Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Leitor registra rara presença de raposa no Cocó

Mais comum nos campos e cerrados do Brasil, como em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais e São Paulo, além de partes do Tocantins e da Bahia, a raposa-do-campo é muito rara na área entre Piauí e o Ceará. No entanto, a espécie foi flagrada no Parque do Cocó, em Fortaleza, por um leitor do Blog.

De hábito noturno, mas também sai da toca durante o dia, a espécie raposa-do-campo mede 60 centímetros, pesa quatro quilos e possui uma cauda com 30 centímetros de comprimento.

(Foto: Leitor do Blog)

Entra em vigor a lei que facilita acesso de professores à universidade

A lei que facilita o acesso de professores à universidade entrou em vigor na semana passada. O projeto que deu origem à norma foi sancionado pelo presidente da República em exercício, Rodrigo Maia.

A nova lei (13.478/17) beneficia educadores das redes públicas municipais, estaduais e federal que ingressaram por concurso público; tenham pelo menos três anos de exercício da profissão e não sejam portadores de diploma de graduação.

Terão prioridade de ingresso nas faculdades e universidades os professores que optarem por cursos de licenciatura em matemática, física, química, biologia e língua portuguesa.

As instituições de ensino responsáveis pela oferta de cursos de pedagogia e outras licenciaturas definirão critérios adicionais de seleção, sempre que necessário.

A nova legislação resultou de proposta do senador Cristovam Buarque (PPS-DF). Na avaliação do senador, a medida servirá de incentivo para que os professores continuem sua formação e também aprimorem a qualidade do ensino no País.

A proposta foi aprovada pela Câmara em junho. O relator na Câmara, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), disse que a proposta não fere a autonomia das universidades: “A legislação projetada refere-se a processo seletivo diferenciado, permitindo que os regulamentos de cada universidade estabeleçam mecanismos específicos”.

(Agência Câmara Notícias)

Mega-Sena acumula e prêmio da quarta-feira pode chegar a R$ 77 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números do concurso 1.964 na Mega-Sena, realizado na noite desse sábado (2), no município de Bom Jesus da Lapa, no Vale São-Francisco da Bahia, a 796 quilômetros de Salvador.

Os números sorteadas foram: 02 – 27 – 32 – 36 – 48 e 50.

Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), o prêmio do sorteio da quarta-feira (6) poderá chegar a R$ 77 milhões, diante do acumulado em concursos com final 5 ou 0.

As apostas, com valor mínimo de R$ 3,50 para seis números, podem ser feitas a partir desta segunda-feira (4) e seguem até as 19 horas da quarta-feira.

Temer diz que ainda acredita na aprovação da reforma da Previdência

O presidente Michel Temer disse nesse sábado (4) que acredita que o governo ainda vai conseguir colocar em pauta e aprovar a reforma da Previdência no Congresso Nacional.

De acordo com ele, os últimos 90 dias, apesar de “muito tumulto político”, foram um período de notícias positivas na economia, como a criação de empregos e o crescimento do PIB, o Produto Interno Bruto. Como altera a Constituição, a proposta precisa ser aprovada em dois turnos, na Câmara e no Senado, com alto quórum [308 deputados e 49 senadores].

Citando a vitória do governo em outros assuntos tratados pelo Planalto como reformas estruturais, como a emenda que institui um teto para os gastos públicos e a mudança de leis da CLT, a Consolidação das Leis do Trabalho,Temer disse estar disposto a levar adiante as alterações ao acesso à aposentadoria e, posteriormente, promover uma reforma tributária. “Penso que ainda vamos conseguir aprovar a reforma da Previdência”, afirmou.

Temer está na China desde a quinta-feira (31) e cumpre uma agenda que envolve encontros com investidores, empresários, o presidente Xi Jinping e a participação na 9ª Cúpula do Brics (grupo formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul).

