Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Setor de fretamento de aeronaves no Ceará fechou num céu de brigadeiro em 2018

Os irmãos Ariston e Joaquim Pessoa comandam a empresa.

O setor de fretamento de aeronaves do Ceará fechou 2018 em alta.

Entre o fim do ano e até ontem, só a TAF Aviação, segundo seu controlador Ariston Filho, havia fretado 25 voos entre Fortaleza e Jericoacoara.

“Um público diferenciado. Fretamento não é barato”, observa Ariston.

(Foto – Arquivo)

Preços na indústria caem 1,54% no maior recuo desde janeiro de 2014

Influenciados pela redução dos preços dos derivados do petróleo e do álcool, além de outros produtos químicos, os preços da indústria fecharam o mês de novembro com deflação (inflação negativa) de 1,54%, resultado inferior ao -0,68 de outubro. Esta foi a maior queda de toda a série histórica iniciada em janeiro de 2014.

Os dados fazem parte da pesquisa relativa ao Índice de Preços ao Produtor (IPP) e foram divulgados hoje (4), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro.

Com o resultado de novembro, o indicador acumula no ano (novembro-janeiro) alta de 11,47%, inferior aos 11,94% do acumulado nos últimos doze meses (a taxa anualizada). Em novembro do ano passado, o IPP, que mede os preços na porta das fábricas, foi de 1,40%.

Segundo o IBGE, apesar da queda, na passagem de outubro para novembro houve variações positivas de preços em 11 das 24 atividades, contra 8 relativas ao mês anterior.

Segundo o gerente de Análise e Metodologia do IBGE, Alexandre Brandão, vários fatores influenciaram a queda de 7,23% verificada nos preços do refino de petróleo, “a mais intensa desde janeiro de 2010”.

“Os preços do óleo bruto extraído caíram, o que reduz os custos de refino e influenciam toda a cadeia de produção. O óleo diesel, que tem o maior peso no refino, ficou mais barato. Além disso, a nafta, que é matéria-prima fundamental para a indústria química, também teve redução de preços”, explicou.

Outra questão importante no período, segundo o gerente, foi a variação do dólar, que tinha aumentado em outubro e sofreu pequena depreciação em novembro. “Isso barateou as importações de elementos que participam do processo de refino, o que diminuiu ainda mais os custos”, disse.

O IPP mede a variação dos preços dos produtos na porta das fábricas, ou seja, sem incidência de impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação.

Maiores variações

O levantamento do IBGE indica que as quatro maiores variações na comparação entre outubro e novembro de 2018 ocorreram entre os produtos das atividades de refino de petróleo e produtos de álcool, que encerraram novembro com deflação de 7,23%; outros produtos químicos (-4,18%); impressão (2,65%) e produtos de metal (-2,03%).

(Agência Brasil)

Presidente do PT de Fortaleza alerta Camilo sobre postura do titular da Administração Penitenciária

1010 9

O presidente do PT de Fortaleza, Deodato Ramalho, está alertando o governador Camilo Santana sobre a postura do secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro. Diz perceber no secretário certo ar de truculência, o que pode gerar mais instabilidade na área da segurança.

Deodato Ramalho afirma que faz esse alerta sobre Luís Mauro também na condição de presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB do Ceará.

Nada contra o secretário, mas pedindo cautela, muita cautela.

(Foto – Arquivo)

Prorrogados até 2023 incentivos a empresas da Sudam e da Sudene

Foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (4/1) a lei que prorroga até 2023 o desconto de 75% no Imposto de Renda das empresas que atuam nas áreas da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, vetou a expansão dos benefícios para empresas que atuam na área da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco).

Seguindo recomendação do Ministério da Economia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que ampliar o benefício às empresas da Sudeco desrespeitaria as restrições impostas pela legislação. Além disso, afirmou que a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 não considerou a perda dessa receita. “Do mesmo modo, o projeto não está acompanhado de um aumento de receita compensatória e estimativa trienal do impacto orçamentário-financeiro como determinam a legislação vigente.”

