Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ceará consegue adiar julgamento e técnico Lisca comandará o clube contra o Sport

O Ceará Sporting Club conseguiu adiar o julgamento do técnico Lisca, que foi expulso no jogo contra o Palmeiras, no dia 21 de outubro. Com o recurso, o treinador comandará o time na segunda-feira, 5, diante do Sport, em Pernambuco. A decisão sobre uma possível punição contrária a Lisca ainda não tem data definida.

Durante o primeiro tempo da partida contra o Palmeiras, no Pacaembu, o técnico do Vovô foi expulso por reclamação. Na súmula daquele jogo, o árbitro André Luiz de Freitas Castro informou que Lisca teria reclamado da arbitragem, enquanto gesticulava os braços de forma “acintosa e desrespeitosa”.

De acordo com André Luiz, o comandante do alvinegro também acusou os árbitros de estarem “armados” para favorecer o líder da competição.

André complementou no documento que Lisca teria afirmado ao árbitro adicional: “Isso é uma vergonha. Vocês estão roubando, cambada de vagabundos”. O treinador do time do Porangabuçu pode ser punido com suspensão de quatro a seis jogos, além de ter de pagar uma multa.

Com o adiamento do julgamento, ainda sem nova data marcada, Lisca estará na beira do gramado da Ilha do Retiro, onde o Ceará enfrentará o Sport, na segunda. Na 13ª colocação, o Vovô está a três pontos da zona do rebaixamento e na briga por uma vaga na Copa Sul-Americana de 2019.

(O POVO Online – Wanderosn Trindade/Foto – Matheus Dantas)

PF vai apurar interferências na investigação do caso Marielle Franco

A Polícia Federal vai apurar interferências na investigação do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em março deste ano. O Ministério Público e a polícia civil estaduais seguem na apuração do homicídio em si que, depois de quase oito meses, ainda não tem nenhum responsável identificado.

O anúncio da atuação da PF foi feito pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, nessa quinta-feira (1º), em Brasília. Segundo ele, o Ministério Público Federal obteve dois depoimentos com denúncias de que uma organização criminosa teria atuado para desviar as investigações e dificultar a identificação dos autores e mandantes do assassinato. A PF entra no caso, depois de um pedido da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge.

De acordo com as informações obtidas, que o ministro classificou como “gravíssima denúncia”, a organização criminosa envolveria a atuação de criminosos, contraventores, milícias e agentes públicos de diversos órgãos, inclusive relacionados ao caso. Perguntado se as testemunhas teriam apresentado provas, Jungmann disse que os indícios de práticas de corrupção, ocultamento e compra de agentes públicos para impedir a descoberta dos mandantes do crime foram relevantes.

O ministro, contudo, não quis revelar mais detalhes quanto a quais agentes de que órgãos estariam envolvidos nesse grupo. Jungmann também não informou o que acondeceu com os denunciantes, apenas comentou que um dos depoimentos teria sido tomado no Rio de Janeiro e outro fora. As oitivas teriam ocorrido no último mês.

Segundo o titular da Segurança Pública, o inquérito da Polícia Federal correrá paralelamente às investigações conduzidas pelo Ministério Público e pela Polícia Civil do Rio de Janeiro e não configura federalização do caso.

Contudo, Jungmann afirmou que as duas investigações podem cooperar e trocar informações. “Se o caso Marielle ajudar a desvendar quem está obstruindo e se, inversamente, a busca da investigação de quem está promovendo isso, segundo a testemunha, ajudar o caso Marielle, ótimo. Embora as responsabilidades sejam distintas, sem sombra de dúvida a cooperação deve ajudar mutuamente a elucidação tanto de um caso quanto de outro”.

Polícia Civil rebate

O chefe de Polícia Civil do Rio, delegado Rivaldo Barbosa, rebateu as acusações feitas pelo miliciano Orlando de Oliveira Araújo, o Orlando Curicica, que está preso na Penitenciária Federal de Mossoró (RN), em entrevista ao jornal O Globo, em que acusa a Polícia Civil do Rio de não ter interesse em elucidar o caso Marielle.