(Agência Brasil)

Jovens de favelas lançam movimento e cartilha sobre política de drogas

Grupo de jovens moradores de favelas do Rio de Janeiro e de outras comunidades pobres do país lança na noite deste sábado (2), no Centro de Artes da Maré, zona norte da capital fluminense, o Movimentos: Drogas, Juventude e Favela. O objetivo, segundo Jefferson Barbosa, morador da cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e integrante do grupo, é “começar a pensar a questão das drogas a partir de quem é mais impactado diretamente com a atual política de drogas no país”.

Durante o ato, será lançada também uma cartilha sobre política de drogas, elaborada pelos próprios jovens. O Movimentos vem sendo construído desde o ano passado pelo Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) da Universidade Cândido Mendes (UCAM).

Jefferson informou que a ideia é escutar a narrativa sobre o que é e o que deve ser a política de drogas, com a propriedade de quem vive e é impactado por essa política e que também é jovem. Disse que a questão não pode ser encarada como tabu, principalmente pelos jovens, que devem abordá-la a partir de sua própria vivência. “É o início de uma tentativa de mudança cultural”.

Ele disse ainda que a temática das drogas não pode ser vista somente sob a perspectiva da segurança pública. “Essa é uma questão forte, aguda, explícita nos nossos territórios, mas não é a única questão”, ressaltou.

Para Jefferson, os jovens de comunidades e periferias precisam também de educação, saúde, saneamento básico e de debater a questão da droga para além da segurança pública, insistiu Barbosa. “Nós acreditamos que a nossa perspectiva tem de ser ouvida”. Ele Deixou claro, porém, que isso não inviabiliza que jovens de outras regiões da cidade sejam também ouvidos sobre o problema das drogas.

O grupo de jovens que participa do “Movimentos”, entende que a guerra às drogas significa escolas fechadas, mudança na rotina, medo de sair de casa, “preocupação com o nosso bem-estar e o da nossa família”.

Coordenadora do CESeC, onde desenvolve há quatro anos um projeto na área de política das drogas, a socióloga Julita Lemgruber informou à Agência Brasil que em 2016 resolveu trabalhar esse tema com lideranças e ativistas jovens de comunidades. “Foram esses jovens que criaram uma nova forma de falar sobre política de drogas dentro da favela. No vídeo produzido para o lançamento, o grupo deixa claro que não foram os jovens das favelas que decidiram quais drogas seriam legais ou ilegais, ressaltou Julita.

(Agência Brasil)

Fortaleza se beneficia com derrotas de Remo e Cuiabá e fica a um empate da classificação

Por aqui, o Fortaleza pode comemorar. Um passo importante para a classificação.

Mesmo sem entrar em campo, o Fortaleza comemorou dois grandes resultados, na tarde deste sábado (2), diante das derrotas do Remo (1 a 2) e do Cuiabá (1 a 0), para as equipes maranhenses do Sampaio Corrêa e Moto Club, respectivamente, na penúltima rodada da fase de classificação da Série C do Campeonato Brasileiro.

Com os resultados, o Fortaleza precisa apenas de um empate, neste domingo (3), contra o Confiança, em Aracaju, para garantir presença no mata-mata, independente dos resultados da última rodada, na noite do próximo sábado (9).

Joesley afirma ter pago R$ 5 milhões para ex-presidente da Petrobras

Cerca de R$ 5 milhões o empresário Joesley Batista disse ter pago a Aldemir Bendine, após o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil pedir pessoalmente a quantia na casa do dono da JBS. As informações são da GloboNews e constariam no complemento da delação premiada entregue nesta semana à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Bendine foi preso na 42ª fase da Lava-Jato, batizada de operação “Cobra”, no fim de julho. Segundo a GloboNews, Joesley contou que Bendinde foi pessoalmente na sua casa, em 2013, quando ele ainda era presidente do Banco do Brasil. Conforme a reportagem, o empresário disse que, mesmo demonstrando constrangimento, Bendine pediu a quantia para a compra de um imóvel.