Havia expectativa de que o projeto fosse integralmente vetado, já que em sua campanha Bolsonaro afirmou que teria como uma de suas metas reduzir os incentivos fiscais. No entanto, o presidente decidiu manter o benefício, medida que foi elogiada por especialistas.

(Com Agências)

Obras do viaduto da BR-020 atingido por ação criminosa começaram nesta sexta-feira

Tiveram início na manhã desta sexta-feira (4), em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza), as obras de reparo do viaduto da BR-020, alvo de criminosos na última quarta-feira (2). Um grupo detonou dinamites em uma das pilastras da estrutura, atingindo uma parte de cima do equipamento.

O prazo da conclusão das obras ainda não foi informado pelo Dnit, que faz a mobilização

(Fotos – Divulgação)

Bolsonaro diz que alíquota do imposto de renda poderá ser reduzida

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (4) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve anunciar a possibilidade de diminuir o teto da alíquota do Imposto de Renda da Pessoa Física, de 27,5% para 25%. “Porque o nosso governo tem de ter a marca de não aumentar impostos”, afirmou.

Perguntado, Bolsonaro disse que o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) já foi assinado, mas “para quem tem operação fora”. Segundo ele, a medida foi necessária “para poder cumprir uma exigência de um projeto aprovado [pelo Congresso] nesse sentido, como pauta bomba, contra a nossa vontade”.

O presidente afirmou que “o percentual [de aumento] é mínimo, uma fração”.

Bolsonaro falou com a imprensa após participar de cerimônia de transmissão do comando da Aeronáutica para o tenente brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, na Base Aérea de Brasília.

(Agência Brasil)

O Senado dos novos tempos

145 1

Em artigo publicado na edição desta sexta-feira (4) do O POVO, Tasso Jereissati apresenta as bases de seu pensamento sobre os desafios do Senado, a partir de fevereiro. Candidato à presidência da da Casa, ele defende um Senado moderador, protagonista na condução das reformas e “nas relações com os poderes, o Senado deve ser altivo e independente, mas jamais um retro-alimentador de crises. Um guardião intransigente dos mais caros valores da nação: a democracia, os direitos humanos, a livre iniciativa e o valor social do trabalho, como dita a Constituição”. Confira:

Historicamente, o Senado Federal tem exercido um papel de equilíbrio e, sobretudo, de superação de crises e conflitos. No Brasil de hoje, tais atributos são artigos de primeira necessidade. Vivemos tempos de profundas mudanças, que trazem para o palco novas vozes e demandas.

Entre nós, majoritariamente, há um sentimento de esperança, apesar dos problemas que persistem. A economia dá sinais positivos e a política sofreu profunda renovação, em seus nomes. Agora, é hora de renovarmos as práticas, sob pena de – mais uma vez – perdermos uma oportunidade histórica.

O cidadão manifestou repúdio à velha política – corrupção, fisiologismo e toma-lá-dá-cá nas relações entre os poderes. Aos eleitos, cabe fazerem valer esse manifesto, de construir o novo a partir de novas bases. Aos senadores que ficam, cabe entenderem a necessidade da mudança.

Há de se reconhecer, porém, que em um país dividido, como se mostrou o Brasil antes e após as eleições, mudanças devem ser conduzidas com serenidade. Se as paixões permanecem na sociedade, ao Senado compete, como instância moderadora, promover o equilíbrio entre os poderes e instituições. Frente aos conflitos de interesses e diferentes visões de mundo em disputa, devemos estar a serviço da conciliação e buscar a convergência em torno dos interesses maiores da nação.

