armas, uma promessa de campanha.

O pesselista tem ainda dois desafios pela frente: aprovar a reforma da Previdência, principal item da agenda econômica do governo, e organizar uma base parlamentar capaz de fazer avançarem as pautas do governo no Congresso.

Essa é a avaliação de alguns dos parlamentares e lideranças políticas consultados pelo O POVO. Em três meses à frente do Palácio do Planalto, o capitão reformado acumula reveses, como as crises que se originaram nas denúncias de candidaturas de “laranjas” do PSL e na atuação de Fabrício Queiroz, o ex-assessor do filho mais velho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (PSL-SP). Para aliados, entretanto, esse foi um prazo de adaptação.

Coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) no Ceará, Carmelo Neto avalia que a trajetória da Presidência de Bolsonaro tem erros e acertos. Entre os êxitos, cita a nova forma de se relacionar com o Congresso. “Eu prefiro falar em boa e má política e não em velha e nova”, alertou. “O presidente está conversando com muita gente da má política, mas sem o toma lá dá cá típico de outros governos.”

Para o dirigente do MBL-CE, todavia, o pesselista ainda patina no comando do País. Por exemplo, diz Carmelo, “alguns campos do governo atrapalham o próprio governo”.

E aponta a briga no Ministério da Educação (MEC) “entre militares e ‘olavetes'” como um dos elementos de desgaste desde que Bolsonaro assumiu o leme, em janeiro. “O Vélez foi uma demissão que precisava ser feita até antes dos 100 dias”, defende.

Filiado ao Novo e integrante do Instituto Democracia e Ética (IDE), Fredy Menezes sublinha duas ações positivas da nova gestão do Executivo: o texto da Previdência e o pacote anticrime do ministro Sergio Moro, ambos apresentados à Câmara em fevereiro.

Menezes acrescenta um terceiro ponto: “A forma diferente de compor o ministério”, livre dos vícios de outros presidentes. “Não houve loteamento, como era costume ver no Brasil.” Para o membro do IDE, porém, há escorregões a serem corrigidos. “O governo precisa entender que, sem a reforma das aposentadorias, não há futuro. O presidente não fez ainda uma defesa enfática da Previdência.”

O deputado federal Domingos Neto (PSD-CE) adiciona um aspecto negativo da era Bolsonaro até aqui: “Houve um exagero em abominar a política. Acaba misturando, e qualquer articulação política é errada”, analisa o parlamentar, que coordena a bancada do Ceará na Câmara.

De acordo com ele, porém, Bolsonaro já teria entendido que não pode se divorciar da política. “Tanto que agora está recebendo os presidentes dos partidos. E não está recebendo nenhum pedido ou nenhum tipo de chantagem.” A grande dificuldade do presidente, diz o deputado, continua sendo na interlocução entre Executivo e Legislativo. “A articulação política do Governo é zero”, cravou.

Colega de Casa, o petista José Guimarães resume os trabalhos de Bolsonaro desde janeiro: “São 100 dias no escuro”. Segundo o parlamentar, o “governo não disse a que veio” e “fez apenas três coisas: abandonar o Nordeste, propagandear a reforma da Previdência e entregar o patrimônio brasileiro aos Estados Unidos”. E complementa: “Bolsonaro não tem projeto nem programa. São os 100 piores dias de governo desde Sarney”.

Também deputado federal pelo Ceará e presidente do PSL no Estado, Heitor Freire rebate o petista: “Bolsonaro já cumpriu várias promessas de campanha, mesmo em pouco tempo de governo”.

O parlamentar enumera: “A facilitação do acesso à posse de armas, o projeto de lei anticrime e, agora por último, o 13° pagamento para os beneficiários do Programa Bolsa Família”.

O pesselista acredita que os atropelos do presidente se devem ao período de arrumação. “É uma nova fase para todos, tanto para ele (Bolsonaro) quanto para os brasileiros, que estavam habituados com
a velha política.”

(O POVO/Foto – Divulgação)

TSE determina a cassação de Pezão e Francisco Dornelles

101 1

Por maioria, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acatou o recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE) e determinou a cassação, com a consequente declaração de inelegibilidade, do ex-governador Luiz Fernando de Souza, o Pezão, do Rio de Janeiro, e de seu vice, Francisco Dornelles, por abuso de poder político e conduta vedada praticados nas eleições de 2014.