Além de rebater as acusações do miliciano, o delegado-chefe também prometeu resolver o duplo homicídio de Marielle Franco e Anderson Gomes em pouco tempo: “Dentro desse propósito, o chefe de Polícia Civil garante: o caso Marielle e Anderson está muito próximo de sua elucidação”.

(Agência Brasil)

Jornais são barrados na primeira coletiva de Bolsonaro

164 1

Os jornais impressos foram barrados da primeira coletiva do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), na tarde dessa quinta-feira, 1º, em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Em uma lista regulada por uma policial federal na porta do condomínio, Bolsonaro só permitiu que emissoras de TV (menos a TV Brasil), algumas rádios e dois sites entrassem. O Estado, a Folha de S. Paulo, O Globo e as agências internacionais não puderam passar da guarita do condomínio.
O credenciamento foi feito pelo assessor Tercio Arnaud Tomaz, funcionário da campanha de Bolsonaro, mas lotado no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (PSC), na Câmara do Rio, com o salário de R$ 3.641. Carlos está licenciado do parlamento desde agosto deste ano. Por mensagens pelo Whatsapp, Tercio respondeu aos jornalistas dos veículos barrados que eles não poderiam entrar “por questões de espaço”. Pelo menos 20 repórteres e suas equipes entraram no local. Bolsonaro tem usado sua casa para receber grupos de parlamentares e apoiadores.

Quando jornalistas que participaram da coletiva lhe perguntaram por que alguns veículos tinham sido barrados, Bolsonaro respondeu que “não sei quem marcou isso (coletiva)” e que não mandou restringir ninguém. Desde o episódio da facada, Bolsonaro não tem concedido entrevistas a jornais impressos e privilegiado meios eletrônicos, como emissoras de televisão e rádio.

(Agência Estado)

BNB fecha outubro com R$ 23,2 bilhões contratados com verbas do FNE

O Banco do Nordeste fechou o mês de outubro com R$ 23,2 bilhões contratados com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O resultado representa recorde histórico e crescimento de 90% em relação ao mesmo período de 2017, quando o Banco havia fechado R$ 12,2 bilhões em financiamentos no Nordeste, além do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

As informações foram divulgadas pelo presidente do BNB, Romildo Rolim, nesta tarde de quinta-feira, em Fortaleza. “Nossa meta de aplicação do FNE até dezembro é de R$ 30 bilhões e estamos muito confiantes que alcançaremos esse resultado antes da data prevista. Temos mais R$ 10 bilhões em tramitação nas esteiras negociais e técnicas, em projetos que deram entrada nesse segundo semestre”, afirmou o presidente. Ele também destacou que o Banco já tem aprovado diversas cartas consultas para grandes operações que serão efetivadas a partir de janeiro de 2019.

Dos R$ 23,2 bilhões efetivados até o momento, cerca de R$ 12 bilhões estão distribuídos em operações nos setores de comércio, serviços, industrial, rural e agroindustrial. Os investimentos em infraestrutura somam R$ 11,3 bilhões, em iniciativas que contemplam empreendimentos de energia, aeroportos, água e saneamento localizados em quase todos os estados da área de atuação do Banco.

Microcrédito

O crescimento na procura por crédito também foi observado na área do microcrédito. Pequenos empreendedores urbanos atendidos pelo programa Crediamigo, especialmente no mercado informal, obtiveram R$ 7,2 bilhões em recursos, o que constitui aumento de 12% em relação ao ano passado.

Mesmo crescimento foi observado no atendimento da área rural, pois o Agroamigo contratou R$ 2,1 bilhões.

Micro e Pequena Empresa

Outubro, mês da MPE no Brasil, marcou o alcance da marca de R$ 2 bilhões em operações de investimento e capital de giro para as micro e pequenas empresas.

Esse valor é 10% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. A expectativa é fechar o ano com aporte superior a R$ 2,5 bilhões no segmento.

Regularização de dívidas rurais

No âmbito das leis 13.340/2016 e 13.606/2018, o BNB regularizou, de janeiro de 2017 a outubro de 2018, cerca de R$ 10,5 bilhões em dívidas rurais. Os benefícios dos dispositivos legais, que já contemplaram mais de 1,2 milhão de pessoas, permanecem vigentes até o final de dezembro, com descontos que podem chegar a 95% do valor dos empréstimos.