Joesley disse ter concordado em pagar o valor porque Bendine era uma pessoa influente no governo, de acordo com GloboNews. O delator revelou ainda que o então presidente do Banco do Brasil foi pessoalmente à sede da J&F acompanhado de um homem que aparentava mais de 50 anos, e pediu para receber parte dos R$ 5 milhões.

*Confira mais no O Globo aqui.

Ex-funcionários do BEC comemoram PDVE do Bradesco

400 1

Um grupo de 12 bancários realizou acordo com o Bradesco para garantir participação no Plano de Desligamento Voluntário Especial (PDVE) da empresa, em troca de renunciarem às ações de reintegração que moviam contra o banco. A audiência de conciliação, homologada pelo desembargador Antonio Parente, ocorreu esta semana na sede do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, em Fortaleza, e pôs fim a processos que tramitavam há 10 anos.

Os bancários eram funcionários do Banco do Estado do Ceará (BEC) quando o Bradesco comprou a estatal no ano de 2005. Os trabalhadores, hoje aposentados, moviam ações individuais na Justiça trabalhista requerendo estabilidade provisória e direito a reintegração. Com o acordo realizado, eles abrem mão desses direitos, encerrando suas disputas judiciais. Em contrapartida, os empregados ficam incluídos como beneficiários do PDVE do banco.

Segundo Luís Eduardo Barbosa da Silva, um dos trabalhadores que assinaram o acordo, a conciliação com o banco representou a saída mais vantajosa para o caso. “Minha ação contra o Bradesco estava sob liminar, o que é uma situação incerta. Com o acordo, não vou ganhar tudo o que eu julgava merecer, mas agora não corro o risco de sair de mãos abanando e vou ter garantida uma aposentadoria sem passar por necessidade financeira”, avalia o aposentado.

A audiência foi promovida pelo Núcleo de Conciliação da Segunda Instância do TRT/CE e foi acompanhada por advogados do Sindicato dos Bancários do Ceará e do Bradesco.

(Foto: Divulgação)

Idéias e realizações para além das ideologias ou questões partidárias menores

Em avaliação nas redes sociais, o sociólogo e presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), destaca as obras estruturantes no Ceará, que vão além das políticas de governo. Confira:

Existem alguns projetos que são estruturantes e seus impactos positivos são determinantes em todo o Estado do Ceará para várias gerações. Tais impactos, especialmente na economia, abrindo extraordinárias oportunidades para o setor produtivo e mais emprego e renda para o nosso povo cearense.

Projetos estruturantes com impactos colossais a longo prazo são lançados por governantes que pensam além do seu tempo e que só são possíveis quando há o compromisso de seus sucessores na continuidade como políticas de Estado, para além das políticas de governo.

Destaco três grandes projetos estruturantes no Ceará, concebidos, elaborados, construídos e articulados a partir de três governantes idealizadores: Energia elétrica para o Ceará, com Virgílio Távora; Porto do Pecém, com Tasso Jereissati; e o Cinturão das Águas, com Cid Gomes.

O Cinturão das Águas, através da Transposição do São Francisco (liderado pelo então ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, no governo Lula) irá mudar por completo a realidade do Ceará, que é o Estado com menos água no Brasil. Sem água não existe vida e nem economia. Água nas torneiras para os cearenses, água para os pequenos, médios e grandes produtores na agropecuária e água para a indústria, em especial para o complexo do Porto do Pecém.

Os dois principais elementos inerentes para um potencial na agropecuária são sol e água. O sol já temos, já a água teremos com o Cinturão das Águas conectado à Transposição do São Francisco. O solo menos importante porque pode ser enriquecido com adubos e fertilizantes.

Os formadores de opinião no Ceará ainda precisam conhecer o que significa a Transposição do São Francisco com o Cinturão das Águas para a população cearense e sua economia. Dois projetos concebidos, articulados e elaborados por Ciro/Lula/Cid.