O TSE confirmou a aplicação da multa de R$ 53.205,00. A pena foi imposta pela prática de abuso de poder político por parte de Pezão e Dornelles, que concederam reajuste e remuneração básica a servidores efetivos, no período vedado pela legislação eleitoral.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão fala durante evento de lançamento da Árvore de Natal do Rio, que será inaugurada dia 1º de dezembro, na Lagoa Rodrigo de Freitas.

O julgamento de ontem (9) foi retomado com a apresentação do voto-vista do ministro Admar Gonzaga. Ele acompanhou o entendimento do relator do processo, ministro João Otávio de Noronha.

Em fevereiro, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) tornou Pezão inelegível até 2022. A decisão foi tomada de forma unânime. Porém, Dornelles foi absolvido pela maioria.

Pezão foi condenado por abuso de poder político e econômico por conceder benefícios financeiros a empresas como contrapartida a doações posteriores para a campanha eleitoral de 2014.

(Agência Brasil)

Weintraub diz que não é radical e que vai pacificar MEC

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse hoje (9) que pretende pacificar o Ministério da Educação (MEC). “O que a gente vai fazer aqui, a primeira coisa, é pacificar. Quem continuar na guerra, quem continuar batendo, está fora, não tem segundo aviso”, afirmou, em discurso, ao receber o cargo do antecessor, Ricardo Vélez Rodríguez.

Weintraub ministro foi empossado pelo presidente Jair Bolsonaro em cerimônia nesta terça-feira, no Palácio do Planalto. “Não sou radical”, reafirmou o ministro, dizendo que está “aberto a diversas posições, a olavistas [como são chamados aqueles que passaram pelos cursos do filósofo Olavo de Carvalho], a militares, a gente de esquerda disposta ao diálogo.”

O ministro disse que está aberto ao diálogo com todos, que vai ouvir, aceitar números, dados e evidências e, caso esteja errado, vai ceder. Ele ressaltou que se pautará pelo que está no plano de governo do presidente Jair Bolsonaro. “O que vamos fazer está no plano de governo, não é nenhum absurdo.”

Weintraub deixou claro, no entanto, que, para o funcionamento da pasta, é preciso unidade. “O MEC tem um rumo, uma direção, e quem não concorda, por favor, avise, que será tirado”, disse e acrescentou: “A partir do momento que entro no governo, tenho que me pautar pelas convicções feitas no topo do time. Eu posso ter posições diferentes do presidente Bolsonaro. Eu tenho duas alternativas, ou obedeço, ou caio fora.”

Gestão anterior

Na cerimônia, o ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez afirmou que entrega a pasta com as secretarias e autarquias “funcionando a contento”. Segundo Vélez, a equipe costumava trabalhar das 8h da manhã à meia-noite.

De acordo com o ex-ministro, “mentiras deslavadas” foram ditas sobre sua gestão e se defendeu: “[Eu] me desgastei, paguei o preço, e não me arrependo porque nunca esmoreci na tentativa de tirar a limpo os maus manejos, as más práticas e o desrespeito ao dinheiro do contribuinte.”

A administração de Vélez no MEC foi marcada por polêmicas e pela troca de pelos menos 10 cargos do alto escalão do ministério e órgãos vinculados nas últimas semanas.

Vélez disse que recebeu sem tristeza a notícia de sua saída do cargo. “Achei que era uma etapa, uma meta cumprida”, afirmou. “Entrego meu cargo, não com tristeza, mas com felicidade porque sei que estou entregando algo que está em funcionamento, algo que construímos com muito trabalho ao longo desses três meses.”

Entre suas ações à frente do MEC, Vélez destacou a chamada Lava Jato da Educação. Segundo o ex-ministro, instituições de ensino envolvidas em esquemas irregulares foram descredenciadas e nomes de pessoas que praticaram atos ilícitos foram repassados ao Ministério da Justiça.