Mais de 90% das renegociações foram efetivadas com miniprodutores rurais, incluindo beneficiários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Goiás leva dois gols nos acréscimos e está fora da disputa pelo título da Série B

Após estar vencendo o Criciúma por 2 a 0, em pleno estádio Heriberto Hülse (SC), até os 48 minutos do segundo tempo, na noite desta quinta-feira (1º), o Goiás permitiu a reação da equipe catarinense, que marcou dois gols em apenas dois minutos, e está fora da disputa pelo título da competição. A partida marcou a abertura da 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Goiás soma 54 pontos, sete pontos a menos que o líder Fortaleza, mas com apenas quatro jogos a cumprir. O Goiás poderá ser alcançado em pontos, nesta rodada, pelo Vila Nova (que amanhã enfrenta em casa o Paysandu) e pelo Atlético Goianiense (que no sábado joga em casa contra o Fortaleza), mas se manterá no G4 pelo número maior de vitórias na competição.

Lucão abriu o placar, aos 44 minutos do primeiro tempo. O mesmo Lucão ampliou, aos 39 minutos da segunda etapa. José Carlos, de pênalti, descontou, aos 48 minutos, E Sandro empatou, aos 50 minutos.

(Foto: Reprodução)

Forças Armadas vão fazer parte de um superministério, promete Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, incluiu hoje (1º), pela primeira vez o Ministério da Defesa entre os três superministérios de seu futuro governo – os dois outros dois são o da Justiça e o da Economia. “A Defesa é um outro superministério. As Forças Armadas vão sim fazer parte da política nacional. Não vão ser relegadas como nos governos de Fernando Henrqiue e do PT”, anunciou, em entrevista coletiva para emissoras de televisão.

Bolsonaro também deu outros detalhes sobre a estrutura de seu futuro governo. Disse que o ministérios da Agricultura e Meio Ambiente deverão mesmo ficar separados, mas avisou que ele escolherá os dois ministros. “Não vão ser as ONGs”, afirmou, referindo-se à pasta do Meio Ambiente. Ele se disse “pronto para voltar atrás” neste caso porque, primeiramente, relatou, o setor rural defendeu de forma unânime a união dos dois ministérios, mas depois se dividiu, por entender que a fusão prejudicaria o agronegócio no Exterior – onde é exigido dos exportadores o cumprimento de normas ambientais.

O presidente eleito também anunciou que o ensino superior sairá do âmbito do Ministério da Educação e passará a ser administrado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. “Não temos nenhuma das nossas universidades entre as melhores do mundo e o nosso Marcos Pontes vai dar um gás especial para essa questão aí”, afirmou.

Perguntado se investiria mais nas universidades, disse que não. “Pelo contrário, nós queremos investir mais no ensino básico e médio”. Provavelmente, relatou, o seu governo deverá ter até 17 ministérios – hoje são 29.

Economia e reforma

Jair Bolsonaro também voltou a dizer que o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, terá “carta branca” para escolher nomes e para administrar a pasta que reunirá a Fazenda, o Planejamento e a Indústria e o Comércio. Sem citar nomes, disse que há “gente boa” no governo Temer que poderia ser aproveitada por Guedes. Bolsonaro reafirmou os compromissos da sua equipe econômica com as metas de inflação, juros, câmbio e com a reforma da Previdência.

Sobre votar ou não a proposta de reforma agora, ele disse que isso depende de saber se haverá quórum, já que o Congresso está esvaziado após a eleição. Ele considerou aproveitar “alguma coisa” do que está aprovado na Comissão especial da Câmara, mas voltou a defender especificidades para aposentadoria de diversas categoria – inclusive os militares. Mas disse ser necessária e urgente a reforma da Previdência. “Se ficarmos sentados olhando para o céu, vamos correr o risco de virar uma Grécia”, comparou.

Bolsonaro defendeu também a desburocratização do Estado para favorecer empreendedores e uma fiscalização que seja amigável. Também defendeu que a Petrobras faça parcerias para investir mais. Anunciou, por fim, que ira avalizar o acordo Boeing-Embraer.