VAMOS NÓS – Essa postura descomprometida com o povo cearense, no atual governo Temer, quando recursos para o Estado se encontram retidos em Brasília, também ocorreu no governo FHC, quando as obra do Metrô foram paralisadas, assim como a duplicação da BR-116. O motivo também foi político, pois Tasso apoiou Ciro para o Palácio do Planalto, ao invés do tucano Serra.

Taxa de doadores de órgãos sobe no primeiro semestre, diz ABTO

A taxa de doadores de órgãos no Brasil subiu de 14,6 pessoas por milhão de habitantes para 16,2 no primeiro semestre deste ano, de acordo com pesquisa da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO). A expansão atingiu 11,8%, o que leva o país a ficar bem próximo da meta prevista para este ano de 16,5 doadores efetivos por milhão de habitantes.

“A taxa mostra que o número de doadores efetivos voltou a crescer de forma significativa, o que não estava acontecendo nos últimos semestres”, disse o cirurgião cardiovascular José Lima Oliveira Júnior, integrante da Comissão de Remoção de Órgãos da ABTO.

O médico afirmou que o principal entrave ao aumento do número de doadores no país é a recusa das famílias quando abordadas após a constatação da morte encefálica de algum parente. Atualmente, no Brasil, de cada 100 famílias, 43 recusam fazer a doação. “Esse é o principal entrave hoje”. Essa taxa de recusa familiar varia de estado para estado. Na Região Norte, em alguns estados, a recusa alcança 90%. “De cada dez famílias abordadas, nove recusam a doação”.

A situação é melhor na Região Sul, onde os estados do Paraná e de Santa Catarina apresentam taxas de recusa entre 22% e 23%, próximas da média de países desenvolvidos como os Estados Unidos, a Austrália, Espanha e o Canadá, cuja taxa oscila em torno de 20%.

Foi registrado ainda no período um crescimento no número de transplantes de rim (5,8%), fígado (7,4%) e córneas (7,6%). Em contrapartida, ocorreu redução nos transplantes de coração (-3,6%), pulmão (-6,5%) e pâncreas (-6%). Oliveira Júnior esclareceu que pulmão e coração são órgãos mais difíceis de serem transplantados porque há recusa técnica, devido à viabilidade do órgão. “São órgãos mais sensíveis”.

De acordo com o cirurgião, quase 35 mil brasileiros estão na fila à espera de um órgão. “A fila só aumenta ou diminui em função das pessoas que entram na fila e morrem, aguardando por um órgão, ou das pessoas que são transplantadas e não continuam na fila”. A maioria das pessoas na fila aguarda doação de rim (20.523 pacientes).

(Agência Brasil)

Mega-Sena paga R$ 50 milhões neste sábado; Ainda dá tempo de fazer a “fezinha”

A Mega-Sena promete pagar neste sábado (2) a premiação R$ 50 milhões, para quem acertar sozinho as seis dezenas do concurso 1.964, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal (CEF).

As apostas ainda podem ser feitas até as 19 horas, em shoppings e em grandes supermercados que abrigam agências lotéricas. A aposta mínima, de 6 números, custa R$ 3,50.

Comissão que trata de alterações na “Lei do Silêncio” se reúne com músicos e donos de bares e restaurantes

A problemáticas em torno da forma de aferição dos decibéis pelos estabelecimentos e a apreensão dos equipamentos dos músicos foram as questões debatidas na Comissão Especial Vida e Arte, que trata de alterações na “Lei do Silêncio”, que esta semana se reuniu com representantes de restaurantes, bares e músicos.

“Não somos contra a Lei do Silêncio. Queremos torná-la contemporânea. Vamos alterar três itens importantes na legislação, que são demandas do profissionais em relação à distância para a medição da intensidade sonora, a unificação dos alvarás para um período de cinco anos e a grande demanda em relação ao artigo 9º da Lei 8.097, que versa sobre a apreensão dos equipamentos”, comentou o presidente da comissão, vereador Eron Moreira (PP).