Vélez mencionou também a elaboração da disciplina educação para a cidadania, ainda em construção. Ele explicou que a intenção era implantá-la nas escolas brasileiras para despertar “a consciência do que é ser brasileiro”. A disciplina já é lecionada em escolas militares.

(Agência Brasil)

Tragédia em Brumadinho provoca impactos na economia de Minas e Espírito Santo

O rompimento da barragem de Brumadinho (MG) provocou queda de 9,7% na indústria do Espírito Santo e de 4,7% na de Minas Gerais na passagem de janeiro para fevereiro. Esses foram os dois estados com maiores recuos na produção industrial no período, segundo dados divulgados hoje (9), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Bernardo Almeida, analista da pesquisa, o resultado nos dois estados foi pressionado pela redução na produção de minério de ferro, após o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, em 25 de janeiro.

Outros locais com queda na produção industrial de janeiro para fevereiro foram Goiás (-2,6%), Rio de Janeiro (-2,1%), Rio Grande do Sul (-1,4%) e Pará (-0,1%).

Ao mesmo tempo, nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE tiveram alta na produção: Bahia (6,5%), Região Nordeste (6,2%), Pernambuco (5,9%), São Paulo (2,6%), Mato Grosso (1,7%), Amazonas (1,5%), Paraná (1,1%), Ceará (1,1%) e Santa Catarina (0,5%). Na média nacional, a indústria cresceu 0,7%.

Outras comparações

Na comparação com fevereiro de 2018, a produção industrial avançou em dez dos 15 locais pesquisados, com destaque para Pará (12,7%) e Paraná (10,8%). Mato Grosso e Região Nordeste mantiveram-se estáveis.

No acumulado do ano, houve perdas em sete dos quinze locais pesquisados, com destaque para o Espírito Santo (-6,2%). Dois locais mantiveram-se estáveis (São Paulo e Minas Gerais) e seis tiveram alta. O maior avanço ocorreu no Paraná (10,3%).

Já no acumulado de 12 meses, oito dos 15 locais tiveram alta. A maior delas foi registrada no Pará (9,1%). São Paulo mantém-se estável. Seis locais apresentaram queda. Goiás acumula a maior perda: -4%.

(Agência Brasil)

Maia Júnior – “Integrar para desenvolver”

144 1

Com o título “Integrar para desenvolver”, eis artigo de Maia Júnior, secretário estadual do Desenvolvimento Econômico e Trabalho. Ele aborda o Nordeste e sua economia. Confira:

Artigo publicado pelo doutor Cícero de Carvalho, em 2018, na Revista Paranaense de Desenvolvimento, traz uma informação curiosa: “a economia nordestina é, provavelmente, a mais analisada das regiões brasileiras” – em que pese ainda contar com menos de 50% do PIB per capita nacional.

Situação também anotada no mundo das artes – O Quinze (Rachel de Queiroz) e Vidas Secas (Graciliano Ramos) relatam o flagelo da seca, o empobrecimento e o êxodo da população nordestina. Além da obra do economista Celso Furtado, pensando uma estratégia de desenvolvimento do Nordeste.

Segundo o IBGE, entre 2002 e 2016, o PIB nordestino cresceu em média 3,3%, enquanto o do País, 2,9%. E a participação relativa do PIB regional em relação ao nacional passou de 13,1% para 14,3%. Apesar disso, o Nordeste ainda precisa avançar em muitos indicadores sociais.

Nesse mesmo período, o Ceará cresceu 0,6% acima da média nacional. Mas mantidas essa condições, levará décadas para fazer com que seu PIB avance dos atuais 2,21% para 4,35% – equivalente à sua participação na população brasileira.

É preciso um dinamismo que envolva múltiplos atores para que o Ceará e o Nordeste mudem essa realidade. E que deem respostas efetivas ao que nossas melhores inteligências do século passado já anotavam – a perda de importância econômica em relação a outras regiões.

Com quase 26% da população brasileira, o Nordeste parece ainda não ter união suficiente para fazer prevalecer sua força. Recebe investimentos pontuais, mas obras realmente essenciais carecem de prioridade.