Exterior

Ele se disse ainda aberto a conversar, inclusive já na próxima semana, quando vira a Brasília, com representantes da China e de outros países que querem negociar com o Brasil. “Vamos fazer negócios sem viés ideológico”, avisou. Bolsonaro afirmou não ver “clima pesado ou problemas” em mudar a embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. “Não é problema de vida ou morte, respeito os judeus e o povo árabe”. Ele disse que esses assuntos tratados pelo futuro ministro das Relações Exteriores.

(Agência Brasil)

Heitor Férrer – Ao convocar Moro para sua equipe, Bolsonaro se credencia perante a sociedade

491 4

Do deputado estadual Heitor Férrer (SD), falando para o Blog sobre a indicação do juiz federal Sergio Mora para a pasta da Justiça do futuro governo de Jair Bolsanaro:

A conduta ética, moral, firme e justa do Sérgio Moro o credencia para assumir qualquer cargo público no País. Quem o chama para compor sua equipe, se credencia perante a sociedade, sinalizando que pretende trabalhar com seriedade. Torço para que no Ministério da Justiça, ele dê grandes respostas à sociedade brasileira e que, depois dessa pasta, ele assuma uma vaga no Supremo Tribunal Federal para continuar julgando com a seriedade e com a responsabilidade como conduziu e julgou na Operação Lava Jato.

(Foto – ALCE)

Bolsonaro e Temer terão encontro na próxima quarta-feira

A primeira reunião entre o presidente Michel Temer e o presidente eleito Jair Bolsonaro está marcada para a próxima quarta-feira (7), no Palácio do Planalto. O encontro representa a continuidade do processo de transição entre os dois governos iniciado ontem (31), quando o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, recebeu os primeiros 22 nomes da equipe de transição da parte de Bolsonaro.

Temer e Bolsonaro conversaram rapidamente por telefone na noite do último domingo (28), após a confirmação da eleição de Bolsonaro. Na conversa, Temer parabenizou Bolsonaro pela vitória nas urnas e fez votos para que o governo de seu sucessor seja “de muita paz e harmonia, que é o que mais o nosso país precisa”. A partir de quarta, no primeiro encontro entre ambos, o assunto será a passagem de bastão.

Desde sua eleição, Bolsonaro permaneceu no Rio de Janeiro, recebendo aliados e integrantes da equipe que comporá seu governo. Pouco a pouco, a equipe ministerial vai sendo conhecida. Já foram confirmados os nomes o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil, o general Augusto Heleno para a Defesa, o economista Paulo Guedes para o futuro Ministério da Economia (resultado da fusão das pastas da Fazenda, do Planejamento e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços), o astronauta Marcos Pontes para o Ministério de Ciência e Tecnologia.

(Agência Brasil)

Confira o plantão do Judiciário do Ceará neste feriadão

Magistrados da Capital e de comarcas do Interior atuarão, em regime de plantão, nesta sexta-feira, Dia de Finados, e no fim de semana. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará.

O atendimento no TJCE será feito pelos desembargadores Francisco de Assis Filgueira Mendes e Francisco Lincoln Araújo e Silva, além da juíza convocada Rosilene Ferreira Facundo. Os magistrados atenderão, respectivamente, na sexta (2/11), sábado (3) e domingo (4), das 12 às 18 horas, no Palácio da Justiça, bairro Cambeba.

Já no Fórum Clóvis Beviláqua, o plantão ficará a cargo da 12ª, 13ª e 14ª Varas de Família e da 12ª, 13ª e 14ª Varas Criminais da Capital. Os juízes estarão disponíveis das 12 às 18 horas. Os pedidos de natureza cível no âmbito de competência da Infância e da Juventude, destinados apenas para apreciação de casos urgentes, serão analisados pelos citados plantonistas.