Já o relator da comissão, vereador Michel Lins (PPS), afirmou que Fortaleza ganha com o debate na Câmara Municipal. “No final teremos uma cidade musical e noturna, garantindo sempre o direito do silêncio às pessoas”, ressaltou.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (ABRASEL-CE), Rodolphe Trindade, disse que “é importante essa regulamentação para que as coisas fiquem claras, para podermos apaziguar a situação”.

A reunião contou com a participação dos vereadores Ésio Feitosa (PPL), Evaldo Costa (PRB), Dummar Ribeiro (PPS) e Guilherme Sampaio (PT). No encontro anterior, a comissão reuniu representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE), Ministério Público, técnicos da Secretária de Meio Ambiente e Urbanismo (Seuma) e agentes da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis).

(Foto: Divulgação)

Proposta que antecipa feriados para as segundas-feiras pode ser votada na terça-feira

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) pode votar na terça-feira (5) a proposta que antecipa para as segundas-feiras os feriados que caírem no meio da semana (PLS 389/2016). A iniciativa, do senador Dário Berger (PMDB-SC), tem algumas exceções, como Natal, Dia da Independência e Corpus Christi.

A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) também pode votar na terça-feira o projeto que determina a aplicação de parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) em iniciativas para melhorar o transporte coletivo e o não-motorizado (PLS 11/2013).

Já a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) tem na pauta a proposta que determina que os boletos bancários poderão ser pagos em qualquer banco mesmo após o vencimento (PLS 138/2009).

(Agência Senado)

Temer diz a chineses que Brasil está voltando para “o trilho do desenvolvimento”

Ao discursar para investidores chineses, o presidente Michel Temer disse neste sábado (2), em Pequim, que o Brasil está recuperando o dinamismo da economia e voltando para “o trilho do desenvolvimento”. Em seu terceiro dia de viagem à China, Temer discursou para 360 empresários no encerramento do Seminário sobre Oportunidades de Investimento promovido pela Apex-Brasil.

“Sei, tenho a mais absoluta convicção, pelos encontros que tive nesses dois dias aqui na China, com as autoridades que gentilmente nos receberam, que a China continuará ao lado do Brasil, neste momento em que voltamos para o trilho do desenvolvimento. Sei que os empresários chineses são e seguirão sendo grandes parceiros nessa empreitada”, disse.

O presidente voltou a comentar resultados recentes da economia: “Só para registrar, dados muito recentes revelam que no ano passado o PIB [Produto Interno Bruto] foi negativo no Brasil, mas neste ano, no primeiro trimestre, foi de 1% e, logo agora, neste segundo semestre, mais 0,2%. Portanto, recuperação do PIB brasileiro em pouquíssimo tempo”.

Temer também falou da taxa básica de juros da economia, a taxa Selic, que passou de mais de 14% para 9,25%: “A indicar que até o final do ano talvez estejamos em 7[%], 7,5%, segundo dizem os analistas”, disse. “Eu confesso que fizemos tanto nesses 15 meses que nem parece que se passaram apenas 15 meses desde que assumimos o governo”.

Aos investidores, Temer disse que podem encontrar no Brasil oportunidades seguras para negócios. “Nós temos, agora, um novo modelo para concessões e privatizações. É um modelo mais previsível e mais racional, que fortalece a segurança jurídica. Porque nenhum empresário aplica ou quer aplicar se não obtiver a segurança jurídica para o seu investimento”.

(Agência Brasil)

Camilo inaugura sistema de abastecimento de água em comunidades de Orós

151 1

O governador Camilo Santana inaugurou nessa sexta-feira (1º) o sistema de abastecimento de água de Orós, que beneficiará 616 famílias das comunidades de Santarém I e II. A obra está inserida no Programa Água Para Todos e recebeu investimento de R$ 1,07 milhão.

