Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Camilo deve anunciar hoje composição do novo secretariado

161 2

O governador Camilo Santana (PT) deve anunciar hoje os nomes dos integrantes das 21 secretarias estaduais do seu segundo mandato, que começa a partir de 1º de janeiro de 2019.

Até agora, pelo menos quatro deles já são conhecidos: Socorro França, Arialdo Pinho e André Costa, titulares de pastas na primeira gestão (Justiça, Turismo e Segurança Pública, respectivamente), e Luís Mauro Albuquerque, hoje secretário da Justiça e da Cidadania (Sejuc) do Rio Grande do Norte.

No novo arranjo da administração de Camilo, que reduziu as secretarias de 27 para 21 e cortou quase mil cargos comissionados, França foi deslocada para a chefia da Secretaria da Proteção Social, Justiça e Direitos Humanos.

Além deles, foram sondados Carlos Roberto Martins Rodrigues (Cabeto), que admitiu ao “Blog Política” ter aceitado convite do governador para assumir a Secretaria da Saúde, e Francisco de Assis Diniz, que deve continuar à frente da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (DAS).

Também alvos de rumores, Fabiano Piúba (Cultura) e Élcio Batista (Gabinete) se mantêm no governo – o primeiro na mesma pasta e Batista na Casa Civil, comandada por Nelson Martins, que iria para a Articulação Política, nova função dentro do desenho elaborado pelo titular da Secretaria do Planejamento Maia Jr., cuja permanência ainda é incerta.

Até ontem à noite, o governador se dedicava exclusivamente à formatação do governo, que precisa acomodar parte dos representantes das 24 legendas que apoiaram o petista na disputa pelo Palácio da Abolição.

O petista tem discutido em paralelo um nome de consenso para a presidência da Assembleia Legislativa do Estado (AL-CE). Hoje, o maior partido da Casa, o PDT, tem pelo menos três nomes fortes na disputa: Tin Gomes, Evandro Leitão e Zezinho Albuquerque, atual presidente.

Camilo interrompeu essas conversas com deputados e auxiliares diretos para cumprir agenda em Brasília nessa quinta-feira, de onde voltou ainda ontem. Ele foi à capital federal à procura de recursos para o Ceará enquanto aliados ocupam postos-chave.

É o caso do senador e presidente do Congresso Eunício Oliveira (MDB), cujo sobrinho, o deputado estadual Danniel Oliveira (MDB), é cotado para ocupar uma secretaria de Camilo. Eunício foi pessoalmente convidado pelo governador para participar da gestão, mas disse que preferia se voltar para assuntos nacionais a partir do ano que vem.

Procurado pelo O POVO, o presidente do PT, deputado Moisés Braz, afirmou que há quatro nomes à mesa para integrar um posto no governo: além de Francisco de Assis, estão na lista Dedé Teixeira e Rachel Marques, que podem ter funções na equipe, não necessariamente como titulares de pastas.

O dirigente petista também assegurou que o partido tem uma última conversa com Camilo hoje, ao meio-dia, antes da divulgação dos nomes do secretariado.

Governador deve contemplar aliados petistas, como Elmano Freitas, cotado para assumir a liderança de Camilo na Assembleia Legislativa.

O PT vem tentando ampliar espaços no segundo mandato. Redução no número de pastas, no entanto, dificulta entrada de outros nomes da legenda no Abolição

(O POVO)

Temer sanciona lei que libera uso do FGTS para socorrer santas casas

O presidente Michel Temer sancionou nessa quinta-feira (27), sem vetos, a lei que autoriza a criação de linha de crédito com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para socorrer as santas casas e os hospitais filantrópicos que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A Lei 8.036/2018 prevê que 5% do programa anual de aplicações do FGTS serão destinados a essa linha de financiamento. Segundo o governo federal, as santas casas acumulam dívidas de R$ 21 bilhões. O texto estabelece ainda que as taxas de juros cobradas às entidades hospitalares filantrópicas não poderão ser maiores do que as cobradas para financiamento habitacional e a tarifa operacional única não pode ser maior do que 0,5% da operação.