Interior

No Interior, o atendimento acontecerá das 8 às 14 horas nas comarcas de Juazeiro do Norte (Vara de Família e Sucessões e Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher), Barbalha (2ª e 3ª Varas), Iguatu (JECC), Jucás (Vara Única), Missão Velha (Vara Única), Porteiras (Vara Única), Pereiro (Vara Única), Solonópole (Vara Única), Quixadá (JECC), Quixeramobim (1ª Vara), Baturité (JECC), Capistrano (Vara Única), Morada Nova (2ª e 3ª Varas), Aracati (3ª Vara e JECC), Pacatuba (1ª e 2ª Varas), Chorozinho (Vara Única), Eusébio (1ª Vara), Caucaia (JECC e Vara Única da Infância e da Juventude), Trairi (Vara Única), Uruburetama (Vara Única), Sobral (3ª Vara Criminal e 3ª Vara Cível), Granja (2ª Vara), Itarema (Vara Única), Forquilha (Vara Única), Frecheirinha (Vara Única), Reriutaba (Vara Única), São Benedito (Vara Única), Crateús (3ª Vara e JECC), Catarina (Vara Única), Independência (Vara Única), Irauçuba (Vara Única) e Itapajé (1ª Vara).

Fies – Diário Oficial da União traz regras para renegociação de contratos


O Diário Oficial da União publicou hoje (1º) as condições para a renegociação da dívida do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A medida poderá beneficiar 500 mil estudantes que estão com mais de 90 dias de atraso no pagamento. A dívida total desses alunos chega a R$ 10 bilhões.

Podem ser renegociados os contratos com atraso no pagamento de pelo menos 90 dias e ainda tiverem no período de amortização e não tenham sido alvo de ação judicial pelo agente financeiro. A medida vale para os contratos de financiamentos concedidos até o segundo semestre de 2017.

Os contratantes do Fies terão duas opções: o reparcelamento, que permite estender o prazo de pagamento da dívida para até 48 parcelas mensais, além de incluir os estudantes com contratos mais antigos na campanha de renegociação; e o reescalonamento, que possibilita diluir os valores em atraso nas parcelas a vencer.

Parcela de entrada

Para isso, deverá ser paga uma parcela de entrada, em espécie, correspondente ao maior valor entre 10% do valor consolidado da dívida vencida e R$ 1 mil. O valor da parcela mensal de amortização resultante da renegociação não poderá ser inferior a R$ 200, mesmo que implique a redução do prazo remanescente contratual.

O estudante financiado interessado em renegociar a dívida com o Fies deverá apresentar-se na agência bancária onde firmou o contrato, com um ou mais fiadores, cuja renda não poderá ser menor do que o dobro do valor da nova prestação calculada, respeitando o tipo de garantia contratada.

Os estudantes poderão aderir à renegociação até 31 de dezembro de 2019. Os períodos de solicitação e contratação da renegociação deverão ainda ser definidos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Ontem (31), o ministro da Educação, Rossieli Soares, disse que ainda serão feitas reuniões com o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

(Agência Brasil)

Auditores da Receita Federal estão apreensivos com a criação do Ministério da Economia

171 2

A decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro de criar o Ministério da Economia como resultado da fusão da Fazenda com o Desenvolvimento Industria e Planejamento, deixou as entidades representativas dos auditores da Receita Federal de orelha em pá.

O presidente do Sindifisco do Ceará, Hélder Rocha, avalia que essa fusão pode comprometer o trabalho da futura pasta, pois unirá atribuições distintas. Ele não fala ainda em mobilizações contra a medida.

Advogados de Lula usarão decisão de Moro como argumento contra a condenação

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usará a ida do juiz Sergio Moro para o governo de Jair Bolsonaro como argumento de que o magistrado agiu politicamente ao condenar Lula no caso do tríplex no Guarujá (SP).

A decisão de Moro de aceitar o convite de Bolsonaro será motivo de petições tanto nos recursos do ex-presidente às instâncias superiores como na ação movida no Comitê dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

“A formalização do ingresso do juiz Sérgio Moro na política e a revelação de conversas por ele mantidas durante a campanha presidencial com a cúpula da campanha do presidente eleito provam definitivamente o que sempre afirmamos em recursos apresentados aos tribunais brasileiros e também ao Comitê de Direitos Humanos da ONU: Lula foi processado, condenado e encarcerado sem que tenha cometido crime, com o claro objetivo de interditá-lo politicamente”, disse o advogado Cristiano Zanin Martins.

“É o lawfare [palavra inglesa que representa o uso indevido dos recursos jurídicos para fins de perseguição política] na sua essência, uma vez que Lula sofre uma intensa perseguição política por meio do abuso e do mau uso das leis e dos procedimentos jurídicos. A Defesa tomará as medidas cabíveis no plano nacional e internacional para reforçar o direito de Lula a um julgamento justo, imparcial e independente”, acrescentou.