“Água é prioridade total em nosso governo. Por isso, é uma alegria muito grande proporcionar que tantas pessoas tenham água em suas casas. Antes não havia água encanada nas comunidades. Vamos cavar ainda quantos poços forem necessários para garantir o abastecimento das famílias de Orós”, afirmou Camilo, que anunciou ainda a construção de uma estrada no município.

(Foto: Divulgação)

Coordenadores municipais do Enem fazem preparação para aplicação das provas

Os 1.783 coordenadores municipais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) estão sendo capacitados para a atuação no dia das provas. Hoje (2) está sendo realizada a capacitação para 323 coordenadores do Maranhão, Amazonas, Tocantins, Ceará e na região de Campinas, em São Paulo.

As capacitações do Enem apresentam o procedimento de logística e aplicação do exame, incluindo as mudanças que foram introduzidas neste ano, como a aplicação em dois domingos consecutivos e a estreia das provas personalizadas com nome e número de inscrição do participante. Há também o novo recurso de vídeo da prova traduzida em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A preparação começou em agosto e vai até o dia 23 de setembro. Até agora, já foram realizadas nos estados do Amapá, de Goiás, da Paraíba, do Paraná, de Mato Grosso do Sul, do Espírito Santo; de Minas Gerais; Pernambuco; do Rio Grande do Norte e nas regiões de Limeira e Santos; em São Paulo. Além das oito horas de curso presencial, a equipe deve cumprir 20 horas de aulas em plataforma de ensino a distância.

Depois da preparação, os coordenadores municipais deverão repassar as orientações aos coordenadores locais, que irão capacitar os chefes de sala e aplicadores de provas. Este ano, o Enem será aplicado em 1.724 municípios, para 6.731.203 inscritos. As provas serão realizadas nos dias 5 e 12 de novembro.

As capacitações estão sendo feitas pelas fundações Cesgranrio e Getúlio Vargas (FGV), que, juntamente com a fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp), formam o consórcio aplicador do Enem. Representantes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) acompanham as capacitações.

(Agência Brasil)

Romper com o ciclo da exclusão

Em artigo sobre como a política e uma gestão pública de qualidade podem transformar para melhor a vida da população, o ex-prefeito de Sobral, Veveu Arruda, ressalta a história do casal Antonio Zé e Lourdes, quando seus filhos romperam com o ciclo de pastoreio de gado e agricultura, que há gerações era imposto à família. Confira:

Lourdes e Antonio Zé, filhos de um vaqueiro e de um pequeno agricultor, respectivamente, são casados e têm três filhos. O casal é analfabeto. Assim como seus pais, avós, bisavós e demais antecedentes. Seus ancestrais, como eles também, tiravam a sobrevivência pastoreando gado alheio ou arrastando terra para cima de seus pés, com enxadas nas mãos, fazendo os seus roçados em terras alheias, sob regras feudais, para colherem o milho e o feijão; muitas vezes, insuficientes para a sobrevivência de suas famílias, sempre numerosas. Há tempos de fome em suas vidas. Nos centros urbanos, outros personagens, noutras atividades têm a mesma história.

Pois bem! Carol, Silvestre e Luana são os filhos do Antonio Zé e da Lourdes. Todo o percurso formativo deles tem sido em escolas públicas, em Sobral. Carol, a mais nova, está concluindo o Ensino Médio; Silvestre, o do meio, está concluindo o curso de Geografia e Luana, após o Ensino Médio Integrado, é técnica de enfermagem e trabalha na Santa Casa, hospital filantrópico. Ou seja, eles estão rompendo com a fatalidade do ciclo de miséria e de exclusão que lhes foi imposto. Superam o destino sem novos horizontes que já estaria definido para eles quando nasceram. Não haveria alternativas, a exemplo de seus antepassados.