O texto da lei estabelece que os operadores da linha de crédito serão Banco do Brasil, Caixa e Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Caso os recursos não sejam utilizados pelas entidades de saúde, poderão ser destinados a aplicações em habitação, em saneamento básico e em infraestrutura urbana.

(Agência Brasil)

Time do Ferroviário Master em clima de festa de confraternização

O time do Ferroviário Master fez sua confraternização nessa noite de quinta-feira, no Bar Besouro Verde, no bairro Parquelândia. Sob a coordenação do ex-goleiro China não só comemorou bons resultados neste ano, em algumas competições, como também fechou cota de doação de alimentos não perecíveis.

Na ocasião, China apresentou também suas despedidas para o grupo, pois passará, ano que vem, a trabalhar em sua área – Educação Física, em Bacabal (MA).

(Foto – Paulo MOska)

Cantora e compositora Miúcha morre aos 81 anos no Rio

A cantora e compositora Miúcha, de 81 anos, morreu no final da tarde de hoje (27), no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio, vítima de parada cardiorrespiratória. Nascida Heloísa Maria Buarque de Hollanda, a artista passou mal em casa onde se tratava de um câncer.

Em nota, o Hospital Samaritano, em Botafogo, informou que a cantora e compositora morreu “em decorrência de um quadro de insuficiência respiratória. O hospital se solidariza com os familiares e amigos da cantora”.

Miúcha foi casada com o cantor João Gilberto, com quem tem uma filha, também cantora, Bebel Gilberto. Irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.

Nos anos de 1970, Miúcha lançou alguns dos maiores sucessos de sua carreira: Maninha (composta pelo irmão Chico Buarque em homenagem a ela), Pela luz dos olhos teus (Vinicius), Vai levando (Chico Buarque e Caetano Veloso), Samba do avião, Falando de amor (ambas de Tom Jobim) e Dinheiro em penca (Tom Jobim e Cacaso), que serviria de inspiração para o irmão Chico criar a música Para todos, título de seu disco em 1993.

A artista gravou discos e apresentou-se em palcos em vários países. O último trabalho dela foi Rosa amarela (1999), foi lançado primeiro no Japão, e inclui clássicos como Doce de coco (Jacob do Bandolim) e composições, como Assentamento (Chico Buarque).

(Agência Brasil)

Salmito aponta legado na Câmara Municipal de Fortaleza

201 6

O Legislativo é o poder mais próximo da população. A observação é do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito (PDT), durante balanço das atividades da Casa, nos quatro anos que esteve à frente da Mesa Diretora.

Dentre as principais atividades estão a reestruturação da Ouvidoria; a implementação do Escritório de Direitos Humanos e Assessoria Jurídica Popular Dom Aloísio Lorscheider, que presta assessoria jurídica à população mais carente;o Pacto por Fortaleza em Ação; a criação do Parlamento Metropolitano; a otimização da Biblioteca José de Alencar; a capacitação de servidores da Casa; além de investimentos em comunicação, iniciativas que apontaram a Câmara Municipal de Fortaleza como a Casa Legislativa em capitais brasileiras como a mais transparente no quesito trabalhos legislativos, de acordo com tese de mestrado na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Dólar cai e bolsa fica estável com dados fracos nos EUA

Num dia de tensões no mercado financeiro internacional, a moeda norte-americana caiu e a bolsa de valores fechou estável. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (27) vendido a R$ 3,894, com baixa de 0,7%. O índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou o dia com pequena valorização de 0,07%, aos 85.194 pontos.

Os mercados no Brasil foram influenciados pelas turbulências nos Estados Unidos. A divulgação de que o índice de confiança do consumidor norte-americano atingiu, em novembro, o menor nível em quatro meses provocou a queda dos principais índices das bolsas de valores dos Estados Unidos. Ontem (26), as ações das empresas norte-americanas tinham registrado fortes ganhos depois de despencarem na véspera de Natal.