Se há algo indiscutível, é a imprescindibilidade das reformas, sem as quais todo o País sofrerá consequências danosas. A urgente reforma da previdência, se ainda não é consensual no formato, avançou na conscientização da insustentabilidade dos atuais regimes. Outras medidas importantes, como a reforma tributária e da segurança pública, devem também ter prioridade. Mais uma vez, o Senado deverá assumir seu papel na solução de conflitos, encontrando soluções tecnicamente viáveis e socialmente justas.

Nas relações com os poderes, o Senado deve ser altivo e independente, mas jamais um retro-alimentador de crises. Um guardião intransigente dos mais caros valores da nação: a democracia, os direitos humanos, a livre iniciativa e o valor social do trabalho, como dita a Constituição.

A história do Senado lhe impõe autoridade e cobra sabedoria. Que compreendamos a grandeza de nossa missão, que possamos usar de tais atributos para ajudar a construir, em novas bases, o Brasil que todos nós, há tanto tempo, almejamos.

*Tasso Jereissati

Senador e ex-governador do Estado do Ceará.

Ceará deve receber parte da Força Nacional ainda nesta sexta-feira

Parte da Força Nacional de Segurança deve chegar ao Ceará ainda nesta sexta-feira, 4. A informação é do coronel Antônio Aginaldo de Oliveira, comandante do Batalhão de Policiamento Especializado (BPE) da Polícia Militar do Estado do Ceará. Primeiro nordestino a liderar a Força Nacional, ele afirma que o Ceará deve receber tropas do Rio Grande do Norte e de Sergipe até o fim desta tarde. O apoio federal foi solicitado pelo governador Camilo Santana (PT).

“O restante (da tropa) virá de Brasília. Ainda não posso confirmar sua chegada, mas virão”, afirmou. O cearense embarca nesta manhã para Brasília, onde deverá tomar posse do novo cargo às 17 horas.

A assessoria do Ministério da Justiça, pasta comandada por Sérgio Moro, informou que as tropas da Força Nacional já foram mobilizadas. Contudo, ainda não foi determinado o envio para o Ceará.

(O POVO Online / Repórteres Rubens Rodrigues e Luana Barros)

Inflação para famílias com renda baixa é 4,17% em 2018

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que diz respeito às famílias de menor renda (1 a 2,5 salários mínimos) fechou o mês de dezembro com alta de 0,32%, ficando 0,57 ponto percentual acima da taxa de novembro, quando o índice fechou com deflação (inflação negativa) de 0,25%. Com o resultado, o indicador fechou o ano passado com alta acumulada de 4,17%.

Os dados foram divulgados hoje (4), pelo Instituto Brasileiro de Economia de Fundação Getulio Vargas (Ibre – FGV). Segundo a fundação, em dezembro, a inflação para as famílias de baixa renda ficou 0,03 ponto percentual acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que registra a variação dos preços para o total das famílias brasileiras e que subiu em dezembro 0,29%. No ano, o indicador fechou com alta acumulada de 4,32%, resultado 0,05 ponto percentual acima do registrado pelo IPC-C1.

Classes de Despesas

Os dados da FGV indicam que a alta de 0,32 relativa ao IPC-C1 de dezembro reflete aceleração de preços em seis das oito classes de despesa componentes do índice, com destaque para Habitação, grupo que saiu de uma deflação de 1,10% para uma alta de 0,10% (variação de 1,20 ponto percentual); Alimentação (de 0,34% para 0,83%); Saúde e Cuidados Pessoais (de -0,17% para 0,29%); e Vestuário (0,14% para 0,70%).

Educação, Leitura e Recreação passou de uma alta de 0,27% para 0,66% e Despesas Diversas de 0,03% para 0,09%. Nestes grupos, os destaques partiram dos itens tarifa de eletricidade residencial (-6,04% para -1,05%), laticínios (-4,76% para -3,19%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-1,10% para 0,36%) e roupas (0,29% para 0,87%).