Lourdes tem 54 anos e a sua filha Luana tem 24. O que aconteceu para ambas, mãe e filha, terem possibilidades tão diferentes, se nasceram sob o mesmo céu e sobre o mesmo chão? Em pleno semiárido cearense, aonde a natureza tem características singulares, muito próprias, como pouca água, pouco solo, pouca flora. De muito, só o sol e a força dos sertanejos. Características que são álibis fortes e recorrentes para justificar o fracasso das ações governamentais de governos que terminam por ser causa e efeito desta mesma realidade.

A resposta está na política e na gestão pública, firmadas numa concepção de princípios democráticos e republicanos, fundada em valores como a pluralidade, a solidariedade e o humanismo. O foco é a busca de superação de uma velha cultura política de privilégios, do fisiologismo e do paternalismo, e a construção de uma nova cultura política afirmativa de direitos e deveres, num processo participativo, criativo e inovador.

Na nossa opção pela construção e fortalecimento da democracia no território municipal, não poderíamos deixar de priorizar a Educação, o instrumento mais poderoso para realizar as transformações estruturais de qualquer nação. Sobretudo, quando queremos enfrentar e resolver o gravíssimo problema das terríveis desigualdades socioeconômicas também presentes em Sobral, e que fazem do Brasil o País mais desigual entre as economias organizadas do mundo.

Por certo, não era somente o roçado do Antonio Zé que iria assegurar a cidadania, a emancipação econômica e o bom futuro para sua família, seus filhos e netos. E certamente não será do chão (dos minérios e grãos) ou do fundo do mar (do precioso Pré-sal) que o Brasil assegurará vida digna a todos os brasileiros, tornando-se, assim, uma grande nação, com uma economia pujante, desconcentrada social e territorialmente.

É da cabeça dos brasileiros, da sua inteligência e do seu conhecimento científico, de seus condicionantes socioemocionais e de sua capacidade crítica e inovadora, que um novo projeto de desenvolvimento nacional se realiza. A educação é o caminho para livrar o Brasil das amarras da Casa Grande e, assim, levantar-se um País verdadeiramente livre e democrático.

Com esta convicção, e por causa dela, a educação vem sendo a prioridade de Sobral há 20 anos. É um exercício permanente de garantir as conquistas asseguradas pelas políticas públicas, aperfeiçoá-las e, ainda, inovar na prática política e no jeito de administrar. O que queremos é assegurar às famílias sobralenses, muito especialmente às mais empobrecidas, as oportunidades que a educação de qualidade cria para as pessoas. E perseveramos na luta contínua que tem como horizonte a oferta de um excelente itinerário formativo para as crianças, adolescentes e jovens.

Deste esforço podemos almejar outra certeza, que muito nos anima: uma geração mais bem formada está melhor preparada para superar o perverso ciclo da fatalidade histórica que condenaria os filhos dos Antonio Zé e das Lourdes. E além de ser protagonista de uma condição de vida mais digna e próspera, esta geração poderá constituir uma força social e política que promova com mais vigor o movimento de transformação da sociedade.

Em Sobral, pode-se dizer que, antes de executarmos, sonhamos juntos e planejamos coletivamente o que precisa ser feito. Elegemos prioridades, estabelecemos focos, definimos objetivos e metas, identificamos parceiros e aliados, compartilhamos autonomias e responsabilidades. E, óbvio, enfrentamos os percalços, as interrupções e as limitações que se apresentam no caminho.

O Ministério da Educação divulgou os resultados do Ideb/2016, em que Sobral atinge o nível 8,8, sendo o melhor resultado entre os 5.574 municípios brasileiros. Isso fortalece nossa percepção de que estamos no rumo certo mas, principalmente, a convicção de que a rede municipal reúne condições de enfrentar e vencer os ainda sérios problemas e desafios do presente.