É necessário respostas efetivas aos desafios que inúmeros estudos já atestaram. Nesse sentido, a redescoberta do Nordeste como um polo de logística, de serviços e de inovação tecnológica pode ser a porta para uma nova etapa de desenvolvimento.

Novidades promissoras, mas que ainda precisam de mecanismos institucionais de fomento regional, a exemplo do BNB, e fundos setoriais de incentivos. Não há nação forte onde 46 milhões de habitantes vivem em condições menos favoráveis que os demais. É preciso integrar o País para que haja um crescimento nacional verdadeiro.

*Maia Júnior,

Secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará.

Sesi e Senai aderem ao Abril Verde

O Sesi Ceará, em articulação com o Ministério Público do Trabalho e com o Tribunal Superior do Trabalho, engajou-se ao movimento Abril Verde, mês dedicado a discussão e a conscientização da sociedade acerca da questão da saúde, segurança e importância da prevenção de riscos no ambiente de trabalho. A informação é da assessoria de imprensa da entidade.

Este mês foi escolhido a campanha em razão do Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho, comemorado em 28 de abril.

Para apoiar as empresas em segurança e saúde no trabalho, as entidades do Sistema Indústria oferecem uma gama de soluções. O Sesi, por exemplo, oferta serviços de consultoria e inteligência para ajudar na gestão de segurança e saúde no trabalho.

Já o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) desenvolve cursos técnicos na área.

Pesquisa

A questão de segurança e saúde no trabalho ganha cada vez mais espaço na estratégia do setor industrial. Pesquisa do Serviço Social da Indústria (Sesi) mostra que 71,6% das empresas dão alta atenção à saúde e segurança dos trabalhadores. O levantamento aponta que a importância dada ao tema está relacionada, sobretudo, à preocupação com o bem-estar do trabalhador, à maior conscientização das empresas e à prevenção de acidentes de trabalho.

Essa relevância que o setor dá ao tema se reflete na redução dos acidentes e doenças ocupacionais no Brasil. Dados da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda (MF) apontam que o número de acidentes de trabalho por grupo de 10 mil profissionais caiu mais de 25% entre 2007 e 2016, passando de 137,8, em 2007, para 103,0, em 2016.

Comércio mantém estável volume de vendas de janeiro para fevereiro

O volume de vendas do comércio varejista manteve-se estável de janeiro para fevereiro deste ano, depois de crescer 0,4% de dezembro do ano passado para janeiro. o dado é da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As vendas caíram 0,6% na média móvel trimestral. Nos outros tipos de comparação, no entanto, o volume apresentou crescimento: 3,9% na comparação com fevereiro do ano passado, 2,8% no acumulado do ano e 2,3% no acumulado de 12 meses.

Na passagem de janeiro para fevereiro, metade dos setores teve alta e a outra metade, queda. Os segmentos com crescimento foram tecidos, vestuário e calçados (4,4%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (1%), livros, jornais, revistas e papelaria (0,2%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,1%).

As quedas vieram de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,7%), combustíveis e lubrificantes (-0,9%), móveis e eletrodomésticos (-0,3%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-3%).

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e de material de construção, o volume de vendas recuou 0,8% ante janeiro. Os veículos e motos, partes e peças tiveram queda de 0,9%, enquanto o material de construção caiu 0,3%.

A receita nominal do varejo cresceu 0,3% na comparação com janeiro, 7,5% na comparação com fevereiro do ano passado, 6% no acumulado do ano e 5,4% no acumulado de 12 meses.

A receita nominal do varejo ampliado caiu 0,5% na comparação com janeiro, mas cresceu 10,4% na comparação com fevereiro de 2018, 8% no acumulado do ano e 7,3% no acumulado de 12 meses.

(Agência Brasil)

Guilherme Boulos define como “desgoverno” e “presepada”os 100 primeiros dias de Bolsonaro

543 4

Guilherme Boulos, que disputou a presidência da República pelo PSOL, vai participar, a partir das 18h30min desta terça-feira, na Praça da Gentilãndia, em Fortaleza, de ato contra a proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro.

Em conversa com a reportagem do Blog, Boulos aproveitou para analisar os primeiros 100 dias do governo Bolsonaro, no que não poupou farpas.