Em contrapartida, fecharam com desaceleração de preços os grupos Transportes (de -0,42% para -0,52%) e Comunicação (de 0,07% para -0,02%). Nestas classes de despesa, destacam-se os itens gasolina (-2,96% para -4,43%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,63% para 0,00%).

(Agência Brasil)

Camilo cria Gabinete de Segurança e diz que 45 envolvidos nos ataques criminosos já foram presos

210 3

O governador Camilo Santana (PT) acaba de postar em sua página no Facebook que 45 pessoas envolvidas nos ataques criminosas que se registram desde a última quarta-feira à noite no Estado, já foram presas.

Ele aproveitou para informar que criou um Gabinete de Situação que trata dessas ações. Confira:

Informo aos cearenses que nossas Forças de Segurança já prenderam quarenta pessoas por envolvimento em atos criminosos ocorridos em nosso Estado. O policiamento continua reforçado nas ruas para garantir a segurança do cidadão e minha determinação é para que a nossa polícia aja com todo o rigor, dentro da lei. Também determinei a ampliação do gabinete de situação, com a participação direta dos órgãos federais (Polícia Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Polícia Rodoviária Federal), inclusive por sugestão do ministro Sérgio Moro, além do Tribunal de Justiça e Ministério Público do Ceará, e Secretaria Municipal de Segurança Cidadã, da Prefeitura de Fortaleza.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSPDS) já reforçou o policiamento nos terminais de ônibus e nos principais corredores comerciais e bancários; e os coletivos são acompanhados e monitorados pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). Além do Policiamento Ostensivo Geral (POG), equipes especializadas, como do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) integram o patrulhamento.

Além disso, a SSPDS está permanente em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) e a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), com o objetivo de garantir a segurança aos usuários do transporte público. Além do ministro Sérgio Moro, tive contato com o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, que também se colocou à inteira disposição para a colaboração necessária. O momento é de união de todas as forças para garantia da ordem e proteção de todos os irmãos e irmãs cearenses.

(Foto – Divulgação)

Terror no Ceará desafia novos governos

147 1

Da Coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (4), pelo jornalista Érico Firmo:

O que Fortaleza vive desde o fim da noite de quarta-feira é uma onda de ataques com métodos terroristas. Mais uma. São tantos ataques sucessivos que já são encarados quase como rotina os ônibus incendiados e estruturas públicas destruídas. Desta vez, quase foi colocado abaixo o viaduto de uma rodovia federal, em importante ponto de conexão entre várias regiões do Estado, bem próximo a posto da Polícia Rodoviária Federal. O crime chegou a novo patamar de ousadia. Concessionária de veículos também foi incendiada.

Os ataques a esta altura são desafio para o governo Camilo Santana (PT) que recomeça e para a gestão Jair Bolsonaro (PSL) que se inicia. Trata-se de afronta às novas administrações, desafio escancarado. Não há alternativa que não seja resposta firme, imediata, forte e, nem seria necessário dizer, dentro da estrita legalidade – sem isso, Estado e criminosos se confundem numa só coisa.

Sobretudo para o Governo do Ceará, a pressão é tremenda e a reação é inadiável. Ou governador, secretário da Segurança Pública e o novo secretário do Sistema Penitenciário dão resposta agora ou demonstrarão fraqueza difícil de remediar. Tipo de coisa que, no início de mandato, define rumos de um governo. O sucesso ou o fracasso podem ser definidos em marcos inaugurais como este. Eles estão sendo testados pelos maiores inimigos que podem ter pela frente. É preciso ação decidida e rápida.

As facções criminosas tentam se impor como Estados paralelos. Buscam controlar territórios tanto quanto possível. Preservar privilégios em presídios. Reagem furiosamente quando alguém sinaliza que irá confrontá-las.

Já foi assim quando a Assembleia Legislativa aprovou o bloqueio de sinais de celulares em presídios, medida nunca colocada em prática. Em 5 de abril de 2016, um mês após a aprovação da medida, treze quilos de dinamite foram recolhidos de um carro estacionado ao lado da Assembleia Legislativa.