O dia teve poucos negócios no mercado financeiro brasileiro, por causa da proximidade do feriado de fim de ano. Hoje, o Banco Central vendeu US$ 1 bilhão de dólares das reservas internacionais com o compromisso de recomprar o dinheiro mais tarde. A autoridade monetária também anunciou que vai rolar (renovar) integralmente os contratos de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro) em janeiro. Essas intervenções têm como objetivo segurar a alta da moeda norte-americana.

(Agência Brasil)

Circuito Cearense de Surf 2018 – Última etapa será na praia do Pecém

A Praia do Pecém, situada em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), será sede, de sexta a domingo, da quarta e última etapa do Circuito Cearense de Surf 2018. O evento vai coroar os campeões de um dos circuitos mais competitivos do Brasil em 12 categorias e que promete disputas eletrizantes em um verdadeiro show de surf de todas as gerações.

Enfrentando as ondas, as seguintes categorias: Profissional (sem limite de idade), Open Masculino (sem limite de idade), Feminino Open (sem limite de idade), Sênior (a partir de 28 anos), Master (a partir de 35 anos), Kahuna (a partir de 45 anos), Longboard (sem limite de idade), Feminino Junior (até 18 anos) e Infantil (até 12 anos), Iniciante (até 14 anos), Mirim (até 16 anos), Junior (até 18 anos), Local (sem limite de idade).

Liderando a disputa direta pelo título da principal categoria da competição, a Profissional, Charlie Brown. Ele afirma estar preparado pra defender a liderança e sair do Pecém com mais um título para sua extensa coleção de troféus. Já entre os amadores, quem está na ponta do ranking brigando pelo título da categoria Open é Laison Ferreira.

O evento tem patrocínio da Tchelle, Governo do Estado (Sesporte) e Prefeitura de São Gonçalo do Amarante. Apoio: D’Cofibras, Vereador Neto Pecém, APEJ e ABRASP. Hotel Oficial do evento: Pecém Beach Hotel. Realização: Federação de Surf do Estado do Ceará e Top 16 Promoções.

Premiação

Na categoria Profissional a premiação será de R$ 10.000,00.

Para os amadores a premiação será composta de 12 Blocos Teccel, 54 Kits TCHELLE + 54 Troféus.

SERVIÇO

*Maiores Informações.

Top 16 Promoções (85 999868538)

Fed. de Surf do Estado do Ceará (85 988538538)

(Por George Noronha/Foto – Ilustrativa)

Por que não falarmos de… Esperança?

Com o título “Esperança”, eis artigo de Lino Rampazzo, doutor em Teologia e Coordenador do Curso de Teologia da Faculdade Canção Nova. Mais do que nunca, eis um tema do momento. Confira:

A esperança é uma virtude e todas as pessoas, cristãs e não cristãs, são chamadas a ser virtuosas. É o compromisso com a ética. Até os antigos filósofos pagãos, como Platão e Aristóteles (no IV século a. C.) refletiram sobre essas virtudes humanas, tais como a sabedoria, a fortaleza, a justiça e a temperança.

Mas nós cristãos recebemos de Deus, como dom da sua Graça, as virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade. Nós as recebemos como “presente especial de Deus”, por isso são chamadas de “teologais”, do grego “theós”, que significa “Deus”.

Assim como a vinda de Jesus foi “esperada” no Antigo Testamento, nós, que estamos no “Novo Testamento”, esperamos a vinda gloriosa de Jesus no fim da história humana. Sim, esperamos, porque temos a virtude teologal da esperança. Como no texto que São Paulo escreve a Tito, no qual diz que Deus nos salvou “por sua misericórdia… por meio de nosso Salvador Jesus Cristo, para que, justificados por sua graça, nos tornássemos, na esperança, herdeiros da vida eterna” (Tt 3,5-7).