(Agência Brasil)

O POVO é finalista no II Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

Thiago Paiva, Fábio Lima e Demitri Túlio.

Os jornalistas Thiago Paiva, Demitri Túlio e Fabio Lima, todos do O POVO, são finalistas do II Prêmio Policiais Federais de Jornalismo, concedido pela parceria da Federação dos Policiais Federais (Fenapef) com o Sindicato dos Policiais Federais (Sindipol/DF).

Na categoria Jornalismo Impresso, eles concorrem com três cadernos que formaram o especial “Território à espera de paz”, veiculado nos dias 29, 30 e 31 de janeiro deste ano. A série abordou questões sobre terror imposto pelas facções criminosas na rotina de comunidades da periferia de Fortaleza, e sobre a vida de alunos que abandonaram ou solicitaram a transferência dos locais de estudos por medo ou ameaças sofridas por grupos criminosos. Na última reportagem da série, ganharam destaques o avanço das organizações criminosas no Ceará e no aumento da população de sem teto em Fortaleza, por serem expulsos de suas residências. Alguns moradores tiveram, inclusive, que buscar abrigo nas praças e esquinas da Capital.

Confira as reportagens da série:

*Cotidianos alterados pelas facções

*Violência das facções atravessa escolas

*Refugiados urbanos: a fuga e o abrigo na rua

Fotografia

Fábio Lima é repórter fotográfico desde 1994. Indicado com dois trabalhos na categoria de fotojornalismo, com “Guerra por Território” e “O fracasso das políticas sobre as drogas”(série de fotos), ele destacou que, além de há anos desenvolve trabalho de retratar a realidade vista em pautas policiais e mostrar os cotidianos da violência. “Eu gosto da adrenalina, e de como é possível retratar realidades tão adversas em um mesmo ambiente”.

Fotos do premiadíssimo Fábio Lima que estão concorrendo: 

Jornalismo Impresso

Thiago Paiva é um dos finalistas na categoria Jornalismo Impresso. Há oito anos no O POVO, ele começou a trajetória como estagiário de Política, depois tornou-se repórter de Segurança Pública, e, neste ano, tornou-se repórter do Núcleo de Jornalismo Investigativo. “Estar entre os finalistas, concorrendo com gente tão qualificada, é um reconhecimento do nosso trabalho. Um incentivo para seguir em frente. Nos dá fôlego e ânimo para cumprir o papel que se espera do jornalismo em dias como esses que vivemos”.

“Nessa série de reportagens, mergulhamos no drama das comunidades dominadas por facções criminosas. Mostramos o impacto desse controle cotidiano, os reflexos na evasão escolar, na imposição de condutas e no surgimento dos ‘refugiados urbanos’, conceito que utilizamos para retratar a situação de pessoas que foram expulsas de casa pelas facções. Até hoje, ainda não há política pública que devolva a essas pessoas as mínimas condições de dignidade com as quais viviam. Isso é muito grave e continua a se repetir. Nosso papel é seguir denunciando”, conta.

Para o jornalista e também finalista na categoria de “jornalismo impresso”, Demitri Túlio, a reportagem foi um meio de retratar a realidade de famílias que vivem em comunidades periféricas e que estão entre o meio das disputas das facções criminosas. “A reportagem sobre as disputas dos territórios, na verdade, é um acompanhamento jornalístico sobre o fenômeno das facções desde 2015. Em forma de factualidade ou em série”. Ele acrescenta: “É uma maneira do jornalismo ser ponte entre o poder público e quem sofre com o dia a dia de um bairro dominado ou ameaçado pelo medo criado por esses grupos criminosos. Quadrilhas que criaram musculatura por causa da presença insuficiente do Estado e a segurança social capenga que temos no Ceará”, relata.

Na disputa

A premiação é composta por cinco categorias. Além dos profissionais do O POVO, também foram indicados jornalistas de Correio Braziliense, Jornal A Tribuna, Rádio Gaúcha, CBN Vitoria, CBN Brasília, TV Jornal, TV Record, Intertv Cabugi (Afiliada Rede Globo) e o Jornal Metrópoles. Os vencedores serão conhecidos no dia 22 de novembro de 2018, em Brasília.

(O POVO Online – Com Jullie Vieira)

VAMOS NÓS – Que honra fazer parte da equipe do O POVO, que conta com profissionais desse quilate…Ah, nojentos queridos!!

Zé Ramalho fará apresentação no Dragão Pop Music

O cantor e compositor Zé Ramalho fará show em Fortaleza. Será no próximo dia 24, a partir das 21 horas, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar. Isso, dentro do Dragão Pop Music, ocasião em que traz a turnê “40 Anos de Música”.

Os ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria do Dragão do Mar, nas lojas Blinclass e pelo site Bilheteria Virtual.

(Foto – Divulgação)

Bolsonaro diz que Moro terá “total liberdade” e meios para montar sua equipe

129 2

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse hoje (1º) que o juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na primeira instância, e futuro ministro da Justiça terá “total liberdade” e “meios” para escolher sua equipe, inclusive o nome para comandar a Polícia Federal. Segundo ele, Moro participará do governo de transição, mas antes vai tirar férias.

“Quem ganha é o governo Bolsonaro. Quem ganha é o Brasil”, disse o presidente eleito a emissoras católicas de televisão, logo após confirmar o nome de Moro para o superministério da Justiça, que deverá englobar as áreas de Segurança Pública, Controladoria-Geral da União e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Moro passou a manhã com Bolsonaro, na casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Segundo o presidente eleito, conversaram muito e concordaram em “100%” dos temas tratados. De acordo com ele, o juiz garantiu que os processos relativos à Operação Lava Jato não serão abandonados. “Ele me disse que a Lava Jato não será esquecida”, disse o presidente eleito.

Bolsonaro disse que Moro centralizará os esforços no combate à corrupção e ao crime organizado.

“Ele está com muita vontade de levar adiante a agenda”, disse Bolsonaro. “O povo brasileiro o admirará mais ainda.”

Convite

Em entrevistas anteriores, Bolsonaro disse que Moro também é um bom nome para compor o Supremo Tribunal Federal (STF). No seu mandato, o presidente eleito poderá escolher dois ministros para a Corte.

A primeira escolha ocorrerá em novembro de 2020, quando o ministro Celso de Mello, decano do STF, será aposentado aos 75 anos. Em seguida, será a vez do ministro Marco Aurélio Mello, que também irá se aposentar por idade.

(Agência Brsail)

Prefeito Roberto Cláudio visitará a Tailândia para dar palestra e fechar convênio em evento da OMS

172 1

O prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio (PDT), é um dos convidados da Conferência Mundial Sobre Prevenção e Segurança de 2018, que acontecerá de 5 a 7 de novembro, em Bangkok (Tailândia). Ele é convidado da Organização Mundial da Saúde (OMS) para ser palestrante na conferência denominada de “Segurança 2018”, organizada pelo Ministério de Saúde Pública da Tailândia e co-patrocinada pela OMS, Instituto Nacional de Medicina de Emergência (NIEM) e a Fundação de Promoção de Saúde da Tailândia.

Roberto Cláudio, nos três dias de visita, vai se reunir com mais de 1000 dos principais pesquisadores, profissionais, formuladores de políticas e ativistas do mundo para compartilhar informações e experiências e discutir soluções, informa a assessoria de imprensa do Paço Municipal.

Agenda

Em Bagkom, o prefeito Roberto Cláudio vai assinar termos de cooperação técnica com a própria OMS e outros organismos internacionais na área das políticas de saúde pública e prevenção à violência no trânsito, além de ações de captação de recursos para área da saúde pública.

Fortaleza é, hoje, uma referência na questão da segurança viária, sendo umas das dez cidades do mundo que têm parceria com a Fundação Bloomberg, destaca a Organização Mundial da Saúde.

(Foto – Divulgação)

Ciro Gomes e o “Bloco do Eu Sozinho”

204 2

Com o título “O Bloco do Eu Sozinho”, eis artigo de José Nilton Mariano Saraiva, economista pela UFC e aposentado do Banco do Nordeste. Ele comenta a mobilização política de Ciro Gomes (PDT). Confira:

Já que não obteve os votos necessários para a batalha final, se realmente tivesse mesmo um mínimo de apreço pela democracia, e face a ameaça real desta sucumbir ante um ultradireitista, Ciro Gomes deveria ter posto em prática seu recorrente discurso contra o perigo da ascensão do “fascismo” por essas bandas, dando apoio àquele que se habilitou para ser o “anti” (Fernando Haddad). Isso seria o natural, o lógico, o racional, o óbvio.