Muitas ações são anunciadas e têm sido implantadas a cada uma dessas grandes ocorrências. Sob influência de episódios de violência no Ceará, foi criado um Ministério da Segurança Pública – que agora se tornou Secretaria Nacional vinculada ao ministro Sergio Moro e sob gestão direta do general Guilherme Theophilo, que concorreu a governador do Ceará contra Camilo. Iniciativa também do governo Michel Temer (MDB), foi instalado em Fortaleza, no mês passado, o Centro Integrado de Inteligência do Nordeste. Que, aliás, tem agora ótima oportunidade de dizer a que veio.

Recém-empossado no cargo, o novo secretário da Administração Penitenciária sinaliza linha dura. Os ataques seriam reação à postura dele. O lado positivo é a indicação de que as medidas pretendidas mexem nos calos e incomodam. É óbvio que fustigar, impor restrições à ação de líderes criminosos provocará reações. O poder público precisa se resguardar para garantir que a população sofra menor impacto possível.

Coube ao Ceará ser o primeiro teste para a gestão de Sergio Moro no novo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

E, também, a primeira necessidade de interlocução imediata entre o governo Bolsonaro e um governador do PT.

É simbólico, mas o motivo é lamentável.

Morre o comentarista de futebol Sérgio Pinheiro

712 13

O radialista e comentarista esportivo Sérgio Pinheiro (75) morreu, nesta manhã desta sexta-feira, no Hospital Gastroclínica, em Fortaleza. Foi vítima de infecção bacteriana. A informação é da Associação dos Profissionais da Crônica Desportiva do Ceará (APCDEC).

O velório ocorrerá a partir das 14 horas, no Cemitério Parque da Paz, onde o corpo do radialista será sepultado neste sábado, às 9h30min, adianta a entidade.

Sérgio era apaixonado pelo futebol. Trabalhou no Piauí e no Ceará e ganhou destaques nas rádios Assunção, POVO, Sistema Verdes Mares estava atuando na equipe da Expresso FM. Deixa viúva e uma filha.

ATUALIZAÇÃO – A figura do meu amigo e comentarista Sérgio Pinheiro estará sempre ligada a uma história muito rica para o rádio e a TV no que podemos definir como o melhor da cobertura esportiva em nosso Estado.
Dono de um estilo muito pessoal e rico na inovação das coberturas, Sérgio Pinheiro ajudou a construir uma página que ficará para sempre na história da nossa comunicação. Minha solidariedade à família e aos amigos, sabendo que ele deixará muitas saudades!!!!

Roberto Cláudio Rodrigues Bezerra
Prefeito de Fortaleza

(Foto – Reprodução do Youtube)

Aracoiaba lamenta ataques contra equipamentos essenciais às necessidades da população

Um caminhão-pipa e uma ambulância do município de Aracoiaba, no Norte do Ceará, a 73 quilômetros de Fortaleza, foram destruídos na madrugada desta sexta-feira (4), após criminosos atearem fogo nos equipamentos essenciais à população, diante do abastecimento de água e atendimento a doentes. Os criminosos destruíram ainda tratores utilizados na limpeza urbana.

PM entra em confronto com grupo que incendiava fotossensor; policial é baleado e suspeito morto

Uma patrulha da Polícia Militar entrou em confronto com um grupo de 15 criminosos que incendiavam um fotossensor na CE-010, no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Houve troca de tiros. Um policial saiu baleado e um suspeito foi morto na ação. Caso foi registrado na noite dessa quinta-feira, 3. Uma onda de ataques toma conta de Fortaleza e Região Metropolitana desde a noite da quarta, 2.

Os militares patrulhavam a área quando perceberam a movimentação. No tiroteio, um policial foi ferido na perna e socorrido na própria viatura. O suspeito morreu no local e o restante fugiu. O POVO Online apurou que o policial foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (Upa) do Eusébio e não corre risco de morte. Nas últimas 24 horas foram registrados ataques a fotossensores, ônibus, viaturas, caminhões e automóveis.