Lá no início dos anos 2000, começamos a lutar para resolver o problema do analfabetismo escolar. Os alunos eram condenados ao fracasso escolar dentro do sistema, sob as barbas de todos que direta ou indiretamente deveriam responder por aquilo. Fizemos frente, com a progressiva adesão de valorosos profissionais e parceiros, às crenças e preconceitos que normalizavam o fato dramático da não aprendizagem e que atribuíam à pobreza e às famílias a causa de um problema praticamente sem solução.

As escolas de Sobral são os lugares das aprendizagens dos nossos alunos, mas promovem também as aprendizagens dos profissionais e o contínuo aperfeiçoamento das práticas pedagógicas. Ou seja, aprendemos com o que fazemos. Se, anteriormente, parecia não ser possível fazer da sala de aula um lugar da real aprendizagem dos alunos – pouca crença, ou nenhuma, igual a água na seca do sertão – hoje nós sabemos que somos capazes de alçar voos cada vez mais altos. E isso sem considerarmos condições normais de temperatura e pressão. Na verdade, ainda enfrentamos sérias adversidades.

Os números mais recentes do IBGE mostram que Sobral é um município pobre, com graves insuficiências e distorções econômicas, ao indicar que o Ceará contribui com apenas 2,1% para o PIB brasileiro, enquanto Sobral representa 3,1 % do PIB cearense e apenas 0,064% do PIB brasileiro. Situação agravada pelo fato de que os 20% mais ricos de Sobral detêm 61% da renda e os 20% mais pobres possuem apenas 3,1%.

O resultado da aprendizagem produzida pela rede pública de Sobral provou que é possível alcançar o topo dos indicadores de qualidade nos níveis brasileiros, mesmo em contextos tão severos. Esta é a chave para que possamos buscar novos e mais ousados desafios.

Com certeza, essas conquistas jamais teriam sido alcançadas se não tivéssemos rompido com o mito de que pobre não aprende. Ou ainda que deveríamos “parar o mundo” para suprir, em primeira mão, todas as gravíssimas insuficiências socioeconômicas da população. Ou principalmente, se estivéssemos seguindo a agenda neoliberal, com a falácia do Estado mínimo e suas desastrosas consequências, a exemplo do congelamento de gastos públicos e da reforma trabalhista, enquanto grandes fortunas permanecem sem tributação.

A lógica política nascida nos salões e alpendres da Casa Grande, que de golpe em golpe, galopa o Poder para manter seus privilégios – seja com Temer, Maia ou assemelhados – e faz a cada galope um Brasil menor e mais excludente. Assombra-nos o retorno da fatalidade reservada para a Lourdes e o Antonio Zé e seus antecedentes: ignorância, miséria, sofrimento, ausência de horizontes promissores, enquanto nosso País será uma Colônia para os rentistas se perfumarem.

Vejo uma resistência prática e criativa a essa velhíssima política a partir de muitas experiências de êxito, exemplares, acontecendo em muitos municípios, em todas as regiões do nosso País, com resultados muito positivos e inovações nas diversas áreas das políticas públicas. O Brasil tem muito o que ganhar se conseguirmos enxergar e aprender com estas experiências do poder local, na inarredável tarefa de construirmos um novo projeto de desenvolvimento nacional. Talvez aí residam os melhores modelos para um novo Brasil.

Em Sobral, a base política que sustenta este movimento inovador é uma aliança política que junta partidos e lideranças com distintas trajetórias de vida e política, fundada com base num projeto estratégico, de longo prazo, construído com a sociedade civil. Este projeto se mantém, apesar das turbulências da política, porque se renova sempre, por meio de pactos políticos e sociais focados nos objetivos definidos estrategicamente, visando a melhoria permanente da qualidade de vida das pessoas, protagonistas da sua prosperidade e felicidade.

É um caminho…

Veveu Arruda é professor e advogado. Foi secretário de cultura em Sobral (1997-2004), vice-prefeito (2004-2010) e prefeito do município (2011-2016)