Só que, com Ciro Gomes, a coisa não funciona bem assim, certamente devido à longa convivência com o seu padrinho político Tasso Jereissati (a quem espetacularmente findou traindo). E por uma razão simplória: como bom aluno que é, a “criatura” findou por assimilar pari-passu o modus operandi do “criador”, em termos de arrogância, prepotência e autocracia coronelística.

Para comprovar, basta uma rápida olhadela no seu extenso “prontuário-político”, onde constata-se ter aderido a incríveis sete (07) agremiações partidárias em seus 36 anos na política: PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB, PROS e PDT, algumas das quais sem qualquer identidade ideológico-programática com a outra (ou seja, por pura conveniência pessoal).

E que delas se desligava em razão dos seus dirigentes não permitirem que “tomasse de conta” da agremiação (à época, houve discussões com os Novaes, aqui de Fortaleza, com Roberto Freire e com o falecido Eduardo Campos, de Pernambuco). Já com relação ao PROS, por exemplo, circulam notícias que teria pago R$ 4,0 milhões para se apossar do partido.

Frio e calculista, ao aproximar-se de Lula da Silva já objetivava obter seu apoio para uma possível candidatura à Presidência da República, mais à frente, mesmo sem integrar os quadros do PT.

Como, após reeleito, Lula da Silva frustrou seu desejo ao optar por Dilma Rousseff à sua sucessão, arranjou espaço em horário nobre nos principais noticiosos de diversos canais televisivos e tratou de desancar da candidata petista, mesmo que para tanto tenha tido que tecer loas ao adversário e arquirrival José Serra (à época, a entrega da “coordenação de campanha” de Dilma, no Nordeste, foi o bastante para acalmá-lo).

Usando partidos “barrigas de aluguel”, concorreu em duas oportunidades à Presidência da República, tendo como “vices” figuras às quais não guardava a mínima identidade, mas que lhes eram convenientes eleitoralmente: Roberto Freire e o tal Paulinho da Força, mas ainda assim nunca conseguiu ter votos suficientes para sequer passar para o segundo turno.

Agora, na eleição recém-finda, foi convidado a concorrer como vice na chapa de Lula da Silva, mas a prepotência e arrogância falaram mais alto, já que só aceitaria entrar na disputa na condição de “cabeça-de-chapa” (ou seja, Lula da Silva e o PT deveriam se submeter aos seus caprichos e vontades, olvidando todo um passado de luta). Se tivesse tido a humildade de aceitar, com o impedimento de Lula teria ocupado o lugar que acabou sendo entregue a Fernando Haddad e, enfim, poderia ter chegado lá.

Como fracassou mais uma vez, foi lamber suas feridas fora do país, durante o segundo turno da eleição, negando-se a combater o candidato fascista e, potencialmente, ajudando-o a eleger-se, ao soprar no ouvido do irmão-ventríloquo todo o ódio e frustração que dele se apossou e que foi verbalizado em reunião do próprio PT (depoimento que foi usado à vontade pelo candidato fascista, a partir de então).

Em sua própria “página oficial” no facebook (https://www.facebook.com/cirogomesoficial), centenas e centenas de pessoas o rotulam de traidor, frouxo e covarde, e de ter contribuído decisivamente para a eleição do candidato-fascista (em sua página oficial, repita-se).

Em troca, e claramente querendo “tirar o braço da seringa”, Ciro Gomes contra-ataca e responsabiliza o PT e Lula da Silva pelo desastre da ascensão do fascismo no Brasil, enquanto já dá a entender que só participará de uma grande frente democrática em 2022 se o colocarem como “cabeça-de-chapa” e, claro, com o PT fora.

Se não, continuará messianicamente a desfilar no “bloco do eu sozinho”.

*José Nilton Mariano Saraiva

Economista pela UFC e aposentado do Banco do Nordeste.