(O POVO)

Petrobras reduz pelo 2º dia seguido preço da gasolina nas refinarias

Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduz o preço da gasolina vendida nas refinarias. Nesta sexta-feira (4), a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Ontem (3) a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675.

De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

Segundo a estatal, essa “paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”.

A Petrobras informa ainda que “o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”.

(Agência Brasil)

Sindiônibus diz que coletivos iriam circular normalmente hoje, mas os ataques voltaram

Em nota enviada à imprensa, o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, relata que a frota iria circular normalmente nesta sexta-feira (4), mas foi retirada por causa de novos ataques na madrugada. Confira:

Os ônibus estavam saindo hoje normalmente quando reiniciaram os ataques. Atacaram mais dois veículos por volta das 5 horas.

Neste momento, há 30% de frota sendo colocada em operação de contingência combinada com a segurança do Estado, porque é o que está sendo possível dar segurança.

Estão para conseguir reforços e com isso a oferta de ônibus poderá aumentar.

Não podemos colocar frota na rua para encher de gente sendo alvo potencial de bandidos e também nossos funcionários, que têm enfrentado heroicamente essas ondas de violência desde 2014, entrando em bairros sob constantes ataques, inclusive à noite.

Além disso, ônibus não têm em prateleira. Portanto, se seguirmos só entregando mais ônibus para a queima, além do prejuízo imediato o serviço fica prejudicado por muito tempo depois.

É uma situação caótica, péssima para todos.

Confiamos nas forças de segurança do Estado para restabelecer a ordem o mais breve possível.

Sindiônibus

Capital cearense vive madrugada de ataques articulados por fações

Fortaleza e bairros da Região Metropolitana atravessaram uma nova madrugada de ataques articulados por facções criminosas. Foram pelo menos 30 das 21 horas até 2 horas da manhã desta sexta-feira, 4.

O POVO foi a sete bairros onde as forças de segurança do Ceará foram acionadas para atender as ocorrências. Três desses atentados foram considerados muito graves pela Polícia Militar. Na Pajuçara, que fica no município de Maracanaú, bandidos incendiaram uma agência da Caixa Econômica.

Eles invadiram a agência, na rua Raul Teófilo, com um carro e atearam fogo no veículo. O incêndio destruiu completamente os caixas rápidos da entrada da Caixa e aparelhos de videos do banco. Ninguém ficou ferido. Mais cedo, outros criminosos atiraram contra uma agência do Bradesco na Vila União, em Fortaleza.

Também na capital cearense, o Grupo de Ações Taricas Especiais (Gate) foi chamado para recolher e detonar uma bomba deixada em uma das colunas de um viaduto da avenida Washington Soares, próximo à fábrica da cachaçaria Ypióca. Por mais de uma hora, a PM bloqueou a via e desvio o tráfego pela rua Eudes Cardoso.

Na madrugada desta quarta para quinta-feira, os criminosos explodiram parcialmente uma coluna de um viaduto localizado em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Os faccionasos também foram ousados ao explodir um veículo que estava recolhido num estacionamento improvisado do 27o Distrito Polícial, no bairro João XXIII, em Fortaleza. Homens em duas motos e dois carros, lançaram uma bomba entre os automóveis apreendidos da delegacia.

A explosão, segundo um policial que pediu para não ser identificado, foi ouvida em bairros vizinhos ao João XXIII. O que indicaria o uso de dinamite.

Os ataques das facções seriam uma reação ao discurso do novo secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque. Na última quarta-feira, ele afirmou que não reconhece o poder das facções nas cadeias e que presos têm de ir para onde há vagas e não para os presídios dominados por grupos específicos do crime organizado. Desde 2016 às cadeias no Ceará são divididas por facções.