Vale lembrar que o papa Bento XVI, no ano de 2007, publicou uma encíclica sobre a Esperança, com o seguinte título: SPE SALVI facti sumus » – é na esperança que fomos salvos. Estas palavras do título são a citação de um texto do São Paulo (Rm 8,24).

Nessa mesma encíclica, no nº 3, o papa Bento XVI apresenta o exemplo de uma santa da nossa época: Santa Josefina Bakhita, uma africana canonizada pelo Papa João Paulo II. Nascera por volta de 1869 no Sudão. Aos nove anos de idade foi raptada pelos traficantes de escravos, espancada barbaramente e vendida cinco vezes nos mercados do Sudão. Finalmente, em 1882, foi comprada por um comerciante italiano para o cônsul Callisto Legnani, que voltou para a Itália. Aqui, depois de “patrões” tão terríveis que a tiveram como sua propriedade até agora, Bakhita acabou por conhecer um “patrão” totalmente diferente: o Deus vivo, o Deus de Jesus Cristo. Soube que este Senhor também a conhecia, tinha-a criado; mais ainda, amava-a. Ela era conhecida, amada e esperada; mais ainda, este Patrão tinha enfrentado pessoalmente o destino de ser flagelado e agora estava à espera dela “à direita de Deus Pai”. Agora ela tinha “esperança”; já não aquela pequena esperança de achar patrões menos cruéis, mas a grande esperança: eu sou definitivamente amada e aconteça o que acontecer, eu sou esperada por este Amor. Assim a minha vida é boa. Mediante o conhecimento desta esperança, ela estava “redimida”, já não se sentia escrava, mas uma livre filha de Deus. Esta ex-escrava foi batizada e quis tornar-se religiosa, na Congregação das irmãs Canossianas. A esperança, que nascera para ela e a “redimira”, não podia guardá-la para si; esta esperança devia chegar a muitos, chegar a todos.

São Paulo, pouco antes de morrer, escreve a Timóteo: “Combati o bom combate… guardei a fé. Agora só me resta a coroa da justiça que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que aguardam com amor sua manifestação” (2 T 4,7-8).

Esta é a nossa esperança!

*Lino Rampazzo

Doutor em Teologia e Coordenador do Curso de Teologia da Faculdade Canção Nova.

Cadastro Ambiental Rural – Adesão é prorrogada até fim de 2019

O governo federal prorrogou o prazo para a inscrição de propriedades e posses rurais no Cadastro Ambiental Rural (CAR). O Diário Oficial de hoje (27) traz a Medida Provisória (MP) 867/18, que prorroga até 31 de dezembro de 2019 o prazo para requerer inscrição no cadastro, condição obrigatória para a adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA). O prazo terminaria no próximo dia 31.

Em maio, o presidente Michel Temer havia assinado o Decreto nº 9.395, estabelecendo o dia 31 de dezembro de 2018 como data limite para os agricultores se inscreverem no CAR. A MP altera a o novo Código Florestal, que estabeleceu a inscrição no CAR como “condição obrigatória” para adesão ao PRA, que regulamenta a adequação de Áreas de Proteção Permanente e de Reserva Legal de propriedades rurais por meio de recuperação ou compensação.

O CAR é um monitoramento dos imóveis rurais do país. Ele traz informações sobre a preservação desses imóveis. A existência de nascentes e a área de vegetação preservada também precisam ser declarados.

De acordo com a MP, o objetivo é “integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento”.

Com a adesão ao programa, é possível regularizar os passivos ambientais e/ou infrações cometidas antes de 22 de julho de 2008, relativas à supressão irregular de vegetação nessas áreas. Ou seja, os produtores rurais regularizados passam a ter benefícios previstos no novo Código Florestal.

Aqueles que não aderirem ao CAR, podem ficar sem acesso ao financiamento rural, além de não poder solicitar licença ambiental ou fazer qualquer negociação com o imóvel rural.

(Agência Brasil)

Escola de Circo da Vila das Artes inscreve para oficina sobre o personagem palhaço

159 1

A Escola Pública de Circo da Vila das Artes inscreve para a oficina “Clown e Comédia Física”, com Fred Raposo. Os interessados, segundo a Secretaria da Cultura de Fortaleza, podem participar do processo seletivo até o dia 3 de janeiro, no site da instituição.

A oficina, que acontecerá entre os dias 7 e 28 de janeiro próximo, às segundas, quartas e sextas-feiras, das 18 às 20h30min, pretende desenvolver um entendimento da linguagem circense que possibilite ao aluno a aproximação com o personagem “palhaço” por meio da consciência corporal e emocional.

Facilitador

Fred Raposo reside na Argentina, onde estuda com artistas renomados no gênero circense como Raquel Sokolowitz, Marcelo Katz, Gabriel Chamé Buendia e com Totó Castiñeras Ele integra a companhia de artistas de Castinñeras, inclusive.

Trabalha como ator e clown em espetáculos em Buenos Aires, além de ministrar oficinas e workshops em escolas de arte.

SERVIÇO

*Confira a ficha de Inscrição aqui.

*Vila das Artes – Rua 24 de Maio, 1221, Centro

(Foto – Ilustrativa)

Arrecadação do pré-sal para a União alcança R$ 1,133 bi em 2018

A empresa Pré-Sal Petróleo (PPSA), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, arrecadou mais de R$ 1,133 bilhão para a União este ano. A informação foi divulgada hoje (27), no Rio de Janeiro, pelo presidente da companhia, Ibsen Flores Lima. Segundo Lima informou à Agência Brasil, os recursos já foram depositados na Conta Única do Tesouro Nacional. Eles envolvem os resultados das operações de comercialização da parcela de petróleo da União, equivalente a R$ 286 milhões, na área de desenvolvimento de Mero, na Bacia de Santos, e de Equalização de Gastos e Volumes (EGV) do Campo de Sapinhoá, situado também na Bacia de Santos, no montante de R$ 847 milhões.

A EGV resulta do Acordo de Individualização da Produção (AIP) realizado na Jazida Compartilhada de Sapinhoá, operada pelo consórcio formado pela Petrobras, que detém 45% de participação, e os parceiros não operadores Shell (30%) e Repsol Sinopec (25%). O Campo de Sapinhoá iniciou a produção em 2010, identificando pouco tempo depois que a jazida de petróleo ultrapassava os limites geográficos do contrato. Nesses casos, por meio de um AIP, a União, representada pela Pré-Sal Petróleo, passa a ter direito a uma parcela da produção e responsabilidade equivalente sobre os gastos, acordada entre as partes em 3,7%.

A Pré-Sal Petróleo já firmou até agora seis AIPs: Sapinhoá, Tartaruga Verde, Lula/Sul de Lula, Nautilus, Atapu e Brava. A companhia espera assinar em breve o AIP da Jazida Compartilhada de Mero. Existem ainda outros 17 potenciais casos de individualização da produção em análise pela empresa.

Expectativa
Ibsen Flores Lima lembrou que no início deste ano, a expectativa era arrecadar para o governo federal R$ 1 bilhão. A superação desse valor foi uma surpresa positiva para a PPSA. A empresa representa a União nos acordos de Individualização da Produção (AIP), faz a gestão dos contratos de partilhas de produção do pré-sal e é responsável pela comercialização do petróleo e gás da União.

Estudos da PPSA indicam que a União terá direito, em 2028, a 250 mil barris de petróleo por dia referentes somente à produção dos 14 contratos de partilha de produção em vigor hoje no país, gerando contribuição anual para a arrecadação federal estimada em R$ 20 bilhões, disse o presidente da companhia.

Para 2019, Ibsen Flores Lima espera fechar as contas dos AIPs dos campos de Lula/Sul de Lula e Tartaruga Verde. “Nós estamos fechando as contas e devemos ter os valores ao longo do primeiro semestre do ano”. A participação da União no Campo de Lula é pequena, alcançando 0,5%. O presidente da PPSA esclareceu que o projeto ainda tem grandes investimentos sendo feitos. “Então, é possível que os valores (para a União) sejam pequenos”, comentou.

O caso de Tartaruga Verde é semelhante. A produção foi iniciada este ano, tem investimentos sendo efetuados e os valores de produção acumulados são reduzidos. Flores Lima disse que o saldo positivo em 2019 deve ser dado pela rubrica de comercialização de petróleo. No leilão do pré-sal realizado em agosto passado, a PPSA vendeu a produção dos próximos três anos, referente à parcela da União nesses campos de partilha, e a previsão é arrecadar em torno de R$ 1,2 bilhão.

Somando a comercialização aos AIPs de Lula e Tartaruga Verde, Flores Lima acredita que o montante que será depositado para o Tesouro Nacional no próximo ano será superior aos R$ 1,133 bilhão recolhidos em 2018. “A ideia é superar, com certeza. Só o valor de comercialização já supera esse número”, admitiu Flores Lima.

Novos acordos de áreas exploratórias devem ser assinados no decorrer de 2019 pela PPSA, mas não terão saldos de produção comercial para serem revertidos em prol da União. “A gente está otimista aqui com 2019 e a consolidação dos trabalhos da Pré-Sal Petróleo”, concluiu Flores Lima.

(Agência Brasil)

IX Festival Cearense de Hip Hop está garantido em 2019

Andres Perdomo, Jane Ruth e Hélio Flavio Viana.

O IX Festival Cearense de Hip Hop já está confirmado para 2019. Garantem Andres Perdomo, Jane Ruth e Hélio Flavio Viana, idealizados do evento.

O festival objetiva promover a cultura urbana referenciada na dança, comportamento e música como elementos caracterizadores do estilo, destacam os organizadores.

A última edição do festival ocorreu de 21 a 23 deste mês, com apresentações gratuitas que contaram com a presença de ícones da dança no Brasil como Frank Ejara, Juliana Kis, Fran Manson, dentre outros.

(Foto – Divulgação)

Startup cearense ganha premiação nacional

Uma startup cearense acaba de ser premiada pelos Laboratórios Roche. É a Avicena Governança e Inteligência Tecnológica em Saúde, que, com menos de um ano oferecendo seus serviços de unificação de dados do segmentos para prefeituras e até para o simples cliente.

Daniel Andrade, diretor-executivo dessa startup, conversou com a reportagem do Blog e deu mais detalhes sobre essa iniciativa.

SERVIÇO

*Para mais informações clique www.avicena. in

Era Bolsonaro – As consequências políticas de 2018

Com o título “As consequências políticas de 2018”, eis artigo de Henrique Araújo, jornalista do O POVO. Ele aborda cenários do Brasil e o que virá de futuro na Era Bolsonaro. Confira:

Os fios que entrelaçam os fatos políticos do ano ainda estão se costurando. É difícil conectá-los, mas os nexos já são visíveis. Um crime, uma eleição, uma prisão e um tsunami de renovação no Congresso. Para citar apenas os mais representativos, aqueles cujas consequências vão se estender por 2019 e adiante.

O que pode haver em comum entre a morte de uma vereadora, a prisão de um ex-presidente, a eleição de um ex-militar e a substituição recorde de parlamentares eleitos? Nada?

É tentador tentar extrair alguma lição de tudo isso, nem que depois se revele equivocada. O assassinato de Marielle Franco (Psol), por exemplo, já pressagiava um certo clima de laissez-faire no qual as diferenças políticas estariam exacerbadas e o enfrentamento ganharia ares de disputa entre facções, com a derrota previsivelmente atingindo em cheio o elo mais fraco.

Se 2018 fosse um roteiro, esse seria o evento inaugural, para o bem e para o mal.

Ocorrido em março, o episódio já continha os elementos em torno dos quais a disputa nas urnas seria travada: intolerância, emprego da força desmedida e desejo de aniquilação de um outro associado ao diverso – étnica, política e sexualmente.

Bem entendido: a morte da vereadora não se deveu a diferenças estritamente ideológicas, como se sabe, mas à forma como o Estado foi sequestrado e empurrado para as cordas por um ente paralelo. Marielle foi executada por agentes de um estado paralelo numa unidade federativa sob intervenção militar depois de exaurida por uma casta política que vinha se sucedendo amparada na gatunagem. O cenário de seu assassinato é, portanto, o mesmo da falência política e financeira do Brasil.

Como esse atentado se liga ao pleito deste ano? Ora, o próprio vencedor da eleição foi ele mesmo alvo de uma tentativa de assassinato – não trucidado à queima-roupa por um coletivo sem rosto, como foi Marielle, mas vítima de um ator anônimo que se misturou à multidão à luz do dia para golpear a faca o líder da campanha até então.

Embora diferentes em sua natureza e no tipo de execução, os dois crimes guardam estreita relação sobre o modo como o emprego da violência e o exercício da política andaram muito perto nestes tempos, a ponto de se confundirem – continuarão assim no ano que começa?

Essa talvez tenha sido a grande característica de 2018: os doze meses que se encerram agora produziram um número significativo de acontecimentos que definiram não apenas a temporada, mas seguirão reverberando por muito tempo ainda.

De consequências imprevisíveis, o fuzilamento de uma parlamentar pode significar uma nova etapa na concertação de movimentos e organização da sociedade civil; a prisão de um ex-presidente, por sua vez, ao passo em que o retira de cena, mantém-no como pauta presente exatamente por sua ausência; a renovação no Congresso expôs o abismo entre representantes e representados.

Capítulo inédito na história da República, a chegada ao poder de Jair Bolsonaro (PSL) é o pano de fundo nebuloso contra o qual esses e outros atores constroem um novo arranjo político num País ainda atravessado por muitos impasses.

*Henrique Araújo

henriquearaujo@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

CIC prepara festa do centenário em 2019

A diretoria do Centro Industrial do Ceará, braço político da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), prepara uma programação que marcará, ano que vem, seu centenário de fundação.

Trata-se de uma das entidades do ramo empresarial mais antigas do País.

André Siqueira, presidente do CIC, fecha também um plano de desburocratização, a ser sugerido ao novo Governo de Camilo Santana.

*Confira artigo de André Siqueira no O POVO aqui.

Alexandre Frota alega “necessidades especiais” para conseguir gabinete da Câmara em local privilegiado

O deputado federal eleito Alexandre Frota (SP) começou mal entre seus correligionários da Câmara.

Segundo informa a Veja Online, deputados do PSL não gostaram nada de saber que o novato alegou “necessidades especiais” para conseguir um espaço privilegiado da Casa.

Como sofre de um problema no joelho, Frota foi alocado num gabinete localizado ao lado dos elevadores, espaço desejado por nove entre cada 10 parlamentares.

(Foto – Reprodução de TV)

Assembleia Legislativa – Pré-candidato a presidente, José Sarto já tem plano de trabalho

José Sarto (PDT) não só diz que quer ser presidente da Assembleia Legislativa, como avisa: se eleito, fará a Universidade do Parlamento fechar parceria com as universidades, pois quer o aprimoramento do corpo técnico de assessores da Casa.

O pedetista, no entanto, avisa logo: torce pelo consenso.

Além de Sarto, estão no páreo pelo olimpo legislativo Zezinho Albuquerque – atual presidente, Sérgio Aguiar, Evandro Leitão e Tin Gomes.

(Foto – ALCE)