(O POVO Online / Repórter Demitri Túlio)

Bolsonaro diz que avançará em debate sobre valor de auxílio-reclusão

O presidente Jair Bolsonaro usou hoje (4) o Twitter para dizer que avançará na discussão do valor do auxílio-reclusão, que atualmente ultrapassa os R$ 1,3 mil. Dois dias depois de assinar o decreto que reajusta o salário mínimo, de R$ 954 para R$ 998, ele criticou o fato de que auxílios sociais concedidos a presos ainda tenham valor superior da base de remuneração dos trabalhadores brasileiros.

“O auxílio-reclusão ultrapassa o valor do salário mínimo. Em reunião com ministros, decidimos que avançaremos nesta questão ignorada, quando se trata de reforma da Previdência e indevidos. Em cima de muitos detalhes vamos desinchando a máquina e fazendo justiça!”, destacou no Twitter.

Bolsonaro também defendeu mais apoio aos agentes de segurança pública para que executem suas tarefas.

Ontem (3), durante reunião ministerial, Bolsonaro ressaltou a necessidade de redução de gastos públicos. O presidente defendeu uma revisão das contas e voltou a destacar a importância da reforma da Previdência em favor do ajuste financeiro. Ele indicou que a revisão do pagamento do auxílio-exclusão deve ser analisada no âmbito da reforma.

O auxílio-reclusão é pago a dependentes do segurado do INSS preso em regime fechado ou semiaberto, durante o período de reclusão ou detenção. O período de recebimento do benefício varia, de acordo com critérios, mas pode ser pago de forma vitalícia.

Segurança

Em uma segunda postagem nesta manhã, o presidente defendeu a implantação de medidas que deem garantias de trabalho para os agentes de segurança pública. Segundo ele, os três Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário têm de assumir esse compromisso.

“Sem garantias necessárias para os agentes de segurança pública agirem em prol do cidadão de bem, a diminuição dos crimes não vai ocorrer na velocidade que o brasileiro exige. Os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário têm que assumir este compromisso urgentemente.”

Enxugamento

Também no Twitter, Bolsonaro reiterou ainda a necessidade de enxugamento da estrutura do Estado. Foram exonerados mais de 300 funcionários que ocupavam cargos comissionados na Casa Civil. Haverá reavaliação, se quiserem retornar a seus postos. O critério será técnico, segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A medida foi transformada em recomendação para todas as áreas de governo, na reunião que ocorreu ontem no Palácio do Planalto. Bolsonaro disse que é necessário fazer revisão em contratos e liberação de recursos público para identificar desvios. “Em cima de muitos detalhes vamos desinchando a máquina e fazendo justiça”, disse.

(Agência Brasil)

Camilo, o general e os ataques criminosos

159 3

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira (4):

O governador Camilo Santana (PT) quer uma audiência com o secretário nacional da Segurança Pública, General Theophilo, principalmente depois da série de ataques registrada em Fortaleza e Caucaia, onde até a tentativa de derrubada de um viaduto entrou no portfólio da criminalidade no Estado.

Os episódios se registraram, coincidentemente, depois que o secretário da Administração Penitenciária do Estado, Luís Mauro Albuquerque, disse não reconhecer facções no Ceará. Teria sido a fala um agravante, já que panfletos reclamando melhores condições nos presídios foram encontrados na área do viaduto alvo de ataques, com data de 23 de dezembro último?

Bem, Camilo havia informado para este colunista, no fim do ano passado, que queria ter esse encontro com o General Theóphilo para uma definição de estratégias contínuas de combate aos grupos criminosos que agem no Ceará e em outros vários Estados.

Depois do apoio do ministro da Justiça, Sergio Moro, o algoz do petista Lula, é hora de pensar mais do que nunca no País. Até porque, como diria o senador eleito Cid Gomes (PDT), o Lula está preso e a luta contra o crime organizado ultrapassa diferenças ideológicas e